Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
O NOME DA ROSAEm 1327 William de Baskerville (Sean Connery), um monge franciscano e renascentista, e Adso VonMelk (Christi...
O filme “O nome da Rosa” trata da história ocorrida no ano de 1327 – Século XIV - num MosteiroBeneditino Italiano que cont...
Resenha Crítica, O Nome Da RosaRESENHA CRÍTICAO filme “O Nome da Rosa” retrata a força que a inquisição da igreja católica...
socioeconômica da época.O renascimento que iniciou-se na Europa no início do século XIV, mesmo período que transcorre ofil...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

O nome da rosa

11,197 views

Published on

O nome da rosa

  1. 1. O NOME DA ROSAEm 1327 William de Baskerville (Sean Connery), um monge franciscano e renascentista, e Adso VonMelk (Christian Slater), um noviço que o acompanha, chegam a um mosteiro beneditino no norte daItália para participar de um conclave e decidir se a Igreja deve doar parte de suas riquezas, contudovárias mortes começam a ocorrer e as vítimas aparecem sempre com as pontas dos dedos e a línguaroxa, desta forma a atenção é totalmente desviada. Por sua maravilhosa capacidade de deduçãoWilliam de Baskerville e seu noviço começam a investigar os fatos, os mais religiosos acreditavam queera obra do demônio, mas William de Baskerville não aceitava esta opinião.A Baixa Idade Média (século XI ao XV) é marcada pela desintegração do feudalismo e formação docapitalismo na Europa Ocidental. Nesse período ocorrem, transformações na esfera econômica(crescimento do comércio monetário), social (projeção da burguesia e sua aliança com o rei), política(formação das monarquias nacionais representadas pelos reis absolutistas).Durante a Idade Média umas das práticas mais comuns nas bibliotecas dos mosteiros eram apagarobras antigas escritas em pergaminhos e sobre elas escrever novos textos. Eram os chamadospalimpsestos, livretes em que textos científicos e filosóficos na Antigüidade clássica eram raspados daspáginas e substituídos por orações rituais litúrgicos. No O nome da Rosa, a biblioteca era um labirintoe quem conseguia chegar ao final era morto. Só alguns tinham acesso.A informação restrita a alguns poucos representava dominação e poder. Era a idade das trevas, em quese deixava na ignorância todos os outros.Antes que William de Baskerville conclua as investigações Bernardo Gui (F. Murray Abraham), oGrão-Inquisidor, chega ao local e está pronto para torturar qualquer suspeito de heresia que tenhacometido assassinatos em nome do diabo. Considerando que ele não gosta de Baskerville, ele éinclinado a colocá-lo no topo da lista dos que são diabolicamente influenciados. Esta batalha, juntocom uma guerra ideológica entre franciscanos e dominicanos, é travada enquanto o motivo dosassassinatos é lentamente solucionado.Mas no momento em que Bernardo Gui se prepara para acender a fogueira da Inquisição, William eAdso voltam à biblioteca labirintesca e descobrem uma verdade extraordinária, ali estava todos oslivros proibidos, um saber que é ainda estritamente pagão (especialmente os textos de Aristóteles), eque pode ameaçar a doutrina cristã. Como diz ao final Jorge de Burgos, o velho bibliotecário, acercado texto de Aristóteles – a comédia pode fazer com que as pessoas percam o temor a Deus e, portanto,faz desmoronar todo esse mundo.O filme é direto e bem claro quando aos acontecimentos da época, em que a Igreja controlava oEstado, retirava do povo o direito do conhecimento, os hereges, julgados de forma aristocrática equeimados sem piedade em fogueiras em praça pública. O homossexualismo, pedofilia e violênciasexual contra mulheres também eram comuns na época.Movimentos ecléticos do século XIV, a luta contra a mistificação, o poder, o esvaziamento de valorespela demagogia, são mostrados em um cenário sangrento sobre a política da historia da humanidade.
