Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Avaliação escolar

1,235 views

Published on

uma breve abordagem sobre a avaliação da aprendizagem

Published in: Education
  • Be the first to comment

Avaliação escolar

  1. 1. Avaliação Escolar
  2. 2. • A avaliação da aprendizagem de modo geral, é entendida pela maioria dos alunos e por muitos professores, como aplicações de provas e exames. • Embora seja um processo burocrático necessário que precisa ser traduzido em notas, conceitos ou menções, seu emprego acaba tornando-se motivo de tormento para os estudantes.
  3. 3. • É preciso entender o real sentido da avaliação, fazendo com que esta não se transforme em uma máquina classificatória excludente.
  4. 4. O processo de Avaliação • A maneira em que a educação abrange a avaliação nos dias de hoje, vem de um processo iniciado na década de 1940 graças à atuação de Ralph W. Tyler,
  5. 5. avaliação • Consiste essencialmente em determinar se os objetivos educacionais estão sendo realmente alcançados pelo programa do currículo e do ensino como os objetivos visados constituem em produzir certas modificações desejáveis nos padrões de comportamento do estudante, avaliação é o processo mediante o qual determina-se o grau em que essas mudanças de comportamento estão realmente ocorrendo” (Tyler, 1975:99).
  6. 6. A Avaliação Segundo a LDB • V - a verificação do rendimento escolar observará os seguintes critérios: a) avaliação contínua e cumulativa do desempenho do aluno, com prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos e dos resultados ao longo do período sobre os de eventuais provas finais;
  7. 7. • b) possibilidade de aceleração de estudos para alunos com atraso escolar; • c) possibilidade de avanço nos cursos e nas séries mediante verificação do • aprendizado; • d) aproveitamento de estudos concluídos com êxito;
  8. 8. • e) “obrigatoriedade de estudos de recuperação, de preferência paralelos ao período letivo, para os casos de baixo rendimento escolar, a serem disciplinados pelas instituições de ensino em seus regimentos;”
  9. 9. • O professor deve valorizar o processo de formação a fim de adequá-lo melhor, não acrescentando na prova final somente a nota daquela avaliação,
  10. 10. • Na avaliação escolar, não se avalia um objeto concreto observável e sim um processo humano contínuo. • para impedir que a avaliação de um momento seja generalizada para todo o processo, deve-se proceder a uma avaliação continua que capte o desenvolvimento do educando em todos os seus aspectos.
  11. 11. Avaliação como Perspectiva • A maneira correta de avaliar está diretamente ligada aos objetivos da proposta escolar, • grande maioria das práticas avaliativas possui elementos controladores e excludentes,
  12. 12. • a avaliação não pode limitar-se aos conhecimentos transmitidos pelo docente e adquiridos pelo aluno, mas sim, a implementação da soma das experiências do meio escolar com o meio sócio cultural trazido pelo aluno, tendo com resultado deste processo a • contínua expansão do saber.
  13. 13. Limites e Possibilidades • A avaliação escolar. • Seu principal objetivo é o aperfeiçoamento do ensino. • Torna-se um instrumento eficaz e valioso quando utilizado com o propósito de analisar e compreender o processo de aprendizagem.
  14. 14. • A avaliação tem sido utilizada muitas vezes de forma errônea, reducionista, como se pudesse limitar-se a um instrumento de coleta de informações. É comum ouvir-se “vou fazer uma avaliação”, quando se vai aplicar uma prova ou um teste.
  15. 15. • Avaliar exige, antes que se defina aonde se quer chegar, que se estabeleçam os critérios, para, em seguida, escolherem-se os procedimentos. • Definir por meio de nota ou conceito as dificuldades e facilidades do aluno é apenas um recurso simplificado que identifica a posição do aluno em uma escala.
  16. 16. • Para que a avaliação não se torne ineficaz ou excludente, é preciso não apenas aplicar provas que priorize um tipo específico de habilidade, mas sim se tenha um entendimento de o que está sendo avaliado, qual o verdadeiro propósito desta avaliação.
  17. 17. • avaliação do nível de aprendizagem do aluno não pode ser tomada como • verdade absoluta, portanto ela pode ser questionada.
  18. 18. Reações e Efeitos • Quando usada somente a avaliação como instrumento de aprovação ou reprovação do aluno, define apenas a progressão vertical deste aluno, suas reduções e descompromissos. • Desta forma, jamais se obterá um diagnóstico sobre a personalidade do aluno, pois se limita aos objetivos do ensino do programa escolar.
  19. 19. • utilizada de forma participativa e transparente, permite também ao aluno reconhecer suas próprias necessidades, desenvolver a consciência de sua situação escolar e orientar seus esforços na direção dos critérios de exigências da escola.
  20. 20. • A avaliação deve ser utilizada com o apoio de múltiplos instrumentos de coleta de informações, baseada nas características do plano de ensino, dos objetivos que se está buscando junto ao aluno.
  21. 21. • conforme o tipo de objetivo pode ser empregado trabalhos tanto em grupos como individuais, provas orais e escritas, seminários, observação de cadernos, realização de exercícios em classe ou em casa e observação dos estudantes em classe.
  22. 22. Teresina, 2015 Universidade Estadual do Piauí Email: amitaflustosa@gmail.com Prof.: Fátima Lustosa

×