Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

UMA VISÃO GERAL DOS ESTUDOS RETÓRICOS DE GÊNEROS

3,205 views

Published on

Palestra apresentada por Francisco Alves Filho no I COGITE - Colóquio de estudos sobre gêneros & textos - realizado pelo Grupo Cataphora

  • Be the first to comment

UMA VISÃO GERAL DOS ESTUDOS RETÓRICOS DE GÊNEROS

  1. 1. Uma visão geral dos estudos retóricos de gêneros Francisco Alves Filho UFPI
  2. 2. <ul><li>Bitzer, L. F. </li></ul><ul><li>The rhetorical situation . Philosophy and Rhetoric 1:1-14. January, 1968 </li></ul>
  3. 3. <ul><li>“ Situação retórica pode ser definida como um complexo de pessoas, eventos, objetos e relações apresentando uma exigência real ou potencial que pode ser completamente ou parcialmente removida se o discurso, introduzido na situação, pode restringir a decisão ou ação humana em como produzir uma modificação significativa da exigência”. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Uma situação retórica exige e conclama discursos os quais a ela se integram. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Uma ação retórica é pragmática. </li></ul><ul><li>... passa a existir por causa de algo além de si mesmo. </li></ul><ul><li>... funciona para produzir ação ou mudar o mundo. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Retórico é um modo de alterar a realidade pela criação do discurso que muda a realidade através da mediação de pensamento e ação. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>O significado retórico de um discurso advém da situação. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>“ Um discurso é retórico na medida em que ele funciona como uma resposta adequada a uma situação que dele necessita e o conclama”. (Bitzer) </li></ul>
  9. 9. <ul><li>JAMIESON, K. M. Generic Constraints and the rhetorical situacion. Philosophy and Rhetoric,v.6, 1973, p. 162-170. </li></ul>
  10. 10. <ul><li>A percepção de uma resposta adequada a uma situação recorrente surge não somente em relação à situação, mas também de formas retóricas antecedentes . </li></ul><ul><li>Concepção de um novo gênero a partir da impressão cromossômica de gêneros ancestrais. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>MILLER, Carolyn R. “Genre as social action.” Quartely Journal od Speech 70 (May 1984 ): 151-167 </li></ul><ul><li>Miller, Carolyn R. “Gênero como ação social”. _____. Estudos sobre gênero textual, agência e tecnologia. PPGL, UFPE, Recife, 2009 . p. 21-44 </li></ul>
  12. 12. Situação retórica : <ul><li>Construtos sociais ou estrutura semiótica resultantes de: </li></ul><ul><ul><li>Definição </li></ul></ul><ul><ul><li>Interpretação </li></ul></ul>
  13. 14. Gênero como ação social
  14. 15. <ul><li>Gêneros são ações retóricas tipificadas baseadas em situações recorrentes. </li></ul><ul><li>(Carolyn Miller , 1944) </li></ul>
  15. 16. <ul><li>“ O gênero torna-se mais que uma entidade formal; ele se torna pragmático, completamente retórico, um ponto de ligação entre intenção e efeito, um aspecto da ação social” </li></ul><ul><li>(Carolyn Miller, Genre as social action, 1994, p. 24) </li></ul>
  16. 17. <ul><li>Berkenkotter, C. & Huckin, T. N. (1995). Genre knowledge in disciplinary communication: cognition, culture, power . Hillsdade/Hove: Lawrence Erlbaum Associates </li></ul>
  17. 18. Conceito de gênero <ul><li>Os gêneros são inerentemente estruturas retóricas dinâmicas que podem ser manipuladas de acordo com as condições de uso (...) </li></ul><ul><li>(Berkenlotter & Huckin, 1995, p. 3). </li></ul>
