Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

3. Gestão escolar democrática e gestão escolar participativa - Prof. Dr. Paulo Gomes Lima

58,624 views

Published on

Estudo sobre gestão escolar democrática e gestão escolar participativa - Prof. Dr. Paulo Gomes Lima

Published in: Education

3. Gestão escolar democrática e gestão escolar participativa - Prof. Dr. Paulo Gomes Lima

  1. 1. Tema 03
  2. 2. I. GESTÃO ESCOLAR NO BRASIL : ANTECEDENTES NA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO Fase agroexportadora (1530-1910) Gestão da escola: direito jurídico romano (Diretiva Educação de elite e centralizada) Fase urbano industrial (1910 – 1970...) Expansão gradual da escola, viabilizada pelo Gestão da escola: autoritária, coercitiva e processo industrial tecnicista, participação consentida 1970-1980 Reestruturação produtiva, movimentos sociais exigências diferenciadas por uma escola para todos (APMs) Denúncia do processo de excludência e abordagens autoritárias da educação e da gestão escolar autocrática
  3. 3. ABORDAGEM TRADICIONAL Escola Homem ABORDAGEM COMPORTAMENTALISTA Mundo Ensino Aprendizagem ABORDAGEM HUMANISTA Sociedade- Cultura Professor-aluno ABORDAGEM COGNITIVISTA Conhecimento Metodologia ABORDAGEM SÓCIO- Educação Avaliação CULTURAL Décadas de 1970 e 1980Teorias antiautoritárias Crítico-reprodutivistas anarquistas Construtivistas Progressistas Histórico-críticas
  4. 4. Contexto sócio-econômico O governo militar (1964) conjuga os interesses do imperialismo econômico com os das classes hegemônicas do Brasil, promovendo a internacionalização da economia e modernização da industria brasileira, o que se denominaria entre 1968-1974 de “milagre econômico” (Centralização e controle, inclusive dos aparelhos ideológicos do Estado). 1975-1985: contexto político:a) repressão à sociedade civil, por meio dos aparelhos do Estado e fortalecimento do Executivo;b) Organização da classe trabalhadora pela conquista e manifestação de seus interesses;c) Crise do modelo de desenvolvimento capitalista (reestruturação produtiva)d) Brasil inicia-se o processo de “transição democrática”
  5. 5. O processo de “transição democrática” e a gestão participativa(colegiada) teria no I Congresso Mineiro de Educação em 1983 um dosprimeiros referenciais no Brasil, pois buscava: ”[...] superar os processos centralizados e fundamentados em decisões de natureza técnica e burocrática, e partir para decisões nascidas da articulação dos interesses e das concepções diferenciadas dos diversos segmentos sociais envolvidos com a educação escolar”, (Rodrigues, 1985, p.70) - Representatividade nos órgãos colegiados da escola; - Descentralização administrativa e pedagógica e gestão participativa da comunidade; - O diretor da escola como educador e não como gerente do capitalismo; - Eleições para diretores de escola...
  6. 6. as condições de trabalho ou condicionantes materiais daparticipação: de professores, dos alunos da escola ,debatida pelo coletivoOs condicionantes institucionais: entre o autocratismo e aparticipação coletiva...Os condicionantes ideológicos – como a gestão escolar“participativa” vai socializar as tomadas de decisão:representatividade apenas ou engajamento político ecidadão...
