Nagios

2,563 views

Published on

gerenciamento de redes com nagios

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,563
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
103
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Nagios

  1. 1. Trabalho sobre Nagios Francisco Aldevan Barbosa Costa – RA 1011354NagiosO Nagios é um sofware livre distribuído por meio da licença GPL, criado porEthan Galstad. Atualmente uma grande comunidade de desenvolvedores aoredor do planeta participa do desenvolvimento desta ferramenta que surgiucom o nome de Netsaint, nos anos 90. O NetSaint era apenas uma pequenaferramenta DOS que se utilizava do comando "ping" para testar conectividadecom servidores Novell. Esta aplicação também conseguia se utilizar deaplicações de terceiros e resgatar dados, organizando-os em arquivos de texto.Este é o início da arquitetura Servidor-Plugins, utilizada pelo Nagios e queresultou em um enorme sucesso da ferramenta.Em 1998, Ethan lançou uma versão aprimorada do NetSaint para quefuncionasse na plataforma Linux. Esta versão foi otimizada para que pudessemonitorar hosts e serviços de maneira efetiva. No ano de 2002, devido aproblemas com os direitos do nome NetSaint, Galstad muda o nome de suaferramenta para Nagios e, a partir deste ponto, o software tornou-se cada vezmais conhecido internacionalmente. Nos últimos anos, Nagios tem vencidomuitos prêmios e vem sendo utilizado em larga escala, principalmente porempresas de grande porte como ISPs (Internet Service Providers), devido asua robustez e escalabilidade. Existem no mercado várias ferramentas para recursos computacionais,algumas distribuídas gratuitamente como o Nagios e outras pagas como oOrion Solar Winds, que chega a custar milhares de dólares. A decisão em seutilizar o Nagios parte da ideia de redução de custo, um fator primordial dentrodas empresas de TI, hoje em dia, e também por ser considerada uma dasferramentas mais poderosas no mercado, atualmente, adapta-se a todo o tipo
  2. 2. de ambiente, além de apresentar a flexibilidade de uma arquitetura que permitea participação direta do usuário através de customização e criação de plugins.Em outras palavras, podem-se listar algumas funcionalidades chave do Nagioscomo: Web interface. Não importa a localidade onde se encontra o administrador, pode-se verificar a saúde da rede desde que se tenha acesso a um browser; Recursos de rede como HTTP e FTP podem ser monitorados assim como recursos de hosts como espaço em disco, processos, logs, recursos de processamento e memória etc; Pode-se gerar relatório para tendências, alertas, viabilidade e notificações através da interface web; Plugins podem ser programados pelo próprio administrador ou uma equipe caso o Nagios não forneça a princípio as informações desejadas; "Downtime" programável. Enquanto servidores estão off-line para manutenção ou recursos estão indisponíveis por razões conhecidas pode-se ativar o modo downtime e notificações não são enviadas; Estrutura de monitoramento redundante. Para que o servidor de monitoramento não corra o risco de falhar, pode-se utilizar uma estrutura "Master and Slave", ou seja, um segundo servidor Nagios pode ser utilizado como Backup para o primeiro. Caso haja falha, o servidor de backup assume o controle automaticamente. Um dos propósitos principais de um sistema de monitoramento é detectar falhas no funcionamento de máquinas e serviços, portanto, o administrador é avisado imediatamente sobre o problema (Kocjan, 2008, p.8). O sistema Nagios não executa suas funções por si só. Utiliza-se de plugins para realizar as verificações necessárias. Tais plugins podem ser desenvolvidos por usuários em qualquer linguagem de programação, o que torna a estrutura do Nagios extremamente flexível. Os objetos monitorados pelo sistema Nagios podem ser divididos em duas categorias básicas: hosts e serviços. Hosts são máquinas
  3. 3. físicas como servidores, switches, impressoras, roteadores etc. Serviços são funcionalidades como um servidor web, impressão, e-mail, entre outros. Tais serviços são associados com o host no qual são executados. Grupos de hosts e serviços podem também ser criados, o que facilita a organização dos objetos. Visão geral da organização dos host no nagios A figura acima explica o conceito de hosts e serviços no Nagios. O host1 por exemplo, possui 4 serviços associados, são eles : Webserver, Databaseserver, FTP server e SSH server. Host 1 e Host 2, por sua vez, formam o grupoHostgroup 1. Caso uma ação seja aplicada a esse grupo, esta irá afetar Host 1e Host 2, respectivamente. O Nagios possui um estilo de exibição dos dados que simplifica suavisualização. Em vez de utilizar números e percentagens, o sofware utilizaquatro estados para demonstrar o status de serviços e equipamentos: OK,WARNING, CRITICAL, e UNKNOWN. Esta abordagem facilita muito o trabalhodo administrador que ao invés de monitorar valores numéricos o tempo todo,pode customizar estes valores de forma que os quatro estados do Nagiosreflitam o estado da rede de maneira eficiente. Por exemplo, em determinada
