Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
02 de abril a 09 de MAIO de 2012              DISTRIBUIÇÃO10 ANO                GRATUÍTASANTA LUZIA     Valorização imobil...
2                            AÇÃO      l o jornal de Santa Luzia e região                                        02 de abr...
3                            AÇÃO       l o jornal de Santa Luzia e região                                          02 de ...
Renegociação     4                            AÇÃO       l o jornal de Santa Luzia e região                               ...
5                                 AÇÃO       l o jornal de Santa Luzia e região               Inclusão social no          ...
6                           AÇÃO      l o jornal de Santa Luzia e região                                       02 de abril...
7           AÇÃO     l o jornal de Santa Luzia e região                       02 de abril a 09 de MAIO de 2012E ESPORTIVO ...
8ª Copa8   AÇÃO  l o jornal de Santa Luzia e região       02 de abril a 09 de MAIO de 2012                               A...
9                             AÇÃO        l o jornal de Santa Luzia e região                                            02...
10                           AÇÃO       l o jornal de Santa Luzia e região                                                ...
11                              AÇÃO       l o jornal de Santa Luzia e região                                         02 d...
12                              AÇÃO        l o jornal de Santa Luzia e região                                            ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Jornal ação 01

1,006 views

Published on

Published in: News & Politics
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Jornal ação 01

  1. 1. 02 de abril a 09 de MAIO de 2012 DISTRIBUIÇÃO10 ANO GRATUÍTASANTA LUZIA Valorização imobiliária AVENIDA BRASÍLIA Não somente nos grandes cen- TATIANE RIBEIRO tros, mas principalmente nos municí- pios que integram a região metropolitana de Belo Horizonte, a valorização imobiliária esta em alta e constante elevação. Apesar de todos os problemas existentes, a Avenida Brasília, principal ponto comercial de Santa Luzia, tem sido local de inves- timento de pequenos e grandes co- merciantes. Entre estes empresários, se destaca o dono da rede de Super- mercados BH, que investe pesado em Santa Luzia, gerando renda e empre- gabilidade para o município. PAGINA 3 GAROTA SENSAÇÃO Realização ESTÁDIO DO GRÊMIO Um grupo de amigos TATIANE RIBEIRO apaixonados pelo fute- bol amador, se empe- nhou, buscou parcerias, venceu barreiras e atra- vés do próprio trabalho conseguiu realizar um grande sonho: a trans- formação de um bota- fora de entulhos em um dos campos de futebol mais bonitos e comple- tos de Santa Luzia. PAGINAS 6 E 7 BAIRRO LONDRINA Inclusão HEBERTON LOPES A luziense Sr.José Marcelino (fo- Marcília Catrine to), por meio da Asso- ciação Comunitária do Silva Neves tem Bairro Londrina (da qual 19 anos de idade, é presidente), oferece mora no bairro cursos profissionalizan- tes e atividades culturais São João Batista, com o objetivo de pro- em Santa Luzia, e mover ações de melho- ria na qualidade de vida cursa psicologia, da população local. na Puc PAGINA 5
  2. 2. 2 AÇÃO l o jornal de Santa Luzia e região 02 de abril a 09 de MAIO de 2012 Viemos para somar Luziense Tribuna do EDITORIALS Este espaço é reservado anta Luzia, esta bela cidade trutura, saneamento, cultura, edu- nossa juventude dos caminhos er- para você, cidadão luziense! histórica de 320 anos, que cação, saúde, arte... faltam que rados e queremos ter provas para abriga atualmente quase 300 boas ideias e ideais sejam espa- mostrar aos nossos filhos e netos Aqui você terá voz e vez paramil habitantes, é uma das princi- lhados por todos os cantos desta que o bem é sempre o melhor ca- expor problemas que existempais cidades históricas de Minas cidade! E é por isso que viemos! minho. na sua rua ou no bairro, cobrarGerais. Apesar da infraestrutura Não chegamos com o intuito Então é isso... com toda a hu- ações da Administração Muni-turística modesta, o município se de tomar o lugar dos nossos com- mildade de quem acaba de chegar, cipal, fazer denúncias e reivin-destaca pelo seu potencial de de- panheiros de comunicação que há pedimos licença para entrar em dicações com o objetivo desenvolvimento industrial e comer- muito tempo lutam pela melhoria sua casa e, desde já, deixamoscial. Seu povo, gente trabalhadora, desta querida cidade. Nem é nosso claro que contamos com o apoio promover melhorias e quali-tranquila e de fé, luta para manter propósito concorrer com os res- de todos vocês. O Jornal Ação não dade de vida para a cidade.viva a tradição através de suas fes- peitosos jornais que atuam em vai calar enquanto o povo tiver o Nesta coluna, você poderátas religiosas, casarões, ruas e Santa Luzia. Nosso objetivo é so- que dizer, porque o povo é a nossa ainda, parabenizar alguém ouigrejas, e, ao mesmo tempo, busca mar, é ser porta-voz da população, motivação. Assumimos o compro- alguma instituição por um feitoformas de transformar o que é pre- é reunir empenho para gerar mais misso e o dever de investigar, de- em prol do município de Santaciso para que a população tenha força e obter conquistas para o nunciar e cobrar, no entanto, é vá- Luzia.qualidade de vida. povo luziense. Queremos bom lido frisar que não estamos No entanto, sabemos que não atendimento nos postos de saúde, declarando guerra a ninguém (o Para que seu manifesto sejase vive só de história e que ne- queremos segurança, saneamento que também não quer dizer que publicado na Tribuna do Lu-nhuma cidade se desenvolve se básico, educação para nossos fi- vamos nos intimidar). A cada edi- ziense, você deve enviar emailnão houver planejamento e muito lhos... Queremos contribuir para ção nos empenharemos para fazer com sua solicitação para o