Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Workshop - Repositórios Integrados

280 views

Published on

Workshop - Repositórios Integrados -
José Carvalho, Raquel Truta, Tainá Assis

Published in: Science
  • Be the first to comment

Workshop - Repositórios Integrados

  1. 1. Repositórios Integrados Workshop 1
  2. 2. Programa 1 – Contexto Institucional 2 – Contexto Nacional 3 – Contexto Internacional 2
  3. 3. Programa 1 – Contexto Institucional • Boas Práticas de Gestão • Curadoria de Dados • Métricas e Indicadores • Políticas Institucionais • Interoperabilidade 3
  4. 4. Programa 2 – Contexto Nacional • Integração com Portais de Pesquisa (OASISBR) • Validação de Metadados 3 – Contexto Internacional • Guidelines • Redes Internacionais 4
  5. 5. Workshop 6 de outubro de 2017 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017
  6. 6. Boas práticas de gestão 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017
  7. 7. Boas práticas de gestão 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017 Planejamento Políticas do RI Arquitetura de informação (estrutura do RI) Tipos de documentos Implantação Software Metadados Grupos de usuários e permissões Definição da URL (visibilidade) Funcionamento Povoamento do repositório Orientações básicas
  8. 8. Boas práticas de gestão • É recomendável que a arquitetura da informação seja o passo inicial do planejamento de um repositório. • Nesta fase será feito o planejamento da organização do conteúdo do repositório. • Serão definidas as estruturas das comunidades e das coleções. • As comunidades e as coleções podem ser arranjadas/agrupadas/organizadas de acordo com a estrutura da instituição (organograma) ou por tipos de documentos 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017 Arquitetura da Informação
  9. 9. Boas práticas de gestão 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017 Organização por tipo de documentos
  10. 10. Boas práticas de gestão 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017 Organização por assunto
  11. 11. Boas práticas de gestão 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017 Organização por organograma da instituição
  12. 12. DSpace padrão 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017
  13. 13. DSpace padrão 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017
  14. 14. Diadorim 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017
  15. 15. Boas práticas de gestão 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017 É IMPRESCINDÍVEL O APOIO DAS ALTAS INSTÂNCIAS DA DIREÇÃO PARA O SUCESSO DE UM REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL
  16. 16. 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017 Interoperabilidade – Qualidade de metadados
  17. 17. Políticas institucionais 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017
  18. 18. Políticas do RI  Política institucional de informação: ampla, trata de como toda a informação deve ser tratada dentro da instituição (deve tratar do repositório).  Política de funcionamento do repositório: deve estar em concordância com a política institucional e, em especial, com a da biblioteca. o Elaborada na fase final de planejamento – reflete as decisões tomadas ao longo do planejamento do RI; o Importante para estabelecer responsabilidades, direitos e deveres e para garantir o povoamento do RI (facilita o trabalho da equipe do repositório). 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017
  19. 19. Portal Brasileiro de Publicações Científicas em Acesso Aberto (oasisbr) 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017
  20. 20. O Portal Brasileiro de Publicações Científicas em Acesso Aberto – oasisbr é um portal multidisciplinar que permite o acesso gratuito à produção científica brasileira, em texto completo, de autores vinculados às universidades e institutos de pesquisa brasileiros. 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017 oasisbr.ibict.br
  21. 21. 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017
  22. 22. 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017 49 240 509 603 1 215 349 1 365 953 1 403 515 1 451 660 1 689 742 1 434 226 Evolução quantitativa do oasisbr
  23. 23. 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017 712 REVISTAS 106 bdtds 69 RIs
  24. 24. 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017 E como funciona o oasisbr?
  25. 25. 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017z oasisbr BDTD REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS REVISTAS CIENTÍFICAS E como funciona o oasisbr?
