Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Impactos Ambientais da Piscicultura

2,772 views

Published on

Piscicultura

Published in: Food
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Impactos Ambientais da Piscicultura

  1. 1. 07/12/14 1 I Encontro de Atualização Técnica em Piscicultura do Distrito Federal e RIDE Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural -­‐ Granja do Ipê Brasília, dezembro de 2014 Guilherme Wolff Bueno, Zootecnista bueno.gw@gmail.com (61) 8191 – 5578 ProduSvidade em 1 hectare Soja/milho Gado de Corte (Confinamento) Cana de açúcar Aquicultura (viveiro escavado ou tanque-­‐rede) 3.6 toneladas/safra 10 toneladas/safra 110 toneladas/safra 60 ou 150 toneladas Slápia/safra AQUICULTURA: PRODUÇÃO DE ALIMENTO ü Rentabilidade ü Retorno Econômico ü Ótima Opção de Investimento AQUICULTURA - AGRICULTURA 186 61 30 18 >305 Espécies 10 18 >158 Espécies Cereais Raízes e tubérculos Oleoginosas Vegetais Pecuária Peixes Moluscos Crustáceos Plantas AquáScas 48 26 Tacon (2013) Crescimento da Produção de Proteína Animal Feed and Food (2013) Player’s da Aquicultura Mundial CHINA 60.6% INDONESIA 7.9% INDIA 5.9% VIETNAM 3.4% PHILIPPINES 3.2% Outros 11.1% FAO (2012) e MPA (2011)* China 47,829,609 (60.6%) Indonesia 6,277,924 (7.9%) India 4,653,093 (5.9%) Viet Nam 2,706,800 (3.4%) Philippines 2,545,967 (3.2%) Korea Rep. 1,377,233 (1.7%) Bangladesh 1,308,515 (1.7%) Thailand 1,286,122 (1.6%) Japan 1,151,080 (1.5%) Norway 1,008,010 (1.3%) Brasil* 628.704 (0.8%) Produção Mundial 78,943,001 ton
  2. 2. 07/12/14 2 Colossoma macropomum 7 Principais Espécies Brasileiras Total de Pisciculturas: 19 mil MPA (2013) Camarão Tilápia Surubins Tambaqui Carpa Oreochromis nilo<cus Pseudoplatystoma sp. Cypribus carpio Piaractus mesopotamicus Litopenaeus vannamei Sistemas de CulSvo Reservatórios Viveiros de terra 150 t/ha/ano 60 t/ha/ano ATUAIS DESAFIOS PARA O PISCICULTOR • Qualidade da Água • Sanidade (Doenças) • Clima (chuva, seca etc..) • Ração (Qualidade e preço da ração) • Mercado (Venda do peixe) • Mão de Obra Especializada • Crédito (Financiamento) • Licença Ambiental ( Outorga, CAR, RGP) Como os principais países produtores de peixes fizeram?? ž China ž China
  3. 3. 07/12/14 3 ® Chile ž Canadá Brasil ž BRASIL 1 milhão de prejuízo em 6 meses ž BRASIL Floração de alga em área aquícola no reservatório de Capivara – PR/SP. Revista Panorama da Aquicultura. Vol. 14, n°84, 2004. Cultivo de peixes em tanques-rede 1°Maio – PR. US$ 50 milhões prejuízos ž BRASIL ž BRASIL 75 tanques = 150 mil de prejuízos Falta de oxigênio nas gaiolas
  4. 4. 07/12/14 4 • Aumento Impacto ambiental da Aquicultura Toda aSvidade de produção gera do fluxo de parculas e nutrientes dissolvidos na água; • Mortalidade e perdas de biodiversidade de peixes; • Contaminação por compostos químicos; • Reduções localizadas das concentrações de oxigênio dissolvido; • Florações de algas tóxicas -­‐ Eutrofização; • Aumento da concentração de matéria orgânica e de metais no sedimento; • Alterações nas propriedades fsico-­‐químicas e da biodiversidade da micro-­‐flora no sedimentos bentônicos; • Introdução de espécies exóicas; • Disseminação de doenças que podem afetar as populações selvagens; • Conflitos diretos com outros usuários de recursos hídricos; impacto ambiental e possui riscos!! Comparação dos efluentes gerados por dia para produzir 1 tonelada de animal (peso vivo). Animais DBO (Kg) Sólidos (Kg) Nitrogênio Total (Kg) Lama (l) Peixe 0,8-1,3 3,9-6,3 0,2-0,32 65 Gado corte 1,6 9,5 0,32 30 Gado Leite 1,4 7,9 0,51 51 Ave 3,4 14 0,74 37 Suíno 3,1 8,9 0,51 76 Fonte: (CHEN, 1998). Aquaculture Magazine July/August. Resíduos da Produção Animal Resíduos da Produção Animal -­‐ Suinocultura Lovalo et al (2005). R. Bras. Zootec., v.34, n.6, p.2348-­‐2354. Resíduos da Produção Animal -­‐ Piscicultura Kg de resíduo produzido para produção de 01 tonelada de tilápia Juvenil Crescimento Terminação Retenção de Nitrogênio (%DN) 39 36 31 Retenção de Fósforo (%DPI) 57 55 48 Total de Resíduos Sólidos 199 287 361 Nitrogênio Sólido 8 9 13 Fósforo Sólido 6 7 8 Nitrogênio Dissolvido 39 45 50 Fósforo Dissolvido 6 6 7 Chowdhury et al. (2013); Bueno et al. (2014); Ramseyer e Garling (2000) Estratégias para MiSgar Impactos da Produção de Peixes
