Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
DESTINAÇÃO AMBIENTALMENTE CORRETA DE RESÍDUOS DAS INDÚSTRIAS
DE ABATE BOVINO E COURO1.
NAGEL, Cornelia Cristina*; COSTA, A...
preservação e conservação dos componentes do meio ambiente que deve se materializar pela
realização de atividades que apre...
Embora a preocupação com a reciclagem de resíduos não seja um fator novo, a
descrição da eficiência dos processos utilizad...
flotodecantadores de quatro células, onde ocorre a retirada do sobrenadante gorduroso,
encaminhado para a indústria de adu...
(agregado), devido a inconstância do fornecimento de resíduos. Por exemplo, em dias de
pouco abate, o curtume funciona em ...
CONCLUSÃO
O sistema vem sendo eficiente, pois está possibilitando o fornecimento de um novo
produto para a região a um cus...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Destinação+ambientalmente+correta+de+resíduos+das+indústrias+de+abate+bovino+e+couro

1,040 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Destinação+ambientalmente+correta+de+resíduos+das+indústrias+de+abate+bovino+e+couro

  1. 1. DESTINAÇÃO AMBIENTALMENTE CORRETA DE RESÍDUOS DAS INDÚSTRIAS DE ABATE BOVINO E COURO1. NAGEL, Cornelia Cristina*; COSTA, Antônio Carlos S. da**; PADRE, Joseni das Graças* *Mestrandas do curso de pós-graduação em Agronomia da Universidade Estadual de Maringá ** Prof. Dept.Agronomia, DAG/UEM Universidade Estadual de Maringá RESUMO: Este trabalho relata um estudo de caso que aborda a utilização de resíduos das indústrias de abate bovino e couro para fabricação de adubo orgânico. O objetivo deste estudo foi analisar o sistema implantado, descrevê-lo, procurando apresentar propostas para melhorálo. Verificando também a viabilidade econômica. Podendo desta forma estar divulgando uma iniciativa que pode incentivar outros empresários a investir em ações deste tipo para auxiliar na conservação do meio ambiente. Foi feita coleta de dados in loco, e as informações complementares foram fornecidas pelos técnicos da empresa. Posteriormente se fez a revisão bibliográfica para obter um comparativo de tecnologia aplicada no caso e tecnologias disponíveis. Analisando toda a estrutura implantada, observou-se que a construção visa otimizar todo o sistema, reutilizando tudo o que é possível, desde a reciclagem de embalagens até os resíduos industriais. O que pôde ser observado em visitas somente para avaliar o sistema in loco e tendo como fonte de informação os técnicos que trabalham na empresa, pareceu estar em conformidade com o que a legislação exige. Dos dados levantados e pelas observações realizadas é possível que a empresa possa adquirir uma certificação ISO 14001. Quanto a viabilidade econômica a empresa, mesmo não apresentando dados numéricos afirma ser mais viável produzir o adubo orgânico a partir dos resíduos industriais do que destinar de outra forma esses mesmos resíduos. PALAVRAS-CHAVE: adubo orgânico; resíduos industriais; frigoríficos. INTRODUÇÃO A conscientização dos efeitos nocivos provocados pela liberação de resíduos no meio ambiente está associada à implantação de leis ambientais mais severas e tornou o gerenciamento ambiental uma questão fundamental para frigoríficos, curtumes e outras indústrias. Além disso, o mercado exige das empresas uma atuação transparente e concreta na 1 Área temática da extensão: Meio Ambiente Área do conhecimento do CNPq: Ciências Agrárias
