Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei

7,000 views

Published on

Palestra espirita realizada por Eduardo Ottonelli Pithan de Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul, Brasil sobre o Capítulo 1 do Evangelho segundo espiritismo

Published in: Spiritual
  • Be the first to comment

Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei

  1. 1. Eduardo Ottonelli Pithan Grupo Vagalumes – Novo Hamburgo 51.82042277
  2. 2. Referências Bibliográficas EVANGELHO SEGUNDO ESPIRITISMO, Allan Kardec, Cap. I e Cap XV número 5. LIVRO DOS ESPIRITOS, Allan Kardec, conclusão item VII O CONSOLADOR, de Chico Xavier ditado por Emmanuel questões 268, 269, 270, 271, 272. “CÓPIA DA PALESTRA” no SLIDESHARE ou solicitar por email eduardopithan64@gmail.com
  3. 3. Evangelho Segundo o Espiritismo
  4. 4. Evangelho segundo o Espiritismo 1. “Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas, não vim destruí-los, mas dar-lhes cumprimento. Eu vos digo em verdade que o Céu e a Terra não passarão antes que tudo o que está na lei seja cumprido completamente, até o último jota e o último ponto.” (Mateus, 5:17 e 18) Existirão sempre Até que o bem e a lei de amor Sejam cumpridos Lei de amor
  5. 5. Ordem cronológica da Revelação 1ª REVELAÇÃO MOISÉS JESUS KARDEC DEZ MANDAMENTOS LEI DE AMOR, CARIDADE E PERDÃO CODIFICAÇÃO ESPIRITISMO 2ª REVELAÇÃO 3ª REVELAÇÃO REGRAR FREIAR AGIR TRANSFORMAR PRATICAR ESCLARECER
  6. 6. LEI MOISÉS– Dez mandamentos A lei de Moisés recebida no Monte Sinai, transmitida por Deus. 1. NÃO terás outros deuses estrangeiros diante de mim. Não farás imagem talhada, nem figura nenhuma de tudo o que está no Céu e na Terra, nem de tudo o que está nas águas e debaixo da terra. Não os adorarás, nem lhes renderás cultos soberanos. 2. NÃO tomarás em vão o nome do Senhor, teu Deus. 3. Lembra-te de santificar o dia de sábado. 4. Honra a teu pai e à tua mãe, a fim de viveres muito tempo na Terra que o Senhor teu Deus te dará. 5. NÃO matarás. 6. NÃO cometerás adultério. 7. NÃO roubarás. 8. NÃO prestarás falso testemunho contra o teu próximo. 9. NÃO desejarás a mulher de teu próximo. 10. NÃO desejarás a casa de teu próximo, nem seu servo, ou serva, nem seu boi, seu asno, ou qualquer outra coisa que lhe pertença.
  7. 7. O que a Lei de Deus acrescentou Base mínima nas relações entre as pessoas Limites claros para a ação entre os seres humanos Base mínima para nossa relação com Deus único
  8. 8. LEI DE JESUS Aproximou-se dele um dos escribas que os tinha ouvido falar, e sabendo que lhes tinha respondido bem, perguntou-lhe: QUAL É O PRIMEIRO DE TODOS OS MANDAMENTOS? Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Mateus, 22:37-39. Não se pode verdadeiramente amar a Deus sem amar o próximo, nem amar o próximo sem amar a Deus. Logo, tudo o que se faça contra o próximo o mesmo é que fazê-lo contra Deus. Allan Kardec: O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. 15, item 5.
  9. 9. LEI DE JESUS • Mas o papel de Jesus não foi simplesmente o de um legislador moralista, apenas com a autoridade de sua palavra. • (...) Sua autoridade vinha da natureza excepcional de seu Espírito e de sua missão divina. Ele veio ensinar aos homens que a verdadeira vida não está na Terra, mas no reino dos Céus; ensinar-lhes o caminho que os conduz até lá, os meios de se reconciliarem com Deus e de preveni-los sobre a marcha das coisas que hão de vir, para o cumprimento dos destinos humanos. • Entretanto, Jesus não podia dizer tudo e, em relação a muitos pontos, conforme Ele mesmo disse, limitou-se a lançar os germens das verdades que não podiam ainda ser compreendidas. • Ao falar de tudo, o fez em termos às vezes mais, às vezes menos claros. Para compreender o sentido oculto dessas palavras, seria preciso que novas ideias e novos conhecimentos viessem nos dar a chave, e essas ideias não poderiam vir antes que o Espírito humano adquirisse um certo grau de maturidade. • A Ciência deveria contribuir decididamente para que essas ideias viessem à luz e se desenvolvessem. Seria, portanto, preciso dar à Ciência o tempo de progredir.
