Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

BE_ARROIO_AUTOAVALIAÇÃO_D

694 views

Published on

Relatório de auto-avaliação do domínio D da Biblioteca da Escola secundária Artística de António Arroio

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

BE_ARROIO_AUTOAVALIAÇÃO_D

  1. 1.                                                                                                                                           Bibliotecas Escolares: Modelo de Relatório de Auto - Avaliação                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                 
  2. 2. 1 - Breve Introdução A avaliação é um instrumento de melhoria da qualidade. Os resultados obtidos no processo de auto-avaliação devem, por isso, ser objecto de análise colectiva e de reflexão na escola/ agrupamento e originar a implementação de medidas adequadas aos resultados obtidos. Esta análise deve identificar os sucessos - pontos fortes - no trabalho realizado em cada um dos domínios de funcionamento da biblioteca escolar e as limitações – pontos fracos – que correspondem a um desenvolvimento menor nalguns domínios de funcionamento. O relatório final de auto-avaliação deve ser o instrumento que descreve os resultados da auto-avaliação e que delineia o conjunto de acções a ter em conta no planeamento de acções futuras a desenvolver. Esse relatório deve dar uma visão holística do funcionamento da biblioteca escolar e assumir-se como instrumento de recolha e de difusão de resultados a ser apresentado junto dos órgãos de gestão e de decisão pedagógica. Deve integrar o relatório anual de actividades da escola e originar uma súmula a incorporar no relatório de avaliação da escola e deve orientar o coordenador na entrevista a realizar pela Inspecção-Geral de Educação. 2 - METODOLOGIA A SEGUIR NA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO ANUAL DE ACTIVIDADES A aplicação do Modelo de Auto-Avaliação prevê que, decorrido um ciclo de quatro anos, todos os domínios representativos do funcionamento da biblioteca escolar tenham sido avaliados. A selecção, em cada ano, de um ou mais domínios para ser objecto de avaliação representará um investimento mais significativo nesse ou nesses domínios, no sentido de procurar aferir, de forma sistemática e objectiva, os resultados efectivos do trabalho desenvolvido nessa (s) área (s).   1  
  3. 3. O trabalho e a acção educativa da biblioteca escolar efectivam-se, no entanto, em cada ano, através dos quatro domínios representativos das áreas essenciais inerentes ao cumprimento dos pressupostos e objectivos que suportam a sua acção. A opção pela avaliação de um dos domínios não pode significar, por isso, o abandono dos restantes domínios. O Relatório encontra-se, por isso, estruturado em três Secções: A Secção A – Destina-se à apresentação da avaliação do domínio ou domínios que, no âmbito da aplicação do Modelo, foram objecto de avaliação. A Secção B – Destina-se a apresentar informação acerca do perfil de desempenho da BE nos domínios que, não sendo objecto de avaliação nesse ano lectivo, testemunham o seu desempenho nas diferentes áreas de funcionamento da BE. A Secção C – Visa um resumo que forneça uma visão global, recorrendo a um quadro síntese dos resultados obtidos e das acções a implementar. A estrutura apresentada contém um layout onde todos os domínios estão presentes nas secções A e B. Cada escola/ biblioteca escolar deve adaptar a estrutura à sua situação e, na secção A, preencher apenas o quadro correspondente ao domínio em que aplicou o Modelo de Avaliação. Este domínio não será objecto de referência na Secção B. A ficha de perfil da Biblioteca escolar, incluída no “Modelo de Avaliação da Biblioteca Escolar”, deve acompanhar em anexo o Relatório Anual de Avaliação.   2  
  4. 4.               SECÇÃO A   Cada Escola / Biblioteca Escolar deve relatar os resultados da auto-avaliação do domínio que, no âmbito   da aplicação do Modelo de Auto-Avaliação, foi por si escolhido no presente ano lectivo.                   3  
  5. 5.         A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular  A.1. Articulação Curricular da BE com as Estruturas Pedagógicas e os Docentes Indicadores Evidências recolhidas1 Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos Identificados A.1.1. Cooperação da BE com os órgãos pedagógicos de gestão intermédia da escola/agrupamento. A.1.2. Parceria da BE com os docentes responsáveis pelas novas áreas curriculares não disciplinares (NAC).                                                              1  Estas evidências podem incluir: • Documentos já existentes e que regulam a actividade da escola (PEE, PCT, etc.) ou da BE (Plano de Actividades, regulamento, etc.); • Registos diversos (actas de reuniões, relatos de actividades, etc.); • Materiais produzidos pela BE ou em colaboração (planos de trabalho, planificações para sessões na BE, documentos de apoio ao trabalho na BE, material de promoção, etc.); • Estatísticas produzidas pelo sistema da BE (requisições, etc.); • Trabalhos realizados pelos alunos (no âmbito de actividades da BE, em trabalho colaborativo, etc.); • Resultados dos instrumentos especificamente construídos para recolher informação no âmbito da avaliação da BE (registos de observação, questionários, entrevistas, etc.).       4  
