Desenvolvimento cognitivo e neuropsicomotor 08 2010

14,306 views

Published on

0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
14,306
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
347
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Desenvolvimento cognitivo e neuropsicomotor 08 2010

  1. 1. DESENVOLVIMENTO COGNITIVO e NEUROPSICOMOTOR <ul><li>Profa. Mª Eliza P. Finazzi, Ph.D. </li></ul><ul><li>Faculdade de Filosofia São Bento </li></ul><ul><li>Curso de Filosofia </li></ul><ul><li>Disciplina Psicologia da Educação </li></ul><ul><li>2 ª série - 3º sem. matutino </li></ul><ul><li>Agosto - 2010 </li></ul>
  2. 2. Desenvolvimento Humano <ul><li>Desenvolvimento pressupõe amadurecimento </li></ul>Social Cognitivo Afetivo Emocional Físico
  3. 3. Aspectos do desenvolvimento humano <ul><li>Aspecto físico-motor: crescimento orgânico, maturação fisiológica, referente à capacidade de manipulação de objetor e de exercícios do próprio corpo (ex: mamar sozinho ou levar a chupeta à boca, pois já coordena os movimentos das mãos aos 7 meses); </li></ul><ul><li>Aspecto cognitivo: capacidade de raciocínio e pensamento (ex: cça consegue puxar um brinquedo que está em baixo de um móvel com a ajuda de uma vassoura); </li></ul><ul><li>Aspecto afetivo-emocional: modo particular do indivíduo integrar as suas experiências (ex: vergonha que sentimos em alguma situação, medo ou alegria em outras); </li></ul><ul><li>Aspecto social: maneira que nós reagimos diante das situaçãoes que envolvam outras pessoas (ex: busca espontânea por companhia ou isolamento) </li></ul>
  4. 4. Aspectos do desenvolvimento humano <ul><li>Todos os aspectos estão presentes em todos os exemplos; </li></ul><ul><li>Não existem exemplos puros; </li></ul><ul><li>E se relacionam permanentemente e são indissociáveis. </li></ul><ul><li>Ex: dificuldade de aprendizagem, repetencia, retraimento e diminução de amizades, aumento da agressividade ou tristeza, descoberta de deficiência auditiva </li></ul>
  5. 5. DESENVOLVIMENTO COGNITIVO <ul><li>Conceitos básicos de Jean Piaget </li></ul><ul><li>Preocupação com gênese do conhecimento; </li></ul><ul><ul><li>Conhecimento em sentido amplo ( natureza, objetos, idéias, relações humanas, cultura); </li></ul></ul><ul><ul><li>Não há conhecimento sem conceitos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Participação ativa do homem: experiência vivida; </li></ul></ul>
  6. 6. DESENVOLVIMENTO COGNITIVO <ul><li>Conceitos básicos de Jean Piaget </li></ul><ul><li>Estudo dos processos mentais utilizados em uma situação de resolução de problemas, característicos a cada período de desenvolvimento; </li></ul><ul><li>Processos cognitivos e psicológicos: </li></ul><ul><li>Pensamento </li></ul><ul><li>Percepção </li></ul><ul><li>Memória </li></ul><ul><li>Temporalidade </li></ul><ul><li>Causalidade </li></ul><ul><li>Moralidade </li></ul>
  7. 7. DESENVOLVIMENTO COGNITIVO <ul><li>Conceitos básicos de Jean Piaget </li></ul><ul><li>Hereditariedade: </li></ul><ul><ul><li>indivíduo herda estruturas biológicas e em contato com o ambiente amadurece, propiciando o desenvolvimento da inteligência </li></ul></ul><ul><ul><li> estimulação,  probabilidade de desenvolvimento </li></ul></ul><ul><li>Esquema: estrutura básica de </li></ul><ul><ul><li>Ação (ex. preensão de um objeto), ou </li></ul></ul><ul><ul><li>Pensamento (ex. noção sobre algo ou alguém) </li></ul></ul>
  8. 8. <ul><li>Conceitos básicos de Jean Piaget </li></ul><ul><li>Adaptação às novas situações envolve processos: </li></ul><ul><ul><li>Assimilação: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>utilização de esquemas já internalizados; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>movimento de integração do meio no organismo. </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Acomodação: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>esquemas existentes vão modificar-se em função das experiências do meio; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>movimento do organismo no sentido de se submeter às exigências exteriores, com o caráter de adequação ao meio. </li></ul></ul></ul>DESENVOLVIMENTO COGNITIVO
