Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Lab.E - Estudo Livre para Art Palacio 2013 - SCREEN Festival

1,279 views

Published on

O Lab.E é um grupo de intervenção criativa que atua principalmente em ambientes educacionais, culturais e de mediação.
Nossas ações incentivam as pessoas a interagir e transformar seu meio a partir das ferramentas artísticas, tecnológicas e de conhecimento que estiverem a sua disposição.
Este documento é resultado da nossa intervenção criativa de 10 dias no Cine Art Palácio em novembro de 2013, onde realizamos uma ação de mapeamento ativo do universo afetivo e imaginário do público sobre a Ocupação SCREEN naquele cinema.

Published in: Social Media
  • Be the first to comment

Lab.E - Estudo Livre para Art Palacio 2013 - SCREEN Festival

  1. 1. # Estudo Livre Festival SCREEN Ocupa Art Palácio Festival SCREEN Ocupa Art Palácio
  2. 2. São Paulo, 19 de dezembro de 2013 O Lab.E é um grupo de intervenção criativa que atua principalmente em ambientes educacionais, culturais e de mediação. Nossas ações incentivam as pessoas a interagir e transformar seu meio a partir das ferramentas artísticas, tecnológicas e de conhecimento que estiverem a sua disposição. Este documento é resultado da nossa intervenção criativa de 10 dias no Cine Art Palácio em novembro de 2013, onde realizamos uma ação de mapeamento ativo do universo afetivo e imaginário do público sobre a Ocupação SCREEN naquele cinema. I N D I C E : Cine Art Palácio 3 Processo Experimental 4 Ambiente 5 Número de Público 6 Fruição Esperada 7 Intervenção Aberto para Reformas 8 _ Mapa das visitações 9 _ Livro de Memórias 10 _ Mural Aqui eu Imagino 11 Estudo Livre 12 Dados da Equipe 35
  3. 3. # Cine Art Palacio Arquitetado pensando na interação com o Largo Paissandú, o Cine Art Palácio nasceu como o primeiro grande cinema de São Paulo com capacidade para 3.600 pessoas. Ponto inicial para estruturação da cinelândia paulista, o espaço acabou incorporando as transformações urbanísticas, sociais e tecnológicas que ocorreram na história da cidade e do audiovisual no mundo. Aberta em 1936 como UFA Palácio, com investimento da alemã Universum Film AG - indústria conhecida pelo experimentalismo e pela forte concorrência a Hollywood - a sala acaba indo para as mãos de uma operadora brasileira por conta do nazismo. Assim, em 1939 o prédio sofre sua primeira reforma e ganha o nome de Art Palácio. Depois do deslocamento do centro financeiro para a Paulista na década de 50/60 e posteriormente a chegada massiva da TV nos anos 80, o cinema busca sustentação se dividindo em várias salas até funcionar exclusivamente para o pornô hardcore. Foram 30 anos de entrada restrita e energia pesada, até fechar as suas portas em 2009. Em 2013, iniciamos a experiência de transmutação do espaço pelo diálogo com o público, a cidade e expressões mais contemporâneas do audiovisual e da arte. O projeto é uma coprodução da Secretaria Municipal de Cultura e do Screen Festival – Brasil.
  4. 4. # Processo Experimental Todos os que participaram da realização deste projeto sentiram-se seduzidos pelo seu caráter único e desafiador, uma vivência que mergulhou no coração da história da nossa cidade e do audiovisual no mundo. Através da arte conseguimos trazer à tona um imaginário vivo e criativo que ainda pulsa em toda a São Paulo. A vantagem de experimentar é que saímos do campo das ideias para uma ação concreta. Assim nos deparamos com resultados palpáveis junto a uma infinidade de novas questões a serem resolvidas. Enfrentá-las é parte do pro- cesso de mudança, uma oportunidade para criar novas metodologias para a quebra de paradigma. O que ocorreu no Art Palácio foi um grande experimento
  5. 5. _ Valorizar indícios históricos e de vivência do prédio, atendendo às requisições legais para qualificação da estrutura ao atendimento do público _ Qualificar o espaço para facilitar futuras intervenções e evitar depredação patrimonial _ Potencializar a interação do público com a experiência imersiva do projeto _ Explorar caminhos participativos entre o projeto, a estrutura da prefeitura e atores culturais ao longo de todo o processo _ Identificar possíveis desdobramentos para o Art Palácio, buscado suas vocações, seu território e as necessidades do cenário cultural contemporâneo de SP Nesta parceria da Secretaria Municipal de Cultura com o Festival SCREEN, o processo conceitual reuniu os seguintes atores artísticos/culturais: DOIS PROTAGONISTAS _ o prédio do Art Palácio e _ a obra de Hans Op de Beeck DOIS GRUPOS DE INTERVENÇÃO _ Lab.E // para interação em arte-educação _ Nonon Creaturas // para um imersão no processo de cenografia e produção mais limpa # Ambiente
  6. 6. # Em Média 1 pessoa a cada 2 minutos 20% de público foi georreferenciado 21/11 22/11 23/11 24/11 25/11 26/11 27/11 28/11 29/11 30/11 01/12 TOTAL DATA PÚBLICO 2.276 pessoas #Número deVisitantes O SCREEN no Art Palácio ficou aberto ao público de terça a sábado das 12h às 20h e domingos das 12h às 18h.
  7. 7. 2. Ao entrar no Art Palacio ele se depara com a personalidade de um prédio que traz uma outra dimensão de tempo e da cidade de São Paulo. 3. A sala de projeção, que apresenta uma obra e um olhar diferente de cinema, instiga a imaginação e o senso de realidade. 4. Na saída, o espectador é convidado a exercitar o ato de inventar uma realidade ao sugerir um futuro para aquele espaço. O espectador chega da rua do centro de SP, envolvido pela sua realidade e visão da cidade. 1. # Fruição Esperada
  8. 8. O Lab.E foi convidado a realizar uma intervenção de arte-educação na reestréia do Cine Art Palácio, interagindo com o público, o prédio e a obra “Staging Silence 2”, do artista belga Hans Op de Beeck, uma peça audiovisual que cria cenas e territórios manuseados. O projeto arte-educional visou interagir com o público no foyer do prédio, recepcionando e propondo atividades na saída. # Mural Aqui Eu Imagino # Mapa das Visitações # Livro de Memórias do Futuro # Carimbos Inventados Aberto para ReformasAberto para Reformas # Intervenção Lab.E: Criamos três interações com o público para a ação. _ O “Mapa das Visitações”é um georreferenciamento do público divulgado na internet. _ “Livro de Memórias do Futuro”é um livro-arte escrito com depoimentos de quem passou por ali e foi entregue à Secretaria Municipal de Cultura. _ No mural “Aqui Eu Imagino”, as pessoas foram convidadas a escrever sugestões, impressões e usar os Carimbos Inventados, deixando no local o imaginário coletivo exposto para os outros visitantes.
  9. 9. Conforme os dados informados por aproximadamente 20% do público (424 pessoas), foi possível georreferenciar o ponto de partida de cada um. A experiência gerou esse mapa: http://goo.gl/whC2y6, que serve de visualização da mobilidade do público em relação ao Cine Art Palácio, no centro de São Paulo. O que esse mapa nos revela? Qual o alcance de uma atividade no centro? Qual a mobilidade cultural dos paulistanos? # Mapa dasVisitações Interveção Lab.E Aberto para Reformas
  10. 10. Livroarte é um livro original, manuscrito e que não tem outro igual. Durante a permanência do Lab.E no Cine Art Palácio, construímos o livroarte chamado "Memórias do Futuro - Cine Art Palácio, 2013", junto com o público que passou pelo espaço. O livro contém depoimentos, desenhos, carimbos e colagens, e será doado para a Biblioteca Pública Mário de Andrade, em SP. “Daqui a cem anos, quem passar por lá poderá ler nossos pensamentos registrados nesse documento livre e artístico #remixologia” # Livro de Memórias do Futuro Interveção Lab.E Aberto para Reformas Interveção Lab.E Aberto para Reformas Interveção Lab.E Aberto para Reformas
  11. 11. É o mundo de Alice, quando as coisas pequenas tornam-se grandes. Aquele espaço cru, pouco tocado depois de anos de abandono, serviu como portal de memórias e possibilidades. Um painel onde o criar foi permitido livremente, junto com canetinhas e papéis coloridos, e que foi uma“escutatória”passiva, onde qualquer um poderia interagir. “No painel recheado de“post its”, alguns timidamente e outros enlouquecidos colocaram suas ideias, foi um começo.” # MuralAqui EuImagino Interveção Lab.E Aberto para Reformas
  12. 12. # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  13. 13. “O senhor já conhece o espaço? Tem um filme passando lá em cima. Pode subir. Fique à vontade. Dá uma passadinha aqui depois pra gente conversar sobre o filme, se quiser…. O que achou? O espaço é lindo, né? É, é bem grande. Não, a gente não mexeu na estrutura do prédio”– monitoria. “O filme é incrível, é emocionante. Quando vai passar outro? Precisamos de mais coisas assim por aqui”– público No meio da Av. São João Não tem portas Seguranças por mera formalidade # i n t e r a ç ã o # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  14. 14. A formalidade de alguns espaços institucio- nais (Teatro Municipal, Itaú Cultural...) acaba inibindo o contato e o acesso. Por isso percebemos que o modelo de entrada livre, com abordagens menos formais, através de uma equipe disponível não só para recepção, mas para interação com o públi- co, foi absolutamente importante para a diversidade de classes sociais que a mostra do Screen Festival em São Paulo atraiu. reinvenção do espaço menos formalidade # d i v e r s i d a d e # a c e s s o # r e l a c i o n a m e n t o # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  15. 15. “Um lugar onde os aviões estacionam” Foi o que desejou uma criança para o espaço. O lugar da imaginação e da criação. Como imaginar que um avião caberia ali? Quantos espaços livres assim existem na cidade? # d i v e r s i d a d e # a c e s s o # r e l a c i o n a m e n t o # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  16. 16. Esses atores dialogaram de forma intensa, o que proporcionou reflexões acerca de todo processo de ocupação e também de produção e exibição de obras audiovisuais independentes e alternativas. O Screen Festival provocou e instigou os seus visitantes a refletir sobre os processos de transformação da história, dos espaços e lugares. A obra STAGING SILENCE 2, do artista Hans Op de Beeck, conversa com o público e com o ambiente, transportando as pessoas a um mundo de construção e transformação, onde elas podem imaginar sem barreiras. # o b r a # e s p a ç o “... MAQUETE FIZ QUANDO CRIANÇA, SENTI A MESMA EMOÇÃO DE PODER CONSTRUIR ALGO. IMAGINAÇÃO É CRIAÇÃO.” # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  17. 17. Durante a ocupação ouvimos várias considerações do público sobre a obra de arte exposta e sobre o próprio espaço em que ela estava instalada. Eram mistos de emoção com preocupação, e com o que poderia acontecer depois que o festival acabasse (e aquele lugar voltasse a ficar vazio). A obra, o espaço, a cenografia, como tudo culminou para ocuparmos o Cine Art Palacio, fez com que cada pessoa que passasse por ali se perguntasse sobre a apropriação física de lugares como aquele e a apropriação intelectual da arte e da cultura, além da cidade como um todo. # o b r a # e s p a ç o # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  18. 18. # o b r a # r e l a ç ã o c o m o p ú b l i c o “MAIS CINEMA DE RUA!!” As pessoas se apropriaram da experiência simples de entrar, parar, observar, assistir e participar. Muitos voltaram para repetir o momento, ou para trazerem amigos e familiares, ou para verificar a existência de novos filmes. Como apresentamos uma obra de 20 minutos, sem textos nem legendas, percebemos uma inter- ação mais descontraída com o público. Não havia um compromisso de entrada, como no caso de uma bilhete- ria. Foi uma experiência simples, e por isso atingiu muito o que chamamos de“público de cinema de rua”. # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  19. 19. “SALA DE CINEMA SÓ COM FILMES BRASILEIROS? NÃO TEM!” “CINEMA DE CURTAS, QUE PASSAM DURANTE TODO O DIA.” “SALA CINEMA COM FILMES ARTE/CULTURA DOCUMENTÁRIOS.” Foram mencionados: exibição de filmes antigos, museu do cinema, videoartes, história do cinema, exibição de obras audiovisuais independentes e alternativas. # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  20. 20. “EU IMAGINO UM CINEMA DE FILMES INDEPENDENTES DE TODOS OS GÊNEROS. PS: NÃO REPINTEM AS PAREDES!” “CINELÂNDIA PAULISTA EXPERIÊNCIA INCRÍVEL #MEMÓRIAS.” “MUITOS FILMES. DE TODAS AS ÉPOCAS.” “MUITOS JOVENS NUM ENCONTRO COM OUTRAS GERAÇÕES.” “HISTÓRIA, ENCONTROS DE TODOS OS BAIRROS.” Sobre a Cinelândia Paulista, algumas falas retratam uma vontade de um lugar que fosse como um Museu do Cinema. A equipe contou muitas e muitas vezes a história do Cine Art Palácio. Todos perguntavam, queriam saber mais sobre a história do lugar. # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  21. 21. “SP É SELVA” “REFÚGIO, IMAGENS, MISTÉRIOS, CULTURAL... ARTE DA VIDA” Ouvimos muitos depoimentos sobre o espaço como refúgio. Tanto nos anos em que era um cinema pornô, como agora que pode ser transformado em um lugar de questionamento, de resgate do imaginário cultural e da memória. Refúgio em uma cidade que não abriga e não descansa, tão difícil de se apropriar e de pertencer. # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  22. 22. “MEU PAI MONTOU UMA BOMBONIERE DENTRO DO CINEMA, ELA OCUPAVA ESTAS DUAS SALAS TRANCADAS“ _ Sr. Francisco O espaço desperta vontades, desejos e memórias. O que vimos, ouvimos e sentimos nestes dez dias ocupando o Cine Art Palácio foi muito mais do que uma satisfação por ter um“novo”espaço cultural com uma obra de arte. Ali entraram pessoas com lembranças diversas: alguns viram Mazzaropi estrear seu filme e ser carregado pela população, outros, como o Sr. Francisco que pisou lá pela primeira vez em 1938, quando o Cine Art Palácio ainda era UFA, apesar de não querer deixar contato (pois já cansou de contar as histórias e não dar em nada), disse que sempre sonha que está ali, mas não daquele jeito, e sim como era antigamente, com o tapete vermelho e as luminárias que iluminavam até a praça Paissandú. # a f e t o # m e m ó r i a # c e n t r o # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  23. 23. Essa vontade de falar, de contar histórias ficou muito mais forte em pessoas mais velhas, que viveram os dois lados daquele espaço. Registramos que muitos, muitos mesmo, querem que o Cine Art Palácio se transforme em um espaço de arte, acreditando que assim se possa resgatar a memória, não para reviver o que foi, mas para mudar o que está. # a f e t o # m e m ó r i a # c e n t r o # i d e n t i d a d e # h i s t ó r i a # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  24. 24. O antigo Cine Art Palácio, nesse contexto, pode representar um espaço de resistência e apoio à diversidade de pessoas que a cidade de São Paulo concentra. # c o e x i s t ê n c i a d e l i n g u a g e n s # c i n e m a # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  25. 25. Um espaço que oferecesse liberdade para sonhar, que não fosse repleto de regras e que permitisse experimentação e convivência. # e x p e r i m e n t a ç ã o # c o n v i v ê n c i a “UM ESPAÇO DE ENCONTRO DE PESSOAS DIFERENTES. UM LUGAR QUE NÃO IMPORTE O QUE VOCÊ É!” # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  26. 26. As pessoas viram no CAP potencial para coexistência de linguagens e atividades, além de uma forte vocação do espaço para o audiovisual independente. “ESPAÇO PARA CRIAÇÃO CULTURAL E ARTÍSTICA. OCUPAÇÃO CULTURAL.” # c o e x i s t ê n c i a d e l i n g u a g e n s # c i n e m a # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  27. 27. As pessoas estão sedentas por mudanças e querem participar. # a p r o p r i a ç ã o # e x p e r i m e n t a ç ã o “Espaço maravilhoso, com um incrível potencial de uso. A apropriação deste cinema como espaço cultural e educativo deve ser mantida e expandida!!” “Para mentes sedentas, corações inquietos! Espaço de trocas, de questionamentos! Espaço de arte em suas variadas cores, formas e gostos. Axé”. Parte do público que visitou o Festival era de artistas, que ficavam encantados com o espaço e automaticamente começavam a vislumbrar formas diferentes de ocupação. Por estar localizado no centro de São Paulo, o Art Palácio seria de fácil acesso para todos os grupos. # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  28. 28. # a p r o p r i a ç ã o # e x p e r i m e n t a ç ã o A estrutura física do Art Palácio comporta não apenas grupos de música, dança e teatro, como também é capaz de comportar grupos circenses, pois a altura do seu salão principal é superior a 16 metros. "Espaço cultural + ação dos usuários + valorização do centro” “Um lugar onde todo tipo de arte possa acontecer”, um espaço cultural constituído com mecanismos de apropriação e aberto a participação ativa. “Cabaré cênico, exótico, lúdico, com música, circo, performance” # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  29. 29. “ Um centro cultural autogestionado - imaginado em 21/11/13” # a p r o p r i a ç ã o # e x p e r i m e n t a ç ã o Há a sugestão de que o antigo cinema seja um centro cultural autogestionado, o que gera uma série de desafios e questões, tais como: qual modelo de gestão cabe a esse local? Como construí-lo? Será um processo coletivo e democrático? Como remunerar as pessoas envolvidas nas suas demandas diárias? # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  30. 30. “Espaço para dança afro” # d i v e r s i d a d e # a c e s s o O largo do Paissandú é um lugar simbólico para os afrodescentes em São Paulo, pois nele estão localizados a Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos – historicamente conhecida por ter sido construída gratuitamente por homens negros e escravos, e que realiza diversos cultos afros de sincretismo católico; e o Monumento da Mãe Preta – que exalta as amas de leite da época da escravidão. É desse contexto que nascem as discussões sobre a importância de o Art Palácio também servir como abrigo para aulas e estudos de manifestações cultuais artísticas de matriz africana, como a dança afro, fortemente perseguida por grupos religiosos conservadores dedicados a aplicar barreiras para a execução dessas atividades, pois preconceituosamente as enxergam como ritual religioso africano. # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  31. 31. # a c e s s í v e l # g r a t u i t o # a t r a t i v o Existe também o desejo de gratuidade das ações, e de que haja abertura para culturas periféricas e para escolas públicas. Uma forma de valorização do centro da cidade que não sirva apenas a uma classe com maior poder aquisitivo. “ Circuito de arte e cultura gratuito na cidade” “Um centro para ser usado por escolas públicas e entidades” “ Um espaço onde a cultura pode fazer parte na sociedade, independente de classe social” # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  32. 32. # a c e s s o # g r a t u i t o # n o v o s m o d e l o s d e r e l a ç ã o c o m o p ú b l i c o # m e n o s f o r m a l i d a d e A experiência de intervir de forma qualificada e criativa junto ao público nos trouxe resultados muito ricos, tanto para compreender os territórios culturais, afetivos, históricos em que estamos envolvidos, como no desenvolvimento de autoestima e identificação do público com seu contexto de forma criativa e transformadora. Uma experiência com potencial para acontecer em muitos outros lugares trazendo benefício direto ao público e aos atores culturais. “Um lindo teatro que possa receber a toda a população. Principalmente as mais carentes.” A proposta é de que o espaço seja um laboratório e de que as respostas sejam construídas a partir da prática, dos erros e acertos. # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  33. 33. “ Espaço que incentive o pensamento, conhecimento, a consciência política. Espaço de despertar com custo baixo” “ Aulas/ensaios/workshops: música, dança, teatro” “ Atividades infantis: Ler, aprender, desenhar, brincar. Nicole Susan. 8 anos” “ Algo que tenha decoração com lego: galeria, espaço cultural, com cinema para lançar também artistas jovens” Algumas pessoas apontam para uma possível vocação pedagógica e educativa do espaço: que ele possa oferecer aulas, ensaios, workshops e debates que incentivem o pensamento, o conhecimento e a consciência política. Outras, entre elas crianças, pedem por atividades lúdicas, como o uso de lego na decoração e uma programação com atividades infantis para ler, aprender, desenhar e brincar. # e d u c a r # c o n h e c e r # o f i c i n a # b r i n c a r # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  34. 34. # a c e s s o a o d i f e r e n t e # g r a t u i t o # n o v o s m o d e l o s d e r e l a ç ã o c o m o p ú b l i c o # m e n o s f o r m a l i d a d e De tudo o que ouvimos e sentimos, sugerimos que o espaço seja um laboratório, que aproveite a sua vocação para o audiovisual e que as alternativas de atividades e conceituação do espaço surjam a partir da experimentação e prática. Sugerimos que sejam adotadas novas formas de relação com o público, que garantam sua acessibilidade, onde se sintam à vontade e motivados para interagir no espaço. # Mural Aqui Eu Imagino _ Estudo Livre
  35. 35. APOIO: Equipe Lab.E - Cine Art Palácio Somos atores, músicos, lavradores, gestores culturais, designers, advogados, arquitetos, jornalistas, jardineiros e integrantes de diversos coletivos de arte e ativismo do Brasil. Coordenação: Jonaya de Castro | Demétrio Portugal Colaboradores: Ana Emília Pires | Felipe Brait | Hércules Laiano | Jaison Lara | Lâmia Brito | Mariana Ghirello | Maurício Coronario Jr. | Priscilla Cavalieri | Raissa Freire | fotos: Walter Costa

×