Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Direitos Humanos introdução: declarações e efetividades   Izaias  José de Santana Chefe de Gabinete do ITESP Procurador do...
Do que se trata ? <ul><li>“ ..a parte mais bela e importante de toda a História: a revelação de que todos os seres humanos...
Declaração e Efetivação O problema fundamental em relação aos direitos do homem, hoje, não é tanto o de justifica-los, mas...
A caminhada da Humanidade <ul><li>Idéia de justiça, de liberdade, de igualdade, de solidariedade, de dignidade da pessoa h...
DH limitando o Estado Absoluto ao Estado Democrático de Direito  <ul><li>Estado Absoluto, influência de  Hobbes e Maquiave...
DH, democracia e ausência de conflitos <ul><li>“ ...sem direitos do homem reconhecidos e protegidos, não há democracia; se...
Direitos Humanos, as gerações   <ul><li>PRIMEIRA GERAÇÃO : Liberté:  direitos civis e políticos oriundos das revoluções bu...
Conquistas das Revoluções Liberais: <ul><li>Proteção à propriedade; </li></ul><ul><li>Governo das leis (separação e sistem...
Direitos sociais – Segunda Geração <ul><li>Revolução Industrial </li></ul><ul><li>Manifesto de Marx e Engles </li></ul><ul...
Direitos de Terceira Geração <ul><li>Solidariedade mundial ante os horrores da segunda guerra – internacionalização dos va...
Gerações: compreensão <ul><li>Trajetória histórica </li></ul><ul><li>Acumulação e não sucessão </li></ul><ul><li>Indivisib...
Efetivação... <ul><li>Podemos fantasiar sobre uma sociedade ao mesmo tempo livre e justa, na qual são global e simultaneam...
No Brasil: desafios... <ul><li>O peso do passado:  A escravidão de 1550/1850;  dizimação da população indígenas; grande pr...
Ditadura e direitos políticos <ul><li>“ Os avanços nos direitos sociais e a retomada dos direitos políticos não resultaram...
Direitos Políticos  <ul><li>“ O poder judiciário, em tese o garantidor dos direitos civis, foi repetidamente humilhado. Mi...
Direitos Sociais tomam a dianteira.. <ul><li>Entre 1930 / 1945: Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio,  CLT, legisl...
A redemocratização e o desafio... <ul><li>Construir uma  sociedade livre, justa e solidária; </li></ul><ul><li>Garantir o ...
As condições <ul><li>1. Pluralismo:  </li></ul><ul><li>“ A pluralidade humana é a paradoxal pluralidade de seres singulare...
2. Respeito à diversidade <ul><li>“As pessoas não podiam suportar a diversidade. Quando não possuímos paradigmas, recuamos...
3. Democracia <ul><li>1. representantes eleitos; </li></ul><ul><li>2. eleições livres, justas e freqüentes; </li></ul><ul>...
4. Cidadania.. <ul><li>“A liberdade política sem as liberdades individuais não passa de engodo demagógico de Estados autor...
Efetividade, propostas <ul><li>Revolução </li></ul><ul><li>Reforma:  </li></ul><ul><li>Ativismo Político  </li></ul><ul><l...
Esperança...? <ul><li>“...ler a Declaração Universal e depois olhar em torno de si.  Será  obrigado a reconhecer que, apes...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

9ª aula 20-04-2010

1,695 views

Published on

Published in: Education, Technology
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