  6. 6. Indicadores Evidências recolhidas1 Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos Identificados A.1.3. Articulação da BE com os docentes responsáveis pelos Apoios Educativos. A.1.4. Integração da BE no Plano de Ocupação Plena dos Tempos Escolares (OPTE). A.1.5. Colaboração da BE com os docentes na concretização das actividades curriculares desenvolvidas no seu espaço ou tendo por base os seus recursos.   5  
  7. 7. A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular  A. 2. Promoção da Literacia da Informação Indicadores Evidências recolhidas Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos Identificados A.2.1. Organização de actividades de formação de utilizadores. A.2.2. Promoção do ensino em contexto de competências de informação. A.2.3. Promoção das TIC e da Internet como ferramentas de acesso, produção e comunicação de informação e como recurso de aprendizagem. A.2.4. Impacto da BE nas competências tecnológicas e de informação dos alunos. A.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes indispensáveis à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo da vida. B. Leitura e Literacia   6  
  8. 8. Indicadores Evidências recolhidas Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos Identificados B.1 Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura B.2 Trabalho articulado da BE com departamentos e docentes e com o exterior, no âmbito da leitura B.3 Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, no âmbito da leitura e das literacias. C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade   7 C.1 Apoio a Actividades Livres, Extra-Curriculares e de Enriquecimento Curricular  
  9. 9. Indicadores Evidências recolhidas Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos Identificados C.1.1. Apoio à aquisição e desenvolvimento de métodos de trabalho e de estudo autónomos. C.1.2. Dinamização de actividades livres, de carácter lúdico e cultural. C.1.3. Apoio à utilização autónoma e voluntária da BE como espaço de lazer e livre fruição dos recursos. C.1.4. Disponibilização de espaços, tempos e recursos para a iniciativa e intervenção livre dos alunos. C.1.5. Apoio às Actividades de Enriquecimento Curricular (AEC), conciliando-as com a utilização livre da BE.           C. Projectos, Parcerias e Actividades Livre e de Abertura à Comunidade C.2. Projectos e Parceiras   8  
  10. 10. Indicadores Evidências recolhidas Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos Identificados C.2.1. Envolvimento da BE em projectos da respectiva Escola/Agrupamento ou desenvolvidos em parceria, a nível local ou mais amplo. C.2.2. Desenvolvimento de trabalho e serviços colaborativos com outras escolas, agrupamentos e BEs. C.2.3. Participação com outras Escolas /Agrupamentos e, eventualmente, com outras entidades (por ex. DRE, RBE, CFAE), em reuniões da BM/SABE ou outro Grupo de Trabalho a nível concelhio ou inter-concelhio. C.2.4. Estímulo à participação e mobilização dos Pais/EE’s em torno da promoção da leitura e do desenvolvimento de competências das crianças e jovens que frequentam a escola. C.2.5. Abertura da Biblioteca à Comunidade.   9  
  11. 11. D. Gestão da BE    D.1. Articulação da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE    Indicadores  Evidências recolhidas  Pontos Fortes Identificados  Pontos Fracos Identificados    1‐ Excertos do Projecto Educativo (pp.9,10 11 C), 12 e 14. ‐  A BE integra todos os documentos institucionais como o  D1.1.  2‐ RI em vigor em 2008 e Regulamento Interno discutido e  Projecto Educativo, o Regulamento Interno de Escola     Integração da  aprovado em 2009.      BE na Escola/  3‐ Actas do conselho pedagógico.      Agrupamento  4‐ Documento proposta de alteração ao RI.          ‐A coordenadora faz parte do Conselho Pedagógico, tendo      desencadeado aí acções de divulgação e discussão da      proposta da BE no RI.       ‐A coordenadora promoveu o debate da proposta      posteriormente à comunidade, através da plataforma    Moodle.        ‐ O documento proposto contempla: missão e objectivos    da BE, recursos humanos e recrutamento; serviços no    âmbito da comunidade.      5‐ Diagnóstico da situação da BE (análise SWOT) em 2008.     6‐ Plano de acção para 2008/2009 e respectiva divulgação.  ‐ O Plano de acção foi delineado partindo das metas e  7‐ Plano anual de Actividades da BE para 2008/2009 que  estratégias do PE (promoção da leitura, literacias,  já integra o PAA da escola.  incentivo à formação, divulgação de recursos entre  8‐ Paa da BE divulgado em suporte digital (Moodle, página  outros).  do CR/escola).    9‐ PAA  da  BE  integra  o  plano  anual  de  actividades  da  ‐ O PAA da BE contempla os objectivos:   escola.  Incentivar à formação de discentes, docentes e  10‐ Questionários aos professores (QP3) de que resultaram  não docentes;  as seguintes evidências:  Promover competências de leitura e escrita;  ‐  Classificação  de  Bom    (2.8,  na  escala  de  1  a  4)  sobre  as  Produzir e disponibilizar recursos;  condições de acesso e recursos disponibilizados.  Disponibilizar informação em vários suportes;  ‐classificação  de  Bom  (2.9)  a  adequação  às  necessidades  de  Dar apoio logístico a actividades curriculares e extra‐ documentação e ao trabalho pedagógico com os alunos  curriculares.   ‐Classificação  de  Bom  (2.7),  o  trabalho  articulado  com  os    10  
  12. 12. Indicadores  Evidências recolhidas  Pontos Fortes Identificados  Pontos Fracos Identificados  docentes, apoio e desenvolvimento curricular.   ‐Classificação  de  Bom  (3.0),  a  disponibilização  da  informação  ‐ Os professores consideram Bom o modo como a BE  relacionada com o trabalho escolar.  responde às actividades e projectos curriculares da escola    e o modo como disponibiliza a informação relacionada  11‐ Questionários  de  alunos  (QA4),  de  que  resultaram  as  com o trabalho escolar.  seguintes evidências:    ‐81% dos alunos considera o nº de computadores adequado às    necessidades.    ‐67%  dos  alunos  considera  a  documentação  actual  e  com    qualidade     ‐  66%  dos  alunos  considerou  não  ser  permanentemente    informado sobre a documentação e actividades da BE.        12‐ Estatísticas da BE (dossiê de estatística):  ‐  8217  horas  de  ocupação  dos  computadores,  durante  as  38  Os professores e alunos consideram BOM o modo como a  semanas lectivas.  BE responde às necessidade dos utilizadores e às  ‐  1020  horas  de  ocupação  do  auditório  com  aulas  visionadas,  actividades curriculares da escola.  conferências, palestras, reuniões, sessões de cinema.    ‐ 3000 alunos envolvidos, no local, salas de leitura, em aulas de    pesquisa.        13‐ Questionários  de  professores  (QP3),  de  que  resultaram    as seguintes evidências:  • Alunos e professores, na sua maioria, encaram a BE  ‐ 89% dos professores considera a gestão da BE eficaz e capaz de  como um BOM recurso no desenvolvimento do gosto,  favorecer o trabalho e a articulação com o currículo.  da leitura, no desenvolvimento das literacias.   ‐ Os professores atribuem Bom à capacidade da BE em contribuir        Em geral, a gestão da BE é encarada de modo positivo  para  melhorar  a  qualidade  do  trabalho  escolar  e  o  nível  de  pelos professores que fazem um balanço igualmente  competências dos alunos.  positivo do impacto da BE na vida da escola.  ‐Os professores atribuem Bom ao trabalho da equipa na criação    de  instrumentos  de  apoio,  condições  de  acesso  e    acompanhamento aos utilizadores.    ‐ Os professores atribuíram Bom às condições para o uso das TIC,    exploração  e  uso  qualificado  da  Internet,  disseminação  de    ferramentas Web.    ‐  Os  professores  atribuíram  Bom  à  capacidade  da  BE  de  criar    condições para a promoção da leitura e das literacias.    11  
  13. 13. Indicadores  Evidências recolhidas  Pontos Fortes Identificados  Pontos Fracos Identificados  ‐63% qualificam de Bom o impacto da BE na vida da escola e no  apoio ao trabalho docente.          D.1.2.  1‐ Evidências sobre o apoio do CE à BE      Valorização da  ‐ Documentos do arquivo de gestão.  •     BE pelos órgãos  ‐ Registos de correio electrónico trocado entre o CE e a BE.  • O CE tem procurado criar condições de conforto e    de gestão e de  ‐ Registos de correio electrónico trocado entre a BE e empresas  acesso na BE, contribuindo com mobiliário de assento    decisão  (ex: FNAC) com o conhecimento do CE/actual Direcção.  e acondicionamento de livros, aquisição de material    pedagógica    livro e não livro e sua disponibilização ao público.                • Em geral, o CE tende a servir de elo de ligação        entre a BE e a comunidade.      2‐ Proposta de constituição da equipa e colaboradores para    • Não há equipa constituída.  2008‐2009 (dossiê de gestão)    Todos os anos, de forma geral,  ‐ Afectação dos AAE à BE.  • O CE tem permitido a afectação anual de  a equipa é diferente.  ‐ Estatística do GEPE de 2007/2008 (dossiê de estatística).  professores na sua CNL – colaboradores – a fim de  • Os professores calendarização    dar continuidade a tarefas específicas  esse apoio, de forma geral,    imprescindíveis ao bom funcionamento destes  dispersos pelo horário, o que    serviços: tratamento documental (livro e não  não permite um trabalho    livro) produção de materiais pedagógicos, arquivo  contínuo.    histórico.                      3‐ Acta do Conselho Pedagógico nº 8/2009: actividade de leitura.      ‐ Correio electrónico entre a BE e os grupos/departamentos    O CE e o Conselho Pedagógico  ‐ Correio a BE e a coordenadora dos DT     envolveram pontualmente a BE na      realização de actividades.                        12  