se-trabalho. Já há algum tempo, a po- a transformação desta cidade, de o melhor possível e vamos traba- guinte endereço eletrônico:pulação luziense, principalmente a forma que ela se desenvolva, mas, lhar seguindo os valores que acre- jornalacaodesantaluzia@gmail.commais humilde, tem sofrido com a continue sendo tão acolhedora ditamos, pois, temos fé de que aprecariedade e com a falta de ser- como é na lembrança dos nossos mistura de boa vontade, seriedade A Tribuna do Luziense foiviços públicos que são essenciais bisavós... Queremos diversão e e trabalho só pode resultar em feita para que você seja ouvidopara a garantia da saúde. Falta es- atrativos culturais para desviar bons frutos. e para que as dificuldades das comunidades sejam vistas! CHARGE Participe, reivindique, faça co- branças, lute por seus direitos e por uma Santa Luzia melhor para se viver! EXPEDIENTE Minas Uai Comunicação Ltda. Reportagem: Heberton Lopes (15908/MG) e matérias publicadas aqui, não necessaria- Avenida Brasília, 1.687, sala 204, Tatiane Ribeiro (15996/MG) mente condizem com o pensamento deste jor- São Benedito, Santa Luzia/MG Impressão: Sempre Editora nal, contudo as publicamos por serem CEP: 33105513 manifestações da liberdade de expressão. jornalacaodesantaluzia@gmail.com O Jornal Ação não se responsabiliza por con- Diretor: Joveline Ferreira ceitos, ideias ou opiniões expressas em maté- Distribuição gratuita: 10 mil exemplares Editora-Chefe: Tatiane Ribeiro rias assinadas ou informes publicitários. As distribuídos em Santa Luzia/MG e região
  3. 3. 3 AÇÃO l o jornal de Santa Luzia e região 02 de abril a 09 de MAIO de 2012Setor imobiliário em alta AVENIDA BRASÍLIA FOTOS: TATIANE RIBEIRO Não é necessário ter formação metro quadrado gira em torno de cia é que esta realidade mude: (devido ao atendimento e bom preço)profissional no setor imobiliário, nem R$4.000 a R$10.000: “Aqui na Ave- “Quando não houver mais espaços na e, claro, rentabilidade para o dono daconsultar estáticas de pesquisas e nem nida Brasília, encontra-se lojas com avenida, o comércio terá que se rami- rede de supermercados.ser muito entendedor do assunto para preços de aluguéis até mais altos do ficar por onde houver espaço, assim, No entanto, a chegada dos gran-perceber que a valorização imobiliá- que na região da Savassi, em Belo Ho- a tendência é que os custos de locação des comerciantes são dois lados dife-ria esta em alta, não somente nos rizonte. Isso prova que o setor imobi- e compra destes pontos também te- rentes da mesma moeda: Pode-segrandes centros, mas principalmente liário em Santa Luzia esta em nham alta. Acredito que eles são terão imaginar que fica mais difícil a sobre-nos municípios que integram a região expansão. Outra prova disso, é que custos tão altos como na Avenida Bra- vivência dos pequenos lojistas na re-metropolitana de Belo Horizonte. grandes lojas tem fixado unidades sília, mas é certo que serão muito mais gião, isto porque, com a grandeAqui mesmo, em Santa Luzia, já não aqui. Podemos citar ‘Ricardo Eletro’, valorizados comercialmente”, disse procura e com os custos mais altos, ase encontram facilmente pontos co- ‘Magazine Luiza’, ‘Casas Bahia’, Avelino. tendência é que os micro empresáriosmerciais para serem alugados, e os ‘Pernambucanas’, ‘Dadalto’, ‘Lojas Outro comerciante que tem inves- desistam dos negócios e cedam lugarpoucos que ainda estão disponíveis, Rede’ e outras tantas”. Avelino co- tido pesado no município é o dono da para os grandes empresários. Portem custo de aluguel alto. mentou ainda que, por enquanto, nos rede de Supermercados BH. Já são outro lado, os micros empresários que Conversamos com Avelino San- entornos da Avenida Brasília, onde o sete lojas em Santa Luzia, o que gera realmente confiarem nos seus traba-tos, empresário e corretor de imóveis, fluxo comercial ainda não é tão renda para o município, empregabili- lhos e não desistirem, terão chancesque falou um pouco sobre o ramo grande, o setor imobiliário ainda não dade para a população, conforto e co- de crescer em nome e em números, jáimobiliário na Avenida Brasília, re- esta tão valorizado, mas que a tendên- modidade para a clientela luziense que com o apoio das grandes lojas, agião do São Benedito. Ele contou que tendência é que aumente o número depela proximidade com a capital e o pessoas que circularão pelo comércioCentro Administrativo do Estado, na Avenida Brasília, ou seja, aumen-além do seu potencial econômico, tando também o número de possíveisSanta Luzia tem sido alvo de grandes clientes.comerciantes: “As grandes lojas estão Sabe-se que ainda há muito traba-investindo no município porque acre- lho para ser feito na Avenida Brasíliaditam no potencial econômico que e que, infelizmente, até onde sabemos,Santa Luzia tem. Apesar de todos os não há nem sinais de melhorias naproblemas que a cidade tem enfren- questão estrutural da via, que se tor-tado com relação a infraestrutura e a nou o maior ponto comercial de Santafalta de planejamento, comerciantes Luzia e um dos mais conhecidos devisionários sabem que esta é uma ci- Belo Horizonte. Mas, ainda de acordodade que merece investimento pe- com o corretor de imóveis, apesar desado. Com isso, como a demanda todos os problemas da cidade, tantoaumenta e os espaços disponíveis já para os grandes, quanto para os pe-não são tantos, a tendência é que os quenos comerciantes, o lucrativo épreços de venda e de aluguel dos lotes que o investimento no local continuee imóveis da região tenham alta”, sendo feito: “Quem esta fora, quer en-disse Avelino que ainda acrescentou trar; e quem esta dentro, se esforçaque na Avenida Brasília o preço de lo- para não sair, porque sabemos que acação de loja por metro quadrado gira tendência é que a Avenida Brasíliaem torno de R$50 a R$120, e que no seja uma região ainda mais valori-caso de venda de terreno, o preço por zada”, destacou Avelino Santos.