9ª aula 20-04-2010

  1. 1. Direitos Humanos introdução: declarações e efetividades Izaias José de Santana Chefe de Gabinete do ITESP Procurador do Município de São Paulo Mestre em Direito do Estado pela PUC-SP Doutorando em Direito do Estado pela USP “ Não sou eu quem repete essa história. É a historia que adora uma repetição, uma repetição” Chico Buarque, Rebichada
  2. 2. Do que se trata ? <ul><li>“ ..a parte mais bela e importante de toda a História: a revelação de que todos os seres humanos, apesar das inúmeras diferenças biológicas e culturais que os distinguem entre si, merecem igual respeito, como único entes do mundo capazes de amar, descobrir a verdade e criar a beleza. É o reconhecimento universal de que, em razão dessa radical igualdade, ninguém – nenhum indivíduo, gênero, etnia, classe social, grupo religioso ou nação – pode afirmar-se superior aos demais.” (Fabio K. Comparato) </li></ul>
  3. 3. Declaração e Efetivação O problema fundamental em relação aos direitos do homem, hoje, não é tanto o de justifica-los, mas o de protege-los. Trata-se de um problema não filosófico, mas político.” (Bobbio)
  4. 4. A caminhada da Humanidade <ul><li>Idéia de justiça, de liberdade, de igualdade, de solidariedade, de dignidade da pessoa humana, sempre presente nas sociedades humanas (Antígona); </li></ul><ul><li>As grandes correntes religiosas pregam a paz, o respeito ao semelhante, á vida, a fraternidade, a caridade, a compaixão, piedade, valores estes que formam a base da dignidade humana </li></ul><ul><li>“ Não há judeu, nem grego, não há escravo nem homem livre, não há homem nem mulher: todos vós sóis um só em Cristo” (Apóstolo Paulo, Carta aos Gálatas, III, 26) </li></ul>
  5. 5. DH limitando o Estado Absoluto ao Estado Democrático de Direito <ul><li>Estado Absoluto, influência de Hobbes e Maquiavel (estado forte, absoluto, sem limites e sem escrúpulos, barbáries para se manter no poder) </li></ul><ul><li>Estado Democrático (Locke e Montesquieu) “Os homens são por natureza livres, iguais e independentes, e por isso ninguém pode ser expulso de sua propriedade e submetido ao poder político de outrem sem o seu consentimento” (direitos imanentes, jusnaturalismo) </li></ul><ul><li>“ todo poder político é limitado por limites definidos e pelas leis. Nenhum poder é absoluto, infinito, desenfreado, arbitrário e sem leis. Todo o poder está atado às leis, aos direitos e à equidade” </li></ul><ul><li>(Johannes Althusiu, 1603). </li></ul>
  6. 6. DH, democracia e ausência de conflitos <ul><li>“ ...sem direitos do homem reconhecidos e protegidos, não há democracia; sem democracia, não existem as condições mínimas para a paz” (Bobbio) </li></ul><ul><li>“ Não se pode afirmar um novo direito em favor de uma categoria de pessoas sem suprimir algum velho direito, do qual se beneficiavam outras categorias de pessoas..” (Bobbio) </li></ul>
  7. 7. Direitos Humanos, as gerações <ul><li>PRIMEIRA GERAÇÃO : Liberté: direitos civis e políticos oriundos das revoluções burguesas </li></ul><ul><li>SEGUNDA GERAÇÃO : Égalité: direitos econômicos, sociais e culturais impulsionados pelos problemas da revolução industrial </li></ul><ul><li>TERCEIRA GERAÇÃO : Fraternité: Direitos de solidariedade, ao desenvolvimento, paz, meio ambiente, pós segunda guerra mundial </li></ul>
  8. 8. Conquistas das Revoluções Liberais: <ul><li>Proteção à propriedade; </li></ul><ul><li>Governo das leis (separação e sistema de justiça) </li></ul><ul><li>Privacidade dos negócios </li></ul><ul><li>Participação política </li></ul><ul><li>Igualdade “da boca para fora” apenas para os homens, pessoas do sexo masculino, ricos e poderosos... </li></ul><ul><li>Documentos Jurídicos: </li></ul><ul><li>Declaração Francesa de 1789 </li></ul><ul><li>Declaração Universal de 1948 </li></ul><ul><li>Pacto Internacional dos Direitos Civis e Políticos de 1966 </li></ul><ul><li>Constituição Brasileira de 1988 – artigos 5º/ 8º à 15 </li></ul>
