é Tempo de sair de jesuralém

1,284 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,284
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
462
Actions
Shares
0
Downloads
18
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

é Tempo de sair de jesuralém

  1. 1. • “Não é uma grande catedral, nem uma igreja oficialmente estabelecida, nem as diversas denominações, mas sim o povo que ama a Deus e guarda os seus mandamentos. Porque onde estão dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles. (Mat.18:20). Ainda que Cristo esteja entre poucos humildes, esta é sua igreja, pois somente a presença do Alto e Sublime que habita a eternidade pode constituir uma igreja”. Manuscript Releases, vol.17 pág.81 e 82
  2. 2. O Senhor declarou que a história do passadorepetir-se-á ao entrarmos na obra finalizadora....Toda coluna por Ele estabelecida deve serfortalecida. Não podemos desviar-nos agora dofundamento estabelecido por Deus. Nãopodemos agora entrar em nenhuma NOVAORGANIZAÇÃO; pois isto significaria apostasia daverdade. ME vol. 2 pág.389 e 390
  3. 3. O inimigo das almas tem procurado introduzir a suposiçãode que uma grande reforma devia efetuar-se entre osadventistas do sétimo dia, e que essa reforma consistiriaem renunciar às doutrinas que se erguem como pilaresde nossa fé, e empenhar-se num processo dereorganização. Se tal reforma se efetuasse, qual seria oresultado? Seriam rejeitados os princípios da verdade, queDeus em Sua sabedoria concedeu à igrejaremanescente>>>
  4. 4. Nossa religião seria alterada. Os princípios fundamentais quetêm sustido a obra neste últimos cinqüenta anos, seriamtidos na conta de erros. ESTABELECER-SE-IA UMA NOVAORGANIZAÇÃO. Escrever-se-iam livros de ordem diferente.Introduzir-se-ia um sistema de filosofia intelectual. Osfundadores deste sistema iriam às cidades, realizando uma obramaravilhosa. O sábado seria, naturalmente, menosprezado,como também o Deus que o criou. Coisa alguma se permitiriaopor-se ao novo movimento. Ensinariam os líderes ser a virtudemelhor do que o vício, mas, removido Deus, colocariam suaconfiança no poder humano, o qual, sem Deus, nada vale. Seusalicerces se fundariam na areia, e os vendavais e tempestadesderribariam a estrutura.me vol 1 pag. 204e 205
  5. 5. Autor de:O Liviatã dventista
  6. 6. • “Estou encarregada de dizer a nosso povo que eles não compreendem que o diabo tem estratagemas e mais estratagemas, e ele os realiza de maneiras que eles não esperam. As agências de Satanás inventarão modos de fazer pecadores de santos. Digo-vos agora, que quando eu repousar, GRANDES MUDANÇAS TERÃO LUGAR. Eu não sei quando serei levada; e desejo avisar a todos contra os ardis do diabo. Eu quero que o povo saiba que eu os avisei plenamente antes de minha morte.” (EGW Manuscript 1, February 24, 1915) Divndade e a Trindade pag.63
  7. 7. SEPARAÇÃO NA ÉPOCA DE CRISTO• O Sinédrio rejeitara a mensagem de Cristo, e intentava matá- Lo; portanto, Jesus partiu de Jerusalém, afastou-Se dos sacerdotes, do templo, dos guias religiosos, do povo que fora instruído na lei, e voltou-Se para outra classe, para proclamar Sua mensagem, e remir os que haviam de levar o evangelho a todas as nações.• Como a luz e a vida dos homens foi rejeitada pelas autoridades eclesiásticas nos dias de Cristo, assim tem sido rejeitada em todas as subseqüentes gerações. Freqüentemente se tem repetido a história da retirada de Cristo da Judéia.
