Parte 4 antônio fernandes

1,791 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,791
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
537
Actions
Shares
0
Downloads
30
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Parte 4 antônio fernandes

  1. 1. Bosque Florido Sergio Soublet ...Nessa vida passageira Eu sou eu, você é você Isso é o que mais me agrada Isso é o que me faz dizer: Que vejo flores em você!... Flores Em Você Ira!
  2. 2. A prática do passe  Passe – definição, objetivo e tipos de passe.  Quem doa passes – quem pode dar passes, alimentação, vestimenta, o que pode ou não fazer.  Quem recebe passe - circulação das forças radiantes .  Como aplicar passes – tipos e formas de passes.  Recomendações para serem prestadas ao paciente pela Casa Espírita.
  3. 3. “O Passe é transfusão de forças magnéticas de variado teor, e pode ser administrado sob a influencia dos desencarnados que se devotam à caridade, sem necessidade absoluta de incorporação total na instrumentação mediúnica.” Emmanuel - entrevista no jornal "Triângulo Espírita" - Uberaba - n 45
  4. 4. Objetivo do passe Objetiva o reequilíbrio físico, psíquico, perispiritual e espiritual do assistido Origem do poder e a eficácia do passe Da ação dos bons espíritos. O poder e a eficácia do passe dependem da assistência espiritual do médium passista e não dele mesmo. Os verdadeiros aliados do passe Prece, Concentração, Doação, Fé, Amor ao próximo, Disciplina, Vontade, Conhecimento, Equilíbrio psíquico, Humildade, Devotamento, Abnegação - Esse é o passe espírita.
  5. 5. Humano - A ação magnética se faz pelo próprio fluido da pessoa (magnetizador). Espiritual - A ação magnética se faz pelo fluido dos espíritos, atuando diretamente sobre o encarnado, sem o intermediário. Humano-Espiritual - A ação magnética se faz pelos fluidos do médium e do espírito que lhe auxiliam no passe. O fluido combinado do espírito e do médium. "A Gênese" - Cap. 14 - item: Curas - Allan Kardec
  6. 6. Quem doa passes "O missionário do auxílio magnético, na Crosta ou na Esfera Espiritual, necessita ter grande domínio sobre si mesmo, espontâneo equilíbrio de sentimentos, purificado amor aos semelhantes, alta compreensão da vida, fé vigorosa e profunda confiança no Poder Divino. Cumpre-nos acentuar, todavia, que semelhantes requisitos, no plano espiritual, constituem exigências a que não se pode fugir. Na esfera carnal, a boa vontade sincera, em muitos casos, pode suprir essa ou aquela deficiência, o que se justifica, em virtude da assistência prestada pelos benfeitores dos círculos espirituais de ação ao servidor humano, ainda incompleto no terreno das qualidades desejáveis". Instrutor Alexandre - "Missionários da Luz"
  7. 7. Onde houver merecimento por parte dos que sofrem e boa vontade nos que auxiliam, os mentores estarão sempre dispostos a conceder o benefício espiritual. Eles lembram que, se a prática do bem estivesse limitada aos Espíritos completamente bons, seria impossível a redenção humana. Eles só podem mesmo contar conosco, espíritos imperfeitos em vias de evolução.
  8. 8. Quem pode dar passes • Todos, com maior ou menor intensidade poderão prestar concurso fraterno nesse sentido, porquanto, revelada a disposição fiel de cooperar a serviço do próximo, por esse ou aquele trabalhador, as autoridades de nosso meio designam entidades sábias e benevolentes que orientam, indiretamente, o novato, utilizando-lhe a boa vontade e enriquecendo- lhe o próprio valor. • Quando o candidato apresenta-se com boa vontade para o trabalho, os benfeitores espirituais estão sempre dispostos a orientá-lo. • Mesmo o encarnado oferecendo valores muito reduzidos poderá dar passes, desde que o interesse dele nas aquisições sagradas do bem seja mantido acima de qualquer preocupação transitória, deve esperar incessante progresso das faculdades radiantes, não só pelo próprio esforço, senão também pelo concurso de Mais Alto, do que se faz merecedor. Instrutor Alexandre "Missionários da Luz"
  9. 9. Toda vez que uma pessoa decide em seu coração realizar uma tarefa, precisa deixar espaço mental a fim de cultivá-la e torná-la realidade. O servidor devotado sempre encontra apoio da Espiritualidade Superior para sustentar e ampliar sua capacidade de doação.
