{E1 cd6af7 e5ff-43ae-a5a3-ca40a6c67f29}-cartilha final

769 views

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
769
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
17
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

{E1 cd6af7 e5ff-43ae-a5a3-ca40a6c67f29}-cartilha final

  1. 1. GUIA PARA ORGANIZAÇÃODO PLANO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA
  2. 2. TODA ESCOLA PODE FAZER A DIFERENÇA GUIA PARA ORGANIZAÇÃO DOPLANO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICASecretaria de Estado da Educação de Minas Gerais
  3. 3. Guia para Organização do Plano de Intervenção PedagógicaSUMÁRIOCarta aos Educadores............................................................................................. 21. Resultados escolares em foco: COMO ESTÁ SUA ESCOLA?.................. 3 1.1- Desempenho do aluno » desempenho da escola ................................. 3 1.2- Foco no desempenho dos alunos............................................................... 62. Dia 4 de julho: “Toda Escola pode fazer a diferença”............. 8 2.1- Organizando a Escola e os trabalhos...................................................... 8 2.2- Sugestão de agenda para o dia 4 de julho............................................ 9 2.3- Elaboração do Plano de Intervenção Pedagógica.............................. 10 .3. Dia 7 de julho: Todos devem participar....................................................... 11 . 3.1- Mobilização da comunidade escolar....................................................... 11 . 3.2- Organização da escola e dos trabalhos............................................... 12 3.3- Sugestão de agenda para o dia “Todos devem participar”.. 124. Finalizando uma etapa e começando outra.................................................. 13 4.1- Desafio da implementação....................................................................... 13 4.2- Papel da gestão da escola....................................................................... 13 . 4.3- Sugestões de ações a partir de agosto............................................... 13 4.4- Como a SRE ajudará as escolas?........................................................... 16 4.5- A nossa escola pode fazer a diferença? Sim!.................................... 16Anexos. .................................................................................................................... 17 . Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais –
  4. 4. Toda Escola Pode Fazer a DiferençaPrezados Educadores de Minas,À frente da Secretaria de Estado da Educação nos últimos quatro anos,enfrentamos enormes desafios e temos plena consciência de que nemtodos foram vencidos. Iniciamos frentes de batalhas que, agora nestesegundo tempo de governo, queremos consolidar. Assegurar que todas ascrianças estejam alfabetizadas até 8 anos de idade é uma tarefa cívica quecontinuaremos encarando de frente. Esta é nossa meta primeira. Outrasprioridades da política educacional de Minas, como elevar a qualidade deensino melhorando os resultados do desempenho dos alunos, reduzir asdiferenças regionais, investir na escola de tempo integral, aumentar ataxa de conclusão do Ensino Médio, intensificar a formação continuada dosprofessores, reduzir as taxas de distorção idade série, dentre outras,passam, necessariamente pela garantia da alfabetização e letramento detodos os alunos.Hoje, os resultados das avaliações externas que agora colocamos nas mãos devocês para análise e reflexão, mostram avanços significativos considerandoos resultados anteriores. Os educadores podem fazer mais. As escolasde Minas podem fazer a diferença. Esta é a nossa convicção inabalável,confirmada pelos dados das avaliações: escolas públicas mineiras conseguiramfazer com que seus alunos superassem os resultados do aprendizado delesesperado, dadas as suas condições sociais.Mais do que dever, é nosso compromisso analisarmos os resultados, parajuntos, buscarmos melhorar o desempenho dos nossos alunos. Os resultados,de uma maneira geral, mostram que temos um longo caminho pela frente.Elaborar um Plano de Intervenção Pedagógica e executá-lo é, com certeza, umpasso decisivo para garantir o sucesso escolar dos alunos, de modo especialno processo de alfabetização e letramento, sabendo que a tarefa é desafioconstante e coletivo. As sementes precisam ser plantadas cotidianamentepara que os frutos sejam abundantes.Para esta tarefa temos certeza de contar com o compromisso de todosvocês que, na escola, na sala de aula, dia a dia, incansavelmente, continuamconstruindo cidadania, ensinando a ler, escrever e contar, fazendo adiferença. Bom Trabalho. Vanessa Guimarães Pinto Secretária de Estado da Educação
  5. 5. Guia para Organização do Plano de Intervenção Pedagógica1 - Resultados escolares em foco: COMO ESTÁ SUA ESCOLA?1.1 - O desempenho do aluno » desempenho da escolaUrgência da transformação daqualidade do ensino nos anos iniciaisOs resultados dos nossos alunos melhoraramnos últimos 4 anos, porém ainda temos umalonga caminhada para alcançarmos as nossasmetas. As avaliações externas mostram queuma grande parte de nossos alunos não tematingido desempenho suficiente, inclusive nosanos iniciais do Ensino Fundamental (comovemos na figura ao lado, apenas 21,5% dosalunos da Fase II do Ciclo Inicial de Alfabetização apresentou desempenhoconsiderado recomendável).Alunos com baixo desempenho nos anos iniciais dificilmente conseguemmelhorar seu desempenho nos anos seguintes, como vemos no quadro aseguir. Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais –
  6. 6. Toda Escola Pode Fazer a DiferençaMetas da SecretariaA Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais, consciente daurgência da melhoria do desempenho dos alunos, definiu metas desafiadorase necessárias para os próximos 4 anos: • Garantia de que toda criança esteja lendo e escrevendo até os 8 anos de idade • Elevação dos índices de aprendizagem (PROEB, SAEB, Prova Brasil, ProAlfa) • Redução das diferenças regionaisAcreditamos que para concretizar essas metas, toda escola deve estarconsciente de que pode, e deve fazer a diferença.Ações importantes para alcançar estas metasDevemos parar e refletir sobre algumas perguntas que precisam ser feitasno interior de cada escola, nas Regionais e na SEE. No nosso cotidiano,temos realizado estas ações?
