Legio urbana todas as letras completas

6,202 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
6,202
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3,696
Actions
Shares
0
Downloads
46
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Legio urbana todas as letras completas

  1. 1. LegiãourbanaTodas as letras de todos os discos Folha 1
  2. 2. Álbum 1: LEGIÃO URBANA Período de Gravação: Outubro a Dezembro de 1984 Data de lançamento: 1 de Janeiro de 1985 Produzido por: Mayrton BahiaMúsicas:1. Será2. Dança3. Petróleo do Futuro4. Ainda É Cedo5. Perdidos no Espaço6. Geração Coca-Cola7. Reggae8. Baader-Meinhof Blues9. Soldados10.Teorema11.Por EnquantoSERÁLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo Bonfá Folha 2
  3. 3. Tire suas mãos de mim Serão noites inteirasEu não pertenço a você Talvez por medo da escuridãoNão é me dominado assimQue você vai me entender Ficaremos acordados Imaginando alguma soluçãoEu posso estar sozinho Prá que esse nosso egoísmoMas eu sei muito bem aonde estou Não destrua nosso coração.Você pode até duvidarAcho que isso não é amor. [refrão][refrão] Brigar prá quê Se é sem quererSerá isso imaginação? Quem é que vaiSerá que nada vai acontecer? Nos proteger?Será que é tudo isso em vão?Será que vamos conseguir vencer? Ser que vamos ter Que responderNos perderemos entre monstros Pelos erros a maisDa nossa própria criação Eu e você?A DANÇALetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo BonfáNão sei o que é direito E as suas teoriasIsso vejo preconceito E a sua rebeldiaE a sua roupa nova E a sua solidãoÉ só uma roupa nova Vive com seus excessosVocê não tem idéias Mas não tem mais dinheiroPrá acompanhar a moda Prá comprar outra fugaTratando as meninas Sair de casa entãoComo se fossem lixo Então é outra festaOu então espécie rara É outra sexta-feiraSó a você pertence Que se dane o futuroOu então espécie rara Você tem a vida inteiraQue você não respeita Você é tão espertoOu então espécie rara Você está tão certoQue é isso um objeto Mas você nunca dançouPrá usar e jogar fora Com ódio de verdade.Depois de ter prazer. Você é tão espertoVocê é tão moderno Você está tão certoSe acha tão moderno Que você nunca vai errarMas é igual a seus pais Mas a vida deixa marcasÉ só questão de idade Tenha cuidadoPassando dessa fase Se um dia você dançar.Tanto fez e tanto faz. [solo]Você com as suas drogas Folha 3
  4. 4. Nós somos tão modernos Você é tão espertoSó não somos sinceros Você está tão certoNos escondemos mais e mais Que você nunca vai errarÉ só questão de idade Mas a vida deixa marcasPassando dessa fase Tenha cuidadoTanto fez e tanto faz Se um dia você dançar.PETRÓLEO DO FUTUROLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato RussoAh, se eu soubesse lhe dizer o que eu sonhei Mas você também não sabeontem a noite E o que é que eu tenho a ver com isso?Você ia querer me dizer tudo sobre o seusonho também. Sou brasileiro erradoE o que é que eu tenho a ver com isso? Vivendo em separado Contando os vencidosAh, se eu soubesse lhe dizer o que eu vi De todos os lados.ontem a noiteVocê ia querer ver mas não ia acreditar. [solo]E o que é que eu tenho a ver com isso? Ah, se eu soubesse lhe dizerFilósofos suicidas O que fazer prá todo mundo ficar juntoAgricultores famintos Todo mundo já estava ha muito tempoDesaparecendo E o que é que eu tenho a ver com isso?Embaixo dos arquivos Filósofos suicidasAh, se eu soubesse lhe dizer qual é a sua Agricultores famintostribo DesaparecendoTambém saberia qual é a minha Embaixo dos arquivosAINDA É CEDOLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo Bonfá/Ico Ouro-PretoUma menina me ensinou E por isso se agarrava a mim tambémQuase tudo o que eu sei Eu me agarrava nelaEra quase escravidão Porque eu não tinha mais ninguém.Mas ela me tratava como um rei E eu dizia: - Ainda é cedoEla fazia muitos planos cedoEu isso queria estar ali cedoSempre ao lado dela cedoEu não tinha aonde ir cedoMas, egoísta que eu sou, [solo]Me esqueci de ajudarA ela como ela me ajudou Sei que ela terminouE não quis me separar. O que eu não comecei E o que ela descobriuEla também estava perdida Eu aprendi também, eu sei. Folha 4
  5. 5. Vamos dar um tempo, um dia a gente seEla falou: - Você tem medo. vê."Am eu disse: - Quem tem medo é você.Falamos o que não devia E eu dizia: - Ainda é cedoNunca ser dito por ninguém cedo cedoEla me disse: cedo."- Eu não sei mais o que eu sinto por você.PERDIDOS NO ESPAÇOLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo BonfáEscrevi prá você e você não respondeu Escrevi prá você e você não respondeuTambém não respondi quando você me Também não respondi quando você meescreveu escreveuAnotei seu telefone num pedaço de papel Anotei seu telefone num pedaço de papelE calculei seu ascendente no recibo do E calculei seu ascendente no recibo doaluguel. aluguel.Esqueci seu sobrenome, Esqueci seu sobrenome,Mas me lembro de você. Mas me lembro de você.E a rotina crescia como planta E era como se jogassem Space InvadersE engulia a metade do caminho Perdendo mais dinheiro de muitas maneirasE a mudança levou tempo por ser tão veloz Vivendo num planeta perdido como nósEnquanto estávamos a salvo Quem sabe ainda estamos a salvo?Ficamos suspensos, Ficamos suspensosPerdidos no espaço. Perdidos no espaço.GERAÇÃO COCA-COLALetra: Renato RussoMúsica: Renato RussoQuando nascemos fomos programadosA receber o que vocês nos empurraram [I]Com os enlatados dos USA, de 9 às 6. Depois de vinte anos na escola Não é difícil aprenderDesde pequenos nós comemos lixo Todas as manhas do jogo sujoComercial e industrial Não é assim que tem que ser?Mas agora chegou nossa vezVamos cuspir de volta o lixo em cima de Vamos fazer nosso dever de casavocês. E aí então, vocês vão ver Suas crianças derrubando reis[refrão] Fazer com‚dia no cinema com as suas leis.Somos os filhos da revolução [refrão]Somos burgueses sem religião [solo de voz]Nós somos o futuro da nação [repete I]Geração Coca-Cola. [refrão] Folha 5
  6. 6. O REGGAELetra: Renato RussoMúsica: Renato Russo/Marcelo BonfáAinda me lembro aos três anos de idade Me faz o que eu pedirO meu primeiro contato com as grades Não faz o que eu fizerO meu primeiro dia na escola Mas não me deixe aquiComo eu senti vontade de ir embora Ninguém me perguntou se eu estava prontoFazia tudo que eles quisessem E eu fiquei completamente tontoAcreditava em tudo que eles me dissessem Procurando descobrir a verdadeMe pediram para ter paciência No meio das mentiras da cidadeFalhei Tentava ver o que existia de erradoEntão gritaram: - Cresça e apareça! Quantas crianças Deus já tinha matado.Cresci e apareci e não vi nada Beberam meu sangue e não me deixamAprendi o que era certo com a pessoa errada viverAssistia o jornal da TV Tem o meu destino pronto e não me deixamE aprendi a roubar prá vencer escolherNada era como eu imaginava Vem falar de liberdade prá depois meNem as pessoas que eu tanto amava prenderMas e daí, se é mesmo assim Pedem identidade prá depois me baterVou ver se tiro o melhor prá mim. Tiram todas minhas armas Como posso me defender?[solo] Vocês venceram está batalha Quanto a guerra,Me ajuda se eu quiser Vamos ver.BAADER-MEINHOF BLUESLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo BonfáA violência é tão fascinante Meu corpo é quente e estou sentindo frioE nossas vidas são tão normais Todo mundo sabe e ninguém quer maisE você passa de noite e sempre vê saberApartamentos acessos Afinal, amar ao próximo é tão demode.Tudo parece ser tão realMas você viu esse filme também. Essa justiça desafinada É tão humana e tão erradaAndando nas ruas Nós assistimos televisão tambémPensei que podia ouvir Qual é a diferença?Alguém me chamandoDizendo meu nome. Não estatize meus sentimentos Prá seu governo,JÁ estou cheio de me sentir vazio O meu estado é independente.SOLDADOSLetra: Renato RussoMúsica: Renato Russo/Marcelo BonfáNossas meninas estão longe daqui Folha 6
