aula remidiação

1,004 views

Published on

5a aula, 2009/2. UNISINOS, Mestrado em Design Estratégico

Published in: Education, Technology
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,004
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

aula remidiação

  1. 1. Mestrado em Design – Unisinos – Processos Midiáticos e Culturas Urbanas Aula 5 – Prof. Gustavo D. Fischer REMIDIAÇÃO
  2. 2. Jay Bolter Jay David Bolter (born August 17, 1951) is the Wesley Chair of New Media and a professor in the School of Literature, Communication and Culture at the Georgia Institute of Technology.
  3. 3. Richard Grusin Richard Grusin is a Professor of English at Wayne State University, where he teaches courses in film and media studies, new media theory, and American http://premediation.blogspot.com/ Studies.
  4. 4. Conceitos revisitados Mídia Mediação Interface Experiência
  5. 5. Influências / relações: McLuhan - “O meio e a mensagem” Flusser Manovich
  6. 6. Premissa básica> Haveria o seguinte contraditório (paradoxo): nossa cultura teria um simultâneo desejo por imedação e hipermediação, a dupla lógica da remidiação.
  7. 7. Ou seja> Nossa cultura desejaria simultaneamente multiplicar seus mídias e apagar todos os traços de mídia. O ato de multiplicar visaria o apagamento, idealmente.
  8. 8. Imediação: o meio desapareceria para nos deixarmos na presença da “coisa representada”. Mas a imediação dependeria da hipermediação (além de coexistir).
  9. 9. Imediação: A experiência da imediação é hipermediada pela INTERFACE (simuladores).
  10. 10. Imediação> A origem aponta para a trajetória da representação visual ocidental: a busca permanente por atingir a imediação implicaria em colocar o espectador no mesmo lugar dos objetos visualizados.
  11. 11. A hipermediação tem ligação histórica com a fascinação pela “presença do meio”. Ícones e letras integram-se desde os manuscritos medievais.
  12. 12. As mídias visuais digitais podem ser melhor compreendidas pelas formas pelas quais homenageiam, rivalizam e revisam a pintura em perspectiva, fotografia, filme, televisão e impresso. O que é novo sobre as “novas mídias” seria a forma particular com que estes aspectos são tratados entre as mídias novas e antigas.
  13. 13. Opacidade e transparência As novas mídias sempre andariam entre a opacidade e a transparência na remidiação que fazem das mídias anteriores. Ao ver as formas de representação do passado, destaca-se as preocupações de transparecer-se para chegar ao real e o encantamento com a opacidade do próprio meio.
  14. 14. Discutindo mídia> As tecnologias da mídia envolvem relações que podem ser expressas em termos físicos, sociais, estéticos e econômicos. Software + Usos + remodelagem = mídia
  15. 15. Imediação> O valor estético da “transparência” visando a imediação foi trabalhado pelas mídias antigas perspectiva, nas técnicas de apagamento e automaticidade.
  16. 16. Imediação> Perspectiva: ver através, matematizar o espaço.
  17. 17. Imediação> Apagamento: trabalhar a superfície para apagar as pinceladas. Tromp L´oeil: exemplo de buscar “enganar” o olho que acaba reforçando a qualidade do artista que aparece pelo apuro técnico.
  18. 18. Imediação> Automaticidade: tecnologias fotográficas, cinema e depois televisão. A fotografia se tornou o aperfeiçoamento da perspectiva linear. A remoção do artista que ficava entre o espectador e a realidade da imagem.
  19. 19. Imediação> Mais tarde, a computação gráfica herda o cartesianismo e a matematização do espaço convocado pela perspectiva. Aí, é o programador que é “apagado” da experiência do software, ele não (todos “transparece” através da interface os software são “iguais”).
  20. 20. Mediação da mediação Não se media a experiência externa ,mas sim outros mídias. Toda nova tecnologia se define em relação com formas anteriores de representação. (isso eles aprenderam com McLuhan)
  21. 21. Horizonte da imediação> Imediação: o autor se retira mais e o leitor seria mais envolvido.
  22. 22. Porém... A imediação proposta pelos meios seduz as percepções, mas de fato está amparada em atos de mediação contínuos (hipermediação).
  23. 23. Hipermediação Hipermediação: fascinação pelos mídias (meios). Processo e performance são maiores que o resultado. Espaço heterogêno, janelizado, múltiplos atos de representação.
  24. 24. Hipermediação Hipermídia: múltiplas mídias + acesso randômico. A interface do desktop não se apaga. Mídia (conteúdo) e software inclusive conversam.
  25. 25. Hipermediação A hipermediação já se apresentava em portas e cabines dos séculos XVI e XVII.
  26. 26. Hipermediação Tecnologias mecânicas de reprodução que também traziam a hipermediação: Diorama, phenakistoscope, stereoscope: internalizavam a transparência da “imagem em movimento” dentro da estrutura hipermediada. Mas a vitória foi da maior transparência (ou ilusão de) dada pela fotografia.
  27. 27. Diorama
  28. 28. phenakistoscope
  29. 29. Stereoscope
  30. 30. Hipermediação> A fotomontagem teria rompido com esse entendimento.
  31. 31. Colagem, mash-up, DJ.
  32. 32. Hipermediação Quando a tecnologia se torna uma segunda natureza, a experiência hipermediada torna- se igualmente autêntica.
  33. 33. Hipermediação> A lógica da hipermediação expressa a tensão entre o espaço visual como mediado e como um espaço “real” que fica “além” da mediação. Olhar para uma coisa, olhar através da coisa.
  34. 34. Imediaçao/Hipermediação A arte explora o sentido da interface, faz com que ela surja aos olhos do usuário, enquanto a “engenharia” aperfeiçoa a tecnologia para que ela desapareça.
  35. 35. Imediação / Hipermediação >>>> Remidiação a representação de um meio em outro. Característica definidora das novas mídias.
  36. 36. Remidiação> Atos de remidiação: empréstimo, arquivamento, remodelagem, absorção.
  37. 37. DINÂMICAS DA REMIDIAÇÃO em YOUTUBE e GLOBO MEDIA CENTER/GLOBO VÍDEOS Dependência, contexto, reforma Imediação e hipermediação nas interfaces
  38. 38. Remidiação como característica de uma genealogia de mídias Afiliação entre mídias (mais que evolução em só sentido) Remidiação das práticas materiais e arranjos sociais
  39. 39. Dependência, Contexto, Reforma TV, Impresso ... “fala” através das interfaces Da lacuna a intra- remidiaçã o
  40. 40. A watchpage como ocorrência de inter e intra remidiação em GV e YT
  41. 41. YouTube e Globo Media Center/Globo Vídeos são ocorrências na web que nasceram dependentes do comportamento de espectação de vídeos já presente no tecido social, mas que do ponto de vista da materialização dessa relação de espectação, disponibilizam-se em webpages que reapropriam princípios de design gráfico e das interfaces de software.
  42. 42. Imediação e hipermediação nas interfaces Busca por transparência / mídia “original” Excitação da interface/ reconhecimento do meio
  43. 43. Premidiação (Premidiation) premediation involves the cultural desire to mediate the future before it happens Premediation not only entails the incessant remediation of future events (Obama's announcement of his VP) but also entails the desire that no future event emerge that had not already been pre-mediated
  44. 44. Premidiação (Premidiation) Where news media have historically aimed at the mediation of the very recent past, and then more recently of the live, immediate present, today we see the focus to be predominantly on the future. This has, of course, been always true of election coverage to a great extent, but ever since 9/11 all events have been treated as if they were elections.

×