Sociologia clássica 1

9,219 views

Published on

Resumo da história das Ciências Sociais, Durkheim, Weber e Marx; as origens com Comte.

Published in: Education
2 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
9,219
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
322
Comments
2
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Sociologia clássica 1

  1. 1. SOCIOLOGIA. Referências teóricas clássicas. Prof. Douglas Gregorio.
  2. 2. Nesta aula: <ul><li>Sociologia – origens na antiguidade. </li></ul><ul><li>As utopias sociais. </li></ul><ul><li>O contrato social. </li></ul><ul><li>A Sociologia pré-científica de Comte. </li></ul><ul><li>A Sociologia clássica: Durkheim, Weber e Marx. </li></ul>
  3. 3. Sociologia: origens na antiguidade. <ul><li>Platão falava que o homem nascia numa classe e função social predeterminada na criação do universo, para que tudo funcionasse de forma harmônica e evolutiva. </li></ul><ul><li>Além disso, em A República, Platão desenvolveu um profundo estudo sobre as relações de PODER dentro da sociedade, com conceitos ainda muito estudados na atualidade. </li></ul>
  4. 4. Sociologia: origens na antiguidade. <ul><li>Aristóteles falava que o homem é um zoon politicon , ou seja, um animal cidadão – viver em sociedade, vivenciando a política, a religião, o trabalho etc. faz parte de sua natureza. </li></ul><ul><li>Aprofundando as idéias de seu mestre Platão sobre as classes e funções sociais, desenvolveu uma teoria de organização HIERARQUICA (piramidal) da sociedade. </li></ul>
  5. 5. As utopias sociais: <ul><li>No período do Renascimento surgiram estudiosos que desenvolveram teorias sobre como seria a sociedade ideal, perfeita. Foram chamados de UTOPISTAS. Utopia significa “lugar nenhum”. </li></ul><ul><li>Entre eles se destacam Thomas More, Campanella, Francis Bacon. </li></ul>
  6. 6. Viver em sociedade: um contrato. <ul><li>Após Maquiavel, o pai da ciência política, a burguesia iluminista preocupou-se em estudar a sociedade em termos práticos, identificando um grande CONTRATO SOCIAL que garantisse a satisfação geral. </li></ul><ul><li>Entre os contratualistas se destacam Rousseau com O Contrato Social e Thomas Hobbes com O Leviatã , entre outros. </li></ul>
  7. 7. A Sociologia enquanto ciência. <ul><li>Augusto Comte (1798 – 1857), francês, autor de Catecismo Positivista é considerado o Pai da Sociologia. </li></ul><ul><li>Comte falava da organização social ideal, metódica e sistemática, com lugares, funções e papéis determinados hierarquicamente, dentro de uma ordem matematicamente funcional: o positivismo - ORDEM E PROGRESSO. </li></ul>
  8. 8. A Sociologia clássica. <ul><li>O estudo das grandes questões sociais assumiram caráter de ciência racional propriamente dita a partir do século XIX. </li></ul><ul><li>Obtiveram especial destaque: Durkheim, Weber e Marx. </li></ul>
  9. 9. Émile Durkheim (1858 – 1917). <ul><li>Seu mérito está em ter desenvolvido um corpo teórico e metodológico que caracterizou a sociologia enquanto ciência propriamente dita. </li></ul><ul><li>Um de seus principais conceitos sociológicos é o de FATO SOCIAL. </li></ul>
  10. 10. Émile Durkheim (1858 – 1917). <ul><li>Um fato social tem três características: </li></ul><ul><li>A coerção – a força que os fatos exercem sobre os indivíduos, interfere em suas vidas. </li></ul><ul><li>Um fato social é exterior aos indivíduos – acontecem independente das vontades individuais. </li></ul><ul><li>A generalidade : os fatos sociais atingem a todos os indivíduos, ou pelo menos a maioria deles – define o que é NORMAL socialmente. </li></ul>
