A clave dezembro 11

358 views

Published on

Jornal da Filarmónica Recreativa Cortense - A Clave. Edição de dezembro de 2011.

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
358
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A clave dezembro 11

  1. 1.  Jornal da Filarmónica Recreativa Cortense Ano IV ♫ número 45 ♫ dezembro 2011 ♫ 0,50 pautasEditorial Pág.2 PublicidadeReportagem Pág.6 Pág.7 Pág.3 Notícias F.R.C. AcompanheCorreio dos Leitores as notícias da “nossaPág.5 Banda”. Pág.8 “A Clave” Página 1 dezembro 2011
  2. 2. d ezembro. Mês onde se insere a Quadra Natalícia e com ela o Espirito Natalício, caraterizado pelos sentimentos do amor, paz, solidariedade, partilha... As ruas ficam mais alegres, as montras do comérciomais enfeitadas assim como as nossa casas, com bonitasárvores de natal, o respetivo presépio e... claro as prendas, quesão a delicia dos mais pequenos, e não só...É nesta época que há o reencontro das famílias na ceia de Natale em que muitos emigrantes regressam para umas mini férias epara visitar os seus familiares. É então uma quadra dereencontro, partilha e principalmente de paz e amor.O diretor d’ A Clave, bem como todos os seus colaboradores,deseja a todos os assinantes e leitores desta publicação umSanto e Feliz Natal e uma excelente entrada em 2012!Nesta publicação, e na Reportagem, aludimos e apresentamosa todos os leitores a história do Pai Natal, seus antecedentes,sua evolução e apresentamos também a lenda de S. Nicolau.Descontraia com os nossos Passatempos e remeta-nos asolução do Enigma do Mês.Nas Notícias da F.R.C., acompanhe as atividadesdesenvolvidas e a desenvolver que marcam a vida danossa/vossa banda.Boa leitura!Boas “saídas” e melhores “entradas” em 2012.Vemo-nos para o ano que vem!!! Ficha Técnica: Diretor: Alexandre Barata Redação: Alexandre Barata, Adriano Esteves Colaboradores: Samuel Barata, Carolina Pontífice, Mafalda Santos Impressão: Filarmónica Recreativa Cortense Tiragem: 75 exemplares Distribuição: Filarmónica Recreativa Cortense Apoios: IPJ – Instituto Português da Juventude; Fundação INATEL “A Clave” Página 2 dezembro 2011
  3. 3. A História do PAI NATALO Pai Natal é associado à ideia de um homem já com uma certa idade, gorducho,de faces rosadas, com uma grande barba branca, que veste um fato vermelho eque conduz um trenó puxado por renas que conseguemvoar mesmo não tendo asas. Segundo a lenda, na noitede Natal este simpático senhor visita todas as casas,desce pela chaminé e deixa presentes a todas ascrianças que se comportaram bem durante todo o ano.A personagem do Pai Natal baseia-se em S. Nicolau e aideia de um velhinho de barba branca num trenópuxado por renas (o mesmo transporte que é usado naEscandinávia) foi introduzida por Clement Clark More,um ministro episcopal, num poema intitulado de "Anaccount of a visit from Saint Nicolas" (tradução: Umrelato da visita de S. Nicolau) que começava deseguinte modo “The night before Christmas” (que emportuguês significa "Na noite antes do Natal"), em 1822. More escreveu este poemapara as suas filhas e hesitou em publicá-lo porque achou que dava uma imagemfrívola do Pai Natal. Contudo, uma senhora, Harriet Butler, teve acesso ao poemaatravés do filho de More e decidiu levá-lo ao editor do jornal Troy Sentinel, emNova Iorque, o qual publicou o poema no Natal do ano seguinte em 1823. A partirdaí, vários jornais e revistas publicaram o poema, mas sempre sem se mencionar oseu autor. Só em 1844, é que More reclamou a autoria do poema.O primeiro desenho que retratava a figura do Pai Natal tal como hoje o conhecemosfoi feito por Thomas Nast e foi publicado no semanário “Harper’s Weekly” no ano de1866. Assim, a criação da imagem atual do Pai Natal não é da autoria da Coca-Cola, como muitos pensam.AntecedentesAs raízes da história do Pai Natal remontam ao folclore europeue influenciaram as celebrações do Natal por todo o mundo.A figura do Pai Natal baseia-se em S. Nicolau, padroeiro daRússia, da Grécia, dos marinheiros e das crianças.A única coisa que se sabe com certeza sobre a vida de S.Nicolau é que este foi bispo de Mira na Lícia, que se situa nosudoeste da Ásia Menor, no século IV d.C.Antes de estar relacionado com as tradições e lendas de