  9. 9. DESENVOLVIMENTO COGNITIVO Adaptação leva a um Esquema estável quando há um Equilíbrio entre Assimilação e Acomodação <ul><li>Conceitos básicos de Jean Piaget </li></ul><ul><li>Equilíbrio: </li></ul><ul><li>Regulação entre assimilação e acomodação para compreender e atuar na realidade </li></ul>
  10. 10. <ul><li>O crescimento e maturidade biológicos também são determinantes fundamentais do desenvolvimento psicológico; </li></ul><ul><li>O tipo de explicação causal que ocorre a cada período está diretamente relacionado com sua concepção de mundo; </li></ul><ul><li>A criança constrói seu desenvolvimento ativamente através da: </li></ul><ul><ul><li>Maturação </li></ul></ul><ul><ul><li>Estimulação do ambiente físico </li></ul></ul><ul><ul><li>Aprendizagem social </li></ul></ul><ul><ul><li>Tendência ao equilíbrio </li></ul></ul>DESENVOLVIMENTO COGNITIVO
  11. 11. <ul><li>Características comuns </li></ul><ul><li>Os períodos de desenvolvimento: </li></ul><ul><ul><li>possuem características próprias </li></ul></ul><ul><ul><li>representam uma evolução integrativa : os esquemas adquiridos são integrados no período seguinte </li></ul></ul><ul><ul><li>são orientados pelos processos de </li></ul></ul><ul><ul><li>assimilação e acomodação </li></ul></ul><ul><li>Os períodos não são substituídos </li></ul><ul><ul><li>necessitamos de esquemas adquiridos desde as primeiras etapas da vida </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>(ex. esquema de preensão de um objeto) </li></ul></ul></ul>DESENVOLVIMENTO COGNITIVO
  12. 12. <ul><li>Etapas do desenvolvimento não implica em divisão normativa de faixas etárias; </li></ul><ul><li>Não corresponderiam a uma conjunto fixo de características que avaliam o indivíduo como adequado/inadequado, normal/patológico; </li></ul><ul><li>Considerar a história peculiar para compreendê-lo; </li></ul><ul><li>Problematização do momento de início e término de de cada etapa (grandes períodos: infância, adolescência, idade adulta e adultos maiores). </li></ul>DESENVOLVIMENTO COGNITIVO
  13. 14. DESENVOLVIMENTO COGNITIVO Períodos de Desenvolvimento <ul><li>Sensório-Motor (0 – 24 meses) </li></ul><ul><li>Não diferenciação “eu” – mundo exterior </li></ul><ul><li>Egocentrismo inconsciente com progressiva diferenciação entre realidade interna e externa </li></ul><ul><li>Inteligência sensório-motora: as ações e experiência são as organizadoras da construção do conhecimento </li></ul><ul><li>Noção de permanência dos objetos (9 meses) </li></ul><ul><li>Noção de um mundo estável: um espaço geral, constituído de vários espaços, com objetos dentro dele e a própria criança como um desses objetos </li></ul><ul><li>Noção de causalidade (causa-consequência) </li></ul><ul><li>Objetivação das séries temporais (antes-agora-depois) </li></ul>
  14. 15. DESENVOLVIMENTO COGNITIVO Períodos de Desenvolvimento <ul><li>Sensório-Motor (0 – 24 meses) </li></ul><ul><li>Evolução dos atos reflexos (mais restritos) para comportamentos complexos que apresentam variações: atos intencionais que caracterizam a inteligência </li></ul><ul><li>Modificação de comportamentos em função das exigências e solicitações da situação com a qual se depara: esquemas de adaptação </li></ul><ul><li>Inteligência prática ou sensório-motora: pensamento é anterior à linguagem </li></ul><ul><li>Ao final, consegue organizar dados da realidade externa e interna e ver-se no ambiente </li></ul>
  15. 17. DESENVOLVIMENTO COGNITIVO Períodos de Desenvolvimento <ul><li>Pré-Operatório (2 – 7 anos) </li></ul><ul><li>Desenvolvimento da linguagem (objeto por palavra) </li></ul><ul><li>Esquemas simbólicos (jogo simbólico) </li></ul><ul><li>Pensamento mágico (fantasia e realidade coexistem) </li></ul><ul><li>Julgamento intelectual depende da percepção imediata </li></ul><ul><li>Ausência de preocupação em comprovar os julgamentos que faz das relações de causa e efeito </li></ul><ul><li>Entendimento da realidade ainda é distorcido e existe uma riqueza fantástica de argumentação: pensamento animista (ex. árvore que dança, animal que fala) </li></ul>