  4. 4. Renegociação 4 AÇÃO l o jornal de Santa Luzia e região 02 de abril a 09 de MAIO de 2012 Minas Gerais é o 4º Estado que mais deve à União. Assembleia Legislativa cria Frente Parlamentar para buscar a renegociação IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA Em 1998, Minas Gerais devia ao 17% da receita líquida mineira terá da dívida. Se nada for feito, mesmo se a dívida for renegociada, sobrariagoverno federal 14,8 bilhões de reais. que ser destinada à quitação dos débi- pagando em dia, no ano de 2038, nos cofres públicos do estado cerca deEm 2011, o estado fechou o ano com tos com o governo federal. Preocupa- quando o estado ainda estará quitando R$ 1,25 bilhão, o que, no prazo de umum débito de R$ 58,6 bilhões de reais, dos com a situação e com a crise que os resíduos da dívida, até 40% da re- ano, daria para elevar em 6,25 vezessendo 19,7 bilhões de reais apenas de pode ocorrer nos cofres públicos nos ceita líquida de Minas pode ser abo- o recurso da assistência social; cons-juros, o que deixa o estado em quarto próximos anos, os deputados esta- canhada pela União. truir 12.500 postos de saúde; asfaltarlugar no ranking dos mais endivida- duais da Assembleia Legislativa de Em encontro realizado na cidade 1.250 quilômetros de estradas; oudos no Brasil. Tudo começou quando Minas Gerais (ALMG) lançaram, re- de Uberlândia, lideranças políticas, construir 625 escolas estaduais. Parao governo federal renegociou as dívi- centemente, a Frente Parlamentar em empresários, deputados da ALMG e isso, seria necessário reduzir o com-das dos estados, no ano de 1998. Defesa da Renegociação da Dívida membros da Federação das Indústrias prometimento da receita líquida do es-Nesta renegociação, a União passou a Pública do Estado de Minas Gerais, do Estado de Minas Gerais (FIEMG) tado de 13% para 9%.usar como indexador da dívida o Ín- que busca uma forma de apresentar discutiram o assunto. O presidente do Vários debates regionais estãodice Geral de Preços – Disponibili- soluções e incentivar o envolvimento legislativo mineiro, Dinis Pinheiro, sendo realizados para discutir a rene-dade Interna (IGP – DI). No caso de da população para pressionar a União lembrou que no passado o estado gociação da dívida pública de MinasMinas, o valor pago é o IGP-DI mais a renegociar a dívida de maneira mais pagou cerca de R$ 3,3 bilhões à Gerais com a União. As cidades de Je-7,5% de juros ao ano, o que compro- adequada a realidade econômica do União. O deputado ressaltou que esse quitinhonha, Governador Valadares,mete 13% da arrecadação para pagar a país. valor é superior ao investimento em Uberlândia, Varginha e Uberaba jádívida. Na época da renegociação, em alguns setores. Uma das propostas foram sede para os encontros. Os pró- A renegociação das dívidas dos 1998, a maioria dos estados estava discutidas foi a redução da taxa de ximos debates serão em Ipatinga, emestados com a União foi feita pelo pe- praticamente falida. O Brasil vivia juros. Em Minas Gerais, os cofres pú- 16/5; Patos de Minas, em 18/5; Divi-ríodo de 30 anos, que vencerá em com a inflação mensal de dois dígitos blicos pagam 7,5% de juros por ano, o nópolis, em 21/5; Juiz de Fora, em2028, com mais 10 anos para quitar os e os acordos foram feitos com base na que atualmente compromete 13% da 22/5; e em Montes Claros, em 24/5.resíduos. Se nenhuma intervenção for realidade econômica daquele ano. receita estadual com o pagamento da Para saber mais, acesse o hotsiterealizada e o indexador da dívida con- Hoje, a economia é outra e, por isso, dívida. criado pela ALMG: http://www.rene-tinuar o mesmo, em 2028, cerca de os parlamentares pedem uma revisão De acordo com o site da ALMG, gociacaoja.com.br/
  5. 5. 5 AÇÃO l o jornal de Santa Luzia e região Inclusão social no 02 de abril a 09 de MAIO de 2012 A Flor bairro Londrina FOTOS: HEBERTON LOPES / DIVULGAÇÃO da vida Havia uma jovem muito rica, que tinha tudo: um marido maravilhoso, fi- lhos perfeitos, um emprego que lhe pa- gava muitíssimo bem, uma família unida. O estranho é que ela não conseguia con- ciliar tudo isso, o trabalho e os afazeres lhe ocupavam todo o tempo e a sua vida estava defici tária em algumas áreas. Se o trabalho lhe consumia muito tempo, ela tirava dos filhos, se surgiam problemas, ela deixava de lado o marido... E assim,Por meio de cursos profissionalizantes e atividades culturais, José Marcelino, presidente as pessoas que ela amava eram sempre deixadas para depois. da Associação Comunitária, promove ações de melhoria na qualidade de vida Até que um dia, seu pai, um homem muito sábio, lhe deu um presente: uma Prestes a completar 30 anos de exis- ria e a associação passou por um período Marcelino explica que a entidade não flor muito cara e raríssima, da qual só havia um exemplar em todo o mundo. Etência, a Associação Comunitária do complicado. A situação ficou precária e a recebe nenhuma ajuda financeira da Pre- disse à ela: - “Filha, esta flor vai te aju-Bairro Londrina (ACBL) continua com os ACBL chegou a ser desativada, privando