O OCULTO DO OCULTISMO - VÓL I

1,202 views

Published on

  • Be the first to comment

O OCULTO DO OCULTISMO - VÓL I

  1. 1. 1 MEDITAÇÕES – O OCULTO DO OCULTISMO - Vol I
  2. 2. 2 Neli Cavalcante Assessoria jurídica Especialista em Leis Cristãs R. Aureliano Coutinho, 228 / 04 Embaré – Santos- Cep: 11.040- 240 Tel. 32314759- 91227361- 91780437 E-mail: nelicavalcante7@yahoo.com.br “e te restituirei os teus juízes, como eram dantes, e os teus conselheiros, como no princípio, então serás chamada cidade de justiça, cidade fiel”.1 1 Isaías 1:26.
  3. 3. 3 Dedicatória: A Deus, pois justiça e juízo são a base do Seu trono.
  4. 4. 4 1. Prefácio Querida (o) amiga (o), sedenta (o) e faminta (o) de JUSTIÇA Deixo aqui para sua reflexão, de maneira simples, alguns retalhos escritos, algumas sementes, para que germinem e dêem frutos ao seu coração, certamente inconformado com a injustiça, com a hipocrisia e o desamor. Seja cada uma dessas sementes, água de Deus para regar a sua alma. Livres de cercas religiosas, encontramos Deus fora do status quo, fora do padrão religioso estabelecido, que como revela o Apocalipse é uma verdadeira prisão e uma astuta armadilha anti-Cristo. Encontramos o Poderoso fora dos dogmas, dos rituais vazios, a exemplo de Martinho Lutero e tantos outros que ousaram questionar o que está pré- estabelecido, como ensinou Kant, como denunciou Kierkegaard, e outros tantos filósofos, como também Sto Agostinho, Aquino e outros, que explicaram a fé pela lógica, e aí descobrimos a virtude, o que é santo e justo, e entendemos também o que falou Sócrates: “Só sei que nada sei”. A exemplo de tantos mártires, nos ocupamos em tornar os textos bíblicos populares, como é o propósito de Deus em oposição à religião, esta que é umas das maiores desgraças da humanidade (se não for a maior), e que divide os homens que Jesus veio para unir. É impressionante como este nome, que é acima de todo o nome que se nomeia, provoca tempestades e escandaliza, pois veio testificar que as nossas obras são más. Descobrimos enfim, de maneira maravilhosa, que este Jesus Bíblico, que não pertence a nenhuma religião, mas ao que crê, este que divide a humanidade em antes e depois, o Verbo que se fez carne, O Homem que habitou entre nós, é também Deus (o único), de eternidade à eternidade. Jesus não é religião, mas a única oportunidade para o relacionamento do homem com Deus. A sua ressurreição foi o fato mais extraordinário da humanidade e é fartamente comprovado pela história. Eis o nosso fundamento, a nossa Fonte Primeira: “Pois ninguém pode pôr outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo”. Há outro que tenha ressuscitado? Observemos para tirar as nossas conclusões: A Bíblia tem 40 livros que foram escritos por 66 autores. Todos estes viveram em épocas totalmente diferentes, eram pessoas de personalidade, cultura, idade, sexo, nações diferentes totalmente uma da outra, porém falaram sobre as mesmas coisas; uma coisa testifica da outra, se encaixa na outra com uma exatidão espantosa. Qual o livro que demora séculos para ser escrito? Qual livro é o best-seller do mundo? Qual livro que termina de ser escrito hoje, sem estar já ultrapassado? Qual o livro que fala com todos, nos quatro cantos do mundo da mesma maneira, que desperta o rico e o pobre, o sábio e o iletrado, sem fazer acepções? Quais as leis que estão inseridas em todos os seguimentos das sociedades, em todos os tempos? Se assim é, como poderia alguém imaginar que estas são palavras de homem? “Pois os seus atributos invisíveis, o seu eterno poder e divindade, são claramente vistos desde a criação do mundo, sendo percebidos mediante as coisas criadas, de modo que eles são inescusáveis;”. Escrevemos sob o comando de Deus, que certa feita me deu uma
  5. 5. 5 Re-nascimento é nascer outra vez. Quando este momento extraordinário aconteceu na minha vida eu não tinha idéia da grandiosidade do acontecimento. Quero aqui colocar junto com este tema, um resumo da minha trajetória, ou parte dela, pedindo a Deus que o texto venha ajudar a cada um a alcançar este momento sublime, divino, vital e que é o ápice para qualquer ser humano, sem precisar passar por nada que eu passei. Existe esta grande possibilidade na vida de cada um que ler teste texto. A minha oração é para que você seja esta pessoa. Antes de qualquer coisa, convido o leitor a “passear” um pouco pela Bíblia, meditando da maneira mais simples possível sobre o assunto, pois de início, as pessoas têm dificuldade para manusear a Constituição do Reino de Deus, o que é natural para qualquer começo. Temos então empenho em tornar os textos bíblicos populares, como é o propósito de Deus, e o oposto da religião. Se a fé do leitor ainda não teve este início é muito simples e sem burocracias a que ela comece agora, basta ler as orientações que escrevemos no Prefácio, acompanhar as referências no rodapé, “fechar os olhos” para as coisas visíveis, dar um passo à frente, tomar uma atitude sincera, com o coração, e também com lógica e coerência como nos é tudo o que vem de Deus, e em seguida sentar- se no colo do Pai conduzido pelo Autor da fé e Autor da Vida. Santidade, solenidade e profunda alegria no meio da aflição, evidentemente sempre estarão presentes quando alguém busca Deus e O encontra. “13 Buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração”.2 Quando falamos de lógica, mesmo parecendo uma utopia, pois Deus é muito ilógico, isto tem cada vez mais sentido na medida em que vamos conhecendo a Deus mais e mais. Passam então a serem ilógicas as coisas que fazemos ou entendemos e não o Reino d’Ele. Jesus falou que somos uma geração rebelde e contradizente3 e na medida em que vamos caminhando ao Seu lado, aprendendo com Ele,4 vamos abrindo os olhos espirituais e “enxergando” melhor com os olhos fechados e então enquadramos a lógica no contexto de Deus, com certeza. É só conferir. O comportamento do homem é bastante incoerente e cheio de contradição. Fala-nos Deus que não paramos para pensar nas coisas que fazemos e tornamos a fazer, por tradição, por uma passividade na mente, uma atitude baciada, uma mentalidade tribal. 2 Jeremias 29. 3 Romanos 10:21. 4 Gênesis 17:1.
  6. 6. 6 “18 Nada sabem, nem entendem; porque se lhe untaram os olhos, para que não vejam, e o coração, para que não entendam. 19 E nenhum deles reflete; e não têm conhecimento nem entendimento (...)”.5 Vamos então meditar, filosofar (aprender a pensar), insistir em prol de desvendar os mistérios da crise existencial (quem sou, de onde eu vim e para onde vou) para enfim entender como é simples, lógico, coerente e absolutamente maravilhoso a vida ao lado de Deus. Fala o Apóstolo Paulo que é INESCUSÁVEL não crer: “20 Pois os seus atributos invisíveis, o seu eterno poder e divindade, são claramente vistos desde a criação do mundo, sendo percebidos mediante as coisas criadas, de modo que eles são inescusáveis”.6 Observemos o que o Prefácio nos fala em relação à Bíblia e como foi escrita, e pela lógica vamos entender que não há como pensar que foi escrita por homens. No passado, homens de Deus que viviam dentro das religiões, tentando uma libertação das suas misérias interiores encontraram esta resposta na Bíblia, e aí sim puderam respirar e entender o que se passava dentro deles e como eram influenciados por uma força invisível e maligna. Santo Agostinho, São Tomaz de Aquino, considerados gigantes da filosofia, foram alguns dos muitos que assim viveram. Descobriram a verdade e depois foram estudar, pensar e explicar Deus pela lógica. A religião os toma para si, porém, assim como eles, grandes homens saíram deste contexto sórdido religioso, que se senta no lugar de Deus, “torcendo” os fatos, para assim se tornar aos olhos de todos, uma instituição que não desperta credibilidade, tal os absurdos que ocorrem dentro de cada uma delas. O mandamento de Deus é para honrar a Ele acima de tudo o que temos, somos e fazemos e também ao próximo como a nós mesmos. Seria isso o que vemos as pessoas aprenderem dentro desses templos que se dizem de Deus, ou seria, por acaso exatamente ao contrário o que vemos acontecer na prática? Colocamos a seguir alguns trechos do texto “As festas são boas?”. (...) Certamente não deixaremos de amar ninguém que ainda freqüente alguma religião. Na verdade entendemos perfeitamente a intenção que há no coração das pessoas nesta empreitada e nesta busca, já que vivencionamos o fato, e, evidentemente, devemos o respeito devido a cada um, mas também, não poderemos deixar de falar daquilo que vimos e ouvimos, e que nos foram de grande valia, sob pena de nos deixar condenar pelo pecado da omissão. Quiçá tudo isso sirva 5 Isaias 44. 6 Romanos 1.
  7. 7. 7 a cada um como nos serviu. O objetivo então é alcançar pessoas que sintam as mesmas coisas que sentíamos quando freqüentamos cada uma das religiões, que trazem tantas contradições e angústia no coração das pessoas, e, jamais, com certeza, ofender ninguém. Quantas vezes tantas pessoas não tiveram coragem de nos falar coisas tão importantes, coisas que queríamos tanto saber e que na verdade estávamos procurando a resposta, por achar que iria nos ofender. Isto nos trouxe grande prejuízo e muita dor. Não queremos que ninguém sinta o que sentimos e que sofra prejuízos com o nosso silêncio. Que Deus possa alcançar essas pessoas que procuram respostas como procurávamos, e que não estão conformadas com o que temos pronto para “comer”, essas que não aceitam tradição e costumes como leis infalíveis até que sejam averiguadas na sua essência, essas que, como ensinou Kant, não aceitam a opinião de quem quer que seja (mesmo a de um especialista no assunto), sem antes meditar, averiguar. Sabemos que quando Jerusalém (que é a terra da obediência inquestionável da fé) foi destruída, o povo se misturou com Roma (a terra do questionamento, do argumento, da lógica) absorvendo os seus costumes pagãos, desobedecendo assim a ordem divina e trazendo muitos destes costumes para o meio do povo de Deus, os quais permanecem até hoje. “9 Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te dá, não aprenderás a fazer conforme as abominações daqueles povos”.7 Deus não fez de homens, robôs, mas os inspira a buscar a convicção e onde está a verdade: “19 E até importa que haja entre vós facções, para que os aprovados se tornem manifestos entre vós”.8 O Criador fez o homem livre para decidir, para pesquisar com liberdade e responsabilidade. As coisas de Deus são coerentes, e esta palavra é importantíssima quando buscamos saber se algo vem d’Ele, ou seja, a JUSTIÇA é coerente e até lógica, apesar do antagonismo entre fé e razão, quando se consegue olhar pela ótica da retidão, quando a peneira do JUSTO antecedeu a qualquer passo, idéia ou pensamento nosso: “8 Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é 7 Deuteronômio 18. 8 I aos Cor 11.