  16. 18. DESENVOLVIMENTO COGNITIVO Períodos de Desenvolvimento <ul><li>Pré-Operatório (2 – 7 anos) </li></ul><ul><li>Ausência de lógica do pensamento, com dificuldade em compartilhar com o outro (embora não haja a preocupação da criança com isso) </li></ul><ul><li>Linguagem socializada e egocêntrica </li></ul><ul><li>Monólogo: necessidade de transpor para a linguagem a atividade motora (pensamento motor para interiorizado) </li></ul><ul><li>Linguagem socializada: diálogo com intenção de comunicação </li></ul>
  17. 19. DESENVOLVIMENTO COGNITIVO Períodos de Desenvolvimento <ul><li>Pré-Operatório (2 – 7 anos) </li></ul><ul><li>Linguagem egocêntrica: conversas paralelas ou monólogo como treino para pensamento organizado em necessidade da ação </li></ul><ul><li>Desenvolvimento social: atenção volta-se, da família, para as crianças, porém com brincadeiras paralelas </li></ul><ul><li>Egocentrismo mais atenuado: ainda com dificuldade de considerar o outro com sentimentos e vida própria </li></ul>
  18. 21. DESENVOLVIMENTO COGNITIVO Períodos de Desenvolvimento <ul><li>Operações Concretas (7 – 11,12 anos) </li></ul><ul><li> egocentrismo intelectual e  pensamento lógico </li></ul><ul><li>Estruturação da realidade pela razão, pela lógica </li></ul><ul><li>Esquemas conceituais: conhecimento adequado de objetos e situações concretos da realidade: </li></ul><ul><ul><li>“ A própria realidade e, em particular, os objetos tangíveis, suscetíveis de serem manipulados e submetidos a experiências afetivas” (Piaget, 1969) </li></ul></ul>
  19. 22. DESENVOLVIMENTO COGNITIVO Períodos de Desenvolvimento <ul><li>Operações Concretas (7 – 11,12 anos) </li></ul><ul><li>Pensamento mágico substituído por atitude crítica: necessidade de explicar suas ações e idéias pela lógica </li></ul><ul><li>Ações físicas ocorrem mentalmente </li></ul><ul><ul><li>(não precisa mais do monólogo) </li></ul></ul>
  20. 23. DESENVOLVIMENTO COGNITIVO Períodos de Desenvolvimento <ul><li>Operações Concretas (7 – 11,12 anos) </li></ul><ul><li>Operações mentais reversíveis: conservação (invariância) </li></ul><ul><ul><li>Reversibilidade: a partir do resultado de uma operação mental, é possível encontrar uma operação simétrica que leve ao dado inicial (2 x 2 = 4 e 4 / 2 = 2) </li></ul></ul><ul><ul><li>Invariância: as relações se mantêm independentes de transformações perceptuais, porém dependentes de um sistema de referência </li></ul></ul>
  21. 24. DESENVOLVIMENTO COGNITIVO Períodos de Desenvolvimento <ul><li>Operações Concretas (7 – 11,12 anos) </li></ul><ul><li>Julgamento conceitual </li></ul><ul><li>Linguagem socializada </li></ul><ul><li>Desenvolvimento social: interação social mais genuína, pois o outro (criança ou adulto) existe plenamente </li></ul>
  22. 25. Períodos de Desenvolvimento Provas clássicas de Piaget – Conservação / Invariância Quantidade (7 anos) 1ª situação 2ª situação Peso (8 – 9 anos) 1ª situação 2ª situação
  23. 26. Períodos de Desenvolvimento Provas clássicas de Piaget – Conservação / Invariância Massa (11-12 anos) 1ª situação 2ª situação Volume (11-12 anos) 1ª situação 2ª situação
  24. 28. DESENVOLVIMENTO COGNITIVO Períodos de Desenvolvimento <ul><li>Operações Formais (12 anos - adulto) </li></ul><ul><li>Da assimilação egocêntrica passa à acomodação: </li></ul><ul><ul><li>o pensamento formal, aos poucos, harmoniza-se com a realidade (principal função da reflexão não é contradizer, mas prever e interpretar a experiência) </li></ul></ul><ul><li>Afetividade e inteligência dissociáveis e essenciais para qualquer ação: - a primeira fornece valores e incentivo e a segunda clarifica objetivos e fornece meios para atingi-los </li></ul><ul><li>“ A razão, que é a expressão das mais altas formas de equilíbrio, reúne a afetividade e a inteligência” </li></ul><ul><li>(Piaget, 1969) </li></ul>
