Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

E-book EuSaúde - Doenças Cardiovasculares

119 views

Published on

E-book EuSaúde - Doenças Cardiovasculares

Published in: Healthcare
  • Login to see the comments

E-book EuSaúde - Doenças Cardiovasculares

  1. 1. Editor médico Reginaldo Albuquerque - CRM 647/DF Responsável Técnico Ricardo Cabral - CRM 31594/MG Organização: Laura Gris Mota, jornalista - 2573/DF Equipe Eu Saúde Patrícia Cabral Santiago EuSaúde Doenças Cardiometabólicas é parte da coleção “EuSaúde” e está licenciado com Cre- ative Commons - Atribuição-Não Comercial 4.0 Internacional. Estudos mostram que pessoas que têm maior conhecimento sobre saúde, têm muito mais saúde. Por isso, a Health Insight criou um projeto com o objetivo de engajar pessoas na promoção de saúde e bem-estar, a partir de um programa de educação, compartilhamento de experiências e adesão a programas de prevenção, seguimento de tratamentos para pacientes crônicos e qualidade de vida: O EuSaúde. Comunidades dedicadas a cada assunto, como Gestação, Cân- cer ou Diabetes, por exemplo, tornam possível que usuários interajam e compartilhem experiências e expectativas com pessoas que estão pas- sando pelo mesmo momento de vida. Também é possível falar com pro- fissionais de saúde, que podem tirar dúvidas sobre os assuntos relacio- nados. Como suporte à experiência, será disponibilizada uma biblioteca de conteúdos médicos, ebooks e vídeos sobre cada tema. O engajamento de pacientes na promoção da saúde é um conceito amplo, que vem crescendo em todo o mundo, por que já se sabe que só assim poderemos, ao mesmo tempo, enfrentar doenças e aumentar a qualidade de vida e o bem-estar. Estimulamos o conhecimento, a adesão a programas de saúde, a convivência em redes de afinidade e o com- partilhamento de dados e experiências. Esse livro faz parte da coleção EuSaúde e apoia o aprendizado básico sobre cada tema. Aprenda com o livro e inscreva-se em nosso programa, pelo site www.eusaude.com.br Icones Freepick from Flaticon, licenciados pela Creative Commons BY 3.0 e HelgaMariah— Shutterstock.
  2. 2. Sumário Página 04. Contexto Página 06. Página 11. PrevinirConhecer Emoções Página 16. Página 18. Página 23. Tratar Vivendo com
  3. 3. 6 7 Doenças cardiovasculares são doenças que afetam o sistema circulatório, ou seja, os vasos sanguíneos e o coração. Dados do Hospital do Coração (Hcor), em São Paulo, mostram que 29,4% das mortes no Brasil são causadas por doenças cardio- vasculares. Homens acima de 55 anos são as principais vítimas. Contexto Brasil 01. Contexto Vasculares = Vasos sanguíneos, artérias, veias e vasos capilares Cárdio = Coração
  4. 4. 8 9 02.Conhecer Para funcionar, o corpo precisa de oxigênio, que circula pelos ór- gãos através do sangue, que passa pelas artérias. Quando ocorrem doenças que afetam o coração ou as artérias, elas são chamadas de doenças cardiovasculares. A mais comum é o fechamento das artérias: a aterosclerose. Quando isso acontece, ocor- re a interrupção do oxigênio e um infarto. Além da aterosclerose, também são doen- ças cardiovasculares as arritmias cardíacas e as isquemias (anginas). Como tudo começa Coração Arterias Orgãos Coração Qualquer pessoa, inclusive crianças, pode desenvolver doença cardíaca. O principal motivo da ateroscle- rose é a gordura no sangue. Ao lon- go dos anos, o acúmulo de gordu- ra entope as artérias e impedem a passagem do sangue. As causas da aterosclerose po- dem ser de origem genética, mas o principal motivo para o acúmulo é comportamental. Obesidade, se- dentarismo, tabagismo, hiperten- são, colesterol alto e consumo ex- cessivo de álcool são as principais razões para a ocorrência dos blo- queios das artérias. A doença co- meça a se desenvolver na infância e progride até a idade adulta. A velo- cidade do seu desenvolvimento de- pende da influência ou da presença dos fatores de risco. ATEROSCLEROSE ARRITMIA CARDÍACA - Arritmias cardíacas são altera- ções elétricas que provocam alteração no ritmo do cora- ção - a taquicardia é quando o coração bate rápido demais; a bradicardia, quando as batidas são muito lentas. O cora- ção também pode bater de forma irregular (descompasso). As arritmias são as principais causas da morte súbita. ISQUEMIA é quando há o estreitamento das artérias que levam sangue rico em oxigênio para o coração.