  26. 26. 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017
  27. 27. 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017
  28. 28. 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017 Exportação das buscas realizadas nos padrões CSV e JSON; Coleta em qualquer padrão de metadados. Ex.: mtd2-br, mets, oai_dc, rdf, etc; Interface de usuário centralizada com ações de coleta, transformação, validação e indexação Coleta e indexação do texto completo de repositórios construídos em DSpace; Alta disponibilidade dos textos completos; Indexação e apresentação diferenciada de campos especiais tais como o Programa de Pós- Graduação e a URL do Currículo Lattes; Diretório de fontes coletadas dinamicamente organizado de acordo com o cadastro para coleta.
  29. 29. OASISBR 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017
  30. 30. 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017
  31. 31. OASISBR 8ª ConfOA - Workshop: Gestão de Repositórios Integrados - 6 de outubro de 2017
  32. 32. Curadoria de Dados Workshop José Carvalho – jcarvalho@sdum.uminho.pt 1
  33. 33. Programa • Introdução ao Conceito de Curadoria • Uso do DSpace • Uso do Validador • Uso de Ferramentas Externas (reconcile) 2
  34. 34. Conceito – Data Curation “broad term used to indicate processes and activities related to the organization and integration of data collected from various sources, annotation of the data, and publication and presentation of the data such that the value of the data is maintained over time, and the data remains available for reuse and preservation. 3
  35. 35. Conceito – Data Curation “In science, data curation may indicate the process of extraction of important information from scientific texts, such as research articles by experts, to be converted into an electronic format, such as an entry of a biological database.” 4
  36. 36. Conceito – Data Curation Data curation is the active and on-going management of data through its lifecycle of interest and usefulness to scholarship, science, and education; curation activities enable data discovery and retrieval, maintain quality, add value, and provide for re-use over time. 5
  37. 37. Níveis • Recurso • Repositório • Portal • Nacional • Internacional 6
  38. 38. DSpace Repositórios Institucionais 7
  39. 39. Objetos • Nomes de Autores • Nomes de Revistas • Identificadores: ISSN; ISBN • Projetos • Tipologias de documento • Datas • Assuntos • Tipo de Acessos • … 8
  40. 40. Formas • Tarefas de Curadoria do Dspace • DSpace 6 – API • Import / Export (CSV) – via web ou consola • Índices do Repositório 9
  41. 41. Tarefas de Curadoria DSpace 10
  42. 42. Tarefas de Curadoria • No DSpace: Administração -> Conteúdo -> Tarefas de Curadoria 11 https://gitlab.fccn.pt/groups/dev-rcaap
  43. 43. Batch Metadata Editing • Importação em lote permite: • Edição em lote de metadados • Adicionar metadados em lote (ex: vocabulários controlados, textos padrão...) • Substituição de valores (find and replace) (ex: nomes de autores) • Mover itens em lote entre coleções • Apagar em massa, retirar ou reativar itens • Importação de novos itens sem ficheiros • Ordenar valores (ex: autores) • Usar Open Office e UTF8! • https://wiki.duraspace.org/display/DSDOC5x/Batch+Metadata+Editing 12
