Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
FINALIDADE DESTA OBRA
Os materiais literários do autor não têm fins
lucrativos, ne...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
AUTOR: Valdemir Mota de Menezes é licenciado
em Ciências Biológicas e História pel...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
Dados Internacionais da Catalogação na Publicação (CIP)
CENTRO DE EVANGELISMO UNIV...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
TEOLOGIA
Juízo Final - Parapsicologia Bíblica
O Fim do Mundo
Compêndio teológico s...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
Vida de Antão com comentários
Clemente de Roma
POLÍTICA
Memorial criminoso do PT –...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
PRIMEIRA
CARTA
DE CLEMENTE
AOS
CORÍNTIOS
[ 7 ]
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
AUTORIA
Na sua Carta, Clemente nunca fala na primeira
pessoa nem se menciona a si ...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
privada. Daí que a Carta esteja muito elaborada e
adornada com bastantes figuras r...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
4:3); a segunda, que era um membro da distinta família da
casa imperial, a família...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
Segundo a lista mais antiga dos bispos romanos
chegada à posteridade por Ireneu (A...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
O testemunho mais importante sobre a sua vida é
a de Irineu, bispo de Lyon (ano 20...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
"adversidades" foram identificadas com a perseguição de
Domiciano; por isso, a dat...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
na Epístola aos Hebreus pela liderança da Igreja antiga
em Roma e está permeada pe...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
óbvia: é o mais antigo documento cristão ortodoxo
posterior ao Novo Testamento; se...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
perseguição empreendida pelo mesmo, ou seja, durante o
ano 96 d.C.”
CONTEXTO
A epí...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
Carta onde o Autor procura demonstrar a fidelidade de
Deus para com os Retos (pg.4...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
desobedecer às palavras que Deus pronunciou através de
nós, saibam que esse tal te...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
sua política, de sua homonoia, desde a estrutura dos
collegia (portanto das comuni...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
aos Efésios e aos Filipenses, além de citar diversas frases
da Epístola aos Hebreu...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
seminário em Namur, Bélgica, e foi publicada em 1894
por Germain Morin. Um manuscr...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
nesta lenda, usa-a como base de argumentação para o
que Deus irá fazer na ressurre...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
Gravura católica do martírio de Clemente
Seu bispado aconteceu no período da segun...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
apenas que ele prestasse culto aos deuses pagãos.
Contudo, como ele se negava, ord...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
A Igreja de Deus estabelecida transitoriamente
em Roma à Igreja de Deus estabeleci...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
pessoas irrefletidas e audaciosas, de uma forma sórdida e
ímpia, surgido de tal po...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
generosa? Ou quem não vos felicitou por vossa doutrina
perfeita e segura?
Fé, pied...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
Após o puxão de orelha das cartas paulinas,
Corinto ficou sendo um modelo de igrej...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
1 - Vós todos ainda possuíeis sentimentos de
humildade, isentos de qualquer vaidad...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
igreja que buscava o Espírito Santo. A pregação moral era
cotidiana, incentivando-...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
A total fraternidade só no céu. Entre os humanos,
bastam dois para haver um alto r...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
apóstolo Paulo que teve que escrever duas longas cartas
para corrigir aquela igrej...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
3 - Desta forma, os desonrados levantaram-se
contra os honrados, os desrespeitados...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
1 - Porque assim está escrito: "E aconteceu, após
alguns dias, que Caim oferecesse...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
planície, Caim se levantou contra Abel, seu irmão, e o
matou".
7 - Vide, irmãos: f...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
8 - Por causa do ciúme, nosso pai Jacó teve que
fugir da presença de Esaú, seu irm...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
patriarcas que foram vítimas da inveja alheia. Confesso
que muitas vezes me flagro...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
6 - Sete vezes acorrentado, exilado, apedrejado,
missionário no Oriente e no Ocide...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
torturados e mortos. Clemente cita o exemplo de duas
cristãs da antiguidade: Danaí...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
poderosas.
CAPÍTULO VII
1 - Caríssimos, ao vos escrever tais coisas, não
apenas vo...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
5 - Percorramos todas as gerações e aprendamos
que de geração em geração o Senhor ...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
negros que o saco, se vos voltardes para mim de todo
coração e disserdes: 'Pai!', ...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
bondade. Recorramos à sua misericórdia. Abandonemos
a vaidade, a discórdia e o ciú...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
CAPÍTULO X
Este capítulo relembra a vida de Abraão, exemplo
de homem que pode ser ...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
5 - Farei tua descendência como o pó da terra: se
alguém conseguir contar o pó da ...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
mera estátua de sal até os dias de hoje, para que todos,
assim, possam se inteirar...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
que haviam chegado homens para explorar a terra; então
mandou homens para os prend...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
que, pelo sangue do Senhor, viria à redenção para todos
aqueles que cressem e espe...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
e a ira, e cumpramos o que está escrito. Pois assim diz o
Espírito Santo: "Não se ...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
hábitos. Acho repulsivo estas roupas sacerdotais que os
ministros cristãos usam pa...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
mais existia; então procurei seu lugar e não encontrei.
Guarda a inocência e obser...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
arrogante e todos os que dizem: 'Engrandecemos a nossa
língua, em nossos lábios es...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
CAPÍTULO XVI
1 - Porque Cristo pertence aos humildes e não
aos que se elevam acima...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
5 - Foi coberto de chagas por causa de nossos
pecados; tornou-se debilitado por ca...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
12 - O Senhor quer arrancar o tormento de sua
alma, mostrar-lhe a luz e formá-lo n...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
forma humana e habitou entre nós, como um homem feio
e miserável, e nós, não sendo...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
Eliseu, também em Ezequiel, nos profetas e, além destes,
naqueles que receberam te...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
Percebam que o pietismo e o puritanismo são
marcas da carta de Clemente, revelando...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
4 - Pequei somente contra ti e pratiquei o que é
mau perante os Vossos olhos; para...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
14 - Livra-me de ações sanguinárias, ó Deus,
Deus de minha salvação.
15 - Minha lí...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
2 - Assim, após participarmos de muitas grandes
e gloriosas ações, corramos para a...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
CAPÍTULO XX
1 - Os céus movem-se por Sua disposição e lhe
submetem na paz.
2 - O d...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
4 - A terra, submissa à Sua vontade, fecunda nas
estações próprias e provém susten...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
criadas para gozo e saúde, oferecem os peitos – sem
interrupção - para dar vida ao...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
CAPÍTULO XXI
1 - Amados, cuidai para que vossos benefícios tão
numerosos não se tr...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
3 - Consideremos o quanto está próximo, de
forma que nada do que pensamos, nada do...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
o temor Dele é bom e excelso, salvando a todos os que
nele vivem santamente em pur...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
2 - Quem é o homem que quer vida e aprecia ver
dias bons?
3 - Guarda tua língua do...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
forma bondosa e amorosa Suas graças àqueles que se
aproximam Dele com o coração si...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
Clemente mostra como na natureza as coisas
acontecem no seu tempo, e isto aponta q...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
2 - Amados, vejamos como se dá a ressurreição
há seu tempo.
3 - O dia e a noite no...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
2 - Aí existe um pássaro chamado fênix, único na
espécie e que vive quinhentos ano...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
da ressurreição. Citemos abaixo três grandes
historiadores que citam a história da...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
sozinho, um pássaro, renova e renasce dele mesmo - a Fénix da
Assíria, que se alim...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
CAPÍTULO XXVI
1 - Devemos, então, considerar grandioso e
estranho o fato de o Cria...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
3 - Portanto, que se acenda novamente dentro de
nós a fé Nele e reconheçamos que t...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
1 - Já que vê tudo e ouve tudo, temamos a Ele e
abandonemos os maus desejos das aç...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
CAPÍTULO XXIX
1 - Logo, aproximemo-nos Dele com alma santa,
levantando mãos puras ...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
3 - E em outra parte se diz: "Eis que o Senhor
toma para si um povo no meio dos po...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
Clemente. O que não falta são modismos de toda sorte
nesta geração vaidosa.
2 - Po...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
discrição, a humildade e a mansidão habitam junto
daqueles que foram abençoados po...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
1 - Dessa forma, desejemos a bênção Dele e
vejamos quais são os caminhos que levam...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
CAPÍTULO XXXII
1 - Se alguém refletir com sinceridade sobre cada
uma dessas coisas...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
Clemente fala de alcançar a glória pela vontade
de Deus e de sermos chamados pela ...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
assentando-a sobre a firmeza de Sua própria vontade.
Aos animais que povoam [a ter...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
evidenciada pela transformação do nosso ser, e como
consequência da salvação, pass...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
3 - E foi assim que nos preveniu: "Eis o Senhor!
Sua recompensa está diante Dele, ...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
penetrou o que Deus de grande preparou para os que
Nele confiam."
O verso 8 é uma ...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
1 - Meus amados, como são ricos e admiráveis os
presentes de Deus!
2 - Vida em imo...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
6 - Os praticantes de tais obras são réus do ódio
de Deus, [mas] não apenas os que...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
Vida cristã não é intelectualismo, nem questão de
argumentação, o que importa mesm...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
3 - Pois assim está escrito: "Aquele que fez os
ventos serem seus anjos e as chama...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
2 - Observemos nos soldados que servem sob as
bandeiras dos nossos imperadores, co...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
convulsão porque os mais novos tomaram o poder no
presbitério, expulsando os mais ...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
por sua vez, renda graças a Deus, que lhe deu o
suficiente para suprir sua falta. ...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
1 - Ignorantes e insensatos, loucos e incultos
zombam e escarnecem de nós, querend...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
Realmente a cólera consome o tolo e o ciúme
mata aquele que se desviou.
8 - Tenho ...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
3 - Foi Ele quem fixou, por sua decisão altíssima,
onde e quais ministros deverão ...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
sacerdotes e levitas. Supõe-se que na igreja de Corinto,
os jovens insurgiram-se q...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
Clemente fala que os cristãos devem seguir as
regras. Quando pregamos contra o leg...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
5 - E não se trata de inovação... há séculos que
as Escrituras falam de bispos e d...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
2 - No momento de irromper o ciúme a respeito do
sacerdócio e de se disputarem as ...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
para que fosse glorificado o nome do verdadeiro e único
Deus. A Ele, a glória pelo...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
1 - Também os apóstolos sabiam, por Nosso
Senhor Jesus Cristo, que haveria contest...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
Subentende-se que tais deposições fossem por motivos
banais.
4 - E não será pequen...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
CAPÍTULO XLV
1 - Irmãos, cheios de zelo, disputai pelas coisas
que levam à salvaçã...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
aqueles que serviam a Deus com santa e irrepreensível
intenção, esquecendo-se que ...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
Esta passagem não consta em nenhum livro do
Antigo ou Novo Testamento, Clemente po...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
9 - Vosso cisma perverteu a muitos, atirou muitos
no desânimo, colocou muitos na d...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
1 - Tornai a ler a epístola do bem-aventurado
apóstolo Paulo.
2 - O que vos escrev...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
7 - E tal rumor não chegou apenas até nós, mas
atingiu também a outros que possuem...
Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir
4 - Entre as muitas portas abertas, a porta da
justiça é a porta de Cristo. Bem-av...
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
CLEMENTE DE ROMA
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

CLEMENTE DE ROMA

2,640 views

Published on

Clemente de Roma conviveu com os apóstolos, por isso seus escritos se revestem de importância na história do cristianismo. A forma de pensar e viver dos primitivos cristãos são visíveis nos textos de Clemente. Somente a primeira carta de Clemente aos Corintos é considerada pela crítica como sendo de fato sua autoria. Neste livro temos na íntegra o texto da primeira carta e da segunda, esta última considerada um escrito antigo, mais não da lavra de Clemente. Mesmo assim, fazemos uma análise completa desta segunda carta. Este livro é uma fonte de conhecimento para quem quer conhecer as minucias da vida cristã no tempo dos apóstolos.