  7. 7. Guia para Organização do Plano de Intervenção PedagógicaEstas e inúmeras outras perguntas precisam ser feitas no interior de cadaescola, nas SRE e na SEE. Se respondemos muitos “nãos”, ainda temos umenorme caminho a percorrer.Nós estamos comprometidos com os níveis de aprendizagem dos nossosalunos, e avaliar é um dos procedimentos essenciais para elevarmos essesníveis. Mas a avaliação, por si só, não dá conta dessa tarefa, pois fazemosisso, institucionalmente, há mais de 10 anos e ainda não conseguimos osresultados esperados. É preciso aliar à análise da avaliação a elaboração eexecução de um plano de intervenção pedagógica sério, realista e em sintoniacom as possibilidades de cada escola e, sobretudo construído por todos.O aluno no centro das atençõesChegou a hora, e não era sem tempo, de transformarmos nossa maneira defazer, e mudar de verdade, colocando o desempenho escolar de nossosalunos como eixo do trabalho a ser desenvolvido. A avaliação deve ser oponto de partida para alcançarmos o sucesso de todos. Quando o alunobrilha a escola brilha com ele. Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais –
  8. 8. Toda Escola Pode Fazer a DiferençaEscolas que fazem a diferençaSabemos que cada escola mineira enfrenta um desafio único. As dificuldadessão muitas, mas as escolas têm demonstrado uma enorme capacidade desuperá-las com criatividade e simplicidade. Observe cuidadosamente aoseu redor e encontrará um grande número de escolas que tem conseguidosuperar as resultados esperados de acordo com as suas características,fazendo uma grande diferença para os seus alunos. Observe o exemplo nográfico abaixo:1.2 - Foco na aprendizagem dos alunosNa certeza da urgência da transformação da cultura da instituição nosentido de orientar e direcionar todo o trabalho para a aprendizagem dosalunos, a Secretaria de Estado da Educação, através da Subsecretaria deDesenvolvimento da Educação Básica estabeleceu os dias 04 e 07 de julho,COMO UMA AÇÃO COLETIVA DE INTERVENÇÃO PARA A MUDANÇA.
  9. 9. Guia para Organização do Plano de Intervenção PedagógicaEsperamos que este movimento alcance os seguintes objetivos:A SEE organizou uma programação que visa dar suporte às mudanças: Descrição/objetivo Data Criar foco e comprometimento 29/05, 30/05 Congresso de Alfabetização em torno da urgência do foco na e 31/05 aprendizagem e na alfabetização Disseminar as ações nos 6 pólos Entre 13/06 e Reunião de pólos capacitando e informando 21/06 “Parar” escolas por 1 dia, para que Evento “Toda escola pode fazer a escola analise seus resultados e 04 de julho a diferença” defina um plano de intervenção Apresentar plano de intervenção Apresentação à comunidade da escola à comunidade e pais de 07 de julho alunos para sugestões Capacitar SRE quanto à orientação 3a e 4a Capacitação das SRE e acompanhamento necessários semanas de nas escolas julho Implantar mecanismo de Orientação e Agosto em orientação e acompanhamento das Acompanhamento diante escolas pelas SRE Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais –
  10. 10. Toda Escola Pode Fazer a Diferença2 - Dia 4 de julho: “TODA ESCOLA PODE FAZER A DIFERENÇA”2.1 - Organizando a Escola e os trabalhosNo dia 4 de julho haverá uma parada, com a dispensa de todos os alunos,e, nesse dia, TODAS AS ESCOLAS deverão concluir a análise dos Boletinsdo PROEB e ProAlfa e elaborar seu Plano de Intervenção Pedagógica (VERANEXO I) para enfrentar e propor soluções para os problemas detectadose priorizados. Trata-se de um evento significativo que precisa ser muitobem preparado.As sugestões a seguir poderão ser enriquecidas com a criatividade e aexperiência de cada escola: • Constituir uma equipe de coordenação sob a liderança do Diretor ou Coordenador Coordenação • Esta equipe fica responsável por pensar e providenciar tudo o que for necessário para o evento • A equipe de coordenação do evento deve incentivar que todos conheçam os resultados da escola antes do evento, através da internet Análise prévia dos Boletins • A equipe pedagógica da escola deve fazer uma análise detalhada dos resultados e elaborar materiais que facilitem a compreensão dos dados (gráficos, cartazes, frases impactantes e outros) • Convocar os professores para o evento em seus respectivos turnos de trabalho e estimular a discussão dos resultados Preparação dentro de grupos homogêneos (mesma série ou ensino da Escola fundamental/médio) • Nas escolas unidocentes, sugerimos que os professores se reúnam sob a coordenação da SRE na sede do município • Elaborar correspondência para os pais explicando a dispensa dos alunos neste dia • Colocar faixas na escola e fazer divulgação em sala de aula Comunicação • É importante divulgar o endereço do website do Simave, onde todos já podem conhecer os resultados de sua escola (www.simave.ufjf.br/2006) • Fazer a abertura dos trabalhos é papel do Diretor • Apresentar a agenda do dia demonstra importância e organização Logística • Preparar uma boa acolhida aos professores • Preparar o material para o evento de modo a não faltar papel, canetas, mesas, cadeiras, etc. para todos
  11. 11. Guia para Organização do Plano de Intervenção PedagógicaA etapa de análise prévia dos boletins é especialmente importante, pois elaservirá de base para o trabalho que do dia 04 de julho: “Toda escola podefazer a diferença”.Os boletins são ferramentas com muita informação, e é necessário estudá-los antes do evento. Faça um roteiro de estudos que favoreça a análise doseducadores, ele possibilitará uma sessão eficaz de discussão entre toda aequipe da escola. Se todos estiverem vendo o boletim pela primeira vez nestedia, muito tempo será gasto coma leitura e entendimento domesmo e não haverá espaço paradiscussões e tomada de decisãosobre o que priorizar no planode intervenção, etapa crucialpara conseguirmos melhorar.2.2 - Sugestão de agenda para o dia 4 de julho • A escola pode abrir o evento com um discurso do diretor para motivar a equipe e explicar a agenda do dia • O material das avaliações da escola deve ser distribuído para os participantes • Resultados da escola em avaliações anteriores também devem estar disponíveis para consulta • Cada um deve refletir sozinho por alguns minutos sobre os resultados da escola e mais especificamente de seus alunos • Discussão em grupos entre professores que dão aula para a mesma série ou divididos entre anos iniciais e anos finais. Deve-se dar uma atenção especial para o grupo dos professores alfabetizadores, estimulando a tomada de decisões específicas para este grupo • Proposta de perguntas a serem respondidas: – A avaliação foi de acordo com as expectativas? – O que fizemos certo? E o que poderíamos fazer melhor? – Aonde poderíamos chegar? Qual será nossa meta? – Como chegaremos lá? – O que eu posso fazer diferente dentro da minha sala de aula? – Quantos alunos de nossa escola ainda não sabem ler e escrever de forma satisfatória? – Quais ações tomaremos específicas para estes alunos para garantir que eles aprenderão o mais rápido possível? Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais –
  12. 12. Toda Escola Pode Fazer a Diferença • Cada grupo de professores deve apresentar as ações que decidiram tomar para melhorar o desempenho do seu grupo de alunos e as metas para o futuro • Toda a equipe da escola deve preencher coletivamente o plano de intervenção pedagógica do turno, juntando as ações e idéias levantadas em cada grupo de discussão • No final deste preenchimento, deve haver consenso entre o grupo de professores de que este é o melhor caminho para a melhoria do desempenho dos alunos desta escola • No final do dia, a equipe pedagógica deverá sistematizar os trabalhos dos 3 turnos e elaborar um documento da escola que será apresentado para o grupo de educadores, nas duas primeiras horas do sábado, para validação e ajustes2.3 - Elaboração do Plano de Intervenção PedagógicaUm bom plano tem que ser exeqüível. Nãoadianta tentar reinventar a roda. O planodeve ter objetivos claros, com metas bemdefinidas e ações adequadas que respondamaos problemas identificados na análise dosboletins. Apresentamos um roteiro de planopara auxiliar no trabalho de elaboração: 1. dentificar o problema: Situação Atual I Para o preenchimento deste item do plano, com a ajuda dos resultados das avaliações, deverão ser identificados os alunos com maiores dificuldades de aprendizagem, as características dessas dificuldades, e as causas dos problemas apresentados pelos alunos (são de ordem cognitiva, familiar? é uma questão de saúde ou outra deficiência?) Muitas escolas não conseguirão avançar na identificação das causas, por não conseguirem se aproximar das famílias e vice-versa, mas estes dados são importantes para sabermos onde e como agir. 2. stabelecer metas: Situação Desejada E As metas devem priorizar o aprendizado do aluno como foco da ação do professor. E serem expressas com objetividade e clareza, com prazos de execução, para que qualquer pessoa, seja da escola ou da comunidade, possa acompanhar essas ações. Para isso sugerimos a criação de murais10
  13. 13. Guia para Organização do Plano de Intervenção Pedagógica com as metas e a divulgação dos resultados parciais à medida que forem sendo alcançados. 3. efinir as ações: Caminho D Neste item, o trabalho coletivo dos professores e especialistas é fundamental, pois toda a escola deverá ser mobilizada no sentido de buscar alternativas de intervenções para mudar o quadro atual e atingir as metas. Esta tarefa não é só do professor, mas será na sala de aula que o processo terá maior expressão. 4. efinir responsabilidades: Pessoas D Dividir as responsabilidades é permitir que cada um faça a sua parte. Desde o porteiro da escola até o diretor, todos podem dar sua contribuição. A participação de todos na responsabilidade do alcance das metas estabelecidas deve ser evidenciada e exigida. Por isso é essencial definir quem será responsável pelo quê.3 - Dia 7 de julho: “TODOS DEVEM PARTICIPAR”3.1 - Mobilização da comunidade escolarNo dia 07 de julho, o Plano de Intervenção Pedagógica deverá ser apresentadoà comunidade escolar para que a família dos alunos conheça as ações que aescola pretende tomar e faça sugestões. Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais – 11
  14. 14. Toda Escola Pode Fazer a Diferença3.2 - Organização da escola e dos trabalhos • Preparar a escola para possibilitar a realização do encontro de Preparação forma organizada. da Escola • Lembrar-se de que estarão reunidos alunos, professores e pais/responsáveis por alunos de todos os turnos. • A mesma equipe responsável pela organização do dia “A escola pode fazer a diferença” deve também organizar este evento. Coordenação • A equipe deve garantir o comprometimento de todos com o sucesso do evento. • Esclarecer aos alunos e professores que este será um dia letivo em reposição ao dia 04 de julho, portanto, eles terão a Comunicação presença computada. • Fazer ampla divulgação na cidade por meio de cartazes e/ou faixas, rádio local, etc. • Fazer a abertura dos trabalhos é papel do Diretor. • Preparar uma boa acolhida aos pais e alunos. • Apresentar a agenda do dia demonstra importância e Logística organização. • Preparar o material para o evento (cartazes, papel, canetas). • Garantir que a escola terá espaço para acomodar todos no evento.3.3 - Sugestão de agenda para o dia “Todos devem participar”12
  15. 15. Guia para Organização do Plano de Intervenção Pedagógica4 - Finalizando uma etapa e começando outraApós a apresentação do Plano para a comunidade escolar, a equipepedagógica da escola deverá concluí-lo e enviá-lo à SRE até o dia 13 dejulho de 2007, para conhecimento, análise e definição de estratégias demonitoramento.4.1 - Desafio da implementaçãoO plano de intervenção pedagógica deveser encarado como um desafio paratodos nós. Devemos buscar alternativasdiversificadas e enfrentarmos estarealidade de frente como um problema“pessoal”. Precisamos realizar esforços,ainda maiores, para que este cenárioseja sensivelmente alterado.4.2 - A importância da gestão da escolaO papel do Diretor como coordenador, incentivador e facilitador do processoé fundamental: • Garantindo que o supervisor pedagógico trabalhe em conjunto com o corpo docente • Fazendo reuniões periódicas com sua equipe • Garantindo que todos os professores reflitam sobre os resultados das avaliações • Estimulando a troca de experiências entre professores • Traduzindo os resultados das avaliações externas em estratégias de gestão que conduzam ao crescimento geral da escola.4.3 - Sugestões de ações a partir de agostoCom o objetivo de ajudar cada escola a superar esse desafio e obter sucessona implementação de seu plano, identificamos 3 ações importantes quedeverão ser implementadas a partir de agosto: Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais – 13
  16. 16. Toda Escola Pode Fazer a Diferença1 . Coordenação da implementação do plano na escola: a. Quem será responsável por garantir que não estamos nos esquecendo do que nos propusemos a fazer? b. Quem levantará questões sobre a eficácia de nossas ações no dia-a-dia para melhorar o desempenho do aluno? c. Quem observará se professores estão conseguindo fazer a diferença ou se estão tendo dificuldades e necessitam de mais suporte?Todos nós seremos responsáveis pelo resultado final do aluno, mas a escolasó tem a ganhar designando uma equipe de acompanhamento das ações doPlano de Intervenção Pedagógica.2. Orientação aos professoresSabemos que a transformação que buscamos passará necessariamente pelasala de aula, pela relação professor-aluno. Portanto, sugerimos que a escolatenha um foco especial na orientação e suporte aos professores.O diretor, a equipe pedagógica daescola e o grupo de professores devemse perguntar constantemente: cadaprofessor sabe o que é esperado dele?Cada professor sabe como desenvolveras competências básicas que devem serconstruídas pelos alunos?Quando a resposta a estas perguntas for“não”, a escola deve organizar-se paraintensificar e melhorar a orientação aosprofessores.Diretores, pedagogos e professorescom maior experiência podem auxiliarprofessores com maior dificuldade. AsSRE serão co-responsáveis junto comas escolas nesse esforço de orientação aos professores. Tanto os técnicosda área pedagógica, quanto os inspetores devem servir de suporte àsescolas para conseguir identificar o que os professores devem fazer paramelhorar o desempenho dos alunos.14
  17. 17. Guia para Organização do Plano de Intervenção Pedagógica3. Acompanhamento dos resultados – “Estamos caminhando na direçãocorreta e na velocidade que queremos?”Para a escola saber se seus esforços não têm sido em vão, e decidir comoajustar suas ações, precisará avaliar se seus alunos estão apreendendo ascompetências básicas com maior freqüência, por meio de avaliações internas,em cada sala de aula.As avaliações externas são feitas em períodos longos, e não são suficientespara orientar os educadores no dia-a-dia da sala de aula, aluno a aluno.Sugerimos que os professores apliquem frequentemente em suas turmas,avaliações sistemáticas relacionados às competências básicas para cadanível de ensino. Os resultados dessas avaliações ajudarão a identificar se osalunos têm conseguido construir tais competênciasEstas avaliações servirão ainda, para que os professores se ajudem, paraque os pedagogos acompanhem os educadores que precisam de maior apoio epara que o diretor corrija, se necessário, os caminhos do trabalho garantindoo progresso da sua escola.Outra sugestão é que os próprios especialistas apliquem avaliações periódicaselaboradas por eles nas diferentes turmas a partir do banco de itens,quando disponível, com o objetivo de detectar os avanços na aprendizagemdos alunos da escola. Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais – 15
  18. 18. Toda Escola Pode Fazer a Diferença4.4 - Como a SRE ajudará as escolas?A SRE ajudará as escolas entendendo os resultados de suas escolas e sepreparando para o evento e também mais tarde, na fase de orientação eacompanhamento da implementação do Plano de Intervenção Pedagógica,como ilustrado a seguir:4.5 - A nossa escola pode fazer a diferença? Sim!Na nossa vida, só conseguimos realizar mudanças, quando a situação na qualnos encontramos nos incomoda tanto que não conseguimos mantê-la. Convivercom o insucesso é frustrante e nos desestabiliza.Fazer a diferença para milharesde crianças e jovens, vaidepender de nossa determinação,organização, envolvimento eprincipalmente de nossa ação.Toda escola pode fazera diferença.16
  19. 19. Guia para Organização do Plano de Intervenção PedagógicaAnexo I Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais – 17
  20. 20. Toda Escola Pode Fazer a DiferençaO ENSINO DA MELHOR QUALIDADENas palavras de Terezinha Rios:“O Ensino da melhor qualidade é aquele que cria condições para a formaçãode alguém que sabe ler, escrever e contar. LER não apenas as cartilhas mas os sinais do mundo, a cultura do seu tempo ESCREVER não apenas nos cadernos, mas no contexto de quem participa, deixando seus sinais, seus símbolos CONTAR, não apenas números, mas sua história, espalhar sua palavra, falar de si e dos outros CONTAR e CANTAR (...) nas expressões artísticas, nas manifestações religiosas, nas múltiplas e diversificadas investigações científicas.”18

×