feitura ou dos vereadores. Toda a renda é dar muito mais do que você imagina!braços abertos à comunidade. A entidade dos moradores o acesso ao local. A sede, obtida por meio da contribuição dos alu- Você terá apenas que regá-la e podá-lafilantrópica oferece diversos cursos e ati- tomada por mato e lixo, passou a ser utili- nos dos cursos: “Às vezes tenho que tirar de vez em quando, ás vezes conversar umvidades gratuitas (ou com valores simbó- zada por usuários de drogas, que depreda- do meu próprio bolso para ajudar a manter pouquinho com ela, e ela te darálicos), o que promove a inclusão social e a vam o prédio. Em 2011, ao ver a situação a associação, mas faço com gosto, porque em troca esse perfume maravilhoso ecapacitação profissional da população. lastimável em que se encontrava a asso- sei que vale muito a pena”, revela. Alguns essas lindas flores”. A ACBL foi fundada em 25 de maio ciação, um grupo de pessoas residentes na materiais e móveis foram doados à ACBL, A jovem ficou muito emocionada,de 1982 por um grupo de moradores que região incentivou Marcelino a reativar a como o mobiliário e os computadores da afinal a flor era de uma beleza sem igual.tinham como objetivo promover a quali- entidade, que estava mergulhada em dívi- sala de informática (que eram do Tribunal Mas o tempo foi passando, novos proble-dade de vida da população do bairro. “Vá- das: “Reassumimos a associação em junho de Justiça do Estado de Minas Gerais), e as mas surgiam, o trabalho consumia todo orias melhorias foram conquistadas, mas do ano passado, fizemos diversas inter- tintas utilizadas para pintar as paredes, por- seu tempo, e a sua vida, que continuavaainda há muito para ser feito”, explica o venções, oferecemos cursos para a comu- tas, grades e janelas (que foram cedidas confusa, não lhe permitia cuidar daatual presidente da associação, José Mar- nidade e defendemos os interesses da pela Prefeitura de Santa Luzia). flor. Ela chegava em casa, olhava a flor ecelino, que foi o primeiro dirigente a ser população, mas ainda temos um longo ca- Vários cursos e oficinas são ofereci- via que as flores ainda estavam lá, não mostravam sinal de fraqueza ou morte,eleito por meio do voto direto, em 1984. minho a percorrer”, pondera Marcelino, dos à comunidade na sede da associação, apenas estavam lá, lindas, perfumadas. Atualmente, a entidade conta com seis que conseguiu junto à Promotoria de Jus- que conta com um salão para eventos e Então ela passava direto. Até que um dia,membros na Diretoria e seis no Conselho tiça de Santa Luzia transferir a responsa- aulas, quadra de esportes, sala de informá- sem mais nem menos, a flor morreu.Fiscal. Além disso, professores dos cursos bilidade dos débitos das gestões anteriores, tica e uma pequena cantina. Caminhadas, Ela chegou em casa e levou umoferecidos na sede da associação traba- que giravam em torno de 30 mil reais, à bailes da melhor idade, bingos beneficen- susto! Estava completamente morta, suaslham recebendo apenas ajuda de custo, já diretoria da gestão passada. tes, encontro de ciclistas e outras ativida- raízes estavam ressecadas, suas floresque os alunos pagam ape- des são rotina na sede da associação. Por caídas e suas folhas amarelas. A jovemnas 20 reais, que são re- apenas 20 reais, o público tem acesso a vá- chorou muito, e contou a seu pai o quevertidos na manutenção rias opções: estudar informática básica, havia acontecido. Seu pai então respon-do prédio e pagamento ballet infantil, dança de salão, música, deu: - “Eu já imaginava que isso aconte-das contas de água e ener- taekwondo, ginástica aeróbica, artesanato, ceria, e eu não posso te dar outra flor,gia elétrica. reforço escolar e inglês. porque não existe outra igual a essa, ela No ano de 2002, A ACBL oferecerá, em breve, cursos era única, assim como seus filhos, seuMarcelino saiu da direto- de manicure e de cabeleleiro. “Nem sem- marido e sua família. Todos são bênçãos que o Senhor te deu, mas você tem que pre os pais podem pagar o valor integral aprender a regá-los, podá-los e dar aten- para que seus filhos participem dos nossos ção a eles, pois assim como a flor, os sen- cursos, mas isso não impede o ingresso timentos também morrem. Você se deles nas oficinas. Damos um jeito aqui e acostumou a ver a flor sempre lá, sempre ali e garantimos o acesso de todos às nos- florida, sempre perfumada, e se esque- sas atividades”, completa Marcelino. ceu de cuidar dela. Cuide das pessoas Mais de 100 pessoas circulam diaria- que você ama!” mente pelas dependências da ACBL. E você? Tem cuidado das bênçãos Grande parte são crianças e adolescentes, que Deus tem lhe dado? Lembre-se das Mesmo sabendo que ainda de 7 a 17 anos de idade, participantes do pessoas que você ama, pois como as flo- tem muito a ser feito, Marcelino apresenta com o programa social Segundo Tempo, que tem res, elas são bênçãos do Senhor: Ele nos orgulho as conquistas como objetivo incentivar a prática espor- dá, mas nós é que temos que cuidar delas! obtidas pela associação tiva na comunidade.