  2. 2. preservação e conservação dos componentes do meio ambiente que deve se materializar pela realização de atividades que apresentem um menor impacto ambiental. Com o aumento das populações e o desenvolvimento industrial utiliza-se cada vez mais água, sendo este um recurso vital. No entanto, na maioria das vezes a água é devolvida aos cursos de rios bastante alterada. Desta forma há grande necessidade do manejo adequado dos recursos hídricos de forma a garantir água com qualidade e quantidade na medida desejada aos diversos fins, considerando ainda as suas disponibilidades e a capacidade dos mananciais de diluir e depurar resíduos líquidos (MOTA, 1997). Entende-se como poluição de um recurso hídrico como sendo qualquer alteração de suas características, de modo a torná-lo prejudicial às formas de vida que ele abriga ou dificulte ou impeça seu uso benéfico. Quando a poluição de um determinado recurso hídrico resulta em prejuízos à saúde do homem, diz-se que a água está contaminada (MOTA, 1995). Ainda segundo este autor os esgotos industriais estão entre as principais fontes de poluição da água. Um grande problema encontrado por empresas do ramo de abatedouro de bovinos é a grande quantidade de efluente gerado. Segundo ESPINOZA (1998), este tipo de indústria gera um efluente líquido por animal processado de 1,1 a 2,9 m3. Dessa forma é necessário que se tenha um sistema de tratamento de efluentes bastante eficiente. As impurezas de matadouros e frigoríficos são quase inteiramente orgânicas, altamente putrescíveis, entram em estado séptico rapidamente. Segundo BRAILE (1971), o melhor meio de tratar efluentes de frigoríficos seria juntá-los com o esgoto doméstico, devido a sua semelhança, mas em áreas que esta prática não é possível, as indústrias deverão ter suas próprias estações de tratamento. O mesmo autor coloca que a escolha mais econômica consiste no uso combinado de uma lagoa anaeróbia ligada em série a uma lagoa aeróbia. Outra seqüência de lagoas bastante indicada para frigorífico, de acordo com VON SPERLING (1996), é o sistema de lagoas anaeróbias seguidas por lagoas facultativas, também denominadas de sistema australiano. As águas residuárias de curtumes são altamente poluídas. Além de substâncias putrescíveis, contêm ainda sais tóxicos, álcalis e compostos de enxofre (IMHOFF, 1985). Segundo MATEUS (2001), os resíduos sólidos possuem características orgânicas, e a presença de cromo e sulfeto são fatos que limitam a sua utilização Outro componente com alta taxa de poluição é o sulfeto de sódio e cal utilizado para desprender pêlos e outras partículas fibrosas da pele.
  3. 3. Embora a preocupação com a reciclagem de resíduos não seja um fator novo, a descrição da eficiência dos processos utilizados bem como a indicação de nova tecnologias são de interesse não só do proprietário mas também dos órgãos governamentais envolvidos com o meio ambiente, bem como de outras indústrias. METODOLOGIA O estudo foi realizado no período de outubro de 2002 a janeiro de 2003, na região de Nova Andradina – MS, onde a maior parte das propriedades dessa região tem como principal atividade econômica a pecuária de corte, sendo considerados um dos maiores rebanhos do Estado de Mato Grosso do Sul, determinando que haja grande interesse na instalação de indústrias do setor pecuário. O objeto de estudo foi um frigorífico e um curtume, que utilizam seus resíduos para produção de adubo orgânico. Foi feita coleta de dados in loco e as informações complementares foram fornecidas por técnicos da empresa. Tratamento dos resíduos do frigorífico O estabelecimento analisado é considerado de grande porte, pois sua capacidade de abate é de 1200 cabeças/dia. Os resíduos do frigorífico são diluídos e divididos em tubulações contendo sangue, chamada de linha vermelha e outra linha para onde são encaminhados os conteúdos estomacais, tripas e pança, chamada linha verde e caixas de decantação (linha verde), onde é mais uma vez retirado o sobrenadante, que da linha vermelha vai para a graxaria. Essas duas linhas vão para uma área anterior as lagoas, para as chamadas caixas de gordura (linha vermelha), e da linha verde vai para a indústria de adubo orgânico. O que sobra dessas duas linhas é o resíduo líquido que depois das caixas é encaminhado para duas lagoas anaeróbias. Nessas lagoas é retirado o lodo acumulado na superfície, destinado à graxaria. Tratamento dos Efluentes do Curtume A unidade processa hoje, em média 2800 peles por dia. O sistema é dividido em duas partes, linha amarela (sem cromo) e linha azul (com cromo). Os efluentes de ambas as linhas (amarela e azul) ao chegarem à estação de tratamento, passam por peneiras rotativas, separadamente. Em seguida, o efluente da linha amarela é encaminhado para dois