  10. 10. Aprendemos que pensar é criar e que “nossos pensamentos geram nossos atos e nossos atos geram pensamentos nos outros”
  11. 11. Compete ao médium, portanto, manter-se como instrumento útil. Precisa conscientizar-se de que a mediunidade não é simples intercâmbio, é processo de auto- educação em que o burilamento se dá com o serviço desinteressado em favor do próximo. Toda tarefa para crescer, exige trabalhadores que estejam dispostos a elevar-se a si mesmos. Ninguém evolui, espiritualmente, sem cuidar da melhoria e do cuidado com pensamentos, palavras e atos.
  12. 12. “O pensamento é tão significativo na mediunidade, quanto o leito é importante para o rio” Francisco Cândido Xavier / André Luiz “Nos Domínios da Mediunidade”
  13. 13. Atitudes que os passistas devem evitar As energias construtivas não podem ser fornecidas se houver sistemático desperdício das forças vitais, portanto o passista deve procurar equilibrar o campo das emoções.
  14. 14. Aquele que cultiva mágoa excessiva, paixão desvairada, inquietação permanente, não transmite e nem faz circular as energias radiantes porque seu próprio sistema nervoso está desgastado.
  15. 15. Ao passista portador de moléstias do sangue ou degenerativas, como a anemia e o câncer, não é recomendável a doação fluídica, porque o próprio médium está necessitado de repor suas energias desgastadas.
  16. 16. Vemos assim, que o doador tem uma excelente oportunidade de auto- aprimoramento. Ele sabe que suas crises de cólera e revolta, maledicência e leviandade, desespero e intemperança são verdadeiras tempestades magnéticas sobre o seu próprio envoltório, que são o perispirito e o corpo físico, por isso procura evitá-las ao máximo, para não se desgastar.
  17. 17. Mulher grávida pode dar passes? Não deve. A mulher na gestação está vivendo um processo peculiar de mediunidade, em que um ser está se materializando em seu útero. Ela já está sob a ação direta do espírito reencarnante, recebendo o impacto da sua influência, e deve ser resguardada nesse processo. O inverso deve ser estimulado, a gestante deve receber os benefícios do passe magnético.
  18. 18. Não deve. No tratamento de câncer, ele vai precisar de todas as suas reservas de fluido magnético do duplo etérico, ou corpo vital, para o seu próprio restabelecimento. Vai precisar também da força vital que puder obter por meio do passe. Portador de câncer em tratamento pode continuar a dar passes?
  19. 19. A fiscalização dos elementos destinados aos armazéns celulares é indispensável, por parte do próprio interessado em atender as tarefas do bem. O excesso de alimentação produz odores fétidos, através dos poros, bem como das saídas dos pulmões e do estômago, prejudicando as faculdades radiantes, porquanto provoca dejeções anormais, e desarmonias de vulto no aparelho gastrointestinal. Alimentação
  20. 20. Deve ser leve, especialmente nos dias de atividades. Evite carnes vermelhas e dê preferência a frutas, legumes e verduras. Obs. Carnes vermelhas são de difícil digestão e produzem muitas toxinas que inibem a qualidade radiante dos fluídos. Por isso se recomenda evitar sua ingestão pelo menos 24 horas antes das atividades mediúnicas.
  21. 21. Essas e outras substâncias tóxicas operam distúrbios nos centros nervosos, modificando certas funções psíquicas e anulando os melhores esforços na transmissão de elementos regeneradores e salutares. A resistência orgânica decresce muito com o uso de toda e qualquer substância nociva a saúde, favorecendo o aparecimento de doenças, muitas vezes fatais, as quais poderiam ser claramente evitáveis. O fumo e o álcool Instrutor Alexandre "Missionários da Luz"
  22. 22. Não há regra. Entretanto, recomenda- se que o passista se vista de forma confortável para que não venha a sentir incômodo durante a tarefa. Vestimenta do passista  Os homens devem evitar bermudas e camisas floridas.  As mulheres devem evitar o uso de roupas espalhafatosas, o que poderá ocasionar pensamentos de estranheza em uns, assim como de crítica em outros.  E por fim, como grande parte dos companheiros movimenta os braços durante a aplicação do passe, sugere-se que os passistas não façam uso de colares, pulseiras ou qualquer outro objeto que faça barulho durante a tarefa, a fim de evitar-se desviar a atenção dos outros co-participantes.