  44. 44. Dspace 6 API • Relatórios personalizáveis usando a API • Focados na futura arquitetura DSapce 7 • Atual API também disponível mas sem relatórios (https://comum.rcaap.pt/rest) • Exemplos: • https://demo.dspace.org/rest/static/reports/query.html • https://demo.dspace.org/rest/static/reports/index.html • Documentação: • https://wiki.duraspace.org/display/DSDOC6x/REST+Reports+- +Metadata+Query+Screenshots+with+Annotated+API+Calls 13
  45. 45. Dspace 6 API • 14https://demo.dspace.org/rest/static/reports/index.html
  46. 46. • https://demo.dspace.org/rest/static/reports/query.html 15
  47. 47. Índices nos Repositórios 16
  48. 48. Objetivos • Possuir informação correta e uniforme no repositório • Cumprir com regulamentos (Teses & Financiadores) • Permitir obtenção de informação fidedigna para relatórios internos 17
  49. 49. Identificadores e APIs • ORCID – website ORCID • Projetos – Openaire API • ISNI / Ringold – Organizações • ISSN – DOAJ - Sherpa/Romeo • TID – DGEEC • Handle – Repositório • DOI – CrossRef, Datacite, Medra, ... 18
  50. 50. Validador RCAAP http://validador.rcaap.pt 19
  51. 51. Validador • http://validador.rcaap.pt 20
  52. 52. Objetos • Informação sobre Publicações • Projetos • Teses (TID) • Idiomas • Tipos de Acesso • Tipos de Documento 21
  53. 53. Formas • Processo de validação através de interface OAI-PMH • Como saber o OAI-PMH do seu recurso? -> Contactar técnico do Recurso (revista / repositório) -> Diretório RCAAP -> https://www.rcaap.pt/directory.jsp 22
  54. 54. Perfis de Validação 23
  55. 55. Objetivos • Cumprimento dos requisitos de agregação do Portal RCAAP • Cumprimento de regulamentos legais (teses) ou políticas de financiadores (FCT, OpenAIRE) • Obtenção de indicadores 24
  56. 56. Portal RCAAP http://www.rcaap.pt 25
  57. 57. Portal RCAAP • http://www.rcaap.pt 26
  58. 58. Considerações • Repositórios usam Dublin Core qualificado • Portal RCAAP usa Dublin Core não qualificado • dc.date.issued -> dc.date • dc.date.submitted -> dc.date • dc.identifier.uri -> dc.identifier • dc.identifier.doi -> dc.identifier 27
  59. 59. Workflow 28 Repositório Validador Portal RCAAP
  60. 60. Objetos • Publicações • Autores • Idiomas • ... 29
  61. 61. 30
  62. 62. Formas • Pesquisas avançadas com filtro do Recurso (e outros elementos) • Automática: Relatórios de Validação RCAAP • API do Portal RCAAP -> http://www.rcaap.pt/api/ 31
  63. 63. Pesquisas Avançadas • Diretório – Clicar no número de documentos ou usar pesquisa avançada 32
  64. 64. Relatórios Automáticos 33 Relatório Geral RCAAP Relatório para Instituição
  65. 65. API Portal RCAAP • http://www.rcaap.pt/api/ • User interface ou acesso direto 34
  66. 66. Objectivos • Analisar o cumprimento de regulamentos (Teses & FCT) • Analisar exposição do recurso para o exterior • Validar agregação efetiva dos trabalhos 35
  67. 67. Ferramentas Externas 36
  68. 68. Reconciliação Paulo Lopes 37
  69. 69. Serviço de reconciliação https://repositorio.ipbeja.pt/handle/123456789/1286 TID
  70. 70. Serviço de reconciliação • Baseado na ferramenta OpenRefine da Google; • Permite comparar a BD do RENATES com a BD do RCAAP: • Cada processo só permite a comparação de 1 campo específico (Nome; título; autor; …) • Podem ser criados vários processos para comparação de campos adicionais • Identifica os registos que fazem “match” e atribui um rank aos restantes.