  5. 5. 10 11 O infarto é quando uma artéria do coração fica obstruída e reduz o fluxo de sangue para esse órgão. Isso pode acontecer por um coágulo de sangue ou por uma placa de gordura. Infarto ou ataque cardíaco Acidentes vasculares cerebrais – Derrames Acidentes Vasculares Cerebrais, conhecidos como derrames ou AVC, são uma importante causa de morte no Brasil. Ela ocorre quando há o bloqueio do fluxo de sangue para uma região do cére- bro. Quando o AVC é identificado no início dos sintomas, pode-se reduzir significativamente suas sequelas. Dor intensa que não desaparece. A dor pode irradiar para o braço esquerdo, pescoço, costas, abdome. Náuseas e um suor frio. Respiração que se torna mais curta. Na presença de algum destes sintomas, procure imediatamen- te um serviço médico de urgência. Os sintomas do infarto podem variar de pessoa para pessoa. Para a maioria das pessoas pode ocorrer um ligeiro desconfor- to no peito. Isto poderá ser um sinal de um ataque cardíaco. Os sintomas clássicos de um quadro de infarto são: Sinais e sintomas do AVC Dor de cabeça repentina sem causa aparente. Sensações inesperadas de perda de sensibilidade ou fraqueza nas pernas, nos braços ou no rosto, especialmen- te ser for apenas de um único lado do corpo. Perda da fala ou dificuldade repentina para falar. Dificuldade ou incapacidade de compreender outras pessoas. Perda súbita da visão de um ou dos dois olhos. Dificuldade súbita de caminhar. Perda do equilíbrio ou da coordena- ção motora e sensação de vertigem. Apesar de alguns fatores como hereditariedade, idade, sexo e et- nia serem incontroláveis, há fatores que podem receber atenção e evitar um derrame. Na presença de algum destes sintomas, procure imediata- mente um serviço médico de urgência. Para identificar um AVC Se você estiver em dúvida se uma pessoa está tendo um AVC. Faça o teste FAST: F – FACE - Observe se os dois lados do rosto estão simétricos ou se um está mais caído do que outro. A – ARMS - Peça à pessoa para levantar os dois braços. Ob- serve se ela levanta os dois ou se um está caído. S - SMILES – Peça à pessoa para sorrir. O rosto está simétrico ou um dos lados está diferente? T – TIME – Na presença de qualquer assimetrias ou dificulda- de de movimentos, procure imediatamente um serviço médico de urgência. Metade das pessoas que tem um AVC após 65 anos fica com sequelas importantes, e o custo emocional e financeiro para as famí- lias e os serviços públicos são enormes.” Controle da pressão arterial Controle da fibrilação arterial (quan- do o coração bate em ritmo rápido e irregular) Controle da diabetes Controle do colesterol Controle do peso e realização de ati- vidade física Diminuição do consumo de bebida al- coólica Redução do fumo Controle da anemia falciforme Controle emocional
  6. 6. 1312 Hipertensão arterial A hipertensão é a maior responsável por mortes no mundo. No Brasil, é responsável por mais de 20% dos óbitos. O que é hipertensão A pressão sanguínea é a força exercida pelo sangue na parede das artérias. A hipertensão é o aumento dessa força. Isso leva o co- ração a um esforço maior do que o normal. Ao longo do tempo, o esforço causa aumento do coração e seu enfraquecimento. A relação entre a pressão sanguínea e o risco cardiovascular é contínuo. Isto é, não há um limiar onde possa se dizer que a