  23. 23. Como os fluidos atuam a distância e como os assimilamos de forma etérea pelo centro coronário, esse recurso justificado por essa analogia pode ser dispensado. Mãos do passista para cima? Sabemos que o acima ou abaixo são posições relativas, mesmo em se tratando de regiões espirituais. Os Espíritos nem sempre estão acima de nós, mas do nosso lado. Os fluidos chamados espirituais estão num campo energético multidirecional. Não é necessariamente pelas mãos que captamos fluidos do céu, mas pelos nossos centros de força, especialmente o coronário.
  24. 24. “Seja quais forem os gestos ou trejeitos adotados pelo passista – por exemplo: muitos costumam levantar as mãos para o alto, pensando em favorecer o contato com as forças superiores – na verdade, nada disso importa, porque a primeira e mais importante ligação com o mentor dar-se-á sempre através da cabeça ou da mente e não das mãos”. O Passe como Cura Magnética – Marlene Nobre
  25. 25. Durante a aplicação do passe, o passista não deve: • Incorporar • Gemer, rir, murmurar, estalar os dedos, esfregar as mãos. • Apoiar as mãos no assistido antes do início do passe. • Tocar no paciente • Conversar na câmara de passes com outros passistas, mesmo que no intervalo entre os mesmos. • Conversar com pacientes ou com outros trabalhadores da casa que passam pela sala de passes.
  26. 26. • Provocar ruídos quer sejam por relógios, pulseiras, sapatos de salto ou até mesmo passar as mãos nas roupas dos pacientes. • Chegar atrasado, sair antes do término da tarefa ou sair da sala ao longo dela. • Usar perfumes fortes • Beijar o paciente por conta própria – o beijo é aceito somente em forma de retribuição, caso o assistido o faça primeiro. • Diagnosticar o assistido
  27. 27. Pode o passista tocar no paciente? Por mais bela e pura que seja a relação entre passista e paciente, deve- se evitar o toque dentro do ambiente da casa espírita, como forma de respeito aos outros companheiros e em relação à unidade de trabalho que deve haver dentro da casa espírita. Quando participamos de tarefa dessa natureza, devemos submeter-nos as orientações da casa. Não. O toque denota essencialmente intimidade. “A ordem e a disciplina presidem o progresso”
  28. 28. No que diz respeito ao toque em pessoa que não se conhece, a situação se complica ainda mais. É possível que o paciente se assuste, e com maior intensidade se este for do sexo feminino. Em qualquer trabalho, principalmente com o público, o cuidado deve ser redobrado.
  29. 29. “É preferível pecar por excesso de rigor, do que arriscar-se por em xeque a harmonia e a segurança das tarefas”. Hermínio Corrêa de Miranda
  30. 30. Qualquer ruído ou gesto provocado por passistas chama atenção de outros e também dos pacientes que estão em suas cadeiras, portanto tirando a concentração de muitos e desarmonizando momentaneamente a câmara de passes. Diagnosticando um assistido o passista poderá por a credibilidade da casa em jogo.
  31. 31. Quem recebe passes Será, então, indispensável a fé para que registrem o socorro de que necessitam? ... "No terreno das vantagens espirituais é imprescindível que o candidato apresente certa "tensão favorável". Essa tensão decorre da fé . "Sem recolhimento e respeito na receptividade, não conseguimos fixar os recursos imponderáveis que funcionam em nosso favor, porque a ironia e a dureza de coração podem ser comparadas a espessas camadas de gelo sobre o templo da alma". Instrutor Aulus - "Nos Domínios da Mediunidade" Cap. 17
  32. 32. Como circulam as forças radiantes no receptor A energia transmitida pelos benfeitores espirituais circula primeiramente na cabeça dos médiuns passistas, e o mesmo acontece na cabeça do beneficiário, ao toque da força radiante. O pensamento influi diretamente, tanto na doação dos princípios curadores quanto na recepção deles. Ninguém deve subestimar, portanto, a importância da mente.
  33. 33. A partir da ligação mental com o mentor, o médium passa a irradiar, através das mãos, chispas luminosas, comunicando-as aos pacientes que as recebem, da mesma forma, por meio de halo vital ou aura, primeiramente na cabeça, depois onde tenha mais necessidade.
  34. 34. O passe será tanto mais eficiente quanto mais intensa for a concordância daquele que lhe recolhe os benefícios. Afinal de contas, em última instância, é o próprio enfermo que se cura, por isso tem de concentrar suas forças no trabalho restaurativo dos trilhões de células que compõem o seu organismo perispirítico. Para isso, deve aproveitar a ajuda que recebe para comandar a própria restauração. A cura é, na verdade, uma auto-cura.