  14. 14. Indicadores  Evidências recolhidas  Pontos Fortes Identificados  Pontos Fracos Identificados                  5‐ Documento Excel do Conselho Administrativo que demonstra  •  BE dispôs de uma boa verba.  a atribuição de uma verba de:  3 131,00 €.        1‐ Horário contínuo da BE: 1º período 9h30 – 21h30; 2º e 3º      D.1.3.   períodos: 8h45 às 21h00.  Os alunos e professores estão satisfeitos com o horário    Resposta da BE  2‐ Questionários aplicados aos alunos e professores de que  contínuo da BE. A BE disponibiliza leitura e requisição de  Os alunos dos cursos nocturnos  às necessidades  resultaram as seguintes evidências, respectivamente:   obras a alunos, professores e funcionários na interrupção  revelam alguma insatisfação quanto  da escola e dos  ‐  69% dos alunos respondeu que estão satisfeitos com os  das actividades lectivas e em férias.  ao horário da noite.  utilizadores.   horários.        ‐ Os professores atribuem Bom ao horário da BE.                        3‐ Evidências sobre criação de condições/lazer e recursos:        ‐ Estatísticas de utilização de equipamentos (leitor        DVD/portáteis/impressoras a PB e a cores afectas à BE).      ‐ Frequência média de alunos: 250/dia.      ‐ Tiragem de impressões e cópias na BE: 126 000.            4‐ Questionários aplicados aos alunos (QA4) de que      resultaram as evidências:      ‐ 77% (24% + 53%) dos alunos frequentam a BE diariamente a      duas vezes por semana.      ‐ 76% dos alunos respondeu que a área é adequada e suficiente  • Para a grande maioria dos utilizadores, a BE é um    para circularem à vontade e trabalharem.  espaço agradável, reconhecida como um Bom recurso    ‐ 81% dos alunos considerou o número de computadores capaz  de apoio às actividades curriculares e ao lazer.      de responder às necessidades do quotidiano.       Os equipamentos são recentes e em número suficiente     ‐ 54% dos alunos referiu encontrar os documentos que        para satisfazer as necessidades habituais dos        procura.        utilizadores.    ‐67% dos documentos tem informação de qualidade.        13  
  15. 15. Indicadores  Evidências recolhidas  Pontos Fortes Identificados  Pontos Fracos Identificados  ‐83%  dos alunos avaliaram jornais e revistas entre o Bom e o       suficiente.    • Por falta de recursos humanos,  ‐82% ( 25% + 57%) dos alunos encontra livros de literatura e    a colecção de CD’s áudio não  leitura recreativa.    está em condições de ser  ‐58% refere encontrar DVD’S e jogos.    disponibilizada aos alunos,      apenas aos professores.              5‐Questionários aplicados aos professores (QP3) de que      resultaram as seguintes evidências:   A BE tem feito um esforço significativo na    ‐ Os professores qualificaram de Bom o horário, os recursos  organização/gestão de computadores/equipamentos (nem    disponibilizados, a adequação da colecção e as condições de  sempre entendida pelos alunos).    acesso.  A BE, apesar dos fracos recursos humanos, tem conseguido      dar resposta sistemática às múltiplas solicitações dos      utilizadores quer no apoio à pesquisa quer no apoio aos      recursos e serviços.          6‐ Evidências sobre o apoio e o acesso aos equipamentos:    ‐ Produção e distribuição do Guia do Utilizador.    ‐Gestão/estatística com:    Requisições dos 16 computadores;    Requisições do auditório ;    ‐ Livro de Sugestões com sugestões, nomeadamente sobre    organização dos serviços.           7‐ Questionários aos professores (QP3) de que resultaram as        seguintes evidências:  • Alunos e professores são unânimes em declarar que      ‐ Classificação de Bom (2.8) quanto à disponibilização da  A BE disponibiliza regularmente informação cultural,    informação e iniciativas.  em suporte impresso e em suporte digital, sobre    ‐ Classificação de Bom a disponibilização de recursos e de  iniciativas próprias, da escola ou outras que possam    ferramentas Web, produção e difusão da informação.  interessar alunos e professores.    ‐ Classificação de Bom na Colecção e nos recursos organizados      em linha;        14  