  71. 71. Serviço de reconciliação
  72. 72. Serviço de reconciliação • Descrição do processo Exportação da BD repositório Reconciliação (rank >0,9) Exportação de dados reconciliados Validação pelo gestor de repositório Alteração em lote na BD
  73. 73. Serviço de reconciliação Fase 1 – Teses Fase 2 – Dissertações (em curso) Fase 3 – Disponibilização do serviço (2º Q 2017)
  74. 74. Taxa de reconciliações Instituição nº de registos Reconciliados % Universidade Aberta 240 211 88% ISMAI 1 1 100% IPBragança 150 118 79% UMA 112 94 84% IPLeiria 45 13 43% IPCB 85 58 69% IPP 22 11 53% IPLisboa 27 17 63% Ucatólica 562 479 86% UALG 417 336 81% UBI 185 118 64% Ulisboa 1868 1419 77% IPViseu 30 17 57% UAC 59 46 78% UFPessoa 133 127 96% ISPA 157 130 83%
  75. 75. Exemplos de diferenças nos dados Casos Facto Exemplos C.1 Nomes com abreviações A. Gastão corresponde António Manuel Dias Ferreira Gastão C.2 Nomes diferentes Carla Sousa corresponde a Carla Maria Sousa de Albuquerque C.3 Títulos de teses diferentes Nome da tese no Renates (Efeito da vitamina A na vasculogenese e angiogenese pulmonar ao longo do desenvolvimento pré-natal) significativamente diferente do nome no RCAAP (Vitamina A e agentes modeladores do desenvolvimento pulmonar) C.4 Títulos de teses em línguas diferentes Título em português / título em língua estrangeira C.5 Nomes de autores não existentes Existem no RENATES mas não existem no RCAAP (e o contrário) C.6 Nomes de teses não existentes Existem no RENATES mas não existem no RCAAP (e o contrário)
  76. 76. No futuro… • Novas Guidelines (OpenAIRE 4) • Esquemas de metadados mais ricos = mais informação = mais curadoria • Ferramentas externas para curadoria • Dashboard OpenAIRE 45
  77. 77. QUESTÕES ? 46
  78. 78. projeto.rcaap.pt @rcaap facebook.com/rcaap blog.rcaap.pt Obrigado! jcarvalho@sdum.uminho.pt 47
  79. 79. Indicadores Workshop José Carvalho – jcarvalho@sdum.uminho.pt 1
  80. 80. Tópicos • Estatísticas DSpace • Addon Stats UMinho • Google Analytics / Piwik • Estatísticas de Uso • Outros Indicadores 2
  81. 81. Indicadores, porquê? • Pemitem medir a performance dos Repositórios • Avaliar as ações em curso • Definir novas estratégias ou ajustar existentes 3
  82. 82. Estatísticas DSpace Estatísticas disponíveis no DSpace nativamente. 4
  83. 83. Addon UMinho Stats Addon desenvolvido pela Universidade do Minho para obter indicadores sobre o repositório, ainda antes de existirem estatísticas no Dspace. Atualmente destaca-se por: - Incluir indicadores de performance do repositório - Algoritmos para limpeza de robots/spiders 5
  84. 84. 6
  85. 85. Google Analytics / Piwik Ferramentas de análise de tráfego aos websites, identificando os visitantes, local da visita, perfil de utilizador, aspetos técnicos usados para aceder ao serviço (computador, smartphone, …) Piwik é um serviço disponível em código aberto. 7
  86. 86. 8
  87. 87. Estatísticas de Uso As estatísticas de uso permitem expor a informação de uso do repositório: - Número de visualizações - Número de acesso ao texto integral (downloads) para serviços externos: - Portais de Pesquisa - Financiadores - Serviços de Estatísticas de USO - Uso de protocolos e normas para partilha da informação: - COUNTER - SUSHI Lite 9
  88. 88. Outros Indicadores • Evolução do Número de Depósitos • Número de Utilizadores Registados • Número de Utilizadores Registados que depositam • Depósitos Humanos / Integrações • Número de Validações • Caracterização do Conteúdo • Tipos de documentos • Tipos de Acesso • Idiomas • … 10
  89. 89. Interoperabilidade José Carvalho – jcarvalho@sdum.uminho.pt 11/10/2017 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 1
  90. 90. Qualidade dos metadados ●A qualidade dos metadados afeta diretamente a visibilidade, o acesso e a utilização dos conteúdos dos repositórios.
  91. 91. Qualidade dos metadados ● A qualidade dos metadados envolve/depende: ● A exatidão – as características do recurso são adequadamente descritas? ● A exaustividade – são incluídas todas as características relevantes do recurso? ● A conformidade com padrões/normas - os metadados estão conformes com padrões, normas ou um perfil de aplicação? ● A consistência - os metadados não contém inconsistências? ● A possibilidade de processamento – os metadados são legíveis por máquinas (por exemplo disponíveis em XML)?
  92. 92. Qualidade dos metadados ●A qualidade dos metadados afeta diretamente a interoperabilidade dos repositórios.
