Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Fincor in de 24-07-2012

309 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Fincor in de 24-07-2012

  1. 1. Tiragem: 18101 Pág: 28 País: Portugal Cores: Cor Period.: Diária Área: 26,96 x 36,92 cm²ID: 42948375 24-07-2012 Âmbito: Economia, Negócios e. Corte: 1 de 2FINANÇAS SEU DINHEIRO FINANÇAS OÉpoca de resultadospromete ser dura paracotadas expostas a PortugalA ‘earnings season’ da bolsa portuguesa já começou e esta semana maisde metade das cotadas do PSI 20 vai ao exame dos mercados.Rui Barroso Com os encargos der pela positiva, ao passo querui.barroso@economico.pt sectores mais ligados ao consu- PSI 20 COM VIDA DIFÍCIL financeiros a mo e exclusivamente nacionaisA época de apresentação de re- pressionar e com as deverão ser mais afectados”, O índice de referência da bolsa portuguesa sofreu ontem novasultados da bolsa portuguesa já vendas no mercado antevê José Sarmento, ao Diá- derrocada e perde mais de 16%começou. E apesar de ter come- rio Económico. O analista des-çado com a surpresa positiva da doméstico a serem taca a Galp, a EDP e a PT pela desde o início do ano.Portucel, o período em que as afectadas pela crise positiva, dado o potencial de 6000empresas mostram as contas ao económica, os beneficiarem com as suas ope-mercado deverá revelar mais si- rações internacionais. Já o sec-nais de abrandamento. A pressão analistas terão em tor financeiro é aquele em que 5500dos problemas económicos que o conta evolução dos os investidores estão mais pes-País vive deverá ter efeitos mais custos para aferir o simistas (ver texto ao lado). Pornegativos nas cotadas expostas seu lado, António Seladas des-ao mercado doméstico, sendo desempenho das taca pela positiva o sector das 5000que as cotadas mais internacio- empresas. ‘utilities’. “Nas chamadas “Uti-nalizadas e que mais controla- lities” (telecomunicações e 4500ram os custos poderão surpreen- eléctricas) a resiliência eviden-der pela positiva. ciada nos últimos anos manter- “As tendências do primeiro se-á”, antecipa. 4000trimestre devem-se manter, Já a Jerónimo Martins é, para 02-01-2012 23-07-2012pressão ao nível das receitas José Sarmento, uma incógnita. Fonte: Bloombergprincipalmente nas empresas E apresenta um desafio comummais expostas a Portugal e em a várias cotadas nacionais.segmentos de negócio mais dis- Conseguir que os negócios in-cricionários, com quedas de re- ternacionais sirvam para com-ceitas que nalguns segmentos pensar o abrandamento da acti-podem atingir os 20%, talvez vidade em Portugal. “A maiorum pouco inferior, na medida incógnita poderá vir da Jeróni-em que a economia parece estar mo Martins onde os resultadosa querer estabilizar e porque a da Biedronka poderão não serbase de 2011 começa a ajudar”, suficientes para compensar areferiu o responsável pela aná- quebra de vendas e margens emlise de acções do Millennium IB, Portugal”, refere o analista.António Seladas, ao DiárioEconómico. Investidores estarão atentos Também o analista da Fincor, à evolução dos custosJosé Sarmento, reconhece que Com o cenário macroeconómi-“os resultados nacionais deverão co negro, o que afecta a capaci-apresentar forte pressão”. Ape- dade das empresas em conse-sar disso, realça que “dada a cor- guir receitas, os investidoresrecção verificada na bolsa portu- deverão estar atentos aos gastosguesa nos últimos anos, os pre- das empresas. “A evolução dosços dos títulos encontram-se custos é determinante, uma vezagora a valores bastante baixos que a componente de receitaspelo que o potencial de resulta- está muito condicionada pelodos poderem ser uma surpresa ambiente macro deprimido”,positiva é superior à negativa”. explica António Seladas. No entanto, com o foco dos Uma das despesas de que asinvestidores na intensificação da empresas terão dificuldade em re-crise de dívida soberana, passar duzir é com os custos dos juros deno teste dos resultados pode não empréstimos. “Os encargos fi-ser o suficiente para convencer nanceiros nas empresas não fi-os investidores a carimbarem a nanceiras deverão continuar a su-boa nota no mercado. bir, esta tendência manter-se-á durante os próximos trimestres”,Cotadas internacionalizadas são antevê António Seladas.as que mais podem surpreender Também José Sarmento apon-Desde que a crise se abateu sobre o ta a capacidade das empresasPaís, os analistas têm defendido O responsável pela cortarem custos e a evolução dosque as empresas portuguesas mais análise de acções custos de financiamento como do Millennium IB,atractivas são as que têm exposi- António Seladas, factores a ter em conta nesta épo- O BPI apresentação internacional. E, nesta época diz que “a ca de apresentação de resultados. resultados amanhãde apresentação de resultados, a evolução dos Além disso, considera que “a ca- após o fecho do custos será mercado. Ainda estatendência deverá manter-se. determinante” nas pacidade de exportação de em- semana será a vez do “Acreditamos que os sectores contas das presas e os respectivos resultados BCP, seguindo-se omais defensivos e os ligados a empresas. internacionais serão outro ponto BES na próxima segunda-feira.exportações poderão surpreen- determinante”. ■