  16. 16. Indicadores  Evidências recolhidas  Pontos Fortes Identificados  Pontos Fracos Identificados  ‐ Classificação de Bom em :  A BE não se tem assumido como      Disponibilização de informação relacionada com o    pólo único de difusão cultural.  trabalho escolar/currículo;  • Os professores consideram‐se satisfeitos quanto ao    Criação de condições de acesso, acompanhamento à  modo como a BE faz a divulgação da colecção, dos  Na E S António Arroio, pela sua  pesquisa e uso da informação;  recursos que oferece, da disponibilização da  especificidade, existem outras   Em criação de condições para o uso das TIC e uso  informação e de algumas iniciativas.  estruturas que se assumem como  qualificado da Internet;     pólos de difusão: a Galeria Lino  Criação de condições para a promoção da leitura e    António, e cada curso de per si.  literacias.            8 ‐ Diversos canais de formação/divulgação:         ‐ Moodle;  • A BE faz uma boa gestão da informação digital.       ‐ Página do CR         ‐ Blogue da BE.         ‐ Cartazes.          9‐ Questionários aos alunos (QA4), de que resultaram as  A divulgação das actividades e das  evidências seguintes:  iniciativas não tem sido visível para  ‐ 66% dos alunos considera que a BE não os mantém  uma parte dos alunos.  permanentemente informados acerca das actividades que  realiza.  ‐ 94% dos alunos considera que a informação on‐line está entre o  suficiente e o Bom.    D.1.4 Avaliação  • Modelo de auto‐avaliação da BE  da BE.    A BE está em auto‐avaliação ao domínio D: Gestão da      • Evidências que decorrem do Modelo:  Biblioteca Escolar.       Pelo facto de a BE estar em processo de auto‐avaliação,    ‐ Questionários a Alunos (QA4);  tem havido uma maior divulgação dos recursos e    ‐ Questionários a Professores (QP3);  necessidades da BE ao nível de gestão e das estruturas    ‐ Preenchimento de uma Checklist de auto‐avaliação da  pedagógicas. A necessidade de organizar evidências, e de    coordenadora (CK1)  as expor, levou a esforços redobrados como:    ‐ Preenchimento de um questionário de desenvolvimento da   ‐ Implementação do módulo de requisições e     Colecção (CK2)  ‐ Colocação da base no catálogo colectivo da Rede (RBE).    ‐ Estatísticas fornecidas pela BE.      ‐ Estatísticas da BE fornecidas pelo GEPE.        15  
  17. 17. Indicadores  Evidências recolhidas  Pontos Fortes Identificados  Pontos Fracos Identificados  ‐Documentos vários de gestão/institucionais.   O Plano de Acção para 2009/2010 já integra novas      estratégias e planificações, decorrentes desta auto‐   • Apresentação de Acções de melhoria no final de cada  avaliação.    subdomínio.          As reuniões com as coordenadoras interconcelhias têm  • Actas das reuniões com os coordenadores de outros  servido para fazermos o ponto da situação, definir  concelhos que estão a testar o mesmo Domínio (D).  metodologias e concertar estratégias relativas ao    preenchimento de documentos tais como o Relatório de    auto‐avaliação.    Indicadores  Evidências recolhidas  Pontos Fortes Identificados  Pontos Fracos Identificados    1‐  Questionários  aos  professores  (QP3) de  que  D.2.1.Liderança  do/a    foram recolhidas as seguintes evidências:    professor/a  ‐  Classificação  de  Bom  (3.6)  a  capacidade  de      coordenador/a.  mobilização  da  coordenadora  seja  em  relação  a      objectivos da BE seja na integração da mesma na    escola  ‐  A  coordenadora  tem  uma  participação  • A  BE  deve  reforçar  as  acções  planificadas  com    activa  nos  órgãos  de  gestão  pedagógica,  os  departamentos  ou  órgãos  de  gestão  2  –  Doc.  de  Auto‐avaliação  da  coordenadora  divulgando  recursos  ou  partilhando  pedagógica.   (CK2): a coordenadora atribui nível 2 (2.5) à sua  problemas,  ou  colaborando  em  actividades    liderança, gestão e capacidade mobilizadora.  de interesse pedagógico.        3‐ Actas:      ‐  acta  nº10  do  CP  ‐participação  em  acção  de    promoção da leitura dirigida à comunidade.      ‐acta  nº  1  do  grupo  disciplinar  (Setembro)‐      proposta de articulação com o departamento de  • Em  CP,  a  coordenadora  tem  tido  um  LLModernas/grupo  de  Português  “actividade  de  papel  de  sensibilização  e  alerta  para  a    pesquisa”.  sobrelotação/quase ruptura de serviços    ‐  Acta  nº10,  CP,  ponto  3:  “equipamentos  e  e  de  equipamentos,  em  épocas  de  impressora da BE em períodos de avaliação”.  avaliação,  sugerindo  até  estratégias  de      16  