  8. 8. • Quando os reformadores pregavam a Palavra de Deus, não tinham idéia alguma de se separar da igreja estabelecida; os guias religiosos, porém, não toleravam a luz, e os que a conduziam eram forçados a buscar outra classe, a qual estava ansiosa da verdade. Em nossos dias, poucos dos professos seguidores da Reforma são atuados pelo espírito da mesma. Poucos estão à escuta da voz de Deus, e prontos a aceitar a verdade, seja qual for a maneira por que se apresente. Muitas vezes os que seguem os passos dos reformadores são forçados a retirar-se da igreja que amam, a fim de declarar o positivo ensino da Palavra de Deus. E muitas vezes os que estão à procura da luz são, pelos mesmos ensinos, obrigados a deixar a igreja de seus pais, a fim de prestar obediência. DTN pág. 167 e 168
  9. 9. • Vagarosa e tristemente, Cristo, com os Seus discípulos, deixou para sempre o recinto do Templo". Spirit of Prophecy, vol. 4, p. 46.2• João 9:22 - Isto disseram seus pais porque estavam com medo dos judeus; pois estes já haviam assentado que, se alguém confessasse ser Jesus o Cristo, fosse expulso da sinagoga.• João 12:42,43 - Contudo, muitos dentre as próprias autoridades creram nele, mas, por causa dos fariseus, não o confessavam, para não serem expulsos da sinagoga; porque amaram mais a glória dos homens do que a glória de Deus
  10. 10. Alguns houve, entretanto, que se recusaram a ceder àautoridade do papa ou do prelado. Estavam decididos amanter sua fidelidade a Deus, e preservar a pureza esimplicidade de fé. HOUVE SEPARAÇÃO. Os que se apegaram àantiga fé, retiraram-se; alguns, abandonando os Alpes nativos,alçaram a bandeira da verdade em terras estrangeiras; outrosse retraíram para os vales afastados e fortalezas dasmontanhas, e ali preservaram a liberdade de culto a Deus. GCPág. 64
  11. 11. Supondo que todos os cristãos se regozijassem com a perspectiva da vindade Cristo, e que os que não viam as coisas como eu as via, não haveriam,por isso, de menosprezar os crentes nesta doutrina, não pensei emqualquer necessidade de reuniões separadas.Como sua obra tendia a edificar as igrejas, foi por algum tempo olhadacom favor. Mas, decidindo-se os pastores e os dirigentes religiosos contra adoutrina da segunda vinda de Cristo, e desejando suprimir toda agitaçãoa respeito, não somente se opuseram a ela, do púlpito, mas tambémnegaram a seus membros o privilégio de assistir a pregações sobre oassunto, ou mesmo falar de tal esperança nas reuniões de oração daigreja. Assim, encontraram-se os crentes em grande provação eperplexidade. Amavam suas igrejas, e repugnava-lhes o separar-se delas;mas como vissem suprimido o testemunho da Palavra de Deus e negado odireito de pesquisar as profecias, compreenderam que a lealdade para como Senhor lhes vedava a submissão. Não poderiam considerar os queprocuravam excluir o testemunho da Palavra de Deus como constituindo aigreja de Cristo, "coluna e base da verdade". Daí o se sentirem justificadosem desligar-se dessas congregações. No verão de 1844 aproximadamentecinqüenta mil se retiraram das igrejas. GC 375
  12. 12. • “Deviam ser efetuadas reformas, pois a debilidade e a cegueira espirituais se apossaram das pessoas que tinham sido agraciadas com grande luz e preciosas oportunidades e privilégios. Como reformadores, elas haviam saído das igrejas denominacionais, mas desempenham agora uma parte semelhante à que desempenharam as igrejas. Tínhamos a esperança de que não haveria necessidade de outra saída. EVENTOS FINAIS PAG.43.
