Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Paraná Notícias

378 views

Published on

A informação como ela é.

Published in: News & Politics
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Paraná Notícias

  1. 1. parananoticias.com.br AO VIVO PELO FACEBOOK PARANÁ NOTÍCIAS TV A Bíblia usa muitas figuras de linguagem que exige que o estudante avalie sempre com cuidado para compreender o significado. PÁGPÁGPÁGPÁGPÁG..... 1313131313 Por que a Bíblia diz que Deus é fogo consumidor? Sociedade Notícias Memória VMemória VMemória VMemória VMemória Vivivivivivaaaaa Política OlharOlharOlharOlharOlhar CristãoCristãoCristãoCristãoCristão PÁGPÁGPÁGPÁGPÁG..... 0202020202 PÁGPÁGPÁGPÁGPÁG..... 08/09/1208/09/1208/09/1208/09/1208/09/12 O pagamento de Dívidas da Gestão passada infelizmente tem se tornado comum na administração atual, pois já foram pagos vários precatórios e acordos judiciais, com prestadores e servidores que foram lesados. A partir do mês de fevereiro estará honrando com mais um pagamento de dívida oriunda da gestão anterior, o pagamento ultrapassa a casa dos 380 mil reais e serão pagos em parcelas condizentes com a realidade do Município. Farol terá que pagar mais de R$ 380 mil herdados da gestão passada (2009) O governador Carlos Massa Ratinho Junior assinou no último dia 31, ao lado do prefeito Leonaldo Para- nhos (PSC), o decreto que transfere a sede do Executivo Estadual para Cascavel, no Oeste do Paraná, nos dias 7 e 8 de fevereiro. Uma série de reuniões de trabalho, com a participação dos secretários de Estado e presidentes de autarquias e empresas públicas, está sendo agendada, incluindo encontros com lideranças e prefeitos da região. O Paraná é um dos estados com a maior diversidade ét- nica do Brasil. São alemães, poloneses, ucranianos, itali- anos, japoneses, povos que ajudaram a construir o Para- ná de hoje. Entenda; Fatos& #Campo Mourão #R.AlegreD’oeste #Comcam #Estado Esporte é vida: reunião define continuidade da Copa Comcam neste ano Município tem quase o mesmo número de eleitores quanto de habitantes Mais vagas de Medicina irão trazer diversos benefícios ao município de Campo Mourão Simepar vai avaliar a situação de 461 barragens existentes no Paraná Prevenção: Municípios preparam plano de contingência de barragens Produtores visitam a prefeita e anunciam investimentos na diversificação Novo Secretário da Saúde assume interinamente em Campo Mourão PPPPPAAAAAGGGGG..... 0404040404 Time do Lar Paraná se destaca em Campo Mourão. Adversários tremem na base PPPPPAAAAAGGGGG..... 0404040404 PPPPPAAAAAGGGGG..... 0202020202 PPPPPAAAAAGGGGG..... 0606060606 PPPPPAAAAAGGGGG..... 1010101010 PPPPPAAAAAGGGGG..... 1010101010 PPPPPAAAAAGGGGG..... 0707070707 PPPPPAAAAAGGGGG..... 0707070707 PPPPPAAAAAGGGGG..... 0202020202 PÁGPÁGPÁGPÁGPÁG..... 0303030303 Buscando agilidade: Angela Kraus solicita transferência de pacientes na média e alta complexidade PÁGPÁGPÁGPÁGPÁG..... 0505050505 PÁGPÁGPÁGPÁGPÁG..... 14/1514/1514/1514/1514/15 Diretor: Ed Cláudio Machado Cruz Campo Mourão, 07 de Fevereiro de 2019 - Ratinho Junior transfere a sede do Governo para Cascavel O que cuida da figueira comerá do seu fruto; e o que atenta para o seu senhor será honrado. (Provérbios 27:18) VVVVVerão / Serão / Serão / Serão / Serão / Show Ruralhow Ruralhow Ruralhow Ruralhow Rural
  2. 2. Página 02 Campo Mourão, 07 de Fevereiro de 2019 Acompanhe nosso site: PARANANOTICIAS.COM.BR PARANÁ Notícias Fatos & Política A informação como ela é. Claudinho CruzClaudinho CruzClaudinho CruzClaudinho CruzClaudinho Cruz Farol terá que pagar mais de R$ 380 mil herdados da gestão passada (2009) O município de Farol, apesar de toda a instabilidade financeira em que se encontra o país, a partir do mês de fevereiro estará honran- do com mais um pagamento de dí- vida oriunda da gestão anterior, o pagamento ultrapassa a casa dos 380 mil reais e serão pagos em par- celas condizentes com a realidade do município. Segundo informou a prefeita em licença Ângela Kraus, trata-se do pagamento referente a uma ação na justiça comum que já vem se arras- tando desde 2009. O pagamento de dívidas da gestão passada infelizmente tem se tornado comum na administração atual, pois já foram pagos vários pre- catórios e acordos judiciais, com prestadores e servidores que foram lesados. Vale ressaltar que este mon- tante, se tivesse sido pago pela ad- ministração anterior, hoje seria uti- lizado para realizar ações e obras, trazendo mais melhoria e benefício para a população Farolenses, é pre- ciso que a população saiba que fo- ram encontradas muitas dívidas dei- xadas pela gestão passada (2009- 2012), e que isso em muitos casos inviabiliza uma série de realizações. Porém, temos um grupo forte e comprometido com o município, que está fazendo de tudo para ad- ministrar as contas pública da me- lhor maneira possível, e ordem ou acordo judicial não se discute, se cumpre. Comentou a Prefeita Ange- la Kraus. A administração da prefeita Angela tem conseguido manter em dia os compromissos atuais e quitar os herdados, prestadores e servido- res estão com pagamentos em dia. Todas as ações do município estão sendo devidamente planeja- das e executada dentro do orçamen- toprevisto,issocontribuiparaobom andamento da máquina pública. Último senso realizado em 2010, apresenta o município de Ran- cho Alegre D’oeste com 2.847 habi- tantes, e a população estimada para 2018éde2.682.Ofatocuriosoéque na eleição de 2016, o município ti- nha aptos a votarem 2.612 eleitores, masapenas2.287,compareceramàs urnas, mesmo assim, um número considerado extremamente alto pelo número de habitantes. Em 2018, 2.515 eleitores es- tavam habilitados a votarem, mas apenas 1.908 votantes comparece- ram. Familiares e títulos transferi- dos - A explicação se dá devido uma prática corriqueira em cidades me- nores, pessoas que já moraram ou que ainda possuem familiares que residem no município, conseguem justificar o vínculo e não transferem o título para onde realmente mo- ram, e o que é pior, muitos nunca residiram no município, mas tem uma grande fraude eleitoral, geral- mente patrocinadas por político Para ter uma ideia, Goioerê com 29.018 contou com 17.920 vo- tantes no pleito de 2016, o que deu 62% do número de habitantes, en- quanto Rancho Alegre D’oeste a por- centagem saltou para 80%. VOTAÇÃO EM COMPARAÇÃO COM HABITANTES GOIOERÊ 62% votantes RANCHO ALEGRE 80% votantes Quando comparado com nú- mero total de eleitores a porcenta- gem chega a 92%, ou seja, quase a população inteira vota Revisão Eleitoral e Biometria - Na última semana, Mário Antônio Clau- dino -Chefe de Cartório da 92 Zona Eleitoral (Goioerê), esteve visitando o município de Rancho Alegre D’oeste, onde na oportunidade, vi- sitou a prefeita Suely Alves Pereira, onde trataram sobre da Revisão Elei- toral e Biometria que será executa- da este ano nos municípios da Co- marca. A revisão do eleitorado com coleta de dados biométricos consis- te na convocação do eleitorado de um município para comprovar o seu domicílio eleitoral naquela localida- de e colher as impressões digitais e fotografia. O eleitor deve compare- cer ao Cartório Eleitoral/Central de Atendimento Biométrico, locais em que são realizados os procedimen- tos de coleta de dados biométricos. Atenção: Somenteo interessa- do pode fazer a solicitação deste ser- viço. Não é permitido solicitá-lo atra- vés de procurador. Toda documentação necessária, está disponivel no site do Paraná Notícias www.parananoticias.com.br PARANÁ NOTÍCIAS - A informação como ela é. (44) 9 9808 2786 jornalprn@gmail.com 2.847 habitantes / 2.612 eleitores Rancho Alegre D’oeste tem quase o mesmo número de eleitores quanto de habitantes Acompanhando a evolução nos meios de comunicações, o Paraná Notícias traz agora mais uma ferramenta de trabalho, o Paraná Notícias TV, com in- serções ao vivo pela página do Jornal no Facebook. “Nosso ob- jetivo é trabalhar na divulgação de vídeos, entrevistas e publi- cidade. O jornal impresso é de suma importância devido a cre- dibilidade que sempre teve, o site, pela interatividade e agili- dade em divulgar as notícias na hora. Juntamente com essa nova ferramenta, vamos expan- dir ainda mais nosso alcance. A partir de março, aos sá- bados, traremos o Programa Di- reto ao Assunto, que será um espaço aberto e democrático para toda comunidade. Lem- brando, que nosso compromis- so será sempre com a verdade” Claudinho Cruz.