  7. 7. Não temos com quem chorar e nem prá Porque lutar.onde irSe lembra quando era isso brincadeira Nossas meninas estão longe daquiFingir ser soldado a tarde inteira? E de repente eu vi você cair Não sei armar o que eu sentiMas agora a coragem que temos no coração Não sei dizer que vi você ali.Parece medo da morte mas não era entãoTenho medo de lhe dizer o que eu quero Quem vai saber o que você sentiu?tanto Quem vai saber o que você pensou?Tenho medo e eu sei porque: Quem vai dizer agora o que eu não fiz?Estamos esperando. Como explicar prá você o que eu quisQuem é o inimigo? Somos soldadosQuem é você? Pedindo esmolaNos defendemos tanto tanto sem saber E a gente não queria lutar.TEOREMALetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo BonfáNão vá embora Prá tentar ser feliz.Fique um pouco maisNinguém sabe fazer Parece energia mas é só distorçãoO que você me faz E parece que sempre termina Mas não tem fim.É exageroE pode até não ser Não vá emboraO que você consegue Fique um pouco maisNinguém sabe fazer. Ninguém sabe fazer O que você me fazParece energia mas é isso distorçãoE não sabemos se isso é problema É exageroOu se é a solução. E pode até não ser O que você consegueNão tenha medo Ninguém sabe fazer.Não preste atençãoNão dê conselhos Parece um teorema sem ter demonstraçãoNão peça permissão. E parece que sempre terminaÉ só você quem deve decidir o que fazer Mas não tem fim.POR ENQUANTOLetra: Renato RussoMúsica: Renato RussoMudaram as estações e nada mudou Que o prá sempreMas eu sei que alguma coisa aconteceu Sempre acaba?Esta tudo assim tão diferente Mas nada vai conseguir mudar o que ficou Quando penso em alguémSe lembra quando a gente chegou um dia a Só penso em vocêacreditar E aí então estamos bemQue tudo era prá sempreSem saber Folha 7
  8. 8. Mesmo com tantos motivos prá deixar tudocomo estáE nem desistir, nem tentarAgora tanto fazEstamos indo de volta prá casa. Folha 8
  9. 9. Álbum 2: "DOIS" Período de Gravação: Janeiro a Março de 1986 Data de lançamento: 1986 Produzido por: Mayrton BahiaMúsicas:1. Daniel Na Cova dos Leões2. Quase Sem Querer3. Acrylic On Canvas4. Eduardo E Mônica5. Central do Brasil6. Tempo Perdido7. Metrópole8. Plantas Embaixo do Aquário9. Música Urbana 210.Andréa Dória11.Fábrica12."Índios"No cassete: Química (versão ao vivo)DANIEL NA COVA DOS LEÕESLetra: Renato RussoMúsica: Renato Russo/Renato RochaAquele gosto amargo do teu corpo E o teu medo de ter medo de ter medoFicou na minha boca por mais tempo: Não faz da minha força confusão:De amargo e então salgado ficou doce, Teu corpo é meu espelho e em ti navegoAssim que o teu cheiro forte e lento E sei que tua correnteza não tem direção.Fez casa nos meus braços e ainda leve [solo]E forte e cego e tenso fez saberQue ainda era muito e muito pouco. Mas, tão certo quanto o erro de ser barco A motor e insistir em usar os remos,Faço nosso o meu segredo mais sincero É o mal que a água faz quando se afogaE desafio o instinto dissonante. E o salva-vidas não está lá porque nãoA insegurança não me ataca quando erro vemos.E o teu momento passa a ser o meu instante.QUASE SEM QUERERLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Renato RochaTenho andado distraído, Isso que agora é diferente:Impaciente e indeciso Estou tão tranqüiloE ainda estou confuso. E tão contente. Folha 9
  10. 10. E eu sei que você sabeQuantas chances desperdicei Quase sem quererQuando o que eu mais queria Que eu vejo o mesmo que você.Era provar prá todo o mundoQue eu não precisava Tão correto e tão bonito:Provar nada prá ninguém. O infinito é realmente Um dos deuses mais lindos.Me fiz em mil pedaços Sei que às vezes usoPrá você juntar Palavras repetidasE queria sempre achar Mas quais são as palavrasExplicação pro que eu sentia. Que nunca são ditas?Como um anjo caídoFiz questão de esquecer Me disseram que você estava chorandoQue mentir prá si mesmo E foi então que percebiÉ sempre a pior mentira. Como lhe quero tanto.Mas não sou mais Já não me preocupoTão criança a ponto de saber Se eu não sei porquêTudo. às vezes o que eu vejo Quase ninguém vêJá não me preocupoSe eu não sei porquê E eu sei que você sabeàs vezes o que eu vejo Quase sem quererQuase ninguém vê Que eu quero o mesmo que você.ACRYLIC ON CANVASLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Renato Rocha/ Marcelo BonfáÉ saudade, então Sempre as mesmas "disculpas"E mais uma vez E desculpas nem sempre são sincerasDe você fiz o desenho Quase nunca são.Mais perfeito que se fez Preparei a minha telaOs traços copiei Com pedaços de lençóisDo que não aconteceu Que não chegamos a sujarAs cores que escolhiDentre as tintas que inventei A armação fiz com madeira Da janela do seu quartoMisturei com a promessa Do portão da sua casaQue nós dois nunca fizemos Fiz paleta e cavaleteDe um dia sermos três E com as lágrimas que não brincaram comTrabalhei você vocêEm luz e sombra Destilei óleo de linhaça E da sua cama arranquei pedaçosE era sempre: Que talhei em estiletes de tamanhos"- Não foi por mal. diferentes - Eu juro que nunca quis deixar você tão E fiz então, pincéis com seus cabelostriste" Fiz carvão do batom que roubei de você Folha 10
  11. 11. E com ele marquei dois pontos de fuga "- Sinto muito, ela não mora mais aqui".E rabisquei meu horizonte. Mas então porque eu finjoE era sempre: Que acredito no que invento"- Não foi por mal. Nada disso aconteceu assim - Eu juro que não foi por mal, eu não Não foi desse jeito.queria machucar você.Prometo que isso não vai acontecer mais Ninguém sofreuuma vez" E é só você Que provoca essa saudade vaziaE era sempre, sempre o mesmo novamente Tentando pintar essas flores com o nomeA mesma traição De Amor-Perfeito e Não-Te-Esqueças-De-Mim.Ás vezes é difícil esquecer:EDUARDO E MÔNICALetra: Renato RussoMúsica: Renato RussoQuem um dia ira dizer Depois telefonaram e decidiram seQue existe razão encontrar.Nas coisas feitas pelo coração? O Eduardo sugeriu uma lanchoneteE quem ira dizer Mas a Mônica queria ver o filme do Godard.Que não existe razão? Se encontraram então no parque da cidadeEduardo abriu os olhos mas não quis se A Mônica de moto e o Eduardo de camelo.levantar: O Eduardo achou estranho e melhor nãoFicou deitado e viu que horas eram comentarEnquanto Mônica tomava um conhaque, Mas a menina tinha tinta no cabelo.Noutro canto da cidade,Como eles disseram. Eduardo e Mônica eram nada parecidos Ela era de Leão e ele tinha dezesseis.Eduardo e Mônica um dia se encontraram Ela fazia Medicina e falava alemãosem querer E ele ainda nas aulinhas de inglês.E conversaram muito mesmo prá tentar seconhecer. Ela gostava do Bandeira e do Bauhaus,Foi um carinha do cursinho do Eduardo que De Van Gogh e dos Mutantes,disse: De Caetano e de Rimbaud"- Tem uma festa legal e a gente quer se E o Eduardo gostava de noveladivertir." E jogava futebol-de-botão com a seu avô.Festa estranha, com gente esquisita: Ela falava coisas sobre o Planalto Central,"- Eu não estou legal. Não aguento mais Também magia e meditação.birita." E o Eduardo ainda estavaE a Mônica riu e quis saber um pouco mais No esquema "escola - cinema - clube -Sobre o boyzinho que tentava impressionar televisão."E o Eduardo, meio tonto, isso pensava em ir E, mesmo com tudo diferente,prá casa: Veio mesmo, de repente,"- É quase duas, eu vou me ferrar." Uma vontade de se ver E os dois se encontravam todo diaEduardo e Mônica trocaram telefone E a vontade crescia, Folha 11
  12. 12. Como tinha de ser. Que nem feijão com arroz.Eduardo e Mônica fizeram natação, Construíram uma casa uns dois anos atrásfotografia, Mais ou menos quando os gêmeos vieramTeatro e artesanato e foram viajar. Batalharam grana e seguraram legalA Mônica explicava pro Eduardo A barra mais pesada que tiveram.Coisas sobre o céu, a terra, a água e o ar:Ele aprendeu a beber, deixou o cabelo Eduardo e Mônica voltaram prá Brasíliacrescer E a nossa amizade da saudade no verão.E decidiu trabalhar; Só que nessas f‚rias não vão viajar Porque o filhinho do Eduardo tá deE ela se formou no mesmo mês recuperação.Em que ele passou no vestibular.E os dois comemoraram juntos E quem um dia ira dizerE também brigaram juntos, muitas vezes Que existe razãodepois. Nas coisas feitas pelo o coração?E todo mundo diz que ele completa ela e E quem ira dizervice-versa, Que não existe razão?CENTRAL DO BRASIL (Instrumental)Música: Renato RussoTEMPO PERDIDOLetra: Renato RussoMúsica: Renato RussoTodos os dias quando acordo, A tempestade que chega é da cor dos teusNão tenho mais o tempo que passou olhos castanhos.Mas tenho muito tempo Então me abraça forte e me diz mais umaTemos todo o tempo do mundo. vez Que já estamos distantes de tudo:Todos os dias antes de dormir,Lembro e esqueço como foi o dia: Temos nosso próprio tempo."Sempre em frente,Não temos tempo a perder." Não tenho medo do escuro, mas deixe as luzes acesas agora.Nosso suor sagrado O que foi escondido é o que se escondeuÉ bem mais belo que esse sangue amargo E o que foi prometido, ninguém prometeu.E tão sério Nem foi tempo perdido.E selvagem. Somos tão jovens.Veja o sol dessa manhã tão cinza:METRÓPOLELetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Renato Rocha/ Marcelo Bonfá"É sangue mesmo, não é mertiolate." "Ó tão emocionante um acidente deE todos querem ver verdade."E comentar a novidade. Estão todos satisfeitos Com o sucesso do desastre: Folha 12
