Resenha de Sustentabilidade - Encontro de Sustentabilidade com Fritjof Capra

3,903 views

Published on

Por Rafael Tello - 2012

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,903
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
21
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Resenha de Sustentabilidade - Encontro de Sustentabilidade com Fritjof Capra

  1. 1. Centro de Desenvolvimento da Sustentabilidade na Construção CDSC Resenha de Sustentabilidade – Encontro deSustentabiliadde com Fritjof Capra Por Rafael Tello 2012
  2. 2. IntroduçãoEssa resenha é uma produção do Centro de Desenvolvimento da Sustentabilidade naConstrução (CDSC), parte do Núcleo Petrobras de Sustentabilidade da Fundação Dom Cabral.O CDSC visa a construção de indicadores, ferramentas e abordagens que auxiliam asorganizações a entenderem e aplicarem os pressupostos da sustentabilidade. Nesse sentido,essa resenha visa abordar os pontos principais discutidos no evento “Encontro deSustentabilidade”, promovido dia 28 de março de 2012 pelo Banco Santander.O evento foi realizado no Centro de Convenções Sul América (Rio de Janeiro) e trouxe oprofessor Fritjof Capra para uma exposição sobre sustentabilidade e o espaço do Brasil nodebate global sobre o tema.A abertura e a condução da sessão de perguntas e respostas foi feita pelo fundador daAmana Key, Oscar Motomura.Segue abaixo um resumo dos principais pontos apresentados no dia.Abertura: Oscar Motomura – Amana KeyO principal objetivo da fala de Motomura Destacando a perspectiva temporal,foi apresentar o atual momento brasileiro Motomura lembra que o Plano Real nãosob perspectiva sistêmica. No início de seu foi um evento isolado. Parte de seudiscurso ele destaca que o método de sucesso decorre da sucessão de fracassosanálise sistêmica busca observar os de outros Planos, que geraram uma basesistemas como um todo, buscando suas de conhecimento apropriada pelosconexões. No entanto, ela não o posiciona autores do Plano Real.no tempo, mantendo ocultos os fatoresrelevantes para sua atual configuração e Por outro lado, o palestrante indica que oefeitos de seu estado atual para seu Plano Real deve ser uma inspiração paradesenvolvimento futuro. Com essa o enfrentamento de outros problemasperspectiva, Motomura buscou mostrar crônicos no país como a desigualdadealguns eventos relevantes para o atual social, saúde, educação, etc. Uma novaestágio em que o Brasil se encontra. perspectiva, usando o aprendizado passado deve ser o caminho para aO primeiro destaque dado por Motomura mudança, com diferentes “Planos Real”foi a nomeação feita pelo então sendo executados no Brasil.Presidente Itamar Franco de um sociólogopara ocupar o cargo de ministro da Após esta introdução MotomuraFazenda, um fato incomum em nossa apresentou a influência de Capra em suashistória. Segundo o palestrante, após a atividades. Há 20 anos Capra apresentavasequência de economistas no cargo, foi a a necessidade de se tratar a ecologia comovisão e a perspectiva diferentes de um tema complexo, que demandavaFernando Henrique Cardoso que avaliações profundas para a corretacontribuíram para a criação do Plano Real, compreensão e atuação. Depois Caprafundamental para encerrar o período de trouxe o conceito de alfabetizaçãohiperinflação vivido no país. ecológica, que se refere à compreensão dos princípios que regem os ecossistemas, |2|
  3. 3. dando origem e sustentação a Apresentação principal: Fritjofcomunidades sustentáveis. O conceito Capravem sendo aplicado no EUA1. Destacava Nos últimos anos observou-se umaainda que o processo de alfabetização não alteração no foco dado à preocupaçãodeveria ser restrito às crianças, sendo com o ambiente. O movimento ecológiconecessário também para profissionais e se preocupava diretamente com alíderes, pessoas com capital e poder natureza. Na atualidade é evidente que adecisório. preocupação com o ambiente é oA escassa alfabetização ecológica no Brasil contexto de tudo o mais: vida, negócios,nos leva a um atraso no aproveitamento política. Todas as grandes questões dade nossos ativos naturais. Hazel atualidade – segurança alimentar eHanderson destaca que os ativos naturais segurança energética, por exemplo – tembrasileiros têm alto valor – que se relação direta ou indireta com a natureza,considerados no PIB, provavelmente e sua preservação representa um desafio.posicionariam o Brasil entre os países mais Segundo Capra, para lidar de maneiraricos do mundo –, mas para que possam adequada com estas questões, é precisoefetivamente apoiar o país, devem ser retomar o uso correto do conceito detratados e respeitados como ativos Desenvolvimento Sustentável. Para olimitados. professor, o mau uso do conceito se dáUma recomendação de Motomura para pela sua descontextualização. Não se podeuma modificação positiva na atuação de tratar de um desenvolvimento realmenteprofissionais brasileiros – inclusive visando sustentável se o contexto ecológico nãorespeitar nossos ativos naturais – é: for respeitado.