Published in: Spiritual
  • Be the first to comment

CLEMENTE DE ROMA

  1. 1. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir FINALIDADE DESTA OBRA Os materiais literários do autor não têm fins lucrativos, nem lhe gera quaisquer tipo de receita. Os custos do livro são unicamente para cobrir despesas com produção, transporte, impostos e revendedores. Sua satisfação consiste em contribuir para o bem da educação, uma melhor qualidade de vida para todos os homens e seres vivos, e para glorificar o único Deus Todo-Poderoso. AUTORIZAÇÃOO livro pode ser reproduzido e distribuído por quaisquer meios, usado e traduzido por qualquer entidade religiosa, educacional ou cultural sem prévia autorização do autor. [ 2 ]
  2. 2. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir AUTOR: Valdemir Mota de Menezes é licenciado em Ciências Biológicas e História pela Universidade Metropolitana de Santos; possui curso superior em Gestão de Empresas pela UNIMONTE de Santos; é Bacharel em Teologia pela Faculdade das Assembleias de Deus de Santos; tem formação Técnica em Polícia Judiciária pela USP e dois diplomas de Harvard University dos EUA sobre Epístolas Paulinas e Manuscritos da Idade Média. Radialista profissional pelo Senac de Santos, reconhecido pelo Ministério do Trabalho. Nasceu em Itabaiana/SE, em 1969. Em 1990 fundou o Centro de Evangelismo Universal; hoje se dedica a escrever livros e ao ministério de intercessão. Não tendo interesse em dar palestras ou participar de eventos, evitando convívio social. (AO ENCONTRAR ERROS GRAMATICAIS NESTE LIVRO, FAVOR AVISAR AO AUTOR PARA CORREIÇÃO – GRATO) CONTATOS: https://www.facebook.com/centrodeevangelismouniver sal/ [ 3 ]
  3. 3. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir Dados Internacionais da Catalogação na Publicação (CIP) CENTRO DE EVANGELISMO UNIVERSAL -CGC 66.504.093/0001-08 LIVROS PUBLICADOS PELO AUTOR: CIÊNCIAS Biologia, O mito da Evolução Sexologia cristã [ 4 ] M543 Menezes, Valdemir, 1969 Clemente de Roma /Valdemir Mota de Menezes, Itabaiana/SE, Amazon.com Clubedesautores.com.br, 2016 186 p. ; 21 cm ISBN-13: 978-1533321435 ISBN-10: 1533321434 1.Patrologia 2. Clemente de Roma 3. Epistolografia 4. Igreja de Corinto I - Titulo CDD 250 / 209 / 230 CDU 27 / 82.091
  4. 4. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir TEOLOGIA Juízo Final - Parapsicologia Bíblica O Fim do Mundo Compêndio teológico sobre o véu Guia de Estudo Bíblico Dogmatologia - Apocalipse comentado Entenda a CCB – Volume I Entenda a CCB – Volume II Javé, o Deus da Bíblia - Como fundar uma Igreja O Diabo está ao seu lado Os quatro livros biográficos de Jesus HISTÓRIA Introdução a Arqueologia História do Universo comentada O que é Igreja Católica Romana? O anjo de quatro patas HAGIOGRAFIA [ 5 ]
  5. 5. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir Vida de Antão com comentários Clemente de Roma POLÍTICA Memorial criminoso do PT – Volume I Memorial criminoso do PT – Volume II PT X Cristianismo Todos os telefones do presidente Lula DIREITO Escrivão de Polícia é cargo técnico científico ÉTICA Bebida alcoólica não é pecado EM OUTROS IDIOMAS Archéologie Biblique (Francês) Juicio Final (Espanhol) Biology, the myth of Evolution (Inglês) Indossare il velo (Italiano) 生物学 – 進化の神話 (Japonês) [ 6 ]
  6. 6. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir PRIMEIRA CARTA DE CLEMENTE AOS CORÍNTIOS [ 7 ]
  7. 7. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir AUTORIA Na sua Carta, Clemente nunca fala na primeira pessoa nem se menciona a si mesmo. Quem envia a carta é a “Igreja de Deus peregrina em Roma”. Quando se refere a si mesmo, utiliza o pronome plural “nós”. Não obstante, a obra foi composta, sem dúvida alguma, por uma só pessoa, pelo que se pode comprovar através da unidade de estilo e pensamento que nela transparece. Pelo que se pode concluir da análise do seu estilo, o autor parece ser de origem judaica, devido às citações frequentes que faz do AT e teve em conta que a sua mensagem teria uma repercussão mais pública que [ 8 ]
  8. 8. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir privada. Daí que a Carta esteja muito elaborada e adornada com bastantes figuras retóricas. (4) No caso da Primeira Epístola, o consenso acadêmico é majoritariamente a favor de sua autenticidade, enquanto que é igualmente amplo o consenso de que a segunda epístola não deve ser atribuída a Clemente. Acredita-se que a epístola tenha sido escrita ao mesmo tempo que o Apocalipse, por volta de 95-97 d.C. Nenhuma das cartas foi aceita como parte do cânon bíblico, ainda que elas fizessem parte da coleção de textos atribuídos aos Padres Apostólicos. A primeira epístola não contém o nome de Clemente, sendo assim endereçada: "A Igreja que reside em Roma para a Igreja de Deus que reside Corinto". (1) O Autor se apresenta como Clemente e este falando em nome da Igreja de Roma (p.21), sobre o autor um grande Historiador da Igreja, Philip Schaff, em sua obra magma, Historia da Igreja Cristã, volume 2, pg. 637, apresenta duas teses principais sobre quem era este Clemente Romano, a primeira seria que ele era o Clemente citado na Carta de Paulo aos Filipenses (Fp [ 9 ]
  9. 9. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 4:3); a segunda, que era um membro da distinta família da casa imperial, a família Flaviana. A igreja católica romana coloca-o como sucessor de Anacleto como quarto papa, porém cremos que na época em questão (ano 81-96) esta divisão que futuramente ocorrerá entre os ofícios de bispo e presbítero ainda não estava consolidada dada a proximidade com os escritos apostólicos onde essa divisão não se perfaz, veja que ao citar os oficiais instituídos pelos apóstolos Clemente fala apenas de Bispos e diáconos, inclusive Shaff ao comentar essa questão afirma que Clemente era provavelmente um co- presbítero junto com Lino e Anacleto. Um coisa que se pode dizer do autor com certeza é que ele era um grande discípulo de Pedro e Paulo, citando como exemplos a serem seguidos (p.27). (3) [ 10 ]
  10. 10. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir Segundo a lista mais antiga dos bispos romanos chegada à posteridade por Ireneu (AH III,3,3,), Clemente teria contatos tanto com Pedro como com Paulo. Do mesmo modo, o famoso historiador cristão da antiguidade, Eusébio de Cesareia (HE III, 15,34)- menciona também Clemente, fixando o seu ministério no ano doze do reinado de Domiciano e o fim no reinado do imperador Trajano. Por outras palavras, Clemente foi bispo desde o ano 92 ao ano 101 e a liturgia romana celebra o seu martírio a 23 de Novembro tendo-lhe inscrito o nome no cânone da missa. (4) Falar de São Clemente é algo fascinante, pois somos mergulhados na mais profunda tradição apostólica, pois este homem é tido ainda por Paulo como alguém cujo nome já estava escrito no livro da Vida (Cf. Fil 4,3). Por Eusébio se confirma ter sido colaborador de Paulo e por Irineu se confirma ter recebido o Episcopado pelas mãos de Pedro. A autoria da carta de Clemente aos Coríntios é confirmada Pelos testemunhos do bispo da cidade de Corinto no ano 170, quando escreve ao bispo de Roma, Soter, e cita a referida Carta. (5) [ 11 ]
  11. 11. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir O testemunho mais importante sobre a sua vida é a de Irineu, bispo de Lyon (ano 202). Ele atesta que Clemente "tinha visto os Apóstolos", "ele havia se encontrado com eles" e "ainda soando em seus tímpanos suas pregações, diante de seus olhos e tradição" (Contra Heresias 3, 3, 3). Testemunhos posteriores entre os quarto e sexto séculos atribuir a Clemente o título de mártir. A autoridade e prestígio deste Bispo de Roma era tal que vários escritos foram atribuídos a ele, mas seu trabalho que temos certeza da sua autoria é a "Carta aos Coríntios". Eusébio de Cesaréia, o grande "arquivista" das origens cristãs, apresenta-o com estas palavras: "Recebemos uma carta de Clemente reconhecida como autêntica, grande e admirável. Ela foi escrito por ele em nome da Igreja de Roma para a Igreja de Corinto. Outro texto diz sobre a primeira carta de Clemente: “Sabemos que há muito tempo e ainda hoje é lida publicamente durante a reunião dos fiéis" (História Eclesiástica, 3,16). Para esta carta foi atribuído caráter quase canônico. No início deste texto, escrito em grego, Clemente lamenta que "calamidades imprevistas ocorreram uma após a outra" (1,1), impediu a intervenção mais imediata. Estas [ 12 ]
  12. 12. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir "adversidades" foram identificadas com a perseguição de Domiciano; por isso, a data de composição da carta deve ser imediatamente após a morte deste Imperador e no final da perseguição, ou seja, imediatamente após o ano 96. (9) DATA A Primeira Epístola de Clemente, também conhecida literalmente como Clemente aos Coríntios (em grego: Κλήμεντος πρ ς Κορινθίους, Klēmentos prosὸ Korinthious), abreviada como I Clemente, é uma carta endereçada aos cristãos da cidade de Corinto. A carta foi datada como sendo do final do século I ou começo do século II d.C. e, juntamente com o Didaquê e o Evangelho de Tomé, é um dos mais antigos - se não o mais antigo - documento cristão sobrevivente fora dos Evangelhos canônicos. Como o próprio nome indica, existe também uma Segunda Epístola de Clemente, hoje considerada como espúria. A data tradicional para a epístola de Clemente, que supõe-se ter sido provocada pelo chamado [ 13 ]
  13. 13. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir na Epístola aos Hebreus pela liderança da Igreja antiga em Roma e está permeada pela influência desta epístola mais antiga,[3] foi atribuída ao final do reinado do imperador Domiciano (96 d.C.) assumindo a frase "… repentinos e repetidos obstáculos e azares que se caíram sobre nós" (1:1) como sendo uma referência às perseguições de Domiciano. Uma indicação da data também vêm do fato que a Igreja de Roma é chamada de "antiga" e que os presbíteros instalados pelos apóstolos em suas sedes já tinham morrido e uma segunda geração já tinha assumido (veja 44:2 e 44:3). (1) Esta obra se reveste de caráter relevante para nós a começar pelo fato de ter sido o primeiro escrito original pós-apostólico a chegar a nossos dias, além desta importância histórica, do ponto de vista teológico e prático da igreja também existem pontos importantíssimos que são tratados quase que de forma incidental, que aproxima quase todo cristão que detém para si uma ótica evangélica e reformada. Ainda em consulta eletrônica feita ao Rev. Alderi de Sousa Matos, historiador oficial da IPB, o mesmo entre outros comentários salienta a relevância de tal carta: “A importância desse documento é [ 14 ]
  14. 14. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir óbvia: é o mais antigo documento cristão ortodoxo posterior ao Novo Testamento; sendo escrito a uma igreja Apostólica (Corinto)”. (2) Provavelmente esta carta foi escrita no ano (81-96 d.c), no reinado de Domiciano, o qual moveu grande perseguição da igreja, o autor pode estar se referindo a isso logo no inicio da sua carta ao falar que “desgraças e adversidades imprevistas...nos aconteceram uma após outra...”(p.23). (3) A Drª. Teresa Pereira também cita a data desta carta com sendo do primeiro século: “Quanto à data de composição da Carta, pode afirmar-se que a mesma terá sido redigida sob a perseguição de Domiciano, pois que na própria Carta Clemente refere-se aos “inesperados e sucessivos eventos e adversidades que sobrevieram” para os cristãos (I,1). Ora, tais eventos dizem provavelmente respeito à propaganda persecutória que decorreu entre os anos 94 e 96, sob Domiciano. De facto, e segundo a opinião mais corrente entre os patrologistas, a Carta teria sido, pois, redigida na etapa final do reinado deste imperador, no decurso da trégua que se seguiu à [ 15 ]
  15. 15. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir perseguição empreendida pelo mesmo, ou seja, durante o ano 96 d.C.” CONTEXTO A epístola foi provocada por uma disputa em Corinto, que levou à derrubada de diversos presbíteros. Já que nenhum deles foi acusado de ofensas morais, Clemente argumenta que a sua remoção fora uma punição muito pesada e injustificável. A carta é muito longa - o dobro do tamanho de "Hebreus" - e inclui diversas referências ao Antigo Testamento, do qual o autor demonstra grande conhecimento. Clemente repetidas vezes se refere a ele como "Escritura". (1) Fato é que esses partidos voltaram a aflorar e Clemente como movido por um sentimento fraterno escreve exortando aqueles irmãos a unidade citando virtudes a serem praticadas, para isso ele cita exemplos do velho e novo testamento (p.26,27) exorta contra a inveja (p.26), ao arrependimento (p.28), a obediência e a fé (p.29), a humildade e mansidão (p.32) e a paz e a concórdia (p.38). Daí traça-se uma segunda divisão na [ 16 ]
  16. 16. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir Carta onde o Autor procura demonstrar a fidelidade de Deus para com os Retos (pg.40), onde ele afirma que os desejos de Deus sempre se cumprem (pg.41), fala do poder de Deus na ressurreição de Cristo (pg. 41). Voltando a temática da unidade e subordinação mútua numa terceira divisão que na realidade se estende por todo o restante do livro. (pg. 50), importante se faz notar que esta unidade apresentada por Clemente, não é uma unidade que deve ser realizada a qualquer preço, pois ele afirma que é “melhor estar em conflito com homens sem bom senso, soberbos e jactanciosos em seus arrogantes discursos, do que estar em conflito com Deus” (p.39). (3) É conhecido pela carta que escreveu para atender a um pedido da comunidade de Corinto, na qual rezava uma convincente censura à decadência daquela igreja, devida, sobretudo, às lutas e invejas internas entre os fiéis (consta que os presbíteros mais jovens teriam usurpado as prerrogativas dos mais velhos), estabelecia normas precisas referentes à ordem eclesiástica hierárquica (bispos, presbíteros, diáconos). O Bispo de Roma Clemente pede para que recebam os bispos que tinham sido expulsos injustamente dizendo: “Se algum homem [ 17 ]