  13. 13. É contra o regulamento, está bem aqui, pode"- Vai passar na televisão." ver.""Por gentileza, aguarde um momento. Ordens são ordens.Sem carteirinha, não tem atendimentoCarteira de trabalho assinada, sim senhor. "- Em todo caso já temos sua ficha.Olha o tumulto: façam fila por favor." Só falta o recibo comprovando residência. Pra limpar todo esse sangue, chamei a"- Todos com a documentação" faxineira E agora eu já vou indo senão eu perco a"- Quem não tem senha, não tem lugar novelamarcado.Eu sinto muito, mas já passa do horário. E eu não quero ficar na mão."Entendo seu problema mas não possoresolver:PLANTAS DEBAIXO DO AQUÁRIOLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Renato Rocha/ Marcelo BonfáSente o desafio e provoque um desempate: Pense isso um pouco,Desarme a armadilha e desmonte o disfarce. Não há nada de novo.Se afaste do abismo Você vive insatisfeito e não confia emFaça do bom-senso a nova ordem. ninguém E não acredita em nadaNão deixe a guerra começar. E agora é isso cansaço e falta de vontade, Mas, faça do bom-senso a nova ordem:[diálogos em francês e inglês] Não deixe a guerra começar.MUSICA URBANA IILetra: Renato RussoMúsica: Renato RussoEm cima dos telhados as antenas de TV O vento forte seco e sujo em cantos detocam música urbana concretoNas ruas os mendigos com esparadrapos Parece música urbanapodres E a matilha de crianças sujas no meio da ruaCantam música urbana. Música urbana.Motocicletas querendo atenção às três da E nos pontos de ônibus estão todos ali:manha música urbanaÉ só música urbana. Os uniformes, os cartazesOs PMs armados e as tropas de choque Cinemas e os laresvomitam música urbana Favelas, coberturasE nas escolas as crianças aprendem a repetir Quase todos os lugares.a música urbana.Nos bares os viciados sempre tentam E mais uma criança nasceu.conseguir a música urbana. Não há mentiras nem verdades aqui Só há música urbana. Folha 13
  14. 14. Yeah, música urbanaANDRÉA DÓRIALetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo BonfáÁs vezes parecia que, de tanto acreditar E o mundo então seria um livro aberto,Em tudo que achávamos tão certo, Até chegar o dia em que tentamos terTeríamos o mundo inteiro e até um pouco demais,mais: Vendendo fácil o que não tinha preço.Faríamos floresta do desertoE diamantes de pedaços de vidro. Eu sei - é tudo sem sentido. Quero ter alguém com quem conversar,Mas percebo agora Alguém que depois não use o que eu disseQue o teu sorriso Contra mim.Vem diferente,Quase parecendo te ferir. Nada mais vai me ferir. É que eu já me acostumeiNão queria te ver assim Com a estrada errada que seguiQuero a tua força como era antes. E com a minha própria lei.O que tens é isso teuE de nada vale fugir Tenho o que ficouE não sentir mais nada. E tenho sorte até demais, Como sei que tens também.Ás vezes parecia que era só improvisarFÁBRICALetra: Renato RussoMúsica: Renato RussoNosso dia vai chegar Temperada a ferro e fogo?Teremos nossa vez. Quem aguarda os portões da fabrica?Não é pedir demais:Quero justiça, O céu já foi azul, mas agora é cinzaQuero trabalhar em paz. E o que era verde aqui já não existe mais.Não é muito o que eu lhe peço Quem me dera acreditarEu quero trabalho honesto Que não acontece nada de tanto brincar comEm vez de escravidão. fogo.Deve haver algum lugar Que venha o fogo então.Onde o mais forteNão consegue escravizar [solo]Quem não tem chance. Esse ar deixou minha vista cansada,De onde vem a indiferença Nada demais."ÍNDIOS"Letra: Renato RussoMúsica: Renato RussoQuem me dera, ao menos uma vez Que era prova de amizadeTer de volta todo o ouro que entreguei Se alguém levasse embora até o que eu nãoA quem conseguiu me convencer tinha. Folha 14
  15. 15. Quando descobri que é sempre isso vocêQuem me dera, ao menos uma vez, Que me entende do início ao fimEsquecer que acreditei que era por E é isso você que tem a cura do meu víciobrincadeira De insistir nessa saudade que eu sintoQue se cortava sempre um pano-de-chão De tudo que eu ainda não vi.De linho nobre e pura seda. Quem me dera, ao menos uma vez,Quem me dera, ao menos uma vez, Acreditar por um instante em tudo queExplicar o que ninguém consegue entender: existeQue o que aconteceu ainda está por vir E acreditar que o mundo é perfeitoE o futuro não é mais como era E que todas as pessoas são felizes.antigamente. Quem me dera, ao menos uma vez,Quem me dera, ao menos uma vez, Fazer com que o mundo saiba que seu nomeProvar que quem tem mais do que precisa Esta em tudo e mesmo assimter Ninguém lhe diz ao menos obrigado.Quase sempre se convence que não tem obastante Quem me dera, ao menos uma vez,E fala demais, por não ter nada a dizer Como a mais bela tribo, dos mais belos índios,Quem me dera, ao menos uma vez, Não ser atacado por ser inocente.Que o mais simples fosse visto como o maisimportante, Eu quis o perigo e até sangrei sozinho,Mas nos deram espelhos Entenda - assim pude trazer você de voltaE vimos uma mundo doente. para mim Quando descobri que é sempre isso vocêQuem me dera, ao menos uma vez, Que me entende do início ao fimEntender como isso Deus ao mesmo tempo E é isso você que tem a cura do meu vícioé três De insistir nessa saudade que eu sintoE esse mesmo Deus foi morto por vocês De tudo que eu ainda não vi.É isso maldade então, deixar um Deus tãotriste. Nos deram espelhos e vimos um mundo doente -Eu quis o perigo e até sangrei sozinho. Tentei chorar e não conseguiEntenda - assim pude trazer você de voltapara mim, Folha 15
  16. 16. Álbum 3: Que País é Este Período de Gravação: Outubro a Dezembro de 1987 Data de lançamento: Dezembro 1987 Produzido por: Mayrton BahiaMúsicas:1. Que País É Este2. Conexão Amazônica3. Tédio (com um "T" bem grande prá você)4. Depois do Começo5. Química6. Eu Sei7. Faroeste Caboclo8. Angra dos Reis9. Mais do MesmoQUE PAÍS É ESTE ?Letra: Renato RussoMúsica: Renato RussoNas favelas, no senado Manchando os papéis, documentos fiéisSujeira prá todo lado Ao descanso do patrãoNinguém respeita a constituiçãoMas todos acreditam no futuro da nação Que país é este ?Que pais é este? Terceiro Mundo se for Piada no exteriorNo Amazonas, no Araguaia, na Baixada Mas o Brasil vai ficar ricofluminense Vamos faturar um milhãoNo Mato grosso, nas Gerais e no Nordeste Quando vendermos todas as almastudo em paz Dos nossos índios num leilão.Na morte eu descanso mas o sangue andasolto Que país é este?CONEXÃO AMAZÔNICALetra: Renato RussoMúsica: Felipe LemosEstou cansado de ouvir falar E acho que isto não tem nada a verEm Freud, Jung, Engels, Marx Yeah, Yeah, Yeah,Intrigas intelectuais rodando em mesa de barYeah, Yeah, Yeah, Os tambores da selva já começaram a rufarO que eu quero eu não tenho Os tambores da selva já começaram a rufarO que eu não tenho eu quero ter A cocaína não vai chegarNão posso ter o que eu quero A cocaína não vai chegar Folha 16
