Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Consumer Trends: Alimentação

943 views

Published on

No novo estudo feito pela E.life Group, foi lançado um olhar de forma ampla sobre o que e como o consumidor fala sobre um tema tão recorrente no dia a dia de todos nós: a alimentação. Identificamos cinco tendências e influenciadores que nos permitiu compreender todo o universo relacionado à alimentação. Com este estudo um leque de novas oportunidades de negócio surge para as marcas. Confira!

Published in: Data & Analytics

Consumer Trends: Alimentação

  1. 1. Consumer Trends: ALIMENTAÇÃO Análise de tendências nas conversas sobre alimentação em redes sociais Junho de 2017
  2. 2. E.Life GROUP
  3. 3. E.Life O GRUPO 2004/2013 2009 2011 2013
  4. 4. A E.life tem mais de 200 projetos concluídos ou em andamento e está presente em países da Am. do Norte, do Sul e Europa. Cidade do México Recife São Paulo MadridLisboa Frankfurt E.Life ONDE ESTAMOS
  5. 5. Metodologia
  6. 6. METODOLOGIA Psicográfico em redes: valores, atores e diálogos no boca a boca Um olhar aprofundado: o exploratório em redes Um novo cenário: fechamento dos murais públicos do Facebook
  7. 7. Umnovocenário Fechamento de coleta dos murais públicos do Facebook Gradual diminuição do uso do Twitter 2015 ANTES AGORA PONTOS • Depoimentos por termo de busca • Opiniões isoladas • Inteligência focada em avaliações FLUXOS • Conversas em páginas, grupos ou eventos • Fluxos de informação • Inteligência baseada em temas e papeis no diálogo
  8. 8. Psicográficoemredes Comportamentos e life events no recorte do público Twitter e 703 páginas do Facebook dedicadas a alimentação Acúmulo de conversas de 1º a 31 de maio de 2017 Database de trabalho
  9. 9. O database foi então submetido a um olhar exploratório 1. Identificação dos grandes temas mais comentados 2. Recorte por segmentos e identificação de subtemas 3. Busca de tendências e oportunidades de negócio Umolharaprofundado
  10. 10. O que se fala sobre alimentação: um olhar macro
  11. 11. Alimentação gerou quase 3 milhões de publicações nas redes sociais em maio. Overview No período de um mês: 1º a 31 de maio de 2017 Eles geraram 2,9 milhões de publicações no período 1,5 milhão de internautas postaram ou comentaram nesses canais Monitoramos Twitter e 703 páginas do Facebook
  12. 12. É nos horários de refeições que as pessoas mais falam sobre alimentação. Buzzporhora Os horários de almoço e jantar são os preferidos para falar sobre alimentação: os picos ocorrem das 12h às 14h e entre 19h e 23h.
  13. 13. Temasmaisfalados E são as próprias refeições o tema de muitas conversas. 12% almoço 7% lanche 2% hora da fome 1% comida japonesa 0,9% vontade de comer 0,7% bolos e tortas 7% jantar 5% receitas 1% refeições de domingo 1% merenda escolar 0,7% café 0,6% pães Base: 2.922.979 posts e comentários, localizados por termos Temas mais falados:
  14. 14. Perfildopúblico Gênero: 72% 28% Base: 2.089.519 internautas com gênero identificado. A conversa sobre alimentação é pautada sobretudo por mulheres. Interesses: 28% redes sociais (Snapchat, Instagram e Facebook) 7% religião 3% futebol 1% música Interesses e perfil identificados a partir das bios do Twitter. Base: 739.090 internautas. Localização: Base: 281.709 internautas com localização identificada. 39% Rio de Janeiro 15% São Paulo 6% Rio Grande do Sul 3% Distrito Federal 5% Minas Gerais 2% Paraná 2% Santa Catarina 2% Espírito Santo 2% Pernambuco
