Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
FINALIDADE DESTA OBRA
Os materiais literários do autor não...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
AUTOR: Valdemir Mota de Menezes é licenciado
em Ciências B...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
Dados Internacionais da Catalogação na Publicação (CIP)
SU...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
INTRODUÇÃO
A CCB (Congregação Cristã no Brasil) é hoje
con...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
Também a CCB exige que as mulheres usem o véu
quando oram,...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
= 1ª Palavra: Salmos, 74 - 3 a 7 e 21 a 22.
Esta é a heran...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
demônio se apossa de uma pessoa, faz um estrago
somente no...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
casa. Saibam todos, então, que os pequeninos de Deus
chega...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
Um servo fiel a Deus é como uma locomotiva,
que leva 20 ou...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
= 2ª Palavra: Efésios, cap. 04.
Paulo sofreu muitas prisõe...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
Se estava fora do rumo certo, como um trem que
saiu da rot...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
para o dia da abertura. Geralmente estes desejam se
manife...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
Circulares para Reuniões de Mocidade também
não devem ser ...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
- HINOS PARTICULARES: CANTAR HINOS QUE
PERTENCEM A SEITAS
...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
membros da CCB, de nem mesmo cantar
hinos a Deus que não e...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
Desejam saber que segredo usamos para a Obra
progredir tan...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
- FALSOS DOUTRINADORES
Os servos de Deus que estão perante...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
Há espertalhões que procuram saber os nomes
dos irmãos Anc...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
Paulo e arredores como no Interior e outros Estados. Mas
t...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
orar por todas as Autoridades. Nós não aceitamos tal
convi...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
que essas reuniões não podiam continuar, pois estava
fora ...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
noivas alugados, pois tais vestidos são usados por noivas
...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
CCB central de Curitiba/PR, 3000 músicos no dia
15/03/1969...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
a vigorar os Estatutos e essas disposições a partir da dat...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
- SERENATAS
Há irmãos músicos que se reúnem e vão fazer
se...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
cara irmandade do Estado do Paraná. É a seguinte: Na
hora ...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
Há em certos lugares, o costume de se exortar as
palavras ...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
é característica dos grupos
fundamentalistas. Não vejo pro...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
CCB central de Sorocaba/SP.
- ÓRGÃOS E BAIXO TUBA
Antes de...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
na versão Antiga de João Ferreira de Almeida. Quando
vende...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
- TOCAR NA CONGREGAÇÃO SEM PALETÓ -
PRESIDIR CULTO SEM PAL...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
- COOPERADOR QUE DEIXOU O MINISTÉRIO PODE
LER A PALAVRA
O ...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
- RELAÇÃO DAS ALTERAÇÕES HAVIDAS NOS
ESTATUTOS EM ASSEMBLÉ...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
CCB de Poços de Caldas/SP
CONVENÇÃO DE 1966
[ 35 ]
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
= TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 07 E 08 DE
ABRIL DE 1966
01 - SO...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
Deus.
05 - ENSAIOS DE MÚSICOS - HINOS NOVOS
Deve-se contin...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
Considero a liturgia do culto da CCB muito
bom. O culto é ...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
10 - UNÇÃO
Estando um irmão enfermo e pedindo a unção, o
C...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
Por serem de campânula muito grande e
prejudicarem a visão...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
de Deus. Cristo é o nosso modelo de simplicidade e pela
Su...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
tudo está na Bíblia, porque matricular os
filhos na escola...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
CCB de Corumbá/MS.
Os enfermos de lepra, ao saírem, devem ...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
Outro ponto que não convém na Obra de Deus, é
colocar irmã...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
27 - COMPETÊNCIA DE UNGIR ENFERMOS
Ungir enfermos é compet...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
28 - NÃO ATRAIR CRIANÇAS PARA OS CULTOS DE
JOVENS E MENORE...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
As irmãs costumam dar três ósculos. Isso é
novidade. Devem...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
nesta ordem. Subentende-se pela cultura
judaica da qual he...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
Esse mandamento divino vem bastante se
difundido no meio d...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
divino, bom e agradável a Deus. Eis
algumas destas passage...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
sempre temos sido ensinados de levar o caso ao
conheciment...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
37 - PONTOS DE DOUTRINA
Existem servos de Deus que o que e...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
faze-las se forem enviados para tal fim, em missão da
part...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
= TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 01 E 02 DE
NOVEMBRO DE 1967
= PR...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
= TÓPICOS DE ENSINAMENTOS - 1967:
02 - OS DIÁCONOS CONVÉM ...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
dom que Deus tem dispensado a cada um, quando o povo
receb...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
Valter Pereira Dutra de 68 anos teve um
infarto fulminante...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
esforçar. E compete aos irmãos Anciães e Cooperadores
cola...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
errônea dos textos da Sagrada Escritura, trazendo
também u...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
2.9 - CAIXAS DE ESMOLAS
As caixas de esmolas destinadas a ...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
Quem assina carta de apresentação são os
anciães e coopera...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
em um conto deste. Ninguém neste mundo
está livre do sofri...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
CONVENÇÃO DE 1968
= TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 02 E 03 DE NOV...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
nem tudo é pelo Espírito Santo. Lá tem
brigas, contendas, ...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
participou do movimento do Espírito Santo
na Rua Azuza.
= ...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
- II - NOVO SECRETÁRIO GERAL PARA O ESTADO DO
PARANÁ
Nesta...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
que não era crente, e às vezes batizando até a ambos
com a...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
crentes, peçam forças ao Senhor e cortem prontamente o
nam...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
apodrece. E não queremos ser responsáveis pelo
apodrecimen...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
casasse com um ímpio. Não podendo nem
mesmo participar da ...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
Estamos em uma época em que é moda evitar
filhos. Os que e...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
Quanto a provocar aborto, é crime. O homicida
não entrará ...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
Abortos por razões justificáveis como de
razão eugênica ou...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
Para livrarmos a irmandade do Paraná da
influência dessa p...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
meio à irmandade. Os servos de Deus desta localidade já
es...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
também cada irmão ter seu lenço, pois por um princípio
de ...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
53 - CONSIDERAÇÕES VÁRIAS SOBRE O BATISMO
O batismo feito ...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
CONVENÇÃO DE 1969
= TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 31 DE MARÇO A
...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
medo, o respeito é necessário e honroso. Mas o dom não
pod...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
Quando o serviço de culto muito se prolongou e
julgamos co...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
A liturgia da CCB é muito rígida,
tornando seus cultos rep...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
ser usada para designar os tanques onde realizamos os
bati...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
se o culto termina mais cedo, não existe inconveniente.
Va...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
10 - LETREIRO INTERNO “EM NOME DO SENHOR
JESUS”
Tem havido...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
É deliberado que cada congregação, afixe-se uma
placa exte...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
honre o Ministério e a reputação desta obra de Deus. É
nec...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
CCB de Jardim Antárctica/São Paulo/Zona Norte.
14 - EDUCAÇ...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
filhos podem usa-los, porém se tiverem imagens ou outros
s...
Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir
para evitar o pecado necessitou dar esse passo. Porém o
qu...
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)

3,509 views

Published on

A CCB (Congregação Cristã no Brasil) é hoje considerada a terceira maior denominação evangélica do Brasil, só perdendo em membros para a Assembleia de Deus e para a Igreja Batista. Sua história é ligada ao surgimento do maior avivamento espiritual dos Estados Unidos, com os eventos sobrenaturais da Rua Azuza, que deu origem ao pentecostalismo moderno. Dali saíram Daniel Berg que fundou a Assembleia de Deus no Brasil, começando por Belém do Pará, e também pela Rua Azuza passou Luigi Francescon que fundou a Congregação Cristã no Brasil, iniciando a obra no Estado do Paraná. Este livro faz parte de uma série que estuda a evolução do pensamento na CCB, analisando as deliberações das convenções anuais.

Published in: Spiritual
  • Be the first to comment

ENTENDA A CONGREGAÇÃO CRISTÃ - VOLUME II (DELIBERAÇÕES DAS CONVENÇÕES DE 1965 A 1971 COM COMENTÁRIOS)

  1. 1. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir FINALIDADE DESTA OBRA Os materiais literários do autor não têm fins lucrativos, nem lhe gera quaisquer tipo de receita. Os custos do livro são unicamente para cobrir despesas com produção, transporte, impostos e revendedores. Sua satisfação consiste em contribuir para o bem da educação, uma melhor qualidade de vida para todos os homens e seres vivos, e para glorificar o único Deus Todo-Poderoso. CONTATOS: www.youtube.com/user/storytellervaldemir www.facebook.com/menezes.scribe.3 Blog: http://igrejasevangelicasnomundo.blogspot.com.br/ E-mail: valdemirmm@hotmail.com www.dailymotion.com/scribevaldemir AUTORIZAÇÃO O livro pode ser reproduzido e distribuído por quaisquer meios, usado por qualquer entidade religiosa, educacional ou cultural sem prévia autorização do autor. [ 2 ]
  2. 2. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir AUTOR: Valdemir Mota de Menezes é licenciado em Ciências Biológicas e História pela Universidade Metropolitana de Santos; possui curso superior em Gestão de Empresas pela UNIMONTE de Santos; é Bacharel em Teologia pela Faculdade das Assembleias de Deus de Santos; tem formação Técnica em Polícia Judiciária pela USP e um diploma de Harvard University sobre epístolas paulinas. É radialista profissional pelo Senac de Santos, reconhecido pelo Ministério do Trabalho. Nasceu em Itabaiana/SE, em 1969. Em 1990 fundou o Centro de Evangelismo Universal, a qual preside; hoje se dedica a escrever livros e ao ministério de intercessão. Não tendo interesse em dar palestras ou participar de eventos, evitando convívio social. (AO ENCONTRAR ERROS GRAMATICAIS NESTE LIVRO, FAVOR AVISAR AO AUTOR PARA CORREIÇÃO – GRATO) [ 3 ]
  3. 3. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir Dados Internacionais da Catalogação na Publicação (CIP) SUMÁRIO CONVENÇÃO DE 1965 CONVENÇÃO DE 1966 CONVENÇÃO DE 1967 CONVENÇÃO DE 1968 CONVENÇÃO DE 1969 CONVENÇÃO DE 1970 CONVENÇÃO DE 1971 [ 4 ] M543 Menezes, Valdemir, 1969 Entenda a Congregação Cristã – Volume II (Deliberações das Convenções de 1965 a 1971 com comentários) / Valdemir Mota de Menezes, Cubatão/SP, Amazon.com Clubedesautores.com.br, 2015 198 p. ; 21 cm ISBN-13: 978-1523448951 ISBN-10: 1523448954 1. Congregação Cristã 2. Doutrinas 3. Convenções 4. Eclesiologia 5. I - Titulo . CDD 250 CDU 271/279