  93. 93. Interoperabilidade Capacidade de trabalhar, comunicar e de interagir entre diversos sistemas. Capacidade de transferir informação, metadados e objetos digitais, entre sistemas num formato utilizável
  94. 94. Standards, Protocolos, Guidelines ● OAI-PMH ● SWORD ● Dublin Core ● ETD-MS ● REST ● Z39.50 ● ISO 639-3 ● Prefixos – info:eu-repo ● DRIVER ● OpenAIRE 11/10/2017 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 6
  95. 95. Pilares da Interoperabilidade Metadados Diretrizes Protocolos Validação Interoperabilidade
  96. 96. INTEROPERABILIDADE REPOSITÓRIOS 11/10/2017 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 8
  97. 97. CARACTERIZAÇÃO DO REPOSITÓRIO 11/10/2017 9RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  98. 98. Repository Profile ● Informação sobre interoperabilidade do RI no Portal de pesquisa RCAAP ● (Currículo Degóis; OpenAIRE; Texto integral; Driver,…) http://www.rcaap.pt/repositoryInfo.jsp?id=bibliotecadigitalipb 11/10/2017 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 10
  99. 99. Perfil de Repositório no Portal RCAAP http://www.rcaap.pt/repositoryInfo.jsp?id=chporto
  100. 100. INTERFACES MÁQUINA-MÁQUINA 11/10/2017 12RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  101. 101. Interfaces no DSpace ● REST API ● OAI-PMH ● SWORD v.1 ● SWORD v.2 ● RDF 11/10/2017 13RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  102. 102. Interoperabilidade DSpace ● OAI-PMH  Portal de Pesquisa ● SWORD 1.3  Sistema de currículos + Depósitos de Escolas e Departamentos ● SWORD 2.0  integração com CRIS ● OAI-PMH com CTXO (estatísticas de uso) ● Diretrizes (DRIVER; OPENAIRE API) 11/10/2017 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 14
  103. 103. PARTILHA Métricas Alternativas e Gestão de Referências Bibliográficas 11/10/2017 15RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  104. 104. Sharing Bar Addon ● Partilha nas Redes Sociais ● Partilha em ferramentas de Gestão Bibliográfica (endnote; mendeley; bibtex) ● Envio para currículo Degóis Também incluído no Portal RCAAP 11/10/2017 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 16
  105. 105. Integração Degóis na Sharing Bar Addon
  106. 106. Envio para Ferramentas de Gestão Bibliográfica (no Portal RCAAP) http://www.rcaap.pt
  107. 107. SISTEMAS DE CURRÍCULOS 11/10/2017 19RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  108. 108. Addon DeGóis (Currículo) ● Envia informação dos depósitos para o DeGóis (Currículos) ● Repositório » Degóis = Webservice ● Degóis » Repositório = Sword 11/10/2017 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 20
  109. 109. Integração com DeGóis http://degois.pt
  110. 110. Acesso ao Currículo do Autor http://www.rcaap.pt
  111. 111. Ciência Vitae ● A partir do CV pode pesquisar conteúdos do Portal RCAAP (que é alimentado pelos repositórios e revistas) 11/10/2017 23RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  112. 112. INTEGRAÇÕES LOCAIS 11/10/2017 24RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  113. 113. Integrações Institucionais ● Depósitos de Departamentos ou Escolas para o Repositório através de SWORD ● Sistemas CRIS  DSpace (SWORD 2.0) 11/10/2017 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 25
  114. 114. Integrações Institucionais ● Índices (Authority Control) de autores internos (da instituição) ● Índices de outras entidades (revistas, eventos) 11/10/2017 26RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  115. 115. INTEROPERABILIDADE Aplicação no Contexto Nacional
  116. 116. ESTATÍSTICAS DE USO DE REPOSITÓRIOS
  117. 117. SCEUR – Serv. Centralizado de Estatisticas de Uso de Repositórios http://sceur.rcaap.pt
  118. 118. FERRAMENTAS DE GESTÃO BIBLIOGRÁFICA E PARTILHA WEB Mendeley, Endnote, Bibtex, Ris + Serviços Web
  119. 119. Principais Addons desenvolvidos para DSPACE ● OAIextended (até 1.8.2) ● Request Copy ● Estatísticas ● DeGóis ● Sharing Bar ● OpenAire Authority Control Disponíveis em http://projecto.rcaap.pt
  120. 120. Portal RCAAP Repositórios Portal Meta-Portal B-On Portal RCAAP Rep1 Rep2 OASISbr Rep3
  121. 121. Cooperação com o Brasil ● Integração dos conteúdos brasileiros no Portal RCAAP
  122. 122. NORMAS & PROTOCOLOS OAI-PMH, SWORD, ISO, …
  123. 123. Normas e Protocolos ● OAI-PMH ● SWORD ● Dublin Core ● ETD-MS ● REST ● Z39.50 ● ISO 639-3 ● CERIF-XML ● CASRAI (vocabularios) ● ResourceSync ● XOAI ● Outros
  124. 124. Normas e Protocolos ● Regras para entendi- mento mútuo http://www.flickr.com/photos/50720473@N02/ Porque é que paramos no vermelho?
