Aulas de desenvolvimento de coleção

39,604 views

Published on

Material da aula Desenvolvimento de Coleção com a professora jacqueline Keller, M. Eng., aqui na Sustentare Escola de Negócios

Published in: Education
0 Comments
39 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
39,604
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
51
Actions
Shares
0
Downloads
1,274
Comments
0
Likes
39
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aulas de desenvolvimento de coleção

  1. 1. Desenvolvimento de Coleção Profa. Jacqueline Keller, M.Eng. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  2. 2. Cenários da MODA © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  3. 3. Porque Cenários?????. Porque o leque de opções aumentou e o “olhar” deveser direcionado para os cenários que se formam no dia-a-dia.. Variáveis:- econômicos (crise, BRIC, decadência EUA)- sociais (mudanças = classe C importante);- políticos (Ética e impunidade);- tecnológicos (internet, convergência);- educação: Técnicos, EaD, “in company”, etc- artes, design, arquitetura, gestão, RH, culturas,ambiente, etc. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  4. 4. Porque as tendências do consumomudaram! E isso, é um termômetro queindica que temos que mudar também a nossa maneira de ver as coisas.•  O trendwatching cita 14 tendências de consumo para o ano de 2010. Esta empresa estuda o comportamento do consumidor, e tem como alguns de seus clientes a Coca Cola, Sony, Unilever e Victoria´s Secret, entre outros.•  www.trendwatching.com.br © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  5. 5. . Trends Consumer !•  1 - Statusphere: . O consumo é impelido por muitos motivos:fixar seu status é um deles. Fig. : Delírios de Consumo de Bechy Bloo © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  6. 6. !•  2 – ARENA:Em que arena denegócios sua empresaatuará? Da destruiçãocriativa para o Designdo novo? À expectativados acontecimentoseconômicos? Viver emfunção da China? © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  7. 7. !•  3 – Generation G: A generosidade está substituindo a ganância. Será? © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  8. 8. •  4 – ON:O vício do online!Espera-se que cadavez mais a internetseja o oxigênio queveio para renovar omundo. Novasconvergências,principalmente! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  9. 9. •  5 – (UN) REAL:Esta tendência queparadoxalmentevalorizará tanto oautêntico quanto ofake (falso)! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  10. 10. •  6 – INFOLUST:Um dos temas maisimpactantes! AsMarcas e serviçosterão que satisfazer asluxúrias dosconsumidores: deinformação,transparência,mapeamento/Monitoramento! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  11. 11. •  7 – Nowism:O futuro é incerto! Vivero momento continuará adominar os desejos doconsumidor! A buscapelo novo seráincessante! Agregarvalor realmentepercebido, útil, funcionale prático! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  12. 12. •  8 – Locality:Sobreposição de temas! Aforça do local (a cultura ,principalmente) será umafonte inesgotável deinovação! Agrupar,organizar, procurarinformações importantessobre produtos, eventos epessoas. Ronaldo Fraga/2009 © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  13. 13. •  9 – Joyning:Unir Forças! As marcasunidas aosconsumidores, aosdesigners; entre asmarcas e até mesmo,aos concorrentes! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  14. 14. •  10 – Meconomy:A minha marca, a fotodigital! Osconsumidoresabraçarão tudo o queestiver de acordo como seu estilo! Produtofeito para o cliente! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  15. 15. •  11 – LUXYOURY:Mantém-se o novoluxo, que temdiferentes percepçõespara cada consumidor!Tempo, prazer, bemestar…. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  16. 16. •  12 – Greenest:Sustentabilidade Rentável!Ecológicamente correto!Ajudar os consumidores aeconomizar dinheiro demaneira ecologicamentecorreta é a idéia principaldeste conceito! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  17. 17. •  13 – Brand Fabric:As principais marcasdeverão assumir o papeldas mudanças!Principalmente dasmudanças sociais! Projeto Natura Social © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  18. 18. •  14 – Innovation Overdose:Como o próprio nome diz: umaoverdose de inovação!Novosprodutos e serviços! Produtosespecíficos para um segmento,que proporcionem experiências. Éuma ótima oportunidade parainovar, reduzir custos e trazer àtona a melhor e mais criativa idéiano mundo dos negócios. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  19. 19. HOJE......•  Era do Conhecimento: onde o aprendizado é extremamente relevante, sendo que a troca de aprendizados gera conhecimento.•  Tempo: luxo.•  A arte de tomar decisões pertence a alguns somente.•  Criatividade como solução de problemas e fonte para a Inovação•  Era do Empreendedorismo © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  20. 20. Novos Caminhos…..•  Novas competências, criatividade e inovação.•  Verticalização do Profissional que deverá ser mais completo, dominar várias áreas ou pelo menos uma grande parte com foco no seu trabalho.•  A gestão é a palavra do momento!•  Novas Tecnologias e suas convergências•  Consciência ambiental x Ecologia Humana•  Surge um novo modelo mental: experiências, atitudes e sensações © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  21. 21. Características do comportamento profissional que se espera hoje•  Busca de Oportunidades e Iniciativa – Capacidade de se antecipar aos fatos e criar novas oportunidades de negócios, desenvolver novos produtos e serviços, propor soluções inovadoras.•  Persistência – Enfrentar os obstáculos decididamente, buscando o sucesso a todo custo, mantendo ou mudando as estratégias, de acordo com as situações. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  22. 22. Características do comportamento profissional que se espera hoje•  Correr Riscos Calculados – Disposição de assumir desafios ou riscos moderados e responder pessoalmente por eles.•  Exigência de Qualidade e Eficiência – Decisão de fazer sempre e melhor, buscando satisfazer ou superar as expectativas de prazos e padrões de qualidade. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  23. 23. Características do comportamento profissional que se espera hoje•  Comprometimento – Fazer sacrifício pessoal ou dispender esforço extraordinário para completar uma tarefa; colaborar com os subordinados e até mesmo assumir o lugar deles para terminar um trabalho; se esmerar para manter os clientes satisfeitos e colocar a boa vontade a longo prazo acima do lucro a curto prazo. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  24. 24. Características do comportamento profissional que se espera hoje•  Busca de Informações – Buscar obter informações sobre clientes, fornecedores ou concorrentes ; investigar como fabricar um produto ou prestar um serviço; consultar especialistas para obter assessoria técnica ou comercial. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  25. 25. Características do comportamento profissional que se espera hoje•  Estabelecimento de Metas – Assumir metas e objetivos que representam desafios e tenham significado pessoal; definir com clareza e objetividade as metas de longo prazo; estabelecer metas de curto prazo mensuráveis. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  26. 26. Características do comportamento profissional que se espera hoje•  Planejamento e Monitoramento Sistemáticos – Planejar dividindo tarefas de grande porte em subtarefas com prazos definidos; revisar constantemente seus planos, considerando resultados obtidos e mudanças circunstanciais; manter registros financeiros e os utilizar para tomar decisões. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  27. 