  4. 4. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir INTRODUÇÃO A CCB (Congregação Cristã no Brasil) é hoje considerada a terceira maior denominação evangélica do Brasil, só perdendo em membros para a Assembleia de Deus e para a Igreja Batista. Sua história é ligada ao surgimento do maior avivamento espiritual dos Estados Unidos, com os eventos sobrenaturais da Rua Azuza, que deu origem ao pentecostalismo moderno. Dali saíram Daniel Berg que fundou a Assembleia de Deus no Brasil, começando por Belém do Pará, e também pela Rua Azuza passou Luigi Francescon que fundou a Congregação Cristã no Brasil, iniciando a obra no Estado do Paraná. Este livro faz parte de uma série que estuda a evolução do pensamento na CCB, analisando as deliberações das convenções anuais. Todos os livros falam mal da CCB devido as suas doutrinas radicais e seu sectarismo extremado. Nenhum livro praticamente fala bem da CCB porque seus anciões simplesmente não escrevem livros, por considerar uma forma de propaganda do Evangelho que não é legítima. Esta série de livros faço uma análise à luz da Bíblia, e em muitos casos irei concordar com o posicionamento da CCB, em temas que muitas vezes a postura da CCB é oposta a todas as demais igrejas, como no caso do vinho na ceia e na permissão do consumo moderado de bebida alcoólica, posto que a Bíblia chega a divinizar o vinho. [ 5 ]
  5. 5. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir Também a CCB exige que as mulheres usem o véu quando oram, e da mesma forma a Bíblia assim ordena, não se permitindo outra interpretação de I Coríntios 11. Minhas críticas a CCB vão se aprofundando à medida que analiso certas deliberações que se prendem a discutir e impor regras excessivamente desnecessárias, como se pode ou não colocar vasos de flores no púlpito. Proibir cartões com versos bíblicos muitos enfeitados. Verdadeiras bobagens. Sem contar que a CCB defende o indefensável, ao deliberar que os membros da CCB devem estudar coisas materiais, mas não devem estudar a Bíblia. CONVENÇÃO DE 1965 = TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 14 A 16 DE ABRIL DE 1965 = PREGAÇÃO: [ 6 ]
  6. 6. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir = 1ª Palavra: Salmos, 74 - 3 a 7 e 21 a 22. Esta é a herança de Deus na terra. O templo não é mais o de Jerusalém. O templo somos nós. Dentro deste templo somente Deus deve ser exaltado e glorificado. O povo de Deus se reúne nas casas de oração ,em muitos lugares e todos vem buscar o alimento para a alma, os sinais e as promessas. O crente vive pela fé e em suas necessidades vai consultar a Deus. Os servos devem viver prudentemente, com temor e tremor revestidos de caridade. Na Congregação também o adversário entra. Mas fica só dentro do salão e não encontra oportunidade de entrar nos corações, ainda não é nada. Porém se entra em algum coração, faz grande estrago. Principalmente se é no coração do que está na frente do povo. Quando um [ 7 ]
  7. 7. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir demônio se apossa de uma pessoa, faz um estrago somente no corpo daquela pessoa. Mas quando penetra nos que estão no Ministério, com sentimentos de ciúmes, inveja, avareza, pode fazer estragos em uma Congregação inteira. Às vezes o que está perante o povo é tomado por esse espírito e nem percebe. E é levado a destruir a Obra de Deus. Pela ganância, a pessoa pode ser levada a introduzir falsas doutrinas no meio do povo. Pelo espírito de soberba, pode se transformar em um ditador. Quem se deixa levar pelo espírito de ciúmes, pode dividir e derrotar a Obra de Deus. É por meio desses espíritos que o inimigo faz desolações no meio da herança de Deus. Quando os servos de Deus estão cheios de virtude, e de graça ministram os dons ao povo, o Senhor colabora com sinais, respostas e maravilhas. Mas quando em uma Congregação um Ancião ou Cooperador permitem que em seu coração se instale a inveja ou a presunção de que um é maior do que o outro, surge o assolamento na Obra e os sinais, maravilhas e respostas desaparecem naquela Igreja. E quando desaparecem isto, logo surgem os sinais de nosso adversário. Esses sinais são conhecidos: dissenção, divisão, inveja, ódio, malícia, murmuração. Que ninguém se engane a si próprio. A irmandade se esforça por vir a casa de oração. E se em vez de alimento encontra contenda, dissenção, pancada, ódio e inveja, a irmandade volta vazia para [ 8 ]
  8. 8. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir casa. Saibam todos, então, que os pequeninos de Deus chegam em casa e elevam a queixa perante o Altíssimo, dizendo: “Senhor, hoje eu não me alimentei. Voltei vazio para casa!”. E, quando o povo começa a clamar, chega o dia em que Deus se levanta e acerta contas contigo. Coloca-te em uma cama, ou te envia para o cemitério, ou faz com que caias no pecado. Não consintas mais em seres instrumento nas mãos do adversário para este destruir e assolar o santuário de Deus! Não esperando pacientemente que o Senhor da seara levante um obreiro, a pessoa coloca quem ela pensou que iria servir. Depois começam os combatimentos, os ciúmes, a inveja. Assim, não devemos pretender insistir com o Senhor, ou querer fazer prevalecer o que pensamos. Esperemos que Ele execute Sua santa vontade e jamais erraremos. Deus o faz cair em pecado: Palavras mal colocadas. Deus pode fazer cair em desgraça quem peca. Mas Deus não impulsiona ninguém a pecar contra Ele. CCB de Goiânia. [ 9 ]
  9. 9. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir Um servo fiel a Deus é como uma locomotiva, que leva 20 ou 30 carros. A força motriz que move a locomotiva é o vapor obtido da água e do fogo, na caldeira. A força que move o servo é o amor. Quando falta isto é como quando a caldeira deixa de funcionar na locomotiva. O servo ao qual lhe falta o amor começa a espancar o povo e a machucar as ovelhas do rebanho. Deus hoje chama tal pessoa à responsabilidade, para que não torne a tocar no rebanho. Mas se alguém insiste em dividir a Obra de Deus, Deus o destruirá. Somos testemunhas de muitos casos em que o Senhor tem tirado da face da terra certos maus obreiros, que não quiseram se arrepender e se emendar. Deus edifica e Deus derriba. Cura mas também mata. Enfermidade e morte são como emissários de Deus e tem que servi-Lo também. Toda organização eclesiástica anatematiza os que querem dividir a obra. Acredito que algumas divisões vêm da parte de Deus, outras são movidas pela inveja. Nenhuma instituição eclesiástica aceita passa por uma reforma doutrinária ou espiritual. Quando alguns são tocados por Deus, eles acabam saindo e levando parte do rebanho. Foi o que aconteceu com os Reformadores protestantes, foi o que aconteceu com os evangélicos pentecostais que saíram dos protestantes históricos. Algumas divisões são benéficas e necessárias. [ 10 ]
  10. 10. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir = 2ª Palavra: Efésios, cap. 04. Paulo sofreu muitas prisões e açoites, mas nunca desanimou. Se ele recomendava a humildade, ele próprio a tinha. Se falava em misericórdia, ele mesmo estava cheio de misericórdia. O povo, quando vê que um servo já não anda mais como é digno da vocação em que foi chamado, não recebe mais tal servo. Quantas e quantas cartas que recebemos, da irmandade se queixando do Ancião ou do Cooperador de sua Congregação! O povo nota também quando o servo vem a esta Reunião e o Senhor opera nele, tirando-lhe as cousas que não estavam de acordo. Impaciência, orgulho, arrogância e outras falhas. A pessoa, ao ser colocada no Ministério, estava revestida de humildade, bondade, mansidão, caridade, amor fraternal, piedade, misericórdia. E agora, algum tempo após estar no cargo, modificou-se? Perdeu aquela paciência que antes tinha, deixou a mansidão, já não usa mais de misericórdia? A irmandade sabia que tu tinhas os requisitos e por isso te recebeu. E agora? Pensas que, mudando de atitude continuarás a gozar do mesmo crédito perante o povo de Deus? Enganas-te! O povo, quando vê que um servo já não anda mais como é digno da vocação em que foi chamado, não recebe mais tal servo. Quantas e quantas cartas que recebemos da irmandade se queixando do Ancião ou do Cooperador de sua congregação! [ 11 ]
  11. 11. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir Se estava fora do rumo certo, como um trem que saiu da rota, coloca-te novamente sobre os trilhos e chegarás ao rumo certo. E se alguém, embora ouvindo esta advertência, não pretende voltar ao que era antes, o Senhor que o colocou no cargo o tirará. E talvez até o tire do mundo. Lembremo-nos, queridos, que não estamos tratando com um homem, mas com o Deus Todo- Poderoso. Não estamos ocupando um cargo material, como o de chefe em qualquer oficina ou companhia. Estamos lidando com as cousas santas de Deus! Há irmãos Anciães e Cooperadores que agem com rigorosidade excessiva e lançam pessoas fora da Igreja. Nessas localidades a Obra vai sempre de mal pra pior. E há Anciães e Cooperadores que nunca lançaram fora ninguém. E a Obra nas localidades que atendem vai as mil maravilhas, abençoadas por Deus. = TÓPICOS DE ENSINAMENTOS – 1965 - CIRCULARES E CONVITES - ABERTURAS E BANQUETES Tem chegado até nós circulares sobre muitos assuntos, de diversos lugares. Isto não é cousa boa. As aglomerações não trazem proveito para a irmandade. Não convém também convidarmos políticos ou autoridades [ 12 ]
  12. 12. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir para o dia da abertura. Geralmente estes desejam se manifestar e temos que negar. Compete aos irmãos do Ministério advertirem a irmandade para não estarem a convidar este ou aquele. Os políticos são uma classe de pessoas interesseiras em se infiltrarem na igreja para conseguir os votos dos membros. A igreja é um curral na qual podem conseguir muitos votos. A igreja de Cristo não deve dar espaço para ser seduzida por políticos e muitos menos negociar os votos dos membros em troca de vantagens para a igreja ou para seus líderes. A doutrina da CCB de ser apolítica é uma postura bíblica. "E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita." (II Pedro 2 : 3) CCB de Água Rasa/SP [ 13 ]
  13. 13. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir Circulares para Reuniões de Mocidade também não devem ser mandadas. Nunca uma circular deve ser mandada sem a assinatura dos servos de Deus. E só se faz circular quando é para alertar a irmandade, e com a autorização dos irmãos Anciães que atendem a região. É preferível uma Congregação menor, mas terminada. Somos ensinados pela prática a planejar uma casa de oração que comporte três vezes mais o número da irmandade do momento. Isso é o bastante. Plano expansionista muito interessante. A CCB já constrói uma casa de oração com intuito de triplicar o número de membros. Isto é visão missionária. - PÁSCOA E SANTA CEIA Muitos confundem uma coisa com outra. Pensam que Santa Ceia e Páscoa são a mesma coisa. Mas não é assim. Jesus celebrou primeiro a Páscoa que quer dizer Passagem e assim cumpriu e encerrou o Velho Testamento. Depois celebrou a Santa Ceia, instituindo o Novo Testamento em Seu sangue, deixando-nos esse mandamento. (Mateus 25: 17/30; Lucas 22: 7/23; I Cor. 11: 23/29.) [ 14 ]
  14. 14. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir - HINOS PARTICULARES: CANTAR HINOS QUE PERTENCEM A SEITAS Veio ao nosso conhecimento que, em inúmeras localidades a nossa mocidade e a irmandade em geral estão tomando este hábito de cantar hinos de seitas. Cantam em suas casas e pelas casas de famílias. Este hábito é uma novidade que está entrando e se não fazemos atenção acabaremos nos misturando com as seitas. Nunca jamais façamos isso. Deus tem preparado para Seu povo o novo hinário: “HINOS DE LOUVORES E SÚPLICAS A DEUS” Nº 04, contendo além da maioria dos hinos antigos, mais cento e quarenta hinos completamente novos. Assim, pois, não é necessário estar cantando hinos de seitas. Recomendamos também a irmandade para deixar de cantar hinos feitos por irmãos nossos. Há irmãos que fizeram hinos até para casamento! Nós não temos este costume. Assim, devemos nos contentar com os hinos que o Senhor preparou de serem incluídos no novo Hinário e sejamos gratos a Deus também por esta benção e permaneçamos na obediência. O extremo exclusivismo da CCB só se justifica para alienar os seus membros e impedir que estes entrem em contato com outras formas de adoração a Deus, e seus membros não cogitem a ideia de mudarem de denominação. É um absurdo sem comentários, a intenção de alienar os [ 15 ]
