Teoria do fogo

5,312 views

Published on

Published in: Education
1 Comment
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
5,312
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
66
Comments
1
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Teoria do fogo

  1. 1. Curso Técnico em Segurança do Trabalho Docente: Edja de Souza Lima Disciplina: Sinistro I TEORIA DO FOGOEmergência é o processo de formação de modelos simultaneamente, sobre todo o espaço confinante.complexos a partir de regras simples. Este pode ser Usamos como combustível a gasolina,o álcool ou oum processo dinâmico (ocorrendo através do diesel. Combustão é o processo de obtenção detempo). energia. Atentar ao fato desse tipo gerar a onda piroclástica.Combustão O fogo é uma mistura de gases a altas temperaturas,Combustão ou queima é uma reação química formada em reação exotérmica de oxidação, queexotérmica entre uma substância (o combustível) e emite radiação eletromagnética nas faixas doum gás (o comburente), geralmente o oxigênio, para infravermelho e do visível. Desse modo, o fogo podeliberar calor. Em uma combustão completa, um ser entendido como uma entidade gasosa emissoracombustível reage com um comburente, e como de radiação e decorrente da combustão.resultado se obtém compostos resultantes da uniãode ambos, além de energia, sendo que alguns desses O INCÊNDIO, que se trata da propagação rápida ecompostos são os principais agentes causadores do violenta do FOGO, não é controlável. E em muitosefeito estufa. casos provoca danos materiais e à vida.Tipos de combustão O QUE É NECESSÁRIO PARA QUE HAJA FOGO?• Lenta – quando se produz a uma temperatura A UNIÃO DE TRÊS ELEMENTOS BÁSICOSsuficientemente baixa, isto é, inferior a 500 °C, não OU QUATRO?havendo, regra geral, emissão de luz. A oxidação deum metal (ferro, cobre, zinco, etc.) em contacto como ar úmido é um exemplo deste tipo de combustão.A combustão lenta é uma forma de queima queacontece a baixas temperaturas. A respiração celulare formação de ferrugem são exemplos decombustões lentas.• Viva – é aquela em que se produz luz e,vulgarmente, designa-se por fogo. Neste caso, devidoà mistura dos gases inflamados com o ar forma-se achama. No caso dos sólidos, cuja combustão decorre Hoje de formaà superfície, verifica-se a incandescência a partir da moderna se estuda o quarto elemento do fogo que ésua ignição e também através da formação de brasas. a reação em cadeia.Estas surgem quando o combustível já não libertagases suficientes para provocar chama. A combustão PROPAGAÇÃO DO CALORdo carvão ilustra estes aspectos. -Condução: é o tipo de transmissão de calor que transmite a temperatura molécula à molécula.• Deflagração – combustão muito rápida cuja ex: uma colher na água ferventepropagação se dá a uma velocidade inferior à do som -Convecção: É a transferência de calor pelono ar (340 m/s). movimento ascendente de massas de gases ou de líquidos dentro de si próprios.• Explosão – combustão resultado da mistura de O ar aquecido se expande e tende a subir para asgases ou partículas finamente divididas com o ar partes mais altas do ambiente, enquanto o ar frionuma percentagem bem determinada – mistura toma lugar nos níveis mais baixos.explosiva ou detonante – propagando-se a uma -Irradiação: É a transmissão de calor por ondas develocidade superior a 340 m/s. Neste caso, a mistura energia calorífica que se deslocam através do espaço.tem de ocupar todo o espaço onde está contida e, no As ondas de calor propagam-se em todas as direções,momento da explosão, provoca uma elevação de e a intensidade com que os corpos são atingidostemperatura ou de pressão ou de ambas,