  9. 9. Direitos sociais – Segunda Geração <ul><li>Revolução Industrial </li></ul><ul><li>Manifesto de Marx e Engles </li></ul><ul><li>Revolução Russa </li></ul><ul><li>Encíclica “rerum novarum”, Papa Leão XIII </li></ul><ul><li>Movimento Sindical </li></ul><ul><li>Estado do Bem Estar social </li></ul><ul><li>Constituição do México – 1917 e da Alemanha 1919 (Weimar) </li></ul><ul><li>Documentos: </li></ul><ul><li>Declaração Universal de 1948 </li></ul><ul><li>Pacto dos Direitos Econômicos, Sociais e Culturais de 1966 </li></ul><ul><li>Constituição Brasileira de 1988 – Artigo 6º e 7º e Ordem Social </li></ul>
  10. 10. Direitos de Terceira Geração <ul><li>Solidariedade mundial ante os horrores da segunda guerra – internacionalização dos valores ligados à dignidade da pessoa humana </li></ul><ul><li>Cultura de Paz, desenvolvimento e meio ambiente </li></ul><ul><li>Século XX “ A Era dos Direitos” : Declarações, pactos e tribunais.. </li></ul><ul><li>Século XXI: os desafios da efetividade </li></ul><ul><li>Estocolmo 72 / Rio 92 / Agenda 21 / Viena 93 </li></ul><ul><li>Conferência da Terra 97-NY </li></ul><ul><li>Constituição Brasileira 88 – artigos 3º e 4º e 225 </li></ul>
  11. 11. Gerações: compreensão <ul><li>Trajetória histórica </li></ul><ul><li>Acumulação e não sucessão </li></ul><ul><li>Indivisibilidade e Interdependência </li></ul><ul><li>“ todos os direitos humanos são universais, interdependentes e inter-relacionados. A comunidade internacional deve tratar todos os direitos humanos globalmente de forma justa e eqüitativa, em pé de igualdade e com a mesma ênfase. (artigo 5º da DUDH) </li></ul>
  12. 12. Efetivação... <ul><li>Podemos fantasiar sobre uma sociedade ao mesmo tempo livre e justa, na qual são global e simultaneamente realizados os direitos de liberdade e os direitos sociais; as sociedades reais, que temos diante de nós, são mais livres na medida em menos justas e mais justas na medida em que menos livres. (Bobbio) </li></ul>
  13. 13. No Brasil: desafios... <ul><li>O peso do passado: A escravidão de 1550/1850; dizimação da população indígenas; grande propriedade </li></ul><ul><li>Senhores de Engenho: “potentados que absorviam parte das funções do Estado. A justiça instrumento do poder pessoal. O poder do governo terminava na porteira das grandes fazendas” (limitação do poder..) </li></ul>
  14. 14. Ditadura e direitos políticos <ul><li>“ Os avanços nos direitos sociais e a retomada dos direitos políticos não resultaram, no entanto, em avanços dos direitos civis. Pelo contrário, foram eles os que mais sofreram durante os governos militares. O hábeas corpus foi suspenso para crimes políticos, deixando os cidadãos indefesos nas mãos dos agentes de segurança. A privacidade do lar e o segredo da correspondência eram violados impunemente. Prisões eram feitas sem mandado judicial, os presos eram mantidos isolados e incomunicáveis, sem direito a defesa. Pior ainda: eram submetidos a torturas sistemáticas por métodos bárbaros que não raro levavam à morte da vítima. A liberdade de pensamento era cerceada pela censura prévia à mídia e às manifestações artísticas, e, nas universidades, pela aposentadoria e cassação de professores e pela proibição de atividades políticas estudantis.” (J. Murilo de Carvalho) </li></ul>
  15. 15. Direitos Políticos <ul><li>“ O poder judiciário, em tese o garantidor dos direitos civis, foi repetidamente humilhado. Ministros do Supremo Tribunal foram aposentados e tiveram seus direitos políticos cassados. Outros não fizeram honra à instituição, colaborando com o arbítrio. O número de ministros foi aumentado para dar maioria aos partidários do governo. Além disso, a legislação de exceção, como o AI-5, suspendeu a revisão judicial dos atos do governo, impedindo os recursos aos tribunais.” (J. Murilo de Carvalho). </li></ul><ul><li>Esta situação levou Ulisses Guimarães a proferir no ato de promulgação da atual Constituição: “Tenho ódio da Ditadura. Ódio e Nojo”. </li></ul>