  3. 3. Acompanhe nosso site: PARANANOTICIAS.COM.BR Campo Mourão, 07 de Fevereiro de 2019 Página 03PARANÁPARANÁ Notícias Governador anuncia novos valores do salário mínimo regional Novas faixas variam de R$ 1.306,80 a R$ 1.509,20 e entram em vigor a partir de 1º de fevereiro, quando será assinado o decreto que formaliza o reajus- te. Valores foram anunciados em reunião com o secretário da Jus- tiça, Família e Trabalho, Ney Le- prevost. O salário mínimo regional do Paraná vai variar de R$ 1.306,80 a R$ 1.509,20. As no- vas faixas entram em vigor a par- tir do próximo dia 1º de feverei- ro, quando será assinado o de- creto que formaliza o reajuste. Os novos valores foram anunciados nesta sexta-feira (25/01) pelo go- vernador Carlos Massa Ratinho Junior, em conjunto com o secre- tário da Justiça, Família e Traba- lho, Ney Leprevost, no Palácio Iguaçu, em Curitiba. O Paraná, destacou Rati- nho Junior, tem um dos maiores salários mínimos regionais do país. “O reajuste do piso é o com- promisso do nosso governo em valorizar os trabalhadores”, afir- mou. “Com o reajuste, aumenta o poder aquisitivo dos trabalha- dores abrangidos por essa lei. Isso se reflete no movimento do comércio e nos serviços”, enfati- zou o governador. “O mínimo regional, que já entra na folha de fevereiro, é uma referência para a negociação das categorias sindicalizadas e uma garantia para as categorias que não têm sindicato”, afirmou o se- cretário Ney Leprevost. “Vamos trabalhar junto com o conselho em prol da classe trabalhadora, fazendo com que a geração de empregos no Paraná continue em alta”, disse ele. O reajuste de 4,71% foi re- ferendado nesta semana por um conselho tripartite, que tem a par- ticipação de representantes do poder público, de empregados e empregadores. O valor estabele- cido fica acima do mínimo nacio- nal, que é de R$ 998,00. Na categoria dos trabalha- dores agropecuários, florestais e da pesca, o piso sobe para R$ 1.306, 80. Para o segundo gru- po, no setor de serviços adminis- trativos, serviços gerais, de repa- ração e manutenção e vendedo- res do comércio em lojas e mer- cados, o piso chega a R$ 1.355,20. Esta categoria engloba também a classe de trabalhado- res domésticos. Empregados na produção de bens e serviços industriais te- rão piso de R$ 1.403,60. Para o quarto grupo, na categoria de téc- nicos de nível médio, o piso pas- sa para R$ 1.509,20. HISTÓRICO - O salário mí- nimo regional no Paraná foi im- plantado em 1º de maio de 2006. Desde 2017, a data-base vem sendo reajustada pelo mesmo percentual aplicado para o salá- rio mínimo nacional e também an- tecipada em um mês por ano para que, em 2020, venha a coincidir com a data-base nacional – ou seja, 1º de janeiro. As novas faixas entram em vigor a partir do próximo dia 1º de fevereiro, quando será assinado o decreto que formaliza o reajuste Confira a evolução do piso salarial no Paraná desde a sua implantação: 2006 - R$ 427,00 a R$ 437,80 2007 R$ 462,00 a R$ 475,20 2008 R$ 527,00 a R$ 547,80 2009 R$ 605,52 a R$ 629,65 2010 R$ 663,00 a R$ 765,00 2011 R$ 708,14 a R$ 817,78 2012 R$ 783,20 a 904,20 2013 R$ 882,59 a R$ 1.018,94 2014 R$ 948,20 a R$ 1.095,60 2015 R$1.032,02 a R$ 1.192,45 2016 R$ 1.148,40 a 1.326,60 2017 R$ 1.223,20 a R$ 1.414,60 2018 R$ 1.247,40 a R$ 1.441 2019 R$ 1.306,80 a R$ 1.509,2 O governador Carlos Massa Ratinho Junior assinou no ´último dia 31, o decreto que transfere a sede do Executivo Estadual para Casca- vel, no Oeste do Paraná, nos dias 7 e 8 de fevereiro (quinta e sexta-feira). Uma série de reuniões de trabalho, com a participação dos secretários de Estado e presidentes de autarquias e empresas públicas, está sendo agen- dada, incluindo encontros com lide- ranças e prefeitos da região. A agenda coincide com o Show Rural Coopavel, evento que abre o calendário agropecuário brasileiro e acontece entre os dias 4 e 8 de feve- reiro na cidade. O governador Rati- nho Junior e o vice-governador Dar- ci Piana vão despachar e atender à população na própria feira. Também está prevista, para a sexta-feira, uma visita da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, que vem pela segunda vez ao Paraná. Esta será a quarta visita ministerial ao Estado em menos de um mês. Ratinho Junior afirmou que a transferência é uma forma de apro- ximar o governo da população. Den- tro da programação agendada para os dois dias de interiorização, está a reunião do secretariado, que aconte- ce na quinta-feira. “Queremos im- plantar este modelo de interioriza- ção no Paraná, para colocar o gover- no mais próximo da população e for- talecer o Interior”, afirmou o gover- nador. A ideia, explicou ele, é fazer uma agenda de trabalho para deba- ter temas que envolvam as áreas de infraestrutura e agricultura, por exemplo, e criar uma pauta com os deputados e lideranças da região. “É também uma maneira de prestigiar o Show Rural, que é uma feira extremamente tecnológica e apresenta o que há de melhor no mundo em termos de inovação”, des- tacou Ratinho Junior. “Como o agro- negócio é nossa matriz econômica, a ideia é fazer com que o poder públi- co possa estar mais presente, forta- lecendo cada vez mais esse setor no Estado”, disse. “Fazer uma movimentação desse tamanho nos primeiros meses de governo é um sinal de respeito à nossa população”, afirmou o prefei- to de Cascavel, Leonaldo Paranhos. “Teremos a presença do governo, que estará em Cascavel trabalhado por todo o Paraná, mas claro, encai- xando temas que são de interesse da região”, disse. TODO O ESTADO – De acordo com o superintendente da Casa Civil, Gugu Bueno, o Governo do Estado está formulando um cro- nograma de interiorizações para atender todas as regiões do Paraná. “A aproximação do governo em to- das as regiões, com toda a sua estru- tura, é uma determinação do gover- nador, porque o Interior é muito im- portante para o desenvolvimento do Paraná”, disse. Segundo ele, já está sendo tra- balhado um calendário. A intenção é que o Governo do Estado passe em todas as regiões ao longo do man- dato. Assim que terminar este even- to em Cascavel, começa a ser traba- lhada a próxima interiorização. Ratinho Junior transfere a sede do Governo para Cascavel Ratinho Junior afirmou que a transferência é uma forma de aproximar o governo da população
  4. 4. PARANÁ Notícias Página 04 Campo Mourão, 07 de Fevereiro de 2019 Acompanhe nosso site: PARANANOTICIAS.COM.BR Uma grande conquista obti- da pelo Centro Universitário Inte- grado vai trazer muitos benefícios para Campo Mourão, especialmente no que diz respeito à área da saúde, com a total parceria e apoio da Pre- feitura Municipal. É que a instituição conquistou mais 75 vagas para o Curso de Me- dicina, aumentando o número de 50 para 125. A portaria do Ministério da Educação (MEC) foi assinada na quinta-feira (31) e publicada no Di- ário Oficial da União (DOU), nesta sexta-feira. Uma parte das vagas será destinada aos estudantes que re- alizaram o Vestibular de Medicina 2019 e outra parte ofertada em um novo vestibular a ser realizado no meio deste ano. O coordenador do Curso de Medicina do Centro Universitário Mais vagas de Medicina irão trazer diversos benefícios ao município de Campo Mourão Integrado, Marco Aurélio Marango- ni, atribuiu a conquista a toda a equi- pe, destacando que é resultado de um trabalho que está sendo desenvolvi- da há anos, visando a formação de médicos com qualidade, com foco nos valores humanos e com um olhar voltado para as pessoas. Com esse aumento no número de vagas, o repasse que o Integrado faz para o município, inclusive, para que os nossos acadêmicos possam utilizar hospitais públicos, vai prati- camente triplicar, informa ainda o coordenador. O Centro Universitário Inte- grado oferece hoje 40 cursos de gra- duação, contando os presenciais, os semipresenciais e o Ensino a Distân- cia (EAD), ainda ofertando a pós- graduação presencial e EAD. Empresário do setor imobiliá- rio, Evandro Breschiliare também comemora esta oferta de mais vagas no Curso de Medicina, o que para ele representa um aquecimento a mais para este segmento. “No mês de janeiro tivemos um aumento significativo na procura, geralmente os acadêmicos deste cur- so (de medicina, especificamente) procuram por apartamentos mobi- liados, e os proprietários já procu- ram prontamente deixar tudo na conformidade, com a nossa interme- diação. Para a cidade, também tenho a certeza que será muito benéfico, certamente”, afirma. O prefeito Tau- illo Tezelli também fez questão de destacar que os benefícios para a ci- dade serão imensos. “Teremos geração de empre- gos, uma receita maior, aquecimen- to do mercado imobiliário e também do comércio local, certamente, e em um curso espaço de tempo toda a po- pulação será beneficiada com aten- dimento na área de saúde do muni- cípio, tornando Campo Mourão uma importante referência em nível es- tadual neste segmento. E o nosso reconhecimento a esta grande instituição de ensino da nossa cidade, que é o Centro Uni- versitário Integrado, certamente, é imenso, pela qualidade de ensino que também oferece em Campo Mourão, atendendo alunos não só de nossa cidade e região, mas de ou- tras partes de nosso Estado e País”, conclui. “Para a cidade, também tenho a certeza que será muito benéfico, certa- mente”, afirma, o prefeito Tauillo Tezelli Novo Secretário da Saúde assume interinamente em Campo Mourão Sergio Henrique dos Santos é o novo Secretário da Saúde interino do Município de Campo Mourão. Ele substitui Rosemeire do Carmo Martelo Cruz, que deixa o cargo de secretária após dois anos. A publicação do novo secretário foi veiculada no último dia 25, no Órgão Oficial do Município. O novo secretário assu- me uma função estratégica dentro da administração muni- cipal, já que as pessoas neces- sitam cada vez mais e mais dos serviços da saúde, tornan- do a demanda de público cada vez maior, o que exige um tra- tamento de qualidade por par- te da administração. “Temos o dever de prezar pelo bom atendimento, procu- rar solucionar as necessidades do munícipe, dentro das nos- sas condições, sabemos que muitas são as demandas, já que a saúde pública é um seg- mento que exige total preste- za e ética profissional, e assim, junto com todos os nossos co- laboradores, vamos continuar levando um atendimento hu- manizado e saúde pública de qualidade a toda a população”, destaca Sergio. Na Secretaria da Saúde - Formado em Gestão Pública, Sergio Henrique dos Santos desde o início de 2017 está atuando dentro da Secretaria da Saúde do Município de Cam- po Mourão. Iniciou na função de chefe do departamento adminis- trativo e em março de 2018 ser tornou diretor geral. E agora, as- sume como secretário interino. Sergio Henrique dos Santos é o novo Secretário da Saúde interino do Município de Campo Mourão
  5. 5. Notícias Acompanhe nosso site: PARANANOTICIAS.COM.BR Campo Mourão, 07 de Fevereiro de 2019 Página 05PARANÁ Buscando agilidade: Angela Kraus solicita transferência de pacientes na média e alta complexidade A saúde municipal de Farol tem se destacado em toda região, principalmente por estar prestan- do atendimento 24 horas a popula- ção, porém para casos onde se faz necessário internamento ou trans- ferências para especializações de- pendemos de uma medida de territoriali- zação adotada pelo Governo Estadual, onde em seu Plano Diretor de Re- gionalização Farol e outros 07 municípios tem como re- ferência o mu- nicípio de Goioerê, assim o estado determina o território de atendi- mento para atender toda a deman- da em diferentes hospitais. “Ocorre que Farol tem uma nova realidade, com o suporte téc- nico que possuímos, nossos médi- cos têm atendido praticamente to- dos os casos na Unidade Básica, en- caminhando apenas alta complexi- dade para nossa referência, diante de nossa realidade atual, busquei junto ao Diretor interino da 11º Re- gional de Saúde o Sr. Roberto Rosa Filho a mudança de referência para a cidade de Campo Mourão, esta que já atende cerca de 40% de toda regional, disse Angela. “Cabe mencionar que em caso de traumas ou pacientes cardíacos nossa referência já é Campo Mou- rão. Outra importante medida to- mada nesta tarde, foi referente ao atendimento prestado pelo SAMU, serviço este que tem nos atendido, po- rém nas últi- mas ocorrên- cias com mui- ta demora. Levando ho- ras para che- gar, não dan- do o suporte devido a nos- sos pacientes e a nossos profissionais”, alertou a prefeita licenciada. “Situação inadmissível quan- do se trata de saúde e risco de vida. A tarde foi de grandes reivindica- ções e esperamos que nossa popu- lação usufrua o quanto antes des- tas mudanças que irá aprimorar nosso atendimento. E para conseguir essas me- lhorias não depende do município, e sim do sistema que não podemos passar por cima. Podemos mostrar que esta- mos insatisfeitos com as dificulda- des encontradas e solicitar melho- res”, explicou Kraus que também é enfermeira. No último sábado, 26, um delicioso jantar elaborado pelas Líderes da Pastoral da Criança, sorteio de brindes, entrega de premiações e muita emoção - o Projeto Férias Felizes- verão 2019 se despediu mais uma vez marcando a história das famílias ranchoalegrenses. POLO CAMPO MOURÃO PR - Profº RAI - Rua Edmundo Mercer nº 1557 - Prédio anexo ao Master Pré Vestibular Bairro Centro - Fone(44) 3523 3202 - (44) 99922 3202 - (44) 99902 8383 Watzap Rancho Alegre D’oeste confraternização marca o encerramento dos Férias Felizes Verão 2019
  6. 6. Página 06 Campo Mourão, 07 de Fevereiro de 2019 Acompanhe nosso site: PARANANOTICIAS.COM.BR PARANÁ Notícias Prefeitura de Farol quer encaminhar construção de novo conjunto habitacional O prefeito em exercício de Fa- rol, Natalicio dos Santos (Natal), es- teve na sede da Cohapar, em Curiti- ba, nesta quarta-feira (30) para tra- tar da continuidade de um projeto para a construção de 27 casas popu- lares na cidade, na região Centro- Oeste do Paraná. O empreendimen- to tem orçamento estimado em R$ 1,9 milhão e depende da aprovação de recursos do programa Minha Casa Minha Vida pela Caixa Econô- mica Federal. Antes de ser analisado pelo banco, no entanto, a administração municipal precisa concluir obras de infraestrutura complementar no en- torno da área que pode ser utilizada para a construção do empreendimen- to. “Após esta etapa, serão neces- sárias adequações de documentação do projeto e da construtora licitada pela Cohapar para a execução das obras para envio à Caixa”, explica a assessora da presidência da compa- nhia, Jocely Loyola. Caso seja aprovado pelo agente financeiro, o projeto receberá recur- sos financiados pelo Fundo de Garan- tia do Tempo de Serviço (FGTS). Por se tratar de verba federal, a contrata- ção carece ainda de uma definição da União acerca do orçamento que será destinado ao setor habitacional este ano. “Temos agora um novo gover- no federal e um novo governo esta- dual, então é natural que sejam feitas adequações nos programas, mas con- tamos com a continuidade da parce- ria com a Cohapar para tentarmos vi- abilizar estes investimentos”, afirma o prefeito em exercício. O projeto depende da conclusão de obras de infraestrutura pela administração munici- pal e da aprovação de recursos do Governo Federal RanchoAlegreD’oeste:produtoresinvestemnadiversificação A prefeitura de Rancho Alegre D’oeste tem dado total apoio a diversificação das propriedades rurais. Para a prefeita Sueli a diversificação contribui para o desenvolvimento da região. “O município estará sempre incentivando e apoiando a diversificação, pois sabemos a importância que é a geração de emprego e renda”, disse a prefeita. O produtor rural, Ercílio José Moreschi e Família faz ampliação