  8. 8. 8 puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai”.9 Peneiremos então para dar o primeiro passo, cautelosamente, pois o engano é muito sutil e muitas vezes fatal. Se Deus tivesse a intenção de nos robotizar, teria feito, é claro, um homem que, antes de qualquer coisa, não O fosse trair. Se quisesse não o teria feito? Na verdade esta é uma atitude de Deus que nos causa um grande espanto. Por que Ele faria, criaria um homem tão perfeito, deixando a possibilidade deste O abandonar depois, traí-Lo, causar-Lhe tanta dor? Deve ser a mesma medida de amor (guardada as devidas proporções) que Ele coloca no coração de uma mãe e de um pai, que também decide criar filhos com tanto trabalho, renúncia, abnegação, sabendo que este poderá um dia decidir abandoná-los, traí-los, causar-lhes muita dor. A mídia mostra isso todos os dias, e o que a Bíblia deixou escrito para a eternidade, se cumpre diante dos olhos de todos nós nestes últimos e terríveis dias na terra, em que, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de quase todos (não o de muitos, mas de quase todos) esfriou.10 Só perseveramos, porque no final do versículo Ele nos fala: “Mas aquele que perseverar até o fim será salvo”.11 Deus repete esta mesma afirmação quando nos fala que seremos odiados de todos por causa do nome d’Ele,12 ou seja, aquele que tiver fome e sede de Justiça,13 e quiser viver piamente nos ensinos de Cristo,14 sofrerão perseguição, serão odiados de todos (sem causa),15 como o fizeram com Ele, pois testificava e testifica a cada instante que as obras do homem são más,16 haja vista a sua célebre frase, a suprema intercessão pelos seus executores, sem a qual Deus não poderia nos alcançar: “34 Jesus, porém, dizia: Pai, perdoa-lhes; porque não sabem o que fazem”.17 Ronda-nos a tentação de que talvez não precisemos viver piamente, porém, o Apocalipse nos alerta que o morno causa ânsias de vômitos em Deus, este que está “em cima do muro” e 9 Filipenses 4. 10 Mateus 24. 11 Mateus 24:12. 12 Mateus 24:9; Mateus 10:22. 13 Mateus 5:6. 14 II a Timóteo 3:12. 15 João 15:25. 16 João 7:7; João 3:20. 17 Lucas 23:34.
  9. 9. 9 não assume as suas convicções, este que coloca um pezinho no Reino de Deus e outro no reino das “delícias”, das paixões, dos prazeres enganosos, do “prato quente de lentilha”, pronto para ser saboreado como o fez Ezaú,18 perdendo assim, irremediavelmente, as bênçãos da sua primogenitura, passando a viver a partir de então na “quarta feira de cinzas”, no dia seguinte que vem nos trazer o “encarar da realidade”, as conseqüências dos nossos atos, a colheita do que plantamos. Deus nos ensina a não ter medo de ninguém e nem do diabo, mas só d’Ele,19 mas nos deixa o alerta vermelho para que fujamos das tentações,20 que não fiquemos perto dela (o que fez Eva21 ), pois dificilmente poderemos resistir aos seus encantos. Quem quiser “pagar parar ver”, que pague e depois leve. Fala-nos o Apocalipse da geração indefinida de Laodisséia, esta que vive na baciada, no conceito tribal, esta que não quer ser vomitada pela tribo e assim se torna o “Maria vai com ...” e não com ele mesmo quanto mais com Deus. Na verdade este tem a mente tão passiva que nem chega a questionar qual é a dele, nem sequer tem a medida das conseqüências que sofre alguém que segue a baciada, e, portanto, vai após o seu ventre,22 o seu lucro,23 aos desejos da sua carne, às concupiscências dos seus olhos, à soberba da vida,24 ao mundo que jaz todo no maligno,25 à coisas temporais, e não após o que é justo e de boa fama que são eternas.26 18 Gênesis 25. 19 Lucas 12:5. 20 II a Timóteo 2:22. 21 Gênesis 3. 22 Romanos 16:18. 23 Ezequiel 33:31. 24 I João 2:15/17. 25 I João 5:19. 26 II aos Coríntios 4:18.
  10. 10. 10 (...) Continuando o nosso refletir ... Deus nos alerta a questionar principalmente a nós mesmos, a nos examinar, a pesar as coisas, a medir o valor de cada uma, antes de fazer a nossa escolha. Não é diferente da lógica e do questionamento de Roma, que leva o homem ao egoísmo exacerbado e o afasta da fé, que é crer no que não vê e não crer no que vê? Tudo nos é lícito, mas o que nos convém? Esta é a questão. “12 Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas; mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas”.27 “23 Todas as coisas são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas são lícitas, mas nem todas as coisas edificam”.28 O Senhor dos Exércitos continua nos instigando a perseverar na guerra: “21 Apresentai a vossa demanda, diz o Senhor; trazei as vossas firmes razões, diz o Rei de Jacó”.29 “26 Procura lembrar-me; entremos juntos em juízo; apresenta as tuas razões, para que te possas justificar!”.30 “6 e Jerusalém, sobre os teus muros pus atalaias, que não se calarão nem de dia, nem de noite; ó vós, os que fazeis lembrar ao Senhor, não descanseis, 7 e não lhe 27 I aos Coríntios 6:12. 28 I aos Coríntios 10:23. 29 Isaías 41. 30 Isaías 53.
  11. 11. 11 deis a ele descanso até que estabeleça Jerusalém e a ponha por objeto de louvor na terra”.31 Fala o Senhor que a primeira coisa que teremos que fazer para segui-Lo é jogar fora a hipocrisia,32 a dissimulação, a ridícula “folha de parreira” que tenta cobrir a vergonha, deste que nos conhece, pois fez o nosso avesso e o nosso direito, e também que Ele veio para os que reconhecem que estão doentes e não para os que se consideram sãos,33 como querem indicar vestidos com esta tênue, para não dizer burlesca “folhinha de parreira”.34 Fala também que tímidos não herdarão o Reino de d’Ele,35 mas só os valentes o conquistam.36 Para estes, que decidem fazer a violência de andar na contra mão deste mundo e seu sistema mortífero,37 o momento também de “levantar e marchar”38 está inserido no contexto: “40 pela tua espada viverás, e a teu irmão, serviras; mas quando te tornares impaciente, então sacudirás o seu jugo do teu pescoço”.39 Teremos que encontrar o ponto de equilíbrio, pois Deus não nos fala só isso, como bem sabemos: “20 Antes, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça”.40 E sempre mais que isso. Eis os seus valentes: 31 Isaías 62. 32 Lucas 12:1. 33 Mateus 9:12. 34 Adão se escondeu, escondeu a sua vergonha, a sua doença (como se pudesse) de Deus, ao invés de confessar para ser então curado. 35 Apocalipse 21:8. 36 Mateus 11:12. 37 I a João 2:15. 38 Êxodo 14:15. 39 Gênesis 27:40. 40 Romanos 12:20.
  12. 12. 12 “32 Melhor é o longânimo do que o valente; e o que domina o seu espírito do que o que toma uma cidade”.41 Sim, pois para tudo há um tempo determinado debaixo dos céus:42 um tempo para responder ao tolo e outro tempo para não responder a este: “4 Não respondas ao tolo segundo a sua estultícia, para que também não te faças semelhante a ele. 5 Responde ao tolo segundo a sua estultícia, para que ele não seja sábio aos seus próprios olhos”.43 Tudo isto, como vemos, está longe de uma proposta passiva e robótica, mas a educação de Deus é continuamente provocativa. Ele forja os seus soldados no campo de batalha. E depois da batalha teremos então a convicção, condição sine qua non44 para que se possa chegar ao trono do Juiz do Universo e pleitear a nossa causa: “22 A fé que tens, guarda-a contigo mesmo diante de Deus. Bem-aventurado aquele que não se condena a si mesmo naquilo que aprova”.45 Na verdade, teremos que ponderar, o engano normalmente não acontece com pessoas superficiais, mas com os empenhados na verdade, por isso Deus nos alerta a cada passo: “... vigiai e orai”.46 Continuando a reflexão sobre o povo de Deus misturar-se com Roma, há um paralelo entre as verdades físicas e espirituais, e então, quando Israel física cede terras de possessão perpétua de Deus, em troca de paz, esta será uma falsa paz, pois terras sagradas não se podem ceder, pois elas não são do homem, mas de Deus. E quando Israel espiritual (o povo de Deus) cede terras de possessão perpétua, que são os mandamentos e os princípios Divinos, em troca de paz, esta será uma paz mentirosa, pois há um limite que separa o ceder para um acordo e o ceder para 41 Provérbios 16:32. 42 Eclesiastes 3. 43 Provérbios 26:4,5. 44 Sine qua non ou condição sine qua non originou-se do termo legal em latim para “sem o qual não pode ser”. Refere-se a uma ação, condição ou ingrediente indispensável e essencial. Em tempos recentes passou de um termo meramente usado nos meios legais para uma expressão generalizada usada em várias línguas, incluindo o inglês, alemão, francês, italiano, etc. O seu plural é Sine quibus non. 45 Romanos 14:22. 46 Mateus 26:41.
  13. 13. 13 “economizar a sua carne”, para ser aceito pela “tribo” e não ser rejeitado, ou seja, vender-se, aceitar o suborno. E isto não é outra coisa senão negar a fé e passar para “o outro lado”.47 Vemos que os cientistas no passado afirmaram que a terra era quadrada, levando assim uma multidão de “mentes passivas” com eles, uma “baciada” de pessoas que ainda não haviam alcançado a maturidade para buscar as suas respostas, preferindo então ficar com a da maioria (é mais cômodo), a da multidão; e também não haviam lido a Bíblia, onde está escrito claramente sobre a redondeza da terra, assim como tantos outros episódios da ciência. “22 E ele o que está assentado sobre o círculo da terra, cujos moradores são para ele como gafanhotos; é ele o que estende os céus como cortina, e o desenrola como tenda para nela habitar”.48 Nascemos neste mundo e ele já estava com as “suas” estabelecidas. Estas serão “minhas” quando eu decidir refletir, com liberdade e responsabilidade e aprovar tais desígnios. Inúmeras vezes vemos episódios narrados na Bíblia que nos mostram o quanto nos enganamos por querer estar junto com a maioria, com o aparentemente mais forte e mais bonito. Vemos, por exemplo, os noivos trocarem as alianças, cortarem o bolo, trocarem as taças e, normalmente, nem nos 47 Mateus 10:33. 48 Isaías 40.
  14. 14. 14 perguntamos qual a origem desses costumes que repetimos tradicionalmente. Se alguém for averiguar vai ficar maravilhado e repetir este gesto com outro sentimento e entendimento, pois terá então aprendido que estes são sinais de aliança de sangue, o contrato mais solene e mais íntimo que existe entre os homens. O casamento é então uma aliança de sangue, o que significa que não poderá ser quebrado sob pena de morte.49 Depois deste entendimento nunca mais esta pessoa agirá da mesma maneira que antes, em relação a uma aliança, ou seja, estes rituais são uma tradição, já estavam aqui quando eu nasci, mas, depois que eu atingi a maturidade fui averiguar a questão como manda o bom senso, e hoje, sem sombra de dúvidas, é também a minha decisão. Seguindo esta linha de raciocínio, fomos pesquisar na Bíblia a origem destas religiões, na verdade aprendendo paulatinamente através das meditações diárias, e chegamos a conclusão que elas não são a “nossa”, e muito mais que isso entendemos: elas não são a de ninguém. Evidentemente, teremos que expor o porquê desta nossa atitude, pois nos sentimos devendo a cada um, já que o assunto é de vida e de morte; e morte eterna e não terrena. 3. A Crise existencial 49 Temos um texto escrito sobre o assunto, transcrevendo um simpósio de Valnice Milhomens Coelho, como o nome “Aliança de Sangue”. Escrevemos também um texto com o título “Divórcio e Adultério”, onde meditamos sobre este assunto.
  15. 15. 15 O tema deste texto tem o objetivo de levar o leitor a meditar sobre a sua condição espiritual. Fundamentamos biblicamente aquilo que Bíblia nos revela em relação a quem herdará o Reino d’Ele. Vamos observar um trecho do Prefácio do livro de Ellen G. White50 o qual achei pertinente e uma parceria muito adequada para somar ao nosso propósito neste texto. Que Deus possa aprofundar no leitor, mais e mais, coisas grandes e firmes que você não sabe51 a respeito d’Ele, do Seu Reino e da Sua obra na sua vida. Prefácio Para milhões de pessoas, a vida parece sem significado e absurda. A ciência, a tecnologia, e mesmo a filosofia e a teologia têm retratado os seres humanos como meros produtos do acaso. Ainda assim, quer de modo consciente ou não, homens e mulheres sentem ser difícil aceitar uma existência destituída de propósito. Violência, protestos e rebeliões, uso de drogas – são, em muitos casos, as expressões irracionais de pessoas que se constatam apavorantemente perdidas. À semelhança de órfãos, clamam do mais profundo de sua solidão e desespero: “Quem sou? Quem foram meus ancestrais? Por que meus pais me puseram no mundo? Como poderei encontrá-los?” Muitos se volvem para a ciência em busca de respostas, focalizando os gigantescos telescópios da atualidade sobre o próprio coração dos corpos celestes, como que a perguntar: “Existe por aí alguém que me conheça? Quem se interessa por mim?” Mas a ciência não tem respostas. Na verdade, ela se preocupa em apresentar perguntas: Como é construído um átomo? Como pode ele ser dividido? Como funciona a nossa mente? Qual o esquema de organização do Universo? 50 Ellen G. White; Tradução: Hélio L. grellmann; Casa Publicadora Brasileira; Tatuí/SP; 7ª Ed.. 51 Jeremias 33:3.
