Cidade da Copa - Relatório de Impacto Ambiental (Rima)

8,577 views

Published on

Published in: News & Politics
1 Comment
2 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
8,577
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4,170
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Cidade da Copa - Relatório de Impacto Ambiental (Rima)

  1. 1. Relatório de ImpactoAmbiental - RIMADezembro 2012 a op C d a a de C id e to r oj P
  2. 2. ç ão n ta e se A pr1. 1
  3. 3. 1 APRESENTAÇÃO 1.3. EQUIPE TÉCNICA 1.3.1. COORDENAÇÃO O Estudo e Relatório de Impacto Ambiental – EIA/RIMA do Projeto Cidade da Copa foi Coordenação Geral elaborado por equipe técnica multidisciplinar, nos termos e condições previstos nas Ivon d’Almeida Pires Filho, advogado, OAB/PE nº 5.399 Resoluções nº 01/86 e 237/97 do CONAMA - Conselho Nacional do Meio Ambiente, no Manual de Diretrizes para Avaliação de Impactos Ambientais da CPRH - Agência Estadual Coordenação Técnica de Meio Ambiente e em atendimento aos Termos de Referência expedidos por esse Flávia Carolina de Souza Reis, advogada, OAB/PE nº 14.389 mesmo órgão de meio ambiente sob o nº 12/11 referente ao Processo nº 7.485/11. 1.3.2. EQUIPE MULTIDISCIPLINAR 1.1. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDEDOR Arqueologia Marcos Antônio Gomes de Mattos de Albuquerque, arqueólogo, SAB nº 12 Arena Pernambuco Negócios e Investimentos S/A., inscrita no CNPJ/MF sob o nº Veleda Christina Lucena de Albuquerque, arqueóloga, SAB nº 237 12.077.949/0001-79, com endereço na Rua Antonio Lumack do Monte, 128, sala 1206, Taciana Mendes Taboza, técnica em meio ambiente, RG nº6.391.437 – SSP/PE Empresarial Center III, no bairro de Boa Viagem, Recife/PE, e representada por Marcos Lessa Mendes (marcoslessa@odebrecht.com). Cartografia Maria Carolina da Motta Agra, engenheira civil, CREA nº 02.511-D Gustavo Sobral da Silva, engenheiro de pesca, CREA nº 037.822/D-PE 1.2. COORDENAÇÃO DO EIA Direito Ambiental e Urbanístico Ivon d’Almeida Pires Filho, advogado, OAB/PE nº 5.399 PIRES Advogados & Consultores, sociedade de advocacia e consultoria, inscrita na OAB Sandra Pires Barbosa, advogada, OAB/PE nº 14.119 sob o nº 071/87, Seção de Pernambuco, no CIM sob o nº 157.651-8, no CNPJ/MF sob o nº 12.858.973/0001-45, e no Cadastro Técnico Federal de Atividades e Instrumentos de De- Fauna Aquática fesa Ambiental sob nº 257056. A empresa está situada na Rua Padre Carapuceiro, nº 54, Kênia Valença Correia, bióloga, CRBio-5ª Região nº 19.739/5-D Boa Viagem, CEP 51020-280, Recife, no Estado de Pernambuco. Fone: (+55.81) 3325.5100, Fax: (+55.81) 3465.5855 e correio eletrônico pires@pires.adv.br. Fauna Terrestre Artur Galileu de Miranda Coelho, biólogo, CFB/PE nº 02774-852
  4. 4. Geologia e Geomorfologia Edmilson Santos de Lima, geólogo, CREA nº 17.689-D Geotecnia Edmilson Santos de Lima, geólogo, CREA nº 17.689-D Héctor Ivan Díaz Gonzáles, engenheiro civil, CI RNE V381442-G Qualidade do Ar, Climatologia e Ruídos Maria de Lourdes Florêncio dos Santos, engenheira civil, CREA nº 22.468-D Recursos Hídricos Subterrâneos Marcílio Augusto Duque Pacheco, geólogo, CREA nº 14.132-D/PE Recursos Hídricos Superficiais Maria de Lourdes Florêncio dos Santos, engenheira civil, CREA nº 22.468-D Resíduos Sólidos Maria de Lourdes Florêncio dos Santos, engenheira civil, CREA nº 22.468-D Héctor Ivan Díaz Gonzáles, engenheiro civil, CI RNE V381442-G Sociologia Maria Lia Cavalcanti Corrêa de Araújo, socióloga, RG nº 868.926 - SSP/PE Urbanismo Sandra Pires Barbosa, advogada, OAB nº 14.119-PE Vegetação e Flora Terrestre Kênia Valença Correia, bióloga, CRBio-5ª Região nº 19.739/5-D Cosme de Castro Junior, biólogo, CRB nº 46.658/5-D Tráfego Amaury Enaldo de Oliveira Filho, engenheiro, CREA nº 6.330-D 1.4. EQUIPE DE APOIO Tecnóloga em Gestão Ambiental Teresa Cristina da Silva Programação Visual Atma+Bianchi De acordo com o disposto na Resolução CONAMA nº 01/86 e 237/97, o empreendedor e os profissionais que subscrevem os estudos ora apresentados são responsáveis pelas informações fornecidas, estando também todos inscritos no Cadastro Técnico Federal do IBAMA.4 5
  5. 5. o ent im nd ee pr Em d o ç ão i za t er r ac Ca2. 7