da atividade da integração da avicultura. O mesmo acontece com o produtor rural, Valdenir Marques Viana que também investirá na avicultura. Já Sinésio e Lucas Siroti, também produtores estão investindo na produção de peixes - Integração Piscicultura. Assinado contrato para reformas doClubedeMãesdoCidadeNova O bar- racão comu- nitário utiliza- do pelo Clube de Mães do Jardim Cidade Nova será refor- mado. A assinatura do contrato com a empresa vencedora da licitação foi realiza- do com a presença do prefeito Tauillo Tezelli, do vice Beto Voidelo, o vereador Sidnei Jardim, o presidente da Associa- ção de Moradores, Amilton de Souza, além de autoridades mu- nicipais e lideranças da comuni- dade. As reformas vão custar R$ 49,8 mil e contemplam melhori- as na estrutura do imóvel, como forro, calçadas, portão, cerca de alambrado, instalação elétrica, hi- dráulica e pintura externa. “É gratificante participar desse momento em que mais reivindi- cação do nosso bairro é atendi- da pela administração municipal”, destacou o presidente da Asso- ciação, Amilton de Souza. O prefeito Tauillo ressaltou q u e além da re- forma no barracão, o bairro tem sido atendi- do em várias áreas, desde me- lhorias nas vias públicas, na Uni- dade de Saúde, reforma da esco- la municipal e nos próximos dias instalação de uma arena de gra- ma sintética no Parque das Torres. “Temos trabalhado em par- ceria com os vereadores para, na medida do possível, atender o que a comunidade nos pede”, frisou o prefeito. O Clube de Mães do bairro conta com cerca de 30 mulheres que se reúnem duas vezes por se- mana. O barracão também é usa- do para as reuniões da associa- ção, eventos comunitários, pesa- gem do posto de saúde e entrega do leite do programa do governo do Estado. Além do salão, o imó- vel conta com cozinha, três salas e um banheiro.
  7. 7. Acompanhe nosso site: PARANANOTICIAS.COM.BR Campo Mourão, 07 de Fevereiro de 2019 Página 07PARANÁPARANÁ Notícias Simepar vai avaliar a situação de 461 barragens existentes no Paraná O Simepar foi escolhido para auxiliar no processo porque o ór- gão, sediado no Centro Politécni- co da Universidade Federal do Paraná, em Curitiba, desenvolve atividades de serviços nas áreas de meteorologia, hidrologia e meio ambiente. O Governo do Estado fará um contrato de gestão com o Sis- tema Meteorológico do Paraná (Simepar) para avaliar a situação das 461 barragens existentes no território paranaense. Em paralelo, duas unidades que abrigam resíduos minerais, em Cerro Azul e Campo Largo, serão vistoriadas nessa semana. Os trabalhos serão monito- rados pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Ambiental e Turismo (SEDAT). O Simepar foi escolhido para auxiliar no processo porque o ór- gão, sediado no Centro Politécni- co da Universidade Federal do Pa- raná, em Curitiba, desenvolve ati- vidades de serviços nas áreas de meteorologia, hidrologia e meio ambiente. A maioria das barragens lo- calizadas no Paraná são para uso de irrigação, abastecimento de água, geração de energia, prote- ção de meio ambiente e recreação. Municípios preparam plano de contingência de barragens Iniciativa é pioneira no Brasil. Defesa Civil do Paraná elaborou um modelo de plano de contingência municipal para orientar gestores das cidades em áreas de impacto direto em caso de acidentes de barragens. Integram a lista 65 municípios, que abrigam barragens para uso de geração de energia A Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil do Paraná elaborou um modelo de Plano de Contingên- cia Municipal de Barragens para orientar gestores das cidades inclu- ídas em áreas de impacto direto em caso de acidentes de barragens. A iniciativa é pioneira no Brasil. No Paraná, 65 municípios abrigam bar- ragens para uso de geração de ener- gia. “Todos somos responsáveis por barragens e cada município tem sua responsabilidade local", afirma o coordenador de Defesa Civil do Paraná, coronel Ricardo Silva, des- tacando a necessidade de ações pre- ventivas por todas as instâncias. "É importante frisar que toda barragem tem um dano potencial associado, seja menor ou maior, por isso, toda instância - federal, esta- dual e municipal - precisa assumir sua responsabilidade”, diz ele. As ações para apresentação do modelo do plano de contingên- cia de barragem aos representan- tes dos municípios foram articula- das pela Defesa Civil e contou com a participação das empresas respon- sáveis pelos grandes empreendi- mentos de geração de energia, como a Copel. O Paraná já havia se destaca- do como primeiro estado a ter to- dos os seus municípios dotados com Plano de Contingência abrangendo todo e qualquer desastre natural. O Plano de Contingência Munici- pal de Barragens, especificamente, reforça a resposta a desastres exclu- sivamente para ocorrências com es- tas estruturas. PREOCUPAÇÃO CONSTANTE - Ricardo Silva explica que desde o rompimento da barragem de Fun- dão, em Minas Gerais, há quase 4 anos, as discussões preventivas para eventos deste tipo ganharam mais destaque. “As tratativas sobre as barra- gens foram intensificadas a partir de 2015 e é uma preocupação constan- te da Defesa Civil estadual. Faze- mos reuniões periódicas visando planos para minimizar riscos, pla- nos de atendimento de emergência e elaboração de planos de contin- gência, ou seja, já é um assunto do nosso dia a dia”, disse ele. As discussões são realizadas pela Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil do Paraná junto com um grupo de trabalho, composto pela Sanepar, Instituto das Águas, Crea/PR, Copel, Depar- tamento Nacional de Produção Mi- neral do Paraná, Instituto Ambien- tal do Paraná e Instituto de Terras, Cartografia e Geociências. Da intensa troca de informações entre as instituições foi instituí- do oficialmente em outubro do ano passado, através decreto nº 11.381, o Comitê Paranaense de Segurança em Barragens. MODELO - A criação do mode- lo de Plano de Contingência Mu- nicipal de Barragens não está pre- vista em legislação e é uma inici- ativa pioneira do Paraná, que sai à frente nesta ação preventiva. Ele foi elaborado pela De- fesa Civil do Paraná em 2018. “As auditorias in loco e formas de fis- calização de barragens são assun- tos em voga desde 2015 e nesse escopo pensamos que um plano de contingência municipal para dar respostas a eventuais desastres envolvendo barragens fosse ne- cessário”, disse o subchefe do ór- gão, major Antônio Hiller. “O documento modelo ela- borado pela Defesa Civil é um fa- cilitador no processo de preven- ção e, apesar de não ser obrigató- rio em legislação, nós nos anteci- pamos. Não temos notícia de que outros estados do país tenham adotado algo semelhante até o momento”, diz Hiller. GERAÇÃO DE ENERGIA - A Copel já produziu o Plano de Se- gurança de Barragem (PSB) e o Plano de Ação Emergencial (PAE), exigidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Os documentos referentes a vinte barragens operadas pela Companhia foram finalizados no ano passado. Além disso, a empresa traba- lhou em conjunto com a Defesa Civil estadual e dos municípios para que os documentos fossem de co- nhecimento local. “Nos reunimos para apresen- tar o Plano de Segurança de Bar- ragem e principalmente o Plano de Ação Emergencial, mostrando qual a responsabilidade que cada um possui em caso de um desastre, seja da empresa, do Estado ou do mu- nicípio para que possamos traba- lhar com transparência perante as pessoas”, disse a engenheira de manutenção civil do setor de barra- gens da Copel, Isabela Cristina da Silva. No caso de Segredo, por exem- plo, participaram da reunião nove municípios da área de impacto da Usina Governador Ney Aminthas de Barros Braga: Candoi, Chopinzinho, Foz do Jordão, Mangueirinha, Por- to Barreiro, Reserva do Iguaçu, Rio Bonito do Iguaçu, Saudade de Igua- çu e Virmond.
