Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

geog 1

364 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

geog 1

  1. 1. Geografia 1 – Volume 4 Gabarito – Volume 4 Gabarito tão sujeitos a deslizamentos de terra e inundações, o que constitui numa quase permanente situação de risco para os moradores dessas áreas, as denominadas áreas de risco. Essas habitações geralmente são construídas em locais proibidos pelas leis municipais de ocupação do solo urbano. Outra situação comum nas grandes regiões metropolitanas brasileiras é o fluxo migratório diário que se estabelece entre os mora­ ores d das cidades vizinhas à grande metrópole. Os trabalhadores usam diariamente ônibus, vans e trens que, na maioria das vezes, encontram-se em condições precárias e, em certas ocasiões, até em desa­ordo c com as normas de segurança. No final da jornada de trabalho, os trabalhadores retornam a sua cidade de origem. Esse deslocamento diário da população caracteriza uma migração do tipo pendular. brasileira 01. Resposta B. O próprio enunciado da questão já expressa o conceito de Área ou Região metropolitana. 02. Resposta D. As favelas são áreas densamente povoadas e localizadas geralmente em áreas de risco. Daí a maior probabilidade de catástrofes. 03. Resposta E. Na Hierarquia urbana brasileira estas três cidades ocupam as respectivas posições. 04. Resposta A. Crescimento urbano e urbanização são conceitos diferentes. O primeiro refere-se ao crescimento da população que habita as cidades, e deriva do crescimento natural ou vegetativo da população urbana. Já, o segundo, corresponde à transferência de populações originadas das áreas rurais em direção às cidades. A urbanização só ocorre quando a população das cidades cresce mais que a rural, como resultado da migração campo-cidade. De uma forma ou outra a urbanização vincula-se à industrialização. No Brasil, resumidamente, podemos afirmar que a urbanização é decorrente do processo de êxodo rural. A internacionalização da economia brasileira produziu aglomerações urbanas que são ao mesmo tempo polos de atração de investimentos e de intensificação de pobreza. Essas aglomerações estão sujeitas a enormes problemas sociais. A população das cidades brasileiras cresceu acelerada e desordenadamente. Os problemas são inúmeros: desemprego, favelização, precária infraestrutura urbana e de serviços sociais, etc. Um dos problemas mais graves nas grandes aglomerações urbanas brasileiras é o da moradia. Na década de 1980 (a década perdida), houve um considerável aumento do número de cortiços e favelas, onde as condições das moradias são muito precárias. Os terrenos, onde muitas delas foram construídas, es- 05. Resposta A. O processo de urbanização brasileiro foi impulsionado quando o país intensificou sua industrialização. Esses dois fenômenos – urbanização e industrialização – estão ligados, pois o surgimento de novos estabelecimentos industriais cria empregos e atrai população para as cidades. Um país é considerado urbanizado quando mais de 50% da sua população mora em áreas urbanas. Assim, a urbanização é um fenômeno que está associado ao êxodo rural e ao consequente deslocamento da população rural para as cidades. No Brasil, ela ocorreu de forma descontrolada, pois as cidades não estavam preparadas para receber novos habitantes, dando origem a outro fenômeno denominado de “inchaço urbano.” O Censo demográfico de 1960 mostrou que os núcleos urbanos detinham quase 56% da população brasileira. A partir desse momento, a taxa de urbanização do Brasil cresceu bastante. Nos anos 1970, as cidades concentravam 52 milhões de habitantes contra 41 milhões de pessoas vivendo nas áreas rurais. Entre 1991 e 2000, a população dos núcleos urbanos brasileiros aumentou em quase 27 milhões, enquanto que as áreas rurais diminuíram a sua população em, aproximadamente, 4 milhões. Dados do Censo de 2000 revelaram que a taxa de urbanização brasileira alcançou 81,23%, maior do que a de muitos países europeus, sendo a Região Sudeste a mais urbanizada, seguida da Centro-Oeste e da Sul. 1 geografia 1 Aula 16 – Urbanização
  2. 2. Gabarito – Volume 4 Aula 17 – Agricultura e Pecuária trações de massa, como motins e petições. Foi nesse século que os sindicatos surgiram como uma nova força no cenário político. Os operários conseguiram uma série de vitórias como a redução da jornada de trabalho, a proteção ao trabalho de mulheres e crianças, a reforma do código penal e a regulamentação das associações políticas. 01. Resposta B. A produção de alimentos ao se tornar área de investimento nas bolsas de valores, torna o setor vulnerável às oscilações do mercado financeiro internacional. As ações das empresas do setor bem como o preço dos produtos agropecuários são negociados na bola de Chicago. A atenta interpretação do texto permite ao aluno chegar à resposta correta. 