  6. 6. 2 CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO Este capítulo consiste na descrição detalhada do empreendimento, conforme apresentado O modelo institucional e de negócios escolhido pelo GEPE para a implantação do Projeto pelo próprio empreendedor, sendo, portanto, a transcrição fiel de suas declarações e foi o da Concessão Administrativa, previsto na Lei Federal nº 11.079/04 e na Lei Estadual intenções em relação ao Projeto Cidade da Copa. nº 12.765/05. Como principal ferramenta para atender a todos os requisitos das obras, o GEPE elegeu a modalidade PPP - Parceria Público-Privada como instrumento moderno de desenvolvimento de infraestrutura de interesse público. 2.1. SuRgIMENTO DO PROjETO O planejamento e desenvolvimento da Cidade da Copa ficaram a cargo da vencedora Em 31 de maio de 2009, a FIFA anunciou as doze cidades-sede para a Copa do Mundo de do mencionado certame licitatório: a Arena Pernambuco Negócios e Investimentos S/A 2014, que será realizada no Brasil. As cidades escolhidas foram: Belo Horizonte, Brasília, (“Arena”), Sociedade de Propósito Específico (SPE) liderada pela Odebrecht Participações Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e e Investimentos (OPI). A Arena desenvolverá, em PPP com o GEPE, a Arena Multiuso e a São Paulo. Cidade da Copa, enquanto um projeto imobiliário. Assim, em contrapartida à obrigação de construir, operar e manter a Arena Multiuso para a Copa 2014 em condições definidas Recife, como a maioria das cidades escolhidas, não conta com um estádio em condições de no contrato de PPP, a Arena Pernambuco Negócios e Investimentos S/A terá o direito de sediar uma Copa do Mundo e de atender às exigências impostas pelo Caderno de Encargos exploração comercial da Cidade da Copa. da FIFA. Atento a este fato, o Governo de Pernambuco (GEPE) lançou, em 21 de dezembro de 2009, o Edital de Concorrência Pública 001/2009, cujo objeto era a contratação de Empresa de Propósito Específico para a construção e exploração, mediante Concessão Administrativa, de um novo estádio de futebol em Pernambuco (a “Arena Multiuso”), além do desenvolvimento imobiliário do entorno do mesmo, empreendimento denominado “Cidade da Copa”. Figura 2.1. Oeste Metropolitano8 9 01
  7. 7. 2.2. LOCALIZAÇÃO DA gLEBA A Radial da Copa, empreendimento viário de implantação do BRT Leste-Oeste/Ramal da Copa, com início na Av. Belmiro Correia (Terminal Timbi), em Camaragibe, seguindo A gleba onde se pretende implantar o empreendimento está localizada na Região até a Arena da Copa, em São Lourenço da Mata, é considerada a principal via de acesso Metropolitana de Recife – RMR, Sudeste do Município de São Lourenço da Mata, fazendo rodoviário para o local. fronteira com os territórios dos municípios de Recife (Oeste) e Camaragibe (Norte), sendo a gleba lindeira ao rio Capibaribe ao Norte e a Leste e à Rodovia BR-408 a Sudoeste. (figura A área total destinada ao empreendimento perfaz 242,6 hectares, composta pela Arena, 2.1). Radial da Copa, Área de Preservação Permanente – APP do rio Capibaribe e outras áreas não edificáveis, bem como da área de implantação da Cidade da Copa. Apresenta-se a A localização da gleba apresenta posição privilegiada e se situa próxima a importantes seguir tabela resumida das áreas integrantes do empreendimento. (Quadro 2.2) centros urbanos e equipamentos metropolitanos. Figura 2.1. Localização Quadro 2.2. do terreno destinado Áreas Hectares Resumo de Áreas ao empreendimento Área total da gleba 242,6 (Coordenadas Arena Multiuso 35,6 Geográficas: Latitude 8° Radial da Copa 12,19 02’ 27,56”S e Longitude Subtotal 194,81 35° 00’ 10,13”O) APP do rio Capibaribe/outros (não edificável) 89,63 Cidade da Copa 105,18 278000 279000 280000 Legenda Quadro 2.1. Situação Centros Urbanos e Equipamentos Metropolitanos Tempo (minutos) Distância (km) Adutora de Tapacurá da Cidade da Copa – CAMARAGIBE Gasoduto Terminal Integrado de Passageiros - TIP 9 8,9 Tempos e Distâncias LT Limite Municipal Fidem Aeroporto Internacional dos Guararapes 29 21,6 BR 408 Centro do Recife 31 20 Rio Capibaribe Limite da Cidade e Arena da Copa 2014 Centro Histórico de Olinda 36 41,6 Boa Viagem 28 21,1 Casa Forte 25 21,7 9111000 9111000 Fonte: Simulações do empreendedor realizadas no Google Maps. RECIFE A área, por força da Lei Municipal No. 2.266/2009, é uma Zona de Urbanização Preferencial 03/Área Estadual – ZUP 03 destinada a proteger o patrimônio natural e ARENA PE RNAMBUCO construído, organizar territorialmente o crescimento do Município de São Lourenço da Mata com o controle do adensamento e ordenar e disciplinar a instalação das atividades CIDADE DA COPA exercidas. 