  17. 17. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir desobedecer às palavras que Deus pronunciou através de nós, saibam que esse tal terá cometido uma grave transgressão, e se terá posto em grave perigo”. E São Clemente incita então os coríntios a “obedecer às coisas escritas por nós através do Espírito Santo” (5) Nos últimos cinco anos do primeiro século, a comunidade cristã de Roma recebe a notícia de que a comunidade cristã de Corinto está em desordem devido aos jovens cristãos que usurparam o lugar dos anciãos. Entenda-se por jovens, homens que estão na sua fase de máximo vigor, para a cultura greco-romana essa faixa etária está entre os trinta e quarenta e cinco anos de idade, ou, entre os vinte e oito e cinquenta, dependendo de algum critério de classificação local. A atitude desses jovens é tanto contrária à prática cristã, quanto às instituições morais do Império Romano, dentre elas, destaca-se uma conhecida como paterfamílias, segundo a qual, cada casa e cada estabelecimento deve refletir à política do Império. Não é apenas nessa instituição que vemos a projeção da política romana nas micro-estruturas, na verdade, tudo que estava no Império Romano deveria ter uma projeção de [ 18 ]
  18. 18. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir sua política, de sua homonoia, desde a estrutura dos collegia (portanto das comunidades cristãs), que imitam às assembleias políticas. A comunidade cristã de Roma julgou que os jovens eram abomináveis e arrogantes e sua atitude como uma revolta abominável e sacrílega , e devido ao seu‖ lugar social a comunidade romana deveria tomar partido em favor da homonoia, para que não se espalhasse a notícia de que os cristãos de Corinto estão agindo de maneira desordenada, contrariando a fides. Fato que poderia prejudicar de forma direta os cristãos de Roma. (6) CITAÇÃO DO NOVO TESTAMENTO As referências ao Novo Testamento incluem a admoestação de Clemente para que "Tomem a epístola do abençoado apóstolo Paulo" (47:1), que fora escrita para esta mesma audiência coríntia, uma referência que parece implicar que ambas estavam disponíveis tanto em Roma quanto em Corinto. Clemente também faz uma alusão à epístola de Paulo aos Romanos, aos Gálatas, [ 19 ]
  19. 19. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir aos Efésios e aos Filipenses, além de citar diversas frases da Epístola aos Hebreus e, possivelmente, também ter se inspirado em nos Atos, em Tiago e em I Pedro. Em diversas ocorrências, ele pede aos seus leitores que se "lembrem" das palavras de Jesus, sem atribuir estas frases à nenhum escrito específico. Estas alusões ao Novo Testamento são empregadas de forma autoritativa, reforçando o argumento de Clemente à Igreja de Corinto. (1) MANUSCRITOS DA CARTA Embora conhecida desde a antiguidade, o primeiro documento a conter a epístola e estudado pelos acadêmicos ocidentais foi encontrado em 1628. A primeira cópia completa foi redescoberta em 1873, mais de quatrocentos anos depois da Queda de Constantinopla, no Codex Hierosolymitanus, escrito em 1056. Esta obra, escrita em grego koiné, foi traduzida em pelo menos outras três línguas na antiguidade: uma tradução latina do século II ou III d.C. foi encontrada num manuscrito do século XI d.C. na biblioteca de um [ 20 ]
  20. 20. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir seminário em Namur, Bélgica, e foi publicada em 1894 por Germain Morin. Um manuscrito siríaco, hoje na Universidade de Cambridge, foi encontrado em 1876 por Robert Lubbock Bensly e traduzido em 1899. Por fim, uma tradução copta sobreviveu em dois papiros, um publicado em 1908 por C. Schmidt e outro, em 1910 por F. Rösch. (1) CANONICIDADE A epístola estava incluída numa antiga Bíblia grega dada pelo patriarca de Jerusalém Cirilo ao rei da Inglaterra Carlos I. Diante de tais temas e do espírito evangelical e apostólico do autor poderíamos argüir porque a igreja posteriormente não inseriu no cânon tal escrito. Certamente a Soberania de Deus quanto a escolha e inspiração se faz essencial, do ponto de vista do texto em si geralmente os escritores mencionam que Clemente faz alusão a uma lenda mitológica, a da fênix, e acreditando [ 21 ]
  21. 21. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir nesta lenda, usa-a como base de argumentação para o que Deus irá fazer na ressurreição dos seus servos (p.42), não sabemos ao certo, fato é que apesar da igreja reconhecer a relevância deste escrito o tal não foi inserido no cânon oficial e posterior da Igreja. Mesmo não sendo canônica esta carta de Clemente aos Coríntios ficará para sempre marcada na história como um testemunho de que a Comunidade Cristã entendeu e adotou os postulados e doutrinas apostólicas, servindo para nós que somos seus descendentes, de memorial à fé que eles e nós abraçamos, o Evangelho da Soberana Graça de Jesus Cristo. (3) MARTÍRIO [ 22 ]
  22. 22. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir Gravura católica do martírio de Clemente Seu bispado aconteceu no período da segunda perseguição aos cristãos, perpetrada pelo imperador Domiciano, de quem era parente, mas sua santidade não lhe permitia recuar. Ao contrário, chegou a converter Domitila, irmã do próprio Domiciano, que foi-lhe muito auspiciosa em diminuir os ataques à Igreja de Cristo. Nesse ínterim, Clemente conseguiu um virtuoso crescimento do número de cristãos por todo império. Sua reputação e presença eram tão marcantes que quando Nerva tornou-se imperador, por medo de sua influência, mandou que Clemente fosse preso e condenado a trabalhos forçados nas minas da Crimeia. Mas tal estratégica revelou-se inócua, ou mesmo ainda mais proveitosa para o cristianismo, pois aí ele realizou muitos milagres e, por sua extrema humildade, converteu muitos presos. Irritado com tais notícias, Trajano, que recém tornara-se imperador e empreendia uma matança cruel aos cristãos, em consideração à sua bem quista família, inicialmente exigiu [ 23 ]
  23. 23. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir apenas que ele prestasse culto aos deuses pagãos. Contudo, como ele se negava, ordenou impiedosamente que fosse jogado ao Mar Negro com uma âncora amarrada ao pescoço. Fiéis comovidos com seu martírio, porém, conseguiram resgatar seu corpo e sepultá-lo. (6) PRIMEIRA CARTA DE CLEMENTE AOS CORÍNTIOS INTRODUÇÃO [ 24 ]
  24. 24. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir A Igreja de Deus estabelecida transitoriamente em Roma à Igreja de Deus estabelecida transitoriamente em Corinto, aos eleitos santificados na vontade de Deus, por Nosso Senhor Jesus Cristo: que a graça e a paz vos sejam dadas em plenitude da parte de Deus todo- poderoso, por Jesus Cristo. Clemente, bispo de Roma, considerado pela Igreja católica como um dos primeiros papas. Contudo, Clemente em sua carta e nos anais da história nunca tomou para si, autoridade de bispo primaz da igreja de Cristo. De Roma ele envia uma carta para a Igreja de Corinto, cidade grega de grande pujança no contexto social do império romano. CAPÍTULO I 1 - Por causa das desgraças e calamidades que repentina e continuamente se abateram sobre nós, talvez estejamos a tratar tardiamente dos acontecimentos que se deram entre vós, meus caros, e daquele motim, não conveniente a eleitos de Deus, iniciado por algumas [ 25 ]
  25. 25. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir pessoas irrefletidas e audaciosas, de uma forma sórdida e ímpia, surgido de tal ponto de loucura, que o vosso nome, dantes estimado, acatado e celebrado por todos, fosse seriamente denegrido. A igreja de Corinto sofreu uma cisão, a qual Clemente classificou como um motim. Ele interviu na Igreja de Corinto, porque a Igreja da capital do império tinha grande credibilidade em todo o império romano. Isso naturalmente ocorre em qualquer âmbito da administração. Se uma empresa tem filiais pelo mundo inteiro, é provável que entre Washington e uma aldeia no Alasca, a sede na empresa fique em Washington. Assim, por conveniência social a igreja de Roma exercia maior influencia nas demais comunidades cristãs do que as igrejas em pequenas aldeias. No primeiro século do cristianismo as principais igrejas do mundo era a de Jerusalém, Alexandria, e Roma. 2 - Ora, quem é que esteve entre vós e não elogiou vossa fé extraordinária e firme? Quem não admirou vossa piedade consciente e suave em Cristo? Quem não louvou a tradição da vossa hospitalidade [ 26 ]
  26. 26. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir generosa? Ou quem não vos felicitou por vossa doutrina perfeita e segura? Fé, piedade, hospitalidade e doutrina. A igreja de Corinto era um modelo para muitas igrejas da Europa e do mundo antigo. As duas mais extensas cartas de Paulo foram endereçadas a Corinto, e estas cartas foram copiadas por outras igrejas para terem as instruções do sábio apóstolo também em suas mãos. Assim, muitas doutrinas cristãs, estão contidas nas cartas paulinas aos corintos. Esta é a razão porque Corinto era modelo de doutrina perfeita. 3 - Fazíeis tudo sem distinguir as pessoas e andáveis dentro dos preceitos de Deus, sujeitando-vos aos vossos guias e respeitando devidamente os vossos anciãos. Aos jovens, transmitíeis conceitos prudentes e honrosos; às mulheres, recomendáveis para que cumprissem todos os seus deveres com consciência irrepreensível, de forma santa e pura, amando convenientemente seus maridos; e ainda as ensináveis a administrar a vida doméstica dentro das normas de obediência e da mais absoluta discrição. [ 27 ]
  27. 27. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir Após o puxão de orelha das cartas paulinas, Corinto ficou sendo um modelo de igreja cristã, inclusive o bispo Clemente elogia o fato das mulheres cristãs de Corinto serem obedientes. A igreja de Corinto foi a única igreja a contestar o uso do véu pelas mulheres, Paulo exortou que deviam sim usar véu quando orassem ou profetizassem, e a igreja acatou as repreensões de Paulo. CAPÍTULO II [ 28 ]
  28. 28. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 1 - Vós todos ainda possuíeis sentimentos de humildade, isentos de qualquer vaidade, mais dispostos a submeter-vos do que a submeter, dando com mais gosto do que esperando receber. Contentando-vos com o que Cristo vos dava como alimento e meditando sobre suas palavras, vós as guardáveis com tanto cuidado no coração mesmo enquanto tínheis sofrimentos pairando diante dos vossos olhos. Clemente elogia a igreja de Corinto porque eles estavam mais dispostos a obedecer do que mandar nos outros. A humildade dos coríntios foi digno de nota. Em todo o curso da história da igreja, sempre vimos pessoas que queriam ser líderes e não serem liderados. É o amor ao cargo que tanto prejudica a espiritualidade da igreja. 2 - Assim, uma paz profunda e abençoada comunicava-se a todos, e um desejo insaciável de praticar o bem, assim como a plena efusão do Espírito Santo, eram produzidos em todos. A igreja cristã na época de Clemente era ainda uma igreja pentecostal, no sentido teológico, era uma [ 29 ]
  29. 29. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir igreja que buscava o Espírito Santo. A pregação moral era cotidiana, incentivando-se a prática do bem e das virtudes. A fraternidade era uma realidade e produzia uma paz profunda. 3 - Repletos de uma santa vontade, em bom zelo, levantáveis as vossas mãos piedosamente para o Deus onipotente, suplicando-lhe sua misericórdia quando cometíeis involuntariamente alguma falta. Na igreja primitiva corria uma crença que quem cometia pecado voluntariamente não tinha perdão. Acredito que tal pensamento é excessivamente radical. Pois quem mesmo sabendo que algo é errado, acabou não resistindo a tentação e fez o que não devia? Nem sempre a vontade vence a razão. 4 - Dia e noite, travavam-se entre vós uma luta em favor da total fraternidade, para conseguir, pela misericórdia e conscienciosidade, a salvação de todos os seus eleitos. [ 30 ]
  30. 30. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir A total fraternidade só no céu. Entre os humanos, bastam dois para haver um alto risco de cisão. 5 - Autênticos e incorruptos vós éreis, não possuíeis malícia uns para com os outros. Incorrupto é um elogio exacerbado para se dignificar um homem. 6 - Toda revolta e todo cisma vos causavam horror. Ficáveis entristecidos ao ver as faltas dos outros; o que os outros cometiam, tínheis como vossas próprias faltas. Quem diria que a igreja de Corinto se tornou exemplo de uma igreja unida, bem diferente dos dias do [ 31 ]
  31. 31. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir apóstolo Paulo que teve que escrever duas longas cartas para corrigir aquela igreja. 7 - Não havia por que vos arrepender de qualquer omissão de bondade, já que estáveis dispostos a toda boa ação. 8 - Ornados por uma conduta virtuosa e honrosa, cumpríeis todas as vossas ações em seu temor. Os mandamentos e as justas normas do Senhor estavam escritos sobre as fibras dos vossos corações. CAPÍTULO III 1 - Plena reputação e prosperidade vos foi concedida, cumprindo-se a palavra da Escritura: "O bem amado comeu e bebeu, engordou e encheu-se de comida, e tornou-se desobediente". 2 - Daí nasceram o ciúme e a inveja, a discórdia e a revolta, a perseguição e a desordem, a guerra e o cativeiro. [ 32 ]