  4. 4. flotodecantadores de quatro células, onde ocorre a retirada do sobrenadante gorduroso, encaminhado para a indústria de adubo, e o líquido, para um dos tanques homogeneizadores. O efluente da linha azul, após passar pelas peneiras rotativas, é encaminhado direto para um dos tanques homogeneizadores. O resíduo da linha azul , o sólido é encaminhado para um aterro sanitário da própria indústria e o líquido é tratado e encaminhado para um corpo receptor (Córrego Baile). Os resíduos na indústria de adubo orgânico O conteúdo do rúmen e sólidos da linha verde é encaminhado diariamente para a indústria de adubo, onde é colocado em baias para descansar até o dia seguinte. Após esse descanso esse material é colocado em um misturador, onde ainda é adicionado todo o resíduo orgânico da cozinha, pêlos e graxa do curtume, e disidratado do curtume. Esse material misturado é chamado de resíduo úmido. A seguir, esse resíduo vai para um misturador com rosca sem fim onde são adicionados diversos outros componentes que formam a pré-mistura seca como: carvão das caldeiras, fosfato natural, borra de farinha de carne e osso, pó de madeira, talco. Com a mistura pronta faz-se a borifa com um biocatalizador (acelerador do processo de compostagem). Esse produto é então encaminhado para as baias de maturação, onde fica em descanso por três dias, podendo ser utilizado na lavoura após esse período. Além dos macronutrientes, N, P e K do Quadro 1, este adubo orgânico também é composto por nutrientes como: enxofre, magnésio, boro, zinco e cobre, porém em quantidades bastante variáveis, em função do material disponível (resíduos). Para facilitar o armazenamento e a distribuição a campo, o material é moído para diminuir a umidade. Quadro 1- Composição do Adubo Orgânico produzido a partir de resíduos industriais. N 1,5 - 2,0 % P 2,0 - 3,0 % K 0,5 - 1,0 % C/N 18 - 20 M. O. 38 - 45% pH 6,8 - 7,0 Umidade +/- 20% Como comparativo de outros fertilizantes orgânicos quanto à composição de nutrientes temos no Quadro 2 abaixo: Quadro 2 – Composição do fertilizante orgânico AJIFER em KIEHL, 1985. N 2,0 – 2,5 % P 0,1 – 0,3 % K 1,0 – 1,5 % Ca 3 kg/ton M.O. 20% pH 6,0 – 6,2 Pode-se observar que o adubo orgânico produzido nesta empresa é compatível com outras formulações comerciais de adubo orgânico. No momento o adubo orgânico produzido pelo grupo independência a partir de resíduos está sendo comercializado a granel pelo valor de R$60,00/ton (sessenta reais a tonelada). Esta empresa ainda não fez um levantamento sobre o real custo da produção desse adubo orgânico, embutindo seus benefícios ambientais
  5. 5. (agregado), devido a inconstância do fornecimento de resíduos. Por exemplo, em dias de pouco abate, o curtume funciona em ritmo mais lento, fornecendo assim pouco resíduo. O próximo passo do grupo é adquirir a certificação orgânica do produto, sendo que a mesma já foi protocolada junto ao IBD (Instituto Bio-Dinâmico). DISCUSSÃO Analisando toda a estrutura implantada, o empresário teve o cuidado de construí-la visando otimizar todo o sistema, reutilizando tudo o que é possível, desde a reciclagem de embalagens até os resíduos industriais. O que pode ser observado em visitas somente para avaliar o sistema in loco, e tendo como fonte de informação os técnicos que trabalham na empresa, é que este parece estar em conformidade com o que a legislação exige. Para se ter conhecimento mais detalhado seria necessário acompanhar o processo durante um período mais longo, pois assim poderia se detectar melhor