Crase

7,788 views

Published on

Published in: Education, Technology
2 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
7,788
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
46
Actions
Shares
0
Downloads
204
Comments
2
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Crase

  1. 1. CRASE é um processo fonético, resultado da fusão da preposição “a” com outro “a” <ul><li>A CRASE é representada na escrita por um acento grave sobre a vogal a (à) </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  2. 2. a) o artigo definido a(s): Samuel foi convidado para ir à polícia. (C. D. DE ANDRADE) b) o pronome demonstrativo a(s): A língua dos sermões parece levar vantagem à de todos os prosadores quinhentistas (M. BANDEIRA) c) o fonema inicial dos pronomes demonstrativos aquele(s), aquela(s), aquilo: Não resistia àquele pavor. (J. L. DO REGO) Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  3. 3. São condições básicas para o uso do ACENTO GRAVE indicativo de CRASE: a) a existência de palavra feminina; b) a palavra REGENTE exigir a preposição a; c) a palavra REGIDA admitir o artigo a Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  4. 4. <ul><li>Fomos para a biblioteca. </li></ul><ul><li>(Temos, em destaque, a preposição para e o artigo a.) </li></ul><ul><li>Fomos a a biblioteca. </li></ul><ul><li>(Temos agora a preposição a e o artigo a .) </li></ul><ul><li>Fomos à biblioteca. </li></ul><ul><li>(Houve a fusão da preposição a com o artigo a . (a + a = à) </li></ul><ul><li>Crase é a fusão da preposição a com os artigos a ou as. </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  5. 5. Fez o convite a as pessoas presentes. Fez o convite às pessoas presentes. (a + a = às) Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  6. 6. Masculino: AO (a preposição A+ artigo definido masculino O) Feminino: À (preposição A + artigo definido feminino A) Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  7. 7. Conclusão <ul><li>Só ocorre o acento grave em A diante de substantivos femininos, porque só esta classe de palavra exige artigo. Ou quando eles estiverem subentendidos. </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  8. 8. Três regras práticas para saber se há crase <ul><li>a) substituir o A por PARA </li></ul><ul><li>Pediu informações à repórter. </li></ul><ul><li>Pediu informações para a repórter. </li></ul><ul><li>Foi à Bahia. </li></ul><ul><li>Foi para a Bahia. </li></ul><ul><li>Foi a Salvador. </li></ul><ul><li>Foi para Salvador. </li></ul><ul><li>para a = à para = a </li></ul><ul><li>Regra: Usamos a crase quando, na substituição, temos </li></ul><ul><li>para a . Se tivermos somente a preposiçào para , não há </li></ul><ul><li>crase. </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  9. 9. Substituir a palavra feminina por uma palavra masculina Dirigiu-se à sala de reuniões. Dirigiu-se ao escritório. Pedimos esclarecimentos às deputadas. Pedimos esclarecimentos aos deputados. Não me refiro a nenhuma aluna. Não me refiro a nenhum aluno. Regra: Usamos a crase sempre que, na substituição, tivermos ao ou aos . Se tivermos apenas a preposição a, não se usa a crase. Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  10. 10. Veja estas construções: Fui à Amazônia. Voltei da Amazônia. Fomos à França. Viemos da França. Fui a Manaus. Voltei de Manaus Fomos a Paris. Viemos de Paris. Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  11. 11. Voltei da= à / Voltei de = a Se a substituição pela expressão cheguei da for admitida, haverá crase: Fomos à França. Voltei da França. Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  12. 12. A crase diante de nomes de cidades . <ul><li>Regressou a Florianópolis. </li></ul><ul><li>Regressou para Florianópolis. </li></ul><ul><li>Regressou à belíssima Florianópolis. </li></ul><ul><li>Regressou para a belíssima Florianópolis. </li></ul><ul><li>Os nomes de cidades, quando não vêm acompanhados de nenhum modificador, não admitem o artigo a . Portanto não há crase. </li></ul><ul><li>Quando acompanhados de algum modificador, admitem o artigo a . </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  13. 