  15. 15. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir membros da CCB, de nem mesmo cantar hinos a Deus que não estejam no seu hinário. Como se Deus só recebesse os louvores contidos no hinário. Sei que a intenção é evitar que os membros da CCB acabem adotando toda sorte de músicas evangélicas e não vai demorar em seus membros estarem aceitando esta podridão evangélica como samba cristão, funk cristão, rock cristão. Mas não aceitar que os irmãos da CCB cantem hinos criados pelos próprios membros da CCB é tratar os membros como retardados mentais. A sabedoria de Deus não esta limitada aos anciões do Brás, outros irmãos da CCB e de outras denominação também são agraciados com a multiforme sabedoria de Deus. "Para que agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos principados e potestades nos céus," (Efésios 3 : 10) - SEMINÁRIO TEOLÓGICO EVANGÉLICO - PERGUNTAS DE SECTÁRIOS SOBRE COMO A OBRA DE DEUS CRESCE E PROGRIDE TANTO EM NOSSO MEIO. Pessoas pertencentes ao Seminário Teológico Evangélico, que fazem estudos sobre a origem e o desenvolvimento das diversas Igrejas Evangélicas, tem vindo, muito frequentemente, assistir aos nossos cultos. [ 16 ]
  16. 16. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir Desejam saber que segredo usamos para a Obra progredir tanto. Temos respondido sempre que não é absolutamente segredo algum, nem virtude e qualidade nossa. É porque esta Obra é de Deus. Pertence a Ele e não a nós. Temos sido convidados também a fazer parte de debates sobre a Bíblia. Temos recusado, pois o que temos não é sabedoria nossa, mas é dom concedido por Deus. Não podemos exibir uma coisa que não é nossa. A CCB não é somente obra de Deus, é também obra do homem, porque Deus opera pelos homens. Caso contrário a igreja não precisaria pregar, esta tarefa seria dos anjos. O crescimento da CCB é explicável por alguns fatores bíblicos, mas também humanos como: organização dos cultos, disciplina, busca pela santificação, vida religiosa altamente mística pela busca do Espírito Santo, controle financeiro para que o dinheiro arrecadado seja usado nos objetivos da coletividade, e não para enriquecer alguns espertalhões. Na ênfase da CCB no amor fraternal e na prática da caridade. O sectarismo da CCB também ajuda para que seus membros não mudem para outras igrejas, evitando perdas de rebanho. [ 17 ]
  17. 17. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir - FALSOS DOUTRINADORES Os servos de Deus que estão perante o povo devem ter grande prudência ao presidirem os cultos, não podemos dar, de maneira alguma, liberdade às pessoas estranhas à nossa fé ou pessoas que não conhecemos ou não se apresentam com carta, para ler ou exortar a Palavra. E mesmo na testemunhança, se começa a falar sobre seitas, religiões ou cultos estranhos, devemos faze- lo calar-se e ir sentar. Temos que ter cuidado com os falsos doutrinadores que rondam a Obra de Deus e desejam se infiltrar em nosso meio. Os dias são maus. - ESPERTALHÕES - PADRES, ETC. [ 18 ]
  18. 18. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir Há espertalhões que procuram saber os nomes dos irmãos Anciães e Cooperadores, para se prevalecerem disso, apresentando-se em casas de nossos irmãos como se tivessem sido recomendados pelos Anciães e Cooperadores cujo nome decoraram. Devemos então estar prevenidos: quando vier alguém pedindo dinheiro e disser que foi recomendado pelo Ancião tal ou pelo Cooperador tal, tenhamos cuidado e não nos deixemos enganar. Tem havido também casos de sacerdotes romanos que surgem em nosso meio vestido à paisana. Fazem uma encenação pretendendo demonstrar que se converteram, chegam até a se batizar. Depois andam por diversas outras localidades em meio da irmandade para enganar os simples e obter lucros. Por fim o Senhor os tem desmascarado, livrando Seu povo de tais exploradores. Um servo de Deus, que já dorme no Senhor, disse certa ocasião a respeito dessas pessoas: “Só acreditarei que essas pessoas estão convertidas quando eu ver os frutos.” - SUBVENÇÃO DO PODER PÚBLICO Deputados da Assembleia Legislativa todos os anos obtém do poder público as chamadas “verbas pessoais”. Estão autorizados a oferece-las a Igrejas, escolas, hospitais, etc. Assim fazendo eles conquistam novo eleitorado. Muitas vezes diversos políticos tem votado essas verbas à Congregação, tanto aqui em S. [ 19 ]
  19. 19. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir Paulo e arredores como no Interior e outros Estados. Mas temos sempre recusado. Fazemos um ofício agradecendo e explicando que não podemos receber. Recusando tais donativos, permaneceremos sempre livres, sem nos comprometermos com quem quer que seja. O povo de Deus é livre para votar em quem desejar, sem nossa interferência. Não tratamos de política na Congregação. A CCB é muito inteligente em recusar a aproximação dos políticos. Eles buscam o poder temporal, a igreja busca o poder espiritual. Não precisamos dos políticos para estabelecer o reino de Deus na terra. A organização política do mundo está sob o domínio de Satanás: "Já não falarei muito convosco, porque se aproxima o príncipe deste mundo, e nada tem em mim;" (João 14 : 30). É vão a igreja querem mudar o curso do mundo. Só no reino futuro de Cristo é que a ordem social será estabelecida. A igreja evangélica, como instituição não deve fazer aliança com políticos. - ORAR POR TODOS OS HOMENS E POR TODAS AS AUTORIDADES Recebemos, há pouco tempo, um ofício de uma entidade religiosa, convidando-nos a enviar um representante a uma determinada convocação, onde iriam [ 20 ]
  20. 20. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir orar por todas as Autoridades. Nós não aceitamos tal convite. Respondemos que já temos ensinamento para orar sempre por todas as autoridades e por todos os que se acham em eminência. Nesta parte é conveniente que os irmãos Anciães e Cooperadores exortem constantemente o povo, na hora em que vamos orar, nos cultos, a fim de apresentarem as autoridades em oração a Deus. Ensinamos o povo a orar pelos Reis, Presidentes, Governadores, Magistrados, Senadores, Deputados, vereadores, enfim por todas as Autoridades, civis e Militares. O cristão deve ser politizado, mas a igreja deve ser apolítica. Isto é, o cristão deve procurar conhecer os candidatos e votar nos que tem propostas mais condizentes com a doutrina cristã. Quanto a igreja, ela não deve apoiar nenhum partido ou regime, a igreja deve focar na vinda do reino de Deus. Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; Venha o teu reino. (Mateus 6.9-10). - REUNIÃO DE CASADOS Vinha-se notando que essas Reuniões não davam bom resultado. Consultamos então, em 1964, por carta o nosso irmão Ancião Luiz Francescon, este nos respondeu [ 21 ]
  21. 21. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir que essas reuniões não podiam continuar, pois estava fora da Palavra de Deus. Houve então uma Reunião de todo os Anciães do Brasil aqui em S. Paulo, na qual foi apresentada essa carta do servo de Deus. Todos unanimemente aceitaram o conselho, vindo da parte de Deus. Ficou deliberado então, a partir dessa data, não haver mais Reuniões de Casados. Não vejo problema algum em reuniões de casados, se a CCB tem reunião de jovens, por que não reunião de casais? Afinal a problemas específicos relativo a casados, que a igreja pode tratar a parte. Em vez de consultar Luigi Francescon, deveriam consultar o Espírito Santo... - ATENDER REUNIÕES DA MOCIDADE As Reuniões para a Mocidade devem ser atendidas pelos irmãos Anciães e não por Cooperadores. Quando houver oportunidade de se realizarem essas reuniões deve o Cooperador depender do Ancião. Não deve atender por si próprio. - OBJETOS E MATERIAIS USADOS PELA IDOLATRIA Sabemos que tudo o que foi apresentado aos ídolos foi ofertado aos demônios. Portanto, não empregamos nas construções. Irmãs usarem vestidos de [ 22 ]
  22. 22. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir noivas alugados, pois tais vestidos são usados por noivas não crentes perante os ídolos, não servem para fazer véus para nossas irmãs orarem ou congregarem. O texto está um tanto truncado, mas o que dá para entender é que a CCB não usa material de construção apresentado aos ídolos? Que bobagem, e que postura sem nexo. Como os anciões saberão se o comerciante ofereceu suas mercadorias em oferta aos demônios? A orientação bíblica é que devemos consumir alimentos, e por analogia, objetos e materiais vendido pelos ímpios, sem nem ao menos questionar a procedência. "Comei de tudo quanto se vende no açougue, sem perguntar nada, por causa da consciência." (I Coríntios 10 : 25) - COOPERADOR NÃO RECEBER E NEM GUARDAR COLETAS Há irmãos Cooperadores que costumam guardar o dinheiro das coletas de sua Congregação. Isso pode dar a impressão que a pessoa não tem confiança nos irmãos que foram colocados para receber e guardar a coleta. Não se justifica também que o Cooperador queira exercer controle sobre esta parte, ou fiscalizar. A Obra é de Deus e não nossa. [ 23 ]
  23. 23. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir CCB central de Curitiba/PR, 3000 músicos no dia 15/03/1969. - ALTERAÇÃO DOS ESTATUTOS Sendo os nossos Estatutos passíveis de reforma, conforme está previsto no Art. 17º, com o fim único de melhor adapta-los ao desenvolvimento da Obra de Deus, sãos os artigos alterados nesta Assembleia. Assim, em Edital de Convocação publicado no Diário Oficial de S. Paulo, realizou-se perante os irmãos representantes de todas as localidades do Brasil, Anciães, Diáconos e Cooperadores, uma Assembleia Geral Extraordinária, sendo colocados em votação e aprovação, as alterações que se fizeram necessárias. Todas as modificações apresentadas foram unanimemente aprovadas, passando [ 24 ]
  24. 24. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir a vigorar os Estatutos e essas disposições a partir da data de registro dessas alterações. A CCB possui três classes de obreiros (oficiais eclesiásticos), mas biblicamente, a igreja deve ser governada por duas classes: Os presbíteros (anciões ou bispos) e diáconos. (I Timóteo 3.1-16) - TANQUES PARA BATISMO Em algumas localidades tem se colocado azulejos nos degraus e no fundo desses tanques, tornando-se muito escorregadios. Portanto, é necessário colocar nesses degraus e nos do fundo, material rústico. Também é aconselhável esvaziar os tanques após terminado o Batismo para não ficar a água parada e produzir mau cheiro. Em lugares onde o tanque é debaixo do púlpito ou no quintal devemos também cobri-los logo depois do Batismo. Em muitos lugares tem caído pessoas dentro e se machucado e em um lugar caiu a filhinha do Cooperador e morreu afogada. Também, quando os tanques ficam debaixo do púlpito, as tampas devem ser feitas bem resistentes, para suportar o peso de qualquer pessoa ou mais do que uma pessoa. Recomendações prudentes para evitar acidentes. Ótimo. [ 25 ]
  25. 25. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir - SERENATAS Há irmãos músicos que se reúnem e vão fazer serenata defronte da casa de outros irmãos, com hinos ou outras músicas. Isto não está de acordo, e não resulta em boa coisa. Não passa de uma satisfação carnal. Devemos tocar os hinos para louvar a Deus e não para isso. A liderança e governança da CCB parece que tem problemas. Que mal faz, irmãos se reunirem para louvarem a Deus em suas casas. Dizer que se reunirem assim é para satisfação carnal, realmente é grotesco, falta de educação, autoritarismo exacerbado, querendo controlar excessivamente a vida e até a devoção pessoal dos membros. Esta postura da CCB é recriminada pelo Senhor Jesus com as seguintes palavras: "Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; eles, porém, nem com o dedo querem movê-los;" (Mateus 23 : 4) - FRASE QUE DEVE SER USADA AO TÉRMINO DA ORAÇÃO NAS CONGREGAÇÕES O Senhor nos fez sentir de usar uniformemente, em todas as Congregações no Brasil, uma frase que de há muitos anos vinha sendo adotada e empregada pela [ 26 ]
  26. 26. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir cara irmandade do Estado do Paraná. É a seguinte: Na hora da oração, quando a irmandade está ajoelhada perante Deus, e o Senhor já deu uma ou mais orações e o servo que preside ao culto ou reunião se sente de levantar, deve pronunciar em voz bem alta a seguinte frase: “DEUS SEJA LOUVADO!”. Assim a irmandade já fica sabendo que o servo está se levantando da oração e todos se levantam juntos. Fazendo isso evitaremos que suceda o que algumas vezes sucede: A irmandade, estando de olhos fechados, não percebe se o servo se levantou ou ainda está de joelhos, e alguém começa a orar. Então o servo é obrigado ajoelhar-se de novo, ou então bater palmas, avisando quem está orando para interromper a oração. Assim, usando-se aquela frase, não acontecerá mais isso, e fica uma coisa boa e aceitável aos olhos de Deus, pois Deus ama a boa ordem. Não tem problema algum as igrejas inventarem códigos litúrgicos para que os cultos sejam conduzidos com ordem e decência. - EXORTAÇÃO E COMENTÁRIOS DEPOIS DA PALAVRA [ 27 ]