  4. 4. rede a utilização média do link de Internet pode girar em torno dos 40%. Emoutra, a percentagem pode ser em torno de 65%, portanto, os administradoresdevem customizar os estados de maneira que o Nagios possa informaranomalias na utilização destes links, eficientemente.Em geral, administradorestendem a desconsiderar coisas como uma lenta diminuição do espaço emdisco em um servidor, e, até que se perceba o problema, este poderá fazercom que usuários sejam impossibilitados de gravar arquivos, até usar osistema de maneira eficiente. Em casos como esse, ferramentas demonitoramento são muito importantes para se prevenir problemas desse tipo.Nagios se utiliza de plugins para monitorar seus objetos. Tais plugins sãocomponentes externos, os quais passam informações ao servidor. Sãoresponsáveis por verificar e analisar resultados, ou seja, são transformados emum dos quatro estados citados anteriormente e enviados ao servidor, assimcomo um relatório detalhado adicional, que pode ser lido por administradoresexperientes. Existem plugins capazes de monitorar basicamente qualquer tipode objeto de uma companhia. O site www.nagiosplugins.org deve ser checadopara maiores informações sobre as centenas de plugins disponíveis. A Figura 9exibe uma tela do plugin Nagvis, a qual possibilita a visualização do status deestruturas, servidores e outros objetos por meio de diagramas e fotografias.
  5. 5. Tela do plugin NagiosCaracterísticas do Nagios Como citado anteriormente, a característica mais forte do Nagios é aflexibilidade, ou seja, pode ser configurado em detalhes pelo administrador.Também possui um mecanismo que reage automaticamente em caso deproblemas e um poderoso sistema de notificações. De acordo com Kocjan(Kocjan, 2008, p.25), todas essas funcionalidades são baseadas em umsistema claro de definições e tipos de objetos, a saber: Comandos - definições de como o Nagios deve executar verificações específicas; na verdade, são uma camada de abstração que permite o agrupamento de operações similares. Períodos de Tempo - controlam quando ações devem ser executadas ou não. Por exemplo: segunda a sexta entre 7:00 e 18:00 horas.
  6. 6. Contatos e grupos de contato - Informações sobre as pessoas que devem ser contatadas e os meios de contato. Podem ser agrupadas para facilitar o contato de várias pessoas. Hosts - informações sobre máquinas físicas, como a verificação deve ser efetuada e quais as pessoas a serem contatadas. Serviços - várias funcionalidades ou recursos a serem monitorados em um host específico, contatos, além de como e quando a verificação deve ser feita. Hierarquia de notificações para Hosts e Serviços - define períodos nos quais pessoas adicionais devem ser notificadas. Por exemplo, se um servidor de missão crítica estiver off-line por mais de 4 horas, a gerência pode ser notificada. Outra característica muito importante do Nagios é o avançado sistemade dependências do sistema. Por exemplo, se um roteador está off-line, todasas máquinas e serviços acessados através deste equipamento são obviamenteafetadas. Alguns sistemas não levam isso em consideração, o que resulta emum excesso monstruoso de notificações a respeito de todas as máquinas eserviços afetados. O Nagios utiliza um sistema de quatro estados para informar oadministrador sobre o status de um objeto. Porém, para que se evitemproblemas temporários, que resultam em notificações que não refletem oestado real da rede, o Nagios utiliza estados "hard" e "soft" para descrever oestado do objeto naquele momento. Por exemplo, se o administrador precisareiniciar um servidor web e este processo faz com páginas web fiquem semacesso por alguns segundos, o Nagios não deve enviar notificações uma vezque se trata de um período aceitável. Caso o servidor continue indisponível portempo acima do permitido pelo administrador como aceitável, a ferramentaavisa, então, as pessoas responsáveis. Se o Nagios não possuísse este tipo deestado temporário, um evento como esse poderia ativar uma série denotificações equivocadas. A configuração de "soft" e "hard" states pode serfeita para cada host individualmente, o que proporciona maior flexibilidade.Para testar serviços o Nagios faz uso de programas externos chamados
  7. 7. plugins. No caso mais simples isto envolve testar um serviço de internet. Aqui oserviço pode ser chamado diretamente na rede, pois é suficiente chamar umprograma local no servidor Nagios que teste o serviço específico no servidorremoto.Nem tudo o que se queira testar pode ser alcançado tão facilmente narede. Entretanto, não existe um protocolo de rede para verificação da áreadisponível em disco, por exemplo. Neste caso é necessário iniciar um pluginnum host remoto através de um shell remoto (mas primeiro ele precisa serinstalado no computador remoto), ou então usa-se de outros métodos tal comoo protocolo SNMP (Simple Network Management Protocol) para verificar acapacidade do disco. Os quatro métodos de verificação de serviço de forma“ativa”, onde o Nagios toma a iniciativa e dispara o teste, são: executardiretamente um plugin no seu próprio servidor; executar um plugin que por suavez vai chamar um outro no host remoto; executar um plugin tambémdiretamente na máquina cliente, mas utilizando o serviço NRPE - NagiosRemote Plugin Executer - criado especificamente para este propósito; e, porúltimo, utilizar uma consulta via SNMP - para isto o cliente precisa de umagente SNMP disponível. Existem vários plugins disponíveis para consulta dedados através de protocolo. Outro tipo de verificação é feita de forma passiva:o Nagios apenas aguarda pela informação a ser enviada pelo cliente através doprograma NSCA (Nagios Service Check Acceptor). No próprio servidor Nagioso NSCA executa como um daemon que recebe os resultados enviados e osrepassa à interface para comandos externos. O Nagios possui um sistemainterno de controle que permite a atualização dos resultados relativos àverificação dos serviços. Se esta opção for ativada pelo administrador, assimcomo for definido o intervalo máximo entre cada verificação, o Nagios irá forçaruma verificação de serviços ativos sempre que este intervalo for atingido.

×