Análise das políticas de auto arquivamento nos repositórios brasileiros e portugueses

484 views

Published on

Comunicação apresentada à CONFOA 2013 (Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil, de 06 a 08 de outubro de 2013) em Comunicações V - Repositórios Institucionais - Tainá Batista

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
484
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Análise das políticas de auto arquivamento nos repositórios brasileiros e portugueses

  1. 1. Análise das políticas de autoarquivamento nos repositórios institucionais brasileiros e portugueses Tainá Batista Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia - Ibict Universidade de Brasília - UnB 2013
  2. 2. Introdução Considerando a Via Verde, uma das estratégias recomendadas pelo Movimento de Acesso Aberto à Informação Científica ...
  3. 3. Objetivo • O estudo tem por objetivo verificar a existência de políticas, que fazem referência ao autoarquivamento, nos repositórios institucionais brasileiros e portugueses, bem como identificar materiais de apoio ao autor para a realização de tal atividade.
  4. 4. Metodologia • Directory of Open Access Repositories (OpenDOAR) - Quantidade de repositórios registrados; - Possibilidade de filtros para a pesquisa no diretório; - Recente higienização da base do Diretório em 2012.
  5. 5. Metodologia 1º • Refinamento por país (Brasil e Portugal) dos repositórios registrados no OpenDOAR 2º • Identificação dos repositórios brasileiros e portugueses que são institucionais, seguindo dois processos: filtros de busca do OpenDOAR e as considerações de Leite (2009) 3º • Dentre os repositórios apresentados no item anterior foram identificados quais possuíam políticas (informação, institucional, depósito) e destas quais faziam referência ao autoarquivamento 4º • Identificados os repositórios que adotam o autoarquivamento, foram observados aspectos quanto obrigatoriedade, sanção e a existência de materiais de apoio para os autores realizarem o depósito
  6. 6. Metodologia • Definição de Leite (2009) “um repositório institucional de acesso aberto constitui, (...), um serviço de informação científica – em ambiente digital e interoperável – dedicado ao gerenciamento da produção intelectual de uma instituição. Contempla, por conseguinte, a reunião, armazenamento, organização, preservação, recuperação e, sobretudo, a ampla disseminação da informação científica produzida na instituição” (LEITE, 2009, p. 21).
  7. 7. Resultados 1º passo da pesquisa • Recuperados no OpenDOAR, 70 repositórios brasileiros e 43 repositórios portugueses. Total de 113 repositórios.
  8. 8. Resultados 2º passo da pesquisa • Observamos que após utilizar os filtros Any Country e Any Repository Type, descritos na Metodologia, o número de repositórios registrados como institucionais reduziu para 54 brasileiros e 38 portugueses. • Analisando por meio da definição de repositório institucional, o número foi menor: 26 repositórios institucionais brasileiros e 28 repositórios institucionais portugueses.
  9. 9. Resultados Repositórios Brasileiros Portugueses Total de repositórios registrados no OpenDOAR – filtro Any Country (Brasil / Portugal) 70 43 Total de repositórios institucionais registrados no OpenDOAR – filtros Any Country (Brasil / Portugal) e Any Repository Type (Repositório institucional) 54 38 Total de repositórios institucionais segundo a definição de Leite (2009) 26 28
  10. 10. Resultados 3º passo da pesquisa • Dos 26 repositórios institucionais brasileiros, 6 apresentaram política (de informação, institucional, depósito, autoarquivamento) no sistema. • Dos 28 repositórios institucionais portugueses, 10 apresentaram política do repositório no sistema.
  11. 11. Resultados • 3º passo da pesquisa Não foi possível verificar a existência de políticas em 09 repositórios, tanto brasileiros quanto portugueses, por apresentarem erro na página, link ou no sistema.
  12. 12. Resultados 4º passo da pesquisa  Os repositórios portugueses citam na política o autoarquivamento como a forma de realização do depósito, exceto para teses e dissertações.  Quanto aos brasileiros, foi observado que um repositório levantado adota o autoarquivamento.
  13. 13. Resultados 4º passo da pesquisa  Os repositórios, tanto o brasileiro quanto os portugueses, que adotam o autoarquivamento disponibilizam para seus pesquisadores materiais de apoio.  Não foi observado nenhum tipo de sanção quanto a não-realização do depósito no sistema de acesso aberto.
  14. 14. Considerações finais • A implantação de uma política que determina o depósito da produção científica no repositório institucional. • Baixo número de repositórios que adotam a forma de autoarquivamento como depósito da produção científica. • Não entendimento do conceito de repositórios institucionais utilizado pelo Movimento de Acesso Aberto.
  15. 15. OBRIGADA! Tainá Batista <tbatista.assis@gmail.com> Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia – Ibict Universidade de Brasília - UnB

×