  32. 32. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 3 - Desta forma, os desonrados levantaram-se contra os honrados, os desrespeitados contra os respeitados, os insensatos contra os sensatos, os jovens contra os anciãos. O modelo cristão apresenta a maturidade como uma idade virtuosa e a juventude como algo inferior. O ímpeto da juventude se não foi canalizado para o serviço divino torna-se altamente negativo. 4 - Por isso, afastou-se para longe a justiça e a paz no exato momento em que cada um abandonou o temor de Deus e obscureceu o olhar em sua fé, não andando conforme o que prescreve os seus mandamentos, não se conduzindo da maneira digna de Cristo. Ao invés, cada qual anda segundo os desejos de seu coração perverso, admitindo em si um ciúme injusto e ímpio, ciúme este que gerou a morte para o mundo. CAPÍTULO IV [ 33 ]
  33. 33. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 1 - Porque assim está escrito: "E aconteceu, após alguns dias, que Caim oferecesse a Deus um sacrifício com os frutos da terra e também, por sua vez, Abel oferecesse das primícias dos rebanhos e de suas gorduras. 2 - E Deus olhou para Abel e seus dons, não reparando, porém, em Caim e seus sacrifícios. 3 - Então Caim se entristeceu muito e seu rosto se abateu. 4 - Então o Senhor falou a Caim: 'Por que te tornaste sombrio e por que teu rosto anda abatido? Acaso não pecaste? Ora, embora tua oferenda seja correta, tua escolha não o foi. 5 - Acalma-te, pois a oferenda voltará a ti e poderás dispor dela'. 6 - Então Caim falou a Abel, seu irmão: 'Vamos para a planície'. E ocorreu que, enquanto estavam na [ 34 ]
  34. 34. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir planície, Caim se levantou contra Abel, seu irmão, e o matou". 7 - Vide, irmãos: foram o ciúme e a inveja que produziram o fratricídio. Clemente passa a discorrer uma exortação contra a inveja e o ciúme. Estes dois pecados nascem do egoísmo. O desejo de ser importante, de ter primazia sobre o próximo é um dos males que gera tanta discórdia entre os homens. [ 35 ]
  35. 35. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 8 - Por causa do ciúme, nosso pai Jacó teve que fugir da presença de Esaú, seu irmão. 9 - O ciúme fez com que José fosse perseguido à morte e acabasse preso. 10 - Foi o ciúme que obrigou Moisés a fugir da presença do faraó, rei do Egito, na hora de ouvir um de seus compatriotas: quem é que te constituiu árbitro e juiz sobre nós? Não queres matar-me, da mesma forma como ontem mataste o egípcio? 11 - Por causa do ciúme, Aarão e Maria foram expulsos do acampamento. 12 - O ciúme conduziu Datã e Abirão vivos para o Mundo dos Mortos, por se revoltarem contra Moisés, servo de Deus. 13 - Por ciúme, Davi não apenas obteve inveja da parte dos estrangeiros, como também foi perseguido por Saul, rei de Israel. Com sabedoria, Clemente de Roma cita uma extensa lista de exemplos no Antigo Testamento de [ 36 ]
  36. 36. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir patriarcas que foram vítimas da inveja alheia. Confesso que muitas vezes me flagro com este tipo de sentimento maligno. Quando o sucesso do próximo nos entristece, é porque estamos sendo invejosos. CAPÍTULO V 1 - Agora, para colocarmos fim aos exemplos antigos, passemos aos atletas que nos tocam de perto; verifiquemos os nobres exemplos da nossa geração. 2 - Por ciúme e inveja foram perseguidos e lutaram até à morte as nossas colunas mais elevadas e retas. 3 - Fixemos nossos olhos sobre os valorosos apóstolos: 4 - Pedro, que por ciúme injusto não suportou apenas uma ou duas, mas numerosas provas e, depois de assim render testemunho, chegou ao merecido lugar da glória. 5 - Por ciúme e discórdia, Paulo ostentou o preço da paciência. [ 37 ]
  37. 37. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 6 - Sete vezes acorrentado, exilado, apedrejado, missionário no Oriente e no Ocidente, recebeu a ilustre glória por sua fé. 7 - Ensinou a justiça no mundo todo e chegou até os confins do Ocidente, dando testemunho diante das autoridades. Assim, deixou o mundo e foi buscar o lugar santo, ele, que se tornou o mais ilustre exemplo da paciência. CAPÍTULO VI 1 - A esses homens de conduta santa, ajuntou-se grande multidão de eleitos que, por ciúme, suportaram muitos insultos e torturas, transformando-se no mais belo exemplo entre nós. 2 - Por ciúmes, mulheres foram perseguidas, como Danaídes e Dircês, e sofreram afrontas cruéis e sacrílegas, percorrendo a segura trajetória da fé e obtendo o nobre prêmio, elas, que eram fracas de corpo. Ciúmes, isto é, inveja. A inveja é descrita por Clemente de Roma como a causa de grandes desgraças no mundo e que por ela, muito santos foram perseguidos, [ 38 ]
  38. 38. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir torturados e mortos. Clemente cita o exemplo de duas cristãs da antiguidade: Danaídes e Dircês. 3 - Foi o ciúme que separou esposas e maridos, afrontando a palavra de nosso pai Adão: "Ela é osso dos meus ossos e carne da minha carne". O divórcio foi severamente criticado e condenado pela igreja cristã primitiva, ao contrário do que tem feito as igrejas desgastadas e corrompidas do final dos tempos. 4 - Ciúme e intriga destruíram grandes cidades e eliminaram nações [ 39 ]
  39. 39. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir poderosas. CAPÍTULO VII 1 - Caríssimos, ao vos escrever tais coisas, não apenas vos levamos a refletir, mas também advertimos a nós mesmos, já que nos encontramos no mesmo campo de batalha, nos esperando a mesma luta. 2 - Abandonemos, assim, as opiniões vazias e tolas, voltando-nos para a gloriosa e santa regra da tradição. A igreja sempre foi seduzida pelo espírito da época com seus modismos, por isso Clemente invoca a igreja para abandonar as opiniões mundanas. 3 - Vejamos o que é belo, agradável e aceito aos olhos daquele que nos criou. 4 - Fixemos a vista no sangue de Cristo e compreendamos o quanto é precioso aos olhos do Pai, pois, derramando-o por nossa salvação, ofereceu-o ao mundo inteiro pela conversão. [ 40 ]
  40. 40. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 5 - Percorramos todas as gerações e aprendamos que de geração em geração o Senhor deu possibilidade de conversão àqueles que a Ele quiseram retornar. 6 - Noé anunciou a conversão e os que a aceitaram se salvaram. 7 - Jonas anunciou a ruína aos ninivitas; os que fizeram penitência de seus pecados, por suas súplicas, reconciliaram-se com Deus e alcançaram a salvação, ainda que fossem estranhos a Deus. CAPÍTULO VIII 1 - Sobre a conversão falaram os ministros da graça de Deus, sob inspiração do Espírito Santo. 2 - Sobre a conversão também falou o próprio Senhor de tudo, ao jurar: "Tão certo como vivo - diz o Senhor - não quero a morte do pecador, mas sua conversão". E acrescentou: 3 - "Convertei-vos de vosso erro, casa de Israel! Dize aos filhos do meu povo: 'ainda que os vossos pecados se amontoassem da terra até o céu, ainda que estes fossem mais vermelhos que a púrpura e mais [ 41 ]
  41. 41. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir negros que o saco, se vos voltardes para mim de todo coração e disserdes: 'Pai!', eu vos atenderei como se fosses um povo santo'". 4 - Em outra parte, ainda fala: "Lavai e purificai- vos. Afastai dos meus olhos as maldades de vossas almas. Deixai vossas maldades e aprendei a praticar o bem; procurai a justiça, socorrei o oprimido, fazei justiça ao órfão, defendei a viúva, e então vinde para colocarmos as coisas em ordem - diz o Senhor. E se os vossos pecados forem como a púrpura, os tornarei brancos como a neve; se forem escarlate como a lã, os farei alvos. Se vos dispuserdes a me escutar, comereis os bens desta terra; porém, se não quiserdes me ouvir, a espada vos devorará - assim fala a boca do Senhor". 5 - No desejo de levar a todos os seus amados a participarem da conversão, fortaleceu-vos por sua vontade todo-poderosa. CAPÍTULO IX 1 - Por isso, obedeçamos a sua vontade excelsa e gloriosa. Supliquemos, prostrados, pela piedade e [ 42 ]
  42. 42. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir bondade. Recorramos à sua misericórdia. Abandonemos a vaidade, a discórdia e o ciúme que conduz à morte. 2 - Fixemos o olhar naqueles que serviram com perfeição a sua magnífica glória. 3 - Tomemos, por exemplo, Henoc, que, encontrado justo em sua submissão, foi arrebatado e não se encontrou indício de sua morte. Enoque foi citado por Clemente. O livro de Enoque ainda era alvo de debate pela igreja primitiva, questionava-se se este livro deveria ou não ser incluído no cânon. 4 - Noé, reconhecido fiel, recebeu o encargo de anunciar o renascimento do mundo e o Senhor salvou, por ele, os seres que entraram em harmonia na sua arca. [ 43 ]
  43. 43. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir CAPÍTULO X Este capítulo relembra a vida de Abraão, exemplo de homem que pode ser chamado de amigo de Deus. 1 - Abraão, proclamado "o amigo", se revelou fiel em sua submissão à palavra de Deus. 2 - Por obediência, ele saiu de sua terra, deixou seus parentes e a casa do pai, saindo de uma terra pequenina, parentes sem importância, uma casa modesta, para herdar as promessas de Deus. Pois é Ele quem lhe diz: 3 - "Deixa tua terra, teus parentes e a casa de teu pai, para te dirigires à terra que te mostrarei. Farei de ti um povo grande. Abençoar-te-ei e engrandecerei teu nome; serás abençoado. Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem. Em ti, todas as tribos da terra serão benditas". 4 - Outra vez, ao se separar de Ló, falou-lhe Deus: "Levanta teus olhos e mede o espaço existente entre ti, entre o norte e o sul, leste e mar: pois toda essa terra vos darei e à tua descendência para sempre. [ 44 ]
  44. 44. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 5 - Farei tua descendência como o pó da terra: se alguém conseguir contar o pó da terra então saberá também contar a tua descendência". 6 - E ainda diz: "Conduziu Deus a Abraão para fora e lhe falou: 'Levanta os olhos para o céu e conta os astros, se é que consegues contá-los. Assim será a tua descendência'. Abraão acreditou em Deus e isso lhe foi imputado como justificação". 7 - Por causa da fé e da hospitalidade, foi-lhe dado um filho na velhice e, por obediência, ele o ofereceu como sacrifício a Deus sobre um dos montes que Ele lhe mostrou. CAPÍTULO XI 1 - Por causa da hospitalidade e piedade, Ló salvou-se de Sodoma, quando a terra em redor foi castigada com fogo e enxofre. Desta forma, Deus deixou claro que não abandona aqueles que esperam nele, mas que entrega os ímpios ao castigo e ao suplício. 2 - Sua mulher acompanhava-o na saída, no entanto, não compartilhava sua fé e crença, transformando-se num sinal disso, a ponto de reduzir-se a [ 45 ]
  45. 45. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir mera estátua de sal até os dias de hoje, para que todos, assim, possam se inteirar que Deus pune os desconfiados e os de alma dupla para escárnio de todas as gerações. A distinção de Ló e sua mulher é um símbolo da igreja, parte da igreja deixa o mundo de pecado em olhar para trás, outra parte ainda tem o coração preso em Sodoma, vai virar estátua de sal. CAPÍTULO XII 1 - Por causa da fé e hospitalidade, Raabe, a prostituta, se salvou. 2 - Pois quando Jesus, filho de Navé, mandou espiões para Jericó, o rei daquela nação ficou sabendo [ 46 ]
  46. 46. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir que haviam chegado homens para explorar a terra; então mandou homens para os prenderem e, depois de presos, matarem-nos. 3 - Raabe, a hospitaleira, recebeu-os e os ocultou sob a palha do linho no andar superior. 4 - Quando os emissários do rei se apresentaram e lhe falaram: "Aqui entraram os espiões que vieram reconhecer nosso território. O rei manda que os entregueis", ela respondeu-lhes: "De fato, os homens que procurais entraram em minha casa, porém já se retiraram e continuam seu caminho". E ela apontou-lhes em direção oposta. 5 - Então ela falou aos espiões: "Disto sei e me convenci: o Senhor vos entregou esta terra porque o medo e pânico se apossaram de seus habitantes. Quando a conquistardes, salvai a mim e a casa de meu pai". 6 - Os espiões responderam: "Será como falaste! Quando nos vires aproximar, reúnam-se todos os teus parentes sob o teto da tua morada e todos serão salvos; porém, aqueles que estiverem do lado de fora perecerão". 7 - Como outro sinal, propuseram-lhe ainda que dependurasse algo vermelho na casa, tornando evidente [ 47 ]
  47. 47. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir que, pelo sangue do Senhor, viria à redenção para todos aqueles que cressem e esperassem em Deus. 8 - Vede, amados: nesta mulher não houve apenas fé, mas também o dom da profecia. A prostituta Raabe se salvou porque creu. É mais fácil uma puta arrependida entrar no céu, do que um metido a santo que não suplica a misericórdia do Senhor e não se humilha por seus pecados. CAPÍTULO XIII 1 - Portanto, tornemo-nos humildes, irmãos, deixando de lado toda a ostentação, o orgulho, o excesso [ 48 ]
  48. 48. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir e a ira, e cumpramos o que está escrito. Pois assim diz o Espírito Santo: "Não se orgulhe o sábio em sua sabedoria, nem o forte em sua força, nem o rico em sua riqueza, mas aquele que se gloriar, glorie no Senhor, procurando-O e praticando o direito e a justiça". Antes de mais nada, recordemos as palavras ditas por Jesus, mestre da equidade e grandiosidade. 2 - Pois foi ele que disse isto: "Sede misericordiosos para obterdes misericórdia. Perdoai para que sejais perdoados. Assim como fizerdes, assim vos será feito. Da forma como derdes, assim vos será dado. Do modo como julgardes, assim sereis julgados. Como fizerdes o bem, assim vos será feito. Com a medida que medirdes, também vos será medido em troca". 3 - Com este mandamento e estes preceitos, fortaleçamo-nos, para que possamos andar humildes e submissos às suas santas palavras. Pois a sagrada palavra assim reza: 4 - "Para quem hei de olhar senão para o manso e pacífico e para aquele que respeita os meus oráculos?". A igreja primitiva priorizava o combate a vaidade, orgulho e ostentação. Mas a história foi modificando os [ 49 ]