  17. 17. Conexão amazônica está interrompida Auto-exílio nada mais é do que ter seuYeah, Yeah, Yeah, coração na solidão Yeah, Yeah, Yeah,E você quer ficar maluco sem dinheiro eacha que está tudo bem Estou cansado de ouvir falarMas alimento prá cabeça nunca vai matar a Em Freud, Jung, Engels, Marxfome de ninguém Intrigas intelectuais rodando em mesa de barUma peregrinação involuntária talvez fosse Yeah, Yeah, Yeah,a soluçãoTÉDIOLetra: Renato RussoMúsica: Renato RussoMoramos na cidade, também o presidente Também não tenho nada de interessante práE todos vão fingindo viver decentemente fazerSó que eu não pretendo ser tão decadente Tédio com um T bem grande prá vocênão Se eu não faço, nada fico satisfeitoTédio com um T bem grande prá você Eu durmo o dia inteiro e aí não é direito Porque quando escurece, só estou afim deAndar a pé na chuva, às vezes eu me amarro aprontarNão tenho gasolina, também não tenho carro Tédio com um T bem grande prá você.DEPOIS DO COMEÇOLetra: Renato RussoMúsica: Renato RussoVamos deixar as janelas abertas Catar pontas de cigarro nas paredesDeixar o equilíbrio ir emboraCair como um saxofone na calçada Abrir a geladeira e deixar o vento sairAmarrar um fio de cobre no pescoço Cuspir um dia qualquer no futuro De quem já desapareceuAcender um intervalo pelo filtroUsar um extintor como lençol Deus, Deus, somos todos ateusJogar pólo-aquático na cama Vamos cortar os cabelos do príncipeFicar deslizando pelo teto E entregá-los a um Deus plebeuDa nossa casa cega e medieval E depois do começoCantar canções em línguas estranhas O que vier vai começar a ser o fim.Retalhar as cortinas desarmadas E depois do começoCom a faca surda que a fé sujou O que vier vai começar a ser o fim. E depois do começoDesarmar os brinquedos indecentes O que vier vai começar a ser o fim.E a indecência pura dos retratos no salão E depois do começoVamos beber livros e mastigar tapetes O que vier vai começar a ser o fim.QUÍMICALetra: Renato RussoMúsica: Renato Russo Folha 17
  18. 18. Estou trancado em casa e não posso sair Literatura ou GramáticaPapai já disse, tenho que passar Só gosto de Educação SexualNem música eu não posso mais ouvir E eu odeio QuímicaE assim não posso nem me concentrar Chegou a nova leva de aprendizesNão saco nada de Física Chegou a vez do nosso ritualLiteratura ou Gramática E se você quiser entrar na triboSó gosto de Educação Sexual Aqui no nosso Belsen tropicalE eu odeio Química Ter carro do ano, TV a cores, pagarNão posso nem tentar me divertir imposto, ter pistolãoO tempo todo eu tenho que estudar Ter filho na escola, férias na Europa, contaFico só pensando se vou conseguir bancária, comprar feijãoPassar na porra do vestibular Ser responsável, cristão convicto, cidadão modelo, burguês padrãoNão saco nada de Física Você tem que passar no vestibular.EU SEILetra: Renato RussoMúsica: Renato RussoSexo verbal não faz meu estilo Com quem você quer falarPalavras são erros e os erros são seus Por horas e horas e horasNão quero lembrar que eu erro também A noite acabou, talvez tenhamos que fugirUm dia pretendo tentar descobrir sem vocêPorque é mais forte quem sabe mentir Mas não, não vá agora, quero honras eNão quero lembrar que eu minto também promessas Lembranças e estóriasEu sei Somos pássaro novo longe do ninhoFeche a porta do seu quartoPorque se toca o telefone pode ser alguém Eu seiFAROESTE CABOCLOLetra: Renato RussoMúsica: Renato RussoNão tinha medo o tal João de Santo Cristo Que as velhinhas colocavam na caixinha doEra o que todos diziam quando ele se perdeu altarDeixou prá trás todo o marasmo da fazenda Sentia mesmo que era mesmo diferenteSó prá sentir no seu sangue o ódio que Jesus Sentia que aquilo ali não era o seu lugarlhe deuQuando criança só pensava em ser bandido Ele queria sair para ver o marAinda mais quando com tiro de soldado o E as coisas que ele via na televisãopai morreu Juntou dinheiro para poder viajarEra o terror da cercania onde morava E de escolha própria escolheu a solidãoE na escola até o professor com eleaprendeu Comia todas as menininhas da cidade De tanto brincar de médico aos doze eraIa prá igreja só prá roubar o dinheiro professor Aos quinze foi mandado pro reformatório Folha 18
  19. 19. Onde aumentou seu ódio diante de tanto E sem ser crucificado a plantação foiterror começarNão entendia como a vida funcionava Logo, logo os maluco da cidadeDescriminação por causa da sua classe e sua Souberam da novidadecor "- Tem bagulho bom ai!"Ficou cansado de tentar achar resposta E João de Santo Cristo ficou ricoE comprou uma passagem foi direto a E acabou com todos os traficantes daliSalvador Fez amigos, freqüentava a Asa NorteE lá chegando foi tomar um cafezinho Ia prá festa de Rock prá se libertarE encontrou um boiadeiro com quem foi Mas de repentefalar Sob um má influência dos boyzinhos daE o boiadeiro tinha uma passagem cidadeIa perder a viagem mas João foi lhe salvar: Começou a roubarDizia ele "- Estou indo prá Brasília JÁ no primeiro roubo ele dançouNesse país lugar melhor não há E pro inferno ele foi pela primeira vezTô precisando visitar a minha filha Violência e estupro do seu corpoEu fico aqui e você vai no meu lugar" "- Vocês vão ver, eu vou pegar vocês!"E João aceitou sua proposta Agora Santo Cristo era bandidoE num ônibus entrou no Planalto Central Destemido e temido no Distrito FederalEle ficou bestificado com a cidade Não tinha nenhum medo de políciaSaindo da rodoviária viu as luzes de natal Capitão ou traficante, Playboy ou general"- Meu Deus mas que cidade linda! Foi quando conheceu uma meninaNo Ano Novo eu começo a trabalhar" E de todos os seus pecados ele seCortar madeira aprendiz de carpinteiro arrependeuGanhava cem mil pro mês em Taguatinga Maria Lúcia era uma menina linda E o coração dele prá ela o Santo CristoNa sexta feira foi prá zona da cidade prometeuGastar todo o seu dinheiro de rapaztrabalhador Ele dizia que queria se casarE conhecia muita gente interessante E carpinteiro ele voltou a serAté um neto bastardo do seu bisavô "- Maria Lúcia eu prá sempre vou te amar E um filho com você eu quero ter"Um peruano que vivia na BolíviaE muitas coisas trazia de l O tempo passaSeu nome era Pablo e ele dizia E um dia vem na porta um senhor de altaQue um negócio ele ia começar classe com dinheiro na mão E ele faz uma proposta indecorosaE Santo Cristo até a morte trabalhava E diz que espera uma resposta, uma respostaMas o dinheiro não dava prá ele se de JoãoalimentarE ouvia às sete horas o noticiário "- Não boto bomba em banca de jornalQue dizia sempre que seu ministro ia ajudar E nem em colégio de criança Isso eu não faço nãoMas ele não queria mais conversaE decidiu que como Pablo ele ia se virar E não protejo general de dez estrelasElaborou mais uma vez seu plano santo Que fica atrás da mesa com o cú na mão Folha 19
  20. 20. E é melhor o senhor sair da minha casa E um filho nela ele fezNunca brinque com um peixe de ascendenteescorpião" Santo Cristo era só ódio pro dentro E então o Jeremias prá um duelo ele chamouMas antes de sair, com ódio no olhar "- Amanhã, as duas horas na CeilândiaO velho disse: Em frente ao lote catorze é prá lá que eu vou"- Você perdeu a sua vida, meu irmão!" E você pode escolher as suas armas"- Você perdeu a sua vida, meu irmão" Que eu acabo com você, seu porco traidor"- Você perdeu a sua vida, meu irmão" E mato também Maria LúciaEssas palavras vão entrar no coração Aquela menina falsa prá que jurei o meu"- Eu vou sofrer as conseqüências como um amor"cão." E Santo Cristo não sabia o que fazerNão é que o Santo Cristo estava certo Quando viu o repórter da televisãoSeu futuro era incerto Que a notícia do duelo na TVE ele não foi trabalhar Dizendo a hora o local e a razãoSe embebedou e no meio da bebedeiraDescobriu que tinha outro trabalhando em No sábado, então as duas horasseu lugar Todo o povo sem demora Foi lá só prá assistirFalou com Pablo que queria um parceiroQue também tinha dinheiro e queria se Um homem que atirava pelas costasarmar E acertou o Santo CristoPablo trazia o contrabando da Bolívia E começou a sorrirE Santo Cristo revendia em Planaltina Sentindo o sangue na gargantaMas acontece que um tal de Jeremias João olhou as bandeirinhasTraficante de renome apareceu por l E o povo a aplaudirFicou sabendo dos planos de Santo Cristo E olhou pro sorveteiroE decidiu que com João ele ia acabar. E prás câmeras e a gente da TV que filmava tudo aliMas Pablo trouxe uma Winchester 22E Santo Cristo já sabia atirar E se lembrou de quando era uma criançaE decidiu usar a arma só depois E de tudo o que viveu até aquiQue Jeremias começasse a brigar E decidiu entrar de vez naquela dança "- Se a via-crucis virou circo, estou aqui."Jeremias maconheiro sem vergonhaOrganizou a Roconha e fez todo mundo E nisso o sol cegou seus olhosdançar E então Maria Lúcia ele reconheceuDesvirginava mocinhas inocentes Ela trazia a Winchester 22E dizia que era crente mas não sabia rezar A arma que seu primo Pablo lhe deuE Santo Cristo há muito não ia prá casa "- Jeremias, eu sou homem. Coisa que vocêE a saudade começou a apertar não é"- Eu vou me embora, eu vou ver Maria Eu não atiro pelas costas, não.Lúcia Olha prá cá filha da puta sem vergonhaJá está em tempo de a gente se casar" D uma olhada no meu sangue E vem sentir o teu perdão"Chegando em casa então ele chorouE pro inferno ele foi pela segunda vez E Santo Cristo com a Winchester 22Com Maria Lúcia Jeremias se casou Deu cinco tiros no bandido traidor Folha 20