  5. 5. 07/12/14 5 Piscicultura Sustentável = Segurança de Investimento Desempenho Retorno $$ Água Nutrição Sanidade Nutrientes - Piscicultura Ração Ingerida • DigesSbilidade N e P ingeridos Eficiência na Retenção de Nutrientes • % N e P reSdos Resíduos Sólidos (FEZES) • % N e P nas fezes Biomanipulação Retenção Macrófitas Plâncton Preço R$/kg AVALIAÇÃO DE DUAS RAÇÕES COMERCIAIS Conversão Alimentar Custo do Kg do peixe Rendimento de Filé Custo do Kg do Filé Retenção de Proteína Excreção de P mg/dia/kg px Nutrir não significa “encher o estômago”, e sim fornecer nutrientes que possam ser aproveitados ou assimilados em forma de energia. R$ 1,00 1,7 R$ 1,70 30% R$ 5,67 37,3% 30,0 R$ 1,25 1,4 R$ 1,75 32% R$ 5,47 43,8% 18,1 Abimorad (2009) Modelo de Predição de Alimentação e Resíduos Entrada de P da Alimentação DigesSbilidade do Fósforo Excreção de resíduos não fecais Excreção de resíduos fecais EsSmaSva total de resíduos Saída de Resíduo Dissolvido Saída de Resíduo Sólido Entrada de Fósforo Digesnvel P Depositado na Carcaça Figura 5. Modelo bioenergéico fatorial para simulação do uso de P pelos peixes. Bureau e Hua et al. (2010) Ração perdida Brânquias e Urina Bureau (2010) ComparaSvo da Indústria Aquícola na América do Norte
  6. 6. 07/12/14 6 Projeto Monitoramento Pisciculturas – Oeste Paraná *Resolução CONAMA no 1 -­‐ Captação no córrego Capão Preto; 357/05 2 -­‐ Efluente dos tanques de piscicultura; 3 -­‐ Efluente da lagoa de decantação; 4 -­‐ Córrego Coqueiros à montante do ponto de lançamento de efluente; 5 -­‐ Córrego Coqueiros à jusante do ponto de lançamento de efluente. Granja do Ipê – Brasília -­‐ DF Lima (2010) Baccarin (2002) Componentes de um viveiro de culSvo % de nutrientes na matéria seca Organismos Matéria seca Proteína bruta Extrato etéreo Extrativo não-nitrogenado Matéria mineral Energia (kcal/kg) Algas 14-22 18-31 4-10 21-52 27-47 2.200-3.700 Rotíferos 11 64 20 10 6 4.866 Cladóceros 10 57 19 16 8 4.800 Copépodos 10 52 26 15 7 5.445 Chiromídeos 19 59 5 30 6 5.034 Adaptado de Hepher (1988). Qual o melhor Caminho???
  7. 7. 07/12/14 7 Pré-­‐requisitos e tendências para uma aquicultura sustentável • Observação e respeito aos limites de produção; • Aproveitamento eficiente da produtividade primária (fitoplâncton) e detritos orgânicos gerados nos sistemas de produção; • Reuso e mínimo uso de água e aporte de efluentes – Uso de biofiltros; • Uso de rações de alta qualidade; • Aumento no número de empreendimentos de menor porte com foco no comércio local/regional de pescado; Pré-­‐requisitos e tendências para uma aquicultura sustentável • Opção pelo cultivo de espécies de baixo nível trófico e eficientes no aproveitamento de rações formuladas; • Uso de recursos de forma compartilhada com outras atividades; • Aplicação do Princípio do Poluidor Pagador (Noruega, Canadá); CF art. 225, parágrafo 3º, que prescreve: “As a<vidades e condutas lesivas ao meio ambiente sujeitarão os infratores, pessoas ,sicas ou jurídicas, às sanções penais e administra:vas, independentemente da obrigação de reparar os danos causados.” • Aplicação de códigos de conduta de BPM’s e Cerificação Paricipaiva; • Normas que incluam o produtor na aividade; • Aquicultura Ecossistêmica!! FAO (2008). 39 “O importante é que a aquicultura seja vista como parte da solução e não como um problema” Tacon (2013) Você Invesiria na Piscicultura? Sustentabilidade Segurança Rentabilidade Investimento Guilherme Wolff Bueno bueno.gw@gmail.com (61) 8191 – 5578

×