1. diferentes concepções de gestão escolar

14,450 views

Published on

Diferentes concepções de gestão escolar.

Published in: Education
2 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
14,450
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
385
Comments
2
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

1. diferentes concepções de gestão escolar

  1. 1. DIFERENTES CONCEPÇÕES DE GESTÃO ESCOLAR© Prof. Dr. Paulo Gomes Lima - 2010 Prof. Dr. Paulo Gomes Lima
  2. 2. Estruturação/Reestruturação Produtiva - Trabalho© Prof. Dr. Paulo Gomes Lima - 2010 Orientação Político-ideológica do Estado Políticas Educacionais
  3. 3. • Primeiro Período: Administração científica 2.1© Prof. Dr. Paulo Gomes Lima - 2010 • Segundo Período: “New Movement” 2.2 • Terceiro Período: Administração educacional e valores 2.3
  4. 4. Fundamentação O 1º período da Adm. Escolar nos Teórica EUA é marcado pela influência da “Gestão científica” das empresas:© Prof. Dr. Paulo Gomes Lima - 2010 – até os anos de 1930 pelos trabalhos de Taylor e cols. Experiência da Empresa – Forte ênfase das obras de Taylor, Fayol e Gurwick
  5. 5. Bobbit, prof. da Univ. de Chicago será em 1913, um dos principais defensores da aplicação dos princípios Taylorismo na adm. das escolas em seu artigo: “Some general principles of management applied to the problems of city school systems” no Anuário da National society for the study of education. Base do Base© Prof. Dr. Paulo Gomes Lima - 2010 currículo em Eficiência empresarial adm. escolar Org. escolar Org. empresarial Eficiência – a partir dos anos de 1930 – o mov. das “relações humanas” – estudos de Mayo, Follet e Roethlisberger e as idéias de Dewey – Não encontraram respaldo
  6. 6.  O new movement foi a primeira tentativa da construção de um quadro teórico para a administração educacional a partir das ciências sociais (sociologia, psicologia, antropologia)© Prof. Dr. Paulo Gomes Lima - 2010 Validação da utilidade da Administração Educacional pela ciência. Da conceituação para a operacionalização – evitando- se generalizações... (Perspectiva positivista – ordem funcionalista) – Não encontra respaldo !
  7. 7. Proposta alternativas de Thomas Greenfield Greenfield afirma que não é possível separar fatos de valores como fizeram os precursores dos “New movement”© Prof. Dr. Paulo Gomes Lima - 2010 Propõe uma Administração educacional com ênfase nas ações e valores dos indivíduos e grupos sociais... Sociologia compreensiva afastando-se do positivismo. Perspectiva interacionista no estudo e funcionamento das escolas... O valor da subjetividade na escola enquanto instituição diferenciada...
  8. 8. © Prof. Dr. Paulo Gomes Lima - 2010 Natureza antecipatória, normativa e regulatória – a lei como ideal e não como parâmetro concreto
  9. 9. FASE ORGANIZACIONAL EFICIÊNCIA ECONÔMICA© Prof. Dr. Paulo Gomes Lima - 2010 FASE COMPORTAMENTAL EFICÁCIA PEDAGÓGICA FASE DESENVOLVIMENTISTA EFETIVIDADE POLÍTICA FASE SÓCIOCULTURAL RELEVÂNCIA CULTURAL
  10. 10. Fase Urbano industrial Entusiasmo pela educação© Prof. Dr. Paulo Gomes Lima - 2010 Otimismo pedagógico (W.James; J. Dewey) Manifesto dos Pioneiros Soluções racionais pra a resolução dos prob. Educacionais (Capacidade da escola de produzir o máximo com o mínimo de recursos, tempo e energia).
  11. 11. Querino Ribeiro, definiu a Administração Científica Adm. Escolar como: de Taylor (1911) • [...] um complexo de processos© Prof. Dr. Paulo Gomes Lima - 2010 técnicos científicamente Adm. Geral e Industrial determináveis que, servindo a de Fayol (1916) certa filosofia e certa política da educação em geral e, de Adm. Burocrática de escolarização em particular, Weber (1947) desenvolve-se antes, durante e depois das atividades básicas das escola com o objetivo de assegurar-lhe unidade, Enfoque Tecnoburocrático economia e aperfeiçoamento.
  12. 12. Enfoque psicossociológico Meta Protagosnistas Movimento das M. Follet, A Administração relações E. Mayo, escolar deveria Humanas se preocupar© Prof. Dr. Paulo Gomes Lima - 2010 Behaviorismo com o alcance dos objetivos – a eficácia (intrínseco) sobrepunha a eficiência econômica (extrínseco)
  13. 13. Intervenção governamental Capacidade de produzir a solução ou reposta desejada aos obj. sociais, demandas políticas e econômicas© Prof. Dr. Paulo Gomes Lima - 2010 Organizações multilaterais Apologia ao como A educação des. Nacional instrumento de como fator de pela abertura às apoio técnico des. econômico multinacionais... (OEA, UNESCO, CEPAL)