  25. 29. DESENVOLVIMENTO COGNITIVO Períodos de Desenvolvimento <ul><li>“ A razão, que é a expressão das mais altas formas de equilíbrio, reúne a afetividade e a inteligência” </li></ul><ul><li>(Piaget, 1969) </li></ul>
  26. 30. DESENVOLVIMENTO COGNITIVO Períodos de Desenvolvimento <ul><li>Operações Formais (12 anos - adulto) </li></ul><ul><li>Adolescente: esquemas conceituais abstratos (amor, fantasia, justiça) - dispensam o concreto </li></ul><ul><li>Operações mentais seguem a lógica formal: </li></ul><ul><ul><li>riqueza interna de conteúdo </li></ul></ul><ul><ul><li>flexibilidade e reversibilidade de pensamento </li></ul></ul><ul><li>Pensamento simbólico </li></ul>
  27. 31. DESENVOLVIMENTO COGNITIVO Períodos de Desenvolvimento <ul><li>Operações Formais (12 anos - adulto) </li></ul><ul><li>Capacidade de criticar sistemas sociais, discutir valores morais, levantar hipóteses e testá-las </li></ul><ul><li>Consciência do próprio pensamento </li></ul><ul><li>Autonomia </li></ul><ul><li>Reflexão para justificativa dos julgamentos e atos </li></ul><ul><li>Forma final de equilíbrio do adulto </li></ul>
  28. 32. <ul><li>Etapas de desenvolvimento normal norteiam a compreensão da evolução e aquisição de habilidades esperadas, mas podem haver variações </li></ul><ul><li>Os dados colhidos favorecem o levantamento de hipóteses de: </li></ul><ul><ul><li>deficiência mental </li></ul></ul><ul><ul><li>atrasos ou déficits cognitivos específicos </li></ul></ul>DESENVOLVIMENTO COGNITIVO Períodos de Desenvolvimento
  29. 33. DESENVOLVIMENTO NEUROPSICOMOTOR <ul><li>Segurar a cabeça: 4 meses </li></ul><ul><li>Balbucio: 6 – 8 meses (“blábláblá”) </li></ul><ul><li>Sentar: 7 meses </li></ul><ul><li>Engatinhar : 8 meses </li></ul><ul><li>Ficar em pé com apoio: 10 meses </li></ul><ul><li>Ficar em pé sozinho: 11 meses </li></ul><ul><li>Andar com apoio: 12 meses </li></ul><ul><li>Andar sem apoio : 14 meses </li></ul>
  30. 34. DESENVOLVIMENTO NEUROPSICOMOTOR <ul><li>Primeiras palavras: 10 – 12 meses (“mamã”) </li></ul><ul><li>Frases de duas palavras: 18 – 20 meses (“nenê óa”) </li></ul><ul><li>Frases completas: 1 ½ - 3 anos) </li></ul><ul><li>Frases elaboradas: 3 – 4 anos </li></ul><ul><li>Controle esfincteriano vesical/anal diurno: até 2 ½ anos </li></ul><ul><li>Controle esfincteriano vesical/anal noturno: até 3 anos </li></ul><ul><li>Comer sozinho: até 5 anos (sem derrubar) </li></ul>
  31. 35. <ul><li>História </li></ul><ul><li>A história da criança é anterior ao nascimento, pois fatores como </li></ul><ul><ul><li>história de vida dos pais </li></ul></ul><ul><ul><li>constituição do casal parental </li></ul></ul><ul><ul><li>fantasias e expectativas sobre a nova criança </li></ul></ul><ul><li>são fundamentais e devem ser investigados </li></ul>DESENVOLVIMENTO INFANTIL
  32. 36. <ul><li>Anamnese </li></ul><ul><li>Verificar: </li></ul><ul><ul><li>desejo e aceitação da criança pelos pais </li></ul></ul><ul><ul><li>intercorrências físicas concretas e psicológicas durante a gestação </li></ul></ul><ul><ul><li>condições de nascimento </li></ul></ul><ul><ul><li>inserção no ambiente familiar </li></ul></ul><ul><ul><li>histórico de doenças orgânicas e genéticas da família </li></ul></ul><ul><ul><li>ambiente escolar e social </li></ul></ul>DESENVOLVIMENTO INFANTIL
  33. 37. PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO <ul><ul><li>Investigar: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Dados de desenvolvimento emocional, cognitivo e social e compará-lo com a expectativa normal </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Momento da vida em que ocorreram problemas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Como o problema foi manifestado pela pessoa </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Como o problema foi recebido pelos demais </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>O que se pôde fazer a partir da questão </li></ul></ul></ul><ul><li>Orientar para encaminhamentos específicos aos profissionais competentes: </li></ul>

×