Oriente médio uma região de conflitos

19,341 views

Published on

2 Comments
18 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
19,341
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
232
Actions
Shares
0
Downloads
1,503
Comments
2
Likes
18
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Oriente médio uma região de conflitos

  1. 1. ORIENTE MÉDIO<br />Uma região de conflitos<br />
  2. 2. O atual Estado de Israel e territórios palestinos – foram habitados por diversos grupos humanos DESTAQUE: Hebreus<br />
  3. 3.
  4. 4. Hebreus: desenvolveram sua cultura, costumes e religião no Oriente Médio<br />
  5. 5. Império Romano: dominou quase todo o Oriente Médio<br />
  6. 6. Especial importância à localização estratégica da Judéia (Judeus)<br />
  7. 7. Judeus: inconformados com a dominação romana, iniciaram uma série de revoltas<br />
  8. 8. Romanos: reagiram com violenta perseguição aos judeus em todas as localidades.<br />
  9. 9. 70 d.C – Diáspora<br />
  10. 10. Judeus: continuaram a ser perseguidos em quase todas as localidades em que viviam.<br />
  11. 11. Judeus dispersos pelo mundo – antigas terras conquistadas por diversos povos<br />
  12. 12. 700 d.C – região conquistada pelos muçulmanos<br />
  13. 13. Região da Palestina: área dominada pela cultura árabe<br />
  14. 14. Fim do século XIX: judeus iniciaram retorno às suas terras ancestrais<br />
  15. 15. Início do século XX: Região da Palestina dominada pelo Império Turco-Otomano (aliado da Alemanha) – Maioria árabe não tinha autonomia<br />
  16. 16. I Guerra Mundial: Grã-Bretanha (Inglaterra, Escócia e País de Gales) vence o Império Turco-Otomano com apoio árabe <br />
  17. 17. Árabes obtiveram controle do petróleo e negociavam com companhias inglesas.<br />
  18. 18. Na Europa, britânicos apoiavam judeus que queriam criar seu país na mesma região habitada pelos árabes... a PALESTINA.<br />
  19. 19. II Guerra Mundial: Perseguição nazista aos judeus.<br />
  20. 20. Muitos judeus foram para a Palestina, agora chamada de ISRAEL.<br />
  21. 21. Para evitarconflitos - ideiade dividir Israel em dois Estados: um ÁRABE e outro JUDEU<br />
  22. 22.
  23. 23. Árabes não aceitaram a ideia de dividir o território com um povo que acabara de chegar após dois mil anos longe.<br />
  24. 24. 1947: auge do conflito divisão da região em dois países pela ONU<br />
  25. 25. 1948: judeus declararam independência de Israel (foram atacados por países árabes vizinhos, solidários aos palestinos)<br />
  26. 26. Milhões de árabes palestinos expulsos de suas casas pelo exército de Israel.<br />
  27. 27. Refúgio: Cisjordânia (Jordânia), Faixa de gaza (Egito) e outros países (Ex.: Líbano)<br />
  28. 28.
  29. 29. 1964: Palestinos refugiados fundaram a OLP (Organização para Libertação da Palestina)<br />
  30. 30. Meta inicial: retomar as terras e expulsar todos os judeus.<br />
  31. 31. OLP passou a atacar repentinamente o Estado de Israel<br />
  32. 32. 1967: resposta de Israel aos ataques palestinos – tomou Cisjordânia, Faixa de Gaza e as colinas de GolãGUERRA DOS SEIS DIAS<br />
  33. 33. 1970: Yasser Arafat comanda ataques a cidades de Israel<br />
  34. 34. Os países árabes lançam um ataque surpresa no YomKippur (feriado religioso judáico), onde os judeus oram e recolhem-se.<br />
  35. 35. Israel mantém terras conquistadas<br />
  36. 36.
  37. 37. Ataques de Israel contra Faixa de Gaza<br />
  38. 38. Ataque de Israel contra comboio de ajuda humanitária<br />
  39. 39. Palestinos: péssimas condições, sem perspectiva e dedicação à luta armada (Gaza e Cisjordânia)<br />
  40. 40. 1977: Egito, na pessoa de Anuar Sadat, aproxima-se dos EUA e Israel<br />
  41. 41. 1979: Israel devolve o Sinai ao Egito e EUA ampliam sua área de influência, além de oferecer investimentos aos Egito – ACORDOS DE CAMP DAVID<br />
  42. 42. Acordo considerado traição pelo mundo árabe<br />
  43. 43. 1980: A OLP é questionada por não conseguir dar terra e liberdade aos palestinos<br />
  44. 44. Terroristas árabes matam Anuar Sadat como vingança pelo entendimento entre Egito e Israel<br />
  45. 45. 1987: O Hamas (em árabe, Movimento de Resistência Islâmica), organização que cresceu entre os palestinos, torna-se um partido político<br />
  46. 46. HAMAS: prega a luta incessante contra Israel, inclusive com ataques suicidas<br />
  47. 47.
  48. 48. Relevância política<br />
  49. 49. Possui importante rede de assistência social que ajuda famílias palestinas carentes<br />
  50. 50. 1990: OLP e Yasser Arafat perdem força. Perde apoio da URSS (fim em 1991) e dos países árabes (problemas internos)<br />
  51. 51. 1993: Acordo de Paz – ACORDOS DE OSLO (capital da Noruega) – ONU: ISRAEL (Itzhak Rabin), EUA (Bill Clinton) e OLP (Yasser Arafat)<br />
  52. 52. OLP: comprometia reconhecer o Estado de Israel e a não mais atacá-lo<br />
  53. 53. ISRAEL: reconhecia a OLP e dava autonomia nos territórios de Gaza e Cisjordânia (quanto menos ataques a Israel, mais terras concedidas na Cisjordânia)<br />
  54. 54. Terras lideradas por Israel: controladas pela Autoridade Nacional Palestina (espécie de governo palestino)<br />
  55. 55. 1995: Assassinato de Itzhak Rabin, primeiro-ministro de Israel, por um jovem judeu contrário a aproximação com os palestinos<br />YigalAmir, o estudante ortodoxo que matou o premiê Yitzhak Rabin<br />
  56. 56. Aumento das tensões e demora nas concessões de terras aos palestinos (mais revolta)<br />
  57. 57. 2002: Morte do líder palestino Yasser Arafat<br />
  58. 58.
  59. 59. 2005: Tropas israelenses deixam a Faixa de Gaza (12 anos após os Acordos de Oslo)<br />
  60. 60. Continuidade dos ataques suicidas contra israelenses<br />
  61. 61. ATUALMENTE...<br />
  62. 62. - A pacificação na região não se concretizou<br />
  63. 63. <ul><li>Problemas de difícil solução...</li></li></ul><li>. Cisjordânia não tem autonomia total<br />
  64. 64. . Mais de 3 milhões de palestinos querem voltar e são impedidos por Israel<br />
  65. 65.
  66. 66. . Israel não aceita Jerusalém como capital da Palestina.<br />
  67. 67.
  68. 68.
  69. 69. “ Uma vez que as guerras nascem no espírito dos homens,é no espírito dos homens que se devem erguer as defesas da paz.” ( Archibald McLeish )<br />

×