  10. 10. Que Jesus acrescentou VERDADEIRA VIDA não está na Terra, mas no reino dos Céus; CAMINHO que os conduz até a Pátria espiritual – AMOR, CARIDADE E PERDÃO “Eu sou o caminho a verdade e a vida, NINGUÉM vai ao pai se não por mim” Como se RECONCILIAR com DEUS – Reforma íntima – Transformação das atitudes
  11. 11. KARDEC – CODIFICAÇÃO - ESPIRITISMO • O Espiritismo é a nova ciência que vem revelar aos homens, por meio de provas irrecusáveis, a existência e a natureza do mundo espiritual e suas relações com o mundo físico. • O Espiritismo nos revela esse mundo espiritual, não mais como algo sobrenatural, mas, ao contrário, como uma das forças vivas e incessantemente ativas da Natureza, como a fonte de uma multidão de fenômenos incompreendidos até então e, por esta razão, encarados como coisas do fantástico e do maravilhoso. • O Espiritismo não foi personificado em nenhum indivíduo, pois ele é o produto do ensinamento dado, não por um homem, mas pelos Espíritos, que são as vozes do Céu, em todos os pontos da Terra, servindo-se para isso de uma multidão incontável de médiuns.
  12. 12. Codificação Espírita - Kardec • O Livro dos Espíritos - 1857 • O Livro dos Médiuns - 1861 • O Evangelho segundo o Espiritismo – 1864 • O céu e o Inferno – 1865 • A Gênese – 1868 • Obras póstumas - 1890
  13. 13. Codificação Espírita - Kardec O Livro dos Espíritos – 1857 Contém os princípios da doutrina espírita sobre a imortalidade da alma, a natureza dos espíritos e suas relações com os homens, as leis morais, a vida presente, a vida futura e o porvir da Humanidade segundo o ensinamento dado pelos Espíritos Superiores com auxílio de diversos médiuns recebidos e coordenados por Allan Kardec – com 1019 perguntas e respostas O Livro dos Médiuns – 1861 Ensino especial dos espíritos sobre a teoria de todos os gêneros de manifestações, os meios de comunicação com o mundo invisível, o desenvolvimento da mediunidade, as dificuldades e os tropeços que se podem encontrar na pratica do espiritismo constituindo o seguimento de o Livro do Espíritos O Evangelho Segundo o Espiritismo – 1864 A explicação das máximas morais do Cristo em concordância com o espiritismo e suas aplicações às diversas aplicações da vida.
  14. 14. Codificação Espírita - Kardec O Céu e o Inferno – 1865 O exame comparado das doutrinas sobre a passagem da vida corporal à vida espiritual, sobre as penalidades e recompensas futuras, sobre anjos e demônios, sobre as penas, etc. Seguido de numerosos exemplos acerca da situação real da alma durante e depois da morte. A Gênese – 1868 A doutrina espírita há resultado do ensino coletivo e concordante dos espíritos. A ciência é chamada a constituir a gênese de acordo com as leis da natureza. Deus prova a sua grandeza e poder pela imutabilidade das suas leis e não pela ab- rogação delas. Para Deus, o passado e o futuro são o presente. Obras Póstumas – 1890 Esta obra complementa as obras básicas
  15. 15. Evangelho Segundo o Espiritismo Livro dos Espíritos Livro dos Médiuns O céu e o Inferno A Gênese Obras Póstumas Por onde começar - SUGESTÃO