partir deste nível começa o risco. A hipertensão é muitas vezes considerada uma doença cardiovas- cular, entretanto é o principal fator de risco para outras doenças incluindo as doenças cardiovasculares, acidente vascular cerebral, insuficiência renal e insuficiência cardíaca. Quem tem hipertensão, deve usar medicamentos para manter a pressão arterial no nível saudável (120/80 mm/Hg), além de adotar hábitos saudáveis, que incluem a redução do sal nas refeições e a realização de atividade física regular. Entendendo a hipertensão A pressão arterial é medida em dois números. O primeiro nú- mero representa a pressão que ocorre nos seus vasos quando o coração bate. É a chamada pressão sistólica. O segundo número representa a pressão exercida nos seus vasos quando o coração relaxa entre duas batidas – é a pressão diastólica. Até 120/80 mm/Hg é considerada uma pressão normal. Para a Organização Mundial da Saúde, quando a pressão arterial sistólica atinge 140 mm/Hg ou mais e a pressão diastólica de 90 mm/Hg ou mais, há quadro de hipertensão. 03.Prevenir Entre as principais causas das doenças cardiovasculares estão o tabagismo, a hi- pertensão, estresse, colesterol alto, con- sumo exagerado de bebidas alcoólicas, a questão genética e o excesso de peso. Por isso, para prevenir as doenças cardio- vasculares, é necessária a mudança de há- bitos de forma geral e permanente. A Organização Mundial da Saúde acredita que, se nos próximos 10 anos houver uma redução da ingestão de sal em 15%, isso pode evitar mais de 8 milhões de mortes ao redor do mundo. Proibição do fumo em ambientes públicos Aumento de impostos dos derivados do tabaco Apresentação de advertências nas embalagens quanto ao uso do fumo. Ações governamentais que contribuem para redução do tabagismo
  7. 7. 14 15 A prevenção parte do acompanhamento dos riscos e do diag- nóstico precoce. Além do exame clínico, seu médico pode solicitar alguns exames complementares para diagnosticar a doença car- díaca, entre eles: Raio X do tórax Angiogramas das coronárias Eletrocardiogramas Testes de esforço Exames de sangue Hipertensão arterial Já é consenso que o tabagismo é prejudicial à saúde. Mas alguns números são importantes relembrar. As curvas de mortalidade revelaram que: Continuar fumando encurta 11 anos da vida de uma mulher e 12 anos na vida do homem. O risco de morte de um fumante é três vezes maior quando comparado com quem nunca fumou. As causas de morte mais frequentes em fumantes são câncer de pulmão, in- farto do miocárdio e derrame cerebral. O risco de desenvolver doenças pulmona- res obstrutivo-crônicas nas mulheres que fumam é 22 vezes mais alto; nos homens é 25 vezes maior. Cerca de 60% das mortes entre 29 e 70 anos são causadas pelo cigarro. Uma pessoa que nunca fumou tem duas vezes mais chance de chegar aos 80 anos. Consumo de álcool O consumo excessivo de álcool pode provo- car ou agravar várias condições, entre elas: Elevação da pressão arterial Beber demais também pode ocasio- nar transtornos ligados à ansiedade, à violência e pode provocar distúrbios comportamentais graves.” Doença cardíaca Derrames Doença hepática Câncer Demência Não há consenso no que diz respeito ao consumo moderado de álcool. De forma geral, considera-se que até dois drinks por dia teria um efeito benéfico de proteção de doença coronariana.