02. Resposta E. I. Verdadeiro. Tanto o texto como o quadrinho mostram a divisão do trabalho. 02. Resposta D. O sistema de agricultura itinerante também chamado de "roça" é típico de regiões tropicais pobres do planeta cujos trabalhadores utilizam-se de técnicas arcaicas de exploração da terra que, via de regra, acaba por inviabilizar o cultivo a médio e longo prazo em função do esgotamento precoce do solo provocado pelo desmatamento e queimadas. II. Falso. O quadrinho mostra a indústria moderna em uma linha de produção. III. Verdadeiro. O trabalho nos dois casos é realizado através de uma intensa divisão do trabalho. 03. Resposta C. 03. Resposta D. geografia 1 2 A figura do atravessador é um dos grandes problemas encontrado no campo brasileiro e em muitos países subdesenvolvidos, prejudicando, de sobremaneira, o agricultor pobre. A Revolução Industrial fez o homem produzir em larga escala, e com isso aumentou a demanda por matéria-prima e energia. 04. Resposta B. O uso do petróleo e o desenvolvimento da siderurgia são momentos típicos da Segunda Revolução Industrial. 04. Resposta B. 05. Resposta D. As características apresentadas na questão são típicas da agricultura de jardinagem comum no Sudeste Asiático. 05. Resposta C. Pecuária extensiva de corte que utiliza grandes áreas, com o gado criado solto na engorda. Aula 18 – Indústria I Aula 19 – Indústria II 01. Resposta A. 01. Resposta C. Movimento operário é um termo que refere-se à organização coletiva de trabalhadores para a defesa de seus próprios interesses, particularmente (mas não apenas) através da implementação de leis específicas para reger as relações de trabalho. Inicialmente surgiu como uma reação às consequên­ cias da Revolução Industrial que partia dos artesãos que se viram privados de seus meios originais de trabalho. Revoltados, grupos de artesãos atacavam as fábricas, quebrando as máquinas. Desse mesmo tipo também foi a reação dos operários jogados na miséria pelas primeiras crises de desemprego. Depois de algum tempo, os operários começaram a perceber que o problema não estava nas fábricas, nem nas máquinas em si, mas sim na forma como a burguesia havia organizado os meios de produção. No início do século XIX, na Inglaterra, o movimento dos trabalhadores se fez sentir por meio de demons- A letra da música Admirável Chip Novo retrata de forma crítica a Revolução Técnico-Científica ou Terceira Revolução Industrial. As indústrias leves se dispersam com maior facilidade, pois são menos dependentes dos fatores de dispersão e concentração industrial. 02. Resposta A. A letra “A” é incorreta, pois, indústria automobilística não é indústria de base, e sim, indústria de bens de consumo duráveis. 03. Resposta C. a) Falso – Possui aparato tecnológico e avançado nível de automação no processamento industrial. Exemplos: montadoras de carro e petroquímicas. b) Falso – As indústrias de ponta são altamente de­en­­ s volvidas tecnologicamente, com grandes inves­­ timentos em pesquisas científicas. Produzem recur­­­ sos extremamente sofisticados. Exemplos: informá­ tica, aeroespacial, biotecnologia, etc. c) Verdadeiro – As indústrias tradicionais possuem pouco recurso tecnológico em seu processo de
  3. 3. Gabarito – Volume 4 fabricação. Utilizam máquinas pesadas e muita mão de obra. d) Falso – A indústria de bens de consumo utiliza recursos tecnológicos, como a robotização das atividades e a utilização de computadores. e) Falso – Esse tipo de segmento industrial necessita de recursos tecnológicos para atingir eficiência no processo produtivo. Ele é equipado com máquinas modernas, computadores, robôs, entre outros recursos tecnológicos. 05. Resposta E. A melhoria da educação e mais investimentos em pesquisas científicas seriam duas coisas benéficas para o Brasil dar um salto qualitativo no setor industrial e se tornar mais competitivo. estrutura produtiva do século na XX 01. Resposta B. O trabalho de Andy Warhol está explicitamente fazendo referência ao modelo fordista de produção – Produção em série. 02. Resposta C. O sistema fordista faz do trabalhador uma máquina, foi duramente criticado no filme Tempos Modernos, de Charles Chaplin, já o Toyotismo, dá liberdade ao trabalhador de criar, inovar. 04. Resposta D. O just in time é o sistema de produção que está mais associado à Terceira Revolução Industrial. O texto refere-se ao modelo do just in time, ou seja, produção no tempo justo e certo e que evita desperdício de matéria-prima e energia. O just in time caracteriza-se por ser um modelo mais enxuto, eliminando os estoques, que chegaram a causar superprodução. Aula 21 – Questões ambientais contemporâneas 01. Resposta A. a) Verdadeiro – a queima do carvão mineral libera grandes quantidades de dióxido de enxofre (SO2), que em reação com as partículas de água que formam as nuvens tem como resultado o ácido nítrico (HNO3) e o ácido sulfúrico (H2SO4), que depois se precipitam em forma de chuva, neve ou neblina, esse processo caracteriza as chuvas ácidas. b) Falso – A queima do carvão mineral e o consequente lançamento de gases poluentes na atmosfera não possuem relação com o vento geotrópico. c) Falso – A rarefação do ar não apresenta relação com a emissão de dióxido de enxofre na atmosfera. d) Falso – A desertificação é a redução da capacidade produtiva do solo, portanto, é uma das consequências das chuvas ácidas. e) Falso – A ionosfera é uma das camadas da atmosfera, localizada entre 60 e 600 quilômetros de altitude. A queima do carvão mineral não provoca a redução da ionosfera. 02. Resposta E. a) Errada, pois a questão do desmatamento da Amazônia não está limitada somente à extração de madeira, já que existem outras atividades extremamente degradantes como a pecuária, agricultura, mineração e outras. b) Errada simplesmente pelo fato de que o pecuarista não desenvolve plantio de soja. c) Errada, o texto deixa claro que o custo da formação de pastagem é superior ao de desmatamento, o que estimula a prática da segunda. d) Errada, os índices de produtividade da pecuária desenvolvida na Amazônia não compensam devido aos altos prejuízos ambientais para produzir somente 35% do rebanho nacional. 3 geografia 1 a) Verdadeiro – As indústrias de bens de consumo, também chamadas de indústrias leves, têm sua produção direcionada para o mercado consumidor. Elas podem ser de bens duráveis e de bens não duráveis. b) Falso – A indústria extrativa é uma vertente das indústrias de bens de produção. Elas exploram produtos de origem vegetal, animal e mineral. Sua produção, a maioria, é destinada a outros setores industriais. c) Falso – São as indústrias que proporcionarão aparato para o desenvolvimento de outros segmentos industriais, ou seja, bens usados por outras indústrias em seu processo de produção e distribuição, como máquinas e equipamentos. d) Falso – A indústria de equipamento é um segmento das indústrias de bens de produção, ou seja, realizam a transformação de bens naturais ou semimanufaturados e representam o alicerce do conjunto das indústrias de bens de consumo. e) Falso – A indústria de base é aquela que está na base do processo produtivo e produz matéria-prima para outras indústrias. Aula 20 – Transformações 05. Resposta B. 04. Resposta A. 03. Resposta C.
  4. 4. Gabarito – Volume 4 e) Correta. A recuperação de áreas degradadas e a utilização de insumos para elevação da produtividade das pastagens impedem que haja uma expansão das fronteiras agropecuárias, resultando automaticamente na diminuição dos níveis de desmatamento. 03. Resposta D. a) Errada, o gráfico deixa explícito que 2004 é superado pelo ano de 1995. b) Errada, os índices de desmatamento em 2007 são inferiores aos de 1997. c) Errada, os índices de desmatamentos nos anos tiveram oscilações. d) Correta. Os anos de 1994 e 1995 somados resultam em níveis de desmatamento superiores aos dos anos de 1997 e 1998, especialmente o de 1995, que atingiu 30 mil km2. e) Errada, nenhum dos anos citados atingiu sequer 20 mil km2, dessa forma, caso sejam somados, o resultado fica distante do valor sugerido na questão. geografia 1 4 04. Resposta B. a) Falso – não necessariamente, pois uma área interiorana ao continente, mesmo que devastada, está submetida à influência da umidade gerada pela evapotranspiração da cobertura vegetal de florestas tropicais. b) Correto. O desenvolvimento de uma vegetação necessita de condições ambientais (aspectos físicos) favoráveis. Neste caso, a colaboração da umidade provinda tanto dos oceanos, quanto a emissão de umidade despendida pelos vegetais de uma floresta tropical, propiciam no mesmo local ou em um outro local mais distante, o estabelecimento, crescimento e manutenção da vida. Segundo o texto: fazendo com que essas áreas de floresta não sofram variações extremas de temperatura e tenham umidade suficiente para promover a vida. c) Falso – Os oceanos colaboram, mas não é regra a existência de florestas próximas aos oceanos (Verifica-se, porém, que as chuvas sobre florestas nativas não dependem da proximidade do oceano). d) Falso – Existe uma relação de dependência entre a chuva e o crescimento de uma floresta. Porém o texto não evidencia, e a alternativa dissocia esta relação, isolando o fator físico (chuva) de um fator biológico (floresta). e) Falso – De acordo com o texto: Um fluxo puramente físico de umidade do oceano para o continente, em locais onde não há florestas, a influência do fator umidade provocando chuva, independe da existência e crescimento de uma floresta. 05. Resposta D. A alternativa que não apresenta uma característica do modelo de desenvolvimento adotado desde o final da Segunda Guerra Mundial é a d. Os setores produtivos estão cada vez mais interligados à circulação de capitais que se realiza em escala global. Anotações

×