  2. 2. O filme “O nome da Rosa” trata da história ocorrida no ano de 1327 – Século XIV - num MosteiroBeneditino Italiano que continha, na época, o maior acervo Cristão do mundo. Poucos monges tinhamo acesso autorizado, devido às relíquias arquivadas naquela Biblioteca.No Filme, um monge Franciscano e Renascentista, interpretado pelo ator Sean Conery, foi designadopara investigar vários crimes que estavam ocorrendo no mosteiro. Os mortos eram encontrados com alíngua e os dedos roxos e, no decorrer da história, verificamos que eles manuseavam (desfolhavam) oslivros, cujas páginas estavam envenenadas. Então, quem profanasse a determinação de “não ler olivro”, morreria antes que informasse o conteúdo da leitura.O Livro havia sido escrito pelo Filósofo Aristóteles e falava sobre o riso: “Talvez a tarefa de quemama os homens seja fazer rir da verdade, porque a única verdade é aprendermos a nos libertar dapaixão insana pela verdade”.Isso tudo sugeria, além de outras coisas, principalmente pela razão, que Jesus sorriu, pois Ele (Jesus),além de amar todos os homens, desejava que todos encontrassem a verdade e, através dela (daverdade), fossem libertos.Acho que esta frase está ligada à máxima “Conhecereis a verdade e ela vos libertará”.E na história, por trás de “quem matou e quem morreu” aparecem nítidas disputas entre o misticismo,o racionalismo, problemas econômicos, políticos e, principalmente, o desejo da Igreja em manter opoder absoluto cerceando o direito à liberdade de todos.A Igreja não aceitava que pessoas comuns tivessem acesso ao significado de seus dogmas(fundamentos da religião) nem questionassem e fossem contra os mesmos e, por esse motivo, paradefinir o poder sobre o povo, houve a instauração da Inquisição que foi criada para punir os crimespraticados contra a Igreja Católica que se unia ao poder monárquico.O período Renascentista que se desenvolveu na Europa entre 1300 e 1650, época em que se desenrolao filme (1327), vinha de encontro a Igreja, exatamente porque o Renascimento pregavaa valorização do homem e da natureza, em oposição ao divino e ao sobrenatural.Dessa forma, o Monge Francisco e Renascentista, William de Baskerville, utilizava-se da Ciência econseqüentemente da razão para dar solução aos crimes do mosteiro e desagradava, em muito, a SantaInquisição, na figura do Inquisidor Bernardo Gui que realmente existiu e foi considerado um dos maisseveros inquisidores.Entendi que na Biblioteca do Monastério haviam pergaminhos que falavam sobre a infalibilidade deDeus e que não era preciso se ter uma fé cega em detrimento à figura do homem.Para não se ter uma fé cega é preciso utilizar-se da Ciência como instrumento principal para sedesvendar os mistérios impostos pela religião.Por esse motivo, creio eu, que a Ciência teve ascendência sobre a religião, pois através da razão váriosmistérios eram descortinados, inclusive o poder desenfreado da Igreja que, na verdade, só contribuiupara o misticismo e o entrave do desenvolvimento intelectual de todo um período histórico,principalmente o da Idade Média, cercado pela Inquisição e seu poderio absurdo e desmedido.
  3. 3. Resenha Crítica, O Nome Da RosaRESENHA CRÍTICAO filme “O Nome da Rosa” retrata a força que a inquisição da igreja católica tinha no século XIV, e asituação ao qual eram submetidos os Monges e o próprio povo que não podia sob hipótese alguma ir deencontro com as leis da igreja nem tentar desvendar seus fundamentos místicos que em muitos casoshavia explicações cientificas para tais. O que chama muita atenção no filme é uma constante apariçãode mortos onde os cadáveres apresentavam manchas nos dedos e na língua.Diante todo esse suspense o Monge Willian (Sean Connery), com ajuda de seu assistente, o noviçoAdso (Christian Slater) tenta investigar esses supostos assassinatos que vinha acontecendo dentro doMosteiro, onde o motivo principal era a leitura de um livro que tinha as paginas envenenadas. Devidoao fato do livro ter veneno nas paginas, todos aqueles que o liam morriam antes mesmo de passar oconteúdo do mesmo adiante. O livro em questão possuía para eles um “conteúdo improprio” do qualtratava-se do riso, entre outros assuntos tidos como pagãos para época, que para eles (inquisidores) oriso era algo demoníaco pois a comédia e o riso podia fazer com que as pessoas perdessem o temor aDeus. Por conta desse livro e algumas outras obras serem restritas, poucos monges tinham acesso asecreta biblioteca. Em meio a essa investigação o Monge Willian enfrentava alguns empecilhos como aperseguição do Inquisidor Gui (F. Murray Abraham) e os desvios de conduta do noviço Adso que sedeixou cair pelas tentações de uma camponesa, do qual chegou a se deitar.O segredo que as relíquias contidas dentro da biblioteca guardavam, despertava a curiosidade demuitos, e se essas relíquias precisavam ser realmente trancadas a sete chaves é por que possivelmenteseu conteúdo contrariava os dogmas da Igreja Católica. Esses documentos fariam com que a sociedadepercebesse que não era realmente necessário todo aquele fervor pelo religioso sem ter umembasamento cientifico, e ai devido a interpretação...Resenha Crítica do filme “O Nome da Rosa”O Nome da Rosa é um filme baseado no romance de Umberto Eco o qual foi lançado em 1980. Temcomo Título Original: Der Name Der Rose; Tempo de Duração: 130 minutos; Ano de Lançamento(Alemanha): 1986; Direção: Jean-Jacques Annaud; Como contexto histórico o filme apresenta a BaixaIdade Média (século XI ao XV) a qual é marcada pela desintegração do feudalismo e formação docapitalismo na Europa Ocidental.O filme é uma narrativa da vida religiosa, do século XIV. A trama se dá em um mosteiro italiano,abrigo de uma imensa biblioteca formada por inúmeros livros e pergaminhos, que eram classificadoscomo proibidos, onde poucos monges tinham acesso a eles, devido ao conteúdo de suas informações.Um monge franciscano (Sean Conery) chega ao mosteiro e faz com que muitas coisas sejamobservadas na rotina do mosteiro, este fora designado para a investigação de diversas mortes queestavam acontecendo na instituição. As mortes eram muito semelhantes, as características sintomáticascomuns, eram dedos e línguas roxos, o que apontava evidencias de que as mortes eram causadas pelomesmo motivo,era a leitura do livro envenenado, que fora escrito por Aristóteles e que exaltava asubliminaridade do riso, o que quebraria todo um alicerce dogmático que a igreja católica afirmava. Oacesso a este livro era restrito, por ser considerado um ameaça ao segmento à doutrina cristã. A igrejadefendia que a comédia proporcionava ao homem a falta de temor a Deus, e isso enfraqueceria asbases do poder da igreja sobre os cristãos.A igreja guardara por muito tempo livros e escrituras, e não permitia em nenhuma circunstancia queoscristãos fossem detentores de determinados conhecimentos, para que não houvesse questionamento arespeito da doutrina e para garantir a existência dos fundamentos da religião. Quem questionasse oufosse contra dos dogmas da igreja era severamente punido pela inquisição que fora criada para garantirque a igreja, que estreitava laços com o poder monárquico, permanecesse no topo da pirâmide
  4. 4. socioeconômica da época.O renascimento que iniciou-se na Europa no início do século XIV, mesmo período que transcorre ofilme, atrita com a igreja. Enquanto movimento cultural, o renascimento resgata da antiguidade Greco-romana, os valores antropocêntricos e racionais, que apresentados se opunha ao teocêntrismo e aodogmatismo medieval alicerçado e elevado pela igreja. Baseado na teoria renascentista o mongefranciscano Willian de Braskerville, usava da ciência para solucionar os crimes do mosteiro edesagradava a santa inquisição na figura do inquisidor Bernardo Gui.Foi através da ciência que diversos mistérios da igreja foram desvendados. O conhecimento que aigreja dotava, foi adquirido da razão e da lógica, e ciente do grande poder que a sabedoria podeoferecer a alguém, trancafiou-se muitos livros por muito tempo e junto com eles conhecimento, com ointuito de permitir que a sociedade leiga continuasse ignorante, pois isso seria mai rentável para aigreja.As questões que orbitaram pela detenção do conhecimento, iam muito alem da obediência e do temor,chegam a questões mais ousadas e egoístas, de caráter social e econômico. O que se aprisionou porséculos nas bibliotecas eclesiásticas foi muito mais que livros, foram verdades, que possibilitariam aopovo da época “sair da escuridão”.A razão e a ciência tiveram ascendência sobre a religião, pois através destas muito se foi revelado,inclusive o excessivo poderio da igreja, que contribuiu pra o misticismo e o embaraço dodesenvolvimento intelectual de séculos de existência, regado por muita proibição, ignorância e sangue.

×