  8. 8. 16 17 Obesidade Vários problemas de saúde são causados ou agravados pelo ex- cesso de peso, entre eles o aumento do risco cardiovascular. A definição clássica para o excesso de peso é o cálculo do Índice de Massa Corpórea (IMC). Um IMC acima de 30 é considerado fator de risco para as doenças crônicas. Outras formas de medir a obesidade Circunferência abdominal A quantidade de gordura na parte central do corpo é um dos indicadores de obesidade. Abaixo do Peso Classificação IMC Abaixo de 18,5 18,5 - 24,9 24,9 - 29,9 30 - 34,9 35 - 39,9 Maior que 40 Abaixo Normal Sobrepeso Obesidade grau I Obesidade grau II Obesidade grau III ou Mórbida Colesterol O colesterol alto é um conhecido fator de risco e contribui no de- senvolvimento de doenças crônicas, doença isquêmica e acidentes vasculares cerebrais. Menor que Menor que Ótimo Ótimo Alto Limítrofe Alto Muito alto Limítrofe Desejável Entre Entre Igual ou maior que Entre Entre Igual ou maior que 160 e 189 mg/dL O colesterol é uma substância lipídica produzida pelo fígado e que circula no sangue por todo o corpo.” As medidas de colesterol total e LDL-C constituem o principal alvo terapêutico na prevenção da doença cardiovascular.” 200 mg/dL 100 mg/dL 190 mg/dL 200 e 239 mg/dL 100 e 129 mg/dL 240 mg/dL 130 e 159 mg/dL
  9. 9. 18 19 04.Tratar Para evitar as doenças cardiovasculares, é fundamental uma ava- liação do seu médico. Para saber se você corre risco ou não, primeiro é feita uma análise dos dados clínicos: idade, sexo, história clínica (principalmente, em relação a manifestações vasculares, sintomas de diabetes), pressão arterial, circunferência abdominal, peso e altura (índice de massa corporal). Também é feito um exame clínico com foco em manifes- tações de aterosclerose. O julgamento clínico é necessário para decidir o que deve serfeito em indivídu- os que tem menos de 20 % de risco. Indicadores de alto risco Infarto do miocárdio prévio Acidente vascular cerebral ou ataque isquêmico transitório prévio. Doença aneurismática de aorta. Doença Vascular periférica. Insuficiência cardíaca congestiva de etiologia isquêmica Angina do peito Doença Renal Crônica Indicadores intermediários de risco Idade > 45 anos homens > 55 anos mulheres; Manifestações de aterosclerose; Sopros arteriais carotídeos; Diminuição ou ausência de pulsos periféricos; História familiar de infarto agudo do miocárdio, morte súbita ou aci- dente vascular cerebral em familiares de primeiro grau ocorrido antes dos 50 anos; Diagnóstico prévio de dislipidemia; Diagnóstico prévio de ovário policístico; Tabagismo; Obesidade (IMC > 30 kg/m ou obesidade central (cintura medida na crista ilíaca : 88 cm em mulheres ; >102 em homens; Hipertensão (> 140 mmHg) ou história de pré-eclampsia; História de doença renal na família (para risco de insuficiência renal); Esta forma de avaliação de risco é apenas uma ferramenta de aproximação e a interpretação dos resultados clínicos sempre deve ser feita pelo seu médico. Atenção O risco cardiovascular poderá ser subestimado em pessoas que já estão em tratamento para diabetes, hipertensão ou que recen- temente pararam de fumar.
  10. 10. 20 21 05.Vivendo com Atividade Física A atividade física traz muitos benefícios para a saúde física e mental em todas as idades. Ser ativo minimiza os riscos de doença cardiovas- cular, diabetes do tipo 2, alguns tipos de cânce- res e osteoporose. Também ajuda no controle dos fatores biológicos de risco - peso corporal, pressão sanguínea, colesterol elevado. E não é só academia ou a prática de um es- porte que são considerados atividade física. Caminhadas para o trabalho, andar de bicicleta como meio de transporte, serviços domésticos ativos e até a jardinagem entram nessa classi- ficação, quando feitos regularmente. Calcule sua atividade física 30 mim atv. moderada 5X por semana (150 min por semana) 10 mil passos (podômetro) A atividae física ajuda na autoestima, na confiança, reduz o stress, a ansie- dade, a fadiga e a depressão.” Nutrição Para reduzir o risco cardiovascular, é importante seguir as orien- tações de alimentação saudável preconizada pela comunidade de saúde. Entre os hábitos saudáveis estão: Regras gerais de alimentação saudável. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a recomendação de ingestão calórica para adultos entre 30 e 60 anos é: Distribuir sua alimentação em 5 a 6 refeições ao dia, em horários regulares. -Tomar café da manhã regularmente. -Diminuir o sal - pessoas com diabetes tendem a ter pressão arterial alta. -Beber água regularmente, durante todo o dia. At At é 75 é 75 Kg Kg 1500 1500 Kc Kc al al 1800 1800 Kc Kc al al 2000 2000 Kc Kc al al De 75 a 100 De 75 a 100 Kg Kg Mulheres Acima de 100 Acima de 100 Kg Kg Homens