  2. 2. Curso Técnico em Segurança do Trabalho Docente: Edja de Souza Lima Disciplina: Sinistro I TEORIA DO FOGOaumenta ou diminui à medida que estão mais • Líquido combustível: todo aquele que possuapróximos ou mais afastados da fonte de calor. ponto de fulgor igual ou superior a 70 °C (setentaUm corpo mais aquecido emite ondas de energia graus centígrados) e inferior a 93,3 °C (noventa e trêscalorífica para um outro mais frio até que ambos graus e três décimos de graus centígrados).tenham a mesma temperatura. O líquido combustível acima classifica-se como líquido combustível Classe III • Líquido inflamável: todo aquele que possua ponto de fulgor inferior a 70 °C (setenta grausEntendimento centígrados) e pressão de vapor que não exceda 2,8Químico do fogo: kg/cm2 absoluta a 37,7 °C (trinta e sete graus e sete • Causa modificação do combustível décimos de graus centígrados). • Colabora para formação de gases antes não encontrados no ambiente. Ponto de combustão é a temperatura mínima • Produz um combustível que se espalha no ar necessária para que um combustível desprenda que é a fumaça. vapores ou gases combustíveis que, combinados com oxigênio do ar e em contato com uma chama ouFísico do fogo: centelha externa, se inflamam; e mantém-se queimando, mesmo com a retirada do agent ígneo, • O calor gerado é conduzido pela condução, face a quantidade de vapores liberados àquela irradiação e convecção para outros corpos de temperatura, bem como o aumento da temperatura temperatura mais baixa. provocada pela queima. • Causa o aumento de energia das moléculas. • Causa o dilatamento de gases e colabora para COMBUSTÍVEL sua expansão rápida. É toda a substância capaz de queimar e alimentar a • Impõe uma cinética ao meio, os vapores combustão. É o elemento que serve de campo de aquecidos sobem e os vapores com propagação ao fogo. temperaturas menores descem. CLASSE “A”Ponto de fulgor Queima na superfície e em profundidade ePonto de fulgor ou ponto de inflamação é a menor queima deixando resíduos ou cinzas.temperatura na qual um combustível liberta vaporem quantidade suficiente para formar uma mistura CLASSE “B”inflamável por uma fonte externa de calor. O ponto Queima somente na superfície e não queima emde fulgor não é suficiente para que a combustão seja profundidade.mantida.Por mistura inflamável, para a obtenção do ponto de CLASSE “C”fulgor, entenda-se a quantidade de gás ou vapor Material elétricos energizado, que esteja ligado amisturada com o ar atmosférico suficiente para energia corrente ou que acumule energia.iniciar uma inflamação em contacto com uma fontede calor (isto é, a queima abrupta do gás ou vapor), CLASSE “D”sem que haja a combustão do combustível emitente. Estes metais são encontrados em fábricas eOutro detalhe verificado é que, ao retirar-se a fonte industrias automobilística por exemplosde calor, acaba a inflamação (queima) da mistura. raspa de zinco. limalha de magnésio, etc.Trata-se de um dado importante para classificaçãodos produtos combustíveis, em especial no que se OBS: Desde 1998, existe uma nova classe derefere à segurança, aos riscos de transporte, combustível tipo “K”, Associados a incêndio quearmazenagem e manuseamento. ocorrem em cozinhas industriais, por conta daAtravés do ponto de fulgor distinguem-se os líquidos presença de produtos que são autônomos em suacombustíveis e inflamáveis, de acordo com norma ignição (Acima de 363º C). Toda forma de cozinharregulamentadora: que utilize óleos de natureza animal ou vegetal, liquido ou sólido, contem gordura saturada. Quando