  8. 8. PARANÁ Notícias Página 08 Campo Mourão, 07 de Fevereiro de 2019 Acompanhe nosso site: PARANANOTICIAS.COM.BR Sociedade Notícias (Créditos: Marilda Mendes)
  9. 9. Notícias Acompanhe nosso site: PARANANOTICIAS.COM.BR Campo Mourão, 07 de Fevereiro de 2019 Página 09PARANÁ Sociedade Notícias (Créditos: Marilda Mendes)
  10. 10. Página 10 Campo Mourão, 07 de Fevereiro de 2019 Acompanhe nosso site: PARANANOTICIAS.COM.BR PARANÁ Notícias Reunião define continuidade da Copa Comcam neste ano A Copa Comcam de Futebol terá continuidade neste ano. A sequ- ência do torneio, que foi um sucesso no ano passado, reunindo 14 muni- cípios participantes, foi definida na tarde desta sexta-feira (25), durante reunião na sede da Comcam, em Campo Mourão. Participaram do encontro o presidente da entidade, Edenilson Miliossi, prefeito de Barbosa Ferraz, a secretária executiva da associação, Bianca Zamora, o assessor jurídico Silvio Zamora, e o colaborador Van- derson Dubinsk, que esteve na or- ganização do evento em 2018. “Já estamos ligando para os municípios e confirmando quem irá participar. A nossa meta é que pelo menos 20 cidades participem este Participaram do encontro o presidente da entidade, Edenilson Miliossi, prefeito de Barbosa Ferraz, a secretária executiva da associação, Bianca Zamora, o assessor jurídico Silvio Zamora, e o colaborador Vanderson Dubinsk, que esteve na organização do evento em 2018 ano”, falou Miliossi, ao lembrar que seu município (Barbosa Ferraz) par- ticipou da 1ª edição do campeonato no passado. Miliossi informou que have- rá uma reunião no próximo dia 8, às 9 horas, na sede da entidade com secretários de esportes da região para discutir detalhes da copa, como o regulamento, premiações, muni- cípio sede de abertura, definição das chaves para os confrontos, e patro- cinadores. “O evento foi um sucesso no ano passado, todos gostaram e não poderíamos deixar de dar continui- dade”, ressaltou o presidente. O time campeão da 1ª edição da Copa Comcam foi Ubiratã, que derrotou a equipe de Peabiru nos pênaltis. Em 2018, a premiação total da Copa foi de R$ 21.000,00, valor distribuído do 1º ao 4º lugar. Teve premiação também ao ar- tilheiro da competição, goleiro me- nos vazado, e técnico campeão. Um total de 14 municípios participou da competição. (Assessoria Comcam) Time do Lar Paraná se destaca em Campo Mourão. Adversários tremem na base Um grupo de amigos, todos “boleiros” resolvem fundar um time. Os 16 corajosos que se encontravam para jogar uma “pelada” ficaram sem o campinho que jogavam, para não perderem os domingos, criaram o C.F.C Cohapar em maio de 2017, e tem aterrorizado os adverários. Parabéns galera!
  11. 11. Acompanhe nosso site: PARANANOTICIAS.COM.BR Campo Mourão, 0 7 de Fevereiro de 2019 Página 11PARANÁPARANÁ Notícias CuriosidadeCuriosidadeCuriosidadeCuriosidadeCuriosidadesssss 6 MANEIRAS DE SEU TIPO SANGUÍNEO INFLUENCIAR SUA SAÚDE O sangue das pessoas é divi- dido em 4 grupos no total. Este fato interfere de forma direta na nossa saúde e em diversas coisas da nossa vida. É determinado pelo sangue, por exemplo, se uma pessoa pode ser um doador e qual grupo ela precisará recorrer durante uma cirurgia. Descobriu-se com estudos que o nosso sangue é o determinante de outras peculiaridades. Por exemplo, se podemos ser bem-sucedidos na hora de praticar determinado espor- te e até mesmo na nossa capacidade de realizar algum trabalho em espe- cífico. No Japão, o tipo sanguíneo é tão importante que verificam a com- patibilidade com parceiros românti- cos e chegam a conclusão de que se vale a pena levar uma pessoa a uma determinada posição. Pensando um pouco sobre isso, resolvemos trazer essa matéria. A re- dação da Fatos Desconhecidos bus- cou e listou para você, caro leitor, algumas formas que o seu tipo san- guíneo pode influenciar na sua saú- de. Os tipos são: grupo 1 (O), grupo 2 (A), grupo 3 (B) e grupo 4 (AB). Compartilhe desde já com seus ami- gos nas redes sociais e, sem mais de- longas, confira conosco a seguir e surpreenda-se. (Veja no nosso site: www.parananoticias.com.br) O sangue das pessoas é dividi- do em 4 grupos no total. Este fato interfere de forma direta na nossa saúde e em diversas coisas da nossa vida. É determinado pelo sangue, por exemplo, se uma pessoa pode ser um doador e qual grupo ela precisa- rá recorrer durante uma cirurgia. Descobriu-se com estudos que o nos- so sangue é o determinante de ou- tras peculiaridades. Por exemplo, se podemos ser bem-sucedidos na hora de praticar determinado esporte e até mesmo na nossa capacidade de realizar algum trabalho em específico. No Japão, o tipo sanguíneo é tão im- portante que verificam a compatibi- lidade com parceiros românticos e chegam a conclusão de que se vale a pena levar uma pessoa a uma deter- minada posição. Pensando um pouco sobre isso, resolvemos trazer essa matéria. A re- dação da Fatos Desconhecidos bus- cou e listou para você, caro leitor, algumas formas que o seu tipo san- guíneo pode influenciar na sua saú- de. Os tipos são: grupo 1 (O), gru- po 2 (A), grupo 3 (B) e grupo 4 (AB). Compartilhe desde já com seus ami- gos nas redes sociais e, sem mais de- longas, confira conosco a seguir e surpreenda-se. 1 - Grupos sanguíneos mudam as necessidades nutricionais Sabemos que o grupo sanguí- neo afeta a capacidade do corpo de digerir e absorver alimentos. Nos portadores de diferentes tipos, o pro- cesso de digestão pode variar de for- ma rápida. O primeiro grupo sanguíneo afeta na dificuldade na digestão de proteínas prejudiciais, contidas em cereais e produtos de feijão, ovos, lei- te e frutos do mar. O segundo e quar- to grupo resulta em um corpo com menos enzimas que quebram os áci- dos graxos do que os outros. Os proprietários desses gru- pos tendem a se sentir mal após co- merem alimentos muito gordurosos. Já o grupo 3 faz com que os seus donos possuam fortes sistemas imu- nológico e digestivo. Esses são me- nos propensos a sofrerem com aler- gias ou intolerância a certos produ- tos. 2 - Proprietários de primei- ro e segundo grupos san- guíneos lidam pior com o estresse O cortisol é o hormônio ge- rado pelas glândulas suprarrenais. Ele viaja pela corrente sanguínea quando sofremos ameaças externas ou em situações estressantes. Diver- sas vezes nos estressamos no traba- lho, em casa ou no trânsito. Nosso corpo reage a essas si- tuações igualmente a de uma amea- ça, liberando cortisol. Os donos dos grupos 1 e 2 obtêm mais da subs- tância no sangue, então são menos pacientes e retidos do que as pesso- as com outros grupos sanguíneos. 3-Predisposiçãoadoenças Incorre-se no risco de desen- volver uma determinada doença de- pendendo do tipo sanguíneo. Nessas são inclusas até mesmo o câncer. O primeiro tipo, por exemplo, corre mais risco de desenvolver o câncer de pele do que os demais. O segundo grupo pode enfren- tar úlcera e câncer de estômago com mais frequência do que os demais. O grupo 3 já conta com o risco de de- senvolver cânceres de ducto pancre- ático, esofágico e biliar. Por fim, a doença do quarto grupo é o câncer pancreático, visto que pessoas com esse tipo sanguíneo sofrem mais ameaça da doença. 