  6. 6. 6 AÇÃO l o jornal de Santa Luzia e região 02 de abril a 09 de MAIO de 2012 GRÊMIO RECREATIVO EN Um sonho o dia 1º de maio, o Grêmio não nos fez desistir, pelo contrário, Recreativo e Esportivo foi ai que a união de amigos deci- Cristina, que nasceu atra- diu se organizar e lutar não apenasvés do empenho de um grupo de pela reativação do campo de fute-amigos apaixonados pelo futebol bol, mas também pelo objetivo deamador, completa 16 anos. Nossa transformar aquele bota-fora emreportagem esteve na sede do Grê- um dos mais belos estádios da re-mio, conversou com o atual presi- gião metropolitana de Belo Hori-dente da associação, Marquinho, e zonte”. Ainda segundo Marquinho,pôde ver de perto a realização do eles recomeçaram do zero: “Bus-sonho daquela comunidade. camos parcerias, protestamos con- De acordo com Marquinho, tra o bota-fora neste local,mais ou menos na década de 90, o brigamos e não sossegamos en-campo do Grêmio foi desativado, quanto não conseguimos resgatar ocausando tristeza profunda em campo. Depois que conseguimosgrande parte da comunidade do recuperar o espaço, nos organiza- Os integrantes do Grêmio Re-bairro Cristina: “Na época, o mos ainda com mais força, desta creativo e Esportivo Cristina con-campo foi transformado em bota- vez, com objetivo de realizar nosso tam que as dificuldades foramfora de entulhos, mas esta situação sonho”. inúmeras, que muitas vezes busca- Marquinho, presidente do Grêmio Recreativo Cristina contou que no início, muitas pessoas não acreditaram que a realização seria possível
  7. 7. 7 AÇÃO l o jornal de Santa Luzia e região 02 de abril a 09 de MAIO de 2012E ESPORTIVO CRISTINA FOTOS: TATIANE RIBEIROo realizado apoio, e eram justamente estes por tudo o que o Grêmio Recrea- momentos de apoio que sempre tivo e Esportivo Cristina conquis- renovavam a vontade de continuar tou: “Tivemos companheiros que em busca do objetivo. “Nossa pri- desistiram no meio do caminho, meira conquista foi o alambrado. que se afastaram do campo e do Depois, aos poucos e contando futebol por não acreditarem que com a ajuda do empresariado lu- seria possível fazer tudo o que fi- ziense e de alguns prefeitos das zemos. Houve quem afirmou que administrações passadas, conse- nosso sonho era utopia, que éra- guimos construir a sede, o vestiá- mos loucos. Mas houve também rio, a sauna, o salão de festas, a quem acreditou e lutou conosco, e quadra de areia... até que, no dia que por isso, fazem parte desta vi- 12 de fevereiro de 2011 chegamos tória”. no topo do nosso sonho: a inaugu- Após tantas conquistas, a ração do gramado do campo”, união de amigos do Grêmio Re- ram parcerias em vão, que tantas contou Marquinho com entu- creativo e Esportivo Cristina ainda outras vezes se sentiram derrota- siasmo. Ele ainda acrescentou que esta a todo vapor. “Nosso próximo dos e sem possibilidades, mas que quando se lembra do caminho tri- objetivo é a construção da quadra outras vezes também encontraram lhado até aqui, se sente honrado sintética”, contou Marquinho. ATUAL DIRETORIA A atual diretoria do Grêmio Recreativo e Esportivo Cristina é composta por Presidente: Marcos Antônio Vice-Presidente: Adão da Silva 1ª Secretária: Mariângela Rosária 2º Secretário: Bronsilber Souza 1º Tesoureiro: Elson Figueiredo 2º Tesoureiro: Geraldo Cupertino Diretor de Esportes: Paulo Alves Representante Grec: Eduardo Freitas Diretor Social: Rui Lopes Diretor de Patrimônio: Ronaldo Alves
  8. 8. 8ª Copa8 AÇÃO l o jornal de Santa Luzia e região 02 de abril a 09 de MAIO de 2012 Aguinaldo Campos Começou no dia 31 de março dedicado às questões do esporte de 2012 e tem previsão de término em Santa Luzia. Ele não apenas para o dia 23 de maio do mesmo criou projetos importantes, como o ano, a Copa Aguinaldo Campos. Atleta do Amanhã, como também Em sua 8ª edição, a copa traz uma não negou esforços nas tantas novidade: neste ano, além dos vezes em que o procuramos em times de Santa Luzia, sendo eles, busca de ajuda para a manutenção Grêmio Cristina, XVI de Março, da pratica esportiva”. Real Sociedade, Grêmio FC, Cris- Os jogos acontecem aos sába- tinense, Santa Rita e Cristal, outras dos, às 15h, em vários campos do duas equipes da cidade de Sabará município de Santa Luzia. também estão participando. As duas equipes são Sabará e Rivera. TATIANE RIBEIRO Para o idealizador, Crélio Al- meida, os objetivos alcançados com relação a Copa Aguinaldo Campos superaram as expectati- vas: “A copa se tornou tradição em Santa Luzia! Os amantes do fute- bol nos cobram pela realização dela e muitos já me disseram que se sentem honrados em participar e acompanhar os jogos”, disse Crélio que ainda acrescentou: “É de suma importância promover a integração, e é melhor ainda quando temos a oportunidade de fazer isso praticando esporte, afi- nal de contas, todos nós sabemos que esporte é saúde”. Com relação a homenagem à Aguinaldo Cam- pos, Crélio contou que o ex secre- tário municipal de esportes não foi escolhido em vão: “Aguinaldo Crélio Almeida, idealizador Campos sempre foi visionário e da Copa Aguinaldo Campos