1 : 10.000 200 100 0 200 Atualmente na gleba há dois (2) empreendimentos em construção, complementares Metros à futura Cidade da Copa: a Arena Multiuso (Arena Pernambuco) e a via Radial da Copa. 9110000 9110000 Nenhum dos empreendimentos faz parte do presente licenciamento, já havendo sido PARÂME TROS CARTOGRÁFICOS: objeto de processo de licenciamento autônomo anterior. SAD 1969 UTM Zone 25S Projeção: Transversa de Mercator Meridiano Central: -33 Fator de Escala: 0,999600 Unidade Linear: Metro A Arena Multiuso encontra-se em implantação em área contígua a destinada a Cidade da Datum: D South American 1969 Copa. Considerada a âncora de atratividade e indispensável para o sucesso da Cidade da SÃO LOURENÇO BR Estudo de Im pacto Ambiental do P rojeto Copa, essa obra conta com aproximados 64% de avanço físico até o presente momento -4 08 RECIFE CIDADE DA COPA (outubro 2012), mobilizando mais de quatro mil trabalhadores. MAPA DA ÁREA DE IN TERVENÇÃO Data Fevereiro / 2012 Elaboração 278000 279000 280000 1:1 Figura 2.2. Planta da Área Pretendida para a Intervenção10 11
  8. 8. 2.3. OBjETIVOS comércio e serviços, com área de cerca de 175 mil m²; Hotéis e convenções, 50 mil m²; escritórios, com área de cerca de 248 mil m²; residencial, com área de cerca de 576 mil m²; Pretende-se, com a Cidade da Copa, criar um destino para e educação, composta de escolas e Campus universitário, com área estimada de 229 mil inovar conceitos e oferecer um novo padrão de qualidade m², cujos detalhamentos serão adiante descritos. de vida, de forma que as pessoas possam morar, trabalhar, aprender e se divertir em uma mesma localidade, evitando grandes deslocamentos. • Arena Indoor Uma pesquisa de mercado foi realizada pelo Com capacidade para 10 mil assentos, este equipamento atuará de forma integrada e empreendedor com o objetivo de identificar as carências complementar à Arena Multiuso e poderá receber eventos de pequeno e médio porte, e oportunidades na Região Metropolitana do Recife como concertos e esportes, propiciando uma estrutura moderna “indoor”, cuja oferta é para que se pudesse, a partir daí, propiciar à população muito restrita na RMR, já que os equipamentos existentes estão totalmente defasados. local uma nova centralidade urbana, planejada e adequada às necessidades do Grande Recife. • Entretenimento, Comércio e Serviços Trata-se de um local favorável e com elementos suficientes para se tornar uma localidade atrativa Compreende a área que movimentará a Cidade da Copa com shoppings, bares, para os seus futuros moradores e visitantes: locais de restaurantes, supermercados, cinemas e teatros. Este equipamento é de fundamental entretenimento; acesso de transporte, em função de importância para o sucesso da Arena Multiuso, pois oferecerá aos torcedores opções de todo o investimento em infraestrutura urbana que alimentos e bebidas, assim como diversão. o Governo do Estado está realizando para receber a Copa de 2014; parques e áreas verdes; e novos • Hotéis e Convenções equipamentos recreativos e culturais. A Cidade da Copa terá um complexo multiuso de hospedagem e convenções, com dois Com vasta área verde e rica paisagem natural, o hotéis e dois pavilhões de centro de convenções. Estes equipamentos atuarão de forma empreendimento será incorporado ao ambiente integrada com a Arena Multiuso, principalmente no que tange ao compartilhamento das para proporcionar um desenvolvimento estruturas de estacionamento da Arena. totalmente integrado. Grande parte da Cidade da Copa será dedicada a parques e espaços abertos. A concepção do empreendimento explora a conexão • Escritórios entre as paisagens naturais e a principal zona de atividade, localizada no centro da Cidade da Copa. Área reservada para a construção de escritórios, torres comerciais, incluindo áreas verdes. A integração com espaços abertos será um atrativo, permitindo que as pessoas tenham mais qualidade de vida no trabalho. 