Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

001.HIST.ANT.AUG

128 views

Published on

001.HIST.ANT.AUG

Published in: Law
  • Be the first to comment

001.HIST.ANT.AUG

  1. 1. AULA 01HISTÓRIA E ANTROPOLOGIA
  2. 2. DIREITO AULA 001 HISTÓRIAANTROPOLOGIA FABRÍCIO CARLOS ZANIN AUGUSTINOPOLIS 10.10.16
  3. 3. SEJAM BEM VIND@S!
  4. 4. O QUE VAMOS VER?
  5. 5. AULA 001 # Apresentação do professor # Apresentação dos alunos # Apresentação da disciplina # Alguns conceitos importantes # Orientações para próximas aulas
  6. 6. APRESENTAÇÃO DO PROFESSOR
  7. 7. PROFESSOR # Nome = fabricio carlos zanin # Formação = mestre filosofia do direito # Áreas de interesse = propedêuticas # Planos = doutorado e concursos (aprovado em 1º lugar = UNITINS.2014) (aprovado em 2º lugar = UFT.2016)
  8. 8. professorzanin. blogspot.com.br ------------------------------------------------------ Visite: facebook, linkedin, lattes, G+
  9. 9. APRESENTAÇÃO DOS ALUNOS
  10. 10. APRESENTAÇÃO DOS ALUNOS # QUESTIONÁRIO NO EDUC@NOME IDADE CIDADE MORA TRABALHO EMAIL TELEFONE WHATSAPP
  11. 11. APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA
  12. 12. APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA # PLANO DE ENSINOANTES, GRUPO DO WHATSAPP DA DISCIPLINA. QUEM?
  13. 13. EMENTA
  14. 14. Estudo crítico das características evolutivas do direito, desde suas primeiras manifestações até a contemporaneidade, com abordagem especial de aspectos relevantes da evolução histórica e cultural do direito. Movimentos étnico-culturais. Método e conceitos básicos da história e da antropologia. Estudo da história e da antropologia e suas relações com o direito. Antropologia contemporânea e escolas nacionais. História e suas escolas teóricas.
  15. 15. OBJETIVO GERAL
  16. 16. Introduzir o aluno no campo da ciência histórica e antropológica, familiarizando-o com seus objetos e os métodos e, a seguir, mostrar sua importância para uma abordagem mais ampla, profunda, humanista e radical da ciência jurídica, fazendo-o compreender a complexidade do fenômeno jurídico.
  17. 17. METODOLOGIA
  18. 18. Com base nos processos de construção de conhecimento mediante autonomia e interdisciplinaridade, o conteúdo da disciplina será desenvolvido através de uma metodologia dialética, expressa na prática docente através de pesquisas, debates e discussões, seminários, estudo de textos, de casos, solução de problemas e estudo da realidade, além de aulas pelo ambiente virtual de aprendizado Educ@..
  19. 19. CALENDÁRIO E TÓPICOS
  20. 20. 10.10.16, SEGUNDA, AULA 001 = APRESENTAÇÕES: PROFESSOR, ALUNOS E DISCIPLINA 12.10.16, QUARTA, AULA 002 = CIÊNCIA DA HISTÓRIA: TEORIAS E MÉTODOS 14.10.16, SEXTA, AULA 003 = HISTÓRIA: ANTES E DEPOIS DAS PRIMEIRAS CIDADES 17.10.16, SEGUNDA, AULA 004 = CIVILIZAÇÕES - EGITO, MESOPOTÂMIA E HEBREUS 19.10.16, QUARTA, AULA 005 = ÍNDIA E CHINA 21.10.16, SEXTA, AULA 006 = GRÉCIA E ROMA 24.10.16, SEGUNDA, AULA 007 = DIREITO NA IDADE MÉDIA 26.10.16, QUARTA, AULA 008 = DIREITO NO BRASIL COLÔNIA 27-29.10.16, QUINTA, SEXTA E SÁBADO = A1 31.10.16, SEGUNDA, AULA 009 = DIREITO NO BRASIL IMPÉRIO
  21. 21. 01.11.16, TERÇA = NOTAS A1 02.11.16, QUARTA, AULA 010 = O DIREITO NAS REPÚBLICAS DO BRASIL 04.11.16, SEXTA, AULA 011 = CONCEITOS DE ANTROPOLOGIA 07.11.16, SEGUNDA, AULA 012 = ANTROPOLOGIA E DIREITOS DAS MINORIAS 09.11.16, QUARTA, AULA 013 = MINORIAS E VÁRIOS TIPOS DE (NOVOS) DIREITOS 11.11.16, SEXTA, AULA 014 = BRASIL: RAÇAS ETNIAS E PRECONCEITOS 12.11.16, SÁBADO = 2ª CHAMADA A1 14.11.16, SEGUNDA, AULA 015 = HISTÓRIA DA ANTROPOLOGIA 16.11.16, QUARTA, AULA 016 = ESCOLAS NACIONAIS E PARADIGMAS I 18.11.16, SEXTA, AULA 017 = ESCOLAS NACIONAIS E PARADIGMAS II
  22. 22. 21.11.16, SEGUNDA, AULA 018 = ESCOLAS NACIONAIS E PARADIGMAS III 23.11.16, QUARTA, AULA 019 = CULTURA OCIDENTAL E GLOBALIZAÇÕES 25.11.16, SEXTA, AULA 020 = JEITINHO BRASILEIRO 28.11.16, SEGUNDA = REVISÃO GERAL 01-03.12.16, QUINTA, SEXTA E SÁBADO = A2 05-09.12.16, SEMANA TODA = 2ªCHAMADA 10.12.16, SÁBADO = NOTAS A2 15-16.12.16, QUINTA E SEXTA = EXAME FINAL 15-16.12.16, QUINTA E SEXTA = EXAME FINAL