  11. 11. 22 23 Para fazer uma refeição balanceada leva-se em conta os 7 grupos de ali- mentos. Leite (1 copo) Iogurte (60 g) Queijo (20 g) Requeijão (20 g) Leite em pó (1 col.sopa) Carne magra (100 g) Peixe (100 g) Ovo (1 unid.) Carne gorda (70 g) Presunto (4 fatias) Alface Couve Brócolis Espinafre Sem Restrições Arroz cozido (3 col. sopa) Batata (2 unid.) Macarrão (4 col. sopa) Feijão (1 concha) Pão francês (1 unid.) Abóbora Beringela Cenoura Ervilha 4 cal. sopa (120g) Azeite e Óleo vegetal (1 col. sobremesa) Margarina (1 col so- bremesa) Manteiga (1 col. sobre- mesa) Maionese (1 col. sopa) Abacaxi (90 g) Maça (1 unid.) Mamão (11 Og) Laranja (1 unid.) Uva (12 unid.) GRUPO 1 vegetais tipo1 GRUPO 2 vegetais tipo 2 GRUPO 3 frutas GRUPO 4 leites e derivados GRUPO 5 carnes GRUPO 6 cereais e similare GRUPO gorduras 22 GRUPO 1 vegetais tipo1 GRUPO 1 vegetais tipo1 GRUPO 2 vegetais tipo 2 GRUPO 2 vegetais tipo 2 GRUPO 3 frutas GRUPO 3 frutas GRUPO 4 leites e derivados GRUPO 4 leites e derivados GRUPO 4 leites e derivados GRUPO 5 carnes GRUPO 5 carnes GRUPO gorduras GRUPO gorduras GRUPO gorduras GRUPO gorduras Por exemplo, uma sugestão de cardápio equilibrado, com 1500 kcal/dia, ideal para uma mulher com até 75 kg, seria assim: GRUPO 6 cereais e similare GRUPO 6 cereais e similare GRUPO 6 cereais e similare Opção 1 Opção 3 Opção 4 Opção 2
  12. 12. 2524 Gorduras Uma dieta rica em gorduras saturadas eleva o nível de colesterol e aumentam o risco de doença coronariana. Os derivados do leite – queijos, cremes, manteiga - contribuem em grande proporção para estas elevações. Atenção a esses alimentos. Converse sempre com seu médico sobre o controle do consumo desses alimentos. Sal A dose diária de sal recomendada pela Organização Mundial da Saúde é 2g – dois saquinhos daqueles de restaurante. A Associa- ção Americana de Cardiologia recomenda menos 1,5 g. Ou seja, ao colocar mais sal na comida, automaticamente já ultrapassamos esse limite. Algumas questões importantes para reduzir o risco cardiovascular Um dos impactos do con- sumo de sal é o aumento da pressão arterial, au- mentando, também, os riscos cardiovasculares.” 06.Emoções Estresse O stress é uma resposta física ou psicológica para um estado de tensão e é um fator de risco cardiovascular. De curta ou longa duração, fisicamente o stress pode afetar a maioria dos sistemas: cardiovascular, digestivo, sistema imune e problemas mentais como ansiedade, depressão, psicoses. O stress pode ser causado por muitas razões: -Pressões no trabalho -Desemprego -Problemas financeiros -Doenças pessoais ou na família. -Fim de relacionamentos -A chegada de um novo membro na família. -Perdas de familiares ou amigos O controle do stress por vezes acontece naturalmente, com a eli- minação das suas causas. Por outro lado, ele pode ser intensificado dia a dia. É importante ficar atento a essa questão emocional e, se necessário, procurar ajuda médica.
  13. 13. Instituto Nacional de Câncer (INCA) http://www.inca.gov.br Incidência de Câncer no Brasil - Estimativas 2016 http://www.inca.gov.br/estimativa/2016 Sociedade Americana de Medicina (American Medical Association) http://www.ama-assn.org/ama O EUSAÚDE tem propósitos edu- cacionais e o seu conteúdo não deve ser usado para diagnóstico e trata- mentos. O EUSAÚDE não prediz se você vai ter uma determinada doença, apenas estima a sua chance e oferece orien- tação de como reduzir o seu risco. Não há garantia de que, seguindo as recomendações, você não desenvol- va a doença. O SEU MÉDICO DEVE SER SEMPRE CONSULTADO. Referências Projeto gráfico: Agência Conectando Pessoas

×