  7. 7. II. GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA: MOBILIZAÇÕES E FUNDAMENTOS Luta por uma escola para todos em resposta ao histórico excludente e autoritário
  8. 8. Empenho pela participação nos processos deliberativos evivenciais:organização de coletivos de luta: movimentos sociais,sindicatos e sociedade; Dois vetores da organização dos educadores  Vetor sindical  CNTE e Andes  Vetor acadêmico-científicoPapel do Fórum Nacional em Defesa da Escola Pública:  Processo constituinte, LDB, PNE e a intervenção e o acompanhamento das políticas educacionais.Contextos: • Processo de redemocratização no Brasil • Crítica aos processos de gerência científica e à pedagogia tecnicista • Experiências participativas em escolas e sistemas de ensino • A luta pela eleição de diretores • As conquistas legais
  9. 9. 2.2. Fundamentos da Gestão Democrática na Constituição Federal de 1988 Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado democrático de direito... Art. 206 - 0 ensino será ministrado com base nos seguintes princípios: I - igualdade de condições para o acesso e permanência na escola; à arte e saber III - pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas e coexistência de instituições publicas e privadas de ensino: IV - gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais. V - valorização dos profissionais do ensino, garantindo, na forma da lei , planos de carreira para o magistério público, com piso salarial profissional e ingresso exclusivamente por concurso público de provas e títulos, assegurado regime jurídico único para todas as instituições mantidas pela União Vl - gestão democrática do ensino público, na forma da lei VII - garantia de padrão de qualidade.
  10. 10. 2.2. Fundamentos da Gestão Democrática na LDBEN 9394/96 Art. 3° - O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios: I - igualdade de condições para o acesso e permanência na escola; II - liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar a cultura, o pensamento, a arte e o saber; III - pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas; IV - respeito à liberdade e apreço à tolerância; V - coexistência de instituições públicas e privadas de ensino; VI - gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais; VII - valorização do profissional da educação escolar; VIII - gestão democrática do ensino público, na forma desta Lei e da legislação dos sistemas de ensino; IX - garantia de padrão de qualidade; X - valorização da experiência extra-escolar; XI - vinculação entre a educação escolar, o trabalho e as práticas sociais.
  11. 11. Cont. Art.14. Os sistemas de ensino definirão as normas da gestão democrática do ensino público na educação básica, de acordo com as suas peculiaridades e conforme os seguintes princípios: I - participação dos profissionais da educação na elaboração do projeto pedagógico da escola; II - participação das comunidades escolar e local em conselhos escolares ou equivalentes.
  12. 12. III. Gestão democrático-participativa na escola: elementos para compreensão3.1. Dimensão de Gestão democrático-participativa como representatividade no enfoque gerencial A participação é reduzida a representação de segmentos sociais, conforme os standards (indicadores de qualidade) estabelecidos e comunicados... Por uma administração gerencial
  13. 13. INDICADORES DE QUALIDADE... São realizadas, anualmente, práticas de avaliação eAvaliação do Projeto socialização dos objetivos e metas alcançados pelo projeto pedagógico pedagógico, com o envolvimento de representantes da comunidade escolar ? A escola nos últimos três anos, tem realizado registros, análises e socialização das taxas de aprovação, Rendimento escolar reprovação e abandono, com vistas a identificar necessidades e implementar ações de melhoria ? A escola nos últimos três anos, tem realizado acompanhamento e controle da freqüência dos alunos e Freqüência escolar adotado medidas para assegurar a sua permanência, com sucesso, na escola? A escola analisa os resultados de seu desempenho (IDEB,Uso dos resultados de SAEB, outros), de forma comparativa com os resultados dasdesempenho escolar avaliações nacionais, estaduais e/ou municipais, identifica necessidades e propõe e propõe ações de melhoria ?Satisfação dos alunos, São levantados e analisados de forma sistemática, pais, professores e indicadores da satisfação dos alunos, pais, professores edemais profissionais da demais profissionais da escola, em relação à gestão, às escola práticas pedagógicas e aos resultados da aprendizagem? Transparência e São divulgados, periodicamente, aos pais e á comunidade, divulgação de os resultados de aprendizagem dos alunos e as ações resultados educacionais implementadas para a melhoria da escola?