  125. 125. OAI-PMH no Projecto RCAAP ● Agrega os conteúdos dos 126 recursos integrados no Portal RCAAP ● Simplifica os metadados (Simplified DC) ● Podem ser usados os sets para apenas expor uma parte do repositório (ex: set driver, ec_fundedresources, theses, etc…)
  126. 126. Portal RCAAPhttp://www.rcaap.pt
  127. 127. SWORD no Projecto RCAAP ● Protocolo para depósito automático em repositórios ● Usado para enviar documentos (metadados e ficheiros) do Sistema de Currículos Degóis para os repositórios Dspace. ● Permite o envio remoto de documentos para o repositório institucional
  128. 128. Dublin Core ● Esquema de metadados genérico que pode ser simples ou qualificado. ● É usado em todos os repositórios agregados no Portal RCAAP ● É quase sempre usado para interoperabilidade entre diversos esquemas (DDI, ETD-MS, …)
  129. 129. ETD-MS ● Aplicação do esquema de metadados próprio para teses e dissertações (Electronic Theses and Dissertation – Metadata Schema) ● Em fase de implementação nos repositórios SARI ● Permite desenvolver serviços baseados nas teses ● Nova legislação vai usar a rede do RCAAP
  130. 130. REST (web service) ● Novo interface no Dspace que permite recuperar informação do repositório de forma remota (pesquisas, listas, etc.) ● Permite criar “widgets” em websites e criar interfaces alternativos. ● É uma linguagem independente das aplicações
  131. 131. Z39.50 ● Pesquisa em tempo real num recurso ● Utilizado na integração entre a B-On e o Portal RCAAP ● Funciona em tempo real ● http://en.wikipedia.org/wiki/Z39.50
  132. 132. ISO 639-3 ● Norma para utilização da designação dos idiomas ● Composta por 3 letras ● Exemplo: por, eng, spa, fra,… ● Utilizado nas Diretrizes DRIVER
  133. 133. Prefixos info:eu-repo/ ● Prefixos para restringir o significado de vocabulários controlados ● Exemplo: info:eu-repo/semantics/ - closedAccess - embargoedAccess - restrictAccess - openAccess Final: dc:rights = info:eu-repo/semantics/openAccess Também usado para definir os tipos de documento!
