Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Deficiencia mental preconceito

12,190 views

Published on

Published in: Health & Medicine
  • Be the first to comment

Deficiencia mental preconceito

  1. 1. DEFICIENCIA MENTAL<br />PRECONCEITO SOCIAL<br />
  2. 2. Conceito:<br />Deficiência mental é a designação que caracteriza os problemas que ocorrem no cérebro e levam a um baixo rendimento, mas que não afectam outras regiões ou áreas cerebrais.<br />
  3. 3. Quem pode ser considerado deficiente mental?<br />São todas as pessoas que tenham um QI (coeficiente de inteligência) abaixo de 70 e cujos sintomas tenham aparecido antes dos dezoitos anos.<br />Será o individuo que tem uma maior ou menor dificuldade em seguir o processo regular de aprendizagem e que por isso tem necessidades educativas especiais.<br />NOTA: O QI é o resultado da multiplicação por cem do coeficiente obtido num teste psicométrica pela divisão da idade mental e pela idade cronológica.<br />
  4. 4. Graus de deficiência mental(Organização Mundial de Saúde)<br />
  5. 5. Profundo: dependentes de terceiros em quase todas as funções e actividades;<br />Grave: Apresentam problemas psicomotores, uma comunicação primária, necessitam de protecção e ajuda, dado que a sua autonomia é bastante pobre;<br />Moderado: com capacidade para adquirir hábitos de autonomia pessoal e social, podem aprender a comunicar mas têm certa dificuldade na expressão e compreensão oral;<br />Leve: são capazes de um grau de educação e chegar a realizar tarefas mais complexas.<br />
  6. 6. Causas e factores<br />Factores genéticos – actuam antes da gestação. A origem pode estar relacionada com a herança genética.<br /><ul><li>Existem 2 tipos de causas genéticas:
  7. 7. - geneopatias: alterações genéticas que produzem metabolopatias ou alterações do metabolismo;
  8. 8. - cromossopatias: são sindromas devido a anomalias ou alterações nos cromossomas;</li></ul>2. Factores pré-natais (extrínsecos):<br /> - desnutrição materna, doenças infecciosas, intoxicações, perturbações psíquicas, má assistência durante a gestação, entre outras.<br />
  9. 9. 3. Factores perinatais e neonatais – ocorrem durante o nascimento ou no recém-nascido:<br /> - infecções, má assistência e traumas no parto, prematuridade e baixo peso, icterícia grave no recém-nascido.<br />4. Factores pós-natais - ocorrem depois do parto:<br /> - desnutrição, infecções, convulsões, intoxicações, acidentes, asfixia.<br />
  10. 10. O PRECONCEITO<br />Depois desta breve introdução à deficiência mental, uma das implicações é o ‘preconceito social’ em relação a uma pessoa igual, mas diferente de nós.<br />O preconceito nas relações sociais da pessoa deficiente, no meu entender, é fruto da ignorância. <br />E a ignorância não é atributo dos pobres ou dos que têm menos estudos. É algo presente em todos os estratos sociais. <br />
  11. 11. Todos nós somos, uns mais, outros menos, preconceituosos. Isto está muitas vezes relacionado a algo com o qual jamais tivemos contacto directo.<br />A deficiência é vista como limitação ou incapacidade. Olhamos para os deficientes pelo que não têm e não pelo que eles são.<br />O sentimento de negação, que a sociedade tem, traz para essas pessoas consequências como exclusão, marginalização, descriminação, etc.<br />O comportamento negativo em relação à pessoa com deficiência acaba por reflectir um sentimento de que ‘é melhor não viver assim’.<br />
  12. 12. A ausência de conhecimento sobre a realidade leva-nos a discriminar.<br />Discriminação essa errada pois embora diferentes são pessoas reais, iguais a qualquer um de nós.<br />Essa discriminação passa pela própria família, escola, emprego e pelas relações sociais.<br />Do filme que vimos «I AM SAM» um dos temas retratados é precisamente a discriminação em relação à deficiência mental.<br />Uma pessoa que apesar da sua incapacidade tinha a sua casa, o seu emprego e que com o amor que tinha para dar, conseguiu criar um filho, dar-lhe toda a atenção, dedicação, carinho e educação.<br />Só quando o filho começou a frequentar a escola vieram os dilemas de poder ter a custódia da criança ou ter de a dar para adopção.<br />
  13. 13. Só porque atinge os 7 anos de idade e ultrapassa o coeficiente intelectual do pai, surge uma luta que o levou à barra do tribunal.<br />Lutar para continuar a cuidar da filha. Para ter consigo o bem que lhe era mais precioso. <br />Vemos então que pessoas absolutamente normais não conseguem sequer brincar com os filhos.<br />Afinal onde está a incapacidade?<br />Ter preconceito, discriminação por um ser com deficiência mental, quando este nos pode ensinar e demonstrar que não há limites para um deficiente quando existe AMOR.<br />

×