“pensem em vocês, pensem nas suas Sob esta perspectiva, o Desenvolvimentoatividades no dia a dia, mas pensem Sustentável não envolve a busca portambém em todos e no todo.” crescimento indefinido, ganho deA simples mudança de pensar em todos e mercado, aumento da competitividade eno todo já provocará mudanças nas das exportações, ou outros objetivosatividades e decisões das pessoas. normalmente buscados por governos ePrecisamos aprender a incluir as 7 bilhões empresas. A grande meta dode pessoas e as 30 milhões de espécies, Desenvolvimento Sustentável é aque coabitam o Planeta em nossas construção e desenvolvimento dedecisões e ações. comunidades sustentáveis, isto é, que preservam as condições para a existênciaFechando sua fala, Motomura ressaltou da vida. Capra destaca que “sustentar”que essa forma de pensar está alinhada significa preservar toda a rede da vida dacom a ética, que na sua perspectiva é a qual nossa sobrevivência depende. Desteescolha pelo bem comum. modo, nossas ações não podem comprometer a capacidade dos diversos ecossistemas do Planeta em sustentar a vida. Razão esta pela qual nossas instituições não podem ter objetivos conflitantes com a preservação da Biosfera.1 http://www.ecoliteracy.org/ |3|
  4. 4. Uma atuação alinhada com o partes: as propriedades da água, porDesenvolvimento Sustentável tem então a exemplo, não estão presentes nem nonecessidade de uma nova base de oxigênio, nem no hidrogênio; ou ainda, ospensamento, capaz de avaliar de modo cavalos de força não estão em nenhumaamplo os sistemas naturais e humanos peça do motor.que influenciam a vida no Planeta. OPensamento Sistêmico cobre este hiato O estudo de redes vem levando ao estudocom um novo pensamento sobre a vida, de seus padrões: aglomeração, feedbackfocado nos sistemas e nas suas relações loops, substituição, etc. Este padrões nãointernas e com outros sistemas. são lineares e isso vem promovendo o desenvolvimento do cálculo de sistemas complexos.De acordo com Capra, o PensamentoSistêmico vem se desenvolvendo nosúltimos 30 anos e promove uma alteração A Biosfera sustenta a vida por três bilhõesna visão sobre o Planeta, que deixa de ser de anos. Neste período as redes vêmvisto como uma máquina e passa a ser seguindo princípios de organização queentendido como um organismo vivo. maximizam sua sustentabilidade. ANessa nova perspectiva, o Planeta é uma compreensão destes princípios é a base dateia inseparável de elementos, um sistema alfabetização ecológica.auto-organizado e auto-sustentado, cuja São descritos como os princípios centraisevolução é uma “dança cooperativa” da ecologia:movida pela criatividade edesenvolvimento de novas estruturas.  Um elemento serve de comida para outro;O avanço desta ciência está deixando claroque as redes são o padrão básico de  Toda a energia vem do sol; esistemas: organismos são redes de órgãos,células são redes de moléculas e  A diversidade dá base parasociedades são redes de relacionamento, resiliência de ecossistemas.por exemplo. Todos estes princípios sãoEste novo pensamento desafia a ciência, correlacionados e expressam as basesuma vez que os relacionamentos não para o funcionamento dos ecossistemas.podem ser medidos, podendo apenas ser Observa-se que a natureza estimulamapeados e observados. Além disso, a espécies a viverem em comunidades quemudança de foco dos objetos para as se auto-regulam e se sustentam.relações também impõe desafios. Grandes Capra destacou que a sustentabilidadetransformações são evidentes: passa-se não é um produto individual, mas de umade medidas para observações; de comunidade. Uma comunidade humanaavaliações quantitativas para sustentável deverá fazer parte de umaqualitativas. comunidade sustentável maior.A avaliação de redes mostra que o todo é A compreensão da necessidade de estarmaior que as partes, uma vez que o em harmonia com a Biosfera explicita asistema tem “características emergentes” constatação de que os atuais problemasque não podem ser encontradas nas suas da humanidade tem como base a |4|