  3. 3. Curso Técnico em Segurança do Trabalho Docente: Edja de Souza Lima Disciplina: Sinistro I TEORIA DO FOGOum agente extintor de base alcalina (bicabornato de incêndio e explosão, com uma emissão intensasódio ou bicabornato de potássio pós BC e agente de calor radiante, em um intervalo de tempoúmido classe K) são aplicados à gorduras saturadas à muito pequeno. É uma explosão de gás ou vaporaltas temperaturas, ocorre uma reação chamada de em expansão proveniente de um líquido em ebulição. Pode ser definido como o mais grave“saponificação”. A reação forma uma espuma modo de falha de um recipiente: sua ruptura em‘ensaboada’ que abafa o fogo e contém os vapores dois ou mais pedaços, no momento em que oinflamáveis e os combustíveis quentes. Desenhado conteúdo líquido está acima do seu ponto depara combate aos mais difíceis fogos (CLASSE K) ebulição à pressão atmosférica normal,como: gorduras e banhas quentes, incêndios de óleos geralmente resultante de uma exposição dee gorduras de cozinhas e áreas de preparação de recipiente a um incêndio.alimentos em restaurantes, lojas de conveniências,praças de alimentação, cafeterias de escolas e O fenômeno pode ocorrer, por exemplo, em umhospitais, e outros. tanque no qual um gás liqüefeito é mantido abaixo de seu ponto de ebulição atmosférico. Caso ocorra um vazamento instantâneo de umEquipamentos típicos a serem protegidos pelo Classe vaso de pressão, por exemplo, devido a umaK fritadeiras, frigideiras, grelhas, assadeiras, etc... falha estrutural (o metal perde sua resistência), todo, ou a maior parte de seu conteúdo, éCilindro fabricado em aço inoxidável polido; expelido sob a forma de uma mistura turbulentaMangote de descarga de pequeno comprimento, para de gás e líquido, que se expande rapidamente,facilitar o manuseio em espaços pequenos e cozinhas dispersando-se no ar sob a forma de nuvem. Ade área reduzida; Bico de descarga montado em ignição dessa nuvem gera a “Bola de Fogo”, que pode causar danos materiais e queimaduras aângulo de 45º para facilitar a aplicação; Válvula em centenas de metros de distância, dependendo dalatão cromado, com cabo e gatilho em aço quantidade de gás liqüefeito envolvida.inoxidável; Proporciona melhor visibilidade duranteo combate; Minimiza o “espalhamento” do perigo;Limpeza e remoção mais fácil que os agentes tipo BOIL OVERPós Extintores; Agente de baixo PH, não ataca o açoinoxidável. Fenômeno que ocorre devido ao armazenamento de água no fundo de um recipiente, sob combustíveis inflamáveis, sendo que a água empurra o combustível quente para cima, durante um incêndio, espalhando- o e arremessando-o a grandes distâncias. Incêndios de progresso rápido (do inglês, rapid fire progress) são todos os incêndios que se desenvolvem de forma mais rápida que a esperada, a partir da ocorrência de fenômenos conhecidos, tais como uma ignição súbita generalizada (flashover), uma ignição explosiva (backdraft) ou outros eventos similares. Flashover O termo flashover foi introduzido pelo cientista britânico P.H. Thomas, nos anos 60, e foi usado paraCOMPORTAMENTOS ESPECIAIS DO FOGO descrever a teoria do crescimento de um fogo até o ponto onde se torna um incêndio totalmenteBLEVE - Boiling Liquid Expanding Vapor desenvolvido. Ainda que os cientistas eExplosion pesquisadores definam o termo flashover de diferentes formas, a maioria deles se baseia noBLEVE ou “Bola de Fogo” é uma combinação de conceito da temperatura resultante da ignição
  4. 4. Curso Técnico em Segurança do Trabalho Docente: Edja de Souza Lima Disciplina: Sinistro I TEORIA DO FOGOsimultânea dos materiais combustíveis de umdeterminado ambiente.A teoria do flashover diz que durante o crescimentodo incêndio, o calor da combustão poderá aquecergradualmente todos os materiais combustíveispresentes no ambiente e fazer com que elesalcancem, simultaneamente, seu ponto de ignição,produzindo a queima instantânea e concomitantedesses materiais (dita, ignição súbita generalizada ouinflamação generalizada). Isso acontece porque acamada de gases do incêndio (gases aquecidos) quese cria no teto da edificação durante a fase decrescimento do fogo irradia calor para os materiaiscombustíveis situados longe da origem