Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

ProXXIma Wrap up - 10 de maio

332 views

Published on

Este ano, o ProXXIma, entre outras novidades, vai colocar à disposição do mercado resenhas com um resumo dos dois dias do evento. É o nosso Wrap Up, patrocinado pelo UOL AD_LAB.
Confira abaixo o resumo do 2º dia. Boa leitura!

Published in: Marketing
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

ProXXIma Wrap up - 10 de maio

  1. 1. WRAP UP 10 de maio
  2. 2. Soluções de mídia, conteúdo e tecnologia com a equipe mais completa e preparada do mercado. Saiba Mais
  3. 3. OLIVER, A AGÊNCIA QUE CRIA AGÊNCIAS Durante a sua palestra no ProXXIma 2017, Simon Martin, fundador da Oliver, falou sobre o modelo de negócios de sua agência, que cria e gerencia agências in house nos clientes. Martin ressaltou o crescimento rápido desde o início das atividades, em 2004 – hoje são 70 unidades espalhadas pelo mundo e mais de 1.200 funcionários. Para trazer resultados inspiradores e eficazes, ele reforçou três diretrizes: operação em alta velocidade, confiança e transparência, e orientação de mercado. Esse conjunto de ações, disse ele, tem de ser feito ao mesmo tempo e de maneira frequente. “Precisamos reinventar constantemente nossos modelos de negócios e operar estando à frente do que é necessário, ao invés de reagir a isso”, afirmou acrescentar que é vital entregar na velocidade de uma nova cultura, ou seja, de maneira mais ágil e adaptável. A transparência, assunto que norteou diversas palestras do evento, voltou à tona na apresentação do fundador da Oliver. Segundo ele, existem muitas ferramentas disponíveis que ajudam a garantir a transparência para uma atuação em genuína harmonia e colaboração com os clientes. Ao final da conversa, Martin confirmou no palco a abertura do escritório da Oliver no Brasil no segundo semestre. Simon Martin, fundador da Oliver 10 de maio Wrap up by Foto:CelinaFilgueiras
  4. 4. MÍDIA: QUAL O FUTURO? Outro ponto levantado durante o bate-papo foi a preocupação com relação ao modelo de monetização do digital. “Hoje, essa receita é incipiente, porém não tenho dúvidas de que ela ganhará relevância ao longo do tempo”, disse Maciel, do SBT. O executivo destacou como case uma ação realizada com a novela Carinha de Anjo, que tem uma vlogueira como personagem. Uma estratégia criada para a Nivea acionou diversos pontos de contato com a audiência, como o próprio vlog da personagem, passando pela trama da novela, anúncio, até voltar novamente ao digital. Já o Grupo Estado vem trabalhando fortemente com branded content e investindo para conhecer as ferramentas e entender como o público interage em suas plataformas. 10 de maio Foto:DeniseTadei O Grupo Estado passa pela sua mais profunda mudança no modelo de negócios. A informação foi revelada por Francisco Mesquita Neto, Diretor- presidente do Grupo Estado, durante conversa com Pyr Marcondes no ProXXIma 2017. “Antes, a empresa mais se adaptava do que se transformava”, comentou. O formato atual envolve uma volta ao passado com o foco no consumidor de conteúdo e não mais no cliente que traz publicidade. No SBT, o caminho é semelhante. José Roberto Maciel, Vice-Presidente da companhia, contou que existe uma retomada à essência do negócio, que é a produção de conteúdo - agora voltada para alcançar o público não importa onde ele esteja. O SBT, aliás, dobrou o volume de programas próprios, já como um reflexo dessa diretriz. A distribuição, por sua vez, está deixando de ser commodity com o digital, já que ele permite que o conteúdo seja difundido de maneira diversificada. José Roberto Maciel, SBT e Francisco Mesquita Neto, Grupo Estado Wrap up by