  13. 13. • ". . . Tenho pouca confiança de que o Senhor está concedendo a estes homens em posições de responsabilidade, visão espiritual e discernimento celestial. Sou lançada em perplexidade quanto a seu curso de ação, e desejo agora dedicar-me a minha obra especial. Não ter parte em qualquer de seus concílios, nem participar de nenhuma reunião campal, nem de perto, nem de longe. Minha mente não será arrastada para a confusão pela tendência que eles manifestam em trabalhar diretamente contrário à luz que Deus me deu. Estou decidida. Preservarei a inteligência que Deus me deu. Minha voz tem sido ouvida nas diferentes conferências e campais. Devo agora fazer uma mudança... Eu os deixarei, pois, para receber a palavra da Bíblia... Esta é a luz que me foi dada, e não me desviarei dela". Letter W-186, 2 de dezembro de 1902. Para Edson
  14. 14. • É uma solene declaração que faço à igreja, de que nem um entre vinte dos nomes que se acham registrados nos livros da igreja, está preparado para finalizar sua história terrestre, e achar-se-ia tão verdadeiramente sem Deus e sem esperança no mundo, como o pecador comum. Professam servir a Deus, mas estão servindo mais fervorosamente a Mamom... Vivendo como pecadores e alegando ser cristãos! Os que pretendem ser cristãos e querem confessar a Cristo devem sair dentre eles e não tocar nada imundo, E SEPARAR-SE... Serviço Cristão 40 e 41
  15. 15. • Foi-me mostrada a necessidade dos que crêem estarmos tendo a última mensagem de misericórdia, de se separarem dos que estão diariamente absorvendo novos erros. Vi que nem jovens e nem velhos devem assistir a suas reuniões; pois é errado assim encorajá-los enquanto ensinam o erro que é veneno mortal para a alma e doutrinas que são mandamentos de homens. A influência de tais reuniões não é boa.PE Pág.124
  16. 16. • Foi-me mostrada a necessidade dos que crêem estarmos tendo a última mensagem de misericórdia, de se separarem dos que estão diariamente absorvendo novos erros. Vi que nem jovens e nem velhos devem assistir a suas reuniões; pois é errado assim encorajá-los enquanto ensinam o erro que é veneno mortal para a alma e doutrinas que são mandamentos de homens. A influência de tais reuniões não é boa.PE Pág.124
  17. 17. • É uma solene declaração que faço à igreja, de que nem um entre vinte dos nomes que se acham registrados nos livros da igreja, está preparado para finalizar sua história terrestre, e achar-se-ia tão verdadeiramente sem Deus e sem esperança no mundo, como o pecador comum. Professam servir a Deus, mas estão servindo mais fervorosamente a Mamom... Vivendo como pecadores e alegando ser cristãos! Os que pretendem ser cristãos e querem confessar a Cristo devem sair dentre eles e não tocar nada imundo, E SEPARAR-SE... Serviço Cristão 40 e 41
  18. 18. • (João 10:3 e 4) - A este o porteiro abre, e as ovelhas ouvem a sua voz, e chama pelo nome às suas ovelhas, e as traz para fora. e, quando tira para fora as suas ovelhas, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz.
  19. 19. • Como em épocas primitivas, as verdades especiais para este tempo não se acham com as autoridades eclesiásticas mas com homens e mulheres, que não são demasiado instruídos nem sábios demais para crer na Palavra de Deus. Parábolas de Jesus pág.79
  20. 20. • “Satanás estabeleceu seus planos para solapar a nossa fé na história da causa e obra de Deus. Estou pro-fundamente ansiosa ao escrever isto. Satanás está agindo com homens em posições de destaque para eliminar os fundamentos de nossa fé. Permitiremos que isso seja feito, irmãos? Review and Herald, vol. 19 de novembro de 1903.
  21. 21. • Temos uma mensagem probante para ser transmitida, e sou instruída a dizer para o nosso povo: "Uni-vos! Uni-vos!" Mas não devemos unir-nos com os que apostatam da fé, dando atenção a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios. Com coração amável, bondoso e sincero, devemos sair para proclamar a mensagem, não dando atenção aos que se afastam da verdade. ME vol.3 pág. 412
  22. 22. FORA DA ORDEM COMUM• Permiti-me dizer-vos que o Senhor trabalhará nesta última obra de um modo muito fora da comum ordem de coisas e de um modo que será contrário a qualquer planejamento humano. Haverá entre nós os que sempre desejarão dominar a obra de Deus, para ditar até que movimentos se farão quando a obra avançar sob a direção do anjo que se une ao terceiro anjo na mensagem a ser dada ao mundo. Deus usará maneiras e meios pelos quais se verá que Ele está tomando as rédeas em Suas próprias mãos. Surpreender-se-ão os obreiros com os meios simples que Ele usará para efetuar e aperfeiçoar sua obra de justiça. Eventos Finais, pág. 175
  23. 23. • “Quando Cristo viu no povo judaico uma nação divorciada de Deus, viu também uma professa igreja cristã unida ao mundo e ao papado”. (Ellen White, The Kress Collection, p. 153.6.)
  24. 24. • Da mesma forma que os cristãos do passado tiveram que se separar da igreja cristã apostatada, a fim de evitarem corromper-se com seus pecados, da mesma forma hoje, teremos que, forçosamente, separar-nos da organização da igreja adventista do sétimo dia que também apostatou, se não queremos ser participantes dos seus pecados, pois ela se recusa "libertar da falsidade e da idolatria".• veja um exemplo:
  25. 25. http://www.agencia.ecclesia.pt/cgi-bin/noticia.pl?id=73209

×