  16. 16. 16 Ela não é capaz de nos dizer por que o átomo existe, por que vivem os seres humanos, por que, enfim, o próprio Universo aí está. Tampouco é capaz de responder estas singulares questões, presentes no pensamento de pessoas que raciocinam: Se existe significado e justiça no Universo, por que o inocente sofre ao lado do culpado? Existe vida após a morte? A alma humana sobrevive? Porventura as igrejas cristãs da atualidade testemunham efetivamente a favor de Deus? O que é a verdade? Qual o futuro do mundo? Terminará ele como que no soluço de uma criança que agoniza ao inspirar pela última vez uma atmosfera poluída, ou então sob a explosão do inferno atômico desencadeado pela liberação de bombas a partir de aviões invisíveis ao radar? Ou será que os seres humanos – que em toda a sua história registrada jamais demonstraram a capacidade de controlar seu egoísmo básico – repentinamente obterão êxito em eliminar o mal, a guerra, a pobreza e – quem sabe! – até mesmo a morte? Certamente a vida possui significado! Não estamos sozinhos no Universo. Em algum lugar, alguém cuida de nós! Alguém, aliás, que Se envolveu com a história humana, além de a formar, que a esta Se uniu, de modo que pudéssemos nos dirigir a Ele e Ele a nós; Alguém cuja poderosa mão opera neste planeta, de modo que nos conduzirá à paz e muito em breve. Mas há muitos um persuasivo ser cósmico determinou-se a controlar nosso mundo e assim maculou o plano de Deus para a felicidade de Sua família terrestre. A Bíblia é o Verbo, é JESUS: “35 Declarou-lhes Jesus. Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim, de modo algum terá fome, e quem crê em mim jamais terá sede”.52 4. A fé e a razão 52 João 6.
  17. 17. 17 Fala Sto Agostinho, um dos maiores pensadores de todos os tempos e tremendamente atual, que o ser humano divorciado da sua própria essência, é um ser que vive divorciado da verdade e só se consegue ser feliz se a vida de alguém refletir a sua essência, ou seja, o ser humano enquanto ser humano, possui uma essência que antecede à nossa própria existência concreta. Ele está tentando conciliar intuição interior - por exemplo: a experiência de fé é sempre uma experiência que se dá com base em uma intuição interior, e é graças a isso que a pessoa não precisa estudar teologia para ter fé, senão somente meia dúzia de pessoas teria fé, assim como ninguém precisa estudar psicologia para amar alguém, mas fato o primordial, primeiro, é decorrente de uma intuição interior, de uma compreensão profunda, que independe de condição social, alfabetização etc. Essa é uma verdade que podemos dizer que vem de cima para baixo. Outra coisa é a verdade lógica, que vai de baixo para cima. A verdade revelada é então aquela que pertence a Deus e chega ao homem, e a verdade lógica é aquela que o homem constrói até chegar em Deus. Explica o filósofo de maneira espetacular, que quando tentamos compreender alguma coisa, estamos inserindo essa coisa num todo maior e este todo que dá significação às partes. Observamos que crer é uma adesão à realidade. Um consenso de certezas não se traduz necessariamente numa verdade. Por exemplo – o mundo achando que a terra era o centro do Universo, durante anos a fio. Depois, algo traz à tona o conhecimento (e esse algo está ligado à observação, lógica, experiência, observação etc.), esse conhecimento demonstra uma verdade que está para além do consenso. Até que se descobrisse isso existia uma certeza coletiva, não uma verdade. Era uma certeza coletiva tomada como verdade. Cabe à filosofia tentar fazer a distinção, tentar descobrir, quais são as certezas coletivas verdadeiras e quais são as falsas. Ele diz que isso que estamos fazendo agora é uma experiência de Deus. Se aproximar da verdade não é feito pela nossa capacidade, porque a verdade ultrapassa muito a cada um de nós. Isto só se consegue quando se está em parceira com a fonte da Verdade, ou seja, Deus. Uma coisa é a pessoa ver a sombra,
  18. 18. 18 outra coisa é a pessoa ver a coisa nela mesma e outra coisa é a pessoa ver a própria luz. Uma coisa é falar que é religiosa, outra coisa é abrir a vida para Deus. Este homem tão especial e considerado um dos gigantes da reflexão filosófica, e que cristianizou os pensamentos de Platão, viveu religiosamente até que teve um encontro pessoal com Deus através da Sua Palavra. Essas são as Palavras Divinas que mudaram a vida de Santo Agostinho (antes da sua conversão: religioso, dissoluto, beberrão): “Andemos honestamente, como de dia, não em glutonarias, nem bebedeiras, nem em orgias e dissoluções, nem em contendas e inveja”. 53 Nossa oração é para que cada um encontre com Deus de maneira especial e responsável, fora dos aspectos religiosos, livre, consciente, eficiente e ainda em tempo hábil para que O possa achar: “6 Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto”.54 Deus aqui nos fala que há um tempo certo para todas as coisas,55 que há um limite para que o homem O busque e O encontre. Para muitos esse tempo já passou, pois não souberam aproveitar o tempo da visitação de Deus: “44 e te derribarão, a ti e aos teus filhos que dentro de ti estiverem; e não deixarão em ti pedra sobre pedra, porque não conheceste o tempo da tua visitação”.56 Talvez por um sentimento de soberba, independência, auto- suficiência, ou mesmo porque não suporta falar sobre Jesus, pois este assunto está relacionado às religiões que tanto tem ferido o homem e torcido o caráter de Deus. Porém, temos que estar alertas com os nossos pensamentos, com o nosso coração, que é, segundo a Bíblia, desesperadamente corrupto. 57 Deus resiste aos soberbos:58 “2 Se alguém cuida saber alguma coisa, se alguém pensa que sabe, não sabe ainda como convém saber.59 4.a Jesus no contrafluxo da história60 53 Romanos 13: 13 54 Isaías 55. 55 Eclesiastes 3. 56 Lucas 19. 57 Jeremias 17:9. 58 Tiago 4:6. 59 I aos Coríntios 8. 60 Ricardo Gondin (Igreja Betesda – São Paulo).
  19. 19. 19 Colocamos a transcrição desta mensagem, deveras imperdível, e que foi colocada na minha cadeira da faculdade, onde muitas pessoas concordavam com o que eu pregava, mas tinham vergonha, medo, receio de se aproximar abertamente, e então faziam como Nicodemos, que ia procurar Jesus à noite para sondá-Lo e aprender com ele. O admiravam às escondidas. No meu caso, buscavam o que emanava de mim, que é o mesmo que Nicodemos buscava. O texto nos dá uma visão do Reino de Deus, nos dá elementos que vão nos ajuda a sair do status quo, da mesmice. Sabemos que isto não é uma tarefa fácil, e o objetivo deste texto é fundamentar biblicamente o novo nascimento de uma pessoa e a saída de todos da Babilônia, do que está estabelecido pela tradição. É mais uma parceria entre muitas que Deus nos tem dado (quisera colocá-las todas aqui), para reforçar a nossa fala. Quem tem ouvidos, ouve. Grifo nosso:61 No período da Patrística, os padres se viram “apertados” diante de uma platéia eclética e extremamente questionadora (deuses da cultura grega, a filosofia neoplatônica, neo- pitagóricos, os estóicos, os ecléticos, a própria academia platônica, o Liceu de Aristóteles, o maniqueísmo, etc). Roma neste período ia conquistando os povos e acampando culturas; tinha de tudo, em termos de crendices e filosofias e foram com “unhas e dentes” defender a fé cristã, buscando em Deus e nos estudos puxar da filosofia, razão suficiente para explicar a fé. E como eles fizeram isso? Simples: pararam tudo e foram estudar. “Enfiaram a cara no livro” e começaram a assim fazer, e isso, apesar de parecer que diminuiria a fé, fazendo-a caber dentro da razão, o que acontece é o oposto. Em momento algum os padres diminuíram a fé ou transformaram a fé em algo racional, fácil de se entender, pelo contrário, o que eles fizeram foi um verdadeiro exercício mental de razão, de buscar na filosofia, elementos racionais para explicar algo. 61 Anotações das aulas dos inesquecíveis Professores da cadeira de Filosofia do Curso de Bacharelado de Direito,/UNISANTOS, Ricardo Galvanese e Eduardo Dietrich e Trigueiros.
  20. 20. 20 Fé não é razão, mas eles precisavam defender a fé e isso só seria possível através da razão. E o que eles fizeram foi “esticarem” a razão ao máximo possível, para explicar a fé. Então, essa primeira tentativa dos padres na argumentação, foi chamada de Patrística. Roma, a partir daí, “dança”, cai, e o maior dos representantes da Patrística é Santo Agostinho, que escreve “Cidade de Deus”, que é justamente para defender o cristianismo da boca dos romanos, pois estes estavam alardeando que seu império caiu porque foram moles, porque traíram seus deuses e porque se curvaram ao Deus dos judeus. “Fomos fracos e por isso nossos deuses deram as costas para nós, por isso, perdemos o nosso império”. Santo Agostinho, então, escreve a magistral obra (Cidade de Deus), que, em síntese dizia o seguinte: Roma é a cidade dos homens e a cidade de Deus é o cristianismo, é onde mora o cristianismo e aqueles que têm fé; e mostra por “a+b” que Roma já estava acabada62 . Vimos aqui, na experiência valiosa vivida por este homem de Deus, que estamos vivendo a mesma situação nestes dias em que o ecumenismo tenta por todos os meios afirmar que todos os caminhos levam a Deus, contrariando frontalmente as Escrituras Sagradas, que é o Verbo de Deus que se fez carne e habitou entre nós, a Palavra, que é a própria pessoa de Cristo, que é O (não um, mas “O”) “Caminho, a Verdade e a Vida e que ninguém vai ao Pai senão por Ele”63 . Na palestra deste homem sensível à voz do Espírito de Deus vimos mais um Santo Agostinho, buscando com “unhas e dentes” sair do aperto dos questionamentos terríveis, ferinos, de corações cruéis, cansados de suportar a hipocrisia e o “fogo de palha”, de ver instalado dentro da igreja o “caos”, a “bandidagem”64 , maior dentro do que fora, como “urra” o Aposto Paulo, buscando, com muito amor e unção de Deus, respostas para saciar os descrentes, da revolta, do vazio de Deus. O Senhor da Paz o guarde e capacite para mais outras chamadas que virão, para horror do inferno e para a glória de Deus. 4.a.1 Transcrição da mensagem CD65 62 Fonte: Aula de filosofia do professor Eduardo Dietrich e Trigueiros (Advogado; Professor da cadeira de Filosofia da Unisantos). 63 João 14:6. 64 Recomendamos a leitura de “Abuso Espiritual” de Ken Blue; Abu Editora. Observamos que jamais se deve ler um livro que Deus não nos tenha indicado, e se indicou, antes devemos orar para que o Senhor deixe em nós apenas o necessário. 65 Doxa Produções- www.betesda.com.br- Cep: 04705-080- “Jesus no contrafluxo da história- Ricardo Gondim.