  15. 15. TENDÊNCIAS 1.COMIDA ÉTICA O menor impacto e o menor sofrimento possíveis 2.CONTATO COM O ALIMENTO Voltar a fazer parte da produção 3.IMPACTOS NA SAUDE Benefícios além do sabor
  16. 16. 1 Comida Ética
  17. 17. ComidaÉtica A preocupação com os ingredientes passa a ser uma preocupação. A saúde é prioridade, mas a escolha de alimentos é baseada também na relação com o mundo ao redor: menos crueldade animal e maior preocupação com a natureza e as pessoas. Tem que ser boa para o mundo 1.NÃO AO INDUSTRIAL COMIDA ÉTICA 2.SUSTENTÁVEL 3.VEGANA E VEGETARIANA
  18. 18. “Eu faço meus temperos! Só alho e sal no processador, e alho, sal, cebola e cheiro verde bate tudo no liquidificador. Igual minha mãe fazia.” “Muito bom mas esses 3 tabletes de caldo de carne não deveria ter porque isso é uma bomba para as pessoas, química e sódio puro .. então vamos tirar e colocar pouco sal marinho de preferência e o restante da receita que fica gostoso do mesmo jeito e não faz tanto mal pra saúde.” NÃO AO INDUSTRIAL1 A origem do alimento e seus processos para chegar a nossa mesa passam a ter grande influência na escolha do que será utilizado. ▪ Há um forte movimento de pessoas que buscam ingredientes naturais e preparo caseiro de alimentos. ▪ Alimentos ultraprocessados, que usam ingredientes industriais como corantes, conservantes e outros, são substituídos pelos minimamente processados ou in natura. ▪ A alimentação natural se estende também para cães e gatos: donos de pets buscam alternativas mais saudáveis e naturais do que as rações, com todo um movimento para alimentação caseira de pets. ComidaÉtica
  19. 19. “Além de toda crueldade com os animais, a produção de ‘alimentos’ de origem animal polui e muitoooooooo o planeta, além de muito desperdício: pra produzir 1kg de carne se gasta em média 15mil litros de água e uma quantidade brutal de kilos de grãos pra alimentar o animal de abate (o q se gasta para alimentar 1 boi daria para alimentar mais de 40 pessoas no mesmo período). A maioria das pessoas não querem enxergar a realidade e fazer um mínimo de esforço.” SUSTENTÁVEL2 A saude alimentar está ligada ao entorno: um alimento saudável não deixa o mundo doente ▪ Sustentabilidade: vegetarianismo, veganismo e agricultura sustentável – sobretudo hortas caseiras e produção de vegetais orgânicos – são vistos como ações positivas para o meio-ambiente. O desperdício de comida e a reciclagem de materiais são preocupações importantes. ▪ Produção socialmente responsável: alimentos produzidos de forma responsável e preocupada com os recursos humanos envolvidos na cadeia produtiva. ▪ Crueldade animal: os abatedouros são criticados não só por veganos e vegetarianos, mas também por consumidores de carne que defendem formas mais brandas de abate (para causar menos sofrimento aos animais) e menor interferência no desenvolvimento do animal – como o uso de hormônios. ComidaÉtica
  20. 20. ComidaÉtica Okja ▪ A luta de Mija para salvar sua super porca de estimação.