  21. 21. Maria Lúcia se arrependeu depoisE morreu junto com João, seu protetor E João não conseguiu o que queria Quando veio prá Brasília com o diabo terO povo declarava que João de Santo Cristo Ele queria era falar com o presidenteEra santo porque sabia morrer Prá ajudar toda essa gente que só fazE a alta burgesia da cidade não acreditava nahistória SofrerQue ele viram da TVANGRA DOS REISLetra: Renato RussoMúsica: Renato Russo/Renato Rocha/Marcelo BonfáDeixa, se fosse sempre assim quente Seja como forDeita aqui perto de mim É uma dor que dói no peitoTem dias em que tudo está em paz Pode rir agora que estou sozinhoE agora os dias são iguais Mas não venha me roubarSe fosse só sentir saudade Vai ver que não é nada dissoMas tem sempre algo mais Vai ver que já não sei quem souSeja como for Vai ver que nunca fui o mesmoÉ uma dor que dói no peito A culpa é toda sua e nunca foiPode rir agora que estou sozinhoMas não venha me roubar Mesmo se as estrelas começassem a cair E a luz queimasse tudo ao redorVamos brincar perto da usina E fosse o fim chegando cedoDeixa prá lá a angra é dos reis E você visse nosso corpo em chamasPor que se explicar se não existe perigo? Deixa prá láSenti seu coração perfeito Quando as estrelas começarem a cairBatendo … toa e isso dói Me diz, me diz prá onde a gente vai fugir?MAIS DO MESMOLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Renato Rocha/Marcelo BonfáHei menino branco o que é que você faz Sempre mais do mesmoaqui Não era isso que você queria ouvir?Subindo o morro prá tentar se divertirMas já disse que não tem Ah. bondade sua me explicar com tantaE você ainda quer mais determinaçãoPor que você não me deixa em paz ? Exatamente o que eu sinto, como penso como souDesses vinte anos nenhum foi feito prá mim Eu realmente não sabia que eu pensavaE agora você quer que eu fique igual a você assimÉ mesmo. Como vou crescer se nada cresce E agora você quer um retrato do paíspor aqui? Mas queimaram o filmeQuem vai tomar conta dos doentes? E enquanto isto na enfermariaE quando tem chacina de adolescentes Todos os doentes estão cantando sucessosComo é que você se sente? populares (e todos os índios foram mortos).Em vez de luz tem tiroteio no fim do túnel. Folha 21
  22. 22. Folha 22
  23. 23. Álbum 4: As Quatro Estações Período de Gravação: Agosto a Outubro de 1989 Data de lançamento: 26 de outubro 1989 Produzido por: Mayrton Bahia Ficha TécnicaMúsicas:1. Há Tempos2. Pais E Filhos3. Feedback Song For A Dying Friend4. Quando o Sol Bater na Janela do Teu Quarto5. Eu Era Um Lobisomem Juvenil6. 1965 (Duas Tribos)7. Monte Castelo8. Maurício9. Meninos e Meninas10.Sete Cidades11.Se Fiquei Esperando o Meu Amor PassarHÁ TEMPOSLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo BonfáParece cocaína mas é só tristeza, talvez tua A imensa dor que sentes.cidade. Teu grito acordaria não só a tua casa.Muitos temores nascem do cansaço e da Mas a vizinhança inteira.solidão.E o descompasso e o desperdício herdeiros E há tempos nem os santossão. Tem ao certo a medida da maldade.Agora da virtude que perdemos. E há tempos são os jovens que adoecem. H tempos o encanto está ausente.H tempos tive um sonho. H ferrugem nos sorrisos.Não me lembro não me lembro. E só o acaso estende os braços. A quem procura abrigo e proteção.Tua tristeza é tão exata.E hoje o dia é tão bonito. Meu amor,JÁ estamos acostumados. Disciplina é liberdade.A não termos mais nem isso. Compaixão é fortaleza. Ter bondade é ter coragem.Sonhos vem, sonhos vão. O resto éimperfeito. E ela disse: - lá em casa tem um poço mas a água é muito limpa.Disseste que se tua voz tivesse força igualPAIS E FILHOS Folha 23
  24. 24. Letra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo BonfáEstatuas e cofres. E paredes pintadas. São meus filhos que tomam conta de mim.Ninguém sabe o que aconteceu. Eu moro com a minha mãe mas meu paiEla se jogou da janela do quinto andar. vem me visitar.Nada é fácil de entender. Eu moro na rua, não tenho ninguém. Eu moro em qualquer lugar.Dorme agora. é isso o vento lá fora. Já morei em tanta casa que nem me lembroQuero colo. Vou fugir de casa. Posso dormir mais. Eu moro com os meus pais.aqui com vocês?Estou com medo. Tive um pesadelo isso É preciso amar as pessoas como se nãovou voltar depois das três. houvesse amanhã. Porque se você parar para pensar, naMeu filho vai ter nome de santo. Quero o verdade não há.nome mais bonito. Sou uma gota dágua Sou um grão de areia.É preciso amar as pessoas como se não Você me diz que seus pais não entendem.houvesse amanhã. Mas você não entende seus pais.Porque se você parar para pensar, naverdade não há. Você culpa seus pais por tudo. E isso é absurdo.Me diz porque o céu é azul. Me explica a São crianças como você.grande fúria do mundo. O que você vai ser, quando você crescer?FEEDBACK SONG FOR A DYING FRIENDLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo BonfáSoothe young man sweating forehead His fiery eyesTouch the naked stem held hidden there Can slash my savage skinSafe in such dark hayseed And force all seriousness awayWired nest He wades in close watersThen, his light brown eyes are quick Deep sleeps alter his sensesOnce touch is what he thought was grip I must obey my only rival He will command our twin revivalThis is not his handsThose there but mine [arabian interlude]And safe my handsDo seek to gain The same,All knowledge of InsaneMy masters mainly rain Sustain AgainThe scented tasteThat stills my tongue The two of us so close to our own heartsIs wrong that set I silenced and wrote this aweBut not undone Of the coincidenceQUANDO O SOL BATER NA JANELA DO TEU QUARTOLetra: Renato Russo Folha 24
  25. 25. Música: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo BonfáQuando o Sol bater na janela do teu quarto. Lembra e vê que o caminho é um só.Lembra e vê que o caminho é um só. Até bem pouco tempo atrás. Poderíamos mudar o mundo.Porque esperar se podemos começar tudo de Quem roubou nossa coragem?novo.Agora mesmo. A humanidade é desumana. Tudo é dor.Mas ainda temos chance. E toda dor vem do desejo.O Sol nasce prá todos. Só não sabe quem De não sentirmos dor.não quer. Quando o Sol bater na janela do teu quarto.Quando o Sol bater na janela do teu quarto. Lembra e vê que o caminho é um só.EU ERA UM LOBISOMEM JUVENILLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo BonfáLuz e sentido e palavraPalavra é que o coração não pensa. Qual foi a semente que você plantou? Tudo acontece ao mesmo tempo.Ontem faltou água. Nem eu mesmo sei direito o que estáAnteontem faltou luz. acontecendo.Teve torcida gritando quando a luz voltou. E daí, de hoje em diante. Todo dia vai ser o dia mais importante.Não falo como você fala.Mas vejo bem o que você me diz. Se você quiser, alguém prá ser isso seu. É isso não se esquecer: estarei aqui.Se o mundo é mesmo parecido com o quevejo. Não digo nada, espero o vendaval passar.Prefiro acreditar no mundo do meu jeito. Por enquanto eu não seiE você estava esperando voar. O que você me falou me fez rir e pensar.Mas como chegar até as nuvens com os p‚s Porque estou tão preocupado por estar tãono chão? preocupado assim?O que sinto muitas vezes faz sentido. Mesmo se eu cantasse todas as canções.E outras vezes não descubro o motivo. Todas as canções, todas as canções.Que me explica porque é que não consigo. Todas as canções do mundo.Ver sentido no que sinto, o que procuro. Sou bicho do mato mas...O que desejo e o que faz parte do meumundo. Se você quiser alguém prá ser isso seu. É só não se esquecer: estarei aqui.O arco-íris tem sete cores.E fui juiz supremo. Ou então não ter jamais a chave do meuVai, vem embora . Volta coração.Todos tem, todos tem suas próprias razões.1965 - DUAS TRIBOSLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo BonfáVou passar, quero ver Volta aqui, vem você Folha 25