  23. 23. DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS
  24. 24. De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Direito (DCN, Res. N.9, MEC, CNE, CES, de 2004), a história do direito e a antropologia jurídica são disciplinas que fazem parte do eixo de formação fundamental do profissional bacharel em Direito. Como tais, essas disciplinas são, na sua essência, interdisciplinares, pois fundamentam-se no contato da ciência jurídica com outras ciências – no caso, história e antropologia – a partir de metodologias inter-, trans- e multidisciplinares, resultantes de um amplo debate na filosofia da ciência ou epistemologia contemporânea. Não se trata apenas do contato externo da ciência jurídica com outras ciências, mas também e fundamentalmente do contato interno, ou seja, desta disciplina com outras disciplinas da própria ciência jurídica.
  25. 25. BIBLIOGRAFIA BÁSICA
  26. 26. LIVRO ADOTADO: MACIEL, José Fábio Rodrigues; AGUIAR, Renan. História do Direito. 6.ed. São Paulo Saraiva, 2013. ARTIGO ADOTADO: ZANIN, Fabrício Carlos Zanin; COSTA, Sebastião Patrício Mendes da. Direito, Antropologia e pesquisa empírica no Brasil. No prelo.
  27. 27. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
  28. 28. ASSIS, Olney Queiroz; KUMPEL, Vitor Frederico. Manual de Antropologia Jurídica. São Paulo: Saraiva. COLAÇO, Thais Luzia. Elementos de Antropologia Jurídica. São Paulo: Conceito Editorial. PAULINO, Gustavo Smizmaul. Antropologia Jurídica – Coleção Roteiros Jurídicos. São Paulo: Saraiva. NASCIMENTO, Walter Vieira do. Lições de História do Direito. São Paulo: Forense.
  29. 29. SILVA, Ângelo Roberto Ilha da. Da inimputabilidade penal em face do atual desenvolvimento da psicopatologia e da antropologia. Porto Alegre: Livraria do Advogado. ALVES, Elizete Lanzoni. Iniciação à Antropologia Jurídica: por onde caminha a humanidade? São Paulo: Conceito. KANT, Roberto Lima. Ensaios de Antropologia e Direito. São Paulo: Lumen Juris. GUEDES, Armando Marques. Entre Factos e Razões: contextos e enquadramentos da Antropologia Jurídica. Lisboa: Almedina.
  30. 30. KUPER, Adam. Cultura: a visão dos antropólogos. São Paulo: Edusc. AZEVEDO, Fernando. A cultura brasileira. São Paulo: Melhoramentos. NEDER, Gislene. História e Direito: jogos de encontros e transdiciplinaridade. São Paulo: Revan. COULANGES, Fustel de. A Cidade Antiga. São Paulo: Edipro. CASTRO, Flávia Lages de. História do Direito: Geral e do Brasil. São Paulo: Lumen Juris.
  31. 31. DICAS DE SAITES
  32. 32. <http:www.estadodedireito.com.br>. <http:www.conpedi.org.br>. <http://www.scielo.org>. <http://www.capes.gov.br>. <http://scholar.google.com.br>. <http://www.ihuonline.unisinos.br/>. <http://www.dhnet.org.br/>. <http://www.abant.org.br/>. <http://www.aibr.org/>. <http://ww.ibhd.org.br>. <http://www.4shared.com/>. <http://pt.scribd.com/>. <http://www.youtube.com/>. <http://www.stf.jus.br>. <http://www.todospelaeducacao.org.br/>. <http://www.direitodoestado.com/revista>. <http://www.direitopublico.com.br>. <http://www.dominiopublico.gov.br>. <http://www.academia.edu>. <http://www.passeidireto.com.br>.
  33. 33. PRA INÍCIO DE CONVERSA
  34. 34. A CIÊNCIA DA HISTÓRIA E O DIREITO # OBJETO DA HISTÓRIA = TEMPO # CONTINUIDADE E MUDANÇA # O DIREITO É SEMPRE IGUAL NO TEMPO?
  35. 35. PARA QUÊ ESTUDAR HISTÓRIADIREITO? # FORMAÇÃO HUMANÍSTICA CNJ 2009 # DOGMÁTICA E ZETÉTICA # DESNATURALIZAR E DESCONSTRUIR
  36. 36. A CIÊNCIA ANTROPOLÓGICA E O DIREITO # OBJETO DA ANTROPOLOGIA = SER HUMANO NA SOCIEDADE E NA CULTURA # QUEM MANDA EM QUEM: INDIVÍDUO NA CULTURA OU CULTURA NO INDIVÍDUO? # O DIREITO É SEMPRE IGUAL NAS CULTURAS?
  37. 37. PARA QUÊ ESTUDAR ANTROPOLOGIADIREITO? # FORMAÇÃO HUMANÍSTICA CNJ 2009 # DOGMÁTICA E ZETÉTICA # VIRADA ANTROPOLÓGICA # CULTURALIZAR!
  38. 38. PRA REFLETIR
  39. 39. FRASES PARA REFLEXÃO # NÃO HÁ DIREITO SEM O SER HUMANO # NÃO HÁ SER HUMANO FORA DA CULTURA # NÃO HÁ CULTURA FORA DA HISTÓRIA
  40. 40. OBRIGADO BONS ESTUDOS! ATÉ A PRÓXIMA!
  41. 41. PRÓXIMA AULA 12.10.16

×