  18. 18.    remediação.   3 ‐ Acções de divulgação da BE em suporte digital    (Moodle/página/blogue) de :       Doc proposta para integrar RI    PPoint  de  divulgação  da  aplicação  do    Modelo de auto‐avaliação.                  Indicadores  Evidências recolhidas  Pontos Fortes Identificados  Pontos Fracos Identificados    Outras acções de divulgação • Acções  de  sensibilização  à  BE  com    5‐ Planificações  formais  e  informais  de  pesquisa  bibliográfica  e  na  Internet,    actividades:  junto  das  turmas  do  10º  ano  e  • A coordenadora não operacionalizou   ‐Memorandos de reuniões de planificação  professores.   um  programa  sistemático    de  formação  para  as  anual/iniciativas  pontuais  com  os  • A  coordenadora  fomenta  relações  literacias .  colaboradores/elementos  de  grupos  interpessoais com colaboradores, entre              disciplinares.  docentes em geral, alunos e AAE.    ‐ Memorandos das reuniões com a equipa  • A coordenadora promove o trabalho de  de AAE.  equipa  na  criação/produção  de    actividades  essenciais  ao  bom  6‐ Questionário aos professores (QP3):   funcionamento da BE.    ‐Classificação de Bom (3.1) quanto ao trabalho de    equipa na criação de instrumentos de apoio aos    utilizadores.  • A coordenadora aplica anualmente    mecanismos de controlo e avaliação    dos recursos humanos. Informalmente,    com regularidade vai aferindo o  7‐ Relatórios /balanço anual de colaboradores.  trabalho desenvolvido pelos parceiros    da BE, sejam os AAE sejam os    colaboradores, sejam os utilizadores.          17  
  19. 19. D.2.2 Adequação da  1‐Formação da coordenadora: 141 horas em BE.      equipa em número e  ‐ Modelo de Auto‐Avaliação das BE: 76h.  • A  BE  tem  duas  AAE  a  tempo  inteiro,  a    qualificações às  ‐ Organizar, Gerir, Dinamizar BE: 38 horas.  fim  de  assegurarem  um  horário  • A  BE  não  possui  uma  equipa  multidisciplinar,  necessidades de  ‐Módulos de Catwin/Usewin/Pacweb/AquWin:  contínuo de 11horas.  apenas colaboradores multidisciplinares.  funcionamento da BE e  27horas.       às solicitações da  comunidade educativa.  2 ‐ Evidências sobre formação das AAE:  • Uma  das  AAE  possui  formação  técnica      na área do tratamento documental.      ‐Folhas de contrato das AAE (SA);  • As duas AAE vão frequentar uma acção  • A  coordenadora  possui  pouca  formação  ‐Horário (dossiê da gestão)  de  formação  em  gestão  das  BE,  de  adequada à gestão da equipa.    ‐Formação de uma das funcionárias AAE: 106 horas  150h cada, em Setembro 2009.    Indicadores  Evidências recolhidas  Pontos Fortes Identificados  Pontos Fracos Identificados    1‐ Taxa  de  frequência  de  alunos  e  professores  (250/dia).    2‐ Recolha de sugestões: Livros de sugestões;    Abertura  e  diálogo  com  os  utilizadores  na  procura de soluções.    Formação  básica  ao  10º  ano  com  impacto:    estatística  de  requisições  do  10º  ano:  40%  • A BE tem procurado de modo  pertencem ao 10º ano.  sistemático dinamizar a população  3‐ Divulgação  de  informações  sobre  serviços  e  escolar para o uso da BE como recurso  recursos.  pedagógico, tendo a preocupação de  ‐  Divulgação  de  informações  em  suporte  divulgar actividades /notícias de modo  Digital (ex. Moodle e blogue).      a informar, a sensibilizar e a promover    o apoio da escola à BE e da BE à  4‐ Questionários  aplicados  aos  professores  escola. Segundo os professores, esta  (QP3),  de  que  resultaram  as  seguintes  atitude tem contribuído, assim, para  evidências:  melhorar a qualidade do trabalho.  ‐Classificação  de  Bom  (2.9)  sobre  a    disponibilização  de  recursos  e  ferramentas    Web  para  o  acesso,  produção  e  difusão  da    informação.    ‐Classificação  de  Bom  (3.2)  relativamente  à    capacidade  da  BE  de  contribuir  para    melhorar  a  capacidade  da  qualidade  de      18  
  20. 20. trabalho.  ‐ Classificação de Bom (3.1) relativamente    Ao  trabalho  da  equipa  na  criação  de    instrumentos de apoio aos utilizadores e na    criação  de  acesso  e  de  acompanhamento    aos utilizadores.    5‐ Relatórios  de  balanço  anual:  referências  às    necessidades  dos  utilizadores,  propostas  de    melhoria/soluções  ao  órgão  de  gestão  da    escola.      Indicadores  Evidências recolhidas  Pontos Fortes Identificados  Pontos Fracos Identificados              6‐ Questionários  aplicados  aos  professores    (QP3),  de  que  resultaram  as  seguintes    evidências:    ‐ Classificação de Bom (2.7) quanto à:    ‐ Interacção da BE com a escola, na definição de    programas  formativos  e  de  trabalho  com      departamentos e professores.           ‐ Plano Anual de actividades da Escola:        A BE não tem contemplado nas suas planificações um  Apoio logístico a Actividades programadas    no auditório;    programa sistemático sobre literacias.  Exposições de grupos  A BE tem regularmente solicitado    disciplinares/projectos turma no espaço  colaboração da escola, através dos seus  da BE;  órgãos representativos e particularmente  Produção  de  textos  a  pedido  da BE  sobre  para a realização de actividades, tal como é  efemérides  (Dia  Internacional  do  Livro;  solicitada a colaborar de modo sistemático  Dia da Poesia);  em múltiplas actividades de carácter  Feira  do  Livro  manuseado  –  interagindo  curricular/cultural nos projectos.  com  toda  a  comunidade  –  cartaz  e  divulgação em blogue.      19  