  21. 21. “Não precisa ser rico. Comprar comida vegana cara é opção. Tanto que arroz e feijão é barato, vegano e JÁ SUBSTITUI A PROTEINA DA CARNE. Existem inúmeros grupos veganos que compartilham conhecimento e sim, precisa de bastante pesquisa e quem preferir, pode procurar um nutricionista (nao procurei, substituo tudo e sou super saudavel.” “Jesus achei uma loja do ig que vende comida vegana e lá tem COXINHA DE SOJA E REQUEIJÃO CHEDDAR VEGANO EU TO NO PARAÍSO.” VEGANA E VEGETARIANA3 Sofrimento animal e preocupação ambiental em uma única questão ▪ As redes sociais funcionam como fonte de informação e troca de conhecimento sobre veganismo e vegetarianismo. ▪ Internautas trocam receitas e dicas para o preparo de pratos sem uso de carne ou ingredientes de origem animal. ▪ São compartilhadas ainda dicas de restaurantes e pontos de venda veganos e vegetarianos. ▪ Mas o veganismo e o vegetarianismo são também alvo de discussões, sobretudo ligadas ao custo financeiro de adoção dessas dietas e à necessidade de acompanhamento nutricional. ComidaÉtica
  22. 22. Interesse por veganismo e vegetarianismo Buscas no Google Brasil nos últimos 5 anos Fonte: Google Trends VEGANA E VEGETARIANA3 O interesse por veganismo vem crescendo expressivamente ao longo dos anos e hoje já tem maior visibilidade do que o vegetarianismo. ComidaÉtica
  23. 23. Quem são os veganos e vegetarianos Pessoas que se interessam por veganismo e vegetarianismo no Facebook Fonte: Facebook Audience Insights VEGANA E VEGETARIANA3 Veganos ▪ 5 a 6 milhões de usuários ativos no Facebook ▪ 82% são mulheres ▪ Jovens: 60% das mulheres têm 18 a 34 anos ▪ Instruídos: 68% possuem ensino superior e 7% pós-graduação ▪ 12% estão em São Paulo e 8% no Rio de Janeiro Vegetarianos ▪ 6 a 7 milhões de usuários ativos no Facebook ▪ 82% são mulheres ▪ Jovens e adultos: 70% das mulheres têm entre 18 e 44 anos ▪ Instruídos: 69% possuem ensino superior e 6% pós-graduação ▪ 12% estão em São Paulo e 7% no Rio de Janeiro ComidaÉtica
  24. 24. 2 Contato com o alimento
  25. 25. ContatocomoAlimento Consumir alimentos orgânicos, feitos em casa ou produzidos de forma artesanal é uma escolha que envolve sabor, cuidado com a saúde e maior cuidado no cultivo e preparo. Alimentos produzidos com carinho. 1.O PRAZER DE FAZER CONTATO COM O ALIMENTO 2.CASEIRA/ ARTESANAL 3.COLHIDA POR MIM
  26. 26. “Amo cozinhar! !! Não gosto de nenhum outro serviço caseiro. .. Gosto de brincar com os temperos.” “Se tem uma coisa que eu AMO fazer é cozinhar p meus amigos, inclusive vou marcar um almoço.” O PRAZER DE FAZER1 ▪ O prazer de cozinhar é relatado em conversas nas redes sociais: cozinhar para a família, amigos ou para si mesmo é um hobby com grande número de adeptos. ▪ Internautas trocam receitas e dicas de culinária, além de comentar sobre a satisfação de preparar o próprio alimento – sinônimo de saúde, sabor e reunião de pessoas. ▪ Alguns produtos, como o Cheftime, investem em pacotes de ingredientes para que as pessoas desenvolvam receitas mais gourmets em suas casas. ContatocomoAlimento
  27. 27. Quem se interessa por culinária no Facebook Fonte: Facebook Audience Insights ▪ 35 a 40 milhões de usuários ativos no Facebook ▪ 78% são mulheres ▪ Adultas: 76% das mulheres possuem mais de 25 anos ▪ 50% são casados ▪ 10% estão em São Paulo e 7% no Rio de Janeiro O PRAZER DE FAZER1 ContatocomoAlimento