  5. 5. ESPORTES E MUNDO DIGITAL: COMO MARCAR UM GOLAÇO NOS DOIS CAMPOS? Dayyan Morandi, Fundador da LX Consultoria Internacional de Sports&Digital Marketing, contou no papo com Bianca Maksud, Diretora de Marketing do Esporte Grupo Globo, e Marcelo Salles Gomes, VP do Grupo Meio&Mensagem, que sua empresa criou um sistema de inteligência que entrega para as marcas a possibilidade de realizar negócios usando plataformas digitais de grandes nomes do esporte, aumentando, assim, a monetização dentro desse universo. Um dos cases apresentados por Morandi envolveu uma estratégia para a companhia de fitness Nabufit, que teve o jogador Neymar com embaixador da marca. Bianca comentou na conversa que o digital trouxe a possibilidade de direcionar o portfólio de conteúdo e direitos do Grupo Globo para diferentes Dayyan Morandi – LX Consultoria Internacional de Sports & Digital Marketing e Bianca Maksud – Esporte Grupo Globo 10 de maio Wrap up by plataformas, ao mesmo tempo em que permitiu o recebimento de feedbacks dos usuários com grande rapidez.“Esse retorno nos dá insumos para outras possibilidades de conteúdo, seja para algo diretamente ligado ao evento esportivo ou para o desenvolvimento de um aplicativo, por exemplo”, comentou a Diretora. O trabalho elaborado para os jogos Rio 2016 foi citado como case do grupo. “Transformar o esporte em entretenimento permite que as marcas entrem no conteúdo, o que é o gol que todos buscam. Para isso, é preciso estudar maneiras de como não agredir o consumidor e, ao mesmo tempo, atrelar empresas que tenham conexão com o que está sendo apresentado”, disse Bianca Maksud. Foto:DeniseTadei
  6. 6. DIGITAL DE PONTA A PONTA: A META DO ITAÚ “Focar na cultura da empresa é o grande mindset para que a companhia seja realmente digital”, disse Marcelo Trevisani, Chief Marketing Officer da CI&T, parceira da instituição financeira. Ellen ressalta que a transformação digital do banco vai além de uma única área e ocorre na concepção de produtos, na precificação, na distribuição e na marca. Um exemplo de produto criado com essa nova mentalidade foi o app Itaú Light, voltado para pessoas que não têm familiaridade com o digital. De acordo com Renata Feltrin, Gerente Sênior da CI&T, o principal fundamento da metodologia Lean, que vem sendo adotada pelo Itaú, é identificar o que é valor para a empresa e entregá-lo continuamente. 10 de maio Foto:CelinaFilgueiras O atendimento nos canais de internet e mobile do Itaú vem crescendo exponencialmente, sendo que 2013 foi o ano da vidada. Toda a evolução do digital levou a instituição a repensar a sua estratégia de negócio, promover uma mudança estrutural, e reforçar a importância da experiência para o cliente. “O consumidor quer que o banco se antecipe às suas necessidades e faça a entrega de maneira simples, interativa e lúdica. Desta forma, a gestão da experiência completa, de ponta a ponta, é fundamental para que cada interação seja relevante e traga valor ao cliente”, afirmou a Ellen Kiss, Superintendente de Marketing Digital do Itaú, durante a sua palestra. Ellen Kiss, Itaú; Marcelo Trevisani, CI&T e Renata Feltrin, Gerente Senior da CI&T Wrap up by
  7. 7. “No Itaú, a questão da experiência do cliente vai além do mercado financeiro. Hoje, nossos benchmarks não são os principais concorrentes, mas sim empresas de tecnologia como Apple, Google e Amazon” Ellen Kiss - Superintendente de Marketing Digital do Itaú
  8. 8. MARKETING E INOVAÇÃO JUNTOS COM TECNOLOGIA: MAS COMO ISSO FUNCIONA? 