  9. 9. 9 AÇÃO l o jornal de Santa Luzia e região 02 de abril a 09 de MAIO de 2012 ZUM ZUM ZUM Zoom PavimentaçãoA I cidade de Santa Luzia já está começando a se preocupar com a valori- nformaram para um amigo nosso que estão pavimentando a rua zação dos imóveis na região altaneira de Jaboticatubas. Tivemos a opor- onde mora o Bigode, o motorista do executivo municipal. Quem tunidade de ouvir um idoso senhor, muito conhecido no bairro Ponte conta um conto, aumenta um ponto, mas nem souberam dizer seGrande e adjacências, comentando sobre os empreendimentos portugueses na era asfalto ou calçamento poliédrico. Só não deixaram de dizer que nacidade vizinha. Ouviu que chácaras nas proximidades do condomínio que está rua tem apenas duas moradias. Curiosa como toda reportagem devesendo construído já chegam a ser vendidas por mais de um milhão, isto mesmo, ser, o informante disse que até gostaria de ver fotos da obra nessas pá-milho pequeno é canjica. Isto porque até aeroporto privativo, com mil e seis- ginas, para saber se o Bigode merece mesmo os elogios que recebe porcentos metros de comprimento, terão os moradores que além de aeronaves terão Segurança não falar muito.shopping, hospital, escola e até pontes sobre o rio das Velhas, para chegar ao Infraestrutura Naeroporto de Confins passando por Lagoa Santa. N o idioma inglês, zoom é aumento de tamanho, e a cidade de Santa o futuro, quando o empreendimento português mencionado ante- Luzia está aumentando de população a cada dia, por isto, é preciso riormente estiver funcionando, acesso a Lagoa Santa já está previsto também aumentar a segurança. A transferência da 150ª Companhia no projeto, mas não se fala no trajeto que passa por Santa Luzia, e o da Polícia Militar para o bairro Boa Esperança chegou a contrariar vereador bairro Ponte Grande está com ambas as pontes pequenas para o fluxo de veí- que mora no bairro Morada do Rio (onde o posto ficava instalado). Assim se culos, que vai triplicar ou mais. Nós apenas contamos o que ouvimos o velho vê que as vezes não adianta bajulação... o vereador “puxou-saco” do pre- senhor comentar, e ele nem pensa que a gente conta o milagre, mas não es- feito durante três anos e meio e nem assim conseguiu manter a posto poli- palha o nome do Santo, pois ele tem seus poderes, e até acredita que Go- cial no seu bairro. Isso é que é bola fora (do vereador, ou do prefeito... nem verno do Estado pode dar uma observada nos projetos antigos, de quando a se sabe!) A prefeitura alega que o número efetivo de policiais aumentou e duplicação da Avenida Brasília estava prevista para atravessar o rio das Ve- que as instalações do antigo posto policial ficaram pequenas, sendo neces- lhas e através de uma nova ponte, ligar com a Avenida Raul Teixeira da Costa sária a mudança para o antigo escritório do INSS, que é maior. O que se Sobrinho, que vai até o bairro Industrial Americano e pode ser ligada com a sabe, é que o Zum Zum Zum e a revolta no bairro Morada do Rio estão em alta, já que a população local se sentiu prejudicada com a mudança. Publicidade rodovia MG-20, que liga a Capital a Jaboticatubas, chegando a Santa Luzia Candidatos pela Avenida das Indústrias.N S er free lancer na cidade é engraçado, muitas pessoas até imaginam que ão se fala em outra coisa na cidade. Os moradores estão aguardando a o cidadão é aposentado, e não chegam a pagar o trabalho feito, pen- relação dos verdadeiros candidatos ao executivo local, mas já se co- sando que o cidadão faz apenas para ocupar o tempo. Não é assim, menta que alguns dos ex-prefeitos estão portadores de pendência na Jus- quando se compromete, cumpre-se com a palavra. Mas principalmente ostiça, e que até o atual ainda não obteve parecer favorável das contas do ano 2010. personagens políticos encomendam e não definem se vão querer mesmo, eAs pessoas que acompanharam o trabalho do legislativo local até ouviram em quando tem pressa de serviço pronto, não tem pressa de pagar. Perguntaramplenário que alguns vereadores questionam porque não veio o parecer do Tri- para um projetista porque não anunciava seu trabalho, e ele disse que co-bunal de Contas do Estado. Ficam todos aguardando a definição, enquanto ou- nhece pessoas que conhecem seu trabalho para não deixar faltar trabalho,tros candidatos, como a petista Cristina Corrêa, antecipou seu lançamento não quer se comprometer em fazer o que não é capaz.(certamente porque é novata na política, embora seja irmã de deputado federal).