  28. 28. “Requeijão caseiro sem amido Requeijão de verdade, caseiro, com ingredientes escolhidos por você.” “E para assanhar aos adeptos da low carb, um bacon artesanal saindo agora para o almoço .” “Amei esse pão de forma caseiro !!! Claro que tinha que ser receita da @RitaLobo !!!.” “Capuccino cremoso caseiro: receita da vovó é deliciosa e fácil de fazer na batedeira.” CASEIRA/ ARTESANAL2 Feito em casa ou por gente como eu ▪ Produtos artesanais ganham espaço não só nas casas mas também nos restaurantes: alimentos preparados à mão estão ligados ao maior cuidado no preparo e sabor diferenciado – o que leva a uma valorização de pequenos negócios locais. ▪ O sabor caseiro é incorporado também por produtores de comida pronta, como as marmitas congeladas vendidas por pequenas empresas locais com refeições para toda a semana. ▪ Na busca por uma alimentação natural, a comida caseira é valorizada. Nas redes sociais, internautas trocam dicas e receitas para substituição de produtos prontos por versões caseiras – consideradas mais saudáveis e saborosas. ▪ Receitas e modos de preparo tradicionais ganham destaque, e há grande interesse pela produção artesanal de alimentos. ContatocomoAlimento
  29. 29. CASEIRA/ ARTESANAL2 ▪ O consumo de marmitas é uma tendência crescente: preparadas em casa ou compradas prontas, elas vêm ganhando versões mais saudáveis – como as marmitas fitness, vegetarianas e veganas. ▪ Empresas locais se especializam na confecção e entrega de marmitas com comida caseira em assinaturas semanais como uma opção para a correria do dia a dia e os pratos congelados industrializados. “Para mim, que não consigo chegar em casa e fazer a janta, a marmita congelada quebra um galhão. Melhor do que atacar um miojo ou uma lasanha” ContatocomoAlimento
  30. 30. CASEIRA/ ARTESANAL2 Quem se interessa por marmita no Facebook Fonte: Facebook Audience Insights ▪ 150 a 200 mil usuários ativos no Facebook ▪ 83% são mulheres ▪ Adultos: 63% das mulheres têm entre 25 e 44 anos ▪ 54% são casados ▪ Instruídos: 70% possuem ensino superior e 7% pós-graduação ▪ Distribuídos por todo o Brasil: 13% estão em Belo Horizonte e 11% em São Paulo ContatocomoAlimento
  31. 31. CASEIRA/ ARTESANAL2 Interesse por marmita Buscas no Google Brasil nos últimos 5 anos Fonte: Google Trends Dentro das buscas por marmita, a principal tendência são as marmitas fitness: ContatocomoAlimento
  32. 32. COLHIDA POR MIM3 A busca pelo natural e caseiro leva também ao aumento na produção dos próprios ingredientes, sejam eles complexos ou uma simples horta de temperos ▪ A produção em hortas caseiras auxilia na sociabilidade, troca de ingredientes e dicas. Além disso, as redes sociais servem como fonte de informação sobre o cultivo e cuidados necessários. ContatocomoAlimento
  33. 33. COLHIDA POR MIM Quem se interessa por horticultura no Facebook Fonte: Facebook Audience Insights ▪ de 900 mil a 1 milhão de usuários ativos no Facebook ▪ 65% são mulheres ▪ Maduras: 70% das mulheres estão acima dos 35 anos. A presença de pessoas acima de 45 anos está acima da média de usuários da rede. ▪ 53% são casados ▪ Instruídos: 67% possuem ensino superior e 6% pós-graduação ▪ 10% estão em São Paulo e 4% no Rio de Janeiro 3 ContatocomoAlimento
  34. 34. 3 Impactos na saude
  35. 35. ImpactosnaSaude Alimentos passam a assumir papeis de prevenção e de cura. Além disso, é possível personalizar a dieta ao indivíduo, maximizando assim os efeitos desejados. Alimento feito para me deixar bem IMPACTOS NA SAÚDE 1.PREVINE E CURA 2.PERSONALIZADA
  36. 36. “O chocolate amargo – e outros alimentos ricos em antioxidantes – podem ajudar a evitar a acumulação de gordura nas células do corpo, precursor para doenças cardíacas e obesidade.” “A aparência dos alimentos é igual aos órgãos que eles curam!” “Existem na natureza vários antibióticos naturais: alho, vinagre, limão, cebola, eucalipto, mel, chá verde, dentre outros. A receita deste chá é ótimo para combater dores de garganta, sinusite e outras infecções. Por combinar diferentes ingredientes com potencial bactericida, a mistura ajuda o organismo a combater as bactérias.” PREVINE E CURA1 ▪ Alimentos passam a ter função preventiva na saude dos consumidores ▪ Os alimentos são selecionados também por suas propriedades medicinais e ligadas ao bem-estar. ▪ Nas redes sociais, internautas e canais especializados disseminam receitas e divulgam os benefícios de cada alimento. ▪ Remédios naturais, muitas vezes ingeridos na forma de chá, prometem curar enfermidades como infecções e inflamações, além de desintoxicar e limpar o organismo. ImpactosnaSaude
