3 planeamento, gestão de projectos e desenvolvimento participativo

1,339 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,339
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
33
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

3 planeamento, gestão de projectos e desenvolvimento participativo

  1. 1. 3 PLANEAMENTO E GESTÃO DE PROJECTOS HNA Coimbra,Março de 2009
  2. 2. 2 – PLANEAMENTO E GESTÃO DE PROJECTOS NO QUADRO DO DESENVOLVIMENTO PARTICIPATIVO2.2 - PLANEAMENTO NA LÓGICA DE MUDANÇA
  3. 3. BREVE HISTÓRIA DO PLANEAMENTOO PLANEAMENTO PODE SER ENTENDIDO COMO UMA FORMADE ENCARAR O FUNCIONAMENTO, A ORGANIZAÇÃO E AEVOLUÇÃO DE UM UNIVERSO DE ACÇÃO E DOS SEUSCOMPONENTES. O TRABALHO PIONEIRO DA URS (1917-1921) OS ESFORÇOS DE PLANEAMENTO ECONÓMICO APÓS AII GM NOS PAÍSES INDUSTRIALIZADOS E SEMI-INDUSTRIALIZADOS DO OCIDENTE E NAS ZONAS MENOSDESENVOLVIDAS DA ÁSIA E DE ÁFRICA
  4. 4. ÁREAS DE INCIDÊNCIA DO PLANEAMENTO ESFERA ECONÓMICA INFRA-ESTRUTURAS URBANAS E SOCIAISPLANEAMENTO SECTORIAL PLANEAMENTO INTEGRADOCOMPLEXIFICAÇÃO DO PLANEAMENTO: ECONÓMICO, SOCIAL, CULTURAL, AMBIENTAL…CRITICA Á RIGIDEZ DOS PLANOSANOS 60 - APROFUNDAMENTO DO PENSAMENTO SOBRE O PLANEAMENTO
  5. 5. PLANEAMENTO SECTORIAL PLANEAMENTO INTEGRADO PLANEAMENTO ESTRATÉGICO GESTÃO ESTRATÉGICAPLANEAMENTO ESTRATÉGICO CRIATIVO E PARTICIPATIVO
  6. 6. DEFINIÇÕES E CARACTERÍSTICAS DO PLANEAMENTO MODERNOO ESFORÇO DE PLANEAMENTO ADVÉM DA NECESSIDADE: DE GESTÃO DE TENSÕES E CONFLITOS DE INTRODUZIR FORMAS DE COERÊNCIA NOS VÁRIOS SUBSISTEMAS DE IMPLEMENTAR PROCESSOS DE RACIONALIZAÇÃO / OPTIMIZAÇÃO DOS RECURSOS
  7. 7. O PLANEAMENTO É HOJE UM ESFORÇO DEREGULAÇÃO A MÉDIO PRAZO DE UM SISTEMASOCIAL E PODE SER DEFINIDO COMO ACTIVIDADEMEDIANTE A QUAL UMA DETERMINADASOCIEDADE, ATRAVÉS DOS VÁRIOS ACTORES EORGÃOS COMPETENTES, PROCURA CONTROLARE MODIFICAR DELIBERADAMENTE O SEU FUTUROCOLECTIVO MEDIANTE O USO DE CERTASTÉCNICAS DE ACÇÃO SOCIAL. (GUERRA, 2000: 110)
  8. 8. CONSTRUÇÃO DE UMA CONCEPÇÃO DE PLANEAMENTOPLANEAR É PENSAR O FUTUROPLANEAR É AGIR SOBRE O FUTUROPLANEAR É DECIDIRPLANEAMENTO É UM PLANO INTEGRADO DE DECISÕESPLANEAMENTO É UM PROCEDIMENTO FORMALIZADO QUETEM POR FINALIDADE PRODUZIR UM RESULTADOARTICULADO SOB A FORMA DE UM SISTEMA INTEGRADO DEDECISÕES
  9. 9. CONCEPÇÕES DE PLANEAMENTO FACE À GESTÃO DOS PROJECTOS DE DESENVOLVIMENTO Barbier, Jean-Marie (1993). Elaboração de Projectos de Acção e Planificação. Porto: Porto Editora, 190-203.Boutinet, Jean-Pierre (1996). Antropologia do Projecto. Lisboa: Instituto Piaget.Guerra, Isabel Carvalho (2000). Fundamentos e Processos de uma Sociologia de Acção. O Planeamento em Ciências Sociais. Estoril: Principia, 96-106.
  10. 10. 3 MODELOS DE PLANIFICAÇÃO, TENDO EM CONSIDERAÇÃO O CRITÉRIO DA PROMOÇÃO DA PARTICIPAÇÃO DOS PARCEIROS1 – RACIONAL2 – INTERACCIONISTA3 – EM PARTENARIADO