27. Características do comportamento profissional que se espera hoje•  Persuasão e Rede de Contatos – Utilizar estratégias para influenciar ou persuadir os outros; utilizar pessoas-chave como agentes para atingir seus objetivos e atuar para desenvolver e manter relações comerciais. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  28. 28. Características do comportamento profissional que se espera hoje•  Independência e Autoconfiança – Buscar autonomia em relação a normas e procedimentos; manter seus pontos de vista mesmo diante da oposição ou de resultados desanimadores; expressar confiança na sua própria capacidade de complementar uma tarefa difícil ou de enfrentar desafios. Esta é a conseqüência de todas as outras características, não a fonte. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  29. 29. Tipos de Inovações.....-  Novos produtos e serviços;-  Melhores formas de alcançar clientes;-  Técnicas de fazer mais com menos;-  Aumento de qualidade;-  Novos métodos para diminuir o impacto ambiental;-  Sistemas e estruturas organizacionais aperfeiçoados;-  Novas abordagens para reunir e distribuir informações;-  Melhor oferta de serviços internos;-  Novas formas de participação dos stakeholders;-  Qualquer outro fator que contribua para melhorar o mundo ou a sua empresa! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  30. 30. Cenários para Moda em SC•  Dados:•  1% do território brasileiro;•  3% da população brasileira ;•  produz 8% do PIB Brasileiro;•  6o. em exportação; e•  20 % da atividade economica catarinense. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  31. 31. Cenários para Moda em SC•  O Anuário da Abit revela que as 51 maiores empresas catarinenses do setor empregam cerca de 53 mil pessoas diretamente. O maior pólo têxtil continua sendo a cidade de Blumenau. Nela estão concentrados 20,5 mil dos empregos gerados pelas 51 maiores empresas (41%). Blumenau tem também o maior número de empresas listadas no anuário: 12. Em seguida aparecem Brusque, com sete empresas e Jaraguá, com quatro. No número de empregos, no entanto, a situação se inverte: as quatro empresas de Jaraguá geram 12 mil empregos, contra 5,8 mil empregos das sete empresas de Brusque. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  32. 32. Cenários para Moda em SC•  Quase 100 anos de história têxtil…..•  Últimos 20 anos com crescimento de micros e pequenas empresas•  Grandes Confeccionistas;•  Dificuldades de mão-de-obra;•  11 a 12 anos de cursos de Moda;•  Porém ainda falta a Criação! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  33. 33. Ameaças•  Concorrência Nacional e Internacional;•  China (que se tornará, além de fornecedora, também criadora de moda) = “Made in China”;•  Falta de investimentos no Setor•  Falta de leis de proteção e taxação de produtos externos;•  Falta de mão-de-obra qualificada;•  Falta de design e produtos de valor agregado © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  34. 34. Ameaças•  Falta de uma identidade;•  A academia e a Indústria ainda desconectadas;•  Problemas de gestão familiares;•  Falta de pesquisa e investimentos em tecnologias;•  Mão-de-obra de outros estados nas indústrias locais;•  Faltam eventos de moda. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  35. 35. Mudanças!•  União de forças (conglomerados): Dona da Colcci compra Forum e Triton e vira líder em moda do Brasil – Portalexame.abril.com.br Juntas as empresas tiveram um faturamento de 750 milhões de reais em 2007.•  O grupo AMC Têxtil (que detém as marcas Colcci, Sommer e Carmelitas, além do licenciamento da linha Coca-Cola Clothing e da Malhas Menegotti, as marcas Tufi Duek, Forum Tufi Duek, Forum e Triton. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  36. 36. O que já acontece????•  Grupo Rovitex apresenta a nova coleção da marca Endless. Campanha de lançamento traz fotos da modelo Gianne Albertoni © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  37. 37. O que já acontece????•  Tecnoblu lança book outono/inverno 2010. Equipe viajou até o Uruguai para buscar materiais para as peças Os profissionais do ET – Estúdio da Tecnoblu, trabalharam durante três meses no desenvolvimento das novas peças que são compostas por seis perfis de comportamento: Destroyer, Orgánico, Cuero, Neón, Rústico Noble e Negro Bronce. Um malote especialmente desenhado serve de embalagem para o Otoño, sendo que cada comportamento é guardado numa embalagem com identificação. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  38. 38. O que já acontece????•  Uma noite de festa na capital paulista rendeu à empresa blumenauense Fujiro Ecotêxtil um troféu como destaque do setor promocional brasileiro. A 13ª edição do Prêmio Free Shop Quality, concedido pela Forma Editora, selecionou as melhores empresas nos segmentos para serviços de eventos, materiais para merchandising no ponto de venda e produtos promocionais. A Fujiro venceu o primeiro lugar na categoria confecções. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  39. 39. O que já acontece????Farbe lança campanha para linha fashion com produção de fotos em Paris. Empresa aposta em novo conceito de moda Fotos produzidas em Paris com a modelo francesa Celine Moniquet, da agência Ford Models, marcam a nova campanha da Têxtil Farbe, empresa produtora de malhas circulares com sede em Blumenau. Com 15 anos de mercado, a Farbe aposta agora num novo conceito da marca, desenvolvendo e produzindo linhas especiais de malhas com elastano para a indústria da moda. “A linha Farbe Fashion é composta por tecidos que trazem mais tecnologia e bom gosto ao produto final”, © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  40. 40. •  Sempre buscando o que há de atual para oferecer em tecnologia e qualidade, a Teka tem uma grande valorização tanto no mercado interno como externo. Além disso, possui um certificado ecológico Internacional Alemão “Öko-tex Standard 100”, que garante que todos os produtos sejam desenvolvidos em processos que não prejudicam o meio ambiente e não causam danos à saúde dos consumidores. Para a companhia, respeitar pessoas é primordial, sejam elas clientes, fornecedores ou colaboradores. Por este motivo, a empresa desenvolve ações especificas para alcançar a sua missão: encantar a todos através da excelência de serviços e produtos. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  41. 41. O que já acontece????•  Estampa é a única credenciada para produzir etiquetas da marca Adidas. Empresa projeta faturamento de R$ 6 milhões em 2009 Etiquetas para todas as estações. É com esse slogan que a Estampa Etiquetas de Blumenau, se apresenta. Com 47 funcionários e há 10 anos atuando no mercado têxtil, a empresa mantém clientes nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Com processos de produção eficientes e um elevado grau de eficiência na qualidade de seu produto final, a Estampa tornou-se a única empresa em Santa Catarina credenciada para produzir etiquetas da marca Adidas. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  42. 42. O que já acontece????•  Mormaii cresce 60% ao ano. Empresa de Garopaba tem mais de 1,5 mil produtos licenciados e 20 mil clientes cadastrados Nos últimos seis anos, a Mormaii, marca de surfwear de Garopaba, registrou um crescimento médio de 60% em seu faturamento. O resultado é conseqüência dos mais de 1,5 mil produtos fabricados na sede da Mormaii e em outras 37 empresas licenciadas. A variedade de peças inclui roupas, acessórios, calçados, óculos, cadernos, barras de proteína, bronzeadores e equipamentos de surf, vendidas em todo Brasil e em boa parte do mundo. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  43. 43. •  Desfile Colcci SPFW Primavera Verão 2009 2010 Um casting estrelado abala as estruturas do maior evento de moda do país © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  44. 44. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  45. 45. Oportunidades no setor•  Valorização do mercado interno com a crise mundial;•  Busca junto ao Governo e entidades de ampliação de crédito para investimentos no setor;•  Internacionalização e aumento de exportações (busca de novos mercados);•  Investir na questão ambiental © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  46. 