Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Perspectivas da hotelaria novembro 2015

446 views

Published on

Diogo Canteras

Published in: Economy & Finance

Perspectivas da hotelaria novembro 2015

  1. 1. Perspectivas da Hotelaria no Brasil Novembro 2015 Diogo Canteras 1
  2. 2. Roteiro 1. Indústria hoteleira é Cíclica 2. Oportunidades de Investimentos x Estágio do Ciclo 3. Histórico das principais cidades brasileiras 4. “Drivers” da Indústria Hoteleira 5. Perspectivas dos principais mercados 6. Recomendações 2
  3. 3. Hotelaria passa a ser percebida como um mau investimento Desenvolvimento de Novos Hotéis Hotéis entram em operação Cai a ocupação do mercado Cai a tarifa média Estanca o Desenvolvimento de Novos Hotéis O mercado se recuperaSobe a ocupação Sobe a tarifa média Hotelaria passa a ser percebida como um bom investimento 1. Indústria hoteleira é Cíclica 3
  4. 4. 2. Oportunidades de Investimento x Estágio do Ciclo 4
  5. 5. 3. Histórico Recente das Principais Cidades Brasileiras 5 Econõmicos e Supereconômicos Midscale e Upper Midscale 1. São Paulo
  6. 6. 3. Histórico Recente das Principais Cidades Brasileiras 6 1. São Paulo Upscale
  7. 7. 3. Histórico Recente das Principais Cidades Brasileiras 7 2. Rio De Janeiro Econômicos e Midscale Upscale
  8. 8. 3. Histórico Recente das Principais Cidades Brasileiras 8 3. Belo Horizonte Econômico Midscale
  9. 9. 3. Histórico Recente das Principais Cidades Brasileiras 9 4. Salvador Econômico Midscale
  10. 10. 3. Histórico Recente das Principais Cidades Brasileiras 10 5. Porto Alegre Econômico Midscale
  11. 11. 3. Histórico Recente das Principais Cidades Brasileiras 11 6. Curitiba Econômico Midscale
  12. 12. -8,7% -13,9% -21,4% Rio de Janeiro -7,2% -14,3% -20,4% Salvador -20,9% -25,6% -41,1% Belo Horizonte -9,0% -13,6% -21,4% Porto Alegre -2,7% 0,3% -2,4% São Paulo Ocupação Diária Média RevPAR Legenda: 3. Histórico Recente das Cidades Brasileiras 1º Semestre de 2015 X 1º Semestre 2014 12
  13. 13. 3. Histórico Recente de outras Cidades 13 FUNDO MAXINVEST
  14. 14. 4. Drivers Da Indústria Hoteleira Demanda • Crescimento do PIB • Petróleo • Dólar Oferta • Desaquecimento do Mercado Imobiliário • CVM 14
  15. 15. Até o ano de 2011 2012 em diante  Forte crescimento econômico  Pressão de demanda hoteleira Crescimento de diária de dois dígitos.  Arrefecimento econômico nacional  Diminuição de Demanda  Desaceleração do crescimento das diárias 15 4. Drivers Da Indústria Hoteleira PIB
  16. 16. 16 4. Drivers Da Indústria Hoteleira PIB Fonte: IBGE/ Estimativas Boletim Focus (06/11/2015) -2.0% 0.0% 2.0% 4.0% 6.0% 8.0% 5.7% 3.2% 4.0% 6.1% 5.2% -0.3% 7.5% 2.7% 0.9% 2.5% 0.1% -3.1% -1.9% 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016
  17. 17. -6 -4 -2 0 2 4 6 8 10 12 14 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7 8 VariaçãodaDemandaHoteleira(%) Variação do PIB Nacional (%) Elasticidade DemandaHospedagemx PIB Nacional (modelo empírico: HVS) 17 4. Drivers Da Indústria Hoteleira PIB
  18. 18. Queda de 60% do preço do petróleo a partir de 2014. 18 Fonte: G1 (16/01/2015) 5. Drivers Da Indústria Hoteleira Petróleo
  19. 19. 19 4. Drivers Da Indústria Hoteleira Dólar Fonte: economia.uol.com.br/cotacoes/cambio/ Aumento de 33,4% do faturamento dos Resorts 2013 2015 19 http://fohb.com.br/nova-edicao-do-hotelaria-em-numeros-2015/
  20. 20. Evolução do Câmbio X Ocupação dos Resorts no Brasil 20 4. Drivers Da Indústria Hoteleira Dólar Evolução do Câmbio (R$/US$) X Ocupação dos Cruzeiros no Brasil