4 - Segundo grupo tende a perder menos peso O corpo das pessoas com o segundo grupo sanguíneo tende a apresentar mais problemas na hora de digerir alimentos gordurosos. Muitas vezes, elas sofrem com azia e síndrome do intestino irritá- vel. Acredita-se ainda que, devido à sua maior suscetibilidade ao estres- se, os proprietários desse grupo são particularmente propensos a comer além da conta. 5 - Habilidades físicas Os esportes são recomenda- dos para todos. No entanto, nossas habilidades dependem do nosso tipo sanguíneo. O primeiro grupo tem mais facilidade em esportes de atle- tismo e wrestling. Acredita-se que os representantes desse grupo são mais duradouros e propensos a car- regarem cargas pesadas. Os do se- gundo grupo possuem resistência sanguínea mais baixa, então são melhores em esportes como ginás- tica, esgrima e hóquei. Atletas do terceiro grupo são bons em espor- tes que exigem velocidade e alta co- ordenação de movimentos, como boxe, judô, karatê e demais artes marciais. Por fim, os do quarto gru- po são consideradas pessoas mais fortes, por isso preferem esportes associados ao levantamento de peso, por exemplo. 6 - Temperamento de uma pessoa No Japão, baseando-se no tipo sanguíneo de uma pessoa, são determinados os seus traços de per- sonalidade, a compatibilidade com os outros e até o desempenho como um todo. Alguns cientistas traçaram perfis segundo o tipo sanguíneo. Pes- soas do grupo 1 costumam ser mais calmas. Já as do grupo 2 possuem um sistema nervoso mais sensível. As pessoas do grupo 3 costu- mam ser mais otimistas e equilibra- das e, por fim, as do quarto grupo são propensas à ações impulsivas (fatosdesconhecidos.com)
  12. 12. PARANÁ Notícias Página 12 Campo Mourão, 07 de Fevereiro de 2019 Acompanhe nosso site: PARANANOTICIAS.COM.BR PPPPPara refletir...ara refletir...ara refletir...ara refletir...ara refletir...Sociedade Notícias Clicks do verão Uma elefanta e uma cadela ficaram grávidas ao mesmo tempo. Dois meses depois de engravidar, a cadela deu à luz à 6 lindos filhoti- nhos. Mais 6 meses se passaram, e a cadela engravidou novamente. Depois de outros 2 meses, ou- tros oito filhotes nasceram. Já havi- am se passado 18 meses, quando a cadela encontra a elefanta, e resol- ve zombar dela: “Nossa! Você tem certeza que está grávida? Já tive 14 filhotes nesse tempo todo, enquan- to você só engordou, e não pariu nenhum! Tem certeza que vai sair alguma coisa daí? “ Perguntou rin- do e apontando com desdém. De cabeça baixa, porém confi- ante, a elefanta respondeu: “Sim, estou grávida”. Demorarei mais um pouco para dar à luz, mas quando acontecer você vai saber! Quando meu filhote andar, o chão por onde ele passar vai tremer. A Terra toda vai saber onde ele está e todos vão parar para deixá-lo passar! O tamanho da gravidez é do tamanho do que ela gera! Você ge- rou 14 pequenos, eu gerarei só 1, mas ele vai ser gigante, e impossível de não se notar! Se tem alguém questionando você sobre a sua demora para se for- mar, para possuir sua casa própria, para encontrar um emprego melhor, para construir seu legado, o projeto dosseussonhosouencontraroamor da sua vida ... seja paciente! Nem todo mundo sabe que dá trabalho fazer nascer coisas grandes, excelen- tes e poderosas. O mundo todo vai notar quan- do você der à luz ao seu projeto e ele vier à tona. Projetos grandes fa- zem a Terra toda tremer... Estou gerando um projeto grande não tenho pressa, vai nas- cer... Ivanilda (Luiziana) Curtindo Balneário Camboriú SC Estância Araucária (Campo Mourão) O casal Júnior e Vanessa O empresário Getúlio “Cantinho Mineiro”, e sua esposa Inês “Estação Mineira” em um click especial para o Paraná Notícias (Campo Mourão) Prefeita de Farol, Angela, juntamente com o esposo Nelson Goes, na posse do padre Paulo Versari na Paróquia Santo Antônio (R. Alegre D’oeste) POLO CAMPO MOURÃO PR - Profº RAI - Rua Edmundo Mercer nº 1557 - Prédio anexo ao Master Pré Vestibular - Bairro Centro - Fone(44) 3523 3202 - (44) 99922 3202 - (44) 99902 8383 Watzap
  13. 13. Notícias Acompanhe nosso site: PARANANOTICIAS.COM.BR Campo Mourão, 07 de Fevereiro de 2019 Página 13PARANÁ Por que a Bíblia diz que Deus é fogo consumidor? OlharOlharOlharOlharOlhar CristãoCristãoCristãoCristãoCristão A Bíblia usa muitas figuras de linguagem que exige que o estudante avalie sempre comcuidadoparacompreenderosignificadoqueoautorquiscomunicarali.Vamos analisar o que significa Deus ser fogo consumidor? Deus é fogo consumidor! O que significa isso? (1) O texto é citado está em Hebreus 12:29: “porque o nosso Deus é fogo consumidor”. Por sua vez, Hebreus faz essa citação com base em Deuteronômio 4:24: “Por- que o SENHOR, teu Deus, é fogo que consome, é Deus zeloso”. A primeira coisa a fazermos aqui é entender o uso que se faz do “fogo” como figura de linguagem. O fogo aparece muito na Bíblia repre- sentando diversas coisas, por exem- plo, a tentação (Provérbios 6:27), provações (Salmos 66:12). Mas o uso que mais aparece na Bíblia é o fogo como figura do derramar da ira e do julgamento de Deus, veja: “porque com fogo e com a sua espada entrará o SENHOR em juízo com toda a carne; e serão mui- tos os mortos da parte do SENHOR” (Isaías 66:16). Já a palavra “consu- midor” traz a ideia do poder destrui- dor, devorador do fogo sobre aqui- lo sobre o qual ele está. (2) No texto citado de Deute- ronômio a advertência do contexto é sobre as pessoas se entregarem à idolatria e quebrarem, assim, a ali- ança que fizeram com o Senhor: “Guardai-vos não vos esqueçais da aliança do SENHOR, vosso Deus, fei- taconvosco,evosfaçaisalgumaima- gem esculpida, semelhança de algu- ma coisa que o SENHOR, vosso Deus, vos proibiu” (Deuteronômio 4:23). Se essas pessoas não observassem a vonta- de de Deus atraíram para si o juízo de Deus que as consumiria devido Sua justiça ser precisa (fogo consu- midor). (3) No texto citado em Hebreus 12:29, o foco é Jesus Cristo. Rejeitar Jesus Cristo, rejeitar a obra que Deus fez por meio Dele, servindo-o de qualquer jeito, sem temor, sem re- verência e de um modo que não agrada a Deus (Hebreus 12:28) atrai- ria para as pessoas o justo juízo de Deus, comparado ao fogo que con- some aquilo sobre o qual ele está. Mas isso não seria algo muito drástico? Não seria algo contrário ao amor de Deus e a sua grandiosa mi- sericórdia. O fogo consumidor e a justiça de Deus (4) Temos que ter em mente que tanto na citação de Deuteronô- mio quando na de Hebreus, as pes- soas tinham conhecimento do dese- jo de Deus, da forma como Deus deseja que as coisas sejam. Esse conhecimento represen- ta a grande graça e misericórdia de Deus, que se fez conhecido, que en- viou Seu Filho, que trouxe o perdão aos arrependidos. No entanto, estamos falando de pessoas que O rejeitam e não so- mente isto, mas também se alegram em desagradá-Lo. A justiça de Deus não invalida Seu amor e nem diminui a Sua mi- sericórdia. É por isso que o autor traz isso como advertência, ou seja, um avi- so antecipado que deveria servir para que as pessoas tivessem mu- dança de comportamento, algo como: “estejam atentos com as ori- entações de Deus, pois Ele não é um Deus de brincadeira, Ele cumpre as Suas promessas, é como um fogo consumidor que irá derramar a jus- tiça e consumir aquele que perma- necer no caminho dos ímpios”. (Por André Sanches esbocandoideias.com)