  26. 26. Como foi, nem sentiu Esperança em maldiçãoSe era falso ou fevereiro É o bem contra o malTemos paz, temos tempo E você de que lado está ?Chegou a hora e agora é aqui Estou do lado do bem E você de que lado está ?Cortaram meus braçosCortaram minhas mãos Estou do lado do bemCortaram minhas pernas Com a luz e com os anjosNum dia de verão Mataram um meninoNum dia de verão Tinha arma de verdadeNum dia de verão Tinha arma nenhumaPodia ser meu pai Tinha arma de brinquedoPodia ser meu irmão Eu tenho um autoramaNão se esqueça, temos sorte Eu tenho Hanna-BarberaE agora é aqui Eu tenho pêra, uva e maçã Eu tenho GuanabaraQuando querem transformar E modelos RevellDignidade em doença O Brasil é o país do futuroQuando querem transformar O Brasil é o país do futuroInteligência em traição O Brasil é o país do futuro O Brasil é o paísQuando querem transformarEstupidez em recompensa Em toda e qualquer situação Eu quero tudoQuando querem transformar Prá cima (4x)MONTE CASTELOLetra: Renato RussoMúsica: Renato RussoInc. Adapt. "I Coríntios 13" e "Soneto 11" de Luís de CamõesAinda que eu falasse a língua do homens.E falasse a língua do anjos, sem amor eu É um não querer mais que bem querer.nada seria. É solitário andar por entre a gente. É um não contentar-se de contente.É só o amor, é isso o amor. É cuidar que se ganha em se perder.Que conhece o que é verdade.O amor é bom, não quer o mal. É um estar-se preso por vontade.Não sente inveja ou se envaidece. É servir a quem vence, o vencedor; É um ter com quem nos mata a lealdade.O amor é o fogo que arde sem se ver. Tão contrario a si é o mesmo amor.É ferida que dói e não se sente.É um contentamento descontente. Estou acordado e todos dormem todosÉ dor que desatina sem doer. dormem todos dormem. Agora vejo em parte. Mas então veremosAinda que eu falasse a língua dos homens. face a face.E falasse a língua dos anjos, sem amor eunada seria. É só o amor, é só o amor. Folha 26
  27. 27. Que conhece o que é verdade. E falasse a língua do anjos, sem amor eu nada seria.Ainda que eu falasse a língua dos homens.MAURÍCIOLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo BonfáJá não sei dizer se ainda sei sentir. Ás vezes quero ir.O meu coração já não me pertence. Para algum país distante e voltar a ser feliz.Já não quer mais me obedecer.Parece agora estar tão cansado quanto eu. Já não sei dizer o que aconteceu. Se tudo que sonhei foi mesmo um sonhoAté pensei que era mais por não saber. meu.Que ainda sou capaz de acreditar. Se meu desejo então já se realizou.Me sinto tão só. O que fazer depois, prá onde é que eu vou?E dizem que a solidão até que me cai bem. Eu vi você voltar prá mim.Ás vezes faço planos.MENINOS E MENINASLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo BonfáQuero me encontrar mas não sei onde estou. Não é a vida como está e sim as coisasVem comigo procurar um lugar mais calmo. como são.Longe dessa confusão e dessa gente que não Você não quis tentar me ajudar.se respeita. Então a culpa é de quem? A culpa é deTenho quase certeza que eu não sou daqui. quem?Acho que gosto de S. Paulo. E gosto de S. Eu canto em português errado.João. Acho que o imperfeito não participa doGosto de S. Francisco. E S. Sebastião. passado.E eu gosto de meninos e meninas. Troco as pessoas. Troco os pronomes.Vai ver que é assim mesmo e vai ser assimprá sempre. Preciso de oxigênio.Vai ficando complicado e ao mesmo tempo Preciso ter amigos.diferente. Preciso ter dinheiro.Estou cansado de bater e ninguém abrir. Preciso de carinho.Você me deixou sentindo tanto frio.Não sei mais o que dizer. Acho que te amava. Agora acho que te odeio.Te fiz comida. Velei teu sono. Fui teu São tudo pequenas coisas.amigo. E tudo deve passar.Te levei comigo e me diz: Prá mim o que éque ficou? Acho que gosto de S. Paulo. Gosto de S. João.Me deixa ver como viver é bom. Gosto de S. Francisco. E S. Sebastião. E eu gosto de meninos e meninas. Folha 27
  28. 28. SETE CIDADESLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo BonfáJá me acostumei com a tua voz. Tenho medo de mim mesmo.Com teu rosto e teu olhar. E sinto falta do teu corpo junto ao meu.Me partiram em dois.E procuro agora o que é minha metade. Vem depressa prá mim que eu não sei esperar.Quando não estás aqui. Já fizemos promessas demais.Sinto falta de mim mesmo. E já me acostumei com a tua voz.E sinto falta do meu corpo junto ao teu. Quando estou contigo estou em paz.Meu coração é tão tosco e tão pobre. Quando não estás aqui.Não sabe ainda os caminhos do mundo. Meu espirito se perde, voa longe. Longe, longe.Quando não estás aqui.SE FIQUEI ESPERANDO MEU AMOR PASSARSe fiquei esperando meu amor passar. Se fiquei esperando meu amor passar.Já me basta então que eu não sabia amar Já me basta que estava então longe deE me via perdido e vivendo em erro. sereno.Sem querer me machucar de novo por culpa E fiquei tanto tempo duvidando de mim.do amor. Por fazer amor fazer sentido.Mas você e eu podemos namorar. Começo a ficar livreE era simples: ficamos fortes. Espero. Acho que sim. De olhos fechados não me vejo.Quando se aprende a amar. E você sorriu prá mim.O mundo passa a ser seu.Quando se aprende a amar. "Cordeiro de Deus que tirai os pecados doO mundo passa a ser seu. mundo. Tende piedade de nós.Sei rimar romã com travesseiro. Cordeiro de Deus que tirai os pecados doQuero minha nação soberana. mundo.Com espaço, nobreza e descanso. Tende piedade de nós. Cordeiros de Deus que tirai os pecados do[solo de voz] mundo. Dai-nos a paz." Folha 28
  29. 29. Álbum 5: "V" Período de Gravação: Outubro a Dezembro de 1991 Data de lançamento: 15 de Dezembro de 1991 Produzido por: Mayrton BahiaMúsicas:1. Love Song2. Metal Contra As Nuvens3. Ordem Dos Templários4. Montanha Mágica5. Teatro Dos Vampiros6. Sereníssima7. Vento No Litoral8. Mundo Anda Tão Complicado9. LÂge DOr10.Come Share My LifeLOVE SONGLetra: Nuno Fernandes Torneol (s‚c XIII)Música: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo BonfáPois nasci nunca vi amor Mais rogarei a mia senhorE ouço del sempre falar. Que me mostr aquel matadorPero sei que me quer matar Ou que mampare del melhor.METAL CONTRA AS NUVENSLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo Bonfá I Sou metal: me sabe o sopro do dragão.Não sou escravo de ninguémNinguém senhor do meu domínio Reconheço o meu pesar:Sei o que devo defender Quando tudo é traiçãoE por valor e tenho O que venho encontrarE temo o que agora se desfaz. É a virtude em outras mãos.Viajamos Sete léguas Minha terraPor entre abismos e florestas É a terra que é minhaPor Deus nunca me vi tão só E sempre serÉ a própria fé o que destróiEstes são dias desleais. Minha terra Tem a lua, tem estrelas e sempre terSou metal - raio, relâmpago e trovão IISou metal, eu sou o ouro em seu brasão Folha 29
