Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Ver + ver2
A este mote alheio:Verdes são os campos,De cor de limão:        VoltasAssim são os olhosDo meu coração.         Campo, que...
A este mote alheio:                         O poema é uma cantiga cujo mote estabelece uma comparaçãoVerdes são os campos,...
Relação o sujeito poético estabelece entre os campos e a amada.Mote:Verdes são os camposda cor do limãoassim são os olhosd...
A presença da cor tem um valor simbólico na construção desta cantiga.Mote:                                  VerdeVerdes sã...
Os sentimentos que dominam o sujeito poético ao longo da cantiga.Mote:Verdes são os camposda cor do limãoassim são os olho...
As palavras “campo”, “ovelhas” e “gado” relacionam-se com o tema.Mote:                                   É apresentado o d...
Este poema retoma aspectos característicos da poesia tradicional.Mote:                                    Formal :Ver//des...
Apresenta a Paráfrase da última volta. Identificando e clarificando a intenção do recursoexpressivo presente nos últimos q...
A este mote alheio:Verdes são os campos,                         Classificação: cantigaDe cor de limão:         Constituíd...
A este mote alheio:Verdes são os campos,De cor de limão:         A mulherAssim são os olhos       -tem olhos verdes «da co...
Disciplina de PortuguêsProfª: Helena Maria Coutinho
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Verdes são os campos