  14. 14. MEMÓRIAVIVA Página 14 Campo Mourão, 07 de Fevereiro de 2019 Acompanhe nosso site: PARANANOTICIAS.COM.BR PARANÁ Notícias O Paraná é um dos estados com a maior diversidade étnica do Brasil.Sãoalemães,poloneses,ucranianos,italianos,japoneses, povos que ajudaram a construir o Paraná de hoje. Entenda; As 28 etnias que coloniza- ram o Estado trouxeram na ba- gagem sua cultura, costumes e tradições. Os imigrantes chegaram com a promessa de encontrar a paz numa ‘terra desconhecida, mas que prometia trabalho, ter- ra, produção e tranquilidade. Espanhola - Imigração es- panhola. A colonização maciça só começou depois da proibição do tráfico de escravos, o que aumen- tou a procura de mão-de-obra para trabalhar nas fazendas de café, principalmente no Norte do Estado. Essa mão-de-obra assalari- ada passou a ser a melhor alter- nativa para o desenvolvimento da pecuária, até então era a principal cultura do Paraná, e das lavouras de café. Ucraniana - Foi a partir de 1850, quando o Paraná deixou de ser província de São Paulo, que o Governo local iniciou uma cam- panha para atrair novos imigran- tes. Entre 1853 e 1886 o Estado recebeu cerca de 20 mil imigran- tes. Cada um dos povos que colo- nizaram o Paraná formara colô- nias nas regiões do Estado Alemães - Os alemães fo- ram os primeiros a chegar ao Pa- raná, em 1829, fixando-se em Rio Negro. Mas, o maior número de imigrantes vindos da Alemanha chegou ao Estado no período en- tre as guerras mundiais, fugindo dos horrores dos conflitos. Esse povo trouxe ao Paraná todas as atividades a que se dedi- cavam, entre elas a olaria, agricul- tura, marcenaria, carpintaria, etc. E, à medida que as cidades pros- peravam, os imigrantes passaram a exercer também atividades co- merciais e industriais. Hoje, a maior colônia de ale- mães está no município de Mare- chal Cândido Rondon, que guar- da na fachada das casas, na culi- nária e no rosto de seus habitan- tes a marca da colonização. Os alemães estão concentra- dos também em Rolândia, Cambé e Rio Negro. A maioria deles che- gou ao Paraná vindo de Santa Catarina. Árabes - O primeiro lugar onde os árabes se instalaram no Paraná foi Paranaguá. Mais tarde eles foram para Curitiba, Araucá- ria, Lapa, Ponta Grossa, Guara- puava, Serro Azul, Londrina, Maringá e Foz do Iguaçu, que hoje tem a maior colônia árabe do Estado. Em Curitiba apareceram em maior número após a Segunda Guerra Mundial, quando chega- ram a constituir cerca de 10% da população. Uma das maiores influênci- as dos árabes no Estado está na gastronomia, onde os temperos e condimentos passaram a ser in- corporados a culinária de modo geral, além dos kibes e sfihas que até hoje estão presente na mesa dos paranaenses. Os imigrantes árabes se de- dicaram principalmente à produ- ção literária, arquitetura, música e dança. Espanhóis - Os primeiros imigrantes espanhóis que chega- ram ao Paraná formaram Colôni- as nos municípios de Jacarezinho, Santo Antônio da Platina e Wens- ceslau Brás. Entre 1942 e 1952 a imigração espanhola tornou-se mais intensa. Novos municípios, principal- mente na região de Londrina, fo- ram formados por esses imigran- tes. Eles desenvolveram ativida- des comerciais, artesanais e rela- cionadas à indústria moveleira. Holandeses - Os primeiros holandeses chegaram no Paraná em 1909, instalaram-se em uma comunidade próxima a Irati. Algumas famílias acabaram vol- tando para a Holanda, outras fo- ram para a região dos Campos Gerais onde fundaram a Coope- rativa Holandesa de Laticínios, em 1925. A Cooperativa trouxe a con- solidação da colônia de Carambeí. A Castrolanda é a povoação mais recente de holandeses na região. Índios - Na época do des- cobrimento, em 1500, o Brasil era habitado por tribos indígenas, que viviam espalhadas por todo o ter- ritório nacional. No Paraná, os habitantes primitivos também eram os indí- genas que formavam grandes grupos ou tribos, os Jê ou Tapuia e a grande família dos Tupis-Gua- rani. Os Carijó e Tupiniquim ha- bitavam o litoral; os Tingüi, a re- gião onde hoje é Curitiba; os Camé, a região onde hoje é o mu- nicípio de Palmas; os Caigangue e Botocudo habitavam o interior do Paraná. Os primeiros caminhos do Paraná foram feitos pelos índios e usados pelos bandeirantes para penetrar no território: Caminho de Peaberu, Caminho da Gracio- sa, Caminho de Itupava e Estra- da da Mata. Italianos - Sem dúvida os italia- nos foram os que ocuparam o pri- meiro lugar nas imigrações bra- sileiras. No Paraná eles contribuí- ram muito trabalhando nas lavou- ras de café e, mais tarde, em ou- tras culturas. A principal concentração desses imigrantes no Estado está na capital, Curitiba, em Morretes, no litoral, e nas cidades de Pal- meira e Lapa, onde existiu a colô- nia anarquista de Santa Cecília. Os italianos contribuíram também na indústria e na forma- ção de associações trabalhistas e culturais. Japoneses - Os imigrantes japoneses se fixaram no Norte Pi- oneiro, trazendo a tradição da la- voura. Como, porém, desconheciam técnicas agrícolas relativas às cul- turas tropicais, se dedicaram a pis- cicultura, horticultura e fruticul- tura na economia regional. Alguns dos produtos intro- duzidos no Estado pelos japone- ses foram o caqui e o bicho da seda. Maringá e Londrina são as cidades paranaenses que concen- tram o maior número de japone- ses. Os municípios de Uraí e As- saí originaram-se a partir de co- lônias japonesas. Negros - A população do Pa- raná tradicional, isto é, do Paraná da mineração, da pecuária, das indústri- as extrativas do mate e da madeira, e da lavoura de subsistência , era he- terogênia e nela estavam presentes os mesmos elementos que compu- nham a população das outras regi- ões brasileiras: o índio, o europeu, o negro e seus mestiços. Portanto, uma sociedade também marcada pela escravidão e na qual foi significativa a participação econômi- ca e social dos escravos negros. Na primeira metade do século XIX o número relativo de represen- tantes da raça negra chegou a 40% do total da população da Província. Em Curitiba, o escravo estava presen- tenotrabalhodoméstico,mastambém tinhalugarimportantenocenáriocul- tural da cidade. Eles mostravam seu talento musical participando de “can- tos” no largo do mercado municipal.