  16. 16. Efeitos do Espiritismo Desenvolver o sentimento religioso aumentando a serenidade frente a morte (esclarecendo as perguntas básicas) Resignação frente as dificuldades da vida. A certeza no futuro cuja felicidade depende apenas de nós mesmos. Estimular no homem o perdão e a tolerância com os defeitos alheios. Eliminar o egoísmo. Livro dos Espíritos – conclusão número 7
  17. 17. Comparação das revelações MOISÉS JESUS KARDEC DEZ MANDAMENTOS LEI DE AMOR, CARIDADE E PERDÃO CODIFICAÇÃO ESPIRITISMO Basta ao homem ficar SENTADO pra ir pro céu. Basta NÃO fazer. É preciso AGIR. Jesus condena a OMISSÃO. Quer a transformação das atitudes humanas Reforma íntima que nos leva a evolução e a compreensão do amor e da necessidade do bem.
  18. 18. Livro dos Espíritos
  19. 19. Perguntam algumas pessoas: Ensinam os Espíritos qualquer moral nova, qualquer coisa superior ao que disse o Cristo? Se a moral deles não é senão a do Evangelho, de que serve o Espiritismo? (...) Não, o Espiritismo não traz moral diferente da de Jesus. Mas, perguntamos, por nossa vez: Antes que viesse o Cristo, não tinham os homens a lei dada por Deus a Moisés? A doutrina do Cristo não se acha contida no Decálogo? Dir-se-á, por isso, que a moral de Jesus era inútil? Perguntaremos, ainda, aos que negam utilidade à moral espírita: Por que tão pouco praticada é a do Cristo? E por que, exatamente os que com justiça lhe proclamam a sublimidade, são os primeiros a violar-lhe o preceito capital: o da caridade universal? Os Espíritos vêm não só confirmá-la, mas também mostrar-nos a sua utilidade prática. Tornam inteligíveis e patentes verdades que haviam sido ensinadas sob a forma alegórica. E, justamente com a moral, trazem-nos a definição dos mais abstratos problemas da psicologia. Jesus veio mostrar aos homens o caminho do verdadeiro bem. Livro dos Espíritos Conclusão item VIII
  20. 20. As comunicações com os seres de além-túmulo deram em resultado fazer-nos compreender a vida futura, fazer-nos vê-la, iniciar-nos no conhecimento das penas e gozos que nos estão reservados, de acordo com os nossos méritos e, desse modo, encaminhar para o espiritualismo os que no homem somente viam a matéria, a máquina organizada. Razão, portanto, tivemos para dizer que o Espiritismo, com os fatos, matou o materialismo. Fosse este único resultado por ele produzido e já muita gratidão lhe deveria a ordem social. ele, porém, faz mais: mostra os inevitáveis efeitos do mal e, conseguintemente, a necessidade do bem. Muito maior do que se pensa é, e cresce todos os dias, o número daqueles em que ele há melhorado os sentimentos, neutralizado as más tendências e desviado do mal. É que para esses o futuro deixou de ser coisa imprecisa, simples esperança, por se haver tornado uma verdade que se compreende e explica, quando se veem e ouvem os que partiram lamentar-se ou felicitar-se pelo que fizeram na Terra. Quem disso é testemunha entra a refletir e sente a necessidade de a si mesmo se conhecer, julgar e emendar. Livro dos Espíritos Conclusão item VIII
  21. 21. Livro O Consolador
  22. 22. Livro O Consolador 268 –Os dez mandamentos recebidos por Moisés no Sinai, base de toda justiça até hoje, no mundo, foram alterados pelas seitas religiosas? As seitas religiosas, de todos os tempos, pela influenciação de seus sacerdotes, procuram modificar os textos sagrados; todavia, apesar das alterações transitórias, os dez mandamentos, transmitidos à Terra por intermédio de Moisés, voltam sempre a ressurgir na sua pureza primitiva, como base de todo o direito no mundo, sustentáculo de todos os códigos da justiça terrestre. 