do fogo (zona EXTINTORES DE INCÊNDIOSde pressão positiva). Esse calor irradiado produz apirólise dos materiais combustíveis do ambiente. Os São equipamentos portáteis de fácil manuseio,gases que se produzem durante este período se destinados a combater princípios de incêndio.aquecem até a temperatura de ignição e ocorre o Recebem o nome do agente extintor queflashover, ficando toda a área envolvida pelas transportam em seu interior (por exemplo:chamas. extintor de água, porque contém água em seu interior). Podem ser portáteis ou sobre rodas,BACKDRAFT conforme o tamanho e a operação. Os extintores portáteis também são conhecidos simplesmenteA diminuição da oferta de oxigênio (limitação da por extintores e os extintores sobre rodas, porventilação) poderá gerar o acúmulo de significativas carretas.proporções de gases inflamáveis, produtos parciaisda combustão e das partículas de carbono TIPOS DE EXTINTORES DE INCÊNDIOparticulado ainda não queimadas. Se estes gasesacumulados forem oxigenados por uma corrente dear proveniente de alguma abertura no EXTINTOR DE PÓ QUÍMICO SECOcompartimento produzirão uma deflagraçãorepentina. Esta explosão que se move através do O agente extintor pode ser o BICARBONATO DEambiente e para fora da abertura é denominada de SÓDIO ou de POTÁSSIO que recebem umignição explosiva, termo que em inglês é denominadade backdraft ou backdraught. tratamento para torná-los em absorvente de umidade.O agente propulsor pode ser o GÁSMÉTODOS DE EXTINÇÃO CARBÔNICO, NITROGÊNIO ou ar-Resfriamento: ao jogarmos água em um incêndio, estaremos resfriando, ou seja, pressurizado.. O agente extintor forma uma nuvem retirando o componente calor de pó sobre a chama que visa a paralisação da reação-Abafamento: ao abafarmos, impediremos que em cadeia do fogo.oxigênio entre na reação, estaremos retirandoo componente comburente (oxigênio)-Isolamento: ao separarmos o combustível da reação, Características:estaremos isolando, como por exemplo,se abrir uma trilha (aceiro) no mato Duração de 8 segundospara que o fogo não passe.desta forma estaremos tirando Pesa mais ou menos 5,5 kg (PQS de 4 Kg).o componente combustível Alcança 1 metro e meio
  5. 5. Curso Técnico em Segurança do Trabalho Docente: Edja de Souza Lima Disciplina: Sinistro I TEORIA DO FOGOEXTINTOR DE GÁS CARBÔNICO (CO2)O GÁS CARBÔNICO é material não condutor deENERGIA ELÉTRICA. O mesmo atua sobre oFOGO onde este elemento (eletricidade) estapresente. Ao ser acionado o extintor , o gás éliberado formando uma nuvem que ABAFA ERESFRIA. É empregado para extinguirPEQUENOS focos de fogo em líquidos inflamáveis INSPEÇÕES DOS EXTINTORES(classe B) e em pequenos equipamentos energizados Semanais: Verificar acesso, visibilidade e(classe C). sinalização. Mensais: Verificar se o bico ou a mangueira estão obstruídos. Observar a pressão do manômetro (seCaracterísticas: houver), o lacre e o pino de segurança. Semestrais: Verificar o peso do extintor de CO2 eDuração de 8 segundos do cilindro de gás comprimido, quando houver. Se o peso do extintor estiver abaixo de 90% doPesa mais ou menos 22 kg . especificado, recarregar. Anuais: Verificar se não há dano físico no extintor,Alcança meio metro. avaria no pino de segurança e no lacre. Recarregar o extintor. Qüinqüenais: Fazer o teste hidrostático, que é a prova a que se submete o extintor a cada 5 anos ouEXTINTOR DE ÁGUA PRESSURIZADA - toda vez que o aparelho sofrer acidentes, tais como: batidas, exposição a temperaturas altas, ataquesPRESSÃO PERMANENTE químicos ou corrosão.Não e provido de cilindro de gás propelente, vistoque a água permanece sob pressão dentro doaparelho. Para funcionar, necessita apenas daabertura do registro de passagem do líquido extintor.Características:Duração de 60 segundosPesa mais ou menos 12 kgs.Alcança 4 metros e meio

×