  27. 27. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir Há em certos lugares, o costume de se exortar as palavras do último hino cantado no culto, após o Senhor já haver mandado a Palavra. Isso não é útil, pois tira a comunhão da irmandade no assunto da Palavra. Outros costumam ler a lista de Batismos após a Palavra. Também não está de acordo, pelo mesmo motivo. Convém que a irmandade volte para casa relembrando a Palavra que Deus enviou. Há também irmãos Cooperadores que têm dificuldades em ler lista de Batismos. Se quiserem, podem pedir a algum irmão que leia para eles. Mas leiam antes de Deus enviar a Palavra. - BATISMO - PASSAR PELAS ÁGUAS Muitos irmãos e irmãs, ao testemunharem tem o costume de dizer: Eu passei pelas águas do Batismo. Esta frase não se deve dizer, pois ocasiona confusão. Quando somos batizados não passamos pelas águas. Entramos nas águas e somos imersos pelo servo de Deus que faz o Batismo; imersão que é o símbolo do sepultamento do velho homem, ressuscitando nova criatura em Cristo. Assim, o que devemos dizer é: Fui batizado nas águas. A CCB tem uma tendência em uniformizar o pensamento e o linguajar dos seus membros quanto a pontos doutrinários. Isto [ 28 ]
  28. 28. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir é característica dos grupos fundamentalistas. Não vejo problema algum alguém dizer que passou pelas águas. O batismo é uma passagem pelas águas, ainda que uma passagem rápida e por imersão. - ASSEMBLÉIA DE DESCENTRALIZAÇÃO - É NECESSÁRIO LEVAR UM ADMINISTRADOR JUNTO Os irmãos Anciães de quem Deus se usa na realização de Assembleias de Descentralização do Patrimônio da Congregação, devem ir acompanhados quando possível, de um irmão Administrador que tenha prática nesses serviços. Assim serão prestados amplos esclarecimentos aos novos Administradores em cada lugar, para as providências que devem tomar após a Assembleia. [ 29 ]
  29. 29. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir CCB central de Sorocaba/SP. - ÓRGÃOS E BAIXO TUBA Antes de compramos órgão, devemos verificar se temos possibilidades para adquiri-lo. Quanto ao BAIXO TUBA, ficou deliberado que sejam tirados das orquestras. Além de ser um instrumento que não orna em nossos conjuntos, tira também a visão dos irmãos que se assentam nos bancos de traz. Ora, não é uma resolução para ser executada imediatamente. Os irmãos que possuem esse instrumento devem clamar a Deus, para que Ele lhes prepare de trocar por outro instrumento menor. Pode ser por um bombardino, bombardão, etc., ou outro qualquer que seja necessário na orquestra. Consulte-se sempre o irmão Encarregado da Orquestra. Enquanto Deus não preparar a venda ou a troca, o irmão pode ir tocando, porém procurando atender a essa parte logo que possível. - SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL Deus fez sentir de constituirmos um FUNDO DE CAIXA PARA ENCOMENDA DE BÍBLIAS. Para isso será feita uma coleta geral em todo o Brasil, encerando-se a 15 de setembro de 1965. Tendo esse fundo de Bíblias, poderemos encomendar e pagar as Sagradas Escrituras [ 30 ]
  30. 30. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir na versão Antiga de João Ferreira de Almeida. Quando vendermos essas Bíblias, por meio de nossas distribuidoras, o dinheiro volta para o referido FUNDO DE CAIXA. Então mandamos fazer mais Bíblias, em vários tipos, encadernações e formatos. Nunca mais nos faltarão Sagradas Escrituras. A Sociedade Bíblica do Brasil se prontificou gentilmente a nos imprimir todas as Bíblias que desejarmos, compondo para nós uma chapa da Versão Antiga de Almeida. É lamentável que a ignorância e desconhecimento dos líderes da CCB impeçam que eles enxerguem que as versões mais antigas contêm erros de tradução por se basearem em manuscritos mais recentes e menos confiáveis. Os melhores manuscritos foram descobertos posteriormente, e por isso as versões mais modernas, tendem a serem mais fiéis ao texto original. Esclarecemos também que, as contribuições para a Sociedade Bíblica que todos os anos Deus prepara de serem feitas, por ocasião da Assembleia Geral Anual, devem continuar normalmente. Foi Deus Quem determinou este auxílio e devemos permanecer na obediência de Sua Vontade. Confirmando estes assuntos expediremos uma Circular que vai ser lida em todas as Congregações do Brasil. [ 31 ]
  31. 31. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir - TOCAR NA CONGREGAÇÃO SEM PALETÓ - PRESIDIR CULTO SEM PALETÓ Não podemos fazer isso, pois desmoraliza o santo serviço de culto a Deus. Se, perante uma autoridade material, vamos bem trajados e nunca de mangas de camisa, quanto mais perante o Senhor dos Senhores? Porém temos que nos lembrar de que, se em outras partes os irmãos não tem paletó, isto não é um mandamento e nem uma imposição. Apresentem-se a Deus da maneira que puderem, e Deus aceitará. Eu tenho até dificuldades de expressar-me sobre os costumes mundanos que as igrejas adotam por analogia. A igreja de Cristo não pode ter roupas sacerdotais, como a maioria das religiões pagãs e ritualísticas. No Novo Testamento não há ordem alguma expressa para o culto ser dirigido por pessoas com roupas especiais, que simbolizem isso ou aquilo. A Igreja Católica tem no uso de batina, sua tradição humana. A CCB e outros grupos evangélicos também criaram suas tradições humanas e doentias, como o uso do maldito terno e paletó. Chega a ser ridículo os coitadinhos dos crentes andando em um calor de 40 graus com terno e gravata. Um traje totalmente impróprio para os verões tropicais. A fé não pode matar a razão e o bom senso. [ 32 ]
  32. 32. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir - COOPERADOR QUE DEIXOU O MINISTÉRIO PODE LER A PALAVRA O caso de cada um deve ser considerado. O Ancião que atende a zona deve saber se pode ou não. - ADVERTÊNCIA SOBRE MANOBRAS DE ESPERTALHÕES Temos que alertar a irmandade sobre as atividades de indivíduos que fingem ser nossos irmãos para lesar e iludir a muitos. Alguns desses declaram que são vendedores de instrumentos musicais, tomam dinheiro adiantado e desaparecem. Há outro que diz ser fotógrafo e toma dinheiro adiantado, mas nunca mais ninguém o vê. Assim, quando vemos uma pessoa não conhecida se infiltrar em nosso meio, como irmão, e apresenta determinados negócios, tenhamos prudência. Costumamos dizer que homem avisado é meio salvado. Devemos ser simples como pombas, mas prudentes como serpentes. Em muitas igrejas do mundo surgem estelionatários que se aproveitam da humildade cristã, se passam por cristãos e fazem negócios, prometendo mentiras, e lesando os irmãos. Bom aviso da CCB a irmandade. [ 33 ]
  33. 33. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir - RELAÇÃO DAS ALTERAÇÕES HAVIDAS NOS ESTATUTOS EM ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA A 17 DE ABRIL DE 1965. Art. 15 - A fim de conservar a unidade de Espírito entre o povo de Deus, far-se-á realizar ANUALMENTE NA CAPITAL DE SÃO PAULO, UMA REUNIÃO DE ENSINAMENTO PARA TODAS AS CONGREGAÇÕES EXISTENTES, NO BRÁS, devidamente representada pelos irmãos Anciães, Cooperadores e Diáconos e que será presidida pelo ANCIÃO LOCAL mais antigo no Ministério. [ 34 ]
  34. 34. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir CCB de Poços de Caldas/SP CONVENÇÃO DE 1966 [ 35 ]
  35. 35. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir = TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 07 E 08 DE ABRIL DE 1966 01 - SOLICITUDE PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO DE COOPERADOR ABRINDO SALAS DE ORAÇÃO PRÓXIMAS UMA DA OUTRA O ministério é um Dom de Deus, não depende da boa vontade nem da solicitude. Quem abre salas de oração com o intuito de ser cooperador, mais não é destinado por Deus para isso, provoca combatimentos e transtornos, colocando peso sobre a irmandade. Quando alguém quer abrir casa de oração, aqui em São Paulo, ficou determinado que deve falar com o cooperador e este fala com os anciães, ora-se e espera-se a vontade de [ 36 ]
  36. 36. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir Deus. 05 - ENSAIOS DE MÚSICOS - HINOS NOVOS Deve-se continuar a fazer de vez em quando os ensaios com a irmandade, para aprender os hinos novos, para gravar bem na memória. 06 - SUBVENÇÃO DOS PODERES PÚBLICOS Temos no Diário Oficial do Estado que Congregações do Interior continuam a receber subvenções do Estado. Somos ensinados a esperar do Senhor tudo que precisamos, não podemos receber esses auxílios. Eles têm fundo político e a Congregação deve se manter afastada completamente da política. Se recebermos, estaremos também infringindo a Lei do País, pois existem disposições que vedam essas subvenções. 07 - HORÁRIO DE CULTOS Deve-se ter entendimento sobre o atendimento de culto. Se não há testemunhança, abrevia-se e o culto acaba mais cedo. Não é necessário o Ancião ou o Cooperador falar tanto. E se já é tarde, não é necessário cantar o hino final. Há irmãos que falam demais e cansam o povo. Também quando Deus der uma oração completa, já basta. Devemos levantar. [ 37 ]
  37. 37. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir Considero a liturgia do culto da CCB muito bom. O culto é composto por louvores, oração, oportunidade aos testemunhos e a pregação da Palavra. Isso não demora mais do que uma hora e meia. Há denominações evangélicas que não tem hora para acabar, e tem cultos que chegam a demorar três a quatro horas. Gosto muito de cultuar a Deus na CCB por sua liturgia que não é cansativa. 08 - BATISMOS FEITOS MUITO ÀS PRESSAS Não é conveniente o servo de Deus fazer batismos em localidades, muito correndo, sem doutrinar o povo. É necessário o irmão Ancião fazer se possível, algum culto, para que Deus envie os ensinamentos. Às vezes o cooperador não tem o dom e o povo necessita dos ensinamentos. Fomos chamados para atender a Obra, não só Batismos, mas as necessidades, cuidando da Obra, cultivando, regando, cuidando da lavoura de Cristo. 09 - CASO LEVY DE SOUZA LIMA Esta pessoa não é mais considerada cooperador e nem nosso irmão. Cometeu atos que feriram a moral, tendo confessado, o mal que praticou. Foi feita circular para toda a irmandade do Brasil, avisando que não recebam tal criatura. [ 38 ]
  38. 38. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir 10 - UNÇÃO Estando um irmão enfermo e pedindo a unção, o Cooperador ficou três dias orando para saber se era da vontade de Deus ir. Não se deve fazer isso. A unção é mandamento da Palavra de Deus. E se o doente morresse? Quando o servo é chamado, deve atender. Quem não atende está fora da Palavra de Deus. Sabemos que a unção não tem o mesmo valor do Batismo. A salvação e a condenação pertencem a Deus. Mas temos grande responsabilidade quando somos chamados a ungir. Excesso de misticismo e zelo faz alguns cristãos tomarem decisões absurdas. Ficar orando para saber se pode ir orar por um doente é falta de discernimento. 11 - MARCAÇÃO DO BAIXO Com a deliberação dos baixos não fazerem marcação trouxe inconvenientes e desânimo em muitas localidades aos irmãos que tocam esses instrumentos, determinamos nesta reunião fazer voltar a marcação. Podem fazer marcação nas Congregações ao tocar os hinos, como antes. 12 - BAIXO TUBA [ 39 ]
  39. 39. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir Por serem de campânula muito grande e prejudicarem a visão de quem se assenta atrás, deliberou-se tirar da orquestra esse instrumento, mas não tirar de uma vez só; vão tocando, e quando puderem vender vão se desfazendo comprando outro instrumento. 13 - SERVIÇOS DE FUNERAIS PARA PESSOAS NÃO CRENTES Se somos convidados a ler a Palavra e a realizar um serviço para pessoa não crente, podemos faze-lo, pois a Palavra não é para o morto, mas para os parentes. Deus pode salvar muitas pessoas que ali estão por esse meio. Entretanto, se vierem sacerdotes de outras crenças não podemos misturar uma coisa e outra. Deixemos de ir. 19 - VASOS DE FLORES E FOLHAGENS NOS PÚLPITOS Não convém colocar vasos de flores e folhagens nos púlpitos ou em outras dependências das congregações. Este é um costume que não aprendemos desde o princípio e devemos eliminar; é uma vaidade e não fica bem. O templo do Espírito Santo é o nosso coração. O importante não é o prédio, mas nossos corações. Deus não ama o enfeite e o luxo, mas a simplicidade. O povo de Deus deve ser atraído não pelos enfeites e adornos na casa de oração, mas pela presença [ 40 ]
  40. 40. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir de Deus. Cristo é o nosso modelo de simplicidade e pela Sua Palavra nos ensina a modéstia. Concordo sobre a necessidade de cultivarmos a simplicidade. A CCB tem muita preocupação com a modéstia e profunda desconfiança dos modismos mundanos. Todavia, colocar vasos de flores no púlpito considerar vaidade... Basta olhar o templo de Deus em Jerusalém forrado de ouro... Verdade que hoje o templo de Deus somos nós, e os adornos que devemos carregar são virtudes. Só que nas casas de orações podem ter cortinas, bancos bem lustrados, arquiteturas arrojadas e porque não flores? 20 - LEITURAS ESTRANHAS Sempre fomos ensinados a não ler leituras estranhas à fé, tudo o que necessitamos se encontra na Bíblia. Também não devemos frequentar outras igrejas evangélicas ou crenças religiosas, pois o que é de necessidade o Espírito Santo, que guia os servos de Deus envia à Igreja na ocasião própria. Não é verdade que tudo o que necessitamos se encontra na Bíblia. A Bíblia nos instrui quanto a salvação, mas comida nós encontramos nos supermercados, roupas em lojas, informações nos noticiários da mídia, e conhecimento nos livros. Se [ 41 ]