  30. 30. Quase acreditei na sua promessa Eu quero a espada em minhas mãosE o que vejo é fome e destruiçãoPerdi a minha sela e a minha espada Sou metal - raio, relâmpago e trovãoPerdi o meu castelo e minha princesa Sou metal, eu sou o ouro em seu brasão Sou metal: me sabe o sopro do dragão.Quase acreditei, quase acrediteiE, por honra, se existir verdade Não me entrego sem lutar Tenho ainda coraçãoExistem os tolos e existe o ladrão Não aprendi a me renderE há quem se alimente do que é roubo. Que caia o inimigo então.Mas vou aguardar o meu tesouroCaso você esteja mentido IVOlha o sopro do dragão. Tudo passa, tudo passar III E nossa estória, não estar Pelo avesso assimÉ a verdade o que assombra, Sem final feliz.O descaso o que condena, Teremos coisas bonitas prá contar.A estupidez o que destrói. E até lá vamos viverEu vejo tudo o que se foi Temos muito ainda por fazer.E o que não existe mais. Não olhe para trásTenho os sentidos já dormentes, Apenas começamosO corpo quer, a alma entende. O mundo começa agoraEsta é a terra de ninguém Apenas começamos.E sei que devo resistirA ORDEM DOS TEMPLÁRIOS (instrumental)Música: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo Bonfá(inclui: Douce Dame Jolie de Guillaume de Machaut sec. XIV)A MONTANHA MÁGICALetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo BonfáSou meu próprio líder: ando em círculos E não há nada a fazer agora.Me equilibro entre dias e noitesMinha vida toda espera algo de mim Para que servem os anjos?Meio sorriso, meia-lua, toda tarde. A felicidade mora aqui comigo Até segunda ordemMinha papoula da ÍndiaMinha flor da Tailândia Um outro agora vive minha vidaÉs o que tenho de suave Sei o que ele sonha, pensa e senteE me fazes tão mal. Não é coincidência a minha indiferença Sou uma cópia do que façoFicou logo o que tinha ido embora. O que temos é o que nos restaEstou só um pouco cansado E estamos querendo demaisNão sei se isto termina logoMeu joelho dói Minha papoula da Índia Folha 30
  31. 31. Minha flor da Tailândia O resto são escombros.És o que tenho de suaveE me fazes tão mal. Mas é claro que não vamos lhe fazer mal Nem é por isso que estamos aquiExiste um descontrole, que corrompe e Cada criança com seu próprio canivetecresce Cada líder com seu próprio 38Pode até ser, mas estou pronto prá mais umaO que é que desvirtua e ensina? Minha papoula da ÍndiaO que fizemos de nossas próprias vidas? Minha flor da Tailândia Chega - vou mudar a minha vidaO mecanismo da amizade, Deixa o copo encher até a bordaA matemática dos amantes Que eu quero um dia de sol num copoAgora só artesanato dágua.O TEATRO DOS VAMPIROSLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo Bonfá(introdução: Canon de Pachelbel)Sempre precisei de um pouco de atenção Quando me vi tendo de viver comigo apenasAcho que não sei quem sou E com o mundoSó sei do que não gosto Você me veio como um sonho bomE desses dias tão estranhos E me assusteiFica a poeira se escondendo pelos cantos. Não sou perfeitoEste é o nosso mundo Eu não esqueçoO que é demais nunca é o bastante A riqueza que nós temosE a primeira vez é sempre a última chance. Ninguém consegue perceberNinguém vê onde chegamos: E de pensar nisso tudo, eu, homem feitoOs assassinos estão livres, nós não estamos Tive medo e não consegui dormirVamos sair - mas não temos mais dinheiro Vamos sair - mas não temos mais dinheiroOs meus amigos todos estão procurando Os meus amigos todos estão procurandoemprego empregoVoltamos a viver como há dez anos atrás Voltamos a viver como há dez anos atrásE a cada hora que passa E a cada hora que passaEnvelhecemos dez semanas. Envelhecemos dez semanas.Vamos lá tudo bem - eu só quero me Vamos lá tudo bem - eu só quero medivertir divertiresquecer, dessa noite ter um lugar legal prá esquecer, dessa noite ter um lugar legal práir irJÁ entregamos o alvo e artilharia Já entregamos o alvo e artilhariaComparamos nossas vidas Comparamos nossas vidasE esperamos que um dia E mesmo assim, não tenho pena deNossas vidas possam se encontrar. ninguém.SERENÍSSIMALetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo Bonfá Folha 31
  32. 32. Sou um animal sentimental O que ninguém percebe é o que todo mundoMe apego facilmente ao que desperta o meu sabedesejo No entendo terrorismo, falávamos deTente me obrigar a fazer o que não quero amizade.E você vai logo ver o que acontece Não estou mais interessado no que sintoAcho que entendo o que você quis me dizer Não acredito em nada além do que duvidoMas existem outras coisas Você espera respostas que eu não tenho Mas não vou brigar por causa dissoConsegui meu equilíbrio cortejando ainsanidade, Até penso duas vezes se você quiser ficar.Tudo está perdido mas existempossibilidades, Minha laranjeira verde, porque está tãoTínhamos a idéia, você mudou os planos prateada?Tínhamos um plano, você mudou de idéia Foi da lua desta noite, do sereno da madrugadaJá passou, já passou - quem sabe outro dia. Tenho um sorriso bobo, parecido com soluçoAntes eu sonhava, agora já não durmo Enquanto o caos segue em frenteQuando foi que competimos pela primeira Com toda a calma do mundo.vez?VENTO NO LITORALLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo BonfáDe tarde quero descansar, chegar até a praia Foi só o tempo que errouVer se o vento ainda está forte Vai ser difícil sem vocêE vai ser bom subir nas pedras. Porque você está comigo o tempo todo.Sei que faço isso para esquecer E quando vejo o marEu deixo a onda me acertar Existe algo que diz:E o vento vai levando tudo embora "- A vida continua e se entregar é uma bobagem."Agora está tão longeVê, a linha do horizonte me distrai: Já que você não está aqui,Dos nossos planos é que eu tenho mais O que posso fazer é cuidar de mim.saudade, Quero ser feliz ao menos.Quando olhávamos juntos na mesma Lembra que o plano era ficarmos bem?direção. "- Ei, olha só o que achei: cavalos-Aonde está você agora marinhos."Além de aqui dentro de mim? Sei que faço isso prá esquecer Eu deixo a onda me acertarAgimos certo sem querer E o vento vai levando tudo embora.O MUNDO ANDA TÃO COMPLICADOLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo BonfáGosto de ver você dormir O telefone chega sexta-feiraQue nem criança com a boca aberta Aperta o passo, por causa da garoa Folha 32
  33. 33. Agora que temos nossa casaMe empresta um par de meias É a chave o que sempre esqueço.A gente chega na sessão das dezHoje eu acordo ao meio-dia Vamos chamar nossos amigosAmanhã é sua vez A gente faz uma feijoada Esquece um pouco do trabalhoVem c meu bem, que é bom lhe ver E fica de bate-papo.O mundo anda tão complicado Temos a semana inteira pela frenteQue hoje eu quero fazer tudo por você Você me conta como foi seu dia E a gente diz um pro outro:Temos que consertar o despertador "- Estou com sono, vamos dormir!"E separar todas as ferramentasA mudança grande chegou Vem cá meu bem, que é bom lhe verCom o fogão e a geladeira e a televisão O mundo anda tão complicado Que hoje eu quero fazer tudo por você.Não precisamos dormir no chãoAté que é bom, mas a cama chegou na terça Quero ouvir uma canção de amorE na quinta chegou o som. Que fale da minha situação De quem deixou a segurança do seu mundoSempre faço mil coisas ao mesmo tempo Por amorE até que é fácil acostumar-se com meu Por amor.jeitoLAGE DORLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo BonfáAprendi a esperar mas não tenho mais Eu vi uma serpente entrando no jardimcerteza Vai ver que é de verdade dessa vezAgora que estou bem, tão pouca coisa me Meu tornozelo coça, por causa de mosquitointeressa Estou com os cabelos molhados, me sintoContra minha própria vontade sou teimoso, limpo.sinceroE insisto em ter vontade própria. Não existe beleza na mis‚ria E não tem volta por aqui,Se a sorte foi um dia alheia ao meu sustento Vamos tentar outro caminhoNão houve harmonia entre ação epensamento. Estamos em perigo, só que ainda não entendoQual é o teu nome, qual é o teu signo? É que tudo faz sentidoTeu corpo é gostoso, teu rosto é bonitoQual é o teu arcano, tua pedra preciosa E não sei maisAcho tocante acreditares nisso. Se é só questão de sorteJÁ tentei muitas coisas, de heroína a Jesus Não sei maisTudo que já fiz foi por vaidade Não sei maisJesus foi traído com um beijo Não sei mais.Davi teve um grande amigo L vem os jovens gigantes de marmoreE não sei mais Trazendo anzóis na palma da mão.Se é só questão de sorte. Não é belo todo e qualquer mistério? Folha 33