  49. 49. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir hábitos. Acho repulsivo estas roupas sacerdotais que os ministros cristãos usam para pregar, seja batina ou terno. Por que não usar a roupa do dia-a-dia com simplicidade e singeleza de coração? CAPÍTULO XIV 1 - É justo e santo, irmãos, tornarmo-nos submissos a Deus do que seguirmos aqueles que se deixam guiar pela arrogância e orgulho, aos promotores do ciúme. 2 - Estaremos nos expondo não a um prejuízo qualquer, mas a um grande perigo, se nos entregarmos aos caprichos dos homens, que buscam a discórdia e a revolta para nos separar da boa conduta. 3 - Sejamos bondosos uns para com os outros, seguindo a misericórdia e doçura do nosso Criador. 4 - Pois assim está escrito: "Os mansos habitarão a terra, os inocentes serão deixados sobre ela enquanto os pecadores serão exterminados dela". 5 - E em outro ponto: "Vi o ímpio gabar-se orgulhoso como os cedros do Líbano; passei e ele não [ 50 ]
  50. 50. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir mais existia; então procurei seu lugar e não encontrei. Guarda a inocência e observa a justiça, pois se consagra a memória do homem que guarda a paz". A piedade cristã busca a humildade em vez da ostentação e disputa pelo poder. CAPÍTULO XV 1 - Unamo-nos, pois, àqueles que mantêm a paz na santidade e não aos que defendem a paz por pura hipocrisia. 2 - Pois é dito em algum lugar: "Este povo me honra com os lábios, mas seu coração está longe de mim". 3 - E novamente: "Abençoavam com a boca, mas amaldiçoavam com o coração". 4 - E novamente: "Amavam-no com os lábios, mas mentiam-lhe com a língua; o coração não era sincero para com Ele, nem se mantinham fiéis à sua aliança. 5 - Por isso, tornem-se mudos os lábios ímpios que proferem maldades contra os justos". E ainda: "Que o Senhor extermine todos os lábios ímpios, a língua [ 51 ]
  51. 51. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir arrogante e todos os que dizem: 'Engrandecemos a nossa língua, em nossos lábios estão o poder! Quem é o nosso Senhor?'. 6 - Por causa da miséria dos pobres e dos gemidos dos desamparados, levantar-me-ei agora - diz o Senhor - e os colocarei a salvo. 7 - Julgarei seu caso com isenção". Este capítulo é dedicado a exortar os irmãos da cidade de Corinto contra os pecados da língua. Por isso que em certos movimentos ascéticos faziam juramento de silêncio. [ 52 ]
  52. 52. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir CAPÍTULO XVI 1 - Porque Cristo pertence aos humildes e não aos que se elevam acima da comunidade. 2 - O cetro da majestade de Deus, nosso Senhor Jesus Cristo, não veio com ares de arrogância e orgulho, muito embora assim pudesse ter feito, mas com humildade, como, sobre ele, o Espírito Santo anunciou. Pois disse: 3 - "Senhor, quem deu crédito à nossa palavra? A quem se revelou o braço do Senhor? Nós anunciamos na presença Dele: Ele é como o escravo, como a raiz numa terra sedenta! Não possui beleza, nem brilho. Nós o vimos: não tinha beleza, nem aparência agradável. Ao invés, sua beleza era desprezível e perdia para a beleza dos homens. Um homem açoitado, trabalhado e acostumado a sofrer fraquezas; menosprezado, afastou o rosto e não contou para nada. 4 - Ele carrega nossos pecados e sofre por nós. Vimos nele um homem atormentado, açoitado e humilhado. [ 53 ]
  53. 53. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 5 - Foi coberto de chagas por causa de nossos pecados; tornou-se debilitado por causa de nossos crimes; o castigo que nos educa para a paz caiu sobre ele e nós fomos curados, graças às suas chagas. 6 - Todos, como ovelhas, andávamos desviados; o homem havia se desviado de sua rota. 7 - O Senhor o entregou em resgate por nossos pecados e ele não abriu a boca diante dos maus tratos. Como cordeiro, foi conduzido ao matadouro e, como ovelha, na frente do tosquiador permaneceu calado, sem abrir a boca. Na humilhação foi levantada sua condenação. 8 - Quem pregava sua geração já que sua vida será tirada da terra? 9 - Por causa das iniquidades do meu povo, ele será levado à morte. 10 - E Eu entregarei os ímpios como reféns de sua sepultura e os ricos em troca da sua morte, pois não cometeu mal algum, nem culpa foi encontrada em sua boca. Mas o Senhor quer purificá-lo de suas feridas. 11 - Se oferecerdes um sacrifício por vosso pecado, vossa alma verá descendência pela longa vida. [ 54 ]
  54. 54. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 12 - O Senhor quer arrancar o tormento de sua alma, mostrar-lhe a luz e formá-lo na consciência, justificando o justo que bem serviu a muitos; ele próprio tomará sobre si os pecados deles. 13 - Por isso terá multidões como herança e distribuirá os troféus dos poderosos pelo fato de sua alma ser entregue à morte e ele ter sido contado entre os ímpios. 14 - E ele próprio suportou os pecados de muitos e se entregou pelos pecados deles". 15 - Ele próprio ainda diz: "Eu, porém, não sou mais que um verme, não sou homem, mas último entre os homens e escória do povo.” 16 - Todos os que me viram, zombaram de mim, murmuraram com os lábios e moveram a cabeça em sinal de negação. Confiou no Senhor, que o livre; se o quiser bem, que o salve". 17 - Vede, amados, que exemplo nos foi dado! Se o Senhor assim se humilhou, o que faremos nós que chegamos, por Ele, ao jugo de sua graça? Este texto de Clemente relembra o exemplo de humildade de Jesus, o Deus Todo-Poderoso que tomou a [ 55 ]
  55. 55. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir forma humana e habitou entre nós, como um homem feio e miserável, e nós, não sendo nada, achamos que somos doutor, ou isto e aquilo... Provável rosto de Jesus, segundo estudos do biótipo dos judeus mediano nos tempos de Jesus. CAPÍTULO XVII 1 - Tornemo-nos imitadores daqueles que em peles de carneiros e ovelhas percorriam a terra, anunciando a chegada de Cristo: pensemos em Elias e [ 56 ]
  56. 56. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir Eliseu, também em Ezequiel, nos profetas e, além destes, naqueles que receberam testemunho favorável. 2 - Abraão recebeu magnífico testemunho, sendo proclamado 'amigo de Deus'. Mesmo assim, contemplando a glória de Deus, confessou em sua humildade: "Eu, por mim, sou terra e cinza". 3 - Também sobre Jó se escreveu desta forma: "Jó, porém, era justo e irrepreensível; verdadeiro, temente a Deus e afastado de todo o mal". 4 - Apesar disso, ele próprio se acusa, dizendo: "Ninguém é isento de impureza, mesmo que sua vida se resumisse a um só dia". 5 - Moisés foi chamado de 'fiel servidor em toda a casa de Deus' e através de seu ministério, Deus castigou o Egito com pragas e sofrimentos. Contudo, mesmo sendo tão magnificamente exaltado, não se excedeu em palavras grandiloquentes, mas, ao revelar-lhe o oráculo da sarça, falou apenas: "Quem sou eu para me enviares? Tenho a voz fraca e dificuldade para falar". 6 - E novamente assim fala: "Não passo de vapor que sai da panela quente". [ 57 ]
  57. 57. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir Percebam que o pietismo e o puritanismo são marcas da carta de Clemente, revelando como os santos da antiguidade tinham uma postura de valorizar a humildade. Muitas vezes o divisionismo da igreja evangélica é fruto da exaltação própria, buscando a primazia entre os demais irmãos. CAPÍTULO XVIII 1 - O que dizer de Davi e seu testemunho? A ele, Deus falou: "Descobri um homem segundo o meu coração: Davi, filho de Jessé. Em eterna misericórdia eu o ungi". 2 - Mas também ele falou para Deus: "Tende piedade de mim, ó Deus, segundo a tua grande piedade e, segundo a tua grande misericórdia, apaga o meu pecado. 3 - Lava-me sempre mais de minha iniquidade e purifica-me do meu pecado, pois reconheço a minha injustiça e o meu pecado está sempre diante de mim. [ 58 ]
  58. 58. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 4 - Pequei somente contra ti e pratiquei o que é mau perante os Vossos olhos; para que estejas justificado em tuas palavras e venças, se te julgarem. 5 - Eis que fui concebido na iniquidade e no pecado minha mãe me carregou em seu seio. 6 - Eis que amaste a verdade e me revelaste os obscuros mistérios da tua sabedoria. 7 - Hás de me aspergir com hissopo e serei purificado; hás de me lavar e tornar-me-ei mais branco do que a neve. 8 - Hás de fazer-me ouvir o som da alegria e da festa e os ossos humilhados se rejubilarão. 9 - Afasta o rosto de meus pecados e apaga todas as minhas iniquidades. 10 - Cria um coração puro em mim, ó Deus, e forma um espírito firme em meu peito. 11 - Não me afastes de tua presença e não retires de mim teu santo espírito. 12 - Restitui-me a alegria da tua salvação e confirma-me com um espírito magnânimo. 13 - Ensinarei teu caminho aos pecadores e os ímpios hão de converter-se para ti. [ 59 ]
  59. 59. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 14 - Livra-me de ações sanguinárias, ó Deus, Deus de minha salvação. 15 - Minha língua exaltará a tua justiça. Senhor, hás de me abrir a boca e meus lábios proclamarão o teu louvor. 16 - Se tivesses desejado um sacrifício, te-lo-ia oferecido, porém, não te agradas com holocaustos. 17 - Para Deus, sacrifício é o espírito arrependido. Deus não desprezará um coração contrito e humilhado". Clemente cita o exemplo da humildade de Davi, querendo dar lição aos novos presbíteros de Corinto que tomaram o presbitério dos mais velhos. CAPÍTULO XIX 1 - A humildade e a modéstia de homens tão grandes e santos foram aprovados pela sua obediência. Os que receberam as palavras Dele em temor e verdade não só nos tornaram melhores como também as gerações que nos precederam. [ 60 ]
  60. 60. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 2 - Assim, após participarmos de muitas grandes e gloriosas ações, corramos para a meta de paz que nos foi proposta desde o início. Fixemos o nosso olhar sobre o Pai e Criador de todo o mundo e agarremo-nos aos seus magníficos e excelsos dons de paz e benefícios. 3 - Olhemos para Ele em espírito e consideremos com os olhos da alma sua generosa vontade. Reconheçamos o quanto é indulgente para com toda a sua criação. Clemente fala do valor da paz. Posto que a igreja de Corinto estava novamente, talvez depois de décadas voltando a se partidarizar entre grupos internos. A história da humanidade foi marcada pela discórdia, e mesmo na igreja, toda vez que Cristo não era posto no centro, os cristãos se dividiram e continuaram assim agindo. Os interesses pessoais estão sempre sobrepondo os interesses do reino de Deus. A natureza humana é divisionista. [ 61 ]
  61. 61. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir CAPÍTULO XX 1 - Os céus movem-se por Sua disposição e lhe submetem na paz. 2 - O dia e a noite percorrem o caminho por Ele demarcado, sem jamais se impedirem mutuamente. 3 - Sol, lua e demais astros giram conforme Sua determinação, em harmonia e sem desvio algum pelas órbitas prescritas a cada um deles. [ 62 ]
  62. 62. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 4 - A terra, submissa à Sua vontade, fecunda nas estações próprias e provém sustento aos homens, animais e todos os seres vivos, sem se rebelar nem se afastar da ordem por Ele desejada. 5 - As profundezas insondáveis dos abismos e os subterrâneos inexplorados se mantêm conforme as Suas leis. 6 - O mar imenso, encerrado dentro da bacia que o contém, não ultrapassa os limites a ele imposto mas, assim como lhe foi ordenado, o obedece. 7 - Pois foi Ele quem disse: "Até aqui chegarás e tuas ondas se quebrarão em ti mesmo". 8 - O oceano, intransponível aos homens, bem como os mundos atrás dele, ordenam-se pelas mesmas leis do Senhor. Ao falar da grande dos oceanos, Clemente fala do conceito cósmico que havia naquele tempo, na qual se achava que o oceano era intransponível. 9 - As estações da primavera, verão, outono e inverno se sucedem umas às outras em paz. 10 - A força dos ventos cumpre, por sua vez, o serviço dele sem se desfalecer; as fontes perenes, [ 63 ]
  63. 63. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir criadas para gozo e saúde, oferecem os peitos – sem interrupção - para dar vida aos homens. Até os animais mais pequeninos fazem suas reuniões dentro da paz e harmonia. 11 - O grande Criador e Senhor de tudo ordenou todas essas coisas para que existissem em paz e concórdia, já que deseja o bem de todas as criaturas, mostrando-se generoso demais em relação a nós que nos refugiamos em sua misericórdia por nosso Senhor Jesus Cristo. 12 - A Ele glória e majestade pelos séculos dos séculos. Amém. Clemente usa o argumento cosmológico para mostrar como o universo funciona com certa ordem pelas leis estabelecidas por Deus. Seu questionamento e argumento para com os cristãos de Corinto são: Por que vocês também não procuram viver em harmonia? [ 64 ]
  64. 64. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir CAPÍTULO XXI 1 - Amados, cuidai para que vossos benefícios tão numerosos não se transformem em condenação para nós, o que acontecerá se não formos dignos Dele e não realizarmos em concórdia o que é bom e agradável a Seus olhos, 2 - pois está dito em alguma parte: "O Espírito do Senhor é uma lanterna que penetra até o fundo do coração". [ 65 ]
  65. 65. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 3 - Consideremos o quanto está próximo, de forma que nada do que pensamos, nada do que calculamos permanece-Lhe oculto. 4 - Assim, é justo que não nos afastemos da Sua vontade. 5 - Devemos preferir chocar homens tolos e insensatos, exaltados e cheios da arrogância de seus discursos, do que a Deus. 6 - Reverenciemos o Senhor Jesus, cujo sangue foi derramado por nós. Respeitemos nossos chefes. Honremos os anciãos. Eduquemos os jovens a temerem a Deus. Guiemos nossas mulheres para o bem. 7 - Que elas manifestem o desejo da pureza, a pura intenção na suavidade. Que, pelo silêncio, demonstrem a moderação de sua linguagem. Que o amor não fique dependente das inclinações, mas que seja praticado de modo santo e igual entre todos aqueles que temem a Deus. 8 - Que nossos filhos participem da educação em Cristo, aprendendo o quanto pode a humildade perante Deus, o quanto o amor consegue perante Deus, o quanto [ 66 ]
