Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Feudalismo

3,898 views

Published on

Fim do Império romano. Divisão do império.
Características do feudalismo.

Published in: Education
  • Be the first to comment

Feudalismo

  1. 1. FEUDALISMOProfª. Cristina Soares
  2. 2. INTRODUÇÃO Divisão do Império RomanoOcidente – Capital RomaOriente – Capital Bizâncio – Constantinopla - Istambul
  3. 3. ORIENTE Capital – Bizâncio Governante: Justiniano – Código Justiniano - Institutas: Leis para estudo dos jovens; - Novelas: Leis Aprovadas
  4. 4. JUSTINIANO
  5. 5. DECADÊNCIAInvasão dos turcos ortodoxos em 1453
  6. 6. OCIDENTEFrancosLider Meroveu – Dinastia Merovíngia (448-751)ChildericoReis:- Meroveu- ClóvisPrefeito de Palácio – Carlos Martec- Pepino, O Breve.
  7. 7. CAROLÍNGIOSReis:Carlos ManoCarlos Magno (771) – Dinastia Carolíngia
  8. 8.  Ampliou os reinos francos (Lombardos, Saxões, bascos, etc.); Propagador do Cristianismo; Clamado “Augusto” (Coroado pelo Papa no ano 800); Ressurgimento do Império Romano do Ocidente; Morte de Carlos Magno em 814; Sucedido por seu filho, Luis, O Piedoso, até 843.
  9. 9. DECADÊNCIAHerdeiros de Luiz, O Piedoso dividem o Império Romano em 3 (Tratado de Verdum): - Francia Ocidental - Lorena - Francia OrientalEnfraquecimento do Império;Invasão dos Normândios; Fuga dos nobres para o campo (suas propriedades); Nobreza com mais força e poder que os reis.
  10. 10. FEUDALISMO
  11. 11. SÁBADO DE UM TÍPICO CAMPONÊS Começa as 5 horas da manhã. Ele, a esposa e os 4 filhos acordam em sua casa de um único cômodo, comem mingau de pão e dão início a labuta. O pai e os mais velhos, de 12 e 14 anos, vão para o campo – a colheita de trigo e cevada está atrasada. A família passou os dois dias anteriores cumprindo o trabalho obrigatório nas terras do senhor feudal. Há muito o que fazer. A mãe e os mais novos, de 6 e 8 anos, vão lidar com a horta e as galinhas. Todos fazem uma rápida pausa para comer (sempre que possível peixe) O batente só termina quando está escuro.
  12. 12. Eles dormem juntos, sobre um amontoado de palhas, iluminados por velas de sebo e aquecidos por uma pequena fogueira no centro do cômodo. Descansam felizes. O dia seguinte é o único da semana em que a rotina árdua muda um pouco:seguem o comando do sino e vão à missa. Rezam por suas almas e são orientados mais a temer o diabo que adorar a Deus.Assim viveram dez séculos, 90% dos habitantes do velho continente. Do ponto de vista deles, a Idade Média foi uma época de contrastes sociais profundos, violência, doenças (a metade dos bebês não chegava a dois anos) e tímido avanço tecnológico, à mercê das intempéries da natureza. Nessa era de preces, pão e fuligem, as pessoas mais simples morriam cedo, comiam quando dava e se submetiam às determinações dos senhores e dos padres. Já a nobreza construía castelos, cobrava impostos pesados e devorava até 9 mil calorias diárias. Um singelo botão de ouro no vestido de uma dama equivalia a 140 dias de trabalho de um camponês.
  13. 13. ONDE? QUANDO? QUEM? Na Europa ( Francos e Romanos) De 843 até o século XV Reis (sem muito poder, nobreza,Igreja suseranos, vassalos, servos, vilões.
  14. 14. POR QUÊ? Divisão do Império Carolíngio em 3 reinos; Cada reino se subdividiu; Aumento do poder dos nobres; Perda da autoridade do rei; Invasões bárbaras; - Pedido de proteção de quem não tinha terras – Situação de vassalagem. Formação do exército dos nobres.
  15. 15. COMO? Criação dos Feudos (grandes propriedades de terras dos nobres); Cada nobre era absoluto em suas terras; O feudo era auto-suficiente; Havia os servos; A sociedade era estamental Direito Consuetudinário.
  16. 16. FEUDOS
  17. 17.  O poder dependia das terras; Terras vinham com conquistas; As conquistas advinham das guerras; Donos das terras = Suserano; Receptor das terras = Vassalo (através de um juramento) Sem-terras = servos (ex-escravos)
  18. 18. OBRIGAÇÕES Suserano:Proteger o vassaloGarantir a posse das terras para seus herdeirosVassalo:Fazer parte do exército do suseranoHospedar o suseranoPagar taxas
  19. 19. Servos:Nunca abandonar o feudo sem permissão do nobreCorveia: Trabalhar de graça alguns dias da semana para o senhor feudalTalha: Entregar parte de sua produção para o senhor feudalBanalidade: Taxa paga para usar as instalações do feudo (fornos, celeiro, etc.)Mão Morta: Taxa paga no falecimento do servo para que a família possa se manter no feudo
  20. 20. OBRIGAÇÕES PARA COM A IGREJA Pagar o dízimo (10% da sua produção); Tostão de Pedro – Taxa extra para Roma;
  21. 21. DIREITOS Suserano:Administração: Leis, JustiçaMandava em todo o feudo;Não recebia ordens de ninguém;Podia castigar os servos.
  22. 22. SOCIEDADE Estamental1 – Clero – Membros da Igreja (Padres, Bispos, Cardeais, etc.)2 – Nobres – Aqueles que possuíam terras (duques, condes, marqueses, reis, cavaleiros etc.)3 – Trabalhadores Braçais – Servos (Semi- livres, presos à terra) e Vilões (livres, viviam do artesanato, produção de espadas, trato de cavalos).
  23. 23. Clérigos, nobres, servos e vilões
  24. 24. ECONOMIA Agricultura de subsistência Troca de produtos Inexistência de comércio Inexistência de Moedas Baixa produtividade agrícola Falta de técnicas agrícolas
  25. 25. COMO ERA UM FEUDO? Castelo Bosque para caçadas Pastagem Vila (local das cabanas dos servos e vilões) Forno Moinho Manso Senhorial (local de produção para os senhores) Manso Servil (local de produção para os servos) Divisão de lotes (tenências)
  26. 26. IGREJA Catolicismo obrigatório Papas com poder maior que o do rei Igreja era responsável pela divisão de tarefas através de Deus Os que rezavam Os que guerreavam Os que trabalhavam Igualdade só no paraíso Responsável pela educação Responsável pela publicação de livros
  27. 27. CONSEQUÊNCIAS Cruzadas Fome Miséria Renascimento do comércio
  28. 28. BIBLIOGRAFIA PANAZZO, Sívia & VAZ, Mª Luíza, Navegando pela História, Quinteto Editorial, !ª Edição, São Paulo, 2002 Aventuras na História, Para viajar no tempo, Editora Abril, Edição 81, Abril de 2010 Maio de 2010 EMEF. “Prof. Waldemar Ramos”

×