  41. 41. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir tudo está na Bíblia, porque matricular os filhos na escola? 21- ANCIÃES E COOPERADORES FALAREM ALTO Há às vezes reclamações da irmandade, de que os Anciães e Cooperadores falam baixo e não se pode ouvir o que falam. Devem se esforçar por falar alto ou providenciarem microfone. O microfone é de grande necessidade e utilidade nas Igrejas, principalmente nas grandes. Deve-se fazer essa despesa e providenciar instalações de microfones, para o bem da irmandade. 22 - LEPROSOS QUE SAEM DOS SANATÓRIOS DE LICENÇA E QUEREM SER HOSPEDADOS EM CASAS DE IRMÃOS Certos irmãos leprosos internados não tendo obtido alta, mas com licença, procuram a irmandade para ser hospedados. Não é prudente a irmandade hospedar, pois essa moléstia obriga o isolamento do doente do convívio com os sãos. [ 42 ]
  42. 42. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir CCB de Corumbá/MS. Os enfermos de lepra, ao saírem, devem ter a devida precaução de não procurarem se hospedar pela irmandade. Os irmãos Anciães e Cooperadores procurem orientar a irmandade e os enfermos de lepra nesse sentido. Os nossos irmãos doentes de moléstias contagiosas tem licença médica para visitar a família e não ficar em convívio com a irmandade. Não é por uma falta de fé e amor, de nossa parte, mas é determinação das Leis do País. Estão livres para congregar conosco; se não são conhecidos devem trazer carta do Cooperador de onde pertencem, mas não devem pedir hospedagem. 23 - NÃO DEVEMOS TER IRMÃOS QUE FISCALIZEM A IRMANDADE [ 43 ]
  43. 43. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir Outro ponto que não convém na Obra de Deus, é colocar irmãos na Congregação para ficarem vigiando a irmandade durante a oração, ou durante todo o serviço de culto. As localidades que ainda tenham fiscais, devem atender a este ensinamento e terminar com este sistema. Mesmo os irmãos que estavam como fiscais eram prejudicados, pois nem a Palavra podiam ouvir direito. Assim, os olhos do Senhor é que fiscalizam a Obra e não os nossos. Se já tiveram um cargo eclesiástico de “fiscais” é sinal que já foram muitos mais radicais. A igreja deve ter diáconos para servirem, mas fiscal é função de policiar, isso é rigor extremo. 26 - ALTERAÇÕES DE DELIBERAÇÕES Tudo o que se delibera pode ser alterado conforme a necessidade do momento. Há cousas que o Senhor responde “SIM” e outras que responde “NÃO”. Nisso nós ficamos e não alteramos, mas, quando Deus não responde nada não há responsabilidade de nossa parte. Assim é que nós consideramos, pode-se alterar segundo as necessidades do momento; é o caso das compras a prestações. Foi sugerido por vários irmãos a conveniência em se comprar terrenos a prestações, porém em nome da CONGREGAÇÃO. [ 44 ]
  44. 44. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir 27 - COMPETÊNCIA DE UNGIR ENFERMOS Ungir enfermos é competência do Ancião ou Cooperador e não do Cooperador de Jovens e Menores. Que cada qual fique dentro de suas funções. Quando o Ancião, ou Cooperador ou o seu substituto não puderem por algum motivo de força maior atender, chamem um Ancião ou Cooperador de outra localidade. E mesmo podem pedir para o irmão Cooperador de Jovens e Menores, fazer só a oração, sem ungir; não é o óleo que sara, mas a oração da fé. Quem deve ungir são os presbíteros (equivale a ancião), cooperador, sequer existe como cargo da igreja. Cooperador é uma função que qualquer um exerce ao cooperar com alguma empreitada. "Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor;" (Tiago 5 : 14) No ano passado foi dito que os Cooperadores de Jovens e Menores, podiam ungir, na ausência do Ancião ou Cooperador, mas agora o Senhor nos iluminou que isso não é da competência dos Cooperadores de Jovens e Menores. É da competência do Presbítero. [ 45 ]
  45. 45. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir 28 - NÃO ATRAIR CRIANÇAS PARA OS CULTOS DE JOVENS E MENORES COM PRÊMIOS, BALAS, ETC Fomos ensinados, desde o princípio a não atrair as crianças com balas, doces ou brinquedos, para que frequentem as reuniões de Jovens e Menores. Deve se atraí-las com a Palavra de Deus. Devemos despertar em nossos filhos o interesse pela vida eterna e não pelas cousas desta vida. 29 - CARAVANAS PARA IR A CULTOS DE JOVENS E MENORES Já foi exortado a não se fazer caravanas de Jovens e Menores para visitar outras congregações. Caravanas não dão bom resultados. Deixam os pais preocupados, as crianças se cansam e enfim há muitos inconvenientes. Não concordo com tantas regras. Isso é fariseismo. Os jovens por suas naturezas descobridoras, inovadoras e inquietas, precisam de novidades. Visitar outras congregações pode ser algo agradável para esta faixa etária. Preencha-se a inquietação juvenil com atividades salutares. 30 - ÓSCULO SANTO [ 46 ]
  46. 46. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir As irmãs costumam dar três ósculos. Isso é novidade. Devemos nos saudar com um ósculo só. Na Palavra de Deus vem dito: “Saudai-vos uns aos outros com ósculo da caridade”. Alguns irmãos ao saudarem com o ósculo, apenas fazem menção de beijar, mas não beijam. Também está fora da vontade de Deus. «(...) Saudai-vos uns aos outros com ósculo santo.» (I Coríntios 16:20) «Saudai-vos uns aos outros com ósculo santo.» (II Coríntios 13:12) «Saudai a todos os irmãos com ósculo santo.» (I Tessalonicenses 5:26) «Não me deste ósculo, mas esta (mulher pecadora), desde que entrou, não tem cessado de me beijar os pés.» (Lucas 7:45) «Saudai-vos uns aos outros com ósculo de amor. Paz seja com todos vós que estais em Cristo.» (I Pedro 5:14) «Saudai-vos uns aos outros com santo ósculo. As igrejas de Cristo vos saúdam.» (Romanos 16:16) Por estas passagens bíblicas, não há o que se contestar que a igreja primitiva praticava o cumprimento com beijo como um mandamento. Não há nada cômico, desrespeitoso, homossexual ou depravado [ 47 ]
  47. 47. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir nesta ordem. Subentende-se pela cultura judaica da qual herdamos as leis e as promessas que esta prática deve ser mantida entre as pessoas do mesmo sexo, e não homens beijando as mulheres da igreja. 31 – VÉUS O véu deve ser simples, sem enfeites. Devemos também nisso permanecer na modéstia. Mantilhas ou outro tipo de véus enfeitados não são convenientes, pois demonstram vaidade. No livro “Compêndio teológico sobre o véu” faço um amplo estudo sobre o véu, taxativamente é um mandamento divino que as mulheres devem cobrir a cabeça quando oram ou profetizam, mas não se pode exigir uma única cor como sendo a “cor da modéstia”. A CCB exige que se use somente o véu branco, então deveria completando seu sistema legalista e farisaico que determinasse as cores de roupa e calçados que também são “modestos.” O véu deve sim, ser usado com modéstia, mas isso não proíbe que se use cores, formatos e detalhes variados. 35 – CASAMENTOS [ 48 ]
  48. 48. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir Esse mandamento divino vem bastante se difundido no meio da irmandade. Quando a Obra era nova, pouco se falava; ela era muito pequena. Hoje, porém é rara a localidade em que semanalmente não sejam realizados casamentos entre a irmandade. Fazendo-se geralmente uma oração após a cerimônia do civil, evitando-se que, isso possa ser feito em um ambiente que fere a moral cristã. Não se deve realizar cerimônia de casamento nas casas de oração, porque a casa de oração é para se louvar a e apresentar a eterna Palavra de Deus. Necessitamos ter muito cuidado para não irmos para o formalismo, pois um abismo chama outro abismo. Conservamo-nos, pois, nos primitivos rudimentos que aprendemos do servo de Deus irmão ancião Louis Francescon. Em vez de conservarem nos primitivos rudimentos do ancião Luigi Fancescon, deveriam ficar nos rudimentos da Palavra de Deus. A cerimônia de casamento pode e deve ser feita nas casas de oração, porque o casamento é uma instituição divina que existe desde os tempos do paraíso do Éden, e Jesus sempre usou em suas parábolas as cerimônias de casamento como símbolo da união da Igreja com Cristo. Este tópico ainda fala o absurdo de que “a cerimônia de casamento na Casa de oração fere a moral cristã”. Inúmeras passagens bíblicas falam das bodas ou casamento como um evento [ 49 ]
  49. 49. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir divino, bom e agradável a Deus. Eis algumas destas passagens: "E disse-lhes Jesus: Podem porventura andar tristes os filhos das bodas, enquanto o esposo está com eles? Dias, porém, virão, em que lhes será tirado o esposo, e então jejuarão." (Mateus 9 : 15) "O reino dos céus é semelhante a um certo rei que celebrou as bodas de seu filho;" (Mateus 22 : 2) "E, tendo elas ido comprá-lo, chegou o esposo, e as que estavam preparadas entraram com ele para as bodas, e fechou- se a porta." (Mateus 25 : 10) "Quando por alguém fores convidado às bodas, não te assentes no primeiro lugar; não aconteça que esteja convidado outro mais digno do que tu;" (Lucas 14 : 8) "E foi também convidado Jesus e os seus discípulos para as bodas." (João 2 : 2) "Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos- lhe glória; porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou." (Apocalipse 19 : 7) 36 - REUNÕES FAMILIARES Em geral um solícito começa a levantar-se com a Palavra, em uma reunião familiar, contrariando o que [ 50 ]
  50. 50. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir sempre temos sido ensinados de levar o caso ao conhecimento do irmão Ancião que atende a zona que julgará essa necessidade, junto aos demais servos do ministério. Algumas vezes a Obra de Deus é colocada em lugares onde alguém da família não está preparado; assim que se examine antes de abrir, para que se compreenda onde se vai coloca-la. A própria família dona da casa necessita estar preparada. Também não deve ser permitido ser aberta em lugares de meretrício ou próximo a ele. Também existem os que com determinada pretensão abrem a Obra em sua própria casa. É necessário que o irmão ancião tudo compreenda, deixando-se para isso, guiar da parte de Deus. CCB de Ilha do Mel/PR. [ 51 ]
  51. 51. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir 37 - PONTOS DE DOUTRINA Existem servos de Deus que o que escutam em nossas reuniões lançam na casa de oração que atendem de modo diferente do que o Senhor tem dado. Existem casos em que o ensinamento não é para ser lançado a irmandade. O que é para a irmandade, na ocasião própria o Senhor manda. Deve ser levado a irmandade o que ensina e edifica; quanto a pontos de doutrina é para que cada um dos servos aprenda como deve exercer o Ministério. 39 - CASOS DE OBRA DA PIEDADE Para se colocar irmãs na Obra de Piedade é preciso usar de prudência. Temos que saber se é da vontade de Deus. Necessitamos examinar se a pessoa tem os requisitos exigidos pela Palavra de Deus. Às vezes, a irmã tem os requisitos, mas o esposo não é crente e isso poderá provocar combatimentos e aborrecimentos para todos. Em casas de oração pequenas não deve haver muitas irmãs e irmãos para a Obra de Piedade. Tem que ser proporcional à irmandade. Não é o grande número de irmãs de piedade que vai solucionar o caso dos pobres, em nosso meio. Quando os diáconos viajam geralmente os irmãos costumam pedir para fazer reunião da piedade, porém eles só poderão [ 52 ]
  52. 52. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir faze-las se forem enviados para tal fim, em missão da parte de Deus. 41 – ESTATUTOS Os irmãos Cooperadores podem presidir as assembleias gerais anuais em sua própria localidade, para prestação de contas do movimento financeiro e eleição do Conselho Fiscal. Não é necessário que o irmão ancião que atende a localidade esteja presente, porém é o irmão presidente da administração que faz a declaração para essas assembleias, assinando as atas juntamente com o secretário, pois é uma determinação da lei. CONVENÇÃO DE 1967 [ 53 ]
  53. 53. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir = TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 01 E 02 DE NOVEMBRO DE 1967 = PREGAÇÕES: = Filipenses, 2. versos 1 a 18. Nunca façamos cousa alguma por contenda ou vanglória. Coloquemos em tudo o Senhor adiante de nós. O campo nesta obra não é nosso, mas Dele. Deixemos de lado a expressão de que somos nós os realizadores de alguma coIsa nesta obra. O “Eu” não deve existir. Lembremo-nos que o único que poder dizer “Eu Sou” é o Senhor. Portanto, convém que o Senhor cresça e que nós diminuamos. - O povo receberá o que é de Deus. Nunca nós devemos considerar os proprietários deste campo bendito, mas sim, trabalhadores neste campo. Tenhamos sempre muito afeto e carinho para com os santos de Deus. O amor é vínculo forte de união. Sabemos que a falta de afeto pode destruir um lar. E da mesma maneira, nas coIsas de Deus, a falta de afeto pode destruir muitos lares. Pode desagregar até Congregações. [ 54 ]
  54. 54. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir = TÓPICOS DE ENSINAMENTOS - 1967: 02 - OS DIÁCONOS CONVÉM ESTAR ENTROSADOS COM OS ANCIÃES E COOPERADORES, PONDO-OS A PAR DO ANDAMENTO, PROGRESSO E TAMBÉM DIFICULDADES DO TRABALHO DA PIEDADE. Embora os irmãos Diáconos tenha autonomia em sua atuação, é conveniente para si próprio, estarem entrosados com os anciães e cooperadores da localidade ou zona que atendem. Sabemos que, conforme a situação do caixa dos diáconos, necessitando demais contribuição os servos de Deus podem exortar a irmandade a produzir mais frutos para a Piedade. Grande parte das localidades já tem congregação construída e a irmandade está acomodada. Estes podem ainda mais colaborar eficientemente nas contribuições para as necessidades e para as viagens. Anciães, cooperadores e diáconos tem funções definidas, mas trabalhem unidos. 2.1 - DIÁCONOS DAS DIVERSAS LOCALIDADES UNAM SEUS ESFORÇOS Existe grande importância a colaboração entre diáconos de diversas localidades entre si, conforme o [ 55 ]