  10. 10. 10 AÇÃO l o jornal de Santa Luzia e região Igreja Matriz 02 de abril a 09 de MAIO de 2012 MUSEU CULTURAL “Chico e de Santa Luzia Millôr” FOTOS: DIVULGAÇÃOO Eduardo Lacerda Brasil, em um pequeno espaço de tempo, perdeu um pouco de sua arte e do seu sorriso com as mortes de Chico Anysio (1931-2012) e Millor Fernandes (1924-2012). O primeiro,humorista, escritor, diretor e tudo o mais que a vida lhe ofereceu.Nordestino do Ceará, trouxe para o Sul a arte do riso largo e solto.Tinha o DNA da arte no espírito. Homem de talento, visão crítica ehumana singulares. Deu à Tv Brasileira uma cara com tantos per-sonagens quanto a diversidade do que é o Brasil com suas tragé-dias, páginas anônimas e heróicas. Chico criou e interpretou comoninguém mais de 200 tipos, personagens que traduziam o Brasil deforma leve. A sua trajetória, desde os 17 anos como locutor daRádio Guanabara, no Rio de Janeiro, até à TV Globo, foi de um su- A capela primitiva foi erguida por O apuro ornamental do seu interiorcesso ímpar. volta de 1701, em torno da qual se for- reflete três fases estilísticas do período O segundo, jornalista, escritor, cartunista, tradutor, teatrólogo mou um rancho para tropeiros que vi- colonial. Além da excepcional qualidadee humorista fluminense. Millôr transitava uma via de mão dupla, nham dos currais da Bahia para de entalhe da 2ª fase do Barroco – Estilouma cabeça que girava 360 graus. Tinha no olhar a acidez de se an- abastecer a região das minas. D. João V, cuja presença de Aleijadinhotepor a fatos e coisas, e por isso, ver o que poucos conseguem per- De 1744 a 1778 a primitiva capela é considerada, assim como o requinte sofreu várias alterações, tendo contri- Rococó e também a linguagem despre-ceber. Foi o “Pelé do giz”, do naquim e do humor refinado. Atuou buído para isto o Sargento Joaquim Pa- tensiosa dos padrões neoclássicos.na revista ‘O Cruzeiro’ (1928-1975), um marco da imprensa brasi- checo Ribeiro, em agradecimento à cura Foi inteiramente restaurada entreleira, fruto da ousadia e pioneirismo do Sr. Assis Chateuabriand de sua visão. 1988 a 1992.(1892-1968). Seu papel na imprensa brasileira foi de vanguarda,puxou a fila. Desenhava a realidade sem compromisso, seu traço foio da vã filosofia. Millôr, também foi um dos fundadores do jornal in-dependente ‘O Pasquim’, em junho de 1969, em plena Ditadura Mi-litar (1964-1985). Brincava de ser sério, e na verdade, persuadia atodos com isso. Seu texto era gasoso, habitava o espaço imaginário.Fazia sentido. Era gênio demais para falar de gente. Ambos, reinventaram o Brasil. Cada um a seu modo e com a suaassinatura. Foram além e nunca usaram isso como resposta paraalgo, o trabalho em si justificava o conjunto da obra. Chico, abu-sou do deboche para estampar na alma o jeito de ser brasileiro, sejano rádio, teatro ou mesmo, diante das câmeras de televisão. Millôr,camuflou a sabedoria com a rotina e sem holofotes arriscou-se, co-loriu a imprensa com “sacanagem de alto nível”. Escreveu com le-tras douradas o seu brilhante ofício. Eles foram e são exemplos para as futuras gerações de artistase profissionais que pensam em fazer história, criando e inovandosempre, com genialidade. Tanto Chico quanto Millôr, vêm de umtempo em que o conceito de mundo era outro, não tiveram nas mãosa facilidade tecnológica de hoje. Mas com certeza, tiveram a grandesorte de fazer o que gostavam. Abriram caminhos, encurtaram dis-tâncias, valorizando e revelando ao mesmo tempo, muita gente comamor e paixão.
  11. 11. 11 AÇÃO l o jornal de Santa Luzia e região 02 de abril a 09 de MAIO de 2012 CULTURA E LAZER SOCIAIS 1ª Corrida do Trabalhador de Santa Luzia FOTOS: TATIANE RIBEIRO / HEBERTON LOPES Na loja Feminina, na Avenida LOPES No próximo sábado, dia 5 de maio, os luzienses poderão participar da 1ªCorrida do Trabalhador de Santa Luzia. A concentração será na Praça da Brasília, as funcionárias TalitaSavassi, no bairro Palmital, a partir das 7h. Outras informações podem ser Alves e Camila Santosobtidas através do (31) 3641-5838 ou (31) 3641-5297. Tarde de Bingo na Igreja do Rosário Será realizado com o objetivo de arrecadar recursos para a manutençãodo Prospac (Projeto Social Passo Certo). O bingo será no próximo domingo,dia 6 de maio, a partir das 15h no adro da Igreja do Rosário, no bairro Cen-tro de Santa Luzia. Entre as prendas, estão os valores de R$500,00 (1ªprenda) e R$1.000,00 (última prenda). Compareça! Se divirta e colabore! Apresentação teatral – “As Mona Lisas” De 4 a 27 de maio, o Espaço Cultural Imaculada é palco para a peça tea- O casal Meire Nunes etral “As Mona Lisas”. Mona = alguém muito afeminado e LISA = alguém Luiz Domingues,sem dinheiro. Essa é a situação de três amigos que dividem um apartamento no bairro Engenhoe encaram com muito bom humor uma crise financeira. A situação fica aindamais difícil (ou engraçada) quando o Klauss, o afilhado de um deles decide No bairrose casar. Dinheiro eles não tem, mas não deixarão faltar Glamour nesse ca- Cristina,sório. O espetáculo acontece as sextas e sábados às 20h30, e domingos às Eduardo Freitas,20h. Outras informações através do telefone (31) 3014 5382. Marcos Antônio, Emerson San- Show de Ana Carolina tiago e Carlos O Chevrolet Hall recebe o show da Ana