2.4. PRINCÍPIOS NORTEADORES DA CIDADE DA COPA • Residencial O projeto Cidade da Copa, complexo urbano que pretende conciliar questões ambientais e de Aproximadamente 4.500 unidades residenciais de diversos padrões, inseridas em um sustentabilidade, une alta tecnologia e planejamento modelo de sistemas integrados de mobilidade, segurança e uso eficiente de recursos, e teve sua concepção norteada a partir de cinco visando a ofertar aos diversos segmentos do mercado uma nova opção de moradia na princípios, quais sejam: RMR. •Criar uma experiência memorável durante a Copa do Mundo • Educação •Posicionar a Cidade da Copa como um novo centro Área destinada à instalação de um campus universitário, escolas de ensino fundamental urbano no quadrante sudoeste do Recife e médio. Adicionalmente, está previsto um equipamento educacional de grande porte, destinado a ser um centro de excelência no ensino universitário. •Aproveitar o potencial ambiental e ecológico da área 2.5. DESCRIÇÃO DETALHADA DO EMPREENDIMENTO •Fazer parte do legado da Copa do Mundo A Cidade da Copa, abrangendo usos habitacionais e não habitacionais reunirá, quando •Otimizar o investimento em infraestrutura rodoviária, pronta, num prazo de aproximadamente 20 anos, mais de 40.000 mil pessoas, entre através de diversidade de acesso e conectividade população residente e não-residente. Estima-se a criação de mais de 10.000 vagas de Os principais usos e equipamentos previstos para a Cidade da empregos diretos e 9.000 indiretos durante as obras, além de cerca de 14.000 empregos Copa foram dispostos em seis destinações específicas, sendo diretos e 12.000 indiretos quando em plena operação. eles: Arena Indoor, com área de 25 mil m²; Entretenimento,12 13
  9. 9. Será construída em gleba de 242,6 hectares, de propriedade do Governo do Estado de habitações e demais edificações comerciais, educacionais, de serviços em geral e de Pernambuco, localizada no Município de São Lourenço da Mata, lindeira ao rio Capibaribe. Figura 2.3. Masterplan entretenimento. Desse total, o partido urbanístico foi desenhado de tal forma que 138,14 hectares não - Distribuição de usos na serão ocupados, superfície esta relativa à APP do rio Capibaribe e outras áreas não área do empreendimento De acordo com o Masterplan do empreendimento (Figura 2.3), estão previstas quatro (Coordenadas zonas distintas de atividade: “Divertir-se”, “Trabalhar”, “Aprender” e “Morar”. Estas zonas ocupáveis, às áreas verdes e espaços abertos da Cidade da Copa, totalizando um amplo Geográficas: Latitude 8° sistema ecológico de usufruto da população local e metropolitana. 02’ 27,56”S e Longitude estarão conectadas através de um sistema viário integrado, permitindo aos usuários 35° 00’ 10,13”O) locomover-se de maneira confortável e segura. A composição das áreas verdes integradas Será construída mediante parceria entre o poder público e a iniciativa privada. O poder ao empreendimento oferecerá uma extensa variedade de ares paisagísticos. público é o Governo do Estado de Pernambuco, que construirá a infraestrutura de abastecimento de água, esgotamento sanitário, sistema de coleta e disposição final de resíduos, energia elétrica, telecomunicações e gás, assim como a principal via de acesso, Pretende-se que a Cidade da Copa seja um empreendimento inteiramente planejado, denominada Via Radial da Copa. A iniciativa privada é a empresa Arena Pernambuco de forma a ser concebida como a primeira “cidade inteligente” (Smart City) da América Negócios e Investimentos S/A e seus parceiros também privados, que construirão as Latina. Esse conceito implica, no mínimo, priorizar-se a tecnologia e a inovação em três14 15
  10. 10. pilares principais: monitoramento da segurança, gerenciamento de energia e adoção de Como uma das capitais mais adensadas do sistemas integrados, tornando todos os serviços mais eficientes. país, Recife tem sua ocupação centralizada na direção norte - sul, acompanhando A concepção do empreendimento foi balizada em um projeto estruturado em três fases de a faixa litorânea. A demanda por uma implantação - planejamento, instalação e operação – conforme apresentação do quadro nova zona de expansão é latente e a 2.1. A subdivisão do empreendimento nas respectivas fases visa proporcionar uma visão zona oeste da Região Metropolitana global das ações concebidas para a implantação do Núcleo Urbano Cidade da Copa de de