Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Fbv 02

448 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

Fbv 02

  1. 1. Comportamento doConsumidor Online eMarketing deRelacionamento VirtualAula #2: Digital comocatalizador de práticassociais
  2. 2. Buzz marketing?Ou boca-a-boca nainternet?
  3. 3. 1944PaulLazarsfeldTeoria dotwo-stepflow
  4. 4. Two-step flowAs idéias fluem dosmeios de comunicaçãopara os líderes deopinião, e deles para apopulação em geral.
  5. 5. Qual a diferença entre oboca-a-boca na internete o boca-a-bocatradicional?Como é formada aopinião na rede?
  6. 6. laços fortes Xlaços fracos
  7. 7. Laços Fortes
  8. 8. A força de um laço interpessoalé uma combinação de tempo,intensidade emocional,intimidade, confiança einterações positivas.Laços fortes reproduzem capitalsocial entre os indivíduos.
  9. 9. As comunidades virtuaissurgiram a partir do momentoem que os usuários das redesdigitais passaram a usá-laspara atingir objetivos comuns ecolaborar em projetos coletivos.
  10. 10. Desde a sua concepção, a idéiade comunidades virtuais traduztambém o surgimento deenvolvimentos emocionaisentre os usuários da rede e osgrupos aos quais fazem parte.
  11. 11. “Uma cultura participativa é umacultura com relativamente poucasbarreiras para a expressão artística eo engajamento cívico, forte apoio paraa criação e compartilhamento, ealgum tipo de orientação informal emque os participantes mais experientespassam adiante o seu conhecimento. - Henry Jenkins
  12. 12. Quais as motivaçõespara participar?
  13. 13. “The internet runsin love” - Clay Shirky
  14. 14. Shirky argumenta que a ação degrupos é mais do que apenasum conjunto de açõesindividuais.Ele identifica quatro passos:compartilhamento, conversaçãoe colaboração e ação coletiva.
  15. 15. 1. CompartilhamentoOs efeitos sociaissão agregados apóso fato social.
  16. 16. 2. ConversaçãoSincronização entreas pessoas,agregação paraaprender mais.
  17. 17. 1. ColaboraçãoAs pessoas se unemsob o propósito deum esforço emcomum.
  18. 18. 1. Ação ColetivaO destino do grupotorna-se importante.
  19. 19. Os consumidores buscam apoionas comunidades, e sentem-sebem em colaborar com outrosmembros da comunidade.Tendência a comprar a briga dosoutro, desejo de compartilharexperiências positivas ebeneficiar o grupo com boasrecomendações.
  20. 20. Conteúdo como cimento socialda comunidade - as marcaspodem oferecer pretextos para ainteração e o fortalecimento delaços.Comunidades de afeto sãofortalecidas com experiênciaspositivas compartilhadas.Inclusive experiências de marca.
  21. 21. Comunidades virtuais operam naconstrução coletiva de umarelação com a marca.Atitudes e opiniões sãoformadas a partir das interaçõesque a marca tem não apenascom indivíduos, mas com ogrupo como um todo.
  22. 22. Algumas marcas conseguemdesenvolver comunidades demarca.Mas para a imensa maioria dasempresas, interagir com umacomunidade existente é ocaminho mais acessível.
  23. 23. Fernando Fontanellaemail // prof.fontanella@gmail.comtwitter // @fontanellaslideshare// www.slideshare.net/fontanella

×