  37. 37. PREVINE E CURA1 Interesse por remédio caseiro Buscas no Google Brasil nos últimos 5 anos Fonte: Google Trends O interesse por remédios caseiros mostra expressivo crescimento nos últimos anos. As regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste se destacam nas buscas pelo tema. Buscas em ascensão nos últimos 12 meses Remédios caseiros para: ▪ piolho e lêndea ▪ frieira nos dedos ▪ impingem ▪ gengiva inflamada ▪ tireóide ▪ rinite e rinite alérgica ▪ pulga e carrapato ▪ candidíase ▪ caspa e seborreia ▪ varizes ImpactosnaSaude
  38. 38. “Pipoca artesanal Mais Pura não possui glúten, lactose, é sem gordura trans, conservantes, sem ingredientes de origem animal.” “Receita de Bolo de laranja sem lactose sem ovos e sem soja.” “Hoje com este frio, a receita é de pão de alho e óregano, obviamente sem glúten, sem lactose, sem margarina ou qualquer produto artificial.” Restrições alimentares deixam de ser obstáculos e passam a fazer parte de uma escolha consciente, baseada em necessidades e percepções pessoais. ▪ As escolhas nutricionais são cada vez mais seletivas e dependem dos objetivos e necessidades individuais atribuídos à comida: busca por saúde, perda de peso ou ganho de performance, por exemplo. ▪ Assim, as dietas personalizadas criam restrições alimentares que precisam ser atendidas com receitas, ingredientes e produtos prontos. ▪ Veganos, vegetarianos, pessoas em dieta para perda de peso e que optam pelo corte de glúten e lactose encontram nas redes sociais canais para troca de informação e receitas. ▪ É o caso também dos que possuem restrições causadas por problemas na saúde: diabéticos, celíacos, intolerantes a lactose, pessoas com alergias alimentares, entre outros. PERSONALIZADA2 ImpactosnaSaude
  39. 39. Quem se preocupa com glúten e lactose Pessoas que se interessam por glúten e lactose no Facebook Fonte: Facebook Audience Insights Glúten ▪ 2 a 2,5 milhões de usuários ativos no Facebook ▪ 89% são mulheres ▪ Adultas: 74% das mulheres têm entre 25 e 54 anos ▪ 61% são casados ▪ Instruídos: 69% possuem ensino superior e 8% pós-graduação ▪ 11% estão em São Paulo e 8% no Rio de Janeiro Lactose ▪ 1,5 a 2 milhões de usuários ativos no Facebook ▪ 87% são mulheres ▪ Jovens e adultas: 74% das mulheres têm entre 18 e 44 anos ▪ 51% são casados ▪ Instruídos: 68% possuem ensino superior e 7% pós-graduação ▪ 11% estão em São Paulo, 7% no Rio de Janeiro e 4% em Curitiba 2 PERSONALIZADA ImpactosnaSaude
  40. 40. Retomando
  41. 41. Retomando Tem que ser boa para o mundo A preocupação com os alimentos passa a se relacionar também com o impacto que causam no mundo. Um alimento bom deixa a menor pegada possível, é obtido com trabalho responsável e não causa sofrimento a pessoas ou animais. 1.ÉTICA Alimentos produzidos com carinho. Há um resgate do prazer de cozinhar. A comida caseira/artesanal e os alimentos orgânicos são valorizados pelo sabor, saudabilidade e pelo cuidado em seu cultivo e preparo. Produtos prontos e restaurantes tentam se aproximar do artesanal, e as hortas orgânicas vão ganhando espaço nas casas. 2.CONTATO COM O ALIMENTO Alimento feito para me deixar bem O alimento passa a ser visto como prevenção e cura de inúmeros malefícios e a dieta passa a ser customizada para maximizar os efeitos positivos esperados pelo consumidor. 3.IMPACTO NA SAUDE
  42. 42. Possibilidades
  43. 43. OBG! Breno Soutto Coordenador de Inteligência breno@elife.com.br +55 11 972-998-116 Análise: Helena Junqueira

×