  21. 21. 21 Oração inicial: Senhor, estamos diante da Tua Palavra hoje à noite, entendendo que esta mesma Palavra gerou os céus e a terra, e os mundos que não existiam passaram a existir. Tu disseste haja, e houve, portanto queremos te agradecer e pedir que Tu faças o milagre no nosso meio e também àquele que está nos acompanhando através de uma fita K-7 ou CD, com a mesma graça e a mesma presença que Tu tens nos brindado esta noite, através da Tua Palavra que cura, que transforma, que perdoa e que gera vida. Faça isso hoje, Senhor, em nome de Jesus, amém. Há alguns anos fui convidado por um amigo para dar uma aula na Faculdade de Filosofia, com o tema “Pentecostalismo”. O “desconforto” diante do convite era muito grande, visto que o ambiente não era muito amigável para um religioso, (se eles soubessem a minha formação acadêmica em filosofia certamente iriam rir de mim). Acabando a palestra, como já era de se esperar fui “bombardeado” com perguntas “picantes”, ferinas (pensei que iria morrer), e entre tantas, eis aqui algumas delas: *O senhor concorda que se tomarmos a história da humanidade como exemplo da encarnação de Cristo, dificilmente uma pessoa se converteria? *Porque os ensinos dos Evangelhos produziram, ao longo da história, muito mais atos de desumanidade do que atos de amor ao próximo? *Onde estava Deus durante a época da Inquisição, enquanto a igreja católica queimava pessoas vivas? *Onde estava Deus quando João Calvino mandou matar Serveto na cidade de Genebra, porque não concordava com seus ensinos? *Onde estava Deus e os ditos evangélicos, quando na ditadura, pais de família e homens honrados sofriam toda espécie de tortura, e isto não era denunciado pelos pastores? *O senhor concorda que a igreja se calou quando Salazar dominou Portugal, e que o cristianismo foi inerte quando Franco dominou a Espanha, e que durante o regime nazista de Hitler, enormes seguimentos da igreja foram a favor do regime?
  22. 22. 22 *O senhor concorda que durante o regime de Fascista em Cuba, Somosa na Nicarágua, Aliende em Santiago do Chile, muita gente morreu no silente da igreja evangélica? *Onde estava Deus quando em nome da coroa jesuíta, devastaram a cultura Asteca e Maia, na América Latina; mataram, mutilaram, destruíram em nome da coroa espanhola, em nome de Izabel, a católica, a rainha da Espanha? Onde estava Deus? Quando recebi estas perguntas, percebi, que nós cristãos, de uma maneira geral, temos uma responsabilidade enorme com aqueles que são formadores de opinião, com aqueles que estudam a história, que dão respostas a estas indagações e questões que eles (os estudantes de filosofia) levantaram; e que muito do descrédito da igreja evangélica neste século, é porque nós não estamos respondendo a estas questões. Sabemos que muitos buscam a Deus por questões imediatistas, respostas pessoais sobre questões financeiras, a cura de um câncer, sobre o filho nas drogas, sem a mínima preocupação com o que aconteceu ao longo da história com quem quer que seja; estas questões mais complexas não são do interesse das pessoas em geral, principalmente quando alguma situação emergente acontece no momento (o que é o comum na crise constante em que vivemos). Talvez seja este o nosso problema, o de estarmos nas igrejas buscando respostas só para o dia seguinte, não nos detendo nas questões maiores e com isso caímos em descrédito. O que queremos dizer é que se você tiver paciência, talvez até o final eu terei uma palavra para o seu câncer, ou para o problema de drogas, ou sobre a questão da sua falência, mas é preciso que você entenda que o que eu tenho que dizer neste momento, diz respeito e tem muita relevância com a nossa resposta como cristãos a esta geração. O texto bíblico que iremos ler, numa primeira leitura, talvez não traga a profundidade, o foco que queremos colocar, por isso temos que gastar um pouco mais de tempo para colocar o “pano de fundo”. “JESUS, SABENDO DISSO, RETIROU-SE DALI. Acompanhou-o uma grande multidão, e ele curou a todos, recomendando-lhes rigorosamente que não o manifestassem. Para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías: Aqui está o meu servo, que escolhi, o meu amado, em quem a minha alma se compraz. Porei sobre ele o meu espírito, e anunciará juízo aos gentios. Não contenderá, nem clamará, nem alguém ouvirá pelas ruas a sua voz. Não esmagará o caniço quebrado e não apagará a mecha que fumega, até que faça triunfar o juízo. E no seu nome os gentios esperarão”.66 Há uma questão, um clima tenso, uma espécie de conflito por causa do sábado, tão sagrado para os judeus, que causa inquietação e mal estar, que é cumulativo (Jesus fazia coisas que no sábado era proibido, por causa da lei). Os judeus a princípio estão irrequietos e depois passam a conspirar para matar Jesus, que quando percebe 66 Mateus 12:15/21.
  23. 23. 23 isto se afasta estrategicamente deste contesto religioso (v.15); alguns o seguem e a Bíblia diz que aqueles que o seguiram foram todos curados, e a estes Jesus pede que eles não falem nada (nenhuma publicidade); e por que? Jesus deveria ser conhecido por ser amado por Deus e não porque andava nas Sinagogas e fazia milagres. Ponderava que seria bom que ficassem no anonimato, que saíssem do contexto, do “status quo” 67 . Sua autoridade seria reconhecida porque ele tinha o Espírito de Deus, pelo amor de Deus que estava n’Ele, que é incondicional, para que se cumprisse o que foi profetizado por um profeta que viveu setecentos anos antes de Cristo, chamado Isaías, que disse que Ele, Cristo, iria se firmar, iria ter relevância, voz, não por causa da publicidade (n.r: dá para acreditar?), mas por que ele era o amado do Pai (n.r:“Eis o meu filho amado em que me comprazo”).68 Teria voz não porque estava participando das rodas eclesiásticas mais famosas, mas porque o Espírito de Deus estava sobre ele. (n.r:“Colocarei sobre ele o meu espírito”).69 Ele teria relevância e seria quem iria ser, não porque imporia a sua vontade com rigor, com força e com gritos, mas persuadindo com amor as pessoas70 . No versículo 20 está escrito que Ele não esmagará a cana quebrada 71 . Se ele encontrar alguém quebrado não jogará fora,72 e não apagará a torcida que fumega, querendo dizer o Senhor que se encontrasse a vida de alguém desta maneira Ele não terminaria de apagar, pelo contrário...(n.r: aquele que crê em mim, ainda que esteja morto, viverá).73 Preciso colocar algumas posturas do cristianismo, antes de entrarmos na mensagem que diga respeito a nossa vida em particular. Precisamos fazer com que o cristianismo seja legítimo na nossa geração e para isso não vamos primeiramente pregar a cura do câncer, sob o risco de sermos confundidos com mais uma proposta religiosa, pois cura acontece em todas as religiões, e talvez com feitos mais fantásticos do que no nosso meio74 . Portanto quem está em busca de religião apenas com uma proposta de cura imediata, não está na caminhada cristã, mas se enlaçando com as sutilezas malignas e mais tarde isto será cobrado muito caro, isto é, será cobrado tudo. Não seremos mais uma proposta de uma “seita de esquina” promovendo como um remédio químico a cura imediata das pessoas, mas prejudicando o organismo como um todo, aumentando 67 Infelizmente os líderes fazem ao contrário hoje; quanto mais publicidade, mais membros, mais prestígio, melhor, e conseqüentemente menos reino de Deus. 68 Mateus 3:17. 69 Mateus 12:18. 70 Entenda-se que o pastor não está dizendo que Cristo não gritou e nem usou de rigor, mas que Ele seria conhecido não por suas curas e milagres ou por qualquer outra demonstração de poder, mas pelo profundo e inaudito amor. 71 Para que serve uma cana quebrada? Para ele tudo serve, pois ele traz à existência o que não existe, Ele refaz, cria e recria. 72 “Aquele que vem a mim, de maneira nenhuma lançarei fora”. 73 João 11:25. 74 “Pois surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhido”.
  24. 24. 24 mais ainda a enfermidade, e de uma maneira enganosa curando sem curar. Quando pensarmos em religião, teremos que lembrar que o “status quo” não engloba tudo, e se quisermos ver legítimas manifestações de fé na história da igreja, não vamos procurar no leito principal, mas nos movimentos de contestação de dentro da igreja75 . Vemos que Jesus sabendo disso afastou-se, saiu dali. Isto quer dizer que o “status quo” que queremos ver de Jesus não representa tudo, e se quisermos ver Jesus não devemos ir até a sinagoga porque ele saiu de lá (v.15). Portanto, se quisermos ver as legítimas manifestações do cristianismo ao longo da história, não vamos procurar na história dos cardeais, na Catedral, etc., nas legítimas manifestações do reino, porque não estarão lá, JESUS SAIU DE LÁ. A verdadeira manifestação de Deus na história, não está entre os principais da igreja, possivelmente estará entre os monges das Ordens monásticas, que se retiraram da Igreja Católica (São Benedito, São João da Cruz, Irmã Tereza D'Ávila, etc.), talvez aqui possamos encontrar, pois estes saíram do “status quo”, pois para cada cardeal que se “vendeu” na Igreja Católica, houve um monge que não tinha nada haver com aquelas negociatas em nome de Deus dentro da igreja. Quando Roma estava em decadência, houve um São Francisco de Assis, que condenou veementemente a hipocrisia dentro da igreja; quando a igreja estava em decadência, houve um João Russo, um Saranarola, um Martinho Lutero, pessoas como essas que diziam: “Não!” e se rebelavam. E quando o movimento protestante começou a adoecer, dentro da igreja protestante, também houve um movimento de contestação: João Wesley, Finey, etc. Quando Hitler dominava a Alemanha, não poderemos olhar para a Igreja 75 Jesus não escolheu nenhum dos seus discípulos da escola de profeta daquela época e muitíssimo menos de dentro da igreja, pois estes foram os seus piores oponentes; vide por ex, Matheus 23.
  25. 25. 25 representante, mas para os homens que estavam contestando a igreja (Von Hoper, etc). Quando a igreja estava tradicional, fechada, fria, gelada, trancada, houve um movimento chamado pentecostal que dizia: “Nós aqui negros (era um movimento de negros e de mulheres), vamos buscar o Deus vivo e verdadeiro que não está na Igreja Protestante, reformada, fria, gelada, mas vamos buscar a Deus”. E o Espírito de Deus veio sobre estes negros e sobre estas mulheres, e nasceu o grande movimento pentecostal. Transportando tudo isso para hoje, se quisermos ver grandes manifestações de fé é melhor procurarmos nas igrejas meio “escanteadas” do que nestas da “badalação”. Possivelmente não iremos encontrar Jesus nestas igrejas muito “badaladas”, nas “mega- igrejas”, que têm políticos sentados no púlpito, vários horários de televisão e dinheiro abundante para fazer o que bem quiser, é bem possível encontrarmos Jesus em um homem ou em uma mulher que visitam um hospital, anônimos, que saíram numa tarde de domingo para visitar presidiários; teremos que procurar Jesus em gente que não faz parte do “Status quo”76 . Vemos no texto que obscuridade não é sinônimo de fracasso. Ser obscuro, no mundo espiritual não é sinônimo de ser fracassado, porque o versículo 16 diz que quando Jesus realizou o milagre ao invés dele colocar na mídia, ele pediu silêncio. Nós acreditamos, na nossa mentalidade ocidental, que quanto mais publicidade, quanto mais relações públicas, quanto mais o nosso nome tiver na boca de um e de outro, será um sinal de que estamos certos. Os mais citados, os mais reconhecidos, os mais comentados, na nossa opinião são os mais usados por Deus; mais isso não é verdade, quanto menos citado, possivelmente mais conhecido o será de Deus. Temos a seguinte teoria: quando todos comparecermos diante do Tribunal Divino, em que todos estarão nivelados, os grandes heróis da fé serão homens e mulheres que nunca ouvimos falar os seus nomes. Neste sentido77 , obscuridade não é sinônimo de fracasso, ou seja, no sentido de que Jesus nunca “alardeou” seus milagres porque não deveria ser conhecido por eles somente, mas pela presença de Deus que estava n’Ele; neste sentido, acreditamos que uma Irmã Dulce vale mais do que um Padre Marcelo; uma Madre Tereza de Calcutá, vale mais do que uma Bispa Sônia Hernandes, um Dalai Lama, vale mais do que um Bispo Macedo, um Martin Luther King Junior, mas do que um Caio Fábio e um Bispo... (n.r:?... não entendemos o nome do bispo, mesmo assim achamos importante registrar), vale mais do que 76 Ap. Paulo aos Coríntios: “Ora, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados. Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes. Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, as que não são, para aniquilar as que são; para que ninguém se glorie perante ele”. 77 “Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua esquerda o que faz a tua direita, para que a tua esmola seja dada secretamente. Então teu pai, que vê em secreto, te recompensará”.