Carolina, sexta-feira, dia 4 de Martins, colabo-maio, às 22h. A cantora apresenta o projeto “Ensaio em Cores”, lançado radores do Grê-em julho de 2010, que traz em seu repertório canções de outros composito- mio Recreativores, todas em um formato acústico, intimista e com o acompanhamento deuma banda de mulheres. Ingressos a partir de R$ 180 (inteira) – Mais in-formações: (31) 3209 8980 – Classificação: 16 anos Helenice Marta, Bianca Show do Padre Fábio de Melo Pacheco e Padre Fábio de Melo apresenta seu novo show “No meu interior tem Jeane Soares,Deus”, no dia 06 de maio, domingo, no Chevrolet Hall. O repertório da apre- funcionárias dasentação resgata sua forte ligação com a música sertaneja de raiz, incluindo loja O Boticá-canções inéditas, composições próprias e grandes sucessos já consagrados. rio, da unidadeA classificação é de 16 anos. Outras informações podem ser obtidas atra- na Avenidavés do telefone (31) 3209 8989. Brasília Michelle Cirilo em companhia da filhinha Clarice, no bairro Santa Rita Joseane Wnuc (D), proprietária da franquia da Cazo no bairro São Be- nedito, em companhia de sua fun- cionária, a consultora Rose Lucas Também no bairro Engenho, os amigos Marcos Pinheiro, Welligton Moura e Euzébio Roberto
  12. 12. 12 AÇÃO l o jornal de Santa Luzia e região 02 de abril a 09 de MAIO de 2012 52 anos de amor e união SENHOR MIZAEL E DONA TARCÍSIA FOTOS: TATIANE RIBEIROM uitas pessoas buscam a fór- por eles”. Ao se referir a Sr. Mizael, mula para o amor eterno, e dona Tarcísia ressaltou que não há re- desde o início da civiliza- ceita para um amor eterno, mas que éção, uma das normas para o enlace primordial que ambos se respeitem,matrimonial, perante á Igreja, é que o tenham paciência e tentem se com-casal permaneça junto “até que a preender: “Todo casal tem dificulda-morte os separe”. No entanto, os casa- des e todo mundo tem defeitos,mentos duradouros, os amores que só ninguém é igual a ninguém! Mizael éacabam quando a vida acaba, tem se meu companheiro de muitos anos,tornado cada vez mais raros. muitas lutas e de alegrias ainda maio- Para a alegria dos filhos e orgulho res. Tanta felicidade não acontece sódaqueles que os conhecem, feliz- porque tivemos sorte, mas sim porquemente, este não é o caso de Sr. Mizael temos fé em Deus e acreditamos no(74) e dona Tarcísia (70). Eles são ca- amor”.sados, e vivem felizes juntos, há 52 Sr. Mizael também não acreditaanos. Pais de Regina (falecida), Re- que haja uma fórmula para o amor.nato, Roberto (falecido), Ronaldo (falecido), Ele diz há ingredientes que não podem faltar,Raimundo, Rui, Ricardo e Renata, Sr. Mizael e como compreensão e respeito, e que sendodona Tarcísia se casaram no ano de 1959, na assim, o amor não se acaba nunca. Com sim-época ele tinha 22 anos e ela apenas 17. “Hoje, patia, tranquilidade e bom humor, ele não negaquando paro para pensar em tudo o que vivemos que foram muitas as vezes que dona Tarcísianestes 52 anos, tenho a certeza de que nada foi se desentendeu com ele: “Tenho duas motiva-tão difícil quanto o falecimento dos nossos fi- ções de vida, minha família e meu violão. Porlhos. As dificuldades foram muitas, mas nada é causa da segunda paixão, minha esposa jámais doloroso do que a morte de alguém que é ficou brava muitas vezes”, contou Sr. Mizaelparte de nós mesmos. Superamos os problemas, sorrindo. Emocionado, ele ainda disse que semas a dor não passa nunca”, disse dona Tarcísia sente realizado: “Não tenho nenhum sonhoque ainda destacou: “ Quando nos casamos, o porque Deus é bom demais para mim e reali-trabalho era pesado demais e o dinheiro era zou todos eles antes mesmo que eu pedisse...pouco. Ele trabalhava nas roças e eu, para aju- Deus me deu a melhor companheira do mundo,dar no sustento dos nossos filhos, dava aulas. uma família maravilhosa, muitos desafios eGarantir a educação e a boa criação deles foi um grandes problemas para que eu aprendesse adesafio... me recordo, ainda com emoção, das dar valor ao pouco que tenho! Meu único de-tantas vezes que nos privamos da companhia um sejo é poder contar o que aprendi na vida parado outro em prol dos estudos das crianças”, disse despertar nas pessoas a importância de se va-dona Tarcísia que ainda acrescentou que apesar lorizar a família e ter compaixão. Se temos en-do sofrimento, valeu muito a pena: “Houve uma frentado tantos problemas no mundo é porqueépoca em que eu tive que ir para o Centro de tem faltado amor ao próximo e fé em Deus. ÉSanta Luzia com as crianças e ele ficou no bairro preciso resgatar os valores familiares e, alémEngenho. Foi uma época difícil, mas não tinha disso, a humanidade precisa reconhecer que asoutro jeito. Apesar de tudo, eu e Mizael conti- coisas mais importantes estão nas coisas maisnuamos lutando juntos, cada um contribuindo da simples... Não adianta ganhar muito dinheiro,forma que podia e cedendo sempre que possível. desenvolver tecnologias e criar máquinas seHoje, tenho a certeza de que nossas privações não temos a felicidade verdadeira! Digo comsão recompensadas, pois nossos filhos são meu toda certeza que aquele que não tem um amormaior orgulho, são pessoas de boa índole e que para a vida toda não conheceu a felicidade ver-sabem valorizar todos os sacrifícios que fizemos dadeiramente”.

×