  21. 21. Divulgação  dos  eventos  internos  e  externos  de  interesse  cultural/curricular, através da Web 2.0.  Tratamento  do  arquivo  histórico  (alunos  antigos da escola);  Produção  de  carrinhos  de  biblioteca  em  articulação  com  o  director/curso  de  Design de Produto.      Indicadores  Evidências recolhidas  Pontos Fortes Identificados  Pontos Fracos Identificados    Evidências sobre espaço e equipamentos:     1‐ Planta do espaço (página do CR) com as zonas      distintas, de acordo com os normativos da    Os equipamentos são diversos e, em geral,    RBE.  estão conformes ao que é considerado    adequado às BE.    2‐ Normativos sobre os serviços (página da BE).      3‐ Sistema de informatização da documentação      normalizado.    D. 2.3. Adequação da BE      em termos de espaço e  4‐Manual de procedimentos de tratamento    de equipamento às  documental.      necessidades da escola.            5‐Os Questionários aos alunos (QA4) de que  resultaram as evidências:  A BE oferece um espaço de trabalho  A polivalência do espaço não permite que haja silêncio e  polivalente, com boas condições de  recolhimento, necessário ao trabalho/estudo individual.    ‐76% dos alunos consideram o espaço adequado  ao trabalho e suficiente para circular à vontade.  acessibilidade, do agrado de professores e  A intensa luminosidade de uma ala de janelas, sem  alunos.  cortinas, dificulta a visibilidade.        6‐Os Questionários aos professores (QP3) de que  A organização dos equipamentos no espaço  A  grande  afluência  de  alunos,  por  falta  de  outros  resultaram as evidências:    20  
  22. 22. permitem trazer alunos para aulas de  espaços  alternativos,  obriga  a  pensar  em  soluções  ‐ Classificação de Bom (2.8) quanto às condições  pesquisa na internet e/ou trabalho em  alternativas.  de acomodação, área, espaço e mobiliário da BE. O  grupo.   equipamento parece estar bem integrado no  espaço.  Tanto os alunos como os professores  encaram a BE como um lugar agradável,    seja de trabalho seja de lazer.      Indicadores  Evidências recolhidas  Pontos Fortes Identificados  Pontos Fracos Identificados            ‐ Classificação de Bom quanto ao nº e actualização      dos equipamentos tecnológicos. Resposta dos      equipamentos ao trabalho da BE.          ‐ Classificação de Bom quanto à disponibilização de      recursos e ferramentas Web para o acesso,      produção e difusão da informação.  • Alunos e professores consideram que  • Nos  períodos  que  antecedem  as  avaliações  7‐ Os Questionários aos alunos (QA4) de que  a BE responde de forma adequada às  trimestrais,  e  fim  de  ano.  Os  equipamentos  e  resultaram as evidências:  necessidades evidenciadas pelos  recursos tornam‐se insuficientes.  utilizadores em termos de: acesso à  ‐ 81% dos alunos responde que os computadores  Internet, acesso às plataformas em  correspondem às necessidades e permitem realizar  ambientes digitais, e a outros recursos  trabalhos.  adaptados aos currículos da escola.  ‐50% dos alunos  refere que acede à informação  online a partir da BE.  ‐54% dos alunos usam ferramentas online para  aceder ou comunicar informação.            21  
  23. 23.         Indicadores  Evidências recolhidas  Pontos Fortes Identificados  Pontos Fracos Identificados    D.2.4   Resposta dos  1‐Evidências sobre equipamentos e respectiva    computadores e  adequação às necessidades:  A  BE oferece recursos e serviços,    equipamentos  compatíveis com as necessidades dos  ‐Inventário do material existente – estatística do    tecnológicos ao trabalho  utilizadores.  As ferramentas Web  GEPE.    e aos novos desafios da  compatíveis com as necessidades  BE.  2‐Os Questionários aos professores (QP3) dos  evidenciadas dos utilizadores.  A BE não tem quaisquer postos de leitura  quais resultaram as evidências:  individualizada, de áudio, vídeo e DVD, em    funcionamento.   ‐ Classificação de Bom (2.9) na disponibilização de    recursos e de ferramentas Web para o acesso,  O material que existe está degradado e ultrapassado.  produção e difusão da informação.    É bom o grau de satisfação de alunos e    ‐ Classificação de Bom (2.8) quanto à criação de  professores relativamente ao número de    condições para o uso das TIC, para a exploração e  computadores e de outros recursos de  uso qualificado da Internet e disseminação de    apoio às actividades curriculares.  ferramentas Web.      3‐Os Questionários aos alunos (QA4) de que    resultaram as evidências:        ‐ 81% dos alunos consideram‐se muito satisfeitos      com o nº de computadores da BE.          4‐Auditório apetrechado com leitor de vídeo e DVD      + projector.                Evidências sobre software e hardware actualizados    e em condições de responderem às solicitações:           5‐Questionários aos professores (QP3):  A escola tem instalado em alguns      22  