  26. 26. 26 um Ricardo Gondim. É sabido que, certa vez, um grande evangelista das famosas cruzadas do EUA estava viajando pelo Oriente, na Ázia, quando um executivo sentado ao seu lado no avião, vira-se e pergunta: “Pastor, porque quando estou do lado de um evangelista americano tenho a sensação de que estou sentado ao lado de um empresário, um homem de negócios78 , e quando me sento ao lado de um monge tibetano, tenho a sensação de que estou do lado de um homem santo?”. Porque? Qual a razão? Na nossa mentalidade ocidental, estamos fazendo da publicidade, da “badalação”, dos heróis, por coisa que não tem nada haver com o reino de Deus; tudo isso é maquinação do mundo ocidental, “mundanices”79 , porque o reino de Deus é feito por pessoas que não estão em busca disso. Queriam falar e anunciar as curas de Jesus e ele falava: não falem nada80 . O versículo 15 fala que Ele curou a todos. Precisamos corrigir o nosso conceito de cura (este texto é holístico, total, integral, integrado); quando lemos isso, se acabar a reunião e alguém não tiver sido curado do câncer, se for um dos “filósofos”, irá certamente perguntar: “O senhor não é um dos continuadores do ministério de Cristo? Se Jesus curou a todos, porque aqui não acontece à mesma coisa?”. Teremos então de dizer o seguinte: Sai curado sim, só que o nosso conceito de cura é diferente do conceito mundano de cura. Quando falamos que Jesus curou a todos, queremos dizer que todas as pessoas que estavam em contato com Ele foram curados, mas não estamos querendo dizer que todas as pessoas que foram curadas, o foram da mesma maneira81 . Ex: (vamos fazer uma declaração meio 78 Apocalipse 18: ...os mercadores da terra...especiarias, cavalos e carros; e escravos, e até alma de homens”.) 79 “Não ameis o mundo, nem o que há no mundo. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele”. 80 Na verdade, são conceitos do sistema mundial que invadem as nossas mentes e nos distanciam dos conceitos de Deus; não é esse o objetivo de quem está buscando a Deus; o objetivo central não é o que Deus pode fazer, ou o que podemos receber dele. 81 Recomendamos a leitura de “Benditos hormônios” do Dr. J. Ron Eaker; Graça Artes Gáficas e Editora Ltda, pois este médico cristão aborda com muita revelação este assunto. Ele coloca três modelos de cura: o método mecânico de cura (antes do avanço da medicina muitos morriam pelos mais diversos fatores); a postura mental (foi provado cientificamente que as emoções, tais como estresse e raiva, podem, na verdade diminuir a função dos leucócitos, etc) e o modo espiritual, ou seja, o poder da oração. “Estas três abordagens funcionam melhor quando operam juntas. A pessoa sábia é aquela que não focaliza apenas em uma única ferramenta, mas abraça todos os dons da graça, que são dados tão livremente. Como eu entendo a cura, é impossível ser totalmente curado sem alguma influência de cada ferramenta: a biomecânica, a mental, e a espiritual. Cura, como eu uso o termo, refere-se a muito mais do que só livrar o corpo da doença. Volta à origem da palavra “baelam”, que significa deixar inteiro. Inteiro deste sentido é o equilíbrio entre mente, corpo e alma. Chamo isso de tríade de saúde, na qual cada componente é dependente do outro e, para alcançar o equilíbrio, todas as partes devem estar em harmonia”. Este médico que é um homem de Deus, fala no seu livro das pesquisas científicas em relação à cura pela oração. Como profissional da área de educação física e com alguma experiência nesta área (quase 30 anos) posso testemunhar que o desequilíbrio de uma das peças, influenciará as outras. Uma pessoa recriada por Deus através da fé na obra do calvário (João 1 fala que àquele que creu foi lhe
  27. 27. 27 estranha) acreditamos que neste ambiente, neste momento, todos podem ser curados, porém quando falamos isso não estamos querendo dizer que se aqui tiver três pessoas paralíticas, todas irão andar, mas sim que um paralítico poderá ser curado da paralisia e os outros dois poderão ser curados na paralisia82 . “Curados de câncer” e “curados no câncer”; uma sutil diferença fazendo um mundo de diferenças. Quando falamos que todos serão curados estaremos incluindo também os que vão morrer de câncer, por isso quando a Bíblia fala que ele curou a todos estará sempre englobando estes dois aspectos; é um conceito holístico, integral. O evangelho não se propõe só a resolver o problema de câncer, mais a resolver problemas mais profundos: o dilema existencial. Deus pode curar a pessoa na situação e fazer com que a sua vida tenha valor (n.r: “Conheço a tua tribulação e a tua pobreza (mas tu és rico)...”).83 Acreditamos que o evangelho fácil que é pregado hoje, não é evangelho, mas uma mentira. Alguém orou assim: “Pedi força e vigor e Deus me mandou fraqueza, pedi sabedoria e Deus me mandou problemas para eu resolver, pedi prosperidade e Deus me deu energia e cérebro, pedi coragem e Deus me mandou situações perigosas para superar, pedi amor e Deus mandou pessoas com problemas, pedi favores e Deus me deu oportunidades; não recebi nada do que queria, mas recebi tudo o que precisava. Minhas preces foram atendidas. Obrigado Senhor”. Jesus pode nos curar na situação em que estamos. Deus sempre está disposto a nos dar tudo o que precisamos, mas nem sempre o que precisamos é aquilo que pedimos. Ás vezes, Deus quer nos curar na dado o poder de se tornar filho de Deus), é um espírito (feita à semelhança de Deus, que é um espírito), que possui uma alma (o seu intelecto, onde poderá decidir através do seu livre arbítrio), que habita em um corpo. 1ª carta do Ap. Paulo aos Tessalonicenses 5:23: “O mesmo Deus de paz vos santifique completamente. E todo o vosso espírito, alma e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda do nosso Senhor Jesus Cristo”. 82 Todas as pessoas que vão procurar a cura, estarão todos arrependidos, todos têm fé, são todos iguais? Alguém já viu alguém curado na paralisia fazer coisas maravilhosas que enquanto sãos jamais fizeram? 83 Apoc 2:9.
  28. 28. 28 situação em que estamos e não nos tirar dela. O fim maior do cristianismo é nos preparar para momentos de tribulação. Podemos ilustrar isso com a história de uma senhora que passou a vida inteira ouvindo a Palavra. Orava e buscava a Deus constantemente. Certo dia descobriu que estava com câncer. Passando alguns dias, ela manda chamar o pastor de sua igreja em sua casa. Ao chegar lá, para surpresa do pastor, o que ela tinha a lhe dizer era o seguinte: - Pastor, durante anos tenho ouvido a Palavra de Deus e O buscado constantemente. Fui ao médico e ele me disse que tenho poucos meses de vida. Para prolongar um pouco mais esse tempo, terei que me submeter a sessões de quimioterapia. Ponderei e cheguei à conclusão que isso me daria uma sobre-vida, não somente para mim, mas também para os meus filhos. Decidi assim, não fazer a quimio. Quero terminar meus dias mostrando a toda minha família que o meu Deus é maior e mais forte, por isso me preparou para passar por isso. Estou preparada para morrer. Sei que tenho salvação e esta é a minha maior alegria. Quero viver estes últimos dias com dignidade e alegria na presença dos meus filhos. Pois é... não é preciso dizer que até hoje, nas lembranças da família, não houveram momentos de maior glória entre eles. O poder de Deus foi tão forte durante aquele período que, mesmo que aquela mulher jamais tivesse feito ou dito nada, a mensagem deixada naquele período seria o suficiente. Deus nos dá valor em toda e qualquer situação. O cerne do evangelho não é benção, mas justiça! Quando a pessoa está desenganada, desesperada, normalmente fica com muita raiva, muito desapontada quando damos a ela alguma opção que não a que ela está esperando, porém, temos que dizer que o fim maior do cristianismo não é curar câncer, ou tirar alguma empresa do “buraco”, embora possa fazer e já tenha feito tantas vezes isso84 , mas sim preparar a pessoa para saber suportar as “tempestades”, viver àquela hora, que chega para todos indistintamente85 . O cerne da vida cristã não é benção, mas sim, justiça. O versículo 18 diz; “Farei repousar sobre ele o meu espírito e ele anunciará juízo 84 “...o vento sopra onde quer, quando quer...” 85 “ ... se a casa tiver sido edificada sobre a areia e não sobre a rocha, cairá, e a sua queda será grande”. Deus trata o homem como um todo. Nós é que temos uma visão carnal e limitada, por isso sempre achamos que a cura é física.
  29. 29. 29 aos gentios”.86 Uma das coisas que precisamos reiterar na nossa geração, é que cristianismo não tem muito haver com benção, mas tem mais haver com justiça (... e s p e t a c u l a r!). Observamos que 99 % de tudo o que se houve no cristianismo diz respeito à benção. Será que o cerne da pregação do cristianismo é benção? Absolutamente, não! E sim, haja justiça: “Bem aventurados os que têm fome e se de justiça”; “Bem aventurados os que choram”. Não tem nada haver com benção. “Bem aventurados os limpos de coração, os que sofrem por causa da justiça” (n.r: “Justiça e juízo são a base do seu trono”);87 porém o cristianismo é reconhecido como ter: tenha, quero, mais, o que mais Deus pode fazer por mim? A nossa maior inquietação como cristãos não deveria ser: o que eu mais posso receber ou ter, mais como eu posso me tornar um fazedor de justiça, um agente de justiça? Há alguma coisa de errado, alguém estar inquieto porque não trocou o seu carro zero, enquanto milhões de irmãos vão morrer neste dia por falta de tantas coisas. Há alguma coisa de errado em um cristianismo que é movido por ganância, com os “fiéis” gastando dinheiro em bingos e loterias, quando missionários passam necessidades em lugares quase que inatingíveis. Há alguma coisa errada em um cristianismo que transforma o lugar de culto em um ambiente em que Deus vai satisfazer os meus caprichos diante da miséria e da violência estampados cotidianamente na TV; notícias como essas é o que não falta; pessoas desempregadas, desamparadas, desabrigadas vivendo em condições desumanas. Vimos o exemplo de uma mulher que saia de casa de manhã e só voltava a noite. Sua filha de 9 anos tomava conta da pequena de 2. Durante o dia inteiro as duas só comiam 1 prato de mingau. Ao perguntar se ela não fica aflita em saber que sua filhinha ainda bebê só comia esse prato de mingau o dia inteiro, a mulher responde ao repórter: Oro sempre a Deus que faça com que ela sinta sua “barriguinha” cheia, até que eu chegue com alguma coisa em casa para comer. Como conseguimos dormir sabendo disso? Fomos certa vez na casa do Martinho Cebola (um pastor de Moçambique), e ficamos desnorteados, com o coração destroçado naquela casa de taipa (barro misturado com paus), o teto de palha, sem luz elétrica, chão úmido de terra batida, sem uma janela (não tinha dinheiro para fazer uma janela). Choramos muito diante de Deus; aquele homem servia o mesmo Deus que eu, e dormia em uma cama suja, feita de palha em um canto escuro da casa. O que falar diante deste quadro deste cristianismo “me dá-me dá”, “quero- quero”, mas que nunca se satisfazem com coisa alguma. Não existe benção sem justiça; não haverá felicidade antes que reine a justiça. Nossa preocupação não deveria estar no que podemos receber, mas no que poderíamos fazer, pelas nações, pelas multidões que não têm para onde ir, pela história, pela sociedade. 86 Mateus 15:18. 87 Mateus 5.
