Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Amnistia Internacional

5,065 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

Amnistia Internacional

  1. 2. Índice <ul><li>Pág. </li></ul><ul><li>Introdução 3 </li></ul><ul><li>O que é a amnistia internacional 4 </li></ul><ul><li>Orgânica da amnistia internacional 5 </li></ul><ul><li>Missão da amnistia internacional 6 </li></ul><ul><li>História da amnistia internacional 7 </li></ul><ul><li>Visão e missão da AI em Portugal 8 </li></ul>
  2. 3. Introdução <ul><li>Neste trabalho vamos falar sobre a Amnistia Internacional, saber o que é, como funciona e qual a sua missão. </li></ul>
  3. 4. O que é a Amnistia Internacional <ul><li>A Amnistia Internacional é um movimento global de 3,2 milhões de membros, apoiantes e activistas em mais de 150 países e territórios que luta para pôr fim aos abusos dos Direitos Humanos. </li></ul><ul><li>Tem como  Visão  um mundo em que cada pessoa goze de todos os direitos plasmados na Declaração Universal dos Direitos Humanos e outros padrões internacionais de Direitos Humanos. </li></ul><ul><li>Independentes de qualquer Governo, ideologia política interesse económico ou religião e são financiados pelas quotas dos associados e doações. São um movimento de activistas com diferentes graus de envolvimento: ou como membros ou como apoiantes. </li></ul><ul><li>A Amnistia Internacional é um movimento que congrega pessoas de todo o mundo que se envolvem em campanhas para que os Direitos Humanos internacionalmente reconhecidos sejam respeitados e protegidos. </li></ul><ul><li>Acreditam que os abusos de direitos humanos em qualquer lado são problema de todos. </li></ul><ul><li>Indignados com os abusos de direitos humanos mas inspirados pela esperança de um mundo melhor, trabalham para melhorar a vida das pessoas através de campanhas e de solidariedade internacional. </li></ul><ul><li>A   Missão  é investigar e agir de modo a prevenir e a pôr fim a abusos de Direitos Humanos e exigir justiça para aqueles cujos direitos tenham sido violados. </li></ul><ul><li>Os membros e apoiantes exercem a sua pressão junto de governos, de entidades políticas, empresas e grupos intergovernamentais. </li></ul><ul><li>Os activistas agem pelos vários temas dos Direitos Humanos mobilizando a pressão pública através de manifestações de rua, vigílias, lobby directo e, entre outras, através de campanhas  on-line  e  off-line . </li></ul>
  4. 5. A orgânica da Amnistia Internacional <ul><li>O Comité Executivo Internacional da Amnistia (CEI) é eleito democraticamente na Assembleia geral mundial (Conselho Internacional) que se realiza bianualmente . </li></ul><ul><li>O papel do CEI consiste em providenciar orientações e liderança para o movimento da Amnistia Internacional por todo o mundo. As suas funções chave estão definidas nos Estatutos Internacionais e incluem: </li></ul><ul><li>Garantir o cumprimento por parte do movimento, dos Estatutos da Amnistia Internacional; </li></ul><ul><li>Assegurar a implementação do Plano Estratégico Integrado da Amnistia Internacional; </li></ul><ul><li>Assegurar a gestão financeira sustentável da Amnistia Internacional ao nível internacional; </li></ul><ul><li>Autorizar a criação de secções, estruturas e outros organismos da Amnistia Internacional; </li></ul><ul><li>Responsabilizar as secções, estruturas e outros organismos da Amnistia Internacional pelo seu funcionamento, devendo estas apresentar relatório ao Comité Executivo Internacional; </li></ul><ul><li>Tomar decisões internacionais em nome e representação da Amnistia Internacional; </li></ul><ul><li>Garantir o desenvolvimento dos Recursos Humanos . </li></ul>
  5. 6. Missão da Amnistia Internacional <ul><li>A visão da AI – Portugal é a de um mundo em que cada pessoa desfruta de todos os Direitos Humanos consagrados na Declaração Universal dos Direitos Humanos e noutros padrões internacionais de Direitos Humanos. De modo a cumprir esta visão, a missão da AI – Portugal consiste na investigação e acção focada em prevenir e pôr fim aos abusos graves desses Direitos. </li></ul><ul><li>A AI - Portugal forma uma comunidade global de defensores(as) dos Direitos Humanos, regidos(as) pelos princípios de solidariedade internacional, da acção efectiva no caso das vítimas individuais, da cobertura global, da universalidade e indivisibilidade dos Direitos Humanos, da imparcialidade e independência, da democracia e do respeito mútuo. </li></ul><ul><li>A AI - Portugal dirige-se aos governos, organizações intergovernamentais, grupos