Natal,S. Nicolau era conhecido por salvar marinheiros dastempestades, defender crianças e por oferecer generosospresentes aos mais pobres.Pode-se duvidar da autenticidade de muitas das históriasrelacionadas com S. Nicolau, mas mesmo assim a lendaespalhou-se por toda a Europa e a sua figura ficou associada a um distribuidor depresentes. Os símbolos de S. Nicolau são três bolas de ouro. Diz a lenda que numaocasião ele salvou da prostituição três filhas de um homem pobre ao oferecer-lhes,em três ocasiões diferentes, um saco de ouro; uma outra lenda é que depois da suamorte salvou três oficiais da morte aparecendo-lhes, para isso, em sonhos.O dia de S. Nicolau era originalmente celebrado no dia 6 de Dezembro, sendo esteo dia em que se recebiam os presentes. Contudo, depois da reforma, osprotestantes germânicos decidiram dar especial atenção a ChristKindl, ou seja, aoMenino Jesus, transformando-o no “distribuidor” de presentes e transferindo aentrega de presentes para a Sua festa a 25 de Dezembro. Quando a tradição de S.Nicolau prevaleceu, esta ficou colocada no próprio dia de Natal. Assim, o dia 25 deDezembro passou a englobar o Natal e o dia de S. Nicolau. Contudo, em 1969, “A Clave” Página 3 dezembro 2011
  4. 4. devido à vida do santo estar escassamente documentada, o Papa Paulo VI ordenouque a festa de S. Nicolau fosse retirada do Calendário Oficial Católico Romano.Mesmo assim, todos os anos, na época de Natal, em muitas partes do mundo,anúncios, cartões de boas festas, decorações sazonais e a presença de pessoasvestidas de Pai Natal documentam a moderna lenda do Santa Claus (contração deSantus Nicholaus). Crianças de todo o Mundo escrevem cartas ao Pai Natal, nasquais dizem quais são os seus desejos, e, na noite de Natal, algumas deixam-lhecomida e bebida para uma rápida merenda.A lenda de S. NicolauComo já foi dito anteriormente pode duvidar-se da autenticidade de algumas dashistórias relacionadas com S. Nicolau.Ele viveu em Mira na Lícia, no sudoeste da Ásia Menor (onde hoje se situa aTurquia). Filho de Epifânio e Joana, devotos cristãos, que lhe deram o nome deNicolau que significa “pessoa virtuosa”, este nasceu em 350 d.C., em Patara, umacidade com um porto movimentado.Nicolau pertencia a uma família abastada e, segundo a lenda, cedo deu sinais dasua bondade. Uma das histórias mais conhecidas sobre a sua generosidade relataque, ao saber que na sua cidade um homem bastante pobre estava decidido aencaminhar as suas três filhas para a prostituição, já que não tinha dinheiro paralhes dar um dote, Nicolau decidiu deixar às escondidas um saco cheio de ouro paraa filha mais velha, já que esta estava em idade de casar e logo era a quenecessitava mais do dote. Nicolau repetiu o ato por mais duas vezes, ou seja,sempre que uma das filhas atingia a idade para casar. Segundo a mesma lenda,Nicolau colocava o saco dentro da casa pela chaminé, onde secavam algumasmeias (daí o hábito das crianças, em alguns países, deixarem meias na chaminé àespera dos presentes).Os pais de Nicolau morreram cedo. Então, porrecomendação de um tio, que o aconselhou a ir visitar aTerra Santa, Nicolau decidiu viajar até à Palestina edepois ao Egipto. Durante a viagem, houve umatempestade, que segundo a lenda, acalmoumilagrosamente, quando Nicolau começou a rezar comtoda a sua Fé. Foi este episódio que o transformou nopadroeiro dos marinheiros e pescadores.Quando voltou da sua viagem, decidiu que não queriaviver mais em Patara e mudou-se para Mira, onde viveuna pobreza, já que tinha doado toda a sua herança aosmais pobres e desfavorecidos.Quando anos mais tarde o bispo de Mira morreu, os anciões da cidade nãoconseguiam decidir quem seria o seu sucessor, já não sabendo o que fazer osanciãos decidiram pôr o problema nas mãos de Deus. Segundo a lenda, nessamesma noite o ancião mais velho sonhou com Deus, e Este dizia-lhe que o primeirohomem a entrar na igreja no dia seguinte seria o novo bispo de Mira. Como Nicolautinha já o hábito de se levantar cedo para ir rezar à igreja, foi o primeiro homem aentrar nela e logo foi indicado bispo.S. Nicolau morreu a 6 de Dezembro de 342. Em meados do século VI, o santuárioonde este foi sepultado transformou-se numa nascente de água. Em 1087, os seusrestos mortais foram transferidos para a cidade de Bari, na Itália., que se tornounum centro de peregrinação em sua homenagem. Milhares de milagres foramcreditados como cedo sua obra, atualmente S. Nicolau é um dos Santos maispopulares entre os cristãos e milhares de igrejas por toda a Europa receberam oseu nome (só em Roma existem 60 igrejas com o seu nome, na Inglaterra são maisde 400). “A Clave” Página 4 dezembro 2011