  30. 30. 30 “Oh! Deus, o que eu posso fazer para ser um agente de justiça?”. Estava há poucos instantes atrás, escutando o Hino Nacional: ... Brasil de amor eterno seja símbolo O lábaro que ostentas estrelado, E diga o verde-louro desta flâmula: “Paz no futuro e glória no passado.” Mas se ergues da justiça a clava forte, Verás que um filho teu não foge à luta, Nem teme, quem te adora, a própria morte, Terra adorada, Entre outras mil, És tu Brasil, Ó Pátria amada! Dos filhos deste solo és mãe gentil... Onde está esta mãe gentil? Mãe gentil? E as meninas que se prostituem no nordeste? E o trabalho escravo no Pará? És tu, mãe gentil? E nas filas dos hospitais, onde doente e velhos morrem à míngua? És tu, mãe gentil? E nas escolas públicas, no trânsito parado nas grandes cidades, e nos impostos exacerbados, corrupção, segurança pública inexistente... és mãe gentil?88 Realmente não vamos poder pedir bênçãos a Deus enquanto não reine a justiça em nossa Pátria. E que o Brasil seja Pátria amada verdadeiramente. Agora, para você que anda em busca de respostas pessoais, escute: Deus jamais vai desamparar você; deixo aqui três “dicas” para você: 88 Meu coração dói muito por amor à minha pátria. Fizemos o Estado e o administramos. Fomos corruptos, incompetentes e o Estado é que sofre a culpa, como Deus, que deu a terra aos filhos dos homens e estes fizeram tudo errado amaldiçoando esta terra com as suas abominações e quando a coisa vai mal no planeta vamos cobrar de quem? Do diabo, aquele ao qual entregamos a terra? (Lucas 4: “A mim me foi dado e eu dou a quem quiser”). Infelizmente é a Deus que amaldiçoamos e culpamos. Disse Jesus: (Mateus 17:17) “Oh! Geração incrédula e perversa, até quando vos sofrerei?”. Certamente o homem de Deus aqui usou uma força de expressão.
  31. 31. 31 1º- O verdadeiro poder de Deus não é o que Ele pode FAZER por mim, mas o que Ele pode SER para mim. O verdadeiro poder do evangelho não é o que Deus FAZ por mim, mas o que Ele pode SER para mim. O texto diz: “Aqui está o meu servo, que escolhi, o meu amado, em quem a minha alma se compraz. Porei sobre ele o meu espírito, e anunciará juízo aos gentios”.89 Não tem nada do que ele pode FAZER por nós, mas o que tem é o que ele vai SER para nós. Alguns servem a Deus somente pelo que Ele pode FAZER por eles, outros o servem pelo que Ele pode SER para eles. Eu o sirvo porque Ele é algo concreto para mim. É esta a “graça que me basta”.90 Se o que mais queremos é ser amados de Deus (como Jesus), não nos basta dizer que Ele é nosso amado também? Basta ou não basta para servirmos a Ele? Se Ele consegue ser a alegria de Deus Pai, a ponto de Deus dizer: “...em quem o meu coração está satisfeito”, isto não será suficiente para mim? Ele é o nosso modelo de integridade91 , a plenitude de bondade (não pelo que Ele fez para mim). Eu sirvo a Cristo porque Ele é a exemplificação da verdadeira amizade. Quando olho para Ele, vejo um Ser humano genial, por isso eu o sirvo. Quando olho para Ele o vejo como o herói da humildade, é bom, verdadeiro, um líder inspirador, um mestre paciente, o ressurreto, vejo n’Ele o milagre, o oráculo divino que ama os perdidos, por isso eu o sirvo. Quando olho para Ele, vejo que a cada manhã nasce uma nova ressurreição, a revelação do Pai. Quando precisamos de um modelo de humanidade olhamos para Ele cuidando dos mendigos; quando precisamos de um modelo de coragem, olhamos para Jesus chamando Herodes de Raposa. Quando precisamos de um modelo de perdão, lembramos da hora em que ele olha para Pedro sem dizer uma palavra, mesmo sabendo que ele o tinha negado; quando precisamos de um modelo de sonhos, ideais, vemos Jesus ressurreto dizendo: “Todo poder me foi dado nos céus e na Terra. Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura”.92 Quando precisamos de um modelo de determinação diante da morte, ouvimos suas palavras bradando na cruz e dizendo: “Está consumado”, minutos antes de morrer; quando precisamos olhar para o futuro e ter coragem para enfrentar o amanhã, o vemos com as duas mãos levantadas dizendo: “Tenho nas minhas mãos as chaves da 89 Mateus 12:18. 90 II aos Cor 12:9. 91 É isso que me leva a uma mudança de caráter. Quando começo a conhecê-lo, tudo o que eu posso ser de melhor está n”Ele mesmo. 92 Mateus 18:18/19.
  32. 32. 32 morte e do inferno”.93 O poder do evangelho é o que Jesus pode representar para você. Se Ele não é esse modelo que inspira a sua alma, você poderá ter milagres aos borbotões, porém nunca será verdadeiramente um cristão. A l e l u i a ! ! ! 2º- O cristianismo só terá sentido na sua vida, se Deus se impor você pela relacionalidade. O Texto diz que Deus não contenderá, não gritará e que ninguém ouvirá sua voz nas praças. Isto quer dizer que, se Deus estiver na nossa vida, Ele não vai se impor aos berros, na ameaça. Ou Deus é o Deus da nossa vida porque abrimos o nosso coração para Ele, ou Ele nunca chutará a porta. É relacional. É relacionamento. Pela nossa imagem de Deus talvez sempre o temos visto como o Deus de fogo; que Deus é aquele Ser com uma voz de trovão: “Lá vem Deus, baixemos a cabeça!”; que Ele estará sempre pronto a nos aterrorizar, porém Ele é muito mais que isso: Ele é uma bruma, um vento suave, e quem tem ouvidos ouve94 . A imagem que temos d’Ele é de uma galinha que junta os seus pintinhos debaixo das suas asas95 . “Eis que estou à porta e bato, se alguém ouvir a minha voz, abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo”.96 Se você não abrir, meu irmão, Ele ficará à porta, pois não entrará sem a sua permissão97 . 3º- Se você quer ter Cristo e o poder de Cristo na sua vida, saiba que o cristianismo só terá sentido para você, se o seu relacionamento com Deus for sem medos e sem paranóia. Porque? Porque no 93 Apoc 1:18. 94 “Ele é manso e humilde de coração”. Para nós este é o momento mais terrível de Deus, quando Ele é manso e suave. Quem houve a sua voz jamais poderá dizer não, vai com certeza preferir morrer a fazer isso, justamente pela brandura, algo tão inusitado e surpreendente em alguém tão soberano e terrível. É verdadeiramente esmagadora a maneira como Ele pede; não há como resistir. Como poderemos amar o inimigo? Não bastará suportar, perdoar, teremos que o amar. Como? Olhando para o autor e consumador da nossa fé, adorando-o e verdadeiramente impedidos de dizer não a Ele, prostrados diremos sim, teremos então absorvido dentro de nós a sua retidão; Ele completará o que falta em nós e nos capacitará sempre. 95 Certa vez em um estádio superlotado, aguardando a visita de uma missionário, contemplávamos a platéia heterogênea e inquieta. Olhares de crítica de todos os lados, com olhos faiscantes. Pensava enfadada: “Como Deus agüenta?” Neste momento vivi um momento especialíssimo: vi grandes asas cobrindo todo aquele povo (que infelizmente não era “flor que se cheirasse - eu estava incluída é claro), e uma “voz de muitas águas” dizendo: “Ai daquele que tocar em um só dos meus pequeninos”. 96 Apoc 3:20. 97 Deus é realmente este fogo e tem a voz de trovão, mas se Ele fosse usar os seus atributos e o seu poder para obrigar a cada um de nós obedecermos a Ele, ninguém jamais escaparia, mas não por amor, mas pelo medo e pela altíssima desvantagem (somos pós diante de Deus). A sua misericórdia dura para sempre, porém o Livro Sagrado nos adverte: “De Deus não se zomba”. Ele não terá o culpado por inocente. Ele, além de Pai e amigo, é Deus: amor e fogo consumidor. Também nos adverte para que não tenhamos medo de homens e nem do diabo, mas só d’Ele, porque justiça e juízo são a base do seu trono. Bendito seja o seu grandioso nome. Este é o Deus que Davi, o homem segundo o coração de Deus, tremia e temia diante d’Ele.
  33. 33. 33 versículo 19 ele fala que Ele “não esmagará a cana quebrada e nem apagará o pavio que fumega”.98 Não precisará ter medo. Ele jamais vai acabar de esmagar a sua vida, ou dificultar (n.r: Não devemos acreditar jamais que tudo está perdido). Muitos de nós tivemos pais que não representaram em nossas vidas a personalidade de Deus. Um amigo depois de apanhar em uma briga não queria ir para casa, pois iria apanhar outra vez do pai. Quanto mais o tempo passava, mais os ferimentos se agravavam e ele teve enfim que enfrentar mais uma surra. Estava machucado no corpo e na alma e ainda chega em casa e é mais esmagado. Muitas vezes entendemos Deus desta maneira. Deus jamais agiria assim; Ele não esmagará a cana quebrada...pelo contrário, Ele vai reacender a sua vida99 . Venha como está. O cristianismo vai no contrafluxo da história e não tem nada haver com este cristianismo da mídia, do “status quo”.100 Deus vai querer sempre curar: no câncer ou do câncer, da falência ou na falência, em qualquer circunstância, Ele quer se mostrar a você. 4.b Fala Francis Schaeffer101 98 Isaías 42:3. 99 Ele disse: “Anda na minha presença e sê perfeito”. Primeiro vamos a Ele, para andar com Ele, aprender come, ser contaminados por Ele, aí então seremos perfeitos, e não antes. Muitos acham que terão que se tornar perfeitos primeiro, para depois se chegar a Deus; isto é uma astuta cilada do Diabo, por isto jamais se dará; Ele é o que pode transformar a essência de alguém e não este alguém a si mesmo. 100 Jesus disse: “Uma geração má e adúltera pede um sinal, porém não se lhe dará outro sinal senão o do profeta Jonas”. Qual foi o sinal de Jonas? A pregação da Palavra. Não houve milagres e nem sinal algum além da pregação de Jonas, e a cidade de Nínive se converteu. Ele disse d’Ele mesmo: “E aqui está quem é maior do que Jonas”. João Batista, entre os nascidos de mulher, foi o maior que houve, e, no entanto nunca fez sinal algum, destes que o cristianismo da mídia tanto se vale. 101 Recomendamos a obra:”A Morte da Razão” de, Editora Fiel.
  34. 34. 34 Mais um pouco de parceria para contaminar o leitor com a liberdade de Cristo e para que cada um tenha a chance de ler com um pouco mais de crédito as minhas solenes, graves e apaixonadas afirmações. O homem já morreu. Deus já morreu. A vida se tornou uma existência sem significado, e o homem não passa de uma roda na engrenagem. A única via de escape passa por um mundo fantástico de experiências, drogas, absurdos, pornografia, uma “experiência final” elusiva, e de loucura. Se esta é a mentalidade do século vinte, como aconteceu? E como podemos fazer com que a fé cristã tenha sentido para o mundo de hoje? Dr. Schaeffer, Diretor da cumunidad L’Abri na Suíça, mostra o histórico de como a arte e a filosofia têm sido o espelho do dualismo existente no pensamento ocidental desde o tempo da Renascença. Hoje, este dualismo se expressa no desespero quanto ao descobrir o racional, e no escape para o mundo não racional que é o único que oferece alguma esperança. Esta tendência é vista na literatura, na arte e na música, no teatro e no cinema, na televisão e na cultura popular”. 4.c Estou cansado102 Um pouco mais de Ricardo Gondim. Este é um pequeno trecho de um texto, que também foi colocado na minha carteira na faculdade, dois anos depois que o primeiro deste mesmo autor. (...) Canso com a falta de beleza artística dos evangélicos. Há poucos compareci a um show de música evangélica só para sair arrasado. A musicalidade era medíocre, a poesia sofrível e, pior, percebia-se o interesse comercial por trás do evento. Quão diferente do dia em que me sentei na Sala São Paulo para ouvir a música que Johann 102 Ricardo Gondim/ Igreja Betesda/SP.