  66. 66. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir o temor Dele é bom e excelso, salvando a todos os que nele vivem santamente em pura intenção. 9 - É Ele que investiga nossos pensamentos e desejos. É o sopro Dele que está presente em nós e que pode ser retirado por Ele quando quiser. Clemente prega o respeito aos anciões e que os mais jovens devem desenvolver a virtude do temor. Sabemos que a natureza dos mais jovens é desafiar os mais velhos. Os leões mais novos tentam enfrentar os mais velhos quando percebem que já têm força suficiente para assumir suas posições. Na sociedade humana, uma hora os jovens tentam enfrentar os mais velhos. Mas na vontade de Deus, os mais novos devem herdar os mais idosos as posições de comando e não usurpa-las. CAPÍTULO XXII 1 - A fé em Cristo garante todas essas coisas, pois é Ele mesmo que assim nos convida, pelo Espírito Santo: "Filhos, vinde e escutai-me: hei de ensinar-vos a temer a Deus. [ 67 ]
  67. 67. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 2 - Quem é o homem que quer vida e aprecia ver dias bons? 3 - Guarda tua língua do mal e teus lábios da traição. 4 - Afasta-te do mal e faze o bem. 5 - Procura e persegue a paz. 6 - Os olhos do Senhor estão voltados para os justos e seus ouvidos para as suas súplicas. Mas a face do Senhor se volta contra os que praticam o mal, destruindo a memória deles sobre a terra. 7 - O justo clama e o Senhor o atende, livrando-o de todas as tribulações. 8 - Muitos são os flagelos do pecador, já a misericórdia cerca os que esperam no Senhor. Clemente cita muito os textos bíblicos, boa parte da sua carta é composta com versículos do Torá, dos Salmos e dos profetas. CAPÍTULO XXIII 1 - O Pai todo-poderoso e misericordioso tem entranhas para os que O temem e, assim, distribui de [ 68 ]
  68. 68. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir forma bondosa e amorosa Suas graças àqueles que se aproximam Dele com o coração simples. 2 - Não hesitemos por causa disso, nem se orgulhe nossa alma por causa dos Seus dons ricos e magníficos. 3 - Que nunca se aplique a nós a passagem da Escritura que diz: "Infelizes os que hesitam no coração e desconfiam na alma; aqueles que dizem: 'Tais promessas já escutamos na época de nossos pais e eis que envelhecemos e nada disso aconteceu'. 4 - Ó insensatos, comparai-vos à uma árvore; reparai na videira que, primeiro perde as folhas e então brota, a seguir vêm a folha, então a flor e, depois disso, a uva verde é seguida da uva madura". Considerai como, em pouco tempo, o fruto da árvore se torna maduro. 5 - É bem assim que a vontade de Deus se cumpre, em ritmo veloz e inesperado, como a própria Escritura nos atesta: "Virá logo e não tardará. Subitamente o Senhor entrará no seu santuário, o Santo a quem esperais". [ 69 ]
  69. 69. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir Clemente mostra como na natureza as coisas acontecem no seu tempo, e isto aponta que o plano de Deus também ocorrerá no tempo certo, ainda que isto demore muitas gerações. CAPÍTULO XXIV 1 - Amados, observemos como o Senhor não cessa de dar-nos provas de que, no futuro, a ressurreição se concretizará. Deu-nos prova dela primeiramente ressuscitando Jesus Cristo dos mortos. [ 70 ]
  70. 70. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 2 - Amados, vejamos como se dá a ressurreição há seu tempo. 3 - O dia e a noite nos manifestam a ressurreição: dorme a noite, ressuscita o dia; o dia se retira, chega a noite. 4 - Exemplifiquemos com os frutos da terra: como e de que modo faz-se a semeadura? 5 - O semeador sai e espalha, semente por semente, pela terra lavrada, que caem secas e nuas sobre a terra e aí se desfazem; desta decomposição, a grandiosa providência do Senhor as ressuscita, de forma que, de uma, aumentam para muitas e produzem fruto. Clemente mostra grande poder argumentativo ao observar a natureza, percebe evidências do mundo que indicam a ressurreição como uma esperança de vida após a morte. CAPÍTULO XXV 1 - Consideremos o sinal prodigioso que ocorre na região oriental, isto é, nas terras próximas da Arábia. [ 71 ]
  71. 71. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 2 - Aí existe um pássaro chamado fênix, único na espécie e que vive quinhentos anos. Quando está para morrer, ergue seu próprio sepulcro usando incenso, mirra e outras plantas aromáticas e, ao completar seu tempo, aí se introduz e morre. 3 - De sua carne em decomposição nasce uma larva que se alimenta da matéria putrefata do animal morto e cria asas; quando se torna forte, levanta o sepulcro onde se encontram os restos de seu ancestral e carrega-o, voando da terra da Arábia até a cidade do Egito chamada Heliópolis. 4 - E, em plena luz do dia, aos olhos de todos, transporta e depõe aqueles restos sobre o altar do sol; a seguir, retoma o voo de volta. 5 - Então os sacerdotes examinam os calendários e percebem que ele chegou ao se completarem quinhentos anos. Muitos criticam Clemente por se utilizar de uma lenda para falar da ressurreição. Mas crendo ou não na existência desta ave, vários povos antigos tinham em sua mitologia a crença na fênix. Símbolo do renascimento e [ 72 ]
  72. 72. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir da ressurreição. Citemos abaixo três grandes historiadores que citam a história da fênix. "Existe outro pássaro sagrado, também, cujo nome é fénix. Eu mesmo nunca o vi, apenas figuras dele. O pássaro raramente vem ao Egito, uma vez a cada cinco séculos, como diz o povo de Heliópolis. É dito que a fénix vem quando seu pai morre. Se o retrato mostra verdadeiramente seu tamanho e aparência, sua plumagem é em parte dourado e em parte vermelho. É parecido com uma águia em sua forma e tamanho. O que dizem que este pássaro é capaz de fazer é incrível para mim. Voa da Arábia para o templo de Hélio (o Sol), dizem, ele encerra seu pai em um ovo de mirra e enterra-o no templo de Hélio. Isto é como dizem: primeiramente molda um ovo de mirra tão pesado quanto pode carregar, então abre cavidades no ovo e coloca os restos de seu pai nele, selando o ovo. E dizem, ele encerra o ovo no templo do Sol no Egito. Isto é o que se diz que este pássaro faz." – Heródoto. "E a fénix, ele disse, é o pássaro que visita o Egito a cada cinco séculos, mas no resto do tempo ela voa até a Índia; e lá podem ser visto os raios de luz solar que brilham como ouro, em tamanho e aparência assemelha-se a uma águia; e senta-se em um ninho; que é feito por ele nas primaveras do Nilo. A história do Aigyptos sobre ele é testificada pelos indianos também, mas os últimos adicionam um toque a história, que a fénix enquanto é consumida pelo fogo em seu ninho canta canções de funeral para si" - Apolônio de Tiana. "Estas criaturas (outras raças de pássaros) todas descendem de seus primeiros, de outros de seu tipo. Mas um [ 73 ]
  73. 73. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir sozinho, um pássaro, renova e renasce dele mesmo - a Fénix da Assíria, que se alimenta não de sementes ou folhas verdes mas de óleos de Bálsamo e gotas de olíbano. Este pássaro, quando os cinco longos séculos de vida já se passaram, cria um ninho em uma palmeira elevada; e as linhas do ninho com cássia, mirra dourados e pedaços de canela, estabelecida lá, inflama-se, rodeada de perfumes, termina a extensão de sua vida. Então do corpo de seu pai renasce uma pequena Fénix, como se diz, para viver os mesmos longos anos. Quando o tempo reconstrói sua força ao poder de suportar seu próprio peso, levanta o ninho - o ninho que é berço seu e túmulo de seu pai - como imposição do amor e do dever, dessa palma alta e carrega-o através dos céus até alcançar a grande cidade do Sol (Heliópolis, no Egito), e perante as portas do sagrado templo do Sol, sepulta-o" – Ovídio. [ 74 ]
  74. 74. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir CAPÍTULO XXVI 1 - Devemos, então, considerar grandioso e estranho o fato de o Criador operar a ressurreição de todos aqueles que lhe serviram santamente na confiança de uma boa fé, se ele ilustra até por um pássaro a grandeza de sua promessa? Citando a ave fênix. Provavelmente uma lenda. 2 - Lê-se em alguma parte: "Hás de me ressuscitar e eu te louvarei". E: "Deitei-me e adormeci; levantei-me porque tu estás comigo". 3 - E Jó adverte novamente: "Ressuscitarás minha carne que suportou todo esse sofrimento". CAPÍTULO XXVII 1 - Que nossas almas se apeguem por uma esperança assim Àquele que é fiel em Suas promessas e justo em Seus juízos. 2 - Aquele que proibiu a mentira, tampouco haverá de mentir, pois nada junto a Deus é impossível, exceto a mentira. [ 75 ]
  75. 75. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 3 - Portanto, que se acenda novamente dentro de nós a fé Nele e reconheçamos que todas as coisas estão próximas Dele. 4 - Com apenas uma palavra de sua grandeza, estabeleceu tudo e, com uma só palavra, pode destruir tudo. 5 - Quem diria a Ele: "O que fizeste?", e quem resistiria à força do seu poder? Fará tudo quando e como quiser. Nada das coisas que ordenou haverá de passar. 6 - Tudo está diante de Seus olhos, nada escapa de Sua determinação. 7 - Os céus anunciam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra de Suas mãos. O dia comunica a façanha ao dia, a noite transmite seu conhecimento à noite. Não há palavras nem discursos em que suas vozes não são ouvidas. Clemente nos ensina a confiar em Deus pela sua grandeza, o verso sete é uma citação dos Salmos. Quanto mais observo o universo, mais tenho certeza que existe um criador inteligente que organizou o cosmo. CAPÍTULO XXVIII [ 76 ]
  76. 76. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 1 - Já que vê tudo e ouve tudo, temamos a Ele e abandonemos os maus desejos das ações desonestas, para nos pouparmos por Sua piedade dos futuros juízos. 2 - Para onde poderia algum de nós fugir de Sua mão forte? Qual mundo receberia alguém que desertou Dele? Pois, em algum lugar, diz a Escritura: 3 - Para onde fugirei e onde me esconderei de Tua face? Se subir ao céu, lá estás. Se me retiro para as extremidades da terra, lá está a tua direita. Se me atiro nos abismos, lá está o Teu Espírito. 4 - Portanto, para onde poderia alguém ir para escapar Daquele que tudo envolve? Clemente adverte-nos a lutar contra o nosso pior inimigo, nossa própria vontade corrompida. Outra vez cita os Salmos que fala da onipresença de Deus. [ 77 ]
  77. 77. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir CAPÍTULO XXIX 1 - Logo, aproximemo-nos Dele com alma santa, levantando mãos puras e imaculadas para Ele, amando nosso Pai bondoso e misericordioso, que nos admitiu como herdeiros. 2 - Porque assim está escrito: "Quando o Altíssimo distribuiu a herança aos povos, na hora de disseminar os filhos de Adão, definiu territórios para os povos conforme a multidão dos anjos de Deus. Tornou-se herança do Senhor o povo de Jacó e sua partilha foi Israel". [ 78 ]
  78. 78. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 3 - E em outra parte se diz: "Eis que o Senhor toma para si um povo no meio dos povos, assim como um homem toma as primícias de sua eira, e deste povo há de proceder ao Santo dos santos". Clemente fala da igreja como o povo eleito, como fossemos o Israel espiritual. Mas acredito que a Igreja entrou no plano divino como um parêntese. A igreja é o povo espiritual, os israelenses é o povo terrestre. CAPÍTULO XXX 1 - Uma vez que formamos a porção santa, façamos tudo o que leva à santificação. Fujamos da maledicência, abraços impuros e impudicos, bebedeiras, modismos temporários, cobiças abomináveis, adultério detestável e soberba hedionda. Abraços impuros. Acho que os cumprimentos entre homens e mulheres devem ser menos calorosos, mantendo distancia, ficando somente no máximo em um aperto de mão. Modismos temporários. Mais do que nunca devemos levar em consideração estas palavras de [ 79 ]
  79. 79. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir Clemente. O que não falta são modismos de toda sorte nesta geração vaidosa. 2 - Pois Deus, como se lê, resiste aos soberbos, porém, concede graça aos humildes. 3 - Portanto, unamo-nos àqueles a quem Deus concede a graça. Revistamo-nos de concórdia, sejamos continentes humildes, mantendo-nos afastados de toda murmuração e calúnia, justificando-nos mais pelas obras do que pelas palavras. 4 - Pois assim se diz: "Quem muito fala, terá resposta. Qual homem eloquente imaginaria que isso fosse justo?" 5 - Bem-aventurado o homem, nascido de mulher, que vive pouco. Não te tornes pródigo em palavras. 6 - Venha nosso louvor de Deus e não de nós. Deus odeia aquele que louva a si próprio. 7 - O testemunho de nossas boas ações seja dado pelos outros, como assim também aconteceu com nossos pais, que foram justos. 8 - A arrogância, a presunção e a audácia se assentam sobre aqueles que foram malditos por Deus. A [ 80 ]
  80. 80. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir discrição, a humildade e a mansidão habitam junto daqueles que foram abençoados por Deus. O pietismo é a tônica nos escritos de Clemente. A atual teologia da prosperidade, enaltecendo a glória terrestre, não é compatível com o ideário cristão. Hoje é modismo igrejas pregarem como obter sucesso, fama e dinheiro, agora as reuniões dos santos, se chamam reuniões dos empresários. Pobres destituídos da graça... CAPÍTULO XXXI [ 81 ]