  35. 35. “Seja qual for o doente do qual te aproximes, compadece-te quantas vezes se fizerem necessárias, entendendo que é preciso aprender e ajudar o necessitado, de maneira que o necessitado aprenda a ajudar a si mesmo”. Seara dos médiuns, lição Mediunidade e doentes
  36. 36. Com a ajuda do fluido vital ou magnético, que recebe de empréstimo, o doente centralizará as próprias radiações sobre as células, regulando-lhes os movimentos e corrigindo- lhe as atividades. Estabelecida a recomposição, a harmonia volta e a mente retoma o controle do corpo.
  37. 37. Os Instrutores explicam que “em fotografia precisamos da chapa impressionável para deter a imagem, tanto quanto em eletricidade carecemos do fio sensível para a transmissão da luz” Há pacientes que nada recebem. As irradiações magnéticas não penetram o veículo orgânico deles. Falta- lhes o estado de confiança. Sem a fé, é impossível reter qualquer auxilio espiritual.
  38. 38. COMO APLICAR PASSES Os humanos praticamente nada sabem acerca da direção e da manipulação dos fluídos. Os gestos do passista pouco importam na transmissão do fluido magnético, pois são os mentores que orientam o trabalho de cura. Ou seja, os médiuns apenas obedecem aos gestos que lhe são intuídos, quem distribui os fluidos para as regiões que necessitam de refazimento são os mentores.
  39. 39. Quando se trata de fluido misto: humano-espiritual, como é o caso da maioria dos passes, é a equipe do além que dirige e emprega as energias radiantes nos pacientes. Assim, independentemente dos gestos do passista encarnado, as forças do ectoplasma serão emitidas, em favor do beneficiário, sempre que o doador se mantiver em clima de boa vontade e confiança, sustentando na fé e na oração, seja com a simples imposição das mãos no alto da cabeça do receptor, seja por gestos mais elaborados.
  40. 40. Quando perguntado a Emmanuel no livro “O Consolador” como deve ser recebido e dado o passe, ele responde: - O passe poderá obedecer a formula que forneça maior porcentagem de confiança, não só a quem o dá como a quem o recebe. Devemos esclarecer, todavia, que o passe é a transmissão de uma força psíquica e espiritual, dispensando qualquer contato físico na sua aplicação. Embora sendo o gesto não determinante, concordam Edgard Armond e Marlene Nobre quanto a dizer-se que nas casas espíritas de grande movimento, não é conveniente deixar os passistas com inteira liberdade de gestos, porque, então, poderiam surgir condutas inadequadas.
  41. 41. A tendência, nesses casos, é manter determinada uniformidade no atendimento, principalmente quanto ao tempo de duração do passe e à norma de não tocar fisicamente nos pacientes. Com relação aos passes em si, se serão padronizados ou não, vai depender da escolha dos dirigentes das instituições. A padronização dos gestos, em vários tipos de passe, não é consenso entre os dirigentes. A ordem, no entanto, é bem- vinda em todas as atividades humanas e, certamente, é seguida por todos os que desejam servir em nome de Jesus.
  42. 42. “A prece, que é um pensamento, quando fervorosa, ardente, feita com fé, produz o efeito de uma magnetização, não só chamando o concurso dos bons espíritos, mas dirigindo ao doente uma salutar corrente fluídica”. Kardec, na Revista Espírita, set 1965 - Da mediunidade curadora E como somos transmissores dessa corrente, seguramente ficaremos também envolvidos de certa forma nas mesmas.
  43. 43. A fé vivaz, a vontade, a prece e a evocação dos poderes superiores amparam o individuo e o espírito protetor. Quando ambos se acham unidos pelo pensamento e pelo coração, a ação curativa é mais intensa. Não podemos dizer que Ter fé seja fácil ou difícil, mas sem dúvida é adquirível. Para Kardec, fé é a confiança que se tem na realização de uma coisa, a certeza de atingir determinado fim
  44. 44. Quanto às crianças de colo orientamos sempre dar o passe na criança e em seguida na mãe. Recomenda-se que, sempre que possível, a criança sente sozinha em uma cadeira para receber o passe. Podemos orientar os pais a fim de que prepararem seus filhos para isso, eles saberão o momento ideal.