  18. 19. Conceito de gênero <ul><li>O conhecimento de gênero é melhor concebido como uma forma de cognição situada incorporada em atividades disciplinares. </li></ul><ul><li>(Berkenlotter & Huckin, 1995, p. 3). </li></ul>
  19. 20. <ul><li>DINAMISMO: </li></ul><ul><li>“ Os gêneros são formas retóricas dinâmicas que são desenvolvidas das respostas dos atores para situações recorrentes e que servem para estabilizar a experiência e dar a ela coerência e significado” </li></ul><ul><li>(Berkenkotter & Huckin, 1995, p. 4). </li></ul>
  20. 21. <ul><li>SITUACIONALIDADE: </li></ul><ul><li>“ Nosso conhecimento de gêneros é derivado de e incorporado na nossa participação nas atividades comunicativas da vida diária e profissional” (4). </li></ul><ul><li>(Berkenkotter & Huckin, 1995. </li></ul>
  21. 22. <ul><li>FORMA E CONTEÚDO. </li></ul><ul><li>“ O conhecimento do gênero abraça tanto forma como conteúdo, incluindo o sentido de qual conteúdo é apropriado para um propósito particular numa situação particular num determinado momento”. </li></ul><ul><li>(Berkenkotter & Huckin, 1995, p. 4). </li></ul>
  22. 23. <ul><li>DUALIDADE DE ESTRUTURA. </li></ul><ul><li>“ Como nós nos baseamos nas regras do gênero para nos engajarmos nas atividades profissionais, nós constituímos estruturas sociais e simultaneamente reproduzimos estas estruturas ”. </li></ul><ul><li>(Berkenkotter & Huckin, 1995, p. 4). </li></ul>
  23. 24. <ul><li>DEVITT, Amy. Writting genres. 2004 </li></ul>
  24. 25. <ul><li>“ Situações retóricas são percebidas como recorrentes pelo mesmo grupo de pessoas, cujas experiências são similares o suficiente e repetidas de modos similares o suficiente para serem percebidas como situações recorrentes”. </li></ul><ul><li>(Devitt, 2004, p. 36). </li></ul>
  25. 26. <ul><li>Atrás de todo gênero há uma situação retórica e há sujeitos agindo socialmente . </li></ul>
  26. 27. <ul><li>Os gêneros possuem uma natureza social. </li></ul><ul><li>A percepção da recorrência emerge de uma compreensão da situação desenvolvida socialmente . </li></ul><ul><li>(Devitt, 2004). </li></ul>
  27. 28. <ul><li>Gênero não como uma resposta a situações recorrentes, mas como um nexo entre ações dos indivíduos e um contexto definido socialmente . </li></ul><ul><li>(Devitt, 2004) </li></ul>
  28. 29. <ul><li>O gênero é uma dinâmica recíproca dentro da qual as ações dos indivíduos constroem e são construídas pelos contexto de situação, contexto de cultura e contexto de gêneros. </li></ul><ul><li>(Devitt, 2004) </li></ul>
  29. 30. <ul><li>Pontos comuns na visão de gêneros nos Estudos Retóricos </li></ul><ul><li>Gênero é ação </li></ul><ul><li>Gênero é ação tipificada </li></ul><ul><li>A tipificação emerge de condições recorrentes </li></ul><ul><li>As condições recorrentes envolvem um contexto social </li></ul>
  30. 31. <ul><li>Gêneros ajudam as pessoas a fazerem coisas no mundo. </li></ul><ul><li>(Devitt, 2004) </li></ul>Genre as Response to Recurring Situation
  31. 32. <ul><li>Os gêneros são tanto ações sociais como ações retóricas, operando quando as pessoas interagem com outras de modo proposital. </li></ul><ul><li>(Devitt, 2004) </li></ul>
  32. 33. <ul><li>O que significa dizer que os gêneros são ações tipificadas? </li></ul><ul><li>Que os gêneros são classificações mas classificações realizadas pelas pessoas quando elas agem simbolicamente e não pelos analistas quando analisam produtos. </li></ul><ul><li>Gêneros são estratégias que comumente são usadas para responder a situações. </li></ul>
  33. 34. Mudança nas concepções de gêneros
  34. 35. Gêneros

×