46. •  Crescimento dos cursos Técnicos•  Valorização do Design•  Inserção da cadeira de Criatividade nos currículos;•  Pós Graduações….•  Novas marcas com valorização Nacional•  Qualidade dos produtos;•  As oportunidades prevalecerão às ameaças externas. Na crise – tire o “s” e CRIE! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  47. 47. •  Os grandes líderes de mercado serão aqueles que perceberem que o consumidor é quem indica o rumo da moda. Ele exige individualidade, rapidez e preço, sem deixar da qualidade e tecnologia. O consumidor quando vai às compras quer algo que o faça se sentir bem, que o realize. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  48. 48. Profissionais da Moda•  Profissional de Desenvolvimento de Produto: Esse profissional estuda desde a idéia do produto até a sua aceitação pelo consumidor final, lançando assim alguns problemas que o produto possa apresentar. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  49. 49. Profissionais da Moda•  O estilista é aquele que cria, que bola as roupas de uma coleção. Para isso ele estuda muito sobre seu público-alvo, sobre as tendências pelo mundo, sobre tecidos, sobre técnicas de costura, sobre história da moda, sobre cores, diferentes materiais...enfim, é ele que, junto com sua equipe, tem as idéias e faz os desenhos do que serão, depois de um processo bastante longo, as peças que veremos nos desfiles. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  50. 50. Profissionais da Moda•  Estilista: Estilista desenha, costura, modela e idealiza a coleção, que muitas vezes nem vai daquele jeito para as lojas, mas é mais uma idéia a ser seguida, uma mensagem a ser passada. Após os desfiles, algumas peças mais conceito poderão ser "adaptadas" para a vida real antes de serem vendidas. Em outros países, os estilistas são chamados de designers ou couturiers. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  51. 51. Profissionais da Moda•  Styling: que na sua verdadeira concepção está relacionado a uma modalidade de design industrial que procura fazer o modelo superficialmente atraente, para disfarçar eventuais falhas na qualidade, mas nada mais é do que melhorar o aspecto de um produto, cuidar da imagem também. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  52. 52. Profissionais da Moda O stylist, também conhecido como produtor de moda, éaquele que trabalha com a imagem de uma marca e dará acara à uma coleção ou peça. Os stylists podem trabalharcom os estilistas nos desfiles para definir como as peçasserão apresentadas para o público (afinal, uma blusa podeser usada de tantas maneiras, com tantos acessóriosdiferentes, etc.) e ajudam o estilista a contar a estóriaidealizada para a coleção, trazendo elementos comoacessórios, bolsas, sapatos, novas formas de usar umadeterminada peça e por aí vai...para que tudo sejaapresentado da maneira mais coerente possível. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  53. 53. Profissionais da Moda Eles também podem trabalhar em revistas ou emcampanhas para as marcas, definindo as peças queserão usadas nas fotos/vídeos, como serãoapresentadas, as locações, as modelos, as cores, osacessórios, iluminação e tudo mais. Como a história queos stylists contam é fictícia, eles podem colocar modeloscom vestidos couture no meio da fazenda, podem colocarsalto agulha na praia, podem prender sobrinhas comalfinete...a personalidade e o estilo pessoal das modelos,assim como o que é mais prático e confortável obviamentenão é levado em conta, e nem precisa ser! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  54. 54. Profissionais da Moda O personal stylist é a pessoa que cuida da imagem deuma determinada pessoa real e também pode serchamado de consultor de IMAGEM. Enquanto os styliststrabalham com modelos, os personal stylists trabalham compessoas como eu e você, para que estas também possamcontar a sua história (uma história de verdade!) através dasroupas, acessórios e da imagem como um todo (etiqueta,linguagem não-verbal, cuidado com as roupas, cores, etc.).Auxiliam o cliente a criar um estilo pessoal, a se portar e sevestir melhor e mais adequadamente, a fazer malas, acuidar das roupas e mil outras coisas. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  55. 55. Profissionais da Moda•  Designer: De.si.gner (dizàiner) sm=f (ingl) Indivíduo que planeja ou concebe um projeto ou um modelo ( Michaelis, 1998)•  Segundo Nanni Strada, o designer é aquele que planeja o produto e o torna utilizável comercialmente. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  56. 56. Profissionais da ModaEquipe de design: São pessoas responsáveis em agregarbeleza a produtos funcionais.Designer na Tecelagem: Elabora tecidos usandoconhecimento e tecnologia; cuida da produção, qualidadedo produto e da forma que ele será apresentado ao seuconsumidor. Antenado com a moda ele elabora um produtodiferenciado.Designer Têxtil: Cria desenhos para a estamparia, tramasou padrões para malharia e trabalha na decoração deinteriores (tecidos para mobília, carpetes, cortinas e papéisde parede). © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  57. 57. A indústria da Moda está divididaatualmente em quatro níveisfundamentais, segundo Avelar (2009):1 – Alta Costura;2 – Alta Moda, que inclui coutureessentiel;3 – Prêt-à-Porter, que inclui o luxo e adifusão e;4 – Indústria da Cópia © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  58. 58. •  Alta Moda•  É a expressão utilizada por François Baudot (2002, p.252-2) para denominar a moda italiana que, depois da 2ª. Guerra Mundial, especialmente na década de 60, sofreu um grande impulso – tanto na qualidade do material do material, do feitio e do design quanto no que se refere à exclusividade, embora não pertencesse à alta costura. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  59. 59. •  Alta Moda•  A idéia que se propõe é que Alta Moda se refira às criações de luxo, também exclusivas, mas que não fazem parte da alta costura francesa. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  60. 60. •  Na Alta Moda, marcas e criadores que executam roupas sob medida e modelos exclusivos, mas não são registrados na Câmara Sindical Parisiense e portanto, não se enquadram nas leis que determinam a alta- costura.•  . Vivienne Westwood;•  . Alexander McQueen (falecido recentemente);•  . Yohji Yamamoto;•  . Walter Rodrigues, etc....•  E todos aqueles que produzem prêt-à-porter e no entanto executam modelos sob encomenda, sob medida e exclusivos, são exemplos de Alta Moda. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  61. 61. •  Couture Essential•  É uma expressão cunhada pelos franceses para denominar criações de luxo, exclusivas ou em edições limitadas, que formalmente não fazem parte da alta-costura, mas utilizam sua mão de obra excedente.•  Ou seja, esses criadores não são registrado na Câmara Sindical da Alta-Costura parisiense, embora executem modelos sob encomenda, utilizando a centenária cultura francesa de bordadeiras e costureiras passadas de mãe para filha.•  Para Sally Singer na Vogue Brasil (n.315, 2004, p.83-84), o termo significa”originalidade combinada à extraordinária e tradicional habilidade”. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  62. 62. Alta Costura x Prêt-à-Porter•  Alta costura: é o artesanato de luxo, que produz modelos únicos sob encomenda. A garantia de exclusividade é muito séria. Lembrar dos exemplos dos criadores na França. http://fashion.dior.com/fr/dior_fr.html © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  63. 63. •  PRÊT-À-PORTER•  Segundo Vincent-Ricard (1989,p.32) a expressão prêt-à-porter foi lançada Weil em 1948, a partir da expressão “ready to wear”, utilizada nos EUA para descrever a produção e a distribuição americana, rápidas e eficientes daquele período. Na versão americana, não estava incluída a ideia de roupa acabada (sem ajustes e retoques), bem como uma extensa organização entre cadeia têxtil, confeccionistas, consultores de moda e escritórios de estilo. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  64. 64. •  Prêt-à-porter significa pronto para vestir”, mas refere-se a algo muito mais amplo, uma determinada organização desse período. É uma roupa pronta para ser levada, mas ela só existe graças a uma pesquisa de tendência envolvendo toda a cadeia têxtil.•  Segundo Lipovetsky (1989,p.110), “é a partir da década de 60 que o prêt-à-porter vai chegar de alguma maneira à verdade de si mesmo, concebendo roupas com um espírito mais voltado à audácia, à juventude, à novidade do que à perfeição de classe.” © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  65. 65. •  Delpierre (1997,p.43) apud Avelar (2009) aponta uma divisão do prêt-à-porter, fragmentando-o em três níveis fundamentais, a partir de 1960:•  1 – Prêt-à-Porter clássico: vendido nas grandes lojas. De acordo com Delpierre, na época o setor não se diferenciava muito do que se vendia nas lojas de departamentos desde o início do século.•  2 – Prêt-à-Porter de Estilo: aparece entre 1963 e 1964, destinado a jovens, com formas e cores mais ousadas, vendido em lojas de novo conceito – as boutiques – que vendem coleções de vários criadores. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  66. 66. •  Prêt-à-Porter de luxo: destinado à clientela da alta-costura, que, no entanto, busca novas alternativas para o dia-a-dia,a preços menos exorbitantes,mas com alta qualidade no•  design, no material e no feitio.•  Prêt-à-porter de luxo (1): é roupa feita em série de algumas centenas de unidades para cada modelo e tamanho. A casa de alta costura produz e vende diretamente em suas boutiques. A produção ainda é artesanal, ou semi. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  67. 67. •  Prêt-à-porter (2) - Tem o prêt-à-porter desfilado duas vezes ao ano (primavera/verão e outono/inverno). A casa de alta costura concebe, assina e produz os modelos dos desfiles e vendem a idéia da coleção à industriais que vão fabricá-las em grande escala.•  Prêt-à-porter (3)- Tem o prêt-à-porter produzido por uma indústria qualquer sob assessoria estilística e técnica de uma casa de alta-costura. Assim, mediante um contrato escrito; o criador fornece às indústrias um novo produto ou uma nova coleção toda vez que solicitado © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  68. 68. Prêt-à-porter (4) Existe ainda o prêt-à-porter com a etiqueta de uma casa de alta costura. Ex.: Valentino. Ocorre quando uma casa de alta costura assina produtos fabricados por terceiros , quando estes têm as características da grifePrêt-a-Porter de difusão•  Refere-se ao alcance dos produtos, tanto pela cópia quanto pela criação – ambas dependendo de redes de produção e distribuição eficazes – algo característico do mundo globalizado.•  Neste grupo incluem-se as grandes redes de lojas que possuem estabelecimentos ao redor do mundo: Zara, Mango, C&A , H&M (que tem criações de vários artistas e até de Karl Lagerfeld – Chanel). © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  69. 69. Prêt-a-Porter de difusão. A C&A já contou com Walter Rodrigues.......No Brasil: Renner, Riachuelo (que já apresentou criações de Fause Haten), são exemplos de lojas de departamentos. Recentemente Lanvin para H&M.. A Zara apresenta hoje o maior poder de difusão, pois tem a seu lado a melhor estratégia de logística do mundo, conseguindo colocar o produto em 7 dias (produção/embalagem/envio) em todas as suas lojas pelo mundo. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  70. 70. Prêt-a-Porter da Cópia. A questão aqui é conceituar o que se entende por cópia: - produção em série? Grades de tamanhos? - reprodução de modelos autorizada? Quem autoriza? Cópia original? - reprodução de modelos das revistas? Tendências? - uso inapropriado da marca com mudança da simbologia? OBS: É DIFÍCIL CONTROLAR! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  71. 71. Prêt-a-Porter da Cópia“..... O sucesso de uma marca pode ser medido em termos da intensidade em que é copiada. Marcas como Chanel, Armani, Gucci, Prada e Versace têm sofrido perdas em seu lucro em função das falsificações de perfumes e de outros artigos que se vale da logo famosa.” site: www.fashion-era.com © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  72. 72. Vale ressaltar que prêt-à-porter temvariantes, mas alta-costura é só uma,então a casa de alta costura no bairroperto da sua casa não é alta-costura e simum prêt-à-porter de luxo, pois a costureiravai fazer um vestido que vocêtrouxe ”inspirado” de uma revista ou queum estilista desenhou na casa de tecidos. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  73. 73. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  74. 74. Desenvolvimento de Coleção•  Com a abertura de mercado, houve um aumento expressivo na concorrência entre empresas do mesmo ramo. Para poder competir nesse mercado é preciso introduzir continuamente novos produtos. O problema que isto acarreta é que a cada momento são lançados inúmeros produtos no mercado, mas a vida média dos mesmos está cada vez mais curta. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  75. 75. •  O que produzir? . Algo que já existe? . Algo que alguém pede? . Antecipar-se a algo que será pedido? . Fabricar algo que ninguém pediu, mas que dará grande prazer e satisfação ao cliente? . Atender as necessidades dos clientes? . Reforçar posicionamento da marca? . Maximizar lucros? . Coerência com linha e estilo? © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  76. 76. Definição de Produto•  Produto é qualquer coisa que possa ser oferecida a um Mercado para atenção, aquisição, uso ou consume, e que possa satisfazer a um desejo ou necessidade. Os produtos vão além de bens tangíveis, de forma mais ampla, os produtos incluem objetos físicos, serviços, pessoas, locais, organizações, idéias ou combinações desses elementos. (KOTLER, 1999, p.190) © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  77. 77. Produto – Classificações•  Durabilidade e Tangibilidade . Bens duráveis . Bens não duráveis . Serviços © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  78. 78. Produto – Classificações•  Hábito de Compra . Bens de conveniência . Bens de compra comparada . Bens de Especialidade © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  79. 79. Kotler (1999, p.190) propõe três níveis, são eles:•  O produto básico é aquele que o comprador está realmente interessado em comprar, supre uma necessidade, um desejo.•  O produto real surge a partir do básico acrescido de características: nível de qualidade, aspectos físicos, design, marca e embalagem. Este, além de suprir uma necessidade e desejos, proporciona status. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  80. 80. Kotler (1999, p.190) propõe três níveis, são eles:•  O produto ampliado, criado a partir do básico e do real, oferecendo serviços e benefícios adicionais, como por exemplo; garantias de durabilidade e, consertos e ajustes, se necessário. Então, além de necessidade, desejo e status, confere ainda segurança e qualidade © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  81. 81. •  Abranches (1995, p.36), “um produto é fundamental quando suas características não se alteram com as coleções de moda e sua obsolescência é considerada uma possibilidade remota nos próximos anos”. Embora as características básicas desse produto não se alterem, exigem atenção nas variações de detalhes, nas tendências de modelagem, nas lavações, nos acabamentos, nos aviamentos, nas cores da estação, dentre outras coisas. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  82. 82. •  A vantagem apresentada pelo produto fundamental é a simplificação da produção e, por isso mesmo, tem sido preferido pelas grandes empresas voltadas para a massificaçao do consumo. Já as pequenas empresas que quiserem competir no mercado, deverão apresentar uma diferenciação a mais em relação às demais, seja em termos de qualidade, preço ou até mesmo de status de marca, obtidas com forte apelo promocional da mídia. Ou seja, uma vantagem competitiva. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  83. 83. •  Os produtos de confecção podem ainda se subdividir, segundo Abranches (1995, p.37) em:•  Produtos realmente fundamentais: são os que têm vida estimada com mais de 5 anos e obsolescência de longo prazo;•  Produtos pretensamente fundamentais: recebem também o nome de house collection, ou, coleção permanente e, tem obsolescência nunca inferior a 2 anos; © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  84. 84. •  Produtos de oportunidade: é a classe de produtos que se caracteriza pela vida e períodos discretos e repetitivos, como por exemplo: uniformes, roupas para escolas de samba, roupas para reveillon, etc;•  Produtos de Moda: são definidos como aqueles que têm sua fase de lançamento muito próxima da faixa de maturidade (são lançados ao mesmo tempo em que estão no auge da mídia) e uma rápida obsolescência, quase sempre vinculada ao fim da estação; © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  85. 85. •  Produtos complementares ou de Perfil Atipico: são aqueles desenvolvidos a partir da utilização da capacidade ociosa de uma empresa e/ou como decorrência de estoques imobilizados indevidamente e;•  Produtos da Onda: são produtos que indicam uma repentina mudança por hábitos de consumo, acompanhados de uma obsolescência vertical. Condicionam-se a fortes influências de filmes e novelas de televisão. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  86. 86. •  Kotler (1999) ratifica esta idéia quando afirma que a empresa precisa desenvolver continuamente novos produtos, conforme os gostos do consumidor, da modificação das tecnologias e da concorrência, já que essas mudanças ocorrem rapidamente. A precisa definição do conceito do produto antes do seu lançamento no mercado, é fundamental para o seu sucesso, pois esta definição de conceito é que lhe conferirá os valores agregados que o consumidor procura. Atualmente o mercado apresenta-se fragmentado, ou seja, está segmentado em nichos menores, o que favorece a concorrência, mesmo assim, aumenta os lucros. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  87. 87. •  Para se obter sucesso com novos produtos, deve-se portanto, desenvolver um trabalho intenso na identificação das necessidades do consumidor, permitindo assim, ao criador de moda elaborar produtos de valor agregado, com preços justos e realizar uma boa distribuição e promoção. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  88. 88. •  Os produtos de moda, por sua característica de ciclo de vida relativamente curto, sofrem com o fato de não poder, às vezes, se submeter a testes de adequação do produto antes de lançá- los definitivamente no mercado, o que pode representar um problema difícil de ser contornado. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  89. 89. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  90. 90. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  91. 91. Desenvolvimento de ColeçãoA moda funciona através de um extensomecanismo industrial, que começa naprodução de fibras e dos fios que vãocompor os tecidos (planos e malhas), até suaconfecção sob a forma de roupas econsequentemente, a comercializaçãodestas no varejo chegando aosconsumidores finais. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  92. 92. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  93. 93. Desenvolvimento de ColeçãoPara Anjos (apud CALDAS,1999, p.44) “porcadeia têxtil ou cadeia industrial têxtilenglobam-se todos os processos que, demaneira organizada e concatenada,permitem a transformação de uma material-prima têxtil em forma de vestimenta ourevestimento”. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  94. 94. Desenvolvimento de ColeçãoPara que esta cadeia funcione, é preciso quetodos os elos estejam muito bemcoordenados em termos do que e quandoproduzir. Daí a existência de um calendáriocomum, que costuma-se chamar de “timingda moda”, definido por Vincent-Ricard(1989), dividido da seguinte maneira: © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  95. 95. •  “As cores são pensadas e decididas de 24 a 30 meses antes da estação em que a roupa estará na vitrina” (Caldas, 1999, p. 45), com base na disponibilidade de matéria-prima e das metas comerciais traçadas para os produtos têxteis, insumos e produtos auxiliares pelas indústrias químicas, associações e institutos internacionais de fibras e pigmentos. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  96. 96. •  Os fios são planejados 18 meses antes da estação prevista;•  As feiras internacionais de fios ocorrem com 14 meses de antecedência;•  Os tecidos, 12 meses antes;•  As feiras internacionais de tecidos, 10 meses;•  Criação e produção de coleções de moda, 9 meses antes;•  O varejo internacional recebe as coleções de moda com 3 meses de antecedência. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  97. 97. Desenvolvimento de Coleção Rech, 2005 © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  98. 98. Desenvolvimento de Coleção•  É importante ressaltar que apesar de muito utilizado ainda, esse timing da moda já não corresponde à realidade, pois os prazos tem sido encurtados, em função, principalmente da evolução tecnológica, do acesso fácil à informação e da abertura do mercado nacional às importações, facilitando assim com que as empresas nacionais tendam a lançar novos produtos simultâneamente com o mercado internacional. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  99. 99. Desenvolvimento de Coleção•  Um dos fatores que mais preocupam na questão da cadeia têxtil, atualmente, é o processo de criação. Para Cunha (2001) as questões relacionadas à criação, sua gênese, as possibilidades de percursos, a busca idealizadora, os métodos utilizados , as angústias vivenciadas são preocupações que objetivam os estudos da moda. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  100. 100. Desenvolvimento de Coleção•  Desde a idealização criativa, o processo de criação passa por diferentes estágios e é necessário que se traduza a idéia através de especificações técnicas, com as indicações complementares para a produção do produto. De acordo com Cunha (2001), os desenhos, croquis, amostras de tecidos, cartelas de cores, aviamentos, anotações, imagens-tema, etc, compõem um book de coleção, onde são estruturados e explicados, para finalmente serem transformados pela indústria têxtil em produtos de moda.•  Imagem-tema: imagens de inspiração para desenvolver as coleções, geralmente, estas imagens estão relacionadas às tendências de moda do momento.•  Book: é a documentação detalhada do projeto de uma coleção de produtos de moda. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  101. 101. •  Treptow (2003), propõe o Planejamento de Coleção, que segundo ela, de maneira mais organizada estabelece a sequência de criação e desenvolvimento dos produtos de moda. Este planejamento organiza a sequência de criação e posterior produção de moda.•  O processo de desenvolvimento de coleção é extremamente dinâmico e exige muita comunicação e empenho entre os membros da equipe responsável. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  102. 102. •  Segundo Pires (2000, p.17), a reunião de planejamento ou discussão visa definir a quantidade de peças que a coleção (cronograma), tempo de comercialização, capital de giro disponível e potencial de faturamento. O profissional de criação e desenvolvimento deve estar atento aos prazos para que a coleção esteja disponível ao varejo no periodo certo, ou seja, de acordo com o calendário nacional têxtil. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  103. 103. Treptow, 2003© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  104. 104. Keller,2004© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  105. 