26,330 views

Published on

  • Be the first to comment

Verdes são os campos

  1. 1. Ver + ver2
  2. 2. A este mote alheio:Verdes são os campos,De cor de limão: VoltasAssim são os olhosDo meu coração. Campo, que te estendes Com verdura bela; Ovelhas, que nela Vosso pasto tendes, De ervas vos mantendes Que traz o Verão, E eu das lembranças Do meu coração. Gados que pasceis Com contentamento, Vosso mantimento Não no entendereis; Isso que comeis Não são ervas, não: São graças dos olhos Do meu coração.
  3. 3. A este mote alheio: O poema é uma cantiga cujo mote estabelece uma comparaçãoVerdes são os campos, entre a natureza e os olhos da mulher amada:De cor de limão:Assim são os olhos Os olhos da mulher amada são verdes, tal como os campos e oDo meu coração. limão.Voltas Na 1ª volta o sujeito poético apresenta um cenário bucólico: um campo verdejante onde pasta um rebanho.Campo, que te estendesCom verdura bela;Ovelhas, que nelaVosso pasto tendes, Cromatismo: A cor dominante na estrofe é o verde. A beleza doDe ervas vos mantendes campo verdejante é identificada com a beleza dos olhos daQue traz o Verão, mulher enaltecidaE eu das lembrançasDo meu coração. Do mesmo modo que as ovelhas se alimentam de erva, oGados que pasceis sentimento amoroso do sujeito poético permanece vivo atravésCom contentamento, das recordações da mulher amada.Vosso mantimentoNão no entendereis;Isso que comeisNão são ervas, não:São graças dos olhos Metáfora: ao observar os campos verdes, o sujeito poéticoDo meu coração. recorda a beleza e graciosidade dos olhos da sua amada.
  4. 4. Relação o sujeito poético estabelece entre os campos e a amada.Mote:Verdes são os camposda cor do limãoassim são os olhosdo meu coração. Os camposVoltas:  ponto de partida para a recordação da amadaCampo que te estendes  semelhança entre a cor dos campos e os olhos dacom verdura bela;ovelhas que nela naturezavosso pasto tendes:  os campos alimentam/ dão vida e a amada tambémd’ervas vos mantendes mantém o sujeito vivo através das recordações.que traz o Verão, e eu das lembranças  projecção e posterior união entre a amada e ado meu coração. Natureza.Gado que paceis,co contentamentovosso mantimentonão o entendeis;isso que comeisnão são ervas , não:São graças dos olhosDo meu coração.
  5. 5. A presença da cor tem um valor simbólico na construção desta cantiga.Mote: VerdeVerdes são os camposda cor do limão – símbolo da Natureza, que é o elemento deassim são os olhosdo meu coração. comparação com a amada;Voltas: - Símbolo da esperança, uma vez que a separaçãoCampo que te estendescom verdura bela; causa sofrimento, há o desejo de reencontrar aovelhas que nela amada.vosso pasto tendes:d’ervas vos mantendesque traz o Verão, e eu das lembrançasdo meu coração.Gado que paceis, Cromatismo: A cor dominante na estrofe é oco contentamento verde. A beleza do campo verdejante évosso mantimentonão o entendeis; identificada com a beleza dos olhos da mulherisso que comeis enaltecidanão são ervas , não:São graças dos olhosDo meu coração.
  6. 6. Os sentimentos que dominam o sujeito poético ao longo da cantiga.Mote:Verdes são os camposda cor do limãoassim são os olhos Apaixonado – porque a natureza o fazdo meu coração. recordar as características da amadaVoltas:Campo que te estendescom verdura bela;ovelhas que nelavosso pasto tendes:d’ervas vos mantendesque traz o Verão, Nostálgico/ Saudoso – vive de e eu das lembranças recordações de passado e não dedo meu coração. presenteGado que paceis,co contentamentovosso mantimentonão o entendeis; Triste/Incompreendido/Apaixonado –isso que comeis porque os outros, a natureza não onão são ervas , não:São graças dos olhos compreende; porque as saudades sãoDo meu coração. muitas e tudo o que tem são recordações
  7. 7. As palavras “campo”, “ovelhas” e “gado” relacionam-se com o tema.Mote: É apresentado o destinatário ou destinatários desteVerdes são os campos lamento: Campo, Ovelhas e Gado.da cor do limão O sujeito poético dirige-se a estes elementos.assim são os olhosdo meu coração. Primeiro começa por invocar o campo verde que seVoltas: estende de forma bela, mas passa logo de seguidaCampo que te estendes para as ovelhas que estão tão próximas dessa belezacom verdura bela;ovelhas que nela verde.vosso pasto tendes:d’ervas vos mantendes O sujeito poético deixa-lhes um recado, ao lembrar-que traz o Verão, lhes que, por um lado, elas se alimentam/ elas se e eu das lembrançasdo meu coração. mantêm vivas por causa dessa verdura que o verão torna possível, por outro lado o sujeito poéticoGado que paceis, alimenta-se vive por causa das lembranças/ dasco contentamento memórias que tem da amada.vosso mantimentonão o entendeis;isso que comeis Pressupomos, portanto uma relação dominada pelanão são ervas , não: saudade, pela tristeza e pela nostalgia.São graças dos olhosDo meu coração.
  8. 8. Este poema retoma aspectos característicos da poesia tradicional.Mote: Formal :Ver//des// são// os //cam//pos • Cantiga / redondilha menor (5 sílabas métricas)Da// cor// do// li//mão • mote: quatro versosassim são os olhos • voltas com oito versosdo meu coração. • repetição do último verso do mote no final deVoltas: cada voltaCampo que te estendescom verdura bela;ovelhas que nela Conteúdo:vosso pasto tendes: • Saudaded’ervas vos mantendes • elogio à beleza da amadaque traz o Verão, • as características da mulher : os olhos claros e eu das lembrançasdo meu coração. a graciosidade • 0 bucolismo: a natureza, os campos, as ervas, asGado que paceis, ovelhas, o gado, o pastoco contentamentovosso mantimentonão o entendeis; • a simplicidade, trivialidade e banalidade dosisso que comeis elementos que estão na base da inspiração poética:não são ervas , não: os campos verdesSão graças dos olhosDo meu coração.
  9. 9. Apresenta a Paráfrase da última volta. Identificando e clarificando a intenção do recursoexpressivo presente nos últimos quatro versos. Dirige-se agora ao Gado, no geral, que não tem consciência Mote: da realidade do seu sofrimento. Verdes são os campos da cor do limão assim são os olhos O sujeito poético de uma forma exagerada (hipérbole) do meu coração. assume a projecção da amada na Natureza, assumindo Voltas: que, sem se dar conta, o gado come a graciosidade dos Campo que te estendes com verdura bela; olhos da amada. ovelhas que nela vosso pasto tendes: d’ervas vos mantendes Ao longo da cantiga temos uma comparação entre os olhos que traz o Verão, e eu das lembranças da amada e os campo que se vai tornando cada vez mais do meu coração. evidente aos olhos do sujeito poético. Gado que paceis, A repetição do advérbio de negação “não” transmite um co contentamento tom de oralidade ao poema, e temos a certeza de que o vosso mantimento sujeito poético está convencido desta projecção da amada não o entendeis; na Natureza. isso que comeis não são ervas , não: No final da composição poética os campos não são como São graças dos olhos os campos (comparação) Do meu coração. São os próprios campos verdes (metáfora).
  10. 10. A este mote alheio:Verdes são os campos, Classificação: cantigaDe cor de limão: Constituída por mote de 4 versos (quadra) e duasAssim são os olhos voltas de 8 versos (oitavas)Do meu coração. Métrica: redondilha menor (versos pentassílabos)Voltas Esquema rimático ABAB // cddccbeB // deeddbabCampo, que te estendesCom verdura bela;Ovelhas, que nela RimasVosso pasto tendes, -no mote - rima cruzadaDe ervas vos mantendes -nas voltas - rima interpolada (v1 e 7)Que traz o Verão, emparelhada (vv2,3,4,5) e cruzada no 6.º e 8ºE eu das lembranças versos.Do meu coração. Há rima consoante e toante.Gados que pasceis Há rima rica e pobre.Com contentamento,Vosso mantimentoNão no entendereis;Isso que comeisNão são ervas, não:São graças dos olhosDo meu coração.
  11. 11. A este mote alheio:Verdes são os campos,De cor de limão: A mulherAssim são os olhos -tem olhos verdes «da cor do limão»,Do meu coração. -é bela (causa a «verdura bela» dos campos), -é graciosa (pois não são ervas, mas «são graças dosVoltas olhos.)Campo, que te estendes -provoca as saudades e lembranças no sujeito poético.Com verdura bela; -provoca alegria e «contentamento» na naturezaOvelhas, que nelaVosso pasto tendes, O sujeito poético demonstraDe ervas vos mantendes -admiração pela natureza,Que traz o Verão, -recordação e saudade pela mulher, que mantém deE eu das lembranças «lembranças»,Do meu coração. -amor, enquanto ela se apresenta como «meu coração"Gados que pasceisCom contentamento, Da mulher resultaVosso mantimento -a verdura para os campos. -o pasto para as ovelhas,Não no entendereis; -a alegria e mantimento para os gados.Isso que comeis -a recordação e saudade para o sujeito poéticoNão são ervas, não:São graças dos olhosDo meu coração.
  12. 12. Disciplina de PortuguêsProfª: Helena Maria Coutinho

×