Recife (RMR) é um caminho natural forma a racionalizar os esforços empreendidos para a concretização do referido projeto. para essa expansão. Isto porque a zona oeste agrega fatores importantes de conexão entre os pólos de Plenajamento desenvolvimento estaduais, quais Empreendimento Instalação Operação sejam: o pólo sul, alavancado por Viabilidadez Projetos Suape e pelo complexo turístico Instalação das Modelo Institucional e de Negócio do Ordenamento dos Investimentos infraestruturas da Cidade Operação dos sistemas das praias do litoral sul, de um Quadro Referencial e Ações de Poder Urbanização Regional/ Governo do Estado de Pernambuco – GEPE; pelo Poder Público Municipal Prognósticos de crescimento da RMR – Públicos nos Empreendimentos da Copa pelo Poder Público Estadual e Municipal e lado, e o pólo norte, do outro, Associados Estadual e Municipal e Oeste; Mobilidade Metropolitana concessionárias concessionárias liderado pelos empreendimentos farmacoquímicos e pela indústria Concedente Consolidação das áreas a serem Registros legais com comercializadas como suporte a comprovação da Mercado/Atratividade e para o Projeto de Loteamento a ser conclusão das obras de Encerramento das ações automobilística. Pesquisas; ações mercadológicas Ações Mercadológicas registrado no Cartório de Imóveis; infraestruturas; instalação mercadológicas parcerias e comercializações com dos empreendimentos dos A Cidade da Copa será outros empreendedores parceiros empreendedores desenvolvida para tornar- Legislação Urbanística e Instalação das Operação e manutenção Ambiental Capítulo 8 - Diretrizes Legais Projetos Ambientais ações ambientais; das medidas ambientais; se uma das âncoras de Análise Jurídica monitoramentos monitoramentos desenvolvimento da Região Zoneamento e Uso e Ocupação do Solo Metropolitana do Recife, Operação e manutenção Ocupação Sistema Viário, Transportes, Mobilidade e Acessibilidade Projetos Executivos Instalação do sistema viário, áreas verdes e espaços do sistema viário, áreas sendo local favorável e com verdes e espaços abertos Áreas de Preservação/Áreas Verdes/Espaços abertos e edificações e edificações elementos suficientes para Abertos se tornar uma localidade Instalação do sistema viário Operação e manutenção altamente atrativa para os Cidade da Copa e sistemas infraestruturais; das infraestruturas; Programa de Gerenciamento Plano de Gerenciamento seus futuros moradores Abastecimento de Água, Esgotamento Integrado de Resíduos da Integrado dos Resíduos e visitantes - locais de Sanitário, Efluentes Líquidos, Resíduos Construção Civil (PGIRCC) Sólidos (PGIRS) Infraestrutura Sólidos, Energia Elétrica, Iluminação entretenimento, bom acesso Pública, Comunicação de Dados e Voz, Gás Projetos Executivos Instalação dos Canteiros de Obras. Movimentação de de transporte – em função Encerramento das Obras terras, tráfego durante as de todo o investimento em obras, mão de obra infraestrutura urbana que Tecnologia, Recursos e Sistemas Inteligentes, Gerenciamento dos Centro Integrado de Segurança – CIS e Centro de o Governo do Estado está Insumos Fatores de Risco, Diretrizes Construtivas Comando e Controle - CCC realizando para receber a Copa de 2014, parques e áreas Gestão Gestão, coordenação e supervisão gerais – Conselho Gestor da Cidade da Copa verdes, novos equipamentos recreativos e culturais. Quadro 2.3. Empreendimento x Fases de Implantação O Partido urbanístico do 2.5.1 FASE DE PLANEjAMENTO empreendimento subdivide-se em 8 Distritos com os seguintes Os custos do planejamento perfazem R$ 32 milhões de reais, a seguir relacionados e usos e atividades: descritos. • Distrito I – Esportes e Eventos; a. Partido Urbanístico da Cidade da Copa • Distrito II – Comércio/ Entretenimento/Uso Misto; • Distrito III – Campus Universitário; Quadro Referencial Cidade da Copa • Distrito IV – Escritórios; • Distrito V – Habitacional Sul; iv. Diretrizes Urbanísticas, Zoneamento e Uso do Solo; • Distrito VI – Habitacional Norte; i. Diretrizes Urbanísticas Regional/ v. Sistema Viário, Transporte, Mobilidade e Acessibilidade Municipal. Urbana; e • Distrito VII – Usos Governamentais; vi. Áreas de Preservação/Áreas Verdes/Espaços Abertos. • Distrito VIII – Hipermercado e área para infraestruturas. ii. Pesquisas de Mercado. vii. Diretrizes Infraestruturais viii. Diretrizes de Tecnologia, Recursos e Insumos e demais iii. Legislação Urbanística e Ambiental. projetos e planejamento das obras.16 17