  81. 81. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 1 - Dessa forma, desejemos a bênção Dele e vejamos quais são os caminhos que levam à bênção. Voltemos aos acontecimentos desde o princípio. 2 - Por que nosso pai Abraão foi abençoado? Não seria porque ele praticou a justiça e a verdade pela fé? 3 - Isaac, conhecendo o porvir e cheio de confiança, deixou-se levar alegremente ao sacrifício. 4 - Jacó, humildemente, abandonou a terra por causa de seu irmão e foi para junto de Labão, vivendo ali como seu servo, recebendo os doze cetros de Israel. O exemplo destes patriarcas foi acima de tudo a renuncia e entrega. Abraão deixou Ur, Isaque deixou-se ser sacrificado se necessário, Jacó foi viver como servo de Labão. Líderes cristãos gananciosos usam estes textos para dizerem que as pessoas devem entregar o seu dinheiro como prova de fidelidade. Maldito os avarentos, que fazem do povo negócio. Mas também as pessoas gostam de ser enganadas,, porque deveria meditar mais nas Escrituras para não cair no conto dos vigários e pastores fraudulentos... [ 82 ]
  82. 82. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir CAPÍTULO XXXII 1 - Se alguém refletir com sinceridade sobre cada uma dessas coisas, reconhecerá a magnificência dos dons de Deus a Jacó. 2 - É dele que procederão todos os sacerdotes e levitas que servirão ao altar de Deus. Dele [procede] o Senhor Jesus, segundo a carne. Dele [procede], através de Judas, os reis, príncipes e chefes. Por sua vez, os outros cetros de Jacó também gozarão de não pouca honra, uma vez que Deus anunciou: "Tua descendência será numerosa como as estrelas do céu". 3 - Assim, todos atingiram à glória e à grandeza, não por si mesmos, nem por suas obras ou pela justiça praticada, mas por vontade Dele. 4 - Também igualmente entre nós, que fomos chamados por Sua vontade em Cristo Jesus, já que não nos justificamos a nós mesmos, nem por nossa sabedoria ou inteligência, ou pela piedade ou obras que tenhamos praticado na santidade do coração, mas através da fé, pela qual o Deus todo-poderoso justificou a todos desde sempre: a Ele, a glória pelos séculos dos séculos. Amém. [ 83 ]
  83. 83. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir Clemente fala de alcançar a glória pela vontade de Deus e de sermos chamados pela vontade de Cristo. Acredito que a salvação é fruto da obra e vontade de Deus, mas isto não indica que não temos livre arbítrio. Se não temos livre arbítrio para escolher o caminho de Deus, não podemos ser culpados. Se eu fui programado para pecar, a culpa dos meus pecados é do meu programador. Assim, a vontade de Deus é salvar-nos, mas ele espera que a nossa vontade vá de encontro a dele. CAPÍTULO XXXIII 1 - Então, o que faremos, irmãos? Deveríamos renunciar à prática do bem e desertar de Seu amor? Jamais permita o Senhor que isso aconteça conosco. Ao contrário, devemos nos esforçar para cumprir toda a obra boa com disponibilidade entusiástica, 2 - já que o próprio Criador e Senhor de tudo se regozija de suas obras. 3 - Foi Ele que firmou os céus com poder soberano e os ornamentou com inesgotável sabedoria. Separou, também, a terra da água que a cerca, [ 84 ]
  84. 84. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir assentando-a sobre a firmeza de Sua própria vontade. Aos animais que povoam [a terra], chamou-os à existência por sua ordem. Ele fez o mar e os seres que nele habitam, encerrando-os aí com seu poder. 4 - Além disso tudo, com Suas mãos santas e puras, Ele modelou a mais excelente, a maior de Suas obras: o homem. E imprimiu nele os traços de Sua própria imagem, 5 - pois assim falou Deus: "Façamos o homem à nossa imagem e semelhança. E Deus criou o homem; varão e mulher os criou". 6 - E, enfim, quando terminou todas essas obras, achou-as boas, abençoou-as e lhes disse: "Crescei e multiplicai-vos". 7 - Reparemos que todos os justos ornamentaram-se de boas obras e também o próprio Senhor teve prazer em ornar-se com boas obras. 8 - Já que temos tal exemplo, submetemo-nos sem demora à sua vontade e, com todas as forças, pratiquemos as obras da justiça. Clemente chama os cristãos a praticarem boas obras ou obras de justiça. A salvação pela graça é [ 85 ]
  85. 85. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir evidenciada pela transformação do nosso ser, e como consequência da salvação, passamos a praticar obras dignas de arrependimento. CAPÍTULO XXXIV 1 - O bom trabalhador aceita, desinibidamente, o pão que ganhou com seu trabalho. Já o preguiçoso e negligente foge do olhar de seu senhor. 2 - Portanto, é necessário que estejamos dispostos a executar as boas obras, já que elas derivam Dele. [ 86 ]
  86. 86. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 3 - E foi assim que nos preveniu: "Eis o Senhor! Sua recompensa está diante Dele, para retribuir a cada um conforme suas obras". 4 - Assim nos exorta a confiarmos Nele de todo o coração, para que não sejamos preguiçosos nem indolentes para nenhuma boa obra. 5 - Nossa glória e segurança estão Nele! Submetamo-nos à sua vontade! Pensemos no grande número de anjos que estão prontos para servirem à Sua vontade. 6 - Assim diz a Escritura: "Milhares e milhares estavam diante dele e centenas de milhares o serviam e clamavam: 'Santo, Santo, Santo é o Senhor dos exércitos. Toda a criação está cheia de sua glória'". 7 - Também nós, reunidos harmoniosamente com a mesma finalidade, conscientes de nosso dever, clamamos a ele sem nos cansarmos, numa só voz, para nos tornarmos participantes das Suas grandiosas e magníficas promessas, 8 - pois é Ele quem diz: "Nenhum olho viu, nenhum ouvido escutou e nenhum coração humano [ 87 ]
  87. 87. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir penetrou o que Deus de grande preparou para os que Nele confiam." O verso 8 é uma citação da carta do apóstolo Paulo aos Corintos, o que prova que as cartas de Paulo já circulavam em Roma e em outras partes do império, consideradas cartas instrutivas aos cristãos. Clemente também prega contra a preguiça. CAPÍTULO XXXV [ 88 ]
  88. 88. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 1 - Meus amados, como são ricos e admiráveis os presentes de Deus! 2 - Vida em imortalidade, esplendor em justiça, verdade em liberdade, fé em confiança, continência em santidade... e tudo isso chegou ao nosso conhecimento. 3 - Então, o que não há de estar preparado para os que nele aguardam? O Criador e Pai dos séculos, o próprio Santíssimo conhece a grandeza e a beleza de seus dons. 4 - Lutemos, assim, para sermos contados no número dos que Nele esperam, para nos tornarmos participantes de Seus dons prometidos. 5 - Porém, como dar-se-á isso, amados? Fixando nossa mente com confiança em Deus, procurando o que Lhe é agradável e aceito, cumprindo o que convém à Sua santa vontade, seguindo o caminho da verdade, afastando de nós toda injustiça, maldade, ambição, dissensões, malignidade, dolos, murmurações, difamações, recusas de Deus, soberba, jactância, vaidade e falta de hospitalidade. [ 89 ]
  89. 89. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 6 - Os praticantes de tais obras são réus do ódio de Deus, [mas] não apenas os que as praticam, como também quem as aprovam. 7 - Assim diz a Escritura: "Porém Deus disse ao pecador: 'Para que explicas os meus mandamentos e pronuncias sobre a minha aliança? 8 - Detestaste a disciplina e abandonaste minhas palavras. Quando vias um ladrão, corrias com ele; combináveis com os adúlteros. Tua boca estava cheia de malícia e tua língua provocava enganos. Tranquilamente difamavas teu irmão e entregavas ao escândalo o filho de tua mãe. 9 - Era o que fazias enquanto Eu me calava. Impiamente supunhas que Sou semelhante a ti. 10 - Hei de confundir e obrigar-te a ver-te de frente. 11 - Compreendei, afinal, estas coisas, vós que esqueceis de Deus, para que não vos arrebate como um leão e já não se encontre quem vos liberte. 12 - Um sacrifício de louvor há de Me glorificar e aí está o caminho no qual lhe mostrarei a salvação de Deus'". [ 90 ]
  90. 90. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir Vida cristã não é intelectualismo, nem questão de argumentação, o que importa mesmo é uma vida que pratique boas obras e rejeite o pecado. A promessa do reino do céu é para os que praticam o bem e não para teólogos. CAPÍTULO XXXVI 1 - Amados irmãos, este é o caminho no qual encontramos a nossa salvação: Jesus Cristo, o sumo- sacerdote de nossas oferendas, o protetor e auxílio em nossa fraqueza. 2 - Por ele, olhamos para o alto dos céus. Através dele, descobrimos a face imaculada e soberana de Deus. Através dele, abriram-se os olhos do nosso coração. Através dele, nossa inteligência obtusa e obscura se abre ao encontro da luz. Através dele, o Senhor quis que saboreássemos do conhecimento imortal. Sendo Ele o esplendor de Sua grandeza, é tanto maior que os anjos, tendo recebido em herança um nome superior ao deles. [ 91 ]
  91. 91. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 3 - Pois assim está escrito: "Aquele que fez os ventos serem seus anjos e as chamas do fogo serem seus servos". 4 - Assim falou o Senhor a respeito de seu Filho: "Meu Filho és tu. Hoje Eu te gerei: pede-Me e Eu te darei as nações como herança e os confins da terra como possessão". 5 - E outra vez Lhe diz: "Senta-te à minha direita, até que ponha teus inimigos como escabelo de teus pés". 6 - Quem seriam estes inimigos? [Certamente,] os maus e os que se opõem à Sua vontade. O texto acima parece uma reedição de uma parte da carta aos Hebreus. Clemente era bem familiarizado com o texto do Novo Testamento, o que prova que no primeiro século já circulava a Bíblia como a conhecemos hoje. Não houve alteração substancial como alegam os ateus e inimigos do cristianismo. CAPÍTULO XXXVII 1 - Irmãos, militemos com todo entusiasmo sob Suas ordens indiscutíveis. [ 92 ]
  92. 92. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 2 - Observemos nos soldados que servem sob as bandeiras dos nossos imperadores, como cumprem as ordens com disciplina, prontidão e submissão. 3 - Nem todos são comandantes, nem todos são chefes de mil, nem chefes de cem, nem chefes de cinquenta e assim por diante, mas cada qual cumpre, em seu próprio posto, as ordens emanadas pelo chefe supremo e demais autoridades. 4 - Os grandes nada podem sem os pequenos e os pequenos nada podem sem os grandes. Em tudo existe alguma mistura e aí está a vantagem. 5 - Exemplifiquemos com o nosso corpo: a cabeça sem os pés nada é; nem, tampouco, os pés sem a cabeça. Até os menores membros do corpo são úteis e necessários ao resto do corpo. Todos convivem e atuam em submissão unânime para salvarem todo o corpo. Dá para perceber que esta exortação visa pacificar a luta pelo poder. Infelizmente as pessoas estão sempre em desarmonia. As pessoas estão sempre em conflito, parece que nunca se encontram satisfeitas. Se tem um cargo, quer outro mais alto. Se exerce o poder executivo, ela quer legislar. Em Corinto a igreja estava em [ 93 ]
  93. 93. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir convulsão porque os mais novos tomaram o poder no presbitério, expulsando os mais antigos. Imagino como estava o clima... CAPÍTULO XXXVIII 1 - Que se conserve, portanto, por inteiro o corpo que formamos em Jesus Cristo e cada um se submeta a seu próximo, conforme o carisma que lhe foi dado. 2 - O forte cuide do fraco e o fraco, por sua vez, respeite o forte. O rico preste serviço ao pobre e o pobre, [ 94 ]
  94. 94. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir por sua vez, renda graças a Deus, que lhe deu o suficiente para suprir sua falta. O sábio manifeste sua sabedoria não por palavras, mas por obras. O humilde não dê testemunho de si mesmo, mas permita que o outro o dê a seu favor. O casto em sua carne não se envaideça pois sabe que é Outro quem lhe dá a continência. 3 - Afinal, irmãos, analisemos de que matéria fomos feitos, como e quem fomos ao entrarmos no mundo, de que sepulcro e escuridão nosso oleiro e criador nos tirou para nos introduzir em Seu mundo, Ele que preparou para nós todos os Seus dons antes mesmo que nascêssemos. 4 - Já que temos tudo isso Dele, devemos render- Lhe graças por tudo. A Ele, a glória pelos séculos. Amém. A mensagem de Clemente pela unidade do corpo de Cristo e para que se portemos com humildade, só assim a igreja pode ser edificada. Clemente pede para a igreja de Corinto focar em Deus. Porque se começarmos a olhar a falha dos líderes as pessoas vão se desanimarem. CAPÍTULO XXXIX [ 95 ]
  95. 95. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 1 - Ignorantes e insensatos, loucos e incultos zombam e escarnecem de nós, querendo dar importância às suas ideias. 2 - O quanto pode um mortal, qual a força de alguém que nasceu da terra? 3 - Está escrito: "Não havia forma aos meus olhos, mas percebi um hálito e uma voz que dizia: 4 - Como haveria de ser puro um mortal diante do Senhor ou irrepreensível um homem por causa de suas obras? Se nem Deus pode confiar em seus servos e se junto a seus anjos encontrou algo de errado?' 5 - Nem o céu é puro diante Dele, como, então, poderiam ser [puros] os hóspedes dos ranchos de barro, aos quais pertencemos, sendo nós do mesmo barro? Esmagou-os como vermes e entre a manhã e a noite deixaram de existir. Pereceram porque não podem se ajudar por si próprios. 6 - Soprou sobre eles e morreram por não terem sabedoria. 7 - Grita! Talvez alguém te escute ou vejas algum dos santos anjos. [ 96 ]
  96. 96. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir Realmente a cólera consome o tolo e o ciúme mata aquele que se desviou. 8 - Tenho visto alguns tolos deitando raízes, mas logo são consumidos como alimento. 9 - Que seus filhos sejam mantidos longe da salvação, que sejam desprezados ao baterem à porta dos humildes e não se encontre quem os liberte. Aquilo que para eles estava preparado seja alimento dos justos, não encontrando eles saídas para seus males". Clemente mostra muito conhecimento sobre o Antigo Testamento, aqui cita o livro de Jó. Ele chega mesmo a amaldiçoar os ímpios. CAPÍTULO XL 1 - Sendo óbvias todas essas coisas e tendo nós sondado as profundezas do conhecimento de Deus, devemos fazer com ordem tudo aquilo que o Senhor nos mandou cumprir nos tempos determinados: 2 - Mandou-nos oferecer os sacrifícios e celebrar o culto, não ao acaso ou desordenadamente, mas com tempos e horas marcadas. [ 97 ]