  55. 55. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir dom que Deus tem dispensado a cada um, quando o povo recebe o ensinamento de que quem contribui para a obra de Deus está entesourando para o bem de sua própria alma, este povo contribui com generosidade, obedecendo a voz do Senhor em seu coração também em casos de enfermidade, digo de enfermos ou necessitados, ou qualquer outra necessidade é de grande ajuda a ação conjunta de vários diáconos. Vemos também a utilidade de trabalho em conjunto, nos casos em que seja preciso aconselhar ao necessitado e seus familiares. (Nem sempre é preciso socorrer com dinheiro; tantas vezes a pessoa precisa é de admoestações. E aconselhando pelo Espírito Santo, desperta a fé no coração de quem ouve, falando com que alcance o livramento). Carinho, amor e misericórdia são tão indispensáveis quanto a importância que se oferece ao necessitado. Fiéis lotam velório de ancião da Congregação Cristã no Brasil. (Fotos: Simão Nogueira) [ 56 ]
  56. 56. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir Valter Pereira Dutra de 68 anos teve um infarto fulminante e morreu durante uma viagem da igreja que levou mantimentos a obras sociais no Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais. Depois de nove dias na estrada, já retornando a Campo Grande, Valter, com o restante do grupo, parou em um hotel na cidade de Jales, no interior Paulista, para passar à noite. Valter foi encontrado morto na manhã de domingo (17), de joelhos, na beira da cama. 2.3 - IRMÃOS ANCIÃES E COOPERADORES EXORTAREM SEMPRE A IRMANDADE A CONTRIBUIR PARA A OBRA DA PIEDADE Estes servos devem pedir a Deus que lhes abra as portas da exortação para ensinar a irmandade, movidos pelo Espírito Santo. Onde há diáconos, podem também contar com sua colaboração ao doutrinar a irmandade nesta importante Obra da Piedade. Em lugares onde a Obra é pequena e há pouca irmandade, não convém colocarmos muitas irmãs para o atendimento da Obra da Piedade. Havendo muita gente a trabalhar e a procurar casos de necessitados, surgem também casos que não vem a nosso encontro mandado por Deus, mas pelo desejo de fazer aparecerem casos. Os verdadeiramente necessitados, Deus os encaminha para nós ou no-los aponta. Para esses casos e para as viagens dos servos, necessidades da Igreja, construções, a irmandade, tem que entregar o coração a Deus e se [ 57 ]
  57. 57. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir esforçar. E compete aos irmãos Anciães e Cooperadores colaborarem com os diáconos, trazendo sempre à memória da irmandade essa permanente necessidade. Deus recompensará a todos com suas gloriosas benções. 2.4 - VIAGENS DA IRMANDADE A NEGÓCIOS - NÃO DEVEM SE HOSPEDAR, ALMOÇAR OU JANTAR NA CASA DE SERVOS DE DEUS Este costume de muitos irmãos negociantes tem prejudicado sensivelmente os servos de Deus. E compete aos irmãos Cooperadores, principalmente, levarem este ensinamento ao povo. Quando se viaja a negócios particulares, tendo consequentemente os lucros e vantagens dos negócios a que nos dedicamos, não se deve procurar a casa dos servos de Deus da localidade onde estamos negociando para que ali nos hospedemos. - Temos notado que estes que sobrecarregam os servos de Deus são geralmente os negociantes de cereais, os mascates e os que negociam com criações. 2.6 - ERROS DOUTRINAIS E PREGAÇÕES E ORAÇÕES NOS CULTOS Os erros de doutrina são prejudiciais, pois induzem os ouvintes a uma compreensão e interpretação [ 58 ]
  58. 58. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir errônea dos textos da Sagrada Escritura, trazendo também um critério diferente quanto aos ensinamentos que temos recebido desde o princípio. Certo é que esses erros são involuntários, feitos pelo engano no falar. Então os servos devem ter espírito de humildade e renunciar ao amor próprio, aceitando de bom grado a correção, retratando-se perante o povo. 2.7 - CORREÇÕES DE ERROS - FAZÊ-LO DE BOM GRADO RETRATANDO-SE PERANTE A IRMANDADE Quando erramos em algum ponto de Doutrina ou mencionamos uma passagem da Palavra de Deus em lugar de outra passagem e um servo ou qualquer simples irmão nos advertem o erro, agradecemos e aceitamos de bom grado a correção, desfazendo prontamente perante a irmandade o engano, ou se não o pudermos fazer prontamente, façamo-lo na primeira oportunidade. Assim demonstraremos nossa humildade, crescendo então no conceito do povo e dos demais servos, podemos evitar cair em erros de Doutrina no falar. - Devemos evitar também aprofundarmos em certos assuntos. Convêm usar também nas pregações somente expressões que já conhecemos e entendemos seu significado. Muitos erram porque querem falar com um palavreado difícil, usando palavras cuja significação desconhecem. E daí surge o engano e o falar uma coisa por outra. Portanto, usemos o falar simples, com o qual estamos acostumados ao pregar a Palavra. E Deus nos guiará tudo. [ 59 ]
  59. 59. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir 2.9 - CAIXAS DE ESMOLAS As caixas de esmolas destinadas a se colocarem as contribuições para as diversas coletas, são às vezes expostas muito à vista, à porta de entrada da Congregação. Isto dá uma deplorável impressão como se tratasse de uma caixa de esmolas. Convém então deixarmos estas caixas em lugares mais escondidos. Ou melhor dizendo, conviria eliminarmos as caixas de coletas, fazendo com que o irmão Diácono ou o irmão incumbido de receber a coleta ponha o dinheiro em seus bolsos para cada assunto a que a coleta se destina. Convém decorar cada bolso, tendo sempre em memória qual a coleta que se colocará nele. Para um bolso, coleta para a Obra da Piedade, para outro: construções, para outro: necessidade da Igreja e para outro: viagens de Anciães. Pode-se também encomendar ao alfaiate calças com bolsos maiores, ao fazermos nossa roupa, se nossa função é receber coleta. Nas reuniões para a mocidade no Brás, em São Paulo, quando há coleta especial usamos excepcionalmente umas caixas de papelão. Isso porque são quase oito mil pessoas a contribuir e temos quatro portas de saída. Mas em outros casos não usamos caixa alguma. Envelopes podem se usar. 2.10 - CARTAS DE APRESENTAÇÃO - NÃO EMPRESTAR FOLHAS DE BLOCOS [ 60 ]
  60. 60. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir Quem assina carta de apresentação são os anciães e cooperadores. Saibam os que assinam, quão grande é o valor de uma assinatura. É de valor jurídico incalculável. Nunca se deve assinar coisa alguma em branco. E nunca devemos emprestar folhas de carta de apresentação do nosso bloco, pois este tem um número que corresponde ao número que está no relatório, com código de reconhecimento. 2.13 - TESTEMUNHO A CRIATURAS SÓ DEVE SER DADO APRESENTADO A SALVAÇÃO - NÃO OFERECER AUXÍLIOS DA OBRA DA PIEDADE NEM PROMETER Não devemos dar esperanças a testemunhados de que o Senhor os curará de enfermidades se batizarem, ou que a Obra da Piedade os socorrerá. Temos que apresentar somente a salvação em Cristo Jesus. Nunca prometemos curas, pois isto está nas mãos de Deus, não é coisa nossa. E não podemos prometer aquilo que não nos pertence. A CCB é igreja pentecostal, mas não usa do marketing mentiroso de algumas igrejas como a Igreja Deus é Amor, Igreja Mundial do Poder de Deus, Igreja Universal do Reino de Deus e A Igreja da Graça que muitas vezes anunciam mensagens mentirosas como: NÃO SOFRAS MAIS. Só otários, ou pessoas extremamente desesperadas caem [ 61 ]
  61. 61. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir em um conto deste. Ninguém neste mundo está livre do sofrimento. Deus pode até nos livrar de alguns, mas não de todos, porque a nossa vida neste mundo, imperiosamente deve ser provada com aflições. "E agora derrama-se em mim a minha alma; os dias da aflição se apoderaram de mim." (Jó 30 : 16) "Tenho visto atentamente a aflição do meu povo que está no Egito, e ouvi os seus gemidos, e desci a livrá-los. Agora, pois, vem, e enviar-te-ei ao Egito." (Atos 7 : 34) "Por esta razão, irmãos, ficamos consolados acerca de vós, em toda a nossa aflição e necessidade, pela vossa fé," (I Tessalonicenses 3 : 7) "Eu, João, que também sou vosso irmão, e companheiro na aflição, e no reino, e paciência de Jesus Cristo, estava na ilha chamada Patmos, por causa da palavra de Deus, e pelo testemunho de Jesus Cristo." (Apocalipse 1 : 9) [ 62 ]
  62. 62. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir CONVENÇÃO DE 1968 = TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 02 E 03 DE NOVEMBRO DE 1968 = PREGAÇÕES: = Zacarias 4. 6-14 Zorobabel simboliza Cristo Jesus. O servo de Deus está com o Senhor Jesus. Quem afronta ao servo afronta o Filho de Deus. E Deus arrasará quem se coloca contra Sua obra. As mãos do Senhor tem começado esta obra. Também suas mãos a acabarão. Tudo nesta obra é feito pelo Espírito Santo. Sem força ou violência. Não somos nós os que realizamos a obra. Não pelo esforço humano. O Espírito do Senhor é que opera. “Tudo nesta obra é feito pelo Espírito Santo”. Odeio estas expressões de devoção exagerada dos cristãos tontos que consideram suas igrejas A INSTITUIÇÃO DIVINA. Toda igreja é obra de homem, Deus opera por meio de homens. O Espírito Santo tem bastante espaço na CCB, mas [ 63 ]
  63. 63. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir nem tudo é pelo Espírito Santo. Lá tem brigas, contendas, invejas, adultérios, fofocas, irmãos querendo prejudicar outros irmãos. Só pessoas muito infantis acreditam que tudo na CCB é obra do Espírito Santo. Entre os apóstolos havia comportamentos contrários ao Evangelho, quanto mais na CCB. "Mas, quando vi que não andavam bem e direitamente conforme a verdade do evangelho, disse a Pedro na presença de todos: Se tu, sendo judeu, vives como os gentios, e não como judeu, por que obrigas os gentios a viverem como judeus?" (Gálatas 2 : 14) Quanto aos dois raminhos de oliveira que estão junto aos tubos de ouro (visão que Deus mostrou ao profeta) esclarece-nos o Senhor: Os dois filhos do óleo representados pelos ramos de oliveira são os dois povos de Deus na terra: O povo de Israel e a Igreja de Cristo (fim da exortação da Palavra). A CCB adotou a interpretação escatológica do arrebatamento pré-tribulacionista e da eleição irrevogável de Deus a nação de Israel. Teologia amplamente aceita pelos pentecostais, que assimilaram o pensamento do teólogo Derby e grandemente divulgada por Scofield. O fundador da CCB, Luigi Francescon [ 64 ]
  64. 64. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir participou do movimento do Espírito Santo na Rua Azuza. = TÓPICOS DE ENSINAMENTOS - 1968: - I - RECOLHIMENTO DO IRMÃO SECRETÁRIO GERAL DO PARANÁ, ALEXANDRE ADIB ABDULACK No dia 07 de setembro do corrente ano o Senhor se comprazeu recolher para o repouso eterno o nosso caro irmão Alexandre Adib Abdulack, Secretário Geral do Estado do Paraná. Este fiel servo esforçou-se por fazer a vontade do Senhor por todos os dias de sua vida, até o fim. Oremos por seus familiares a fim de que o Senhor conforte e console seus corações. [ 65 ]
  65. 65. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir - II - NOVO SECRETÁRIO GERAL PARA O ESTADO DO PARANÁ Nesta reunião é apresentado a todos o novo Secretário Geral para o Estado do Paraná. É o irmão David Rodrigues Alves, colocado por confirmação da parte de Deus, em substituição ao irmão Alexandre Adib Abdulack que já dorme no Senhor. - III - NOVOS ESTATUTOS E INSTRUÇÕES Em Assembleia Geral Extraordinária realizada a 12 de abril do corrente ano na Casa de Oração do Brás, em São Paulo, Capital, nossos estatutos foram alterados e consolidados. Com registro em São Paulo, tem validade para todo o Território Nacional. VI - CASAMENTOS COM ESTRANHOS À FÉ Moços e moças que casam com estranho à nossa fé, costumávamos, aqui no Estado do Paraná, a cortar da comunhão da Igreja, não os considerando mais como irmãos. Anunciava-se isso perante a irmandade. Para este critério notava-se entretanto um inconveniente. Posteriormente o Senhor dava lugar de arrependimento ao faltoso ou a faltosa, chamando a esta graça o cônjuge [ 66 ]