105. Etapas•  Cronograma: Cronograma: é uma tabela que cruza atividade e datas. Serve para organizar todas as atividades previstas, atribuindo-lhes datas de execução, de forma que a coleção possa ser concluída até um prazo final estipulado. Deve conter ainda, a definição de quem vai fazer o quê no planejamento; © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  106. 106. EtapasPesquisas: Coleta de todo o tipo deinformação e materiais que possam servir desuporte para o desenvolvimento da coleção.Devem ser coletadas ainda, amostras decores, tecidos e aviamentos. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  107. 107. EtapasBriefing: Do inglês “brief”, é o conjunto deinstruções que o criador recebe paradesenvolver uma coleção. Comunica osprincipais conceitos que irão nortear a coleção.Para Pires (2003), o briefing é um painel queconcentra de modo claro e sintético o conceitoda coleção e que comunica as cores, osmateriais, as texturas, as linhas, as formas, osvolumes e outras informações importantes. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  108. 108. •  Briefing: resumo; conjunto de dados fornecidos pelo fabricante/cliente para orientar a sua equipe na elaboração de uma coleção"•  Briefing: relatório em que estão colocados os dados necessários para elaboração de uma coleção"•  Briefing não é a resposta de um questionário, mas um relatório, ou seja, relatar sobre determinados enfoques © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  109. 109. Briefing – Viver de Design (Gilberto Strunck)•  DATA: CLIENTE:!•  FONE/EMAIL:!•  TIPO DE SERVIÇO:!•  OBJETIVO/TIPO DE PROBLEMA A SER RESOLVIDO:!•  PRINCIPAL DIFERENCIAL A SER EXPLORADO:!•  PÚBLICO-ALVO(QUEM CONSOME):!•  CONCORRÊNCIA DIRETA E INDIRETA:!•  INSTRUÇÕES ESPECÍFICAS(OBRIGATORIEDADES):!•  TIPO DE APRESENTAÇÃO:!•  OBSERVAÇÕES:! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  110. 110. Briefing Produto:Nome
Categoria
Embalagens
Variantes do produto
Preços do “consumidor”
Qual a imagem da marca?
Quais as principais características diferenciadoras emrelação à concorrência?
Quais os principais pontos positivos do produto?
Quais os principais pontos negativos do produto?
Outras influências (ambientais, culturais, sociais, etc.) © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  111. 111. Briefing Mercado. Qual o tamanho do mercado?". Quais os principais mercados?". Qual a participação de mercado que a empresa pretendeter com estes produtos?". Qual seria a evolução deste mercado? © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  112. 112. Briefing Consumidor. Target primário (quem compra)
. Target secundário (usuário direto)". Para quais tipos de empresa se adequaria as variantesdo produto (porte, nº de funcionários, filosofia, ramo deatividade, etc.)
. Descreva influências estruturais, conjunturais, sociais,políticas e econômicas que o comprador / usuário estejaexposto e que possa ser relevado
. Quem decide a compra do produto, e normalmente comoela é feita? © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  113. 113. DISTRIBUIÇÃO. Quais e quantos são os canais a serem utilizados?
. Existirão outras alternativas para distribuição? © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  114. 114. PREÇOS. Qual a relação do preço do produto com o preço daconcorrência?
. Existem restrições legais para se estabelecer o preço?
. Quais serão os critérios adotados para se estabelecer opreço?
. Qual a relação da empresa / publico alvo quanto aopreço deste produto (custo / beneficio)? © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  115. 115. RAZÕES DE COMPRA DO PRODUTO. Qual a razão de compra mais frequente: política ou realpreocupação social?". Porque o público alvo prioritário compraria?". Por que o usuário final concordaria com a compra?". Quais os benefícios que ambos esperam desse produto? © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  116. 116. Reunião de Definição de trabalhos:1 - Definição do grupo de elaboração (responsáveis)2 - Discussão inicial sobre o briefing3 - Quais os objetivos do projeto?4 - Por que o projeto tornou-se necessário? Por que agora?5 - Quais são os resultados esperados?6 - Qual é o prazo disponível?7 - Qual é o orçamento disponível?8 - Quais os critérios de avaliação do projeto?9 - Descrição da etapas intermediárias (cronograma) © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  117. 117. • Organizando o Processo © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  118. 118. Mix de produto e de modaMix de produto é a variedade de produtos que umaempresa oferece. As peças classificam-se em“tops” (qualquer parte superior) e “bottons” (qualquerparte inferior). Deve-se analisar quais os tipos de artigoque deverão compor a coleção (blusas, túnicas, blazers,shorts, saias, calças...). Exemplo: uma confecção de surfwear masculina tem seu mix composto de shorts,bermudas, camisetas, regatas, trajes de neoprene, etc. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  119. 119. Mix de produto e de modaPode-se incluir no mix de produto acessórios, calçados, objetos,entre outros. O mix de moda é composto por três segmentos:1.Básicos: funcionais/ sempre presentes;2. Fashion: Modelos de acordo com as tendências;3. Vanguarda: Peças complementares (vitrines, desfiles/ maiorimpacto).Pode ser elaborada uma tabela cruzando o mix de produto como mix de moda com o número de peças para servir deparâmetro para a equipe de criação. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  120. 120. Mix de Coleção© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  121. 121. Dimensão da coleçãoO tamanho da coleção depende da estratégia comercialda empresa. Quem é o consumidor final. Em geral umacoleção pode variar entre 20 a 80 peças, mas estesnúmeros não são regras fixas. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  122. 122. Analise da coleção anteriorAnalisar o resultado da estação precedente é importantepara perceber as peças que mais venderam, os lucrosobtidos, problemas encontrados, enfim, como foi oresultado final da coleção. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  123. 123. Pesquisa de tendênciasA pesquisa deve ser algo constante para o designer demoda, ela é o início de todo o processo de criação. Apesquisa de tendências pode ser realizada por meio derevistas, sites da internet, feiras, desfiles, etc. Ela requersensibilidade do criador para traduzir mudanças,sentimentos e comportamentos desse consumidor. APesquisa de Tendência e a Pesquisa de Tema deColeção são as principais pesquisas inseridas noPlanejamento de Coleção, pois precisa ser realizada notempo certo, caso contrário seus resultados serãoultrapassados. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  124. 124. Pesquisa de tendênciasTambém deve ser ressaltada a pesquisa decomportamento, pesquisa de mercado e a pesquisatecnológica. Na Pesquisa de Comportamento não bastaconhecer aquilo que o mercado já consome. Moda é adinâmica da mudança, da renovação. O designer devesaber com quem seu público-alvo está atualmenteidentificado. A Pesquisa de Mercado são os concorrentes. É precisosaber quem são os concorrentes e estar atento àsestratégias utilizadas pelos mesmos para atrair reterclientes. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  125. 125. Pesquisa de tendênciasPara a Pesquisa Tecnológica é imprescindível mantercontato com fornecedores sobre as inovaçõestecnológicas do mercado e isso pode ser feito através devisitas a fornecedores e no atendimento a representantesna própria empresa. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  126. 126. Pesquisa de tendências •  Ditar tendências •  Interpretar tendências •  Seguir tendências •  Copiar Tendências © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  127. 127. •  Elementos do Design : São elementos que auxiliam na criação, ou seja, na geração de novos arranjos para elementos conhecidos (tecidos, aviamentos, cores). O designer deve utilizar essas ferramentas para arranjar as combinações mais originais e criativas que estimulem o consumo. São elementos do Design: Silhueta, a linha , a textura e a cor. A maneira como esses elementos são utilizados são chamados de princípios de design e conferem aos produtos: repetição, ritmo, gradação, radiação, contraste, harmonia, equilíbrio e proporção. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  128. 128. Escolha do temaO “tema” representa a leitura estética do briefing. Adefinição do “tema” geralmente é livre, só depende dasensibilidade do designer transformar esse elementoinspirador em uma proposta de moda, chocante oucomercial conforme o objetivo da empresa. O tema deveter uma ponte com as tendências. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  129. 129. •  Na busca de inspiração, o designer deve manter olhos e ouvidos atentos, ao participar de shows, visitar lojas, danceterias, cafés, galerias, cinemas; deve ler jornais , revistas, livros; frequentar festas, ouvir as músicas e, acima de tudo, observar as pessoas e absorver as mudanças estéticas sutis que acontecem em sociedade. (JONES, 2002, p. 146) © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  130. 130. •  Imagem Tema: É aquela imagem que representa o resumo das características. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  131. 131. Brusamarello,2007© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  132. 132. Cartela de coresPara o desenvolvimento de uma coleção épreciso formar uma cartela de cores. Essascores são extraídas do briefing, da imagemforte fazendo parte do tema da coleção.Cada cor deve ser identificada por códigosou nomes escolhidos pelo designer. Obranco e o preto, normalmente fazem partede todas as cartelas. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  133. 133. Brusamarello, 2007© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  134. 134. Cartela de materiaisEles são escolhidos pelo designer na hora dedesenvolver a coleção e precisam estar de acordo com aestação e com o tema proposto para a coleção. Deve-seanotar informações sobre o material (amostra): Nome oureferência; composição; fabricante, largura; rendimento;gramatura; etc..O valor da matéria-prima também deve ser considerado,pois um custo elevado pode comprometer acomercialização da peça, que certamente irá para omercado com um preço mais alto. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  135. 135. •  Tecidos (planos e malhas): os tecidos são a material-prima do designer. É através dos tecidos, que as idéias serão transformadas em produtos. Pode-se dizer que tecido seja um nome genérico que descreve s processos de entrelaçamento de fios têxteis. Convencionou-se o nome de tecido plano para aqueles obtidos através de teares planos, com entrelaçamento de fios transversais (trama) e horizontais (urdume) e, malhas, são conhecidas pelo entrelaçamento dos fios por laçadas e obtidas por teares circulares e/ou retilíneos. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  136. 136. •  Desenhos: Os desenhos representam bidimensionalmente a criação do designer, é necessário um grande números de desenhos/ esboços para que possam ser transmitidas as idéias inicialmente desenvolvidas para uma coleção. A seguir, é desenvolvido o desenho de moda ou croqui que permite visualizar melhor os detalhes e combinações entre as peças da coleção. Hoje em dia, já se pode desenvolver desenhos de moda diretamente em programas de computador (CAD/CAM – Computer aided design e computer aided manufacturing). © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  137. 137. Brusamarello, 2007© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  138. 138. Brusamarello, 2007© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  139. 139. Desenho Técnico•  Também conhecido como desenho planificado, tem o objetivo de comunicar as idéias do designer ao setor de modelagem e pilotagem (que costura um modelo para testes). Todos os detalhes de costura, aviamentos, medidas , recortes e pences, etc, devem estar especificados. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  140. 140. Brusamarello, 2007© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  141. 141. Google Images, 2010© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  142. 142. •  Estamparia: Caso esteja previsto algum tipo de estamparia ou bordado, é nesse momento do processo que os mesmos são desenvolvidos . Os mesmos podem ser desenvolvidos à mão ou por computador. Este item muitas vezes acresce valor ao produto de moda e pode representa um diferencial. Este mesmo processo pode ainda representar um custo maior para a produção, pois nem sempre as empresas possuem maquinários para realizá-lo e utilizam-se de serviços terceirizados. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  143. 143. Imagens Santa Mistura© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  144. 144. ProtótipoO protótipo ou peça-piloto é confeccionado poruma costureira polivante, capaz de discutir como designer e o modelista as dificuldadesencontradas ao costurar a peça e proporalterações que tornem a produção mais fácil. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  145. 145. Brusamarello, 2007© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  146. 146. Definição dos modelosA definição dos modelos que farão parte da coleção,nunca deve ser uma decisão solitária. É importante queseja formado um comitê de decisão cuja composiçãoalém da presença do empresário e de um funcionário daárea de estilo devem também participar executivos dasáreas de vendas e de produção. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  147. 147. Definição dos modelosA análise técnica comercial através do comitê temmaiores possibilidades de garantir que o produto finalcorresponda às expectativas do mercado e da empresa.Deve ser considerado: atualidade, preço, criatividade,público-alvo, etc. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  148. 148. •  Modelagem: ainda segundo Treptow (2003), a modelagem está para o design de moda, assim como a engenharia está para a arquitetura. Após selecionados os desenhos da coleção, os mesmos são encaminhados ao setor de modelagem para a elaboração de protótipos. A modelagem também já adquiriu um contexto mais desenvolvido, podendo também ser realizada em sistema de computador CAD/CAM. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  149. 149. Google Images, 2010 Brusamarello, 2007 © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  150. 150. Peça pilotoA peça piloto será a peça que servirá para a orientaçãode toda a produção e como tal deve incorporar todas ascaracterísticas de produto final em termos deacabamento, qualidade e aviamentos. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  151. 151. •  A ficha técnica é o documento descritivo de uma peça de coleçao. É a partir dela que o setor de custos e o departamento comercial estipularão o preço de venda, que o setor de planejamento e controle da produção (PCP) calculará os insumos necessários para a fabricação conforme os pedidos, e que o setor de compras efetuará a aquisição da matéria-prima (tecidos e aviamentos). O formato da ficha varia de empresa para empresa. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  152. 152. Ficha técnica© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  153. 153. Blog Juliana Rodrigues© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  154. 154. Graduação dos modelosA graduação dos moldes consiste em acrescentar oudiminuir a diferença medidas proporcionalmente a cadatamanho, partindo de um tamanho que foi desenvolvida amodelagem.Exemplo: Se a modelagem foi desenvolvida no tamanhoM, para fazer o tamanho tamanho P, as medidas devemser diminuídas, enquanto para fazer o G, as medidasdevem ser aumentadas. Uma tabela de medidas deveser utilizada, tanto para realizar a modelagem como parafazer a graduação. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  155. 155. Encaixe e riscoNesta etapa, os moldes com os tamanhos já graduados,serão encaixados ou organizados para garantir ummelhor aproveitamento do tecido que será cortado. Esteencaixe servirá de risco para realização do corte. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  156. 156. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  157. 157. •  Formação de Preços/custos: de extrema importância e geralmente desenvolvido pela gerência administrativa/financeira em parceria com o setor de planejamento e controle da produção. A formação de preços faz parte da estratégia das empresas e pode significar um fator decisivo junto ao consumidor. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  158. 158. Custo das peçasO custo de uma peça engloba as despesas associadasao produto – matéria prima, mão de obra e embalagem –que é chamado de custo direto mais os custos indiretosque existem com a fábrica produzindo ou não – aluguel,administração etc.Com as fichas técnicas contendo informações precisas,podemos calcular o CUSTO DIRETO de uma peça. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  159. 159. Custo das peçasOs produtos especiais possuem bordados, modelagensousadas, tecidos diferenciados e, portanto seus custossão mais elevados do que o custo médio das outraspeças da coleção. Algumas empresas repassam para asoutras peças o custo das especiais para não haver umdesequilíbrio de preço grande entre elas. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  160. 160. MostruárioDeverão ser feitas amostras em quantidade suficiente demodo que possam ser apresentadas aos clientes ouentregues aos representantes acompanhadas de cartelade cores e tipos de materiais. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  161. 161. ReleaseUm texto que apresenta a coleção. Nele se apresenta otema pesquisado, os pontos fortes, as idéias principais,as formas, as cores, os tecidos, assim como informaçõesconsideradas importantes.RELEASE DA COLEÇÃO: texto em linguagem de moda,também poético, com sedução, ritmo e que trate dasseguintes informações: © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  162. 162. VendasAs empresas podem fomentar as suas vendas atravésda aplicação de uma política de promoção e de vendas.Sendo que aquelas de menor porte devem concentrar oseu esforço naqueles canais que atingem maisdiretamente aos consumidores potenciais do seuproduto. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  163. 163. Produção•  O sistema de produção está intimamente relacionado ao sistema de vendas. A programação da produção nunca deve aleatória, e sim, basear-se na previsão de demanda ou nos pedidos e é de responsabilidade do setor de Planejamento e Controle da Produção (PCP). (Treptow, 2003) © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  164. 164. Produção•  O primeiro passo para a programação da produção é a compra dos insumos, pois os fabricantes de tecidos e aviamentos nem sempre possuem artigos à pronta entrega. As coleções bem planejadas otimizam a utilização dos recursos aplicando um mesmo insumo em várias peças. (Treptow, 2003) © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  165. 165. Produção•  O segundo passo é a organização da mão- de-obra, identificando gargalos de produção e a necessidade ou não de novas contratações ou de serviços externos. (Treptow, 2003) © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  166. 166. Entregas•  Depende do acertado com os compradores. Hoje em dia,são vários os tipos de entrega.- Pronta-entrega = no momento da aquisição;-  Por prazo estipulado com a empresa e o comprador;Exemplo Zara: até 7 dias em qualquer uma de suas lojas pelo Mundo. © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  167. 167. Reunião de Feedback•  A reunião deve ser realizada durante ou após o período de comercialização da coleção. Essa reunião pode ocorrer junto a reunião de planejamento da nova coleção, considerando-se os pontos positivos e negativos da anterior que servirão de orientação para a coleção seguinte ou para ajustes na coleção que estiver sendo elaborada no momento. (Treptow, 2003) © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  168. 168. . Medo do desconhecido © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  169. 169. . Como mudar isso!© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  170. 170. . Mudança!© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  171. 171. . Bloqueios!© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  172. 172. . Costumes e tradições© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  173. 173. . Inovação© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  174. 174. . Inovar é ver diferente! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  175. 175. . Inovar é duvidar!© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  176. 176. . Inovar é surpreender! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  177. 177. . Inovar é saborear!© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  178. 178. . Inovar é Ousar!© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  179. 179. . Inovar é Gestar!© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  180. 180. . Inovar é arriscar!© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  181. 181. . Inovar é unir!© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  182. 182. . Inovar é descobrir! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  183. 183. . Inovar é maravilhar! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  184. 184. . Inovar é apostar!© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  185. 185. . Inovar é construir! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  186. 186. . Inovar é divertir! .É achar graça!© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  187. 187. . Inovar é imaginar!© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  188. 188. . Inovar é acreditar! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  189. 189. . Inovar é tentar de outro jeito! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  190. 190. . Inovar é crescer!© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  191. 191. . Inovar é arejar as idéias! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  192. 192. . Inovar é simplificar! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  193. 193. . Inovar é seduzir!© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  194. 194. . Inovar é entusiasmar! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  195. 195. . Inovar é fazer a diferença!© Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  196. 196. Recadinho final: MUDEM! Dêem os primeirospassos! Sejam criativos e Inovadores! Obrigada! © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção
  197. 197. AVELAR, Suzana. Moda: globalização e novas tecnologias. São Paulo: Estação das Letras eCores, 2009.BAUDOT, François. Moda do século. São Paulo: Cosac & Naify Edições, 2000.CALDAS, Dario. Universo da moda: curso on line. São Paulo: Anhembi Morumbi, 1999.CARLUCCI, Roberta..http://www.robertacarlucci.com.br/blog/1090/stylist-personal-styist-estilista/, acesso em 10 demaio de 2010.BRAGA, João. História da Moda: uma narrativa. Editora Anhembi Morumbi, 2004.Keller, Jacqueline. Gestão do Design de moda: processos que agregam valor ediferencial ao produto de moda. Dissertação de Mestrado do Programa de Pós Graduaçãoem Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina, 2004LURIE, Alison. A Linguagem das Roupas. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.MORACE, Francesco. Consumo Autoral: as gerações como empresas criativas. São Paulo:Estação das Letras e Cores,2009.MOUTINHO, Maria Rita e VALENÇA, Máslova Teixeira. A Moda no Século XX. Rio deJaneiro: Ed: Senac Nacional, 2000.POLLINI, DENISE. Breve História da Moda. São Paulo:Editora Claridade. Coleção Saber deTudo. 2007. 96 p.SOUZA, Gilda de Mello E. O Espírito das Roupas. São Paulo: Cia das Letras, 1987TREPTOW, Dóris. Inventando Moda: Planejamento de Coleção.Brusque, 2003VINCENT-RICARD, Françoise. As Espirais da Moda. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.Imagens: www.googleimages.com © Jacqueline Keller Desenvolvimento de Coleção

×