Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Formas das plantas

3,520 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Formas das plantas

  1. 1. Juliana Rodrigues de Sousa
  2. 2.  Conceitos básicos • As traqueófitas (As...) são também conhecidas como Cormófitas (pela organização regular do corpo – “cormo”). • Plantas talófitas (com talo)
  3. 3.  Talófita • Conceito antigo por não se aplicar mais ao Reino Vegetal. Em 1979, Whittaker retirou todas as algas do Reino Vegetal e as incluiu no Reino Protista. As algas são talófitas, pois não tem o corpo dividido em raiz, caule e folha. • As briófitas representam uma transição entre os ambientes aquático e terrestre; entre a estrutura talófita e a cormófita, por isso são denominadas pseudocormófitas, possuindo rizóides, caulóides e filóides.
  4. 4.  Cormófitas • Plantas com estrutura verdadeira: folha, caule e raíz.  Cada um desses órgãos básicos têm a sua própria natureza, não são trocáveis.  Estão presentes em qualquer cormófita, mesmo metamorfoseados.  A planta sempre tem uma organização bipolar.  Caule – cima Crescimento indefinido  Raiz - baixo
  5. 5.  Cormófitas Folhas Crescimento limitado (forma típica da espécie), órgãos Sistema aéreo laterais do caule . Gemas laterais axilares Caule (ramificações do caule axilar). RaizSistema subterâneo
  6. 6.  Plântula • É a condição do embrião vegetal após a germinação. Geralmente é formado por uma ou duas folhas que podem ser bem diferentes das outras folhas.
  7. 7.  Plântula • Desde a semente a plântula já apresenta todos os órgãos do cormo. Radícula (raiz), caule e cotilédones (folhas, com formas bem diferentes das típicas) e plúmula (gema apical).
  8. 8.  Plântula
  9. 9.  Plântula • Coleto: transição raiz e o caule, é importante no momento que a radícula tenta perfurar o solo. Os rizóides do coleto permitem que a plântula se agarre aos grãos superficiais do solo , permitindo que a raiz em crescimento perfure e penetre no solo.
  10. 10. 1. Diferencie Criptógamas e Espermatófitas.2. Quais diferenças garantem a classificação das plantas como talófitas e cormófitas?3. Diferencie Gimnospermas e Angiospermas. Indicando as principais características de cada grupo e distinguindo mono e dicotiledôneas.4. Explique a conquista do ambiente terrestre pelos vegetais.5. Como acontece o crescimento do corpo em uma cormófita?6. Defina e esquematize uma plântula mostrando seus principais órgãos.
  11. 11.  O sistema de formas de vida liga a forma da planta a adaptações ao meio ambiente – desenvolvido por Raunkier. • Dinamarca – estação adversa é o inverno (maneira de proteger as gemas do frio). • Trópicos – proteger contra estiagem.A composição de formas de vida em uma vegetação varia bastante de clima em clima.
  12. 12.  Fanerófito • Apresentam as gemas de renovo bem altas (mais que a camada neve ou serapilheira), • São árvores, arbustos e ervas perenes, • Gemas terminais com proteção própria, por estarem expostas ao clima adverso. • Caatinga 26%; árvores nos tópicos não possuem gemas terminais. Caméfitos • Gemas de renovo próxima ao solo, • Pequenos arbustos e semi-arbustos. • Caatinga 16%.
  13. 13.  Criptófito • Eixos escondidos (na terra ou água) – com gemas renovadoras não visíveis. • Partes áreas morrem na estação desfavorável – precisam armazenar energia para rebrotar. Geófito (órgãos armazenadores de energia) – caatinga 2%. • Vegetais que vivem na água, enraizados ou flutuantes – Hidrófito. • Gemas enterradas em solo enchacado – Helófito.
  14. 14.  Hemicriptófito • Gemas de renovo no nível do solo (cobertas por serapilheira ou de bainhas secas). Terófito • Plantas herbáceas anuais, • Ciclo de vida em um ano, • período desfavorável – semente (banco de sementes), • Raras em áreas frias; • Caatinga 43%.
  15. 15.  Trepadeira ou escandentes • Enraizadas no solo, alcançam a superfície do dossel, sem formar caules auto-sustentáveis.  Especads – estruturas rígidas em cima de estruturas suporte (espinhos, acúleos).  Volúveis (lianas quando lenhoso): dextrorso e sinistrorso)  Gavinhas – usam órgãos transformados em fios torcíveis para se agarrar-se no suporte (caulinar, foliar, radicular)
  16. 16.  Epífitas • Não são enraizadas no solo, usam outras plantas (ou substratos não vivos) como suporte. Só suporte físico.  Holoepífias (ciclo de vida inteiro acima do suporte);  Hemiepífitas (parte do ciclo);  Primárias (começam como epífitas, depois alcançam o solo)  Secundárias (começam enraizadas no solo e assumem uma vida epífita)
  17. 17.  Bromélias tanque • Cresce em forma de roseta; habitat; acumulo de serapilheira)
  18. 18.  Suculência e mecanismos CAM • Armazenar água
  19. 19.  Parasitas • Recebem sua sustentação de outras plantas.  Holoparasitas (sustentação inteira, aclorofilados)  Hemiparasitas (Parcial, retira água e sais minerais)  Facultativas (Podem concluir seu ciclo sem hospedeiro)  Obrigatórios (precisam do hospedeiro) • Parasitas terciários (mico-heterotróficas): energia indireta de plantas verdes através de rede micorrízica.

×