  66. 66. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir que não era crente, e às vezes batizando até a ambos com a promessa do Espírito Santo. Éramos então obrigados a recebe-los novamente na Igreja. Tal critério ocasionava confusão. Deliberam os servos de Deus que, a partir desta data, não mais serão cortados da Igreja os que se casarem com estranhos à fé: TIRAM-SE-LHES TOTALMENTE AS LIBERDADES NA CONGREGAÇÃO. Não poderão mais chamar hinos, orar, testemunhar, levantar com a palavra, nem exercer ministério algum ou ocupar qualquer cargo. Mas continuam com a liberdade de se congregar. Não podemos tirar-lhes o hinário, a Bíblia ou o véu, pois tais objetos lhes pertencem. E com referência a Santa Ceia, não podemos negar a tais irmãos e irmãs. Participar da comunhão da ceia do Senhor é caso de consciência. Como exemplo podemos mencionar a própria Palavra de Deus, onde se lê que Cristo Jesus não negou a ceia nem a Judas Iscariotes, havendo já o diabo colocado em seu coração trair o Divino Mestre. E também vem dito: Examine-se o varão a si próprio e assim participe deste pão e deste cálice. Portanto, a Santa Ceia não negamos. Quando em nossa Congregação surgirem casos de moços ou moças que estão namorando com estranhos à nossa fé, podemos orar ao Senhor e chamar estes irmãos ou irmãs a conselhos, exortando-os a esperar no Senhor que Ele tudo prepare. Aconselhamo-los dentro da Palavra de Deus a não se unirem com um jugo desigual com os infiéis. Se estão realmente namorando pessoas não [ 67 ]
  67. 67. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir crentes, peçam forças ao Senhor e cortem prontamente o namoro, pois certamente Deus se agradará disso e abençoará grandemente quem se colocar dentro da obediência. Se a pessoa atender louvado seja Deus. Se não atender e o casamento vier a se realizar, faz-se então como foi ensinado nesta Reunião: Corta-se a liberdade da pessoa faltosa. Mas continua a ser considerada irmão ou irmã, podendo se congregar. Convém, os servos de Deus, sempre que o Senhor ponha isso adiante para falar, exortarem a mocidade a não se prender com jugo desigual com os infiéis. Que procurem um santo ou santa de Deus para se unir em matrimonio, clamando a Deus e esperando nele para dar um passo tão importante como esse. Os moços tem mais responsabilidade do que as moças, pois há mais moças do que moços e as moças esperam que os moços as peçam. Se estes, que são em menor número, procurarem pessoas não crentes, a situação a de se agravar ainda mais. Quanto àqueles que, depois de se casarem com estranhos à nossa fé o Senhor perdoa e aceita novamente, não nos compete julgar o operar de Deus. A Obra é dele e não nossa. Em conclusão: Quem casa com infiel perde o testemunho e é-lhe cortada toda liberdade. Mas cortar não cortamos. Todo membro do corpo que é cortado [ 68 ]
  68. 68. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir apodrece. E não queremos ser responsáveis pelo apodrecimento de alma alguma nesta Obra. E quem perdeu toda a liberdade poderá obtê-la novamente quando se notar, pelos próprios frutos, que Deus perdoou e o acolhe novamente com a aprovação do alto. Ruth a Moabita, era estranha às Repúblicas de Israel. Mas humilhou-se e amou o povo de Deus e Deus a recebeu. De sua linhagem proveio Cristo segundo a carne. Em nosso meio também casais nas mesmas condições muitas vezes se tornam muito fervorosos, cheios de frutos de justiça. Assim, que os servos de Deus estejam sempre preparados com discernimento, justiça e equidade para julgar e considerar os casos, tendo sempre em mente os amestramentos que pelo Espírito Santo foram apresentados nesta reunião sobre este delicado assunto. Deus iluminará a todos, não permitindo que os servos de Deus interpretem estes assuntos de modo diferente. O posicionamento da CCB sobre o casamento com estranhos a fé, está correto. Os crentes não devem casar com pessoas que não são crentes. Os interesses são distintos. Um vai querer servir a Deus, e o outro vai querer fazer as vontades da carne. Se um crente desobedecer um princípio tão notório como este deve ser realmente cortado da liberdade do culto, não podendo exercer qualquer cargo ou atividade na igreja. Anteriormente a esta deliberação, a CCB não somente cortava a liberdade nos cultos, como também excomungava quem [ 69 ]
  69. 69. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir casasse com um ímpio. Não podendo nem mesmo participar da ceia. Repúblicas de Israel: O texto grifado acima que fala de “repúblicas de Israel” é totalmente sem sentido, mostrando sempre certa fragilidade teológica da CCB. Israel do período bíblico foi teocracia e monarquia, nunca república. Suspeita-se sempre do nível de cultura bíblica dos anciões que comandam a CCB. São senhores de boa-fé, mas com postura arrogante quanto ao estudo da Palavra de Deus. Desobedecem desavergonhadamente os textos que mandam estudar a Bíblia, como: "Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam;" (João 5 : 39) "Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá." (I Timóteo "E o terá consigo, e nele lerá todos os dias da sua vida, para que aprenda a temer ao SENHOR seu Deus, para guardar todas as palavras desta lei, e estes estatutos, para cumpri-los;" (Deuteronômio 17 : 19) 4 : 13) "Então conheçamos, e prossigamos em conhecer a Javé; a sua saída, como a alva, é certa; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra." (Oséias 6 : 3) VII - EVITAR FILHOS – ABORTO [ 70 ]
  70. 70. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir Estamos em uma época em que é moda evitar filhos. Os que evitam secretamente, pecam diante de Deus e acertam o caso com Deus. O que não devem fazer é ensinar a outros casais esse procedimento. Se soubermos que alguém ensina a outros como evitar filhos, chamemo-lo a atenção. Anticoncepção. A CCB erra ao considerar a anticoncepção um pecado. A própria natureza permite o ser humano conhecer o seu corpo, e as mulheres podem evitar a gravidez, evitando relações sexuais nos dias férteis. Os tempos são difíceis para ter filho todo ano, como antigamente, quando a maioria das pessoas vivia em áreas rurais. Hoje se vive em cubículos nas grandes cidades, não há espaço físico para se criar filhos. Demais, o mandamento divino de ter filhos era visando encher a terra: “E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra.” (Gênesis 1.28). Uma vez que a humanidade já se espalhou por todos os continentes, desde que a humanidade chegou a casa de um bilhão de exemplares, o mandamento já foi cumprido. Chegamos ao século XXI com mais de 7 bilhões de habitantes, o que significa que já somos uma superpopulação que ameaça o equilíbrio ecológico. Além dos métodos naturais existe uma série de outros mais confiáveis. (leia o livro: Sexologia Cristã, Volume I, deste autor). [ 71 ]
  71. 71. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir Quanto a provocar aborto, é crime. O homicida não entrará no reino de Deus. Assim, se marido ou a mulher, ou ambos juntos, praticarem um aborto, não os podemos ter na Igreja. Não podemos usar de misericórdia com quem não teve misericórdia com a vida do próprio filho. Na verdade, tanto a Lei como a Palavra de Deus coloca o aborto em um crime menos grave, com punição mais leve, de qualquer maneira, o aborto é um crime contra a sociedade, e um crime muito mais grave contra a maternidade. A mãe que tem o dever de proteger seu filho no seu útero resolve mata-lo, é realmente um desastre moral. VIII - PARTEIRAS NOSSAS IRMÃS NA FÉ - CASOS DE ABORTO Havendo caso de aborto feito por parteiras nossas irmãs, é necessário examinar as circunstâncias. Se a irmã parteira faz isso voluntariamente, por ganância de dinheiro e por exploração, é uma criminosa sujeita ao juízo e condenação pelas leis. E deve ser cortada da Congregação. Mas se nossas irmãs parteiras faz um aborto por ordem do médico, não pode ser acusada nem condenada. É por força da profissão, no atendimento de uma necessidade. [ 72 ]
  72. 72. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir Abortos por razões justificáveis como de razão eugênica ou por estupro, são permitidos pela lei, e por Deus. IX - MARIALVA - CASO DO EX-IRMÃO FRANCISCO NOGUEIRA Este ex-ancião caiu no mal, promovendo vários escândalos. Na reunião geral de ensinamentos deste ano de 1968, em São Paulo, Capital, todos os servos de Deus reunidos julgaram seu caso, considerando-o cortado da comunhão da irmandade. Não é mais nosso irmão. Há pouco tempo, entretanto, Francisco Nogueira mudou-se para, digo, de Umuarama para Marialva, passando a congregar-se. E por ocasião da santa ceia nesta congregação forçou o Ancião que presidia a este serviço, a dar-lhe permissão de participar na mesa do Senhor. Além disso, quer se inocentar de seus pecados. A irmandade de Umuarama e Marialva, sabendo dessa ocorrência, indignou-se, declarando que, se Francisco Nogueira continuasse a ser considerado nosso irmão, deixariam de se congregar, passando para as seitas. Assim que, o aceitamento desta pessoa em Marialva, está prejudicando grandemente a irmandade, principalmente a de Umuarama. [ 73 ]
  73. 73. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir Para livrarmos a irmandade do Paraná da influência dessa pessoa é necessário que se faça uma circular assinada pelos anciães de São Paulo e do Paraná, dando-se uma solução definitiva a tal caso e advertindo a toda a irmandade para não o receber. - XI - CASO RAYMUNDO CAVALCANTE DE PAIVA Esta criatura não é considerada nosso irmão. É um egresso da Penitenciária Estadual de São Paulo. É estelionatário. Batizou-se em nosso meio por interesses, mas não se converteu nem se regenerou de sua vida anterior. Na Capital de São Paulo prevalecendo-se da boa fé e confiança de um servo de Deus, conservou-se de posse de documentos quitados que deveriam ser restituídos àquele irmão ancião, e passou a pressiona-lo desejando receber novamente. Aplicou este golpe de estelionato porque queria que o servo lhe desse permissão para levantar com a palavra. Mas foi reprovado publicamente pelas maldades que maquinou contra os servos de Deus. Não é nosso irmão. Agora este elemento perigoso mudou-se para Ourinhos, onde se apresentou falsamente como um dos cooperadores de Guarulhos. Estado de São Paulo, e teve a audácia de se levantar para pregar a Palavra. Mas foi desmascarado, tendo-se em seguida advertido a irmandade a livra-se dele. Soubemos então que ele mudou-se para Londrina, onde pretende fixar residência, preparando-se para agir em [ 74 ]
  74. 74. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir meio à irmandade. Os servos de Deus desta localidade já estão prevenidos e preparados para advertir a irmandade a impedir que ele se infiltre em meio ao povo de Deus. CCB de Planaltina/DF. 51 - APRESENTAR-SE PERANTE A IRMANDADE CONVENIENTEMENTE TRAJADO Dentro de nossas possibilidades procuremos sempre apresentarmo-nos decentemente trajados e em condições higiênicas perante a irmandade. Estando perante um povo o servo de Deus deve usar gravata, assim como diáconos e administradores e até os irmãos músicos. Não se fala de congregações situadas em zonas rurais; cujo costume nos trajes são outros, porém falamos com referência a irmãos pertencentes a Congregações situadas em cidades e centros grandes. É conveniente [ 75 ]
  75. 75. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir também cada irmão ter seu lenço, pois por um princípio de higiene antes de nos saudarmos com o ósculo da caridade, se faz calor e estamos suando, devemos usar o lenço. Convém que façamos este aviso nos cultos por causa de irmãos e irmãs simples que necessitam ser orientados. O legalismo da CCB em por regras em tudo. Entre estas regras está usar um colar de pano, inventado por um gay, e que não tem utilidade alguma: A GRAVATA. Esta repugnante peça de vestuário, tem fins unicamente estético, não tem utilidade alguma. O sapato serve para calçar os pés e protege-lo; o chapéu serve para proteger a cabeça, mas a gravata, para nada serve. A CCB neste ponto segue uma moda mundana. Quanto ao lenço que se recomenda usar para limpar o suor do rosto, deveriam deixar o legalismo de lado, e pararem de exigir o repulsivo paletó como roupa de revestimento, totalmente inútil em países de clima quente como o Brasil. É até desumano, pessoas usarem terno em regiões como o sertão. Paletó no lombo, em pleno verão tropical é invenção maligna. "Também todas as armas do avarento são más; ele maquina invenções malignas, para destruir os mansos com palavras falsas, mesmo quando o pobre chega a falar retamente." (Isaías 32 : 7) [ 76 ]
  76. 76. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir 53 - CONSIDERAÇÕES VÁRIAS SOBRE O BATISMO O batismo feito por João Batista era um sinal para despertamento dos Judeus e para que os caminhos estivessem aparelhados perante o Filho de Deus e houvesse boa vontade entre os homens. O batismo de Cristo Jesus feito por seus discípulos e apóstolos e tomado como um mandamento até o dia de hoje, veio para arrependimento, lavagem do pecado e regeneração para os povos. Assim que para ser salvo, é preciso crer primeiramente em Cristo, reconhecer-se pecador perante Deus, arrepender-se, aceitando o batismo e renascendo nova criatura perante Deus e o mundo. É o primeiro passo na senda com Cristo Jesus; em seguida, importa ser fiel até o fim da vida, para ganhar a coroa da glória eterna. Quando João Batista terminava sua carreira, declarou, referindo-se ao Filho de Deus: “Convém que eu diminua e que Ele cresça!”. Sobre nós cumpre-se também pela graça de Deus, a parte da Palavra que diz: “Ele (Cristo), os batizará com o Espírito Santo e com fogo.” Portanto, sempre é necessário que o servo de Deus ao realizar o batismo apresente a doutrina ao exortar a Palavra. Com poucas palavras e de maneira clara e compreensível, ao alcance de todos, tanto da irmandade como de criaturas ouvintes. [ 77 ]