  11. 11. Os 8 Distritos organizam-se em função de um eixo estruturante Leste-Oeste denominado Quadro 2.4. Caracterização dos Componentes da Urbanização Via Radial da Copa, integrando-se com os recursos ambientais da gleba, notadamente Componentes Diretrizes Principais Dados Quantitativos Domínio Privado o rio Capibaribe e as Áreas de Preservação Permanente, resultando um conjunto que DISTRITO I – Esportes e Eventos – Arena Multiuso, Arena Indoor, Hotéis e Convenções integra os elementos construídos e naturais. O estádio principal marca a gênese do projeto e se tornará o principal âncora no lado Oeste da RMR. O estádio sediará 5 jogos Arena durante a Copa do Mundo de 2014. Nos anos de legado, o estádio será a casa de equipes profissionais de futebol do Recife, 46.000 assentos As figuras 2.4 e 2.5 a seguir ilustram a distribuição espacial desses Distritos, seguida de Multiuso trazendo espectadores nos campeonatos regionais e nacionais. Além disso, outros grandes eventos serão hospedados no estádio principal. quadro-resumo com a caracterização dos usos. Atuará de forma integrada e complementar à Arena Multiuso e poderá receber eventos de pequeno e médio porte, como concertos e esportes. Seu principal objetivo será o de propiciar uma estrutura moderna para sediar eventos esportivos Área construída total de 25.000 Arena Indoor “indoor”, cuja oferta é muito restrita na RMR, já que os equipamentos existentes estão totalmente defasados. Por se tratar de m2 e capacidade de 10.000 um equipamento multiuso, ele será largamente utilizado em eventos musicais, já que Recife, definitivamente, entrou na rota assentos dos grandes concertos musicais internacionais. Complexo multiuso de hospedagem e convenções. Dois hotéis e dois pavilhões de centro de convenções estão previstos para o empreendimento. Estes equipamentos atuarão de forma integrada com a Arena Multiuso, principalmente no que tange ao compartilhamento das estruturas de estacionamento da Arena. Com esta funcionará essencialmente para eventos Área construída total de Hotéis e noturnos e nos finais de semana, todas as suas vagas de estacionamento poderão ser ocupadas durante os dias de semana 50.000 m2. Dois hotéis (300 e Centro de pelos usuários do Centro de Convenções. 250 quartos), 4500 vagas de Convenções Basicamente, este complexo de convenções tem como objetivo complementar a oferta do atual Centro de Convenções de estacionamento Pernambuco (CECON) oferecendo, além de espaços de convenções e feiras moduláveis (permitindo a realização de diversos eventos, de portes variados), toda uma infraestrutura de hospitalidade, contribuindo para a melhoria do parque hoteleiro da RMR, altamente carente nos dias atuais. DISTRITO II – Comércio/Entretenimentos/Uso Misto O entretenimento de varejo/uso misto distrital servirá como o “coração” central de Cidade da Copa, com lojas, restaurantes e entretenimentos. A Cidade da Copa introduz um tipo diferente de experiência de compra e de consumos em geral para a RMR. Uma extensa rede de espaços exteriores públicos com contínuas estruturas de dossel permitirão que as pessoas consumam e usufruam ao ar livre com vista para o entorno natural deslumbrante. Essa área apoia os setores das arenas e de hotéis e centro de convenções em durante eventos. O centro de visitantes será um dos primeiros prédios a ser construído, proporcionando informação sobre a implantação e as operações da nova comunidade para os visitantes. Um centro de informações, de vendas, centro de mídia digital, e café/ restaurante com vista para o lago Norte serão algumas das suas principais funções e atrações. O bairro de uso misto fornecerá varejo mais do nível do solo, com escritórios e desenvolvimento Habitacional acima. Área construída total de 159.900 Escritórios menores, como um consultório médico, lojas de impressão, e outras pequenas empresas fornecerão dia-a-dia dos m2, cinema tipo “multiplex” para serviços de os residentes nas proximidades. 