as falhas que ocorrem no dia a dia e que não foram possíveis ser observadas nas visitas rápidas realizadas. Dos dados levantados e pelas observações realizadas é possível que a empresa possa adquirir uma certificação ISO 14001, por exemplo, pois a iniciativa já existe. Um problema que vem incomodando os moradores da cidade que fica a 3 Km dessas indústrias é o odor desagradável e a proliferação de moscas. Ações mais simples no sentido de minimizar esses problemas já foram feitas, como o plantio de espécies florestais de crescimento rápido, como o eucalipto, para servir como barreira de ar. Além disso, foi feita a colocação de iscas para captura de moscas, mas aparentemente não é suficiente. Uma alternativa existente para a minimização destes problemas seria a degradação da camada de gordura que é de difícil digestão orgânica, evitando os transtornos causados por dragagens e disposição do material retirado. A empresa Brasworld oferece um produto Industrial Digester que se propõe a reduzir a quantidade de lodo gerado em sistemas de lodos ativados, removendo e prevenindo camadas superficiais em lagoas, aumenta a capacidade de carga do sistema de tratamento, previne e elimina entupimentos em equipamentos e tubulações, controla emissão de odores desagradáveis, reduz a população de microrganismos patogênicos, não cria sub-produtos que não existam no sistema de tratamento de efluentes. Outra opção interessante foi pesquisada por FERREIRA et al. (1998), em que foi testado a utilização do conteúdo ruminal para alimentação de novilhos em crescimento. O aumento do conteúdo ruminal nas rações proporcionou melhores ganhos de peso mostrando um melhor aproveitamento das rações devido à proteína microbiana presente neste material.
  6. 6. CONCLUSÃO O sistema vem sendo eficiente, pois está possibilitando o fornecimento de um novo produto para a região a um custo relativamente baixo, sendo o adubo orgânico um fertilizante bastante importante para solos de cerrado, como os dessa região que são bastante pobres em matéria orgânica, se tornando mais uma opção para os produtores rurais da região. Não se pode concluir a viabilidade econômica através de dados concretos, pois o sistema está implantado a um ano e ainda não foi possível levantar esses dados, sendo ainda um fator a ser pesquisado em outros trabalhos. Mas em um ponto os técnicos são unânimes, é mais viável transformar esses resíduos em adubo orgânico e ter um novo produto do que pagar para tratar ou dispor no solo esse resíduo, tendo assim que ocupar áreas bem maiores com aterros. BIBLIOGRAFIA BRAILE, P. M. Despejos Industriais. 1ª edição - Rio de Janeiro: Editora Livraria Freitas Bastos S.A. 1971. ESPINOZA, M. W. et al. Índices para o Cálculo Simplificado de Cargas Orgânicas e Inorgânicas Presentes em Efluentes Industriais. In: XXVII Congresso Interamericano de Engenharia Sanitária e Ambiental, 1998, Porto Alegre. AIDIS/ABES. FERREIRA, M. M. et al. Avaliação do Conteúdo Ruminal na Alimentação de Novilhos em Crescimento. II Desempenho. In: Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia, 35., 1998, Botucatu. Anais da XXXV Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia, 1998. p.488 – 489. IMHOFF, K.; IMHOFF, K. Manual de Tratamento de águas Residuárias. 26ª edição. São Paulo: Editora Egard Blücher Ltda, 1985. 301 p. KIEL, E. J. Fertilizantes Orgânicos. Piracicaba: Editora Agronômica Ceres Ltda, 1985. 492p. MATEUS, L. A. N. et al. Aspectos Ambientais do Setor de Curtumes. Revista Ação Ambiental, Viçosa, Ano III, n. 16, p. 18 – 20, 2001. MOTA, S. Introdução a Engenharia Ambiental. Rio de Janeiro: ABES, 1997 280p. MOTA, S. Preservação e Conservação de Recursos Hídricos. 2ª edição – Rio de Janeiro: ABES, 1995 200p. VON SPERLING, M. Lagoas de estabilização In: Princípios do tratamento biológico de águas residuárias; v.3. 1ª edição – Belo Horizonte; Editora SEGRAC. 1996, 134 p.

×