  11. 11. Émile Durkheim (1858 – 1917). <ul><li>Sociedade: é um organismo em adaptação constante. </li></ul><ul><li>Assim sendo, vai apresentar estados normais (saudáveis) e patológicos (doentios). </li></ul><ul><li>As formas padronizadas de conduta e pensamento dos indivíduos formam a consciência coletiva. </li></ul>
  12. 12. Émile Durkheim (1858 – 1917). <ul><li>Durkheim também pensou na morfologia social , que trata da evolução das espécies sociais , desde as hordas irracionais, passando pelos clãs e tribos, até os Estados modernos e contemporâneos. </li></ul><ul><li>Assim, o que é normal só pode ser entendido no contexto da espécie social em questão. P. ex.: a nudez pública é normal entre os índios, assim como eles estranham que os lares na nossa sociedade sejam familiarmente individualizados e não coletivos. </li></ul>
  13. 13. Max Weber (1864 – 1920). <ul><li>A ação social: ação com sentido. </li></ul><ul><li>O homem estabelece conexão entre motivo e ação e efeitos. </li></ul><ul><li>Os objetivos das ações definem o seu sentido. </li></ul><ul><li>As ações sociais podem gerar efeitos sobre a realidade que estão acima da vontade dos agentes sociais. </li></ul>
  14. 14. Max Weber (1864 – 1920). <ul><li>Papel do sociólogo: buscar os nexos causais que dêem sentido à ação social. </li></ul><ul><li>O cientista social, devido a limitações intrínsecas, jamais poderá apresentar explicações definitivas e completas. </li></ul><ul><li>A realidade se manifesta nos atos individuais. </li></ul><ul><li>Tipo ideal: ferramenta de análise sociológica, que é construído a partir da observação das características de cada grupo específico. </li></ul>
  15. 15. Max Weber (1864 – 1920). <ul><li>Uma das principais contribuições de Weber à Sociologia foi o estudo do papel e efeitos da religião nos mais variados campos sociais: economia, política, cultura etc., especialmente na diferença entre sociedades de tradição protestante e sociedades de tradição católica. </li></ul>
  16. 16. Karl Marx (1818 – 1883). <ul><li>As idéias de Marx provavelmente são as mais revolucionárias de toda tradição ocidental. </li></ul><ul><li>Sua obra foi tão ampla, foram interpretadas das mais variadas formas e foram estudadas por um imenso número de estudiosos. </li></ul>
  17. 17. Karl Marx (1818 – 1883). <ul><li>Uma de suas principais contribuições deu-se com relação à sociologia econômica. </li></ul><ul><li>Seus principais conceitos são: </li></ul><ul><li>Alienação. </li></ul><ul><li>Classes sociais. </li></ul><ul><li>Valor. </li></ul><ul><li>Trabalho. </li></ul><ul><li>Mais-valia. </li></ul><ul><li>Modo de produção. </li></ul>
  18. 18. Karl Marx (1818 – 1883). <ul><li>Alienação: os trabalhadores não tem controle sobre os meios de produção nem sobre os frutos de seu trabalho. </li></ul><ul><li>Capitalistas, donos dos meios de produção, e proletários, aqueles que vendem sua força de trabalho, estão em constante luta. </li></ul><ul><li>A mais-valia consiste num percentual de valor sobre o trabalho que deixa de ser pago ao trabalhador – LUCRO. </li></ul>
  19. 19. Karl Marx (1818 – 1883). <ul><li>O projeto de ação de Marx, tem como objetivo superar a exploração do homem pelo homem - o SOCIALISMO. </li></ul><ul><li>A revolução socialista viria da união dos trabalhadores em partido, buscando assumir o controle do poder político. </li></ul><ul><li>O Estado assumiria o controle dos meios de produção, e cada um trabalharia segundo suas capacidades e receberia segundo suas necessidades, extinguindo as diferenças de classe. </li></ul>
  20. 20. Grupo de pesquisas Cibernética Pedagógica. LLD – Laboratório de Linguagens Digitais – ECA-USP. Prof. Douglas Gregorio www.kafenacoca.blogspot.com Setembro de 2010.

×