  24. 24. computadores da BE programas     ‐ Classificação de Bom (2.9) na disponibilização de  informáticos, compatíveis com a exigência    recursos e de ferramentas Web para o acesso,  requerida pelos conteúdos programáticos,    produção e difusão da informação.  nomeadamente os currículos das áreas    ‐ Classificação de Bom (2.8) quanto à criação de  artísticas.    condições para o uso das TIC, para a exploração e          uso qualificado da Internet disseminação de    A BE está diariamente em articulação com o    ferramentas Web.  informático da escola, no sentido de    resolver qualquer problema surgido ao nível  do hardware.      6‐ Questionários aos alunos (QA4):        ‐ 81% dos alunos consideram‐se muito satisfeitos      com o nº de computadores da BE.  A BE utiliza os meios disponibilizados pela  A BE não tem Intranet.  escola, bem como outras ferramentas,    para formar e informar sobre as diversas    7‐ Nº de licenças de software compatível com as  áreas abrangentes da Gestão, colecção,    necessidades.  serviços e recursos pedagógicos.              Evidências sobre uso de ferramentas Web como      meio de comunicação e produção entre a BE e os      utilizadores:      8‐Os Questionários aos alunos (QA4) de que      resultaram as evidências:          ‐ 50% dos alunos acede muito a informação online      a partir da BE; 27% acede pouco.      ‐54% dos alunos utilizam blogues e outras      ferramentas para aceder ou comunicar      informação.                          23  
  25. 25.   • A BE recorre regularmente a  9‐Os Questionários aos professores (QP3):  diversos tipos de ferramentas: LMS,  ‐ Classificação de Bom (2.9) na disponibilização de  página e blogue para publicar  recursos e de ferramentas Web para o acesso,  notícias, propor actividades,  produção e difusão da informação.  ocasionalmente promover  debates/discussão de temas (como  10‐ Página do CR: difusão das principais  Regulamento Interno da BE),  actividades da BE ou da BE com os departamentos.  divulgar actividades da BE, de outros   Moodle: publicação de notícias da BE,  departamentos e eventos de  documentação, resposta aos QP3   interesse para a escola na área das  artes.                          QA4.Divulgação destes resultados a alunos e    professores.        Blogue:  Postagens  que  visam  formar  e  informar  sobre  a  BE  e  as  bibliotecas.  Segundo  os  relatórios  do  sitemeter.com:  de  Fevereiro  2008  a  Junho  de  2009, o blogue contabiliza 5.500 visitas e perto de  13.000 páginas visitadas).   Twitter:  A  BE  está  no  Twitter,  através  do  blogue,  seguindo  e  divulgando  notícias  sobre  leituras  e  literacias, fundamentalmente.                  24  
  26. 26.   D. Gestão da BE  3.  Gestão da Colecção/Informação  Indicadores  Evidências recolhidas              Pontos Fracos  Pontos Fortes Identificados  Identificados    D3.1 – Planeamento da      colecção de acordo com a    •Não existe definida, nem aprovada,    inventariação das    uma política documental.     necessidades curriculares        e dos utilizadores.       • Também não existe qualquer        documento formal, em que estejam      definidas regras para a selecção,        desbaste, aquisição, organização e        circulação da documentação/    ‐ A BE planifica, formaliza e articula com  informação.    ‐  Listagens  de  necessidades  de  novas  aquisições  ‐  Em  os  departamentos  e  órgãos  de  gestão,  articulação com departamentos e órgão de Gestão /conselho      as  propostas  de  novas  aquisições  para  administrativo.    cada ano lectivo.        ‐  A  BE  analisa  actualmente  acções  de  ‐ Documentação referente a essas acções.      desbaste  ou  abate  de  obras  ‐ Livros de abates/desbaste da colecção.    consideradas  dispensáveis  às    ‐Protocolos  com  entidades  externas  na  procura/doação  de    necessidades da escola.  obras impressas ou audiovisual/multimédia.            ‐  A  BE  tem  protocolos  com  a  FC      Gulbenkian,  com  o  Arco  e  Fundação      Serralves com vista à recepção de obras  Aquisição  de  obras  impressas  sobre  Herberto  Helder  e    e  catálogos  de  exposições  e  artistas  Natália Correia, para pesquisa de poetas contemporâneos do    plásticos.  projecto “Cordel de Literatura”.        A  BE  inventaria  necessidades    decorrentes  de  projectos  curriculares  e      25 extra‐curricularES.           

×