  5. 5. interferência neste grande sistema. conhecimento sobre o meio ambiente, emQuestões energéticas, alimentares, um documento em desenvolvimento paraclimáticas e até mesmo financeiras são apresentação na conferência Rio +20.resultado da má ação humana. Observa- Nele, os autores determinam: Ose ainda que estes problemas são crescimento contínuo indefinido é umsistêmicos e interconectados. mito! O crescimento econômico contínuo não é uma panaceia para a humanidade,O sistema capitalista também é na verdade ele é a base do nosso estilo deconstituído por uma rede, na qual vida insustentável.agentes financeiros realizam a livrecirculação de recursos, financeiros ou Ao lidar com crescimento econômiconão, visando o lucro. Atualmente isso é Capra destacou a importância de sefeito sem qualquer base ética, com as qualificar o crescimento. Trazendo umadecisões sendo pautadas apenas na busca visão natural, o professor defendeu opela maximização dos retornos para os crescimento, relembrando que nainvestidores. natureza o que não cresce morre. No entanto, o crescimento não é aceleradoSegundo Capra, os atores dominantes da nem indefinido. Crescimento acelerado,rede, especialmente os economistas, têm sem consideração de limites, é observadoo objetivo de crescimento máximo e em vírus e cânceres, que acabam porcontinuado da economia. Ele matar o sistema hospedeiro.complementa afirmando que este desejoem um Planeta limitado é tão absurdo O crescimento na natureza é permanente,quanto a máquina de movimento mas o sistema não cresce por completo.contínuo buscado na Idade Média. Os Pelo contrário, algumas partes crescem,resultados desta crença são fenômenos mas para isso elas usam os recursoseconômicos trágicos, resultantes do liberados pelas partes que morrem.materialismo e ganância dos atores. O crescimento econômico deve serOutro grande problema do capitalismo qualitativo, isto é, equilibrado,atual é a exclusão dos custos com o uso da ecologicamente correto e socialmentenatureza dos cálculos de desempenho do justo. Como na natureza, a economia temsistema econômico, isto é, as atuais partes que crescem e outras que morrem.medidas de riqueza não consideram nem O crescimento qualitativo implicaria nao desgaste nem os impactos ambientais substituição de partes ineficientes eprovocados pelo sistema econômico. defeituosas do sistema econômico porDeste modo, o consumo cada vez maior é outras mais alinhadas com oestimulado e a baixa eficiência no uso dos Desenvolvimento Sustentável.recursos naturais, bem como geração de Interessante notar como esta visão deresíduos não se apresentam como Capra é próxima da ideia de “Destruiçãoproblemas. Criadora”3 desenvolvida por Schumpeter no livro Teoria do DesenvolvimentoEstas questões são tratadas por 18 Econômico.vencedores do Blue Planet Prize2, prêmiopara destaques no desenvolvimento de 3 Segundo autor, o surgimento de inovações faz com que empresas e tecnologias estabilizadas se tornem obsoletas e sejam retiradas do mercado.2 http://www.af- Com o domínio de novas tecnologias e empresas oinfo.or.jp/en/blueplanet/about.html Mercado fica mais eficiente e a economia cresce. |5|
  6. 6. A avaliação de um crescimento O segredo para crescimento de altaeconômico qualitativo demandará a qualidade demanda reconhecer bom esubstituição da atual métrica de medidas mal crescimento, estimulando o primeiro.das riquezas: o Produto Interno Bruto. OPIB não distingue riqueza gerada por bense serviços úteis, necessários e benéficos Com relação ao Brasil, Capra destaca quedaquela gerada com a correção de o país possui profissionais ecologicamenteeventos negativos como acidentes, conscientes e capazes de assumirdoenças e devastação ambiental ou ainda liderança no desenvolvimento sustentável.da gerada com bens e serviços supérfluos, Ele observa que o país tem muitoscriados para atender necessidades problemas, mas vem avançando emilusórias, promovidas artificialmente por muitas frentes.publicidade. Para o professor, uma abordagemA nova métrica deve distinguir o sistêmica pode permitir ao Brasil secrescimento real daquele que é apenas desenvolver de modo sustentável,baseado em desperdício. Ele deve avaliar estimulando seus profissionais ecomo o sistema econômico está apoiando instituições que promovem oa sustentação da vida. São necessários crescimento de alta qualidade e inibindonovos indicadores capazes de medir além aqueles que fomentam a “Economia doda riqueza, a igualdade, a educação, a Desperdício”.proteção do ecossistema etc.Considerações finaisTanto Motomura quanto Capra destacam a importância do pensamento sistêmico e opotencial existente no Brasil para se tornar uma potência num mundo desafiado a ser maissustentável. Entretanto, para que isso se concretize é necessária uma transformação nomodo de pensar de todos os cidadãos, com destaque para os líderes.É de um modo de pensar e agir mais preocupado com o equilíbrio entre ambiente, economiae bem estar social, com respeito às gerações futuras, que surgirá o movimento capaz detransformar este potencial e realidade e efetivamente tornar o Brasil a potência – nãoapenas econômica – que todos desejamos.Ficha TécnicaTÍTULO: “Encontro de Sustentabilidade com Fritjof Capra”AUTOR: Rafael TelloSUPEVISÃO: Lucas Amaral LaurianoFDC – Núcleo Petrobras de Sustentabilidade – CDSCBelo Horizonte – Mês 20126 Páginas |6|

×