  11. 11. 1 - PLANIFICAÇÃO RACIONALO PAPEL PRINCIPAL NÃO PERTENCE AOS PARTICIPANTES DA ACÇÃO, MAS AOS PROMOTORES DA ACÇÃO CARACTERIZA-SE POR SER UM PROCESSO CENTRALIZADO DE PLANIFICAÇÃO LINEAR, ASSENTE NUM MAPA COGNITIVO QUE PARTE DAS NECESSIDADES ATÉ À AVALIAÇÃO. A AVALIAÇÃO INCIDE SOBRE A RELAÇÃO CUSTO/BENEFÍCIO, E É ESSENCIALMENTE VALORIZADA NA SUA FUNÇÃO REGULADORA E CORRECTIVA DE SOLUÇÕES. É UMA PLANIFICAÇÃO INSTRUMENTAL E DE OPTIMIZAÇÃO
  12. 12. 2 – PLANIFICAÇÃO INTERACCIONISTACENTRA-SE NA VALORIZAÇÃO DOS PARCEIROS NA REALIZAÇÃO DA ACÇÃO. É UM MODELO DE ACÇÃO: O DESENVOLVIMENTO BASEIA-SE NUM CICLO DE ACÇÃO E DE REACÇÃO. AS FASES SÃO INTERDEPENDENTES É UM MODELO AUTO-REGULADOR, QUE SE FUNDAMENTA NA “ACÇÃO COLECTIVA” E NA SUA CAPACIDADE DE ORGANIZAÇÃO. A DECISÃO PERTENCE À POPULAÇÃO E O TEMPO DA ACÇÃO COLECTIVA ESTÁ ASSOCIADO À PARTICIPAÇÃO DE TODOS.
  13. 13. 3 – PLANIFICAÇÃO EM PARTENARIADOOS PAPEIS DESEMPENHADOS PELOS PARTICIPANTES SÃO OS MOTORES DA ACÇÃO AS ACÇÕES SÃO ESTRUTURADAS EM PARTENARIADO A PARTICIPAÇÃO É ORGANIZADA, CONTRATUALIZADA E FUNDAMENTADA NA INTERVENÇÃO DIRECTA NA DEFINIÇÃO DO PROJECTO É UMA PLANIFICAÇÃO INOVADORA E VISA A PRODUÇÃO DE MUDANÇAS, PRODUZINDO RECURSOS PRÓPRIOS. A ACÇÃO COLECTIVA É PARTILHADA E CENTRADA NOS OBJECTIVOS COMUNS E ESPECÍFICOS DO PROJECTO
  14. 14. • PORQUE É IMPORTANTE A PARTICIPAÇÃO?
  15. 15. A IMPORTÂNCIA DA PARTICIPAÇÃO A PARTICIPAÇÃO NA LÓGICA DA RECONCILIAÇÃO ENTRE CAPITAL E TRABALHO PARTICIPAÇÃO LIGADA AO PODER, CONSIDERADO COMO UM TER…POSSIBILIDADES DE DECISÃO”, UMA CONQUISTA (DE PODER POLÍTICO) OU UMA NEGOCIAÇÃO (PARTILHA AUTOGESTIONÁRIA) (Guerra, 2000: 99-100) . PASSAGEM DA NOÇÃO DE PARTICIPAÇÃO À DE PARTENARIADO, SEM TRANSFORMAÇÕES SIGNIFICATIVAS AO NÍVEL DO EXERCÍCIO DA CIDADANIA
  16. 16. “ENQUANTO A PARTICIPAÇÃO REMETE PARA UM ESQUEMADE EXERCÍCIO DE PODER, O PARTENARIADO ABRE PORTASÀS PRÁTICAS FUNDADAS NO PRINCÍPIO DA INTERACÇÃOENTRE AS POPULAÇÕES, OS TÉCNICOS, OS DECISORES NOSENTIDO DA RESOLUÇÃO DOS PROBLEMAS.(...)O PODERESTÁ PRESENTE MAS NÃO COMO “TER”, ANTES COMOINTERAÇÃO SOCIAL NEGOCIÁVEL, EMBORA DESIGUAL ECONFLITUAL” (Guerra, 2000:101).O PARTENARIADO IMPLICA A CRIAÇÃO DE ESTRUTURASFUNCIONAIS GERADAS EM FUNÇÃO DE UM PROJECTOCOMUM.
  17. 17. METODOLOGIA PARTICIPATIVA DE PROJECTOÉ METODOLOGIA DE PLANEAMENTO NA ÁREA DA INTERVENÇÃO SOCIALPROFUNDAS ALTERAÇÕES NA MANEIRA DE PENSAR E FAZER O PLANEAMENTO
  18. 18. O PLANEAMENTO IMPLICA TOMADA DE DECISÕES QUE DEVEM SER EXPLICITADAS, SISTEMATIZADAS, INTERPRETADAS E DETALHADAS EM PLANOS PROGRAMAS PROJECTOSBaptista, Myrian Veras (2000). Planeamento Social. Intencionalidade e instrumentação. S. Paulo: Veras Editora, 97-102.

×