  2. 2. Tiragem: 18101 Pág: 29 País: Portugal Cores: Cor Period.: Diária Área: 26,72 x 36,68 cm²ID: 42948375 24-07-2012 Âmbito: Economia, Negócios e. Corte: 2 de 2 10 Ao analisar os resultados das empresas há mais factores em ter em conta além do lucro líquido. Os dados das vendas e das receitas indicam NÚMERO DICA como a actividade da empresa está a evoluir, Número de cotadas do PSI 20 que apresenta enquanto a evolução dos custos reflecte se a resultados até ao final da semana. empresa se está a tornar mais eficiente. Bruno Barbosa ESTIMATIVAS SEGUNDO TRIMESTRE Angola voltará Estimativas para o lucro líquido das cotadas. Data Estimativa (em milhões de euros) Var. Homóloga a ser a jóia Sonaecom BPI Jerónimo Martins EDP Renováveis 24-Jul 25-Jul 25-Jul 25-Jul 14,4 27,1 90,6 30,8 -20% -19,96% 3,30% -23,64% da coroa do BPI EDP 26-Jul 225,6 -15,28% Soane Indústria 26-Jul n.d. n.d. Estimativas de três casas de in- Além da queda da margem BCP 27-Jul -536 vestimento apontam para resul- financeira em termos homólo- Zon Multimédia 27-Jul 9,65 4,84% tado de 27,1 milhões de euros. gos, os analistas temem a dete- Galp 27-Jul 123,4 29,50% rioração dos activos do banco. Brisa 27-Jul n.d. n.d. Rui Barroso “A actividade doméstica deverá BES 30-Jul 18,3 -80,76% rui.barroso@economico.pt continuar sob pressão, com REN 31-Jul 33,3 -1,77% margens esticadas e um aumen- Portugal Telecom 02-Ago 67,14 -31,56% to da deterioração da qualidade O BPI é o primeiro banco nacio- Sonae 23-Ago n.d. n.d. nal cotado a mostrar as contas dos activos”, referem os analis- Altri 29-Ago n.d. n.d. Semapa 30-Ago n.d. n.d. do segundo trimestre ao merca- tas do Espírito Santo IB, que es- Mota-Engil 31-Ago n.d. n.d. do. O banco liderado por Fer- peram que o banco constitua Fonte: Estimativas coligidas pela Bloomberg, à excepção da Sonaecom(Reuters) e dos bancos. nas nando Ulrich deverá apresentar provisões para crédito no valor entidades finandeiras,as estimativas foram calculadas pelo Diário Económico com base em relató- rios do Espírito Santo IB, Millennium IB e Caixa BI. amanhã um lucro em torno de de 35 milhões de euros. Tam- 27 milhões de euros, segundo a bém Rita Silva antecipa “fortes média das estimativas feitas pe- provisões para crédito reflectin- los analistas do Caixa BI, Espíri- do maiores níveis de desempre- to Santo IB e Millennium IB. No go e a actividade económica de- mesmo período do ano passado, primida”. o BPI apresentou um resultado Já a operação de recapitaliza- de 33,9 milhões de euros ção do banco permitirá ao BPI De referir, no entanto, que a ter rácios acima do exigido pelas estimativa do Millennium IB é autoridades, tanto europeias, de 14 milhões de euros. Já as ou- como portuguesas. O Caixa BI e tras duas entidades têm previ- o Espírito Santo IB esperam que sões similares, 34,4 milhões no o rácio ‘core tier 1’ se situe em caso do Caixa BI e 33 milhões de 14,4% e 14,6%, respectivamen- euros, segundo as contas do Es- te, segundo a definição do Ban- pírito Santo IB. co de Portugal. Já segundo o A ajudar os resultados do critério da Autoridade Bancária banco estará novamente Ango- Europeia, os analistas do Espíri- la. “A operação em Angola (com to Santo IB esperam um CT1 de um lucro líquido estimado de 9,4%, incluindo o efeito da in- 19,3 milhões de euros) deverá jecção estatal. continuar a ser o segmento mais Em resumo, “o ambiente dinâmico do grupo (ROE perto económico deverá manter a de 22,5%), referiram os analis- pressão para o sector nos próxi- tas do Caixa BI, André Rodri- mos trimestres devido à dete- gues e Inês Simões, numa nota rioração da qualidade dos acti- de antevisão dos resultados di- vos”, concluem os analistas do vulgada ontem. Também a Caixa BI. ■ equipa de analistas do Espírito Santo IB coloca a operação an- golana como a principal impul- ESTIMATIVAS BPI sionadora dos resultados. Previsões para o resultado A média das estimativas líquido e margem financeira aponta para que o banco tenha (valores em milhões de euros) conseguido uma margem finan- ceira de 129,4 milhões de euros, Lucro Margem menos 10,76% que no mesmo líquido financeira período do ano anterior. A justi- BES IB 33 128 ficar esta descida está o custo Millennium IB 14 131,2 com depósitos. Isto apesar dos Caixa BI 34,4 124,6 ganhos proporcionados pelas Média 27,13 127,93 cedências de liquidez do BCE a uma taxa de 1%. Num relatório do Millennium IB, a analista Rita Silva realçou que a margem financeira a nível doméstico deverá melhorar em relação ao trimestre anterior, “impulsionada pelo financia- mento do BCE, algum ‘carry trade’ através de compra de dí- vida soberana de curto prazo e da contínua reavaliação dos preços dos activos”. Segundo o Caixa BI, o BPI “conseguiu cer- ca de dois mil milhões de euros em cada LTRO [operação de re- financiamento de prazo alarga- do] e não deverá ter nenhum constrangimento de financia- mento este ano enquanto su- porta a sua margem financeira nos próximos trimestres”.

×