  134. 134. Outros protocolos ● CERIF – Standard para sistemas CRIS (Current Research Information Systems) ● OAI-ORE – Derivado do OAI-PMH, mais completo e possibilita a partilha de ficheiros ● Open Annotation – Notas ou comentários sobre objetos digitais ● ResourceSync – Protocolo baseado no funcionamento da web para agregar itens
  135. 135. QUALIDADE DOS METADADOS
  136. 136. Qualidade dos metadados ● Definição de Regras ● Validação
  137. 137. Qualidade de Metadados ● São necessárias ferramentas de monitorização contínua dos conteúdos dos repositórios para confirmar a adequação dos metadados com o grau de qualidade exigido! http://www.flickr.com/photos/43820247@N08/
  138. 138. Validação de Metadados ● Validador RCAAP (http://validador.rcaap.pt) ● Analisa a conformidade com os critérios de agregação do Portal RCAAP, baseados nas diretrizes DRIVER ● Validador OPENAIRE (https://www.openaire.eu/participate/join-oa-network- validate-register-repository) ● Verifica a conformidade com as diretrizes OPENAIRE e regista o repositório/revista na lista de recursos compatíveis com as orientações.
  139. 139. DIRETRIZES Driver e OpenAIRE
  140. 140. Diretrizes Construídas com base no conhecimento empírico e da necessidade de entendimento entre os intervenientes http://www.flickr.com/photos/opensourceway/
  141. 141. Porque são necessárias diretrizes?  Para guiar os administradores de repositórios de forma a garantir a interoperabilidade e compatibilidade com os serviços DRIVER;  Para que os programadores de plataformas de repositórios incorporem novas funcionalidades em futuras versões
  142. 142. Diretrizes ● Diretrizes DRIVER ● Diretrizes OPENAIRE
  143. 143. Diretrizes Driver ● Usadas na definição das condições de agregação do Portal RCAAP ● Possibilitam a interoperabilidade entre os dados do repositório e os serviços ● Todos os repositórios agregados no Portal RCAAP cumprem com os aspetos obrigatórios das diretrizes
  144. 144. Diretrizes DRIVER – Uso dos elementosElemento básico Estatuto Title (Título) obrigatório Creator (Autor) obrigatório Subject (Assunto) obrigatório quando aplicável Description (Descrição) obrigatório quando aplicável Publisher (Editora) obrigatório quando aplicável Contributor (Colaborador) opcional Date (Data) obrigatório Type (Tipo) obrigatório Format (Formato) recomendado Identifier (Identificador) obrigatório Source (Fonte) opcional Language (Idioma) recomendado Relation (Relação) opcional Coverage (Cobertura) opcional Rights (Direitos) recomendado Audience (Público) opcional
  145. 145. Dc.Types (obrigatórios) ● info:eu-repo/semantics/article ● info:eu-repo/semantics/bachelorThesis ● info:eu-repo/semantics/masterThesis ● info:eu-repo/semantics/doctoralThesis ● info:eu-repo/semantics/book ● info:eu-repo/semantics/bookPart ● info:eu-repo/semantics/review ● info:eu-repo/semantics/conferenceObject ● info:eu-repo/semantics/lecture ● info:eu-repo/semantics/workingPaper ● info:eu-repo/semantics/preprint ● info:eu-repo/semantics/report ● info:eu-repo/semantics/annotation ● info:eu-repo/semantics/contributionToPeriodical ● info:eu-repo/semantics/patent ● info:eu-repo/semantics/other
  146. 146. SERVIÇOS COM BASE NAS DIRETRIZES
  147. 147. Pesquisa Avançada no Portal RCAAP
  148. 148. DIRETRIZES OPENAIRE http://www.openaire.eu
  149. 149. Diretrizes OpenAIRE ● Orientações para o cumprimento da Política Open Access da Comissão Europeia ● Permite identificar / monitorizar produção científica financiada ● Todos os repositórios do Serviço de Alojamento permitem implementar estas diretrizes ● Mais info em: http://www.openaire.eu
  150. 150. VALIDADOR RCAAP
  151. 151. Processo de Validação Processo indispensável para garantir a interoperabilidade dos dados ● Validação integrada ● Aquando da inclusão de registos numa base de dados (ex: http://www.rcaap.pt) ● Validação diferida ● A pedido dos intervenientes (ex: http://validador.rcaap.pt)
  152. 152. Pilares da Interoperabilidade Metadados Diretrizes Protocolos Validação Interoperabilidade
  153. 153. Validador RCAAP: interoperabilidade e qualidade dos metadados Raquel Truta – raquel@sdum.uminho.pt