políticos armados, empresas e outros actores não estatais. </li></ul><ul><li>A AI - Portugal pretende denunciar as violações de Direitos Humanos de um modo preciso, rápido e persistente. Sistemática e imparcialmente investiga os factos dos casos individuais e os padrões dos abusos de Direitos Humanos. Os resultados das investigações são publicitados e é mobilizada a opinião pública para exercer pressão sobre os governos e outras entidades para que estes terminem com aqueles abusos. </li></ul><ul><li>Além do trabalho desenvolvido sobre violações específicas de Direitos Humanos, a AI - Portugal apela a todos os governos que observem o primado da lei, que ratifiquem e implementem os padrões de Direitos Humanos; promove uma ampla variedade de actividades em educação de Direitos Humanos; encoraja organizações intergovernamentais, indivíduos e todos os agentes sociais a apoiar e a respeitar os Direitos Humanos. </li></ul>
  6. 7. A História da Amnistia Internacional <ul><li>Em 1961, um advogado Inglês, Peter Benenson lançou uma campanha mundial (“Apelo para Amnistia 1961”) com a publicação de um artigo proeminente “Os Prisioneiros Esquecidos” no Jornal “The Observer”. A notícia da detenção de dois estudantes portugueses que elevaram os seus copos para brindar em público à liberdade, levou Benenson a escrever este artigo. O seu apelo foi publicado em muitos outros jornais pelo mundo fora tornando-se assim na génese da Amnistia Internacional. </li></ul><ul><li>A primeira reunião internacional teve lugar em Julho de 1961, com delegados da Bélgica, do Reino Unido, França, Alemanha, Irlanda, Suíça e dos EUA. Decidiram estabelecer “um movimento permanente em defesa da liberdade de opinião e de religião &quot;. </li></ul><ul><li>Um pequeno escritório e uma pequena biblioteca, dirigida por voluntários, abriu em Peter Benenson’s chambers , em Mitre Court , Londres. A “Rede dos Três” foi então estabelecida consistindo no facto de cada grupo da Amnistia Internacional adoptar três prisioneiros de diferentes áreas geográficas e políticas de modo a enfatizar a imparcialidade do trabalho de cada grupo. </li></ul><ul><li>No dia dos Direitos Humanos, 10 de Dezembro, a primeira vela da Amnistia (o logótipo da Amnistia é uma vela envolta em arame farpado) foi acesa na Igreja de St-Martin-in-the-Fields , em Londres. </li></ul>
  7. 8. Visão e Missão da Amnistia Internacional Portugal <ul><li>A visão da AI – Portugal é a de um mundo em que cada pessoa desfruta de todos os Direitos Humanos consagrados na Declaração Universal dos Direitos Humanos e noutros padrões internacionais de Direitos Humanos. De modo a cumprir esta visão, a missão da AI – Portugal consiste na investigação e acção focada em prevenir e pôr fim aos abusos graves desses Direitos. </li></ul><ul><li>A AI - Portugal forma uma comunidade global de defensores(as) dos Direitos Humanos, regidos(as) pelos princípios de solidariedade internacional, da acção efectiva no caso das vítimas individuais, da cobertura global, da universalidade e indivisibilidade dos Direitos Humanos, da imparcialidade e independência, da democracia e do respeito mútuo. </li></ul><ul><li>A AI - Portugal dirige-se aos governos, organizações intergovernamentais, grupos políticos armados, empresas e outros actores não estatais. </li></ul>
  8. 9. Visão e Missão da Amnistia Internacional Portugal Cont. <ul><li>A AI - Portugal pretende denunciar as violações de Direitos Humanos de um modo preciso, rápido e persistente. Sistemática e imparcialmente investiga os factos dos casos individuais e os padrões dos abusos de Direitos Humanos. Os resultados das investigações são publicitados e é mobilizada a opinião pública para exercer pressão sobre os governos e outras entidades para que estes terminem com aqueles abusos. </li></ul><ul><li>Além do trabalho desenvolvido sobre violações específicas de Direitos Humanos, a AI - Portugal apela a todos os governos que observem o primado da lei, que ratifiquem e implementem os padrões de Direitos Humanos; promove uma ampla variedade de actividades em educação de Direitos Humanos; encoraja organizações intergovernamentais, indivíduos e todos os agentes sociais a apoiar e a respeitar os Direitos Humanos. </li></ul>
  9. 10. Conclusão <ul><li>Após a realização deste trabalho ficamos a conhecer como funciona a organização da Amnistia Internacional. </li></ul>
  10. 11. Trabalho realizado Por: <ul><li>Sérgio Filipe Vaz Rodrigues Nº26 7ºE </li></ul><ul><li>e </li></ul><ul><li>Emanuel Ribeiro Nº9 7ºE </li></ul>

×