  45. 45. Passes em gestantes Não existem cuidados especiais. Como sabemos, são os espíritos que direcionam os fluidos e nada conhecemos de fato a cerca dessa questão. O importante em qualquer passe é o amor e a irradiação que se emite.
  46. 46. Como se resolve o desequilíbrio do assistido durante o passe? Resolve-se o desequilíbrio ou a desarmonia da psi- sensibilidade do paciente através de mais aplicações de dispersivos, sobretudo gerais ao final do passe. Só essa dispersão fluídica é suficiente para rapidamente resolver todos os mal-estares.
  47. 47. No caso de dispersão em paciente que acabou de incorporar (manifestação psicofônica) ou que esteve sob efeito de hipnose ou sonambulismo e está sentindo dificuldade de retornar ao domínio da própria consciência (e às vezes do próprio corpo), o passista deve usar técnicas dispersivas, ao tempo em que tentará demover o paciente da manifestação, chamando-o à consciência desperta, recomendando-lhe abrir os olhos, respirar naturalmente, evitar concentrar-se no que lhe ocorre e não contrair nem retesar os músculos.
  48. 48. “O passista precisa ter sobretudo a certeza de que a espiritualidade ampara a todos que estão na câmara de passes da mesma forma. Ele é capaz de resolver qualquer anomalia que porventura possa ocorrer na sala de passes sem pedir socorro ao coordenador da tarefa”
  49. 49. Recomendações para serem prestadas ao paciente pela Casa Espírita A Casa deve a bem da ordem e da seriedade definir quais os sistemas de encaminhamento, explicando para qual tipo de necessidade é aconselhado receber tratamento, também definindo o tipo desse tratamento. Explicar, de forma pública, sistemática e claramente, os benefícios do passe e os tipos aplicados pela Casa. Informar que a preparação prévia não se limita à oração mental na cabina, mas a uma postura mental equilibrada e fé interior constantes.
  50. 50. Não se deve estipular prazo para a cura nem definir número absoluto de passes; só um bom acompanhamento pode avaliar a evolução, a conclusão ou mudança de um tratamento. Orientar a postura daqueles que vão tomar passe - cabeça ereta, alinhar o pescoço com a coluna, fechar os olhos e orar a Deus pela benção. Ficar de olhos abertos ou fechados não é mais importante do que ficar em oração, embora os olhos fechados facilitem a concentração da maioria. A curiosidade injustificada, explique-se, é elemento de refração aos fluidos magnéticos do passe.
  51. 51. Após encerrar um passe, o passista recolhe-se em prece já se preparando para atender ao próximo assistido. Alguns pacientes como forma de carinho beijam e abraçam o coordenador, bem como o passista que o atendeu e também outros passistas. Esse gesto, embora carinhoso atrapalha e muito a energia da câmara de passes, por tumultuar o local e também por tirar a concentração dos trabalhadores da sala. Que bolsas, mochilas, sacolas, capacetes devem ficar sob a cadeira e não no colo. Quando a criança estiver irrequieta, chorando, os pais devem acalmá-la e somente depois disso entrar na câmara de passes.
  52. 52. Vontade de rir, chorar, correr, respirar ofegante, debater-se ou apavorar-se são indícios de envolvimento espiritual. Orientar os pacientes portadores de sensações sobre como proceder para evitá-las na hora do passe – abrir os olhos, respirar o mais natural possível, desconcentrar-se das idéias que cheguem inopinadamente e evitar contrações musculares. Celulares e quaisquer outros aparelhos eletrônicos devem ser desligados ao adentrar na Casa Espírita. Devem ser religados somente quando da saída da mesma.
  53. 53. A postura das mãos sobre as pernas (quando sentado) não é relevante. Embora nossa fisiologia induza-nos a postá-las com as palmas voltadas para cima, as captações fluídicas se dão nos e pelos centros vitais principais e não necessariamente pelas mãos. Pelo mesmo motivo do item anterior, também não é importante a postura dos pés, pernas ou dos braços. Pernas cruzadas atrapalham o passista, obrigando-o a afastar-se muito do assistido; já braços cruzados também atrapalham quando da energização do plexo solar.
  54. 54. REFLEXÃO Tanto maior será a força do passista quanto mais puro for o seu coração. Quanto mais o homem se elevar espiritualmente, tanto maior será o poder de sua irradiação. Façamos nossa parte, o melhor possível, pois a Espiritualidade faz a sua parte sempre.

×