Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Ascite

17,181 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

Ascite

  1. 1. ASCITE
  2. 2. ASCITE1. Introdução2. Fisiopatologia3. Semiologia Anamnese Exame Físico4. Diagnóstico5. Diagnóstico Diferencial
  3. 3. ASCITE1. Introdução Conceito: É o acúmulo de líquido livre de origem patológica na cavidade peritoneal. Ascite origina-se na palavra grega Askos que significa saco ou conteúdo de um saco. Denominou-se inicialmente de Askites e posterior Ascites A ascite não é uma doença, mas uma manifestação, quando não uma complicação , de um grande número de moléstias e síndromes.
  4. 4. ASCITE2. Fisiopatologia Teoria de Underfilling (Baixo enchimento) Formação de ascite HIPERTENSÃO PORTA Concentração do sangue no sistema Retenção renal porta e órgãos esplâncnicos de sódio e água Hipovolemia Ativação do SRAA Estimulação do SNS Estimulação de receptores Aumento de HAD de volume
  5. 5. ASCITE 2. Fisiopatologia  Teoria de Overflow (Transbordamento) HIPERTENSÃO PORTA Formação de ascite Refluxo hepatorrenal?Aumento da hipertensão porta Insu. Hep( Redução do factor natriuretico)Expansão do volume plasmático Retenção renal de sódio e água
  6. 6. ASCITE 2. Fisiopatologia  Teoria da Vasodilatação VASODILATAÇÃO Formação de ascite ARTERIALActivação dos sistemas Diminuição da resist. Vascular esplacnica evasopressores neuro hormonais – sistemicaretenção hidro-salinaRedução do vol. Circulante Acumulação de sangueefectivo no território esplancnico
  7. 7. ASCITE 2. Fisiopatologia  Teoria da Vasodilatação Aumento do volume plasmático Insuf. para normalizar a Adequado para normalizar homeostase circulatória a homeostase circulatória Persistente ativação dos Normalização da atividade dos sistemas de retenção desistemas de retenção de sódio e água sódio e água Persistente retenção Excreção normal de sódio e água de sódio e água Ausência de ascite Formação de ascite
  8. 8. ASCITE3. Semiologia Anamnese Modo de aparecimento: Agudo ou insidioso. Fatores de risco para hepatopatia crônica: Uso de álcool: Tipo de bebida, uso diário ounão e quantidade ingerida. Exposição anterior aos vírus hepatotrópicos. Uso de drogas Exposição ocupacional a drogas hepatotóxicas. História familiar de doença hepática.
  9. 9. ASCITE3. Semiologia Anamnese PBE Febre e dor abdominal TB peritoneal Neoplasias Ascite pancreática Ascite hemorrágica
  10. 10. ASCITE3. Semiologia Exame Físico Geral Edema periféricoHepatopatia crônica•Aranhas vasculares•Eritema palmar•Queda de pêlo•Ginecosmatia
  11. 11. ASCITE3. Semiologia Exame Físico GeralNefropatia (anasarca)Cardiopatia (sinais de patologia cardiaca)Outros sinais Derrame pleural (6%), principalmente à direita(70%)Sopros cardíacos funcionais
  12. 12. ASCITE3. Semiologia Exame Físico do abdome Inspeção Em pé Decúbito dorsal: ventre de batráquio Estrias Circulação colateral Porta (cabeça de medusa) Cava Porto-cava
  13. 13. ASCITE3. Semiologia Exame Físico do abdome Palpação Sinal de onda liquida positivoPercussão (> 1500ml)Macicez móvel Auscultação Toque rectal e/ou vaginal
  14. 14. ASCITE4. Diagnóstico Paracentese (Estudo do líquido ascítico) Citoquímico PMN: Peritonites Leucócitos > a 250/mm³ MN TB peritoneal Carcinomatose Hemácias: Quantidade mínimaDosagem de proteínas totaisTransudato:< 30 g/lExsudato: > 30 g/l
  15. 15. 4. Diagnóstico ASCITE Paracentese (Estudo do líquido ascítico) Dosagem de amilase, uréia/creatinina, bilirrubinasou triglicerídeos Pesquisa de tuberculose Coloração de Ziehl-Nelseen ( 0-2%) Cultura: Sensibilidade de 50% Pesquisa de células neoplasicas Gram e cultura para germes comuns
  16. 16. ASCITE4. DiagnósticoParacentese (Estudo do líquido ascítico)Transudato < 30 g/l Exsudato > 30g/lCirrose hepática (80-85%) Cirrose hepática (15-20%)Hipertensão porta pré-sinusoidal Carcinomatose peritoneal TB peritonealDesnutrição Ascite pancreática Ascite biliarSíndrome nefrótica Ascite quilosa Ascite nefrogênicaMetástases hepáticas difusas Vasculites peritoneaisAscite cardiogênica Mixedema
  17. 17. 4. Diagnóstico ASCITE Paracentese (Estudo do líquido ascítico) Gradiente Soro-Ascite de Albumina (Alb-S-A)Alb S-A > 1,1g% Alb S-A < 1,1g%Hipertensão porta Carcinomatose peritonealCirrose hepática Tuberculose peritoneal Sd. de Budd-Chiari Ascite pancreática Metástases hepáticas maciças Ascite biliar Vasculites peritoneais Doença veno-oclusiva Síndrome nefrótica Trombose da veia porta
  18. 18. ASCITE4. Diagnóstico Radiografia Simples de Abdome Ultra-sonografia Abdominal Quantidade de líquido ascítico entre 100 e 300ml Ascite livre ou septada Tomografia computadorizada (TC) Ressonância Nuclear magnética (RMN) Laparoscopia Ascite de etiologia indefinida Custo elevado
  19. 19. ASCITE5. Diagnóstico Diferencial Cirrose hepática: 80-90% Neoplasias: 10% 2/3 das ascites neoplásicas são produzidas pelaCarcinomatose peritoneal ICC Congestões hepáticas Pericardite constritiva Sd. de Budd-Chiari
  20. 20. ASCITE5. Diagnóstico Diferencial Tuberculose peritoneal Ascite pancreática Ascite Biliar: Coloração esverdeada Ascite quilosa: Acúmulo de líquido rico emlípides e coloração turva ou leitosa Causas ovarianas Carcinoma de ovário Sd. de Meigs Hipoalbuminemia Kwashiorkor Sd. nefrótica
  21. 21. ASCITE5. Diagnóstico Diferencial Ascite nefrogênica Complicação de pacientes com IRC em hemodiálise Causa desconhecida Hipotiroidismo (Mixedema) SIDA: Cerca de 6% dos pacientes evidenciam asciteao exame ultra-sonográfico

×