  5. 5. Este pequeno jornal é elaborado todos os meses no intuito da “abertura” da FRC àcomunidade envolvente. Gostaríamos de saber a Vossa opinião sobre este aspeto esobre os temas e rubricas apresentados, se são do Vosso agrado ou se gostavam quefossem focados outros temas. Enviem-nos as Vossas sugestões, opiniões, notícias epropostas para temas que desejem ver abordados por este jornal, façam-no para ocorreio eletrónico filarmonicacortense@iol.pt ou entreguem, a qualquer elemento daFilarmónica Recreativa Cortense. Este espaço é de, e para todos os leitores. Participem nele! Enigma do mês de dezembro Moedas “A Clave” Página 5 dezembro 2011
  6. 6. PUBLICIDADE Este espaço pode ser Assine “A Clave” seu. Assinatura anual de 6,00 pautas para a Publicite o seu negócio e apoie distribuição em mão ou via e-mail, no envio por correio acresce o valor dos assim a F.R. Cortense. portes de envio. Contacte-nos. Divulgue este jornal pelo seu círculo de amigos e familiares. A FRC agradece. “A Clave” Página 6 dezembro 2011
  7. 7. PARA RIR - Anedotas de NatalEra época de Natal e o juiz sentia-se benevolente ao interrogar o réu.- De que éacusado?- De fazer as compras de Natal antes do tempo.- Mas isso não é crimenenhum!!!! Com que antecedência as estava a fazer?- Antes de a loja abrir.Véspera do natal e o irmãozinho conversa com a irmãzinha: - Eu pedi uma bicicleta etu? O que é que tu pediste ao pai Natal? - Pergunta o menino. - Pedi um ob. - Ob? Oque é isso? – Não sei, só sei que com ele eu vou andar de esqui, passear de lancha,nadar, jogar ténis...Um político sério, um advogado generoso e o Pai Natal estavam a andar pela ruaquando viram uma nota de 100€.Qual dos três a apanhou? Claro que foi o Pai Natal, porque os outros dois não existem!Estavam uns garotos a brincar no pátio da igreja por alturas do Natal. Até que um delessem querer esbarra num dos bonecos do presépio e parte-o. Passado um bocadochega o padre:- Quem é que partiu o pastor? Todos ficam muito calados até que depoisde muita insistência o culpado se acusa.- Então tens de pagar o estrago.- Eu não tenhodinheiro senhor padre.- Então paga o teu pai.- Eu não tenho pai.- Paga a tua mãe!-Também não tenho mãe...- Então não tens ninguém? És sozinho no mundo?- Não! Eutenho uma irmã mais velha.- Pronto paga ela.- Ela também não pode pagar, não temdinheiro. É freira.- Não se diz freira; diz-se esposa de Cristo.- Ah, então o meu cunhadoque pague!...Debaixo de uma árvore de natal iluminada, diz um cão ao outro:- Finalmente, o nosso WC tem luz!"“A Clave” Página 7 dezembro 2011
  8. 8. Escola de Música FRC 2011/2012 Continuam a decorrer as aulas teóricas e de iniciação musical da temporada 2011/2012 da Escola de Música FRC que têm a sua realização aos domingos e ministradas por elementos musicais da FRC. Desejamos a todos os alunos um Bom Natal e Feliz Ano Novo (de preferência com muito aproveitamento musical). Janeiras A FRC, tal com tem vindo a ser hábito, visitará todos os lares da freguesia com o tradicional canto das “Janeiras”, na semana entre o Natal e o Ano Novo. Este ano vai procurar (caso as condições atmosféricas o permitam) chegar mesmo a todas as anexas da freguesia, inclusive às Penhas da Saúde. A FRC agradece todo o Vosso acolhimento e interesse que têm vindo a mostrar em a receber. Campanha “Uma Prenda Um Sorriso” A FRC tem em marcha a 3ª edição da campanha solidária “Uma Prenda, Um Sorriso”, campanha esta que visa a angariação de vestuário, livros e brinquedos, em razoável estado de conservação, que irão ser entregues a instituições de solidariedadee apoio social da região.Os contributos poderão ser entregues, até dia 20 dedezembro, a qualquer elemento da banda ou entregues na nova sede social da FRCàs sextas feiras a partir das 21:00h. “A Clave” Página 8 dezembro 2011

×