  97. 97. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 3 - Foi Ele quem fixou, por sua decisão altíssima, onde e quais ministros deverão fazê-los, para que tudo fosse feito de forma santa, sendo aceito por sua vontade. 4 - Aqueles que fazem suas oferendas dentro dos tempos determinados, são-Lhe agradáveis e abençoados, já que seguem as determinações do Senhor e não pecam. 5 - Pois ao sumo-sacerdote foram confiadas tarefas particulares, aos sacerdotes um lugar próprio, aos levitas certos serviços e o leigo liga-se pelas ordenações exclusivas dos leigos. Clemente parece querer mostrar que a igreja deve aceitar a ordem dos ofícios, tomando como exemplo o sistema religioso do Antigo Testamento com sua casta de [ 98 ]
  98. 98. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir sacerdotes e levitas. Supõe-se que na igreja de Corinto, os jovens insurgiram-se querendo criar uma “democracia” ou anarquia. CAPÍTULO XLI 1 - Irmãos, cada qual de nós agrade o Senhor em sua função, vivendo em boa consciência, não transgredindo as regras de seu ofício e exercendo-o com toda a dignidade. 2 - Irmãos, nem por toda parte são oferecidos sacrifícios perpétuos ou votivos, de expiação e remissão, mas apenas em Jerusalém. E lá mesmo não se oferece em qualquer parte, mas apenas na frente do santuário, sobre o altar, e só depois que o sumo-sacerdote e os seus auxiliares, acima mencionados, examinarem atenciosamente a oferenda. 3 - Aqueles que praticam algo contra aquilo que agrada Sua vontade recebem a morte como castigo. 4 Irmãos, vede que, quanto maior o conhecimento com que somos distinguidos, maior o perigo a que nos expomos. [ 99 ]
  99. 99. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir Clemente fala que os cristãos devem seguir as regras. Quando pregamos contra o legalismo, falamos de excesso de regras desnecessárias. Mas as regras que estabelecem ordem e decência devem ser observadas se quisermos ser de fato obedientes a Deus. CAPÍTULO XLII 1 - Os apóstolos receberam em nosso favor a boa-nova da parte do Senhor Jesus Cristo. E Jesus Cristo foi enviado por Deus. 2 - Portanto, Cristo vem de Deus e os apóstolos [vêm] de Cristo. Esta dupla missão realizou-se em perfeita ordem por vontade de Deus. 3 - Munidos de instruções e plenamente assegurados pela ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo, confiantes na Palavra de Deus, saíram a evangelizar a próxima vinda do Reino de Deus na plenitude do Espírito Santo. 4 - Assim, proclamando a palavra nos campos e nas cidades, estabeleceram suas primícias, como bispos e diáconos, dos futuros fiéis, após prová-los pelo Espírito. [ 100 ]
  100. 100. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 5 - E não se trata de inovação... há séculos que as Escrituras falam de bispos e diáconos, pois assim se lê em algum lugar: "Quero estabelecer os bispos deles na justiça e os seus diáconos na fé". No cristianismo só existem dois ofícios na igreja, bispos (ou presbítero ou ancião) e diáconos. Hoje há uma miscelânea de ofícios extravagantes e que não fazem parte da instituição cristã, são exemplos disso: pastores, evangelistas, missionários, cardeais, papas, patriarcas, cooperadores e outros títulos baseados em passagens bíblicas. A Igreja Deus é Amor, em 1988 chegou a criar o cargo de DANIEL, que eram pessoas designadas para se prepararem para serem obreiros. CAPÍTULO XLIII 1 - Por que estranhar que os apóstolos, a quem Cristo confiou, da parte de Deus, tal obra, tenham instituído os acima mencionados? Ora, até o bem- aventurado e servo fiel em toda casa, Moisés, assinalou tudo o que lhe fora ordenado nos santos livros. Seguiram- no os demais profetas, juntando os seus testemunhos às leis por ele instituídas. [ 101 ]
  101. 101. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 2 - No momento de irromper o ciúme a respeito do sacerdócio e de se disputarem as tribos, isto é, qual delas deveria ostentar esse título glorioso, ordenou ele aos doze chefes de tribo que lhe trouxessem bastões com o nome de cada tribo gravado. Tomando tais bastões, amarrou- os, assinalou-os com os anéis dos chefes e os depositou sobre a mesa de Deus na tenda do testemunho. 3 - Então fechou a tenda, selando as chaves da mesma forma que os bastões. 4 - Disse-lhes, então: "Irmãos, a tribo cujo bastão brotar será a escolhida por Deus para exercer o sacerdócio e ministrar seu culto". 5 - Ao amanhecer, reuniu todo Israel, os seiscentos mil homens, mostrou os selos aos chefes, abriu a tenda do testemunho e retirou os bastões. E ocorreu que o bastão de Aarão não só germinara como também produzira fruto. 8 - Então, o que lhes parece, irmãos? Acaso Moisés não sabia, previamente, que era isso o que ocorreria? Sem dúvida sabia-o. Mas, para que não irrompesse uma revolta em Israel, agiu dessa maneira, [ 102 ]
  102. 102. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir para que fosse glorificado o nome do verdadeiro e único Deus. A Ele, a glória pelos séculos dos séculos. Amém. O ciúme, a inveja e a disputa pelo poder de primazia para estar a frente do povo de Deus tem causado grande transtorno durante a história de Israel e da Igreja. A natureza humana é perturbada por ambições desmedidas. Se na igreja que as pessoas buscam a Deus ocorrem disputas, imagine no mundo sem ética??? CAPÍTULO XLIV [ 103 ]
  103. 103. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 1 - Também os apóstolos sabiam, por Nosso Senhor Jesus Cristo, que haveria contestações a respeito da dignidade episcopal. 2 - Por tal motivo e como tivessem pleno conhecimento do porvir, estabeleceram os acima mencionados e deram, além disso, instruções no sentido de que, após a morte deles, outros homens comprovados lhes sucedessem em seu ministério. 3 - Os que assim foram instituídos por eles ou, mais tarde, por outros eminentes homens com a aprovação de toda a Igreja, servindo de modo irrepreensível ao rebanho de Cristo, com humildade, pacífica e abnegadamente, recebendo o testemunho favorável por longo tempo e da parte de todos, não é justo, em nossa opinião, serem depostos de seus ministérios. O texto de Clemente fala da sucessão dos ministros e que a igreja deveria aprovar cada novo bispo que fosse instituído na igreja e que os mesmos deveriam ter testemunho favorável. Clemente também considera injusta a deposição de bispos dos seus ministérios. [ 104 ]
  104. 104. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir Subentende-se que tais deposições fossem por motivos banais. 4 - E não será pequena a nossa falta se depusermos do episcopado aqueles que ofereceram, de maneira santa e irrepreensível, os sacrifícios. 5 - Bem-aventurados os presbíteros que nos precederam na caminhada e terminaram sua jornada carregados de frutos e perfeição. Não têm a temer que alguém os remova do lugar para eles preparado. Vemos no texto de Clemente que o termo bispo e presbítero são usados alternadamente. Algumas denominações cristãs criaram hierarquias com estes títulos. A própria Igreja Católica coloca presbítero como um cargo abaixo de bispo. 6 - Vemos que vós afastastes a alguns de boa índole de um ministério que eles honraram de forma digna. Clemente escreveu esta carta para resolver uma disputa em que presbíteros jovens destituíram os mais velhos. Mas não ficamos sabendo os motivos desta atitude ríspida. [ 105 ]
  105. 105. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir CAPÍTULO XLV 1 - Irmãos, cheios de zelo, disputai pelas coisas que levam à salvação. 2 - Vós vos aprofundastes nas verdadeiras Escrituras Sagradas, que nos vêm do Espírito Santo. 3 - Sabeis que elas não são injustas, nem contêm falsificação. Lá não encontrareis que homens justos foram depostos por homens santos. 4 - Ao contrário, os justos foram perseguidos por pecadores, foram encarcerados por ímpios, foram apedrejados por transgressores da lei, foram assassinados por homens cheios de ciúmes abomináveis e criminosos. 5 - Tais sofrimentos eles suportam com glória. 6 - O que diríamos então, irmãos? Acaso Daniel foi lançado à cova por homens tementes a Deus? 7 - E quanto a Ananias, Azarias e Misael: foram eles lançados à fornalha ardente por homens que praticavam o culto excelso e glorioso do Altíssimo? De modo algum! Então, quem praticou tais coisas? Foram indivíduos odiosos, cheios de maldade e que nutriam tal fúria que mandavam à tortura todos [ 106 ]
  106. 106. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir aqueles que serviam a Deus com santa e irrepreensível intenção, esquecendo-se que o Altíssimo é defensor e escudo daqueles que servem a seu Santíssimo Nome com consciência pura. A Ele, a glória pelos séculos dos séculos. Amém. 8 - Os que perseveraram na paciência, receberam glória e honra como herança, foram exaltados e inscritos no livro da memória de Deus, por todos os séculos dos séculos. Amém. Os ofícios eclesiásticos são vitalícios, e não podem os integrantes destes ofícios serem destituídos sem motivos de grande gravidade. CAPÍTULO XLVI 1 - Irmãos, temos que nos apegar a tais exemplos, 2 - pois está escrito: "Apegai-vos aos santos porque os que a eles se apegam serão santificados". 3 - E, de novo, em outra parte, se diz: "Junto ao homem puro serás puro. [ 107 ]
  107. 107. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir Esta passagem não consta em nenhum livro do Antigo ou Novo Testamento, Clemente pode esta se referindo a um outro livro que circulava nos seus dias. Junto ao eleito serás eleito. Junto ao perverso serás perverso". 4 - Apeguemo-nos, pois, aos puros e justos porque são esses os eleitos de Deus. 5 - Por que entre vós existem disputas, ódios, contendas, cismas e guerras? 6 - Acaso não temos um só Deus, um só Cristo e um só Espírito da graça derramado sobre nós e uma só vocação em Cristo? 7 - Por que insistimos em separar e despedaçar os membros de Cristo, nos revoltando contra o próprio corpo, chegando a uma loucura tal que nos esquecemos que somos membros uns dos outros? Lembrai-vos das palavras de Nosso Senhor Jesus, 8 - porque foi Ele quem disse: "Ai daquele homem! Melhor seria que não tivesse nascido do que escandalizar um dos meus eleitos. Mais lhe valeria amarrar uma pedra em seu pescoço e afundar no mar do que perverter um dos meus eleitos". [ 108 ]
  108. 108. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 9 - Vosso cisma perverteu a muitos, atirou muitos no desânimo, colocou muitos na dúvida, entristeceu-nos a todos. E vossa revolta se prolonga... Clemente começa a ser mais objetivo na sua crítica aos dissidentes de Corinto que estavam causando divisão. O divisionismo moderno tem sido muito pior para o crescimento espiritual da igreja. A maioria das divisões nem são por questões de causas pétreas doutrinárias, mas por vaidade e busca de poder sobre o rebanho. CAPÍTULO XLVII [ 109 ]
  109. 109. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 1 - Tornai a ler a epístola do bem-aventurado apóstolo Paulo. 2 - O que vos escreveu primeiro, no início do evangelho? 3 - Na verdade, estava ele inspirado pelo Espírito quando vos comunicou normas sobre si próprio, sobre Cefas e Apolo, pois já então formáveis partidos. 4 - Mas o partidarismo daquele tempo importou num pecado muito menor para vós já que vos agrupáveis em torno dos apóstolos e de um homem aprovado por eles. 5 - Refleti, porém: quem são os que vos pervertem neste momento e como enfraqueceram o renome da vossa caridade tão celebrada por todos. 6 - Uma vergonha, meus caros, uma vergonha muito grande e indigna de uma conduta em Cristo ouvir- se que a Igreja dos coríntios, tão inabalável e antiga, se rebele contra os presbíteros por causa de uma ou duas pessoas. Mais uma vez palavra presbítero é usada em alternância com a palavra bispo, pois ambas se referem ao mesmo ofício. [ 110 ]
  110. 110. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 7 - E tal rumor não chegou apenas até nós, mas atingiu também a outros que possuem as mesmas convicções que nós, a ponto de se proferirem blasfêmias ao nome do Senhor por causa da vossa insensatez, por armar perigo para vós próprios. Corinto possuía uma grande igreja que influenciava as demais igrejas do império, e a destituição dos presbíteros mais velhos estava gerando grande perturbação entre as demais igrejas. CAPÍTULO XLVIII 1 - Arranquemos esse mal o mais rápido possível. Lancemo-nos aos pés do Senhor e peçamos-lhe, entre lágrimas, que se compadeça de nós, reconciliando-se conosco, trazendo-nos de volta a uma prática santa e pura de nossa fraternidade. 2 - Porque é esta a porta da justiça aberta para a vida, conforme está escrito: "Abri-me as portas da justiça: por elas quero entrar e louvar o Senhor. 3 - É esta a porta do Senhor: por ela entrarão os justos". [ 111 ]
  111. 111. Clemente de Roma, por: Escriba Valdemir 4 - Entre as muitas portas abertas, a porta da justiça é a porta de Cristo. Bem-aventurados todos aqueles que entram por ela e guiam seus passos na santidade e justiça, cumprindo todas as coisas imperturbavelmente. 5 - Que alguém tenha fé, que seja capaz de expor o conhecimento, que seja sábio em discernir os discursos, que seja santo em suas ações. 6 - Quanto maior parecer, mais se deve ser humilde, procurando o proveito de todos e não o próprio. CAPÍTULO XLIX 1 - Quem possui a caridade em Cristo, cumpra os mandamentos de Cristo. 2 - Quem poderia descrever o vínculo da caridade de Deus? 3 - Quem seria capaz de exprimir a magnificência de sua beleza? 4 - É indescritível a altura a que nos leva o amor. 5 - O amor nos une a Deus, o amor cobre os pecados, o amor suporta tudo, o amor é grandioso em tudo. Nada há de mesquinho e soberbo na caridade. [ 112 ]

×