13. Outros exemplos Voltarei a Parati. Voltarei para Parati. Voltarei à saudosa Parati. Voltarei para a saudosa Parati. Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  14. 14. A crase diante da palavra CASA e TERRA (no sentido de chão firme). <ul><li>Voltamos a casa cedo. </li></ul><ul><li>Voltamos para casa cedo. </li></ul><ul><li>Voltei logo à casa de Célia. </li></ul><ul><li>Voltei logo para a casa de Célia. </li></ul><ul><li>Os marinheiros desceram a terra. </li></ul><ul><li>Os marinheiros desceram à terra dos anões. </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  15. 15. Entretanto não há crase com a palavra casa no sentido de residência, lar: <ul><li>Chegamos a casa eu e ela perto das nove horas da noite. (M. DE ASSIS) </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  16. 16. Diante da palavra moda (da expressão à moda de), mesmo que essa palavra esteja subentendida . <ul><li>Fez um gol à Pelé. </li></ul><ul><li>Possui um estilo à Eça de Queirós. (= à moda de Eça de </li></ul><ul><li>Queirós) </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  17. 17. A rua torta que levava à Faculdade de Medicina ia dar no Sena. (J. MONTELLO) Com expressões claras ou subentendidas que indicam escola, universidade, empresa Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  18. 18. Não se usa o acento grave, pois não há a crase Alguns casos em que é comum, mas indevido, se usar o acento grave. São casos em que só temos a preposição a , faltando, portanto, o artigo a . Não se pode, então, usar o acento grave: Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  19. 19. Diante de verbos <ul><li>Começamos a perceber sua transformação. </li></ul><ul><li>Passaram a espalhar boatos alarmistas. </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  20. 20. Diante de palavras masculinas <ul><li>Qual é a vantagem na compra a prazo? </li></ul><ul><li>Eu me disponho a ir a pé. </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  21. 21. Diante da maioria dos pronomes <ul><li>Demos pouca atenção a ela. </li></ul><ul><li>Não retornarei a esta praia tão cedo! </li></ul><ul><li>A paciente já foi encaminhada a alguma clínica especializada? </li></ul><ul><li>Não pouparam críticas a Vossa Excelência na reunião. </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  22. 22. Diante de nomes femininos que não admitem o artigo <ul><li>Fez uma promessa a Nossa Senhora Aparecida. </li></ul><ul><li>Pediu uma graça a Santa Marcelina. </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  23. 23. Em expressões formadas de palavras repetidas <ul><li>Vai sugando nosso sangue gota a gota . </li></ul><ul><li>Viu o leão cara a cara . </li></ul><ul><li>Senador quer colocar frente a frente os dois deputados </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  24. 24. Diante de palavras femininas usadas em sentido genérico, indeterminado <ul><li>Não dê ouvidos a críticas tolas! </li></ul><ul><li>Não fica bem a moça alguma esse linguajar. </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  25. 25. Acento grave facultativo <ul><li>Temos dois casos em que a crase pode ser usada ou não. </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  26. 26. diante dos pronomes possessivos femininos <ul><li>A minha dúvida ficou esclarecida. </li></ul><ul><li>Minha dúvida ficou esclarecida. </li></ul><ul><li>A nossa classe está de parabéns. </li></ul><ul><li>Nossa classe está de parabéns. </li></ul><ul><li>(Pode-se usar ou não o artigo a.) </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  27. 27. Fez elogios à nossa classe. Fez elogios para a nossa classe. Fez elogios a nossa classe. Fez elogios para nossa classe. Deu resposta à minha dúvida. Deu reposta para a minha dúvida. Deu resposta a minha dúvida. Deu resposta para minha dúvida. Pode usar ou não o acento grave, pois o artigo pode aparecer ou não diante dos pronomes possessivos. Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  28. 28. Diante de nomes de pessoas no feminino <ul><li>Diante de nomes de pessoas femininos, é facultativo o </li></ul><ul><li>emprego do acento grave, pois o artigo a pode aparecer ou não. Se puser o acento, revela-se que a pessoa é íntima da outra. </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  29. 29. Com a locução prepositiva até a seguida de palavra feminina: <ul><li>Até à hora do saimento ele se deixou ficar ali. (J. MONTELLO) </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  30. 30. e) com os pronomes relativos: &quot;a qual&quot;, &quot;as quais&quot; se o antecedente for feminino <ul><li>Ele era diferente desta pobre e imunda humanidade à qual todo indivíduo dotado de um mínimo de sensibilidade tem vergonha de pertencer. (P. NAVA) </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  31. 31. Com o pronome relativo que antecedido do pronome demonstrativo a ou as (=aquela, aquelas): <ul><li>Em uma nota, muito anterior à que saiu no jornal, meu pai pronunciou-se a respeito. </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  32. 32. A acento grave nos pronomes demonstrativos aquele(s), aquela(s), aquilo. <ul><li>Nunca faremos oposição àquela diretoria. </li></ul><ul><li>Nunca faremos oposição a aquela diretoria. </li></ul><ul><li>(a + aquela = àquela) </li></ul><ul><li>Já solicitamos àqueles pais que não faltem à reunião. </li></ul><ul><li>Já solicitamos a aqueles pais... (a + aqueles = àqueles) </li></ul><ul><li>Nada consigo acrescentar àquilo que já foi dito. </li></ul><ul><li>Nada consigo acrescentar a aquilo que... (a + aquilo = àquilo) </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  33. 33. Não ocorre crase diante de locuções adverbiais femininas de instrumento ou de meio. <ul><li>Escreveu o texto a maquina . </li></ul><ul><li>Pedro foi morto a bala . </li></ul><ul><li>Observação: nem todos os gramáticos concordam com essa regra. </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  34. 34. Acento grave e as locuções adverbiais <ul><li>Nas locuções adverbiais de tempo, de modo, de lugar, etc., </li></ul><ul><li>formadas de palavras femininas, usa-se geralmente a crase. </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  35. 35. A polícia retirou os invasores à força . (Locução adverbial de modo.) A bagagem toda foi deixada à margem (Locução adverbial de lugar) Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  36. 36. . A crase e as locuções que indicam HORA ou HORAS <ul><li>Usa-se a crase sempre que a hora ou as horas estejam determinadas: </li></ul><ul><li>Voltou à uma hora. </li></ul><ul><li>A greve começa à zero hora de amanhà. </li></ul><ul><li>A assembléia dos bancários terminou às 18 horas . </li></ul><ul><li>A inspeção começará às 10 horas . </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  37. 37. Estando indeterminada a hora, não há crase. Telefonaram a qualquer hora da noite. Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  38. 38. Crase com pronomes demonstrativos <ul><li>Aquele (s) </li></ul><ul><li>Aquela(s) </li></ul><ul><li>Aquilo </li></ul><ul><li>Assisti àquele filme. </li></ul><ul><li>Aspiro àquela vaga. </li></ul><ul><li>Prefiro isto àquilo. </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  39. 39. Como descobrir? <ul><li>Troque </li></ul><ul><li>Aquela (s) por esta (s) </li></ul><ul><li>Aquele(s) por este(s) </li></ul><ul><li>Aquilo por isto </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  40. 40. Exemplos <ul><li>Todos conhecem aquela professora. </li></ul><ul><li>Trocando aquela por esta: </li></ul><ul><li>Todos conhecem esta professora. </li></ul><ul><li>Como não apareceu A antes de ESTA, não há acento grave em AQUELA. </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP
  41. 41. Outro exemplo <ul><li>Eu me referia aquele livro. </li></ul><ul><li>Eu me referia a este livro. </li></ul><ul><li>Eu me referia àquele livro. </li></ul>Prof. Hélio Consolaro - Araçatuba-SP

×