  21. 21. 21 5. Drivers Da Indústria Hoteleira Dólar Gastos de brasileiros no exterior despencam no 1° semestre 2015 21 Gastos de turistas brasileiros no Exterior x Gastos de turistas estrangeiros no Brasil
  22. 22. PLANO DE FUNDO Fonte de Recursos para Empreendimentos Hoteleiros no Brasil • Capital Próprio • Empréstimo BNDES • Fundos de Investimento - Fundos de desenvolvimento - Fundos de Renda • Incorporação Imobiliária = Condo Hotéis (80%) 22 4. Drivers Da Indústria Hoteleira CVM
  23. 23. 1° Momento: Incorporação Imobiliária • Players: - Incorporadora imobiliária - Operadora Hoteleira - Corretor Imobiliário • Objetivo: o resultado da incorporação 2° Momento: Negócio Hoteleiro • Players: - Operadora Hoteleira - Investidores - Hotel Asset Manager • Objetivo: o resultado da operação hoteleira Condo Hotel como subproduto da Incorporação Imobiliária Os Dois Momentos do Negócio 23 4. Drivers Da Indústria Hoteleira CVM
  24. 24. Deliberação CVM 734 (17/Março/2015) • Condo Hotéis são considerados Contratos de Investimento Coletivos (CICs) e portanto sujeitos à supervisão e controle da CVM; • Cada Condo Hotel, antes de ser lançado, deve ser antes submetido à CVM (solicitando a dispensa de registro); • Incorporador Imobiliário e Operadora Hoteleira são considerados co-ofertantes, sendo ambos responsáveis por esse produto de investimento (e sua perspectiva de rentabilidade). • No momento de lançamento os ofertantes devem disponibilizar aos potenciais investidores: 24 4. Drivers Da Indústria Hoteleira CVM - O estudo de viabilidade do empreendimento, elaborado por consultor independente, com as projeções de rentabilidade previstas para o empreendimento. - A descrição completa dos fatores de risco que podem afetar a rentabilidade do empreendimento. - O conjunto completo dos contratos com a operadora hoteleira e com a empresa de “hotel asset management”, incluindo as respectivas remunerações.
  25. 25. Novas Perspectivas Novos parâmetros para a Estruturação de Negócios Hoteleiros CVM Qualificação da Demanda Maior Ênfase no Produto Hoteleiro Novos Hotéis Fundos de Investimento em Hotéis Reposicionamento de Produtos Hoteleiros Operações Financeiras com Hotéis Financiamentos para Hotéis ações debênturesCRIs 25 4. Drivers Da Indústria Hoteleira CVM
  26. 26. Pós Regulamentação Situação Atual 26 4. Drivers Da Indústria Hoteleira CVM
  27. 27. 27 1. São Paulo (Econômico) 5. Perspectivas dos Principais Mercados 2. Santos (Midscale)
  28. 28. 28 3. RJ Zona Sul ( Budgets) 4. RJ Zona Sul (Midscale) 5. Perspectivas dos Principais Mercados
  29. 29. 29 5. Barra da Tijuca (Upper-Midscale) 5. Perspectivas dos Principais Mercados
  30. 30. 30 7. São Carlos (Geral) 5. Perspectivas dos Principais Mercados 6. Resende (Geral)
  31. 31. 1. Prepara-se para uma crise prolongada – estratégia: corte de custos. 2. Alertar os investidores para uma perspectiva de um período longo de baixa rentabilidade. 3. Ativos hoteleiros ficaram menos arriscados depois da CVM. – Quando a economia voltar a crescer a valorização é certa. 4. Trabalhar em estratégias de desenvolvimento focadas na criação de valor. 6. Recomendações 31
  32. 32. Fundo Maxinvest Hotel Asset Management Consultoria Hoteleira 47% 42% 60% Proprietário Negociar e CobrarInformar Monitorar e Acompanhar Operadora Hotel A HotelInvest 32
  33. 33. Obrigado Novembro 2015 Diogo Canteras 33

×