  15. 15. Acompanhe nosso site: PARANANOTICIAS.COM.BR Campo Mourão, 07 de Fevereiro de 2019 Página 15PARANÁPARANÁ Notícias Poloneses - Os poloneses chegaram ao Paraná por volta de 1871, e fixaram-se em São Ma- teus do Sul, Rio Claro, Mallet, Cruz Machado, Ivaí, Reserva e Irati. Em Curitiba, fundaram vá- rias colônias que hoje são os bair- ros Santa Cândida e Abranches. Esse povo ajudou a difundir o uso do arado e da carroça de cabeça- lho móvel, puxado a cavalo. Dedicados à agricultura, ajudaram a aumentar a produção do Estado. Portugueses - No Paraná, a partir de meados do século XIX, destacam-se as grandes le- vas de portugueses atraídos pela explosão cafeeira do Norte Novo do Paraná, no eixo compreendi- do entre Londrina, Maringá, Campo Mourão até Umuarama. Grande maioria veio das Beiras (Alta e Baixa), Minho, Trás-os-Montes. A cidade de Paranaguá foi, e continua sendo até hoje, a cida- de do Paraná que tem mais tra- ços da cultura e herança lusita- na. Foi a porta de entrada dos portugueses e manteve alguns traços característicos desse lega- do. Ucranianos - Os ucrania- nos chegaram ao Paraná entre 1895 e 1897. Mais de 20 mil Imi- grantes chegaram ao Estado e formaram suas principais colôni- as em Prudentópolis e Mallet. Estão presentes também nos municípios de União da Vi- tória, Roncador e Pato Branco. Hoje o Paraná abriga a grande maioria de ucranianos que vivem no Brasil: 350 mil dos 400 mil imigrantes e descendentes. (Fontedepesquisa:turismo.pr.gov.br) OS CAMINHO DE PEABIRU À época da conquista, exis- tia um Sistema de caminhos de há muito instaurado pelos índios ¯ o cha- mado Peabiru, que atravessava a região correspondente ao atual es- tado do Paraná. Era uma vasta rede, que cortava o território em várias direções; partindo de São Vicente, no Atlântico, contava com inúmeros ramais no sentido Leste-Oeste e Nor- te-Sul, e ia terminar na costa do Pa- cífico, cobrindo uma extensão de 1400 quilômetros. Expedições exploradoras de portugueses e espanhóis, assim como viajantes e aventureiros de diferen- tes origens, palmilhavam os trajetos do Peabiru, todos em busca do ouro, da prata e das riquezas que supu- nham existir no interior das matas. Além das entradas, breve os cami- nhos de Peabiru seriam amplamente utilizados também pelas bandeiras, para a Caça aos índios. O português Aleixo Garcia foi o personagem central de uma aven- tura que teria conduzido um grande grupo, através do Peabiru, no encal- ço das riquezas ambicionadas. Par- ticipante da expedição espanhola de Juan Días de Solís ao rio da Prata, Aleixo Garcia naufragou no regres- so, aportando em 1.516 no litoral de Santa Catarina. Ali tomou conhecimento, pelos indígenas, da existência de um im- pério com fabulosas riquezas em ouro, prata e pedras preciosas, no lago onde se punha o sol (Império Inca). Com alguns companheiros e um exército de índios, teria ele Chega- do à Serra de Prata, saqueado abundantes tesouros, e iniciado o regresso com precioso botim. Não chegou, entretanto, ao seu destino, morto que foi por indígenas. Após a instalação da Colônia portu- guesa no litoral paulista (1530), res- tando convencido da existência de grandes ri- quezas no interior, tam- bém Martim Afonso de Souza enviou uma expe- dição pelo Peabiru, com 80 homens, besteiros e espingardeiros, rumo ao rio Paraná. Dirigido por Francisco de Chaves e Pero Lobo, o grupo teve fim ao ser atacado por indígenas na altura da desembocadura do Iguaçu no Paraná. De passagem em direção ao Paraguai, outro grande grupo percorre o Peabiru em 1541: trata-se de Alvar Nuñez Cabeza de Vaca, adelantado de Espanha que vem assumir o governo daquela Pro- víncia. Com 250 homens e 26 cava- los, aportou na ilha de Santa Cata- rina e posteriormente dirigiu o gru- po às nascentes do rio Iguaçu, na re- gião de Tindiqüera (atual Araucá- ria); passou pelos campos de Curiti- ba e seguiu para os Campos Gerais. Alcançou o Tibagi, depois o Pi- quiri, e retomou ao Iguaçu, descen- do o rio até os saltos de Santa Ma- ria (cataratas do Iguaçu). No regis- tro desta viagem, é perceptível a grande densidade demográfica da região, pois, contando com guias Ca- rijo, por todo o trajeto a expedição mantém contacto com inúmeros gru- pos indígenas [Fig.16] da mesma nação, assim como são citados os con- frontos que ocorrem com seus inimi- gos Jé. Se, por um lado os portugue- ses, se instalam no litoral e dali in- vestem para o interior no sentido les- te-oeste, por sua vez os espanhóis tentam penetrar no território para- naense pelo caminho inverso. Tendo fundado em 1537 a cidade de As- sunção, diversas expedições lá or- ganizadas partem daquele ponto, percorrendo O Peabiru de oeste para leste. Assim é com Cristóbal Sa- avedra (1551), Hernando de Sala- zar (1552), Martínez de Irala (1553), e muitos outros. É intensa a movimentação nos caminhos de Peabiru demonstrando simultaneamente o quanto a época é marcada pela cobiça do Ouro, as- sim como a grande disputa que se instaura entre Espanha e Portugal pela posse do então território do Guayrá. O acordo firmado em 1494 por Espanha e Portugal em Tordesi- lhas partilhava entre esses países as terras da América do Sul, dividindo o mundo pelo meridiano que corria a 370 léguas do Cabo Verde. As ter- ras situadas a ocidente dessa linha pertenceriam à Espanha, e aquelas situadas a oriente pertenceriam a Portugal. Mas, como o tratado não explicitou qual a ilha a ser tomada como ponto de partida, tampouco o tipo de légua a ser observado, deu margem a diferentes interpretações: segundo os portugueses, o meridia- no da partilha corria de Belém do Pará a Laguna, em Santa Catarina. Os espanhóis, entretanto, considera- vam inexistentes essas pretensões, pois na sua interpretação, o meridi- ano de Tordesilhas caía no mar, na altura da barra de Paranaguá. Apesar da imprecisão dos ter- mos do tratado, de fato a maior par- te do atual Brasil deveria pertencer à Coroa de Castela, e foi uma acir- rada disputa que empurrou as fron- teiras, provocando a ocupação que veio a se denominar ‘uti possidetis’ e que culminou no Tratado de Madrid, em 1750. A fundação das cidades espa- nholas Ciudad Real del Guayrá (1557) e Villa Rica del Espíritu Santo (1576) vem ao encontro da necessi- dade da ocupação efetiva das ter- ras em disputa, e são precedidas por expedições de seu fundador, Fiuy Días Melgarejo, na região do Guayrá, através dos caminhos do Peabiru. Após a carta régia de criação da Província del Guayrá (1608), Espa- nha inicia a colonização dos índios pe- los jesuítas. Antes, em 1588, os jesuítas Ortega e Filds, em viagem de reconhe- cimento,estimaramem200milhabitan- tes o número de indígenas da região. Fonte: museuparanaense.pr.gov.br
  16. 16. PARANÁ Notícias Página 16 Campo Mourão, 07 de Fevereiro de 2019 Acompanhe nosso site: PARANANOTICIAS.COM.BR Aos Sábados, deliciosa Feijoada no Restaurante do Moacir 44. 3017-1141 Rua Santa Catarina, 2120 - Campo Mourão - PR

×