  14. 14. Indicadores de qualidade O projeto pedagógico da escola é formulado ou validado, anualmente, com a participação de todos os segmentos da comunidade escolar e expressa aProjeto Pedagógico missão, os valores, os objetivos,as metas e estratégias propostos como marcos orientadores da educação oferecida pela escola? Os planos de ação e as práticas pedagógicas são acompanhados e Avaliação avaliados de forma participativa e sistemática, envolvendo representante dos Participativa pais, alunos, professores e da comunidade, de modo a orientar propostas de melhoria? Os organismos colegiados são atuantes e expressam comprometimento, Atuação dos iniciativa e efetiva colaboração na construção, no desenvolvimento e na colegiados avaliação do projeto pedagógico da escola? são realizadas participações e parcerias com as famílias, com os demais serviços públicos ( saúde, infra-estrutura, trabalho, justiça, assistência social,Integração escola- cultura, esporte e lazer), associações locais, empresas e profissionais, sociedade visando à melhoria da gestão escolar, ao enriquecimento do currículo e à aprendizagem dos alunos? São utilizados canais de comunicação com a comunidade escolar a respeito Comunicação e dos planos e realizações da escola e resultados das aprendizagens dos informação alunos, com vistas a prestar contas e dar transparência à gestão escolar? Existem práticas bem-sucedidas de estímulo e apoio à organização de Organização dos alunos para que atuem em ações conjuntas, solidárias, cooperativas e alunos comunitárias, visando ao desenvolvimento de suas potencialidades e à formação para a cidadania?
  15. 15. Indicadores de qualidade É promovida, regularmente, a integração entre os profissionais da Visão escola, pais de alunos, visando a uma concepção educacional compartilhada comum e à unidade de propósitos e ações? São promovidas, por iniciativa da escola, ações de formação continuada com base na identificação de necessidades dosDesenvolvimento docentes e demais profissionais em relação aos conhecimentos, profissional habilidades e atitudes requeridos para a implementação do projeto pedagógico? São promovidas dinâmicas e ações para desenvolver equipes de Clima lideranças, elevar a motivação e a auto-estima dos profissionais e organizacional mediar conflitos, em um clima de compromisso ético, cooperativo e solidário? São adotadas, por iniciativa da escola, práticas avaliativas do desempenho de professores e dos demais profissionais, ao longo Avaliação do do ano letivo, para promover a melhoria contínua desse desempenho desempenho, no cumprimento de objetivos e metas educacionais? São desenvolvidas práticas de conhecimento e observância da Observância de legislação educacional, do regimento da escola e demais normasdireitos e deveres legais que orientam os direitos e deveres de professores, demais profissionais, pais e alunos? São promovidas práticas de valorização e reconhecimento do Valorização e trabalho e esforço dos professores e demais profissionais daReconhecimento escola no sentido de reforçar ações voltadas para a melhoria da qualidade de ensino?
  16. 16. Indicadores de qualidade São realizadas práticas de organização, atualização daDocumentação e documentação, escrituração, registros dos alunos, diários de registros classe, estatísticas, legislações outros, para um atendimento ágil à escolares comunidade escolar e ao sistema de ensino? São utilizados de forma apropriada as instalações, os Utilização das equipamentos e os materiais pedagógicos, incluindo os recursos Instalações tecnológicos, para a implementação do projeto pedagógico da escola? São promovidas ações que assegurem a conservação, higiene, Preservação do limpeza, manutenção e preservação do patrimônio escolar patrimônio instalações, equipamentos e materiais pedagógicos? È disponibilizado o espaço da escola, nos fins de semana eInteração escola/ período de férias, para a realização de atividades que carreguem comunidade a comunidade local, de modo a garantir a maximização de seu uso e a socialização de seus bens? São buscadas formas alternativas para criar e obter recursos, Captação de espaços e materiais complementares para a melhoria da recursos realização do projeto pedagógico da escola? São realizadas ações de planejamento participativo, acompanhamento e avaliação da aplicação dos recursosGestão de recursos financeiros da escola, levando em conta as necessidades do financeiros projeto pedagógico,os princípios da gestão pública e a prestação de contas à comunidade?
