Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

of

YouTube videos are no longer supported on SlideShare

View original on YouTube

Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 2 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 3 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 4 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 5 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 6 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 7 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 8 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 9 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 10 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 11 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 12 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 13 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 14 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 15 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 16 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 17 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 18 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 19 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 20 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 21 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 22 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 23 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 24 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 25 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 26 Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica  Slide 27
Upcoming SlideShare
Referencias achatina fulica
Next

2

Share

Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica

Related Books

Free with a 30 day trial from Scribd

See all

Protocolo para Diagnóstico de Populações Achatina fulica

  1. 1. Invasão Achatina fulica Detecção difícil • Populações são pouco vigorosas (MEAD, 1961); • Podem inicialmente estar em locais distantes, não visíveis. Problemas Manejo Informações inacessívei Impactos não evidentes Controle ineficiente
  2. 2. Espécie generalista Controle padronizado inviável Ação de Controle adaptada à realidade específica com base nas características ecológicas e biológicas
  3. 3. Diagnóstico local Protocolo padronizado Essencial - comparações
  4. 4. Diagnóstico local Ações de Controle População recente ou antiga? Declínio espontâneo ?
  5. 5. É considerada baixa = 7 a 32 caramujos/m2 É considerada alta = mais que 102 caramujos/m2 1. Densidade
  6. 6. 2. Distribuição horizontal e vertical
  7. 7. Jovens – 500m – 6 meses Dispersão Adultos sedentários Os indivíduos voltam para área de origem??? Há migração em massa e ciclo de migração ??? Essas informações caracterizam o comportamento e são importantes para definir o correto manejo e ações educativas!!!
  8. 8. Competição Mecanismos que favorecem: distribuição, ter ritorialidade, dispersão Fischer & Latoski (Pibic)
  9. 9. 3. Distância do co-específico mais próximo
  10. 10. 4. Tamanho da concha Alguns autores relacionam essa característica com a idade aproximada dos animais.
  11. 11. 5. Presença de deformidades e manchas no corpo e na concha Idade e saúde da População Diferentes fenótipos Má formações Homozigose? Toxicidade ? Exaustão de recursos? Influência solo? Podem informar sobre declínio da população, presen ça de doenças.
  12. 12. Concha com cicatriz e descalcificação Mancha no corpo Podem caracterizar presença de predadores ou quedas Presença de Bactérias Nering, 2007 e 2008 (TCC
  13. 13. Doenças - microbiologia Muco = Proteção!!! Temporal e Espacial – pode haver grande variação de características levando em conta o estado de estresse do animal. Nering, 2007 e 2008 (TCC) Aeromonas hydrophila
  14. 14. 5. Atividade (repouso, estivando ou ativo) e comportamento (forrageando, copulando, raspando concha do co- específico)
  15. 15. Canibalismo Cálcio ou superpopulação? Nering, em preparação
  16. 16. 6. Presença de ovos Importante para caracterizar recolonização e tamanho da população. Para o controle é fundamental para evitar novas infestações.
  17. 17. 6. conchas de animais mortos
  18. 18. Estivação Enterramento e desenterramento Força Física – 6,7x o peso Reações adversas ao meio aquático Fischer, 2009 no prelo
  19. 19. 1. Tamanho da área vistoriada 2. Tipo de Solo 3. Plantas - sítio de repouso, oviposição e alimentação 4. Plantas não utilizadas 5. Demais substratos com e sem caramujo 6. Terrenos vizinhos 7. Condições climáticas 8. Fauna associada IMPORTANTE!
  20. 20. Recursos alimentares Preferência e consumo de resíduos sólidos orgânicos. Existência de plantas ou recursos não consumidos. Fischer et al (2008)
  21. 21. Fauna Associada Megalobulimus Latoski e Cristo (em preparação) Há registros de morte do caramujo nativo quando em convivência em mesmo terrário (Laboratório) Risco de controle incorreto. Catação realizada sem discriminação de espécies, prejudican do a fauna nativa.
  22. 22. Fauna Associada Predação? ?
  23. 23. 1. Biologia, ecologia e comportamento do animal 2. Chegada do animal 3. Se vê o animal como problema 4. Avaliação de impactos econômicos, de saúde e ambientais 5. Métodos de controle 6. Distinção entre o caramujo invasor e os nativos. IMPORTANTE: • Questionários semiestruturados; • Aplicar a moradores nativos; • Repassar informações e conceitos corretos durante a abordagem.
  24. 24. Acesse www.conexaocaramujo.com.br
  • AndroidAndroid2

    Sep. 19, 2020
  • tulipas63

    Feb. 1, 2017

Views

Total views

993

On Slideshare

0

From embeds

0

Number of embeds

7

Actions

Downloads

0

Shares

0

Comments

0

Likes

2

×