  14. 14. Teorias Adm.© Prof. Dr. Paulo Gomes Lima - 2010 Críticas • Fenomenologia • Tendência • Reestruturação • Existencialismo; libertadora Produtiva • Análise de teorias • Denúncia do pedagógicas; jogo político. • Revisão de dos critérios de eficiência, Crise do eficácia e efetividade política... Paulo Freire Capitalismo
  15. 15. TÉCNICO- SOCIOCRÍTICA CIENTÍFICA© Prof. Dr. Paulo Gomes Lima - 2010 Ad ministração Clássica Autogestionária ou Burocrática Interpretativa Democrático- participativa
  16. 16. Hierarquia de Racionalização cargos, do trabalho e Adm. Clássica funções, regras eficiência ou Burocrática e econômica dos© Prof. Dr. Paulo Gomes Lima - 2010 procedimentos serviços administrativos. escolares Poder Mais ênfase centralizado do Comunicação nas tarefas do Diretor – linear (de cima que nas relações de para baixo) pessoas subordinação.
  17. 17. © Prof. Dr. Paulo Gomes Lima - 2010
  18. 18. Privilegia a ação organizadora com valores e práticas compartilhadas© Prof. Dr. Paulo Gomes Lima - 2010 A escola é uma Destaca o Valoriza as realidade caráter interpretações, social humano em os valores, as construída, vez o caráter percepções... não dada nem formal e objetiva. normativo A direção como agente de mediação das intersubjetividades
  19. 19. Relação orgânica entre a direção e a participação da equipe e comunidade© Prof. Dr. Paulo Gomes Lima - 2010 Objetivos Ênfase nas tarefas e sociopolíticos e nas relações humanas, pedagógicos da escola tendo em vista os fins compartilhados educacionais Requer a participação na deliberação, execução, coordenação Tomada de decisões no e avaliações coletivo sistemáticas da operacionalização do trabalho na escola
  20. 20. AZEVEDO, J. M. L. de. A educação como política pública. Campinas: Autores Associados, 1997. BORDIGNON, Genuíno. Gestão da educação no município. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2009. CABRAL NETO, Antonio; CASTRO, Alda Maria Duarte Araújo; FRANÇA, Magna; QUEIROZ, Maria Aparecida de. (Orgs). Pontos e contrapontos da política educacional: uma leitura contextualizada de iniciativas governamentais. Brasília,DF: Liber Livro,2007. DOURADO, Luiz Fernandes; PARO, Vitor Henrique (Orgs.). Políticas públicas & educação básica. São Paulo: Xamã,2001.© Prof. Dr. Paulo Gomes Lima - 2010 FERREIRA, Eliza Bartolozzi; OLIVEIRA, Dalila Andrade (Orgs.). Crise da escola e políticas educativas. Belo Horizonte: Autêntica, 2009. MENDONÇA, Erasto. Gestão democrática: a intenção e o gesto. ANPED, 2000. MENESES, João Gualberto de Carvalho et. al. (Orgs.) Estrutura e funcionamento da educação básica. São Paulo: Pioneira, 2000. OLIVEIRA, D. A. Educação Básica: gestão do trabalho e da pobreza. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000. PARO, Vitor Henrique. Escritos sobre educação. São Paulo: Xamã,2001. SANDER, Benno. Administração da educação no Brasil: genealogia do conhecimento. Brasília,DF: Liber Livro, 2007. SAVIANI, Dermeval. Plano de desenvolvimento da educação: análise crítica da política do MEC. Campinas,SP: Autores Associados, 2009. SHIROMA, Eneida Oto; MORAES, Maria Célia Marcondes de. Política educacional. 4.ed. Rio de Janeiro, RJ: Lamparina, 2007. SILVA, Maria Abádia da. Intervenção e consentimento: a política educacional do Banco Mundial. São Paulo: FAPESP, 2002. TEODORO, Antonio. Globalização e educação: políticas educacionais e novos modelos de governação. São Paulo: Cortez: Instituto Paulo Freire, 2003. VIEIRA, Sofia Lerche. Educação Básica: política e gestão. Brasília,DF: Liber Livro, 2009.
  21. 21. ALMEIDA, Malu (Org.) Políticas educacionais e práticas pedagógicas: para além da mercantilização do conhecimento. Campinas,SP: Alinea Editora, 2005. ALTHUSSER, L. Aparelhos ideológicos do Estado. Rio de Janeiro: Graal, 1985. ALVES, Giovanni. Trabalho e Mundialização do Capital, Editora Práxis, 1999. DE TOMASI, L.; WARDE, M. J.; HADAD, S. O Banco Mundial e as políticas educacionais. São Paulo: Cortez, 1996. PRAIS, Maria de Lourde Melo. Administração colegiada na escola pública. 4.ed. Campinas/SP: Papirus, 1996.© Prof. Dr. Paulo Gomes Lima - 2010 GENTILI, Pablo. Globalização excludente: desigualdade, exclusão e democracia na nova ordem mundial. Petrópolis, RJ: Vozes; Buenos Aires: FLACSO, 2000. HORA, Dinair Leal da. Gestão democrática na escola. 7.ed. Campinas/SP: Papirus, 1994. PERONI, V. Política educacional e papel do Estado: no Brasil dos anos 1990. São Paulo: Xamã, 2003. PILETTI, Nelson. Estrutura e funcionamento do ensino fundamental. São Paulo: Ática, 1998. VIEIRA, Sofia Lerche. Desejos de reforma: legislação educacional no Brasil Império e República. Brasília,DF: Liber Livro,2008. VIEIRA, Sofia Lerche. Política educacional no Brasil: introdução histórica. Brasília,DF: Liber Livro, 2007

×