10 de maio Na conversa da Natura, Agenor Leão, Vice-Presidente de Tecnologia Digital da companhia, contou que as áreas de tecnologia das grandes empresas começaram a despertar há pouco tempo para o fato de que não é mais possível atuar com sistemas caros e projetos longos. “O papel da tecnologia dentro das companhias tem de ser o de impulsionar a transformação digital”, disse. Na Natura, esse processo vem ocorrendo há cerca de quatro anos. Para Andrea Alvares, Vice-Presidente de Marketing, Inovação e Sustentabilidade da Natura, a grande natureza “digitalizável” da empresa está justamente no modelo de venda direta. Hoje, a companhia tem 1,5 milhão de consultoras no Brasil e cerca de 500 mil fora do País. “Podemos capturar valor para potencializar essa rede em direção a um bem comum, a um propósito conjunto, e oferecer ferramentas para que essas pessoas exerçam suas funções da maneira mais eficiente e ágil possível”, comentou a VP. A transformação desse ativo está sendo otimizada pelo digital com plataformas de e-commerce e soluções de mobile, por exemplo. Como destaque da integração entre marketing e tecnologia atrás de uma ideia criativa, Andrea trouxe o case do lançamento da Casa de Perfumaria do Brasil. “Apesar de termos um caminho percorrido e, de fato já começamos a colher vários resultados tangíveis dessa integração, ela não foi natural e intuitiva. A gente ainda tende a trabalhar mais em departamentos separados do que em rede. O que mudou foi que abraçamos a ideia de que um pode ajudar o outro e isso se refletiu, inclusive, nos nossos times”, finalizou a executiva. Andrea Alvares e Agenor Leão da Natura Wrap up by Foto:DeniseTadei
  9. 9. O DIGITAL OUT OF HOME ASSUME SEU PROTAGONISMO: EFICÁCIA E RESULTADOS Resumida pela sigla OOH, a mídia Out of Home é qualquer tipo de propaganda, como diz o nome, fora de casa. Em um mundo cada vez mais digital, as possibilidades de aplicação de tecnologia e inteligência artificial nas peças publicitárias potencializam o sucesso do formato. “Estamos trabalhando fortemente o OOH nos Estados Unidos e tudo está ligado a entender o comportamento da audiência e classificá-la corretamente”, afirmou Kenneth Brinkmann, Diretor do Posterscope USA. O palestrante ressaltou a importância dos dados gerados pelos celulares, que permitem o que se chama de “geo audience insights”, oferecendo ao consumidor a oferta certa no momento ideal. Com o recurso de “eye tracking”, por exemplo, é possível mensurar a reação do público a uma peça publicitária, suas expressões faciais e a aprovação ou reprovação. Participante do debate, Eduardo Alvarenga, CEO da Elemidia, comentou: “Os últimos cinco anos foram transformadores com entrada de players internacionais no Brasil. Temos hoje um inventário qualificado e capaz de executar iniciativas como essas”. Na opinião de Alexandre Guerrero, VP comercial da Eletromidia, é difícil citar uma categoria que não esteja contemplando o OOH digital no planejamento. “OOH é a mídia das mídias. Gera audiência para outros veículos e awareness para a marca. Essa indústria vai crescer junto com a de infraestrutura”, disse. Kenneth Brinkmann, Posterscope USA; Alexandre Guerrero, Eletromidia e Eduardo Alvarenga, Elemidia e ABOOH 10 de maio Wrap up by Foto:DeniseTadei
  10. 10. CONSULTORIA VIRA AGÊNCIA. AGÊNCIA VIRA CONSULTORIA. VIROU ZONA? Com planos de marketing cada vez mais baseados em dados e recursos tecnológicos, as agências de publicidade passaram a enfrentar um novo tipo de concorrência: a das consultorias. Com a moderação de Alexandre Zaghi Lemos, editor do Meio & Mensagem, o diálogo entre Alessandro Cosin, CEO da Cosin Consulting Linked by Isobar, e Léo Cid Ferreira, Chief Strategy Officer da Accenture Interactive Latin America, trouxe um novo olhar sobre o tema. Por um lado, falta às consultorias a veia criativa. Por outro, as agências em seus formatos tradicionais, apartadas dos dados, deparam-se com limitações de performance. Tanto Cosin quanto Ferreira concordam que o melhor a fazer é trabalhar em conjunto, amarrando todas as pontas, em benefício do cliente. Alessandro Cosin, Cosin Consulting Linked by Isobar e Léo Cid Ferreira, Accenture Interactive – Latin America 10 de maio Wrap up by Recém-migrado de agência para consultoria, Ferreira tem uma visão otimista. “A beleza do negócio é trazer o poder da criatividade para dentro de um ambiente que é prestador de serviço, conectar aos dados e as demandas do cliente para uma entrega mais completa. Ganha o jogo quem quer aprender”, disse. Na opinião de Cosin, as consultorias conseguem tangibilizar a criatividade. “Nem sempre as agências trazem a habilidade de transformar ideias inovadoras em modelo de negócio. Para mim, como consultoria, um dos principais fatores de sucesso é a criatividade”, completou. Foto:DeniseTadei