269 –Como entender a palavra do Velho Testamento quando nos diz que Deus falou a Moisés no Sinai? Estais atualmente em condições de compreender que Moisés trazia consigo as mais elevadas faculdades mediúnicas, apesar de suas características de legislador humano. É inconcebível que o grande missionário dos judeus e da Humanidade pudesse ouvir o Espírito de Deus. Estais, porém habilitados a compreender, agora, que a Lei ou a base da Lei, nos dez mandamentos, foi-lhe ditada pelos emissários de Jesus, porquanto todos os movimentos de evolução material e espiritual do orbe se processaram, como até hoje se processam, sob o seu augusto e misericordioso patrocínio.
  23. 23. Livro O Consolador 270 –Apesar de suas expressões tão humanas, Moisés veio ao mundo como missionário divino? Examinando-se os seus atos enérgicos de homem, há a considerar as características da época em que se verificou a grande tarefa do missionário hebreu, legítimo emissário do plano superior, para entregar ao mundo terrestre a grande e sublime mensagem da primeira revelação. Com expressões diversas, o grande enviado não poderia dar conta exata de suas preciosas obrigações, em face da Humanidade ignorante e materialista. 271 –Moises transmitiu ao mundo a lei definitiva? O profeta de Israel deu à Terra as bases da Lei divina e imutável, mas não toda a Lei, integral e definitiva. Aliás, somos obrigados a reconhecer que os homens receberão sempre as revelações divinas de conformidade com a sua posição evolutiva. Até agora, a Humanidade da era cristã recebeu a grande Revelação em três aspectos essenciais: MOISÉS trouxe a missão da Justiça; JESUS COM O EVANGELHO, a revelação insuperável do Amor, e o ESPIRITISMO em sua feição de Cristianismo redivivo, traz, por sua vez, a sublime tarefa da Verdade. No centro das três revelações encontra-se Jesus-Cristo, como o fundamento de toda a luz e de toda a sabedoria. (...)
  24. 24. Livro O Consolador 272 –Qual a significação da lei de talião “olho por olho, dente por dente”, em face da necessidade da redenção de todos os espíritos pelas reencarnações sucessivas? A lei de talião prevalece para todos os espíritos que não edificaram ainda o santuário do amor nos corações, e que representam a quase totalidade dos seres humanos. Presos, ainda, aos milênios do pretérito, não cogitaram de aceitar e aplicar o Evangelho a si próprios, permanecendo encarcerados em círculos viciosos de dolorosas reencarnações expiatórias e purificadoras. Moisés proclamou a Lei antiga; muitos séculos antes do Senhor. Como já dito, o profeta hebraico apresentava a Revelação com a face divina da Justiça; mas, com Jesus, o homem do mundo recebeu o código perfeito do Amor. Se Moisés ensinava o “olho por olho, dente por dente”, Jesus-Cristo esclarecia que o “amor cobre a multidão dos pecados”. Daí a verdade de que as criaturas humanas se redimirão pelo amor e se elevarão a Deus por ele, anulando com o bem; todas as forças que lhes possam encarcerar o coração nos sofrimentos do mundo.
  25. 25. O QUE O CAPÍTULO 1 DO ESE NOS CONVOCA?  A compreensão de que cada um de nós somos os mesmos espíritos que ouviram os dez mandamentos direta ou indiretamente;  Somos os mesmos espíritos que tiveram algum contato com o Cristo a sua época de forma direta ou indireta;  Que somos chamados pelo espiritismo (trabalhadores da última hora) a terceira revelação. A acordar para a reforma íntima, que nos leve a compreender a necessidade do bem e do amor, a fim de que possamos evoluir e poder permanecer no planeta terra que só receberá espíritos mais evoluídos. (Provas e expiações para Regeneração)
  26. 26. Obrigado pela atenção!

×