  35. 35. 35 Sebastian Bach (1685-1750) compôs sobre os últimos capítulos do Evangelho de São João. Sob a batuta do maestro, subimos o Gólgota. A sala se encheu de um encanto mágico já nos primeiros acordes; fechei os olhos e me senti em um templo. O maestro era um sacerdote e nós, a platéia, uma assembléia de adoradores. Não consegui conter minhas lágrimas nos movimentos dos violinos, dos oboés e das trompas. Aquela beleza não era deste mundo. Envoltos em mistério, transcendíamos a mecânica da vida e nos transportávamos para onde Deus habita. Minhas lágrimas naquele momento também vinham com pesar pelo distanciamento estético da atual cultura evangélica, contente com tão pouca beleza. (...) Canso com as vaidades religiosas. É fatigante observar os lideres que adoram cargos, posições e títulos. Desdenho os conchavos políticos que possibilitam eleições para os altos escalões denominacionais. Cansei com as vaidades acadêmicas e com os mestrados e doutorados que apenas enriquecem os currículos e geram uma soberba tola. Não suporto ouvir que mais um se auto- intitulou apóstolo. (...) Sei que estou cansado, entretanto, não permitirei que o meu cansaço me torne um cínico. Decidi lutar para não atrofiar o meu coração. Por isso, opto por não participar de uma máquina religiosa que fabrica ícones. Não brigarei pelos primeiros lugares nas festas solenes patrocinadas por gente importante. Jamais oferecerei meu nome para compor a lista dos preletores de qualquer conferência. Abro mão de querer adornar meu nome com títulos de qualquer espécie. Não desejo ganhar aplausos de auditórios famosos. Buscarei o convívio dos pequenos grupos, priorizarei fazer minhas refeições com os amigos mais queridos. Meu refúgio será ao lado de pessoas simples, pois quero aprender a valorizar os momentos despretensiosos da vida. Lerei mais poesia para entender a alma humana, mais romances para continuar sonhando e muita boa música para tornar a vida mais bonita. Desejo meditar outras vezes diante do pôr-do-sol para, em silêncio, agradecer a Deus por sua felicidade. Quero voltar a orar no secreto do meu quarto e a ler as Escrituras como uma carta de amor de meu Pai. Pode ser que outros estejam tão cansados quanto eu. Se é o seu caso, convido-o então a mudar a sua agenda; romper com as estruturas religiosas que sugam suas energias; voltar ao primeiro amor. Jesus afirmou que não adianta ganhar o mundo inteiro e perder a alma. Ainda há tempo de salvar a nossa. Soli Deo Gloria. 5. Jesus nos bate à porta. Abri-la-emos?
  36. 36. 36 Após esta introdução vamos ao cerne da questão entendendo o que nos aponta o Apocalipse, que O Senhor que fez os céus e a terra está batendo à porta do que ainda não entendeu a simplicidade do Seu chamado, que é vital e eterno. Se alguém O ouvir vai cear com Ele e vai ter o seu nome escrito no Livro da Vida. Não esqueçamos que Ele não bate à porta de “bonzinhos”, mas de perdidos, dos que reconhecem que precisam da ajuda d’Ele e “só sabem que nada sabem”, como falou Sócrates:103 “14 Ao anjo da igreja em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus: 15 Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; oxalá foras frio ou quente! 16 Assim, porque és morno, e não és quente nem frio, vomitar-te-ei da minha boca. 17 Porquanto dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um coitado, e miserável, e pobre, e cego, e nu; 18 aconselho-te que de mim compres ouro refinado no fogo, para que te enriqueças; e vestes brancas, para que te vistas, e não seja manifesta a vergonha da tua nudez; e colírio, a fim de ungires os teus olhos, para que vejas. 19 Eu repreendo e castigo a todos quantos amo: sê pois zeloso, e arrepende-te. 20 Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo. 21 Ao que vencer, eu lhe concederei que se assente comigo no meu trono. 22 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas”.104 O profeta Elias falava àquele povo que não se decidia: “21 E Elias se chegou a todo o povo, e disse: Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui- o; mas se Baal, segui-o. O povo, porém, não lhe respondeu nada”.105 6. Porque teremos que nascer de novo? 103 Mateus 9:12. 104 Apocalipse 3. 105 I Reis 18.
  37. 37. 37 Jesus nos faz uma declaração bastante intrigante aos olhos humanos no Livro de João: “3 Respondeu-lhe Jesus: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus”.106 “(...) Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus”.107 Teremos então que nascer outra vez. Mas como? Nicodemos, um homem culto, ficou confuso sobre esta proposta e logo o Mestre foi explicando sobre o que Ele estava falando: A água representa a Palavra de Deus, que unida à unção do Seu Espírito vai gerar um filho espiritual no coração do que creu. Morremos no espírito quando pecamos e nos tornamos almas viventes, perdemos a semelhança com Deus que é um Espírito. Necessário nos é então, nascer outra vez no espírito para restabelecer o nosso contato direto com Deus como era no princípio. Jesus então, o que divide a humanidade entre antes e depois, o que faz parte da Trindade (Pai, Filho e Espírito Santo), portanto DEUS, tornou-se um ser humano, despojando-se dos seus atributos de Deus, o Criador do universo. Ele deu a terra aos filhos dos homens,108 e lhes deu autoridade e um tempo (que está no fim) para que eles a administrassem e depois prestassem contas. Ele se fez homem porque não havia um só que pudesse nos representar diante de Deus para acertar as nossas contas. Aqui veio para nos perdoar, restabelecer a nossa vida espiritual e a nossa paz com Ele, ensinar, curar, corrigir e morrer por nós, no nosso lugar, nos substituir na morte para a qual estávamos destinados, pois, todos pecamos e destituídos estávamos da glória de Deus: 106 João 3:3. 107 João 3:5. 108 Salmo 115:16.
  38. 38. 38 “10 como está escrito: Não há justo, nem sequer um. (...) 12 Todos se extraviaram (...)”. Precisamos de um salvador, pois a nossa dívida tornou-se impagável, e a punição seria infinita. Fala a Bíblia que o salário do pecado é a morte: “23 Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor”.109 Morte significa separação de Deus. A identidade de pecador nos trás culpa e condenação e a nossa própria consciência nos adverte, pois é como a lei em nossos corações. Fala o Apóstolo Paulo: “Estes mostram a norma da lei gravada no seu coração, testemunhando-lhes também a consciência e os seus pensamentos, mutuamente acusando-se ou defendendo-se”.110 Deus nos fala insistentemente: “Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus”.111 “O tempo está cumprido, e é chegado o reino de Deus. Arrependei-vos, e crede no evangelho”.112 Jesus, porque não pecou, porque era um Cordeiro sem mancha e sem defeitos, estava apto para o sacrifício pascal, para morrer a nossa morte (nós não tínhamos porque viver e Ele não tinha porque morrer). Foi examinado pelos sacerdotes, assim como os cordeiros o eram na ocasião da Páscoa. Estes teriam que ser sem defeito algum. Jesus, o Cordeiro de Deus, foi examinado por todos e até Judas, assim como Pilatos O consideraram sem dolo algum. Foi vendido pelo preço de um escravo, porque naquele momento nos representava e não a Ele. Somos o “Barrabás” que foi solto, Jesus ficou preso no 109 Romanos 6:23. 110 Romanos 2:15. 111 Mateus 4:17. 112 Marcos 1:14,15.
  39. 39. 39 nosso lugar, nos substituiu na sentença de morte e rasgou o escrito da nossa dívida impagável. “21 Àquele que não conheceu pecado, Deus o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus”.113 “12 E em nenhum outro há salvação; porque debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, em que devamos ser salvos”.114 Portanto, aproveitemos a grande oportunidade e saiamos fora da condenação: “18 Quem crê nele não é julgado; mas quem não crê, já está julgado; porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. 23 Quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, porém, desobedece ao Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus”. Religião não é cumprir rituais, ir para igreja ou fazer obras, mas é uma relação pessoal com Jesus Cristo, o único Caminho que nos leva a Deus: “5 Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem”.115 “6 Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim”.116 Ele tomou as chaves da morte e do inferno,117 ressuscitou e qualquer um que crê pode fazer o mesmo trajeto que Ele fez, ou seja, morrer na sua vida velha e independente de Deus, ressurgir da morte e ascender ao Pai, conduzido por Ele, na unção do Seu Espírito. “10 Estava ele no mundo, e o mundo foi feito por intermédio dele, e o mundo não o conheceu. 11 Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. 12 Mas, a todos quantos o 113 II aos Cor 5:21. 114 Atos 4:12. 115 I a Timóteo 2:5. 116 João 14:6. 117 Apocalipse 1:18.
  40. 40. 40 receberam, aos que crêem no seu nome, deu-lhes o poder de SE TORNAREM filhos de Deus; 13 os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do varão, mas de Deus”.118 Ou seja, as pessoas se tornam filhos depois desta fé, mudam de identidade, mudam o seu destino. Quando alguém nasce outra vez vislumbra uma mudança dentro de si, embora não saiba explicar com palavras o que aconteceu. Alguma coisa boa e nova acontece dentro do seu coração. Deus está perto e mora dentro deste bem aventurado. A esperança renasce e o conforto brota do interior deste que agora tem um novo nome: Fulano de Deus. Deus também mudou o seu nome para Deus de Fulano, e assim a aliança é feita e consumada diante dos céus e da terra, e é eterna.119 Este é agora co-herdeiro com Cristo, pois herdou o Reino de Deus. 118 João 1:10/13. 119 Temos um texto escrito com o título “Aliança de Sangue” que nos aprimora nesta matéria imprescindível para a nossa vida espiritual.
  41. 41. 41 Não nasce nesta condição, mas a recebeu de Deus, pelo sacrifício de Cristo. “Eu nasci na iniqüidade, e em pecado me concebeu minha mãe”.120 Poderá então entrar na Cidade Santa, e será, espiritualmente, depois desta confissão, transportado do reino das trevas para o Reino de Deus. “27 E não entrará nela coisa alguma impura, nem o que pratica abominação ou mentira; mas somente os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro”.121 “14 E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte, o lago de fogo. 15 E todo aquele que não foi achado inscrito no livro da vida, foi lançado no lago de fogo”.122 Que grande alívio! “O dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor”.123 Porque? “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha vida eterna”.124 120 Salmo 51:5. 121 Apocalipse 21:27. 122 Apocalipse 20:14,15. 123 Romanos 6:23. 124 João 3:16.
  42. 42. 42 “10 Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido”.125 “4 Atraí-os com cordas humanas, com laços de amor; e fui para eles como os que tiram o jugo de sobre as suas queixadas, e me inclinei para lhes dar de comer”.126 Jesus se tornou filho do homem, para que o que crê se torne filho de Deus; se tornou pobre para fazê-lo rico na verdadeira acepção da palavra; levou sobre si a doença para que pelas Suas pisaduras este fosse sarado; tornou-se maldição para que este possa alcançar a bênção; tornou-se pecado para que este se torne justiça de Deus; se fez homem para que este nasça como filho de Deus e se torne enfim à sua imagem e semelhança. É pouco? “E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no seu Filho. Aquele que tem o filho tem a vida; aquele que não tem o filho de Deus não tem a vida. Estas coisas vos escrevi, a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus”.127 E temos então só esta vida para fazer esta decisão: “27 E, como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo depois o juízo”.128 O Livro de Romanos nos dá a fórmula para esta certidão de nascimento: “8 Mas que diz? A palavra está perto de ti, na tua boca e no teu coração; isto é, a palavra da fé, que pregamos. 9 Porque, se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será 125 Lucas 19. 126 Oséias 11. 127 I João 5: 11/13. 128 Hebreus 9:27.
  43. 43. 43 salvo. 13 Porque: Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo”.129 E depois disso não haverá mais o domínio da morte para este que creu e se rendeu, pois Jesus morreu a morte dele: “26 e todo aquele que vive, e crê em mim, jamais morrerá. Crês isto?”.130 “36 Quem crê no Filho tem a vida eterna”.131 Este que não morre mais, se passar pela primeira morte, estará dormindo, esperando a volta do seu Rei, para viver com Ele eternamente: “13 Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais como os outros que não têm esperança. 14 Porque, se cremos que Jesus morreu e ressurgiu, assim também aos que dormem, Deus, mediante Jesus, os tornará a trazer juntamente com ele. 15 Dizemo-vos, pois, isto pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que já dormem. 16 Porque o Senhor mesmo descerá do céu com grande brado, à voz do arcanjo, ao som da trombeta de Deus, e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. 17 Depois nós, os que ficarmos vivos seremos arrebatados juntamente com eles, nas nuvens, ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor. 18 Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras”.132 Temos ou não que louvar a Deus por esta viva esperança? “3 Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua grande misericórdia, nos regenerou, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, 4 para uma herança incorruptível, incontaminável e imarcescível, reservada nos céus para vós, 5 que pelo poder de Deus sois guardados, mediante a fé, para a salvação que está preparada para se revelar no último tempo”. 7. A Verdade que liberta 129 Romanos 10:8,9,13. 130 João 11:26. 131 João 3:36. 132 I aos Tessalonicenses 4:13/18.