  11. 11. TELECOM E COMUNICAÇÃO: UMA INDÚTRIA SÓ? Em um universo onde dados valem ouro e aplicativos como Whatsapp e Waze faturam mais do que suas próprias plataformas, a área de telecomunicações tem um desafio a enfrentar. Segundo Joe Strolz, Head das Américas da AOL Inc, um fenômeno global já é realidade: empresas de telecomunicações adquirirem companhias de mídia. “O mercado publicitário está sendo definido por dados e conteúdo premium. Trata-se de uma oportunidade para as empresas de telecom, que são as maiores fontes de dados do planeta. Serão necessários mais tecnologia e mais conteúdo”, disse. Presente no debate, Ricardo Sanfelice, Vice-presidente de Estratégia Digital e Inovação da Telefônica Vivo, pontuou que faz parte da estratégia das telecoms construir bases de dados e criar melhores produtos para seus clientes. “Todo o tráfego passa pelas nossas redes. É uma maneira diferente de criarmos uma nova fonte de receita que não seja cobrar assinatura do consumidor”, afirmou. O debate também trouxe temas como a chegada do 5G, a discussão entre bots x apps e os creative shops, áreas de criação instaladas dentro das empresas de telecomunicação. “O mercado está passando por uma redefinicão geral, com todos os papeis sendo repensados. Nesse aspecto dos creative shops, pretendemos trabalhar com parcerias em projetos publicitários para melhor atender o mercado e as marcas”, explicou. Joe Strolz, AOL Inc e Ricardo Sanfelice, Telefônica Vivo, Moderador: Léo Xavier, Pontomobi 10 de maio Wrap up by Foto:DeniseTadei
  12. 12. COM A PALAVRA, OS GRANDES PLAYERS GLOBAIS marcas e consumidores sejam mais transparentes. Temas como segurança e privacidade também foram citados no talk. Diego Dzodan, Vice-presidente do Facebook, ressaltou a preocupação da empresa no que diz respeito à preservação dos dados e privacidade do usuário. “O objetivo do Facebook é entregar valor para a pessoa que decidiu compartilhar informações na plataforma”, pontuou. Para Fiamma Zarife, Diretora-Geral do Twitter Brasil, os dados vão ajudar as marcas a entrarem melhor no contexto do usuário. “Dados, criatividade e tecnologia: o conteúdo tem que permear tudo isso. A inovação dentro do Twitter está em ajudar as agências a criarem conteúdo autêntico criativo, com linguagem de internet”, contou. 10 de maio Foto:DeniseTadei O que esperar de um bate-papo sobre o futuro da comunicação entre os representantes no Brasil de players como Google, Facebook, Twitter e IAB? Para começo de conversa, um consenso: dados são o recurso mais valioso do mundo contemporâneo. Com o foco em negócios, o ProXXIma 2017 perguntou aos líderes sobre a maneira como suas empresas lidam com eles, sob o ponto de vista financeiro. “Dados sempre tiveram um valor financeiro. Precisam apenas ficar claras e maduras as relações entre quem os gera e quem os vende”, disse Cristiano Nobrega, Presidente do IAB-Brasil. Para ele, esse processo passa por capacitação e certificação profissionais e também do amadurecimento do mercado. Porta-voz do Google Brasil, Fabio Coelho comentou que o uso correto dos dados permite que pessoas tomem decisões melhores e que as relações entre Cristiano Nobrega, IAB-Brasil; Fabio Coelho, Google Brasil; Diego Dzodan, Facebook e Fiamma Zarife, Twitter Brasil Wrap up by
  13. 13. Saiba Mais Soluções de mídia, conteúdo e tecnologia com a equipe mais completa e preparada do mercado.
  14. 14. evento.proxxima.com.br

×