  77. 77. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir CONVENÇÃO DE 1969 = TÓPICOS - ASSEMBLÉIA DE 31 DE MARÇO A 04 DE ABRIL DE 1969 = PREGAÇÕES: - 2º dia: II Timóteo 1.1-18: Não tememos o homem. Peçamos ao Senhor para nos tirar o medo. Pelo medo o dom que há no servo fica abafado e não se manifesta. E o que deve funcionar e agir nesta obra é o dom. Cuidemos de nós e guardemo- nos de oprimir a algum irmão, infundindo-lhe medo. Por falta de entendimento o ancião pode oprimir ao diácono e vice-versa. Quem é mais velho no ministério é mais experiente e pode orientar. Mas não guiar e dar ordens, o mais experiente não se assenhoreie do menos experiente. Seja seu conselheiro. Respeito entre os servos não é [ 78 ]
  78. 78. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir medo, o respeito é necessário e honroso. Mas o dom não pode ser abafado ou atingido pelo medo. Não tememos ninguém quando se trata de cumprir o que Deus nos determina fazer. - 3º dia: II Samuel, 20.1-26: Não tenhamos ambição ou cobiça de cargos e de posições. Quem dá dons e cargos no ministério é só Deus. Guardemo-nos do espírito de inconformação, malícia e inveja. = TÓPICOS DE ENSINAMENTOS - 1969: 01 - INÍCIO DO CULTO O Senhor nos tem iluminado para instituir o sistema de, quando o servo que preside o culto fala: “Deus seja louvado”, o povo se levanta unanimemente. Em seguida o servo diz as palavras de abertura de serviço quando a irmandade responderá o “amém”. É um modo solenemente respeitoso e indica veneração pela presença Santa de Deus. 02 - TÉRMINO DO CULTO EM HORA AVANÇADA [ 79 ]
  79. 79. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir Quando o serviço de culto muito se prolongou e julgamos conveniente suprimir o último hino então cantemos um coro. Pode ser, mesmo sem o acompanhamento da orquestra, só em vozes. Temos o modelo do modo como o Senhor Jesus fez com seus discípulos, “e tendo cantado o hino, saíram para o Monte das Oliveiras”. (Mateus, 26:30). 04 - PRESIDÊNCIA DOS CULTOS Soube-se que em determinada localidade onde a obra é nova o cooperador por motivo de serviço precisando se ausentar, deixou em seu lugar uma pessoa sectária. Não era nosso irmão na fé. O cooperador após, sendo chamado corrigiu tendo se humilhado e pedido perdão. 05 - RAZÃO PELA QUAL NOS LEVANTAMOS AO INÍCIO E TÉRMINO DO CULTO Pela veneração à presença de Deus que invocamos. Deus faz visita a nosso meio quando nos reunimos em Seu nome. Sua presença é reverenciada durante todo o serviço de culto. Porém levantar-se ao ser iniciado e encerrado o culto, é sinal de respeito. Comparando, quando estamos em nosso lar nos levantamos para receber uma visita e outra vez nos levantamos ao despedi-la. [ 80 ]
  80. 80. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir A liturgia da CCB é muito rígida, tornando seus cultos repetitivos. Por pouco chega a ser uma missa, com tantas regras. Hora de ficar em pé, hora de ficar sentado... 07 - ÓSCULO SANTO É doutrina o se saudar com ósculo. Se alguém proíbe, está fora de doutrina e não poderá continuar a exercer o ministério, se insistir no erro. A saudação com o ósculo é mandamento da Palavra de Deus. “Saudai-vos uns aos outros com ósculo santo”. Romanos, 16:16 - I Corintios 16:20 - I Tessalonis. 5:26”. A Saudação é com um só ósculo, dois ou três é um hábito mundano. Não queiramos ser mais santos do que a doutrina de Cristo. Sabemos também que o beijo da caridade não traz contaminação. Ensinamos também que o ósculo não deve ser dado sobre os lábios nem tampouco sobre a orelha, porém na face. Sendo os irmãos e as irmãs entre si mesmos. 08 - VASCA - TANQUE DE BATISMO Não usamos mais a palavra vasca; é termo italiano que significa: ânsia, convulsão e náuseas. Devido a que esta obra de Deus no Brasil ter sido iniciada na Colônia Italiana, a palavra vasca difundiu-se e passou a [ 81 ]
  81. 81. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir ser usada para designar os tanques onde realizamos os batismos. Não é a expressão adequada, não a usemos mais. Porém a palavra tanque de batismo que é a palavra exata no nosso idioma. É bastante útil para as Congregações em cada localidade construírem tanques de batismos. A congregação de S. Paulo fornece esquemas com o risco e as dimensões para sua construção. O tanque deve ser simples, sem luxo, os degraus devem ser rústicos, assim como o piso dos fundos para se evitar escorregões. O fundador da CCB, Luigi Fracescon era italiano, e ainda a hoje a comunidade italiana exerce grande influência na CCB. São muitos anciões de origem italiana. 09 - HORÁRIO PROLONGADO EM SERVIÇOS DE CULTOS, REUNIÕES PARA A MOCIDADE, PARA JOVENS E MENORES, SANTA CEIAS, BATISMOS E FUNERAIS É necessária a prudência quanto ao horário. Não é grato aos olhos do Senhor prolongar-se o horário do serviço; é certo que não há prazo de duração rigorosamente estipulado. Deus não dá o espírito por medida; porém, dá entendimento e nos ensina a ordem. Para que o serviço não se prolongue nos cultos, sejamos práticos principalmente na hora da liberdade para testemunhar. Podemos perfeitamente abreviar as cousas; [ 82 ]
  82. 82. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir se o culto termina mais cedo, não existe inconveniente. Vamos mais cedo para casa para repousar e muitas vezes grande parte da irmandade ainda vai jantar. Em batismos também é requerida a mesma prudência da parte do servo que preside; não é necessário mais de uma pregação de palavra, quem prega, permaneça sob o controle do Espírito Santo, pois, poucas palavras dadas pelo Senhor são melhores que muitas ditas pela nossa vontade. Quem repete muito as coisas, não tem o dom. Realmente, até para fazer batismo é preciso ter dom. O apóstolo São Paulo evangelizava, mas não batizava. Em reuniões para a mocidade ou para jovens e menores quando o servo se prolonga eles cansam-se e tornam-se desatentos, não havendo, portanto, proveito em tudo aquilo que se diz. Este cuidado deve sempre existir mesmo ao serem realizadas santa ceias e funerais. Prudência no horário. A CCB possui uma grande virtude, seus cultos com liturgias rígidas favorecem a disciplina na questão do horário de terminar o culto. Há denominações cristãs que os culto chegam a atrasar duas horas o horário do término. Um absurdo. Na CCB raramente se passa alguns minutos. São Paulo. Não sei porque a CCB que é tão rigorosa com resquícios da idolatria católica romana, ainda insiste em usar expressões como esta ao se referir aos apóstolos. [ 83 ]
  83. 83. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir 10 - LETREIRO INTERNO “EM NOME DO SENHOR JESUS” Tem havido sempre ensinamentos sobre isso; o letreiro não deve ser enfeitado, nem feito com letras góticas ou em relevo, assim como não convém iluminá-lo. Nós é que devemos ser iluminados pelo Senhor. Que se acompanhe sempre um modelo padronizado. 11 - CONSTITUIÇÃO DA IGREJA DE DEUS É conveniente que todas as Congregações tenham o quadro revelação da Constituição da Igreja exposto a entrada do salão. A Administração de São Paulo - Capital providenciará a impressão e a armação desses dizeres em moldura. Os quadros serão vendidos pelas Distribuidoras pelo preço de custo. Não é conveniente termos esses quadros pendurados em nossas casas, eles são feitos para uso nas Congregações. Estes quadros já não são mais exigíveis. 12 - HORÁRIO E DIAS DE CULTOS [ 84 ]
  84. 84. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir É deliberado que cada congregação, afixe-se uma placa externa na parede da fachada ou no jardim com os dias de cultos e respectivo horário. Essas placas são muito úteis, especialmente onde não existe moradia para o zelador e mesmo porque a casa do zelador geralmente é construída nos fundos; assim a placa auxilia e esclarece. Contudo, não deve haver precipitação para cumprir essa resolução; que se deixe o assunto para a Comissão de Construção e a Administração. Aos poucos todas as Congregações possuirão a sua placa externa afixada. Esta determinação também não é mais seguida nos dias de hoje. 13 - CASAMENTOS DE SERVOS DE DEUS VIÚVOS COM IRMÃS JOVENS OU DESQUITADAS Não vem tendo boa repercussão certos casamentos realizados em casos tais. Delibera então, agora, o Conselho de irmãos anciães tirar o ministério do servo que proceder desta maneira. Não é proibido casar novamente, especialmente quando um servo de Deus viúvo tem filhos menores ou mesmo porque não pode ficar só. Que ore a Deus e procure uma irmã na idade condizente com a sua, fazendo as cousas com ordem e decência, lembrando sempre a responsabilidade de seus atos perante a irmandade. Que se evite namoro e noivados longos. Que se honre a Palavra de Deus; que se [ 85 ]
  85. 85. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir honre o Ministério e a reputação desta obra de Deus. É necessário que sejamos espirituais e não carnais; da mesma forma não é lícito casar-se com desquitada. Que não se vá atrás do nosso gosto, porque ele tem que combinar com o querer de Deus e a boa repercussão em meio a irmandade, assim Deus abençoará a quem obedecer todavia, que se deixe passar longo tempo de viuvez para contrair novas núpcias, temos que evitar a murmuração. Estes conselhos são apropriados. É totalmente indecente pessoas mais velhas casarem com pessoas bem mais novas. Isso também é jugo desigual. Há uma discrepância orgânica. Além do que, parece que o mais velho, em geral, em melhor situação econômica, “compra” a juventude do outro cônjuge. O mais novo sujeita-se a casar com um “velho” visando melhor condição econômica. Isso é quase uma prostituição formal. Nos dias de hoje, tem muitos líderes cristãos que estão se separando das suas esposas e casando com outra mais jovem. Uma vergonha para o nome de Jesus. Outro conselho adequado da CCB é que as pessoas logo que fiquem viúvos, respeitem um período de luto, e não vá logo atrás de outro cônjuge. [ 86 ]
  86. 86. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir CCB de Jardim Antárctica/São Paulo/Zona Norte. 14 - EDUCAÇÃO FÍSICA NOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO Os filhos de nossos irmãos alunos de estabelecimentos de ensino devem frequentar aulas de educação física. Não podem ser impedidos; é coisa útil e obrigatória. O que devemos impedir é que nossos filhos participem de qualquer demonstração de caráter religioso ou idólatra. Nos colégios existem a fanfarra, que é uma banda composta de alunos apropriada para acompanhar desfiles escolares, nossos filhos podem ser componentes desses conjuntos, pois não os afeta em cousa alguma. Existem colégios que costumam ter distintivos; nossos [ 87 ]
  87. 87. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir filhos podem usa-los, porém se tiverem imagens ou outros símbolos de idolatria, não permitamos que use. 15 - INIMIZADES DE SERVOS DE DEUS Algumas vezes por uma circunstancia adversa, servos de Deus se encontram em controvérsia, ou tendo qualquer acaloramento de palavras que os deixam com a comunhão interrompida. É indispensável que a situação se conserte o mais depressa possível. Enquanto não se regulariza, não é admissível que os servos de Deus envolvidos se levantem para pregar a Palavra. Com poderão pregar estando desligados da comunhão e do amor? Assim é necessário reconciliarem-se e perdoarem- se do fundo do coração, encerrando o assunto e deixando toda prevenção, quando poderão então livremente se levantar para exortar e ensinar. 16 - DESQUITADOS PARA O MINISTÉRIO OU OUTRO ENCARGO NA OBRA DE DEUS A Palavra de Deus nos ensina o único motivo que é permitido o divórcio ou o desquite é a infidelidade conjugal. Em Nosso país não existe o divórcio; nossas leis não o permitem ainda, todavia a parte ofendida pode desquitar-se. A Congregação não despreza quem busca por necessidade outra união matrimonial em país que a lei o permite. É preferível obedecer a lei de Deus do que cair em pecado. A irmandade pode receber como fiel quem, [ 88 ]
  88. 88. Entenda a Congregação Cristã – Volume II, por: Escriba Valdemir para evitar o pecado necessitou dar esse passo. Porém o que nós, servos de Deus, não podemos fazer é apontar irmãos ou irmãs para algum cargo ministerial ou administrativo ou para qualquer outro encargo na Obra de Deus. Não podemos colocar no ministério pessoas desquitadas; mesmo na lei de Moisés vemos que não era permitido aos sacerdotes casarem-se com mulher repudiada. “Levítico 21. 7-8;14”. Todavia, se faz uma ressalva: se algum servo já estava no Ministério e por infidelidade teve seu lar desmanchado por infidelidade conjugal, tendo então que desquitar-se, este pode continuar exercendo o ministério, reconhecendo-o a Congregação como fiel, se porventura casar-se novamente por lei de país que permita. Quando desta deliberação, as leis brasileiras não permitia o novo casamento. A CCB nos anos de 1969 recomendava seus membros que tinham condições espirituais de casar de novo que procurassem outro país para legalizar seu novo casamento. 17 - MANIFESTAÇÕES ESTRANHAS NOS CULTOS Muitos se introduzem e se infiltram em meio a irmandade embora não pertencentes à nossa fé. Tem havido caso de espírito sedutor se manifestar na hora da oração por meio de pessoas pertencentes a seitas. O [ 89 ]

×