  154. 154. Tópicos ● Validador RCAAP ● Contextualização ● O que faz? ● Como faz - caso prático 11/10/2017 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 2
  155. 155. Contextualização e objetivos ● Projeto RCAAP teve início em 2008 ● Ferramenta Validador surge em 2009 ● Promover a qualidade e harmonização dos metadados dos repositórios e das revistas científicas no Portal RCAAP ● Rápida validação e análise aos conteúdos e erros com base em critérios definidos 11/10/2017 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 3
  156. 156. VALIDADOR RCAAP 11/10/2017 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 4 http://validador.rcaap.pt
  157. 157. Validador RCAAP - o que faz ● 1 – A pedido no website - http://validador.rcaap.pt ● 2 – Automaticamente pelo Portal RCAAP Ambos usam o mesmo mecanismo e regras 11/10/2017 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 5
  158. 158. Regras de Agregação ● Baseadas nas Diretrizes DRIVER (adotadas pelo RCAAP desde 2008) ● São obrigatórias para que os recursos (RC’s ou RI’s) sejam agregados pelo Portal RCAAP 11/10/2017 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 6
  159. 159. Que serviços disponibiliza? ● Verifica set específico ● Tipos de validação ● Driver ● OpenAIRE ● Portal RCAAP ● Internacionalização da ferramenta 11/10/2017 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 7
  160. 160. Caso prático, tendo por exemplo o Repositório Comum 11/10/2017 8RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  161. 161. Caso prático, como fazer? 11/10/2017 9RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal ● Aceder a: http://validador.rcaap.pt
  162. 162. Caso prático, como fazer? 11/10/2017 10RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  163. 163. Caso prático, como fazer? 11/10/2017 11RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  164. 164. Caso prático, como fazer? 11/10/2017 12RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  165. 165. Caso prático, como fazer? 11/10/2017 13RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  166. 166. 11/10/2017 14RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  167. 167. 11/10/2017 15RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  168. 168. 11/10/2017 16RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  169. 169. Fatores de Sucesso ● Interoperabilidade ● Validador & Diretrizes Driver ● Rapidez na devolução de resposta ● Facilidade na resolução do erro identificado 11/10/2017 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 17
  170. 170. Mais sobre o Validador RCAAP http://projeto.rcaap.pt http://www.rcaap.pt http://blog.rcaap.pt 11/10/2017 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 18
  171. 171. Website do Projeto & Blog 11/10/2017 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal http://projeto.rcaap.pt http://blog.rcaap.pt 19
  172. 172. OBRIGADA! Raquel Truta – raquel@sdum.uminho.pt 11/10/2017 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 20
  173. 173. Contexto Internacional Workshop José Carvalho – jcarvalho@sdum.uminho.pt 1
  174. 174. Programa • Guidelines • Redes Internacionais • OASISbr / RCAAP • OpenAIRE / La Referência 2
  175. 175. Guidelines Contexto Internacional 3
  176. 176. Evolução das Diretrizes • Evolução das diretrizes -> Novas necessidades • Integração de índices (tipos de documento – COAR types, tipos de acesso, versões, idiomas, etc…) • Gradual integração com identificadores (OpenAIRE v4.0) 4 Driver OpenAIRE OpenAIRE 4.0
  177. 177. Redes Internacionais • OASISbr / RCAAP Redes nacionais de integração de recursos (revistas, repositórios, dados de investigação) • OpenAIRE / La Referência Portais internacionais que integram os repositórios ou portais nacionais. OpenAIRE focado na gestão do financiamento. 5
  178. 178. Outros serviços • SHARE - https://share.osf.io - (EUA) • BASE - http://www.base-search.net - (Alemanha) • CORE - https://core.ac.uk - (UK) • … 6
  179. 179. projeto.rcaap.pt @rcaap facebook.com/rcaap blog.rcaap.pt Obrigado! José Carvalho Raquel Truta Tainá Assis jcarvalho@sdum.uminho.pt 7

×