  34. 34. O maior segredo é não haver mistérioalgum.COME SHARE MY LIFEMúsica: Tradicional folclore americanoArranjos: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo Bonfá Álbum 6: Música para Acampamentos Período de Gravação: (Coletânea de apresentações ao vivo) Data de lançamento: 1992 Produzido por: Mayrton BahiaMúsicas:DISCO 1:1. Fábrica2. Daniel na Cova Dos Leões3. Canção do Senhor da Guerra4. Teatro dos Vampiros5. Ainda É Cedo (Inc. Gimme Shelter)6. Baader-Meinhof Blues7. Montanha Mágica8. Eu Sei9. "Índios"DISCO 2:1. Dança2. Mais do Mesmo3. Soldados4. Música Urbana 25. On The Way Home6. Maurício7. Há Tempos8. Pais e Filhos9. Faroeste Caboclo10.Exit Music: Rhapsod in Blue Álbum 7: O Descobrimento do Brasil Período de Gravação: Setembro a Novembro de 1993 Data de lançamento: dezembro 1993 Produzido por: Mayrton Bahia e Legião Urbana Folha 34
  35. 35. Músicas:1. Vinte e Nove2. Fonte3. Do Espírito4. Perfeição5. Passeio da Boa Vista6. Descobrimento do Brasil7. Os Barcos8. Vamos Fazer Um Filme9. Os Anjos10.Um Dia Perfeito11.Giz12.Love In The Afternoon13.La Nuova Gioventu14.Só Por HojeVINTE E NOVELetra: Renato RussoMúsica: Renato RussoPerdi vinte em vinte e nove amizades Decidi começar a viver.Por conta de uma pedra em minhas mãosMe embriaguei morrendo vinte e nove vezes Quando você deixou de me amarEstou aprendendo a viver sem você Aprendi a perdoar(Já que você não me quer mais.) E a pedir perdão.Passei vinte e nove meses num navio E vinte e nove anjos me saudaramE vinte e nove dias na prisão E tive vinte e nove amigos outra vez.E aos vinte e nove com o retorno de SaturnoA FONTELetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo BonfáO que há de errado comigo ? Não sei mais do que sou capaz.Não consigo encontrar abrigo Esperança, teus lençóis tem cheiro deMeu país é campo inimigo doençaE você finge que vê mas não vê E veja que da fonte sou os quilômetrosLave suas mãos que é a sua porta que irão adiantebaterMas antes você ver seus pequenos filhos Celebro todo diatrazendo novidades Minha vida e meus amigos Eu acredito em mimQuantas crianças foram mortas desta vez ? E continuo limpoNão faça com os outrosO que você não quer que seja feito com Você acha que sabe mas você não vê que avocê maldade é prejuízoVocê finge que não vê e isso d câncer O que há de errado comigo ? Eu não sei nada e continuo limpo Folha 35
  36. 36. Olhe nos meus olhos, sou o homem-tochaDo lado do cipreste branco Me tira essa vergonhaÀ esquerda da entrada do inferno Me liberta dessa culpaEstá a fonte do esquecimento Me arranca esse ódioVou mais além, não bebo desta água Me livra desse medoChego ao lago da memóriaQue tem água pura e fresca Olhe nos meus olhos, sou o homem-tochaE digo aos guardiões da entrada: E está é uma canção de amor- Sou filho da Terra e do Céu E está é uma canção de amor E está é uma canção de amorDai me de beber que tenho uma sede semfimDO ESPÍRITOLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo BonfáSai de mim Não, não, não venha prá cáQue eu não quero mais saber de você Que eu não quero mais saber de você.Esse "- Eu te quero." já não me convence Não, não, não venha prá cámais Que eu não quero mais saber de você.E agora já nem me incomoda Não me procura nãoSai de mim, não gosto de ser rejeitado Você não vai me acharE agora não tem volta. Você não consegue entender.Eu pego o bonde andando [solo]Você pegou o bonde erradoSua curiosidade é m Não, não, não, venha prá cáE a ignorância é vizinha da maldade Que eu não quero mais saber de você. Não, não, não, venha prá cáE só porque eu tenho Que eu não quero mais saber de você.Não pense que é de mim que vocêVai ter e conseguir o que não tem. Não me procura não Você não vai me acharSó estou aberto a quem sempre foi do bem Você não consegue entender.E agora estou fechado prá você.PERFEIÇÃO Nossa polícia e televisãoLetra: Renato Russo Vamos celebrar o nosso governoMúsica: Dado Villa Lobos/Renato E nosso estado que não é naçãoRusso/Marcelo BonfáInc. "O Bêbado e a Equilibrista" (A. Celebrar a juventude sem escolasBlanc/J. Bosco) As crianças mortas Celebrar nossa desunião1 Vamos celebrar Eros e ThanatusVamos celebrar a estupidez humana Persáphone e HadesA estupidez de todas as nações Vamos celebrar nossa tristezaO meu país e sua corja de assassinos Vamos celebrar nossa vaidadeCovardes, estupradores e ladrõesVamos celebrar a estupidez do povo 2 Folha 36
  37. 37. Vamos comemorar como idiotas Vamos cantar juntos o hino nacionalA cada fevereiro e feriado (A lágrima é verdadeira)Todos os mortos nas estradas Vamos celebrar nossa saudadeE os mortos por falta de hospitais E comemorar a nossa solidãoVamos celebrar nossa justiça 4A ganância e a difamação Vamos festejar a invejaVamos celebrar os preconceitos A intolerância e a incompreensãoE o voto dos analfabetos Vamos festejar a violência E esquecer a nossa genteComemorar a água podre Que trabalhou honestamente a vida inteiraTodos os impostos, queimadas, mentiras e E agora não tem mais direito a nadasequestrosNosso castelo de cartas marcadas Vamos celebrar a aberraçãoO trabalho escravo e nosso pequeno De toda nossa falta de bom sensouniverso Nosso descaso por educaçãoToda a hipocrisia e toda a afetaçãoTodo o roubo e toda a indiferença Vamos celebrar o horror de tudo issoVamos celebrar epidemias Com festa, velório e caixãoÉ a festa da torcida campeã Está tudo morto e enterrado agora JÁ aqui também podemos celebrar3 A estupidez de quem cantou essa cançãoVamos celebrar a fomeNão ter a quem ouvir 5Não se ter a quem amar Venha, meu coração está com pressa Quando a esperança está dispersaVamos alimentar o que é maldade Só a verdade me libertaVamos machucar um coração Chega de maldade e ilusãoVamos celebrar nossa bandeiraNosso passado de absurdos gloriosos Venha, o amor tem sempre a porta aberta E vem chegando a primaveraTudo o que é gratuito e feio Nosso futuro recomeçaTudo o que é normal Venha, que o que vem é perfeiçãoO PASSEIO DA BOA VISTA (Instrumental)Música: Dado Villa-Lobos/Renato RussoO DESCOBRIMENTO DO BRASILLetra: Renato RussoMúsica: Marcelo BonfáEla me disse que trabalha no correio Quem viu a tua alma entrar?E que namora um menino eletricistaEstou pensando em casamento, Quem são teus inimigos?Mas não quero me casar. Quem é de tua cria? A professora Adélia,Quem modelou teu rosto? A tia EdilamarQuem viu a tua alma entrando? E a tia Esperança. Folha 37
  38. 38. Ser que você vai saberSer que você vai saber O quanto penso em você com o meuO quanto penso em você com o meu coração?coração? A gente quer é um lugar prá genteQuem está agora a teu lado? A gente quer é de papel passadoQuem para sempre está? Com festa, bolo e brigadeiroQuem para sempre estar? A gente quer um canto sossegado A gente quer um canto de sossego.Ela me disse que trabalha no correioE que namora um menino eletricista Estou pensando em casamentoAs famílias se conhecem bem Mas ainda não posso me casar.E são amigas nesta vida. Eu sou rapaz direito E fui escolhido pela menina mais bonita.OS BARCOSLetra: Renato RussoMúsica: Dado Villa Lobos/Renato RussoVocê diz que tudo terminou Ó dor, se há - tentava, já não tento.Você não quer mais o meu quererEstamos medindo foras desiguais: E ao transformar em dor o que é vaidadeQualquer um pode ver E ao ter amor se este é só orgulhoQue isso terminou prá você. Eu faço da mentira, liberdade E de qualquer quintal faço cidadeSão isso palavras: teço ensaio e cenaA cada ato enceno a diferença E insisto que é virtude o que é entulho:Do que é amor ficou o seu retrato Baldio é o meu terreno e meu alarde.A peça que interpretoUm improviso insensato Eu vejo você se apaixonando outra vezEssa saudade eu sei de cor Eu fico com a saudadeSei o caminho dos barcos. Você com outro alguém. E você diz que tudo terminouE a muito estou alheio e quem me entende Mas qualquer um pode ver:Recebe o resto exato e tão pequeno: Isso terminou prá você.VAMOS FAZER UM FILMELetra: Renato RussoMúsica: Renato RussoAchei um 3x4 teu e não quis acreditar O sistema é maus, mas minha turma é legalQue tinha sido a tanto tempo atrás Viver é foda , morrer é difícilUm exemplo de bondade e respeito Te ver é uma necessidadeDo que o verdadeiro amor é capaz. Vamos fazer um filme.A minha escola não tem personagem E hoje em dia, como é que se diz: "Eu teA minha escola tem gente de verdade amo."?Alguém falou do fim do mundo,O fim do mundo já passou Sem essa de que: "Estou sozinho."Vamos começar de novo: Somos muito mais que issoUm por todos, todos por um. Somos pingüim, somos golfinho Homem, sereia e beija-flor Folha 38

×