  44. 44. 44 Depois de refletir, dobrar-se à fé tão evidente, insistir neste propósito, aí então conheceremos a Verdade que nos libertará: “31 Dizia, pois, Jesus aos judeus que nele creram: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sois meus discípulos; 32 e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”.133 Com o objetivo de que você se sinta bem à vontade para buscar o seu relacionamento com Deus através da Bíblia e sem intermediários religiosos, expomos mais alguns detalhes, os quais estão fundamentados especialmente no texto “Os Protestos de Hoje”, o qual terei prazer em fazer chegar às suas mãos se sentir interesse. No tempo de Martinho Lutero não havia traduções da Bíblia para o povo e por isso esses “manda chuvas” religiosos monopolizavam e falavam o que queriam para estes que eram só instrumentos de enriquecimento ilícito para os seus bolsos. O povo pagava indulgências e eram explorados e enganados por aquela liderança corrupta, porque não conheciam a Bíblia (não havia ainda a tradução). Da mesma forma acontece hoje e pelos mesmos motivos, pois, embora o povo tenha hoje a Bíblia traduzida em várias versões e de várias cores e tamanhos, continuam não lendo e não se inteirando do que está escrito. Como poderia Deus deixar as Suas Leis para que só alguns a lessem e entendessem? É claro que não é assim, mas muito ao contrário do que a casta religiosa prega, Deus usa, normalmente, os pequenos, os Davis, os que não são, como afirma de várias maneiras na Sua Palavra: “26 Ora, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos. nem muitos os nobres que são chamados. 27 Pelo contrário, Deus escolheu as coisas loucas do mundo para confundir os sábios; e Deus escolheu as coisas fracas do mundo para confundir as 133 João 8.
  45. 45. 45 fortes; 28 e Deus escolheu as coisas ignóbeis do mundo, e as desprezadas, e as que não são, para reduzir a nada as que são; 29 para que nenhum mortal se glorie na presença de Deus”.134 O Rei Davi antes de ser empossado rei era um homem que amava Deus, SÓ ISSO e mais nada. Não tinha cargos, não tinha títulos e nem força política ou religiosa, não era nem adequado para ser um que ocupasse as fileiras dos soldados requisitados para a guerra, era o menor da sua casa e o que tinha menos aparência ou capacidade. Teremos que nos convencer de que Deus usa a ESTES, para poder atender ao Seu chamado. Portanto, se alguém não tem um curso de teologia, ótimo!, que assim seja; aproveite então esta liberdade para escutar de Deus diretamente e não de atravessadores, de mediadores, usurpando esta posição que só cabe ao MESTRE e ao que pagou o preço e assim poderá se livrar das astutas ciladas do diabo, tomando posse enfim da grande fortuna que Jesus deixou aos pés da cruz a todo faminto: ““9 Mas, como está escrito: As coisas que olhos não viram, nem ouvidos ouviram, nem penetraram o coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam.135 É claro que Deus dará a qualquer um que creia, autoridade e revelações do Seu Espírito. “15 E disse-lhes: Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura. 16 Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. 17 E estes sinais acompanharão aos que crerem: em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas; 18 pegarão em serpentes; e se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e estes serão curados”.136 Por isso perseguiram e mataram Jesus, pois Ele não se enquadrava nos seus moldes, era avesso à burocracias, protocolos e tradições religiosas e fazia questão de quebrá-las todas. Todo pequenino de Deus deve lembrar que argüiam a Davi de todas as maneiras, escarnecendo bastante dele, quando se dispôs a sozinho enfrentar o gigante e a Jesus, da mesma maneira: “23 Tendo Jesus entrado no templo, e estando a ensinar, aproximaram-se dele os principais sacerdotes e os anciãos do povo, e perguntaram: Com que autoridade fazes tu estas coisas? e quem te deu tal autoridade”.137 134 I aos Cor 1. 135 I aos Coríntios 2. 136 Marcos 16. 137 Mateus 21.
  46. 46. 46 Por quê? “29 porque as ensinava como tendo autoridade, e não como os escribas”.138 Ele foi odiado por isso. Ele tinha A AUTORIDADE, e é quem nos dá autoridade. E Ele dá a quem esta autoridade? “25 Naquele tempo falou Jesus, dizendo: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos”.139 É claro que no Reino de Deus não há privilégios: “9 E vós, senhores, fazei o mesmo para com eles, deixando as ameaças, sabendo que o Senhor tanto deles como vosso está no céu, e que para com ele não há acepção de pessoas”.140 E é claro também que a autoridade no Reino d’Ele é para os contritos de coração141 e os humildes de espírito:142 “42 Então Jesus chamou-os para junto de si e lhes disse: Sabeis que os que são reconhecidos como governadores dos gentios, deles se assenhoreiam, e que sobre eles os seus grandes exercem autoridade. 43 Mas entre vós não será assim; antes, qualquer que entre vós quiser tornar-se grande, será esse o que vos sirva; 44 e qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, será servo de todos. 45 Pois também o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos”.143 Fala-nos Deus que desta igreja apóstata, a do status quo, não vai sobrar pedra sobre pedra que não seja derrubada: “1 Quando saía do templo, disse-lhe um dos seus discípulos: Mestre, olha que pedras e que edifícios! 2 Ao que Jesus lhe disse: Vês estes grandes edifícios? Não se deixará aqui pedra sobre pedra que não seja derribada”.144 E que haverá um só Pastor e um só rebanho, ... 138 Mateus 7. 139 Mateus 11:25. 140 Efésios 6:9. 141 Salmo 51. 142 Mateus 5. 143 Marcos 10. 144 Marcos 13:1,2.
  47. 47. 47 “(...) e elas ouvirão a minha voz; e haverá um rebanho e um pastor”.145 ... que haverá nesses últimos dias, juízes como eram dantes: “26 e te restituirei os teus juízes, como eram dantes, e os teus conselheiros, como no princípio, então serás chamada cidade de justiça, cidade fiel”.146 Fala Deus que o templo que tanto pedimos a Deus foi transformado em covil de ladrões: “17 e ensinava, dizendo-lhes: Não está escrito: A minha casa será chamada casa de oração para todas as nações? Vós, porém, a tendes feito covil de salteadores”.147 E assim como foram destruídos os outros templos no passado esses que vemos o serão da mesma maneira; que já chegou o tempo, segundo a Palavra, em que não haverá lugar estabelecido para se adorar a Deus: “20 Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que em Jerusalém é o lugar onde se deve adorar. 21 Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me, a hora vem, em que nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai. 22 Vós adorais o que não conheceis; nós adoramos o que conhecemos; porque a salvação vem dos judeus. 23 Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. 24 Deus é Espírito, e é necessário que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade”.148 145 João 10:16. 146 Isaías 1:26. 147 Marcos 11:17. 148 João 4.
  48. 48. 48 Deus estará em qualquer lugar onde houver dois ou três reunidos em Seu nome: “20 Pois onde se acham dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles”.149 Onde houver um perdido, sofrido ou oprimido, onde houver alguém que crer, Deus estará, pois Ele procura adoradores que O adorem em ESPÍRITO, pois Ele é espírito, e assim também o serão os que foram feitos à Sua semelhança, e recriaram o seu espírito pela fé em Jesus, tornando-se assim filhos de Deus e tendo então os seus nomes, como já vimos, escritos no Livro da Vida. Está escrito também que Deus não habita em templos feitos por mãos de homens e nem haveria espaço construído pelo homem que Deus pudesse caber lá dentro ... “48 mas o Altíssimo não habita em templos feitos por mãos de homens, como diz o profeta: 49 O céu é meu trono, e a terra o escabelo dos meus pés. Que casa me edificareis, diz o Senhor, ou qual o lugar do meu repouso?”150 “6 Mas quem é capaz de lhe edificar uma casa, visto que o céu e até o céu dos céus o não podem conter? E quem sou eu, para lhe edificar uma casa, a não ser para queimar incenso perante ele?”151 “27 Mas, na verdade, habitaria Deus na terra? Eis que o céu, e até o céu dos céus, não te podem conter; quanto menos esta casa que edifiquei!”152 “1 Assim diz o Senhor: O céu é o meu trono, e a terra o escabelo dos meus pés. Que casa me edificaríeis vós? e que lugar seria o do meu descanso? 2 A minha mão fez todas essas coisas, e assim todas elas vieram a existir, diz o Senhor; mas eis para quem olharei: para o humilde e contrito de espírito, que treme da minha palavra”.153 ... mas o Seu Reino está dentro do que crê e não vem com aparência visível: “20 Sendo Jesus interrogado pelos fariseus sobre quando viria o reino de Deus, respondeu-lhes: O reino de Deus não vem com aparência exterior; 21 nem dirão: Ei-lo aqui! ou: Ei-lo ali! pois o reino de Deus está dentro de vós”.154 149 Mateus 18:20. 150 Atos 7:48,49. 151 II de Crônicas 2:6 152 I Reis 8:27. 153 Isaías 66:1,2. 154 Lucas 17:20,21.
  49. 49. 49 Fala-nos também Deus pela Sua Palavra que esses reis, esta liderança corrupta que assola os nossos dias como assolava na época de Martinho, fomos nós que pedimos que os tais reinassem sobre nós, rejeitando assim o Rei dos Reis que nos criou e recria o que crê. “1 Ora, havendo Samuel envelhecido, constituiu a seus filhos por juízes sobre Israel. 2 O seu filho primogênito chamava-se Joel, e o segundo Abias; e julgavam em Berseba. 3 Seus filhos, porém, não andaram nos caminhos dele, mas desviaram-se após o lucro e, recebendo peitas, perverteram a justiça. 4 Então todos os anciãos de Israel se congregaram, e vieram ter com Samuel, a Ramá, 5 e lhe disseram: Eis que já estás velho, e teus filhos não andam nos teus caminhos. Constitui-nos, pois, agora um rei para nos julgar, como o têm todas as nações. 6 Mas pareceu mal aos olhos de Samuel, quando disseram: Dá-nos um rei para nos julgar. Então Samuel orou ao Senhor. 7 Disse o Senhor a Samuel: Ouve a voz do povo em tudo quanto te dizem, pois não é a ti que têm rejeitado, porém a mim, para que eu não reine sobre eles. 8 Conforme todas as obras que fizeram desde o dia em que os tirei do Egito até o dia de hoje, deixando-me a mim e servindo a outros deuses, assim também fazem a ti. 9 Agora, pois, ouve a sua voz, contudo lhes protestarás solenemente, e lhes declararás qual será o modo de agir do rei que houver de reinar sobre eles. 10 Referiu, pois, Samuel todas as palavras do Senhor ao povo, que lhe havia pedido um rei, 11 e disse: Este será o modo de agir do rei que houver de reinar sobre vós: tomará os vossos filhos, e os porá sobre os seus carros, e para serem seus cavaleiros, e para correrem adiante dos seus carros; 12 e os porá por chefes de mil e chefes de cinqüenta, para lavrarem os seus campos, fazerem as suas colheitas e fabricarem as suas armas de guerra e os petrechos de seus carros. 13 Tomará as vossas filhas para perfumistas, cozinheiras e padeiras. 14 Tomará o melhor das vossas terras, das vossas vinhas e dos vossos elivais, e o dará aos seus servos. 15 Tomará e dízimo das vossas sementes e das vossas vinhas, para dar aos seus oficiais e aos seus servos. 16 Também os vossos servos e as vossas servas, e os vossos melhores mancebos, e os vossos jumentos tomará, e os empregará no

×