  16. 16. Direitos Sociais tomam a dianteira.. <ul><li>Entre 1930 / 1945: Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio, CLT, legislação social (isonomia legal salarial entre homens e mulheres, carteira do trabalho, trabalho dos menores, criação das juntas); criação do primeiros institutos de previdência, estrutura sindical e imposto sindical. </li></ul><ul><li>CRITICAS: Sem participação política, exclusão de autônomos, domésticos, rural e o sindicalismo “pelego”. </li></ul><ul><li>Ditadura Militar: INSS, Funrural, FGTS, BNH </li></ul>
  17. 17. A redemocratização e o desafio... <ul><li>Construir uma sociedade livre, justa e solidária; </li></ul><ul><li>Garantir o desenvolvimento nacional; </li></ul><ul><li>Erradicar a pobreza e reduzir as desigualdades sociais e regionais; </li></ul><ul><li>Promover o bem de todos, sem preconceito de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação; </li></ul><ul><li>Todos são iguais perante a lei. São invioláveis o direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade. </li></ul><ul><li>São direitos sociais: educação, saúde, trabalho, moradia, lazer, segurança, providência social, proteção a maternidade, infância, assistência aos desamparados. </li></ul>
  18. 18. As condições <ul><li>1. Pluralismo: </li></ul><ul><li>“ A pluralidade humana é a paradoxal pluralidade de seres singulares.....Se não fossem iguais, os homens não se compreenderiam... Se não fossem diferentes os homens não precisariam se comunicarem..” (Hannah Arent) </li></ul><ul><li>Existe pluralismo econômico onde economia de mercado, concorrência, setores público e privado; </li></ul><ul><li>Existe pluralismo político onde vários partidos ou movimentos disputam o poder com possibilidade de vitória; </li></ul><ul><li>Existe pluralismo ideológico na medida em que não exista uma doutrina de Estado (Bobbio) </li></ul>
  19. 19. 2. Respeito à diversidade <ul><li>“As pessoas não podiam suportar a diversidade. Quando não possuímos paradigmas, recuamos e só podemos aceitar o que se parece conosco, fala como nós, pensa como nós – você sabe “quem não está comigo, está contra mim” No fundamentalismo de todas as espécies, não se apreciam perguntas complicadas ou complexas.” (Desmond Tuttu). </li></ul>
  20. 20. 3. Democracia <ul><li>1. representantes eleitos; </li></ul><ul><li>2. eleições livres, justas e freqüentes; </li></ul><ul><li>3. liberdade de expressão; </li></ul><ul><li>4. fontes de informações diversificadas </li></ul><ul><li>5. autonomia para as associações (sociedade civil); </li></ul><ul><li>6. cidadania inclusiva </li></ul>
  21. 21. 4. Cidadania.. <ul><li>“A liberdade política sem as liberdades individuais não passa de engodo demagógico de Estados autoritários ou totalitários. E as liberdades individuais, sem a efetiva participação política do povo no governo, mal escondem a dominação oligárquica dos ricos.” (Fábio K. Comparato) </li></ul>
  22. 22. Efetividade, propostas <ul><li>Revolução </li></ul><ul><li>Reforma: </li></ul><ul><li>Ativismo Político </li></ul><ul><li>Ativismo Judiciário </li></ul>
  23. 23. Esperança...? <ul><li>“...ler a Declaração Universal e depois olhar em torno de si. Será obrigado a reconhecer que, apesar das antecipações iluminadas dos filósofos, das corajosas formulações dos juristas, dos esforços dos políticos de boa vontade,o caminho a percorrer é ainda longo...” </li></ul><ul><li>“...teoria e pratica percorrem duas estradas diversas e a velocidades muito desiguais.” </li></ul><ul><li>(Bobbio) </li></ul>

×