Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Meu primeiro beijo 1

323 views

Published on

Situação de Aprendizagem/ Grupo 6

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Meu primeiro beijo 1

  1. 1. MEU PRIMEIRO BEIJO ANTONIO BARRETO
  2. 2. GRUPO 6 Fernanda Gislaine Jacirema Maria Angela Maria Helena Regina
  3. 3. MEU PRIMEIRO BEIJO É dificil acreditar, mas meu primeiro beijo foi num ônibus, na volta da escola. E sabem comquem? Com o Cultura Inútil! Pode? Até que foi legal. Nem eu nem ele sabíamos exatamente oque era "o beijo". Só de filme. Estávamos virgens nesse assunto, e morrendo de medo. Masaprendemos. E foi assim... Não sei se numa aula de Biologia ou de Química, o Culta tinha me mandado um dos seusmilhares de bilhetinhos: " Você é a glicose do meu metabolismo. Te amo muito! Paracelso" E assinou com uma letrinha miúda: Paracelso. Paracelso era outro apelido dele. Assinou comletrinha tão minúscula que quase tive dó, tive pena, instinto maternal, coisas de mulher...Etambém não sei por que: resolvi dar uma chance pra ele, mesmo sem saber que tipo de lanceia rolar. No dia seguinte, depois do inglês, pediu pra me acompanhar até em casa. No ônibus, veio como seguinte papo: - Um beijo pode deixar a gente exausto, sabia? - Fiz cara de desentendida. Mas ele continuou: - Dependendo do beijo, a gente põe em ação 29 músculos, consome cerca de 12 calorias eacelera o coração de 70 para 150 batidas por minuto. - Aí ele tomou coragem e pegou naminha mão. Mas continuou salivando seus perdigotos: - A gente também gasta, na saliva, nada menos que 9 mg de água; 0,7 mg de albumina; 0,18 gde substâncias orgânica; 0,711 mg de matérias graxas; 0,45 mg de sais e pelo menos 250bactérias...
  4. 4.  Aí o bactéria falante aproximou o rosto do meu e, tremendo, tirouseus óculos, tirou os meus, e ficamos nos olhando, de pertinho.O bastante para que eu descobrisse que, sem os óculos, seusolhos eram bonitos e expressivos, azuis e brilhantes. E acheigostoso aquele calorzinho que envolvia o corpo da gente. Elebeijou a pontinha do meu nariz, fechei os olhos e senti suarespiração ofegante. Seus lábios tocaram os meus. Primeiro deleve, depois com mais força, e então nos abraçamos de bocascoladas, por alguns segundos. E de reperente o ônibus já havia chegado no ponto final e játínhamos transposto , juntos, o abismo do primeiro beijo. Desci, cheguei em casa, nos beijamos de novo no portão doprédio, e aí ficamos apaixonados por vária semanas. Até que omundo rolou, as luas vieram e voltaram, o tempo se esqueceudo tempo, as contas de telefone aumentaram, depoisdiminuíram...e foi ficando nisso. Normal. Que nem meu primeirobeijo. Mas foi inesquecível! BARRETO, Antonio. Meu primeiro beijo. Balada do primeiroamor. São Paulo: FTD, 1977. p. 134-6.
  5. 5. ANTES DA LEITURA *O texto aborda um foco temático: a experiência doprimeiro beijo.Que temas vocês consideramsignificativas para serem abordados em umapalestra ou uma discussão em grupo? *Vocês leram o texto 1, do caderno do Aluno,intitulado “Insegurança”.É possível estabeleceruma relação entre os textos? Porquê? *Vocês apreciaram o texto:”Meu primeiro beijo” .Emque momento vocês se identificaram com aemoção narrada pela protagonista? Comente
  6. 6. INTERFERÊNCIAS 1ª PAUSA É dificil acreditar, mas meu primeiro beijo foi numônibus, na volta da escola. E sabem com quem?Com o Cultura Inútil! Pode?( O que a denominaçãoCultura Inutil nos sugere?) 2ª PAUSA" Você é a glicose do meu metabolismo”.(Qualinterpretação podemos fazer dessa frase?é umaafirmação positiva ou negativa? Porque?) 3ªPAUSA Paracelso"( Porque será que as palavras estãojuntas nessa frase? De que forma podemosentendê-la?
  7. 7.  4ª PAUSA - Dependendo do beijo, a gente põe em ação 29músculos, consome cerca de 12 calorias e acelera ocoração de 70 para 150 batidas por minuto. - Aí eletomou coragem e pegou na minha mão. Mas continuousalivando seus perdigotos( Na sua opinião, qual osignificado dessa expressão?) 5ª PAUSA (...)Aí o bactéria falante aproximou ( O que será que apersonagem( narrador) quis dizer com essa expressão? 6ª PAUSA (...)já tínhamos transposto , juntos (O que vocêsentendem com essa expressão? Que ideia ela nos dá?)
  8. 8. DEPOIS DA LEITURA *O texto aborda um foco temático: a experiência do primeirobeijo. Que temas vocês consideram significativas para seremabordados em uma palestra ou uma discussão em grupo? *Vocês leram o texto 1, do caderno do Aluno, intitulado“Insegurança”.É possível estabelecer uma relação entre ostextos? Por quê? *Vocês apreciaram o texto: ”Meu primeiro beijo” .Em quemomento vocês se identificaram com a emoção narrada pelaprotagonista? Comente *Na leitura dos textos foi possível constatar que aadolescência é um período de transição e fragilidades. Emquais circunstâncias vocês sentem-se inseguros? *Como os pais, a família e a escola podem e devem contribuirpara essa processo de formação da consciência ética ecidadã na transição da infância para a adolescência, na visãodo autor do texto 2, caderno do aluno?
  9. 9.  *Na leitura dos textos foi possível constatar que aadolescência é um período de transição efragilidades. Em quais circunstâncias vocêssentem-se inseguros? *Como os pais, a família e a escola podem edevem contribuir para essa processo de formaçãoda consciência ética e cidadã na transição dainfância para a adolescência, na visão do autor dotexto 2, caderno do aluno?
  10. 10. INTERTEXTUALIDADE Intertextualidade: Poema Um beijoFoste o beijo melhor da minha vida,ou talvez o pior... Glória e tormento,contigo à luz subi do firmamento,contigo fui pela infernal descida!Morreste, e o meu desejo não te olvida:queimas-me o sangue, enches-me opensamento,e do teu gosto amargo me alimento,e rolo-te na boca malferida.Beijo extremo, meu prêmio e meu castigo,batismo e extrema-unção, naquele instantepor que, feliz, eu não morri contigo?Sinto-me o ardor, e o crepitar te escuto,beijo divino! e anseio delirante,na perpétua saudade de um minuto... Olavo BilacPoema

×