3.000 assentos Nessa área, existirão dois espaços públicos importantes: Plaza Lago Norte e Plaza Lago Sul. As características dos lagos, combinados com a vegetação natural e preservadas as árvores existentes, criarão um atrativo ao ar livre para os usuários das lojas e dos restaurantes. Shoppings, bares, restaurantes, supermercados, cinemas e teatros. Este equipamento é de fundamental importância para o sucesso da Arena Multiuso, pois oferecerá aos torcedores opções de alimentos e bebidas, assim como diversão. Estas opções permitirão que não só os torcedores, como também suas famílias, voltem a frequentar jogos de futebol e outros eventos na Arena, amparados por toda uma oferta de comércio e serviços, o que fará com que as pessoas cheguem à Cidade da Copa bem antes do início dos jogos e permaneçam no destino inclusive após o término dos eventos. DISTRITO III – Campus Universitário Será desenvolvido pelo Governo do Estado de Pernambuco. Figura 2.4 Estrutura Espacial da Cidade da Copa Área destinada à instalação de um campus universitário, escolas de ensino fundamental e médio. O empreendedor previu que, à medida que os empreendimentos residenciais sejam ocupados, crescerá a demanda por equipamentos educacionais Área construída total de para melhorar a qualidade de vida dos moradores da área, evitando deslocamentos. Adicionalmente, está previsto um 180.000 m2 equipamento educacional de grande porte, destinado a ser um centro de excelência no ensino universitário. O campus da universidade é aberto em termos de acesso físico pelo Corredor Cultural. DISTRITOS I, II e IV – Escritórios - Torres Comerciais, Escritórios Corporativos, Áreas de Convivências, Áreas Verdes Serão construídas 2 modalidades de edificações para escritórios: “Office Tower” e “Office Campus”, distinguindo-se em função da verticalização das mesmas. As torres terão estruturas verticais com até 15 pavimentos, sendo que as demais “Office Tower” e “Office Campus”, edificações de escritórios terão entre 4 a 6 pavimentos. com áreas construídas totais A maioria das edificações tipo torre é adjacente a Radial da Copa ou no distrito de núcleo central. de 94.000 m2 e 154.900 m2, As áreas de convivências – tanto para “office tower”, quanto para “office campus” – permitirão introduzir um ambiente respectivamente. alternativo para os trabalhadores dos escritórios, com áreas onde os funcionários podem interagir e estar ao ar livre. Haverá infraestrutura compartilhada para as empresas para reuniões, conferências ou eventos. DISTRITOS V - SUL e VI NORTE – Habitacional - Habitações, Escolas de Ensino Fundamental e Médio, Parques, PlayGrounds, Áreas de convivências Os bairros habitacionais na Cidade da Copa são concebidos como blocos urbanos com fácil acesso aos parques e espaços Área construída total de abertos. Há uma mescla de classes A, B e C, com unidades residenciais para os diferentes níveis de renda. 576.180 m2 A habitação A ocorre na extremidade Leste do local, com vista mais privilegiada em relação ao rio e outras beleza naturais. A maioria das unidades será B e C. Um novo estilo habitacional é introduzido onde as unidades residenciais menores situam- Tipo A - 225 unidades, 140 m2/ se entorno da estrutura da garagem, criando espaços pedestrianizados e convidativos. Sobre a estrutura de estacionamento unidade, 3 vagas na garagem. comum haverá pátio, sendo um lugar para amenidades residenciais e de relaxamento. As torres são localizadas para maximizar a vista para os serviços nas proximidades, tais como a parques e espaços públicos, rios e colinas arborizadas. Tipo B - 2.930 unidades, 90 m2/ Esta nova tipologia habitacional será testada no mercado antes do lançamento. unidade, 2 vagas na garagem Tipo C - 1.350 unidades, 60 m2/ unidade, 1 vaga na garagem Domínio Público Sistema Viário Ver no item Diretrizes Urbanísticas – Dimensão Local - Sistema Viário, Transporte, Mobilidade e Acessibilidade Urbana Áreas de Preservação/ Áreas Verdes/ Ver no item Diretrizes Urbanísticas – Dimensão Local - Áreas de Preservação/Áreas Verdes/Espaços abertos Espaços abertos Uso Área já prevista no Anexo VII – Localização do Projeto Cidade da Copa do Edital da Concorrência Internacional No. Em planejamento pelo GEPE Governamental 001/2009 – CGPE com a designação de “Equipamento Público”, destinada aos equipamentos públicos a serem definidos - Distrito VII pelo Governo Estadual. Possível localização do Centro de Comando e Controle - CCC Figura 2.5 Estrutura Espacial da Cidade da Copa18 19
  12. 12. Quadro 2.5. Componentes Viários Componentes Modo Descrição Secções (m) Viário Principal – Via Radial Servirá a comunidade como via e corredor de trânsito principal, permitindo a entrada da Copa no complexo por ambas as direções, Leste e Oeste. Geometria circular para onde convergem os Eixos Leste, Oeste e Norte-Sul, localizada na porção central do empreendimento, concentrando maior parte do varejo, universidade, Circular (“loop”) cinemas, parte dos empreendimentos comerciais e residenciais e um centro para 38,5 visitantes, mantendo um ambiente atrativo para os pedestres e ciclistas. Acoplado o TRO na parte interna do círculo. Conexão da Cidade da Copa para a direção Leste, a partir do “loop” até a Avenida Eixo Leste 34 Caxangá. Neste Eixo, circulará o TRO. Motorizado/ Eixo Oeste individual e Conexão da Cidade da Copa para a direção Oeste, a partir do “loop” até a BR-408. coletivo Boulevard, localizada na parte interna da circular, conectando as porções Norte e Sul. Terá a função de acessar o campus universitário e o distrito de comércio e Via “A” 38,5 entretenimentos. Como o volume de tráfego será menor que os Eixos Leste, Oeste e “loop”, haverá faixas para pedestres e bicicletas. Boulevard, conectando a área central da Cidade da Copa em direção ao rio Capibaribe Via “B” e áreas verdes, acessando as áreas de escritórios, estacionamentos, com faixas para 32,5 pedestres e bicicletas. O sistema viário local acessará os vários lotes individuais do empreendimento. Terá duas Viário Local 22 pistas, cada uma com duas faixas, sendo uma para estacionamentos, além de ciclovias. Associado ao sistema viário. Os parâmetros para dimensionamento dos estacionamentos Motorizado/ foram desenvolvidos Steer Davies Gleave (SDG) e a equipe responsável pelo “Master Estacionamentos individual e Plan”. Foi planejada toda dinâmica de deslocamentos e paradas da Cidade da Copa. - coletivo Dado o caráter operacional desse planejamento, as respectivas descrições encontram- se no Item 2.6.2. referente à Fase de Operação. Acoplado com o Eixo Leste e Via Circular haverá o Sistema TRO – Trânsito Rápido de Ônibus. A proposta é que seja possível usar os TRO’s para entrar e sair da Cidade da Copa (ao leste – linha vermelha), integrando com estação de metrô Cosme Damião (em implantação pelo Governo do Estado), até o corredor Leste-Oeste na Avenida Caxangá, Sistema TRO – Trânsito conectando o empreendimento ao centro de Recife. - Rápido de Ônibus Coletivo No total, seis paradas de TRO’s são projetadas para a área em desenvolvimento. A uma distância média de 480 metros serão construídas paradas articuladas com acessos de pedestres em cada extremidade, com rampas para chegar ao nível das plataformas. Futura estação, cuja construção do outro lado do rio Capibaribe, a Leste, será ligada a um terminal do TRO para integração. O mesmo serviço do metrô contará com uma Estação Cosme e Damião - ligação direta com o Aeroporto Internacional do Recife, através de uma futura passarela, permitindo fácil acesso ao site para os viajantes nacionais e internacionais. Todas as vias serão dotadas de ciclovias e caminhos pedestrianizados associados com Rotas cicloviárias e Não elementos paisagísticos. Além disso, os ciclistas e pedestres terão à sua disposição Variável caminhos Pedestrianizados motorizado outras rotas e caminhos fora do sistema viário, criando uma extensiva rede de circulação e usufruto das áreas verdes e demais espaços abertos. Figura 2.7. Elementos do Sistema Viário, Transporte, Mobilidade Figura 2.6. Projeto e Acessibilidade Urbana Urbanístico do Núcleo (Radial da Copa – circular • Zoneamento e Uso e Ocupação do Solo Urbano (‘loop’) e entrada leste) A figura 2.6 ilustra o zoneamento e as indicações de uso e ocupação do solo, conforme os parâmetros permitidos para ZUP 03. i. Diretrizes Urbanísticas – Dimensão Local - Sistema Viário, Transporte, Mobilidade e Acessibilidade Urbana • Hierarquia Viária e Componentes Visando a melhor compreensão, dado o caráter integrado dos componentes viários, de transporte e de mobilidade e acessibilidade urbanas, os mesmos são apresentados abaixo no quadro 2.5. Em seguida, apresentam-se as figuras 2.7 a 2.9 que ilustram os componentes descritos no quadro.20 21

×