  17. 17. Indicadores de qualidade A proposta curricular é atualizada, periodicamente, para atender os interesses e as necessidades dos alunos e da comunidade, em consonância com o projeto Proposta curricular pedagógico da escola, as Diretrizes e Orientações Curriculares Nacionais e contextualizada Estaduais bem como os avanços científicos, Tecnológicos e culturais da sociedade contemporânea? São realizadas práticas de análise dos resultados de aprendizagem (avanços Monitoramento da alcançados e dificuldades enfrentadas pelos alunos); Tendo por objetivo a aprendizagem melhoria contínua do rendimento escolar? São desenvolvidas práticas pedagógicas inovadoras para atender as diferentes Inovação necessidades e ritmos de aprendizagem dos alunos, didáticos e tecnologias pedagógica educacionais que favoreçam o trabalho em equipe, a interdisciplinaridade, a contextualização e a apropriação dos saberes? São realizadas práticas pedagógicas inclusivas que traduzam o respeito e o atendimento eqüitativo a todos osInclusão com eqüidade alunos, independentemente de origem sócio-ecomômica, gênero , raça, etnia e necessidades especiais? As práticas de planejamento das aulas pelos professores são realizadas de Planejamento da forma sistemática, coletiva e cooperativa, em consonância com a proposta prática pedagógica curricular das escola e com base nos avanços e necessidades individuais dos alunos? São realizadas práticas de organização dos ambientes, horários de aula eOrganização do espaço atividades extra-classe, de modo a assegurar práticas pedagógicas que e aprimoram a qualidade do ensino e o atendimento às necessidades de Tempo aprendizagem dos alunos? escolares
  18. 18. 3.2. Dimensão de engajamento da gestão democrático-participativa como ato político: Participação: vez, voz e voto... Transparência e pluralismo Decisões e escolhas democráticas dos pares frente aos interesses da comunidade... Funcionamento dos Conselhos Escolares Descentralização da dimensão pedagógica, financeira e administrativa... Defesa do direito à educação
  19. 19. DESCENTRALIZAÇÃO Compartilhar a gestão em suas distintas fases Gestão AUTONOMIAdemocrática Pró-atividade PARTICIPAÇÃOAtividades-meio+ Atividades-fim Engajamento coletivo – entre consensos e conflitos CLIMA ORGANIZACIONAL Finalidades-objetivos-transparência-respeito-comprometimento – alteridade- protagonismo – mediação de conflitos
  20. 20. IV. Considerações finais A gestão democrático-participativa é fruto de conquistas, lutas sociais e políticas e não de outorga, portanto: A luta de uma escola para todos no Brasil ainda é uma aspiração, entendemos que quando a imobilização social se justifica por concessões e rearranjos históricos das mesmas, há que levantar vozes em seu despertamento, porque a justiça social e os processos de não exclusão não são resultantes de medidas outorgadas, mas de conquistas. Por meio de uma contra-internalização provocada pela educação, por meio da emancipação concreta da sociedade e do homem poderemos reunir a dimensão necessária de emancipação, libertação, justiça social, humanização e universalização das construções sociais, rompendo definitivamente com o ordenamento da teoria do sociometabolismo do capital, na atualidade, sob a denominação de neoliberalismo.
  21. 21. BIBLIOGRAFIA BÁSICAAZEVEDO, J. M. L. de. A educação como política pública. Campinas: Autores Associados, 1997.BARROSO, João. Para uma abordagem teórica da administração escolar: a distinção entre “direcção” e“gestão”. In Revista Portuguesa de Educação, 8(1), P.33-56. Portugal/Universidade do Minho, 1995.BORDIGNON, Genuíno. Gestão da educação no município. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire,2009.CABRAL NETO, Antonio; CASTRO, Alda Maria Duarte Araújo; FRANÇA, Magna; QUEIROZ, Maria Aparecidade. (Orgs). Pontos e contrapontos da política educacional: uma leitura contextualizada de iniciativasgovernamentais. Brasília,DF: Liber Livro,2007.DOURADO, Luiz Fernandes; PARO, Vitor Henrique (Orgs.). Políticas públicas & educação básica. São Paulo:Xamã,2001.FERREIRA, Eliza Bartolozzi; OLIVEIRA, Dalila Andrade (Orgs.). Crise da escola e políticas educativas. BeloHorizonte: Autêntica, 2009.MENDONÇA, Erasto. Gestão democrática: a intenção e o gesto. ANPED, 2000.MENESES, João Gualberto de Carvalho et. al. (Orgs.) Estrutura e funcionamento da educação básica. SãoPaulo: Pioneira, 2000.OLIVEIRA, D. A. Educação Básica: gestão do trabalho e da pobreza. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.PARO, Vitor Henrique. Escritos sobre educação. São Paulo: Xamã,2001.PARO, Vitor Henrique.7.ed. Administração escolar: introdução crítica. São Paulo: Cortez, 1996.SANDER, Benno. Administração da educação no Brasil: genealogia do conhecimento. Brasília,DF: Liber Livro,2007.SAVIANI, Dermeval. Plano de desenvolvimento da educação: análise crítica da política do MEC. Campinas,SP:Autores Associados, 2009.SHIROMA, Eneida Oto; MORAES, Maria Célia Marcondes de. Política educacional. 4.ed. Rio de Janeiro, RJ:Lamparina, 2007.SILVA, Maria Abádia da. Intervenção e consentimento: a política educacional do Banco Mundial. São Paulo:FAPESP, 2002.TEODORO, Antonio. Globalização e educação: políticas educacionais e novos modelos de governação. SãoPaulo: Cortez: Instituto Paulo Freire, 2003.VIEIRA, Sofia Lerche. Educação Básica: política e gestão. Brasília,DF: Liber Livro, 2009.
  22. 22. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTARALMEIDA, Malu (Org.) Políticas educacionais e práticas pedagógicas: para além da mercantilização doconhecimento. Campinas,SP: Alinea Editora, 2005.BIÁZZIO, S. C. F. de & LIMA, Paulo Gomes. A participação da família no projeto político-pedagógico daescola. Revista Educere et Educare, Vol. 4, N.7, 1° semestre de 2009. ISSN 1981-4712 (versãoeletrônica) – ISSN 1809-5208 (versão impressa).DE TOMASI, L.; WARDE, M. J.; HADAD, S. O Banco Mundial e as políticas educacionais. São Paulo:Cortez, 1996.GENTILI, Pablo. Globalização excludente: desigualdade, exclusão e democracia na nova ordemmundial. Petrópolis, RJ: Vozes; Buenos Aires: FLACSO, 2000.HORA, Dinair Leal da. Gestão democrática na escola. 7.ed. Campinas/SP: Papirus, 1994.LIMA, Paulo Gomes. Reestruturação produtiva, reforma do Estado e políticas educacionais. [CD-ROM].In Anais do V Simpósio Internacional O Estado e as Políticas Educacionais no Tempo Presente.Uberlândia/MG: UFU, 2009. ISBN 978-85-217-5.PILETTI, Nelson. Estrutura e funcionamento do ensino fundamental. São Paulo: Ática, 1998.PRAIS, Maria de Lourdes Melo. Administração colegiada na escola pública. 4.ed. Campinas/SP:Papirus, 1996.ROSANVALLON, Pierre. A crise do Estado-providência. Goiânia/GO: UFG; Brasília: UnB, 1997.SANDER, Benno. Gestão da educação na América Latina: construção e reconstrução do conhecimento.Campinas/SP: Autores Associados, 1995.VIEIRA, Sofia Lerche. Desejos de reforma: legislação educacional no Brasil Império e República.Brasília,DF: Liber Livro,2008.VIEIRA, Sofia Lerche. Política educacional no Brasil: introdução histórica. Brasília,DF: Liber Livro, 2007WITTMANN, Lauro Carlos e GRACINDO, Regina Vinhaes (Coords.) O Estado da arte